XP Expert

Itaú Unibanco levanta R$ 2 bilhões para empreendedorismo feminino | Café com ESG, 02/02

Itaú Unibanco emitiu R$2 bilhões em letras financeiras no mercado local para empreendedorismo feminino; Eletrobras faz aporte de R$ 883 milhões para implementação de projetos de sustentabilidade

Compartilhar:

  • Compartilhar no Facebook
  • Compartilhar no Twitter
  • Compartilhar no Whatsapp
  • Compartilhar no LinkedIn
  • Compartilhar via E-mail

Bom dia! Neste relatório diário publicado todas as manhãs pelo time ESG do Research da XP, buscamos trazer as últimas notícias para que você comece o dia bem informado e fique por dentro do que o Brasil e o mundo fala sobre um tema que tem ficado cada vez mais relevante: ESG – do termo em inglês Environmental, Social and Governance ou, em português, ASG – Ambiental, Social e Governança.

Quais tópicos abordamos ao longo do conteúdo? (i) Notícias no Brasil e no mundo acerca do tema ESG; (ii) Performance histórica dos principais índices ESG em diferentes países; (iii) Comparativo da performance do Ibovespa vs. ISE (Índice de Sustentabilidade Empresarial, da B3); e (iv) Lista com os últimos relatórios publicados pelo Research ESG da XP.
Por que essas informações são importantes? 
Porque elas indicam os temas dentro da agenda ESG que estão sendo cada vez mais monitoradas por parte dos investidores e das empresas, e podem impactar os preços das ações de diferentes companhias.

Esperamos que aproveite a leitura!

Principais tópicos do dia

O mercado encerrou o pregão de quarta-feira mais uma vez em território negativo, com o Ibov e o ISE em queda de -1,2% e -0,9%, respectivamente.

• No Brasil, (i) considerada a maior emissão destinada ao tema de empreendedorismo feminino no país, o Itaú Unibanco emitiu R$2 bilhões em letras financeiras no mercado local, sendo R$1 bi da International Finance Corporation (IFC), braço para o setor privado do Banco Mundial, e outro R$ 1 bi levantado no mercado; (ii) o Grupo Energisa anunciou que pretende investir R$ 23,6 milhões no Programa de Eficiência Energética (PEE) em 2023, tendo como objetivo promover projetos de consumo eficiente da energia elétrica em diversos estados brasileiros; e (ii) em linha com as obrigações previstas nos contratos de concessão fechados na capitalização da Eletrobras, a empresa fez, na terça-feira (31), aportes no valor total de R$ 883 milhões para implementação de projetos de sustentabilidade na região das hidrelétricas pertencentes às empresas Eletrobras, Chesf, Furnas e Eletronorte.

• No internacional, a General Motors anunciou investimento estimado em US$650 milhões em uma mina de lítio nos Estados Unidos, matéria-prima essencial para a produção de baterias em veículos elétricos – a operação é o maior investimento da montadora para garantir o suprimento de lítio como parte de sua estratégia de transformação elétrica.

Gostaria de receber os relatórios ESG por e-mailClique aqui.
Gostou do conteúdo, tem alguma dúvida ou quer nos enviar uma sugestão? Basta deixar um comentário no final do post!


XPInc CTA

Abra a sua conta na XP Investimentos!

XPInc CTA

Receba conteúdos da Expert pelo Telegram!

Brasil

Empresas

Eletrobras faz aporte de recursos em projetos de sustentabilidade

“A Eletrobras fez, nesta terça-feira (31), aportes no valor total de R$ 883 milhões para implementação de projetos de sustentabilidade na região das hidrelétricas pertencentes às empresas Eletrobras, Chesf, Furnas e Eletronorte. O montante decorre das obrigações previstas nos contratos de concessão fechados na capitalização da empresa. O valor é relativo à parcela de 2023 e resultado da aplicação do Índice de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA), desde a data da assinatura dos contratos,17 de junho de 2022, ao montante nominal total de R$ 875 milhões. Os recursos financeiros serão anuais, por um período de dez anos, dos quais R$ 350 milhões da Chesf, destinados à revitalização de bacias hidrográficas dos rios São Francisco e Parnaíba; R$ 295 milhões da Eletronorte, reduzir o custo total de geração na Amazônia Legal; e R$ 230 milhões de Furnas, empregados nas áreas de influência das hidrelétricas das empresas.”

Fonte: Agência Brasil, 01/02/2023

Energisa investirá R$ 23,6 milhões em projetos de eficiência energética

“O Grupo Energisa vai investir R$ 23,6 milhões no PEE (Programa de Eficiência Energética) em 2023. Foram aprovados 74 projetos nos estados do Acre, Mato Grosso, Paraíba, Mato Grosso do Sul, Minas Gerais, Rondônia, Paraná, São Paulo e Tocantins, através de chamada pública. A iniciativa está alinhada com os compromissos ESG (Environmental, Social and Governance) do Grupo e tem como objetivo difundir o uso eficiente da energia elétrica por meio de iniciativas inovadoras. Serão beneficiados projetos de promoção do consumo consciente de energia no poder público, hospitais, escolas, faculdades, iluminação pública, organizações sociais.”

Fonte: Canal Solar, 01/02/2023

Itaú capta R$ 2 bilhões para empreendedorismo feminino 

“O Itaú Unibanco emitiu R$ 2 bilhões em letras financeiras no mercado local, com recursos voltados para apoiar o empreendedorismo feminino no Brasil. É a maior emissão destinada ao tema de gênero no país. A captação, que levou o rótulo de “social”, foi feita em duas tranches: R$ 1 bi veio da International Finance Corporation (IFC), braço para o setor privado do Banco Mundial, e outro R$ 1 bi foi levantado no mercado. “Há um interesse crescente do investidor por esse tipo de dívida”, diz Daniel Goretti, diretor de tesouraria do Itaú Unibanco. O banco não divulga as taxas da operação, mas sinaliza que elas ficaram em linha com operações tradicionais com mesmo prazo de vencimento, de três anos. “Na prática, a diferenciação de taxas ainda depende de um amadurecimento do mercado de capitais mais profundo.””

Fonte: Capital Reset, 02/02/2023

A agenda da inovação precisa entrar na pauta dos conselhos e comitês

“Temas como estratégia, gestão de riscos, estrutura organizacional, indicadores de projetos de longo prazo e desempenho financeiro estão na agenda dos conselhos consultivos e de administração. Da mesma forma, o perfil com viés extremamente financeiro e fiscalista de muitos executivos que fazem parte destes conselhos sempre foi dito como algo excepcional. No entanto, os tempos atuais têm exigido uma reflexão se este caminho realmente é satisfatório. São inúmeras as notícias em jornais de circulação nacional e internacional que reforçam ainda mais a importância do conselho de administração, sua alçada e tomada de decisão. Ter uma agenda com foco na geração de valor de longo prazo, equilibrando com cuidado as demonstrações financeiras, é vital para os negócios. Outro aspecto relevante é sobre o perfil de quem assina como conselheiro da sua organização.”

Fonte: Época Negócios, 01/02/2023

Mineradoras apelam à Europa para combater garimpo na Amazônia

“O setor de mineração do Brasil busca ajuda da Europa na luta contra o garimpo ilegal na região amazônica, para que apenas metal certificado seja comprado e transgressores sejam punidos. Raul Jungmann, diretor-presidente do Instituto Brasileiro de Mineração (Ibram), disse que conversou a respeito com Frans Timmermans quando o vice-presidente executivo da Comissão Europeia visitou o Brasil na semana passada. Jungmann também pediu apoio ao Itamaraty. O setor quer que os países importadores exijam e imponham o controle de origem, em linha com a recente aprovação de um acordo para reduzir o papel da Europa no desmatamento global por meio de suas cadeias de abastecimento de matérias-primas essenciais. A mineração ilegal no bioma amazônico contribui para o desmatamento e prejudica grupos indígenas.”

Fonte: Valor Econômico, 01/02/2023

Política

Transição verde será prioridade número 1 do BNDES, diz CFO

“A transição para uma economia mais verde será a prioridade número 1 do BNDES, afirmou o CFO Alexandre Abreu em evento ontem no Credit Suisse. Recém empossado, ele listou ainda outros três focos de atuação: privilegiar micro, pequenas e médias empresas, incentivar a reindustrialização do país e atuar em projetos de infraestrutura. “Temos grandes desafios na transição energética para uma economia verde. Acho que esse é o principal ponto. É onde o mundo olha para o Brasil”, disse o executivo, acrescentando que vê uma possibilidade “enorme” de o país atrair recursos para a indústria focada nesse modelo de desenvolvimento. Também presente no evento, a diretora de mercado de capitais do banco, Natalia Dias, disse já ser possível identificar uma janela no mercado para captações externas específicas para o financiamento de projetos alinhados a questões ambientais e sociais.”

Fonte: Capital Reset, 01/02/2023

Clique aqui para ver nosso relatório completo sobre H2V l Hidrogênio Verde (H2V): O combustível do futuro?

Internacional

Empresas

GM investe US$ 650 mi em mina de lítio 

“A GM anunciou um investimento de US$ 650 milhões em uma empresa que explora lítio, metal essencial para baterias, em minas nos Estados Unidos. É o maior investimento da montadora para garantir o suprimento de uma matéria-prima crítica para seu plano de transformação elétrica. A Lithium Americas, empresa que vai receber o dinheiro, explora a maior reserva de lítio identificada em território americano, a mina de Thacker Pass, no estado de Nevada. Em troca do financiamento, a GM terá acesso exclusivo à produção da primeira fase de operação da mina, no segundo semestre de 2026, e o direito de fazer a primeira oferta pela compra de minérios na etapa seguinte. É o segundo acordo do tipo feito pela montadora. Há um ano e meio, a GM anunciou um acordo para adquirir o lítio que a Controlled Thermal Resources quer extrair de termas da Califórnia.”

Fonte: Capital Reset, 01/02/2023

Mercado Bitcoin lista ABFY, token que permite negociação de créditos de carbono

“Clientes do Mercado Bitcoin (MB) j á podem compensar suas emissões de gás carbônico por meio do token Ambify (ABFY), recentemente listado e disponível para negociação pela exchange de criptomoedas. Pela plataforma do MB, os clientes podem estimar a pegada de carbono de suas atividades de acordo com seus hábitos e estilo de vida. É possível realizar projeções de emissões diárias, semanais, mensais ou anuais, permitindo um cálculo personalizado do volume de CO² que deve ser compensado para cada pessoa. O token atende a uma demanda crescente das novas gerações de consumidores que desejam compensar seu impacto ambiental de forma criativa, digital e socialmente responsável. “A listagem do token nos permite estar ao lado de uma empresa que é referência em soluções ambientais e desenvolveu um projeto promissor, que combina iniciativas ambientais com a filosofia e tecnologia da Web3”, afirma Fabrício Tota, diretor de novos negócios do MB.”

Fonte: Valor Econômico, 01/02/2023


Índices ESG e suas performances

(1) O Índice ISE (Índice de Sustentabilidade Empresarial da B3) tem como objetivo ser o indicador do desempenho médio das cotações dos ativos de empresas com reconhecido comprometimento com o desenvolvimento sustentável, práticas e alinhamento estratégico com a sustentabilidade empresarial.
(2) O Índice S&P/B3 Brasil ESG mede a performance de títulos que cumprem critérios de sustentabilidade e é ponderado pelas pontuações ESG da S&P DJI. Ele exclui ações com base na sua participação em certas atividades comerciais, no seu desempenho em comparação com o Pacto Global da ONU e também cias sem pontuação ESG da S&P DJI.
(3) O ICO2 tem como propósito ser um instrumento indutor das discussões sobre mudança do clima no Brasil. A adesão das companhias ao ICO2 demonstra o comprometimento com a transparência de suas emissões e antecipa a visão de como estão se preparando para uma economia de baixo carbono.
(4) O objetivo do IGCT é ser o indicador do desempenho médio das cotações dos ativos de emissão de empresas integrantes do IGC que atendam aos critérios adicionais descritos nesta metodologia.
(5) A série de índices FTSE4Good foi projetada para medir o desempenho de empresas que demonstram fortes práticas ambientais, sociais e de governança (ESG).
(6)
O Índice MSCI ACWI, que representa o desempenho de todo o conjunto de ações de grande e médio porte do mundo, em 23 mercados desenvolvidos e 26 emergentes.


Nossos últimos relatórios

  • Hidrogênio Verde (H2V): O combustível do futuro? (link)
  • Brunch com ESG: AMER3 e BBAS3 em destaque; Conferência de Davos chega ao fim (link)
  • Radar ESG | Setor financeiro (BBAS3, BBDC4, BPAC11, B3SA3, ITUB4, SANB11): Sólida performance ESG, com espaço para melhoria na governança (link)
  • Retrospectiva ESG: 12 meses, 12 acontecimentos e 12 relatórios que você não pode perder (link)
  • Novo ano, nova carteira do ISE B3: Tudo o que você precisa saber (link)
  • Carteira ESG XP: Sem alterações no nosso portfólio para janeiro (link)
  • Nova resolução da CVM define regras ESG mais rígidas para companhias abertas (link)
  • Radar ESG | Papel e Celulose (SUZB3, KLBN11, RANI3): Bem posicionadas, apesar dos riscos ambientais acima da média (link)
  • Radar ESG | Vestuário Esportivo (SBFG3, TFCO4, VULC3): E no jogo ESG, quem vence? (link)
  • Radar ESG | DASA (DASA3): Bom desempenho ESG, com oportunidades de melhoria (link)
  • ESG: Top 5 tendências para 2023 (link)
  • Carteira ESG XP: Atualizando o nosso portfólio para dezembro (link)
  • COP27 chega ao fim; 5 principais destaques da conferência (link)
  • Copa do Mundo 2022: ESG escalado para entrar em campo? (link)
  • COP27: Três principais mensagens dos primeiros dias (link)
  • Ambev (ABEV3): Feedback webinar ESG; Destravando valor via a sustentabilidade (link)
  • Carteira ESG XP: Atualizando o nosso portfólio para novembro (link)
  • Radar ESG | PetroRio (PRIO3): Desenvolvendo as estratégias para atuar no campo ESG (link)
  • COP27: Um mês para a próxima conferência climática da ONU (link)
  • Aura Minerals (AURA33): Indo a campo; Principais destaques da visita ESG (link)
  • Carteira ESG XP: Duas alterações para o mês de outubro (link)
  • ESG & Telecom | 5G Insights; Capítulo 4: Como o uso do 5G pode impulsionar a descarbonização? (link)
  • Radar ESG | Eletrobras (ELET3): Mudanças que vêm para o bem; Melhorias ESG também estão por vir (link)
  • Radar ESG | Guararapes (GUAR3): Evoluindo em como vestir essa agenda (link)
  • Radar ESG | Zenvia (ZENV): Dando os primeiros passos na agenda ESG (link)
  • Radar ESG | Frigoríficos brasileiros: Em busca de maior sustentabilidade e melhor governança (BRFS3, JBSS3, MRFG3, BEEF3) (link)
  • ESG: Como os clientes institucionais estão evoluindo no tema? (link)
  • Carteira ESG XP: Sem alterações no nosso portfólio para setembro (link)
  • Raio-X das metas de emissões das companhias brasileiras (link)
  • Seleção BDRs ESG​: 15 nomes para exposição internacional ao tema (link)
  • ESG: Três aprendizados da Expert XP 2022 (link)
  • Carteira ESG XP: Sem alterações no nosso portfólio para julho (link)
  • Radar ESG | Alupar (ALUP11): Bem posicionada para se beneficiar da tendência da transição energética; esperamos mais por vir (link)
  • Radar ESG | Intelbras (INTB3): Agregando valor através de oportunidades em tecnologia limpa (link)
  • Radar ESG | Grupo Vittia (VITT3): Melhorando a sustentabilidade na agricultura (link)
  • Radar ESG | Mater Dei (MATD3): Já na rota ESG (link)
  • Crédito de Carbono: Governo publica decreto para regulamentar o mercado; Confira nossa análise (link)
  • Reunião com Joaquim Leite, Ministro do Meio Ambiente: Carbono e energia renovável centralizam as discussões (link)
  • Radar ESG | Ambipar (AMBP3): Sobre fazer parte solução (link)
  • Radar ESG | Raízen (RAIZ4): No caminho de um futuro mais verde (link)
  • Radar ESG | Cruzeiro do Sul (CSED3): No caminho certo (link)
  • Radar ESG | Juniores de O&G (RRRP3 e RECV3): Envolvidas com a agenda ESG, enquanto enfrentam ventos contrários ao setor (link)
  • Radar ESG | Petz (PETZ3): A caminho de se tornar uma empresa ESG para cachorro (link)
  • Carteira ESG XP: Uma alteração no nosso portfólio para abril (link)
  • Seis temas-chave no investimento ESG frente ao conflito Rússia/Ucrânia (link)
  • SEC anuncia proposta para divulgação obrigatória de dados climáticos; Positivo (link)
  • Update ESG | Petrobras (PETR4): Feedback do webinar sobre clima (link)
  • Radar ESG | Telefônica Brasil / Vivo (VIVT3): Conectando-se à agenda ESG (link)
  • Mulheres na liderança: Um olhar sobre a representatividade feminina nas empresas da B3 (link)
  • Carteira ESG XP: Uma alteração no nosso portfólio para março (link)
  • ISE B3: Um raio-X da nova carteira do Índice de Sustentabilidade da B3 (link)
  • Radar ESG | Panvel (PNVL3): Prescrevendo a agenda ESG (link)
  • Carteira ESG XP: Uma alteração no portfólio para fevereiro (link)
  • Radar ESG | Omega Energia (MEGA3): Líder em energia renovável, surfando a onda da sustentabilidade (link)
  • Radar ESG | Desktop (DESK3): No início da jornada ESG (link)
  • Carteira ESG XP: Sem alterações em nosso portfólio para janeiro (link)
  • Radar ESG | AgroGalaxy (AGXY3): Plantando as sementes ESG (link)
  • Radar ESG | Petrobras (PETR4): E o campo ESG, como a Petrobras está explorando? (link)
  • Radar ESG | Oncoclínicas (ONCO3): Ainda na sala de espera (link)
  • Radar ESG | Aviação Brasil (EMBR3, AZUL4 e GOLL4): Voando pelos ares ESG (link)
  • Radar ESG | Alpargatas (ALPA4): Iniciando a caminhada pela agenda ESG (link)
  • Radar ESG | Kepler Weber (KEPL3): Um começo promissor (link)
  • Radar ESG | TIM (TIMS3): Chamando a agenda ESG (link)
  • ESG: O que moldará os investimentos sustentáveis em 2022? (link)
  • Carteira ESG XP: Sem alterações em nosso portfólio para dezembro (link)
  • Radar ESG | Burger King Brasil (BKBR): Espaço para avanço na agenda, mas os planos ambiciosos adiante animam (link)
  • COP26: Implicações do documento final (link)
  • Expo Dubai: Buscando soluções diante de recursos finitos (link)
  • Expo Dubai: Todos os olhos voltados para o futuro da mobilidade (link)
  • Expo Dubai: Tecnologia e sustentabilidade centralizam os destaques do evento nesta terça-feira (link)
  • Expo Dubai: Três principais destaques do evento nesta segunda-feira, dia do Brasil na feira (link)
  • COP26: Um encontro decisivo para conter o aquecimento global (link)
  • Seleção BDRs ESG​: 15 nomes para exposição internacional ao tema (link)
  • Radar ESG | Kora Saúde (KRSA3): Ainda há um caminho a ser percorrido (link)
  • Radar ESG | Empresas de Autopeças: Preparando a estrada ESG; Governança e segurança em primeiro lugar (link)
  • Radar ESG | Unifique (FIQE3) e Brisanet (BRIT3): O que as empresas de telecomunicações brasileiras têm feito? (link)
  • Radar ESG | Natura&Co. (NTCO3): Não é apenas maquiagem; ESG é uma realidade! (link)
  • Vale (VALE3): Feedback do Webinar ESG; Todos os olhos voltados para a redução de riscos (link)
  • Radar ESG | Totvs (TOTS3): A melhor posicionada no setor de tecnologia sob a cobertura da XP (link)
  • Assembleia Geral da ONU: Cenário climático alarmante centraliza as discussões (link)
  • Amazônia: Entendendo a importância da maior floresta tropical do mundo (link)
  • ESG no centro das discussões; Três principais aprendizados da Expert XP 2021 (link)
  • Radar ESG | Companhia Brasileira de Alumínio (CBAV3): Uma líder em alumínio verde, com forte posicionamento ESG (link)
  • Relatório do IPCC: Um chamado para todos, inclusive para o mercado, frente a um cenário alarmante do clima (link)
  • Radar ESG | WEG (WEGE3): Um player ESG bem equipado para se beneficiar das tendências adiante (link)
  • Radar ESG | Boa Safra (SOJA3): Agenda ESG em produção, semente por semente (link)
  • Água: Onde há escassez, há oportunidade (link)
  • Radar ESG | Positivo (POSI3): Um trabalho em andamento (link)
  • B3 anuncia nova metodologia para o ISE; Positivo (link)
  • Radar ESG | G2D (G2DI33): Abraçando os pilares S e E através do portfólio de investimentos de impacto (link)
  • Ambev (ABEV3): Feedback do evento ESG; Reforçamos nossa visão positiva (link)
  • Radar ESG | Setor de infraestrutura (CCRO3, ECOR3, RAIL3, HBSA3, STBP3): Preparando o asfalto (link)
  • Crédito de carbono: Capturando parte da solução; 5 nomes para exposição ao tema (link)
  • Radar ESG | Incorporadoras de Imóveis Residenciais Populares: Construindo os andares ESG (link)
  • Radar ESG | Arezzo & Co. (ARZZ3): Caminhando com seus próprios passos pela agenda ESG (link)
  • Trilogia ESG (Pt. I): Um mergulho no pilar E; Três nomes que são parte da solução (link)
  • Radar ESG | Blau (BLAU3) e Hypera (HYPE3): Em busca da fórmula ESG (link)
  • Bitcoin e ESG: Entenda os dois lados da moeda (link)
  • Radar ESG | Bemobi (BMOB3): Diversidade é o nome do jogo (link)
  • Radar ESG | Setor de Logística (SIMH3, JSLG3 e VAMO3): Preparando-se para a estrada ESG (link)
  • Radar ESG | Laboratórios: ESG ainda na triagem; Fleury se destacando em relação aos pares (link)
  • Cúpula de Líderes sobre o Clima: Tecnologia, economia e agenda verde centralizam as discussões no segundo dia do evento (link)
  • Cúpula de Líderes sobre o Clima: Cooperação global é uma das três principais mensagens do evento (link)
  • Radar ESG | Locadoras de automóveis: Rumo à agenda ESG; Localiza liderando a corrida (link)
  • Radar ESG | São Martinho (SMTO3): Quanto mais se semeia, maior é a colheita (link)
  • Radar ESG | Orizon (ORVR3): Quando ESG está escrito no DNA (link)
  • Sondagem XP/ESG com investidores institucionais (link)
  • O melhor dos dois mundos: Seleção de 10 BDRs para exposição internacional ao tema ESG (link)
  • Radar ESG | Enjoei (ENJU3): O usado é o novo “novo”? (link)
  • Radar ESG | CSN Mineração (CMIN3): Explorando os campos ESG (link)
  • Radar ESG | Jalles (JALL3): Plantando as sementes ESG (link)
  • Radar ESG | Incorporadoras de alta renda: ESG ainda em construção (link)
  • Radar ESG | Setor de saúde: O ESG ainda está na sala de espera? (link)
  • Radar ESG | Quão sustentáveis são as empresas de e-commerce? Uma análise ESG dessas gigantes (link)
  • Radar ESG | IMC (MEAL3): Por que a empresa ainda tem muito espaço para melhorar? (link)
  • Radar ESG | Aeris (AERI3): Uma das empresas melhor posicionada para surfar o vento ESG (link)
  • Radar ESG | 3R Petroleum: Construindo um caminho que incorpora metas ESG (link)
  • Radar ESG | Setor de supermercados: Vale a pena encher o carrinho? (link)
  • Radar ESG | JHSF (JHSF3): Espaço para melhorias (link)
  • Radar ESG | Quem é o melhor aluno da classe? Avaliando os líderes em ESG dentre as empresas de educação no Brasil (link)
  • Panorama do marco regulatório de investimentos ESG no Brasil (link)
  • CVM e B3 estudam intensificar critérios ESG para as companhias listadas (link)
  • Radar ESG | Setor de vestuário e joias: ESG ainda na confecção (link)
  • ESG: Tendências e preferências para 2021 (link)
  • Radar ESG | LOG Commercial Properties (LOGG3): Oportunidades em empreendimentos verdes (link)
  • Eleições americanas: Quais os efeitos para a agenda ESG nos EUA e no Brasil? (link)
  • Radar ESG | Farmácias: Raia Drogasil como a ação prescrita no setor para exposição a ESG (link)
  • Radar ESG | Shoppings: Entenda o que importa para eles quando o tema é ESG (link)
  • Radar ESG | Ambev (ABEV3): Um case que desce redondo (link)
  • Feedback do roadshow ESG: O que as gestoras no Brasil estão fazendo em relação ao tema? (link)
  • ESG de A a Z: Tudo o que você precisa saber sobre o tema (link)

Ainda não tem conta na XP? Clique aqui e abra a sua!

XP Expert

Avaliação

O quão foi útil este conteúdo pra você?


Newsletter
Newsletter

Gostaria de receber nossos conteúdos por e-mail?

Cadastre-se e receba grátis nossos relatórios e recomendações de investimentos

A XP Investimentos CCTVM S/A, inscrita sob o CNPJ: 02.332.886/0001-04, é uma instituição financeira autorizada a funcionar pelo Banco Central do Brasil.Toda comunicação através de rede mundial de computadores está sujeita a interrupções ou atrasos, podendo impedir ou prejudicar o envio de ordens ou a recepção de informações atualizadas. A XP Investimentos exime-se de responsabilidade por danos sofridos por seus clientes, por força de falha de serviços disponibilizados por terceiros. A XP Investimentos CCTVM S/A é instituição autorizada a funcionar pelo Banco Central do Brasil.


Este site usa cookies e dados pessoais de acordo com a nossa Política de Cookies (gerencie suas preferências de cookies) e a nossa Política de Privacidade.