XP Expert

ETFs ESG representaram 65% de toda a entrada em ETFs europeus em 2022 | Café com ESG, 16/01

93% dos líderes empresariais estão enfrentando dez ou mais dificuldades para manter as metas de sustentabilidade de seus negócios; ETFs ESG representaram 65% de todas as entradas líquidas em ETFs europeus

Compartilhar:

  • Compartilhar no Facebook
  • Compartilhar no Twitter
  • Compartilhar no Whatsapp
  • Compartilhar no LinkedIn
  • Compartilhar via E-mail

Bom dia! Neste relatório diário publicado todas as manhãs pelo time ESG do Research da XP, buscamos trazer as últimas notícias para que você comece o dia bem informado e fique por dentro do que o Brasil e o mundo fala sobre um tema que tem ficado cada vez mais relevante: ESG – do termo em inglês Environmental, Social and Governance ou, em português, ASG – Ambiental, Social e Governança.

Quais tópicos abordamos ao longo do conteúdo? (i) Notícias no Brasil e no mundo acerca do tema ESG; (ii) Performance histórica dos principais índices ESG em diferentes países; (iii) Comparativo da performance do Ibovespa vs. ISE (Índice de Sustentabilidade Empresarial, da B3); e (iv) Lista com os últimos relatórios publicados pelo Research ESG da XP.
Por que essas informações são importantes? 
Porque elas indicam os temas dentro da agenda ESG que estão sendo cada vez mais monitoradas por parte dos investidores e das empresas, e podem impactar os preços das ações de diferentes companhias.

Esperamos que aproveite a leitura!

Principais tópicos do dia

O mercado encerrou o pregão de sexta-feira em campo negativo, com o Ibov e o ISE em queda de -0,8% e -1,2%, respectivamente. Por outro lado, na semana, o IBOV subiu +1,8%, enquanto o ISE +0,6%.

• No Brasil, (i) 93% dos líderes empresariais estão enfrentando dez ou mais dificuldades para manter as metas de sustentabilidade de seus negócios, segundo a 12ª edição do Estudo de CEOs do Pacto Global da ONU, realizado em parceria com a Accenture; (ii) a ArcelorMittal anunciou, no ano passado, investimentos da ordem de R$ 7,6 bilhões no Brasil nos próximos anos – os investimentos foram decididos por uma análise estratégica dos setores em que a empresa atua: que vão do aço até geração de energia, produção de biorredutor renovável e tecnologia da informação, sendo todas essas áreas parte da agenda ESG da companhia, disse Paula Harraca, diretora de futuro da empresa.

• No internacional, os fundos negociados em bolsa alinhados com os critérios ESG representaram 65% de todas as entradas líquidas em ETFs europeus em 2022 (vs. 51% em 2021), mesmo com o desempenho não favorável – ao todo, os ETFs ESG reuniram € 51 bilhões ao longo do ano do total de fluxos para ETFs domiciliados na Europa.

Gostaria de receber os relatórios ESG por e-mailClique aqui.
Gostou do conteúdo, tem alguma dúvida ou quer nos enviar uma sugestão? Basta deixar um comentário no final do post!


XPInc CTA

Abra a sua conta na XP Investimentos!

XPInc CTA

Receba conteúdos da Expert pelo Telegram!

Brasil

Empresas

93% dos CEOs enfrentam 10 ou mais dificuldades para cumprir suas metas de sustentabilidade, diz estudo da ONU e Accenture

“93% dos líderes empresariais estão enfrentando dez ou mais dificuldades para manter as metas de sustentabilidade de seus negócios. Essa é uma das conclusões da 12ª edição do Estudo de CEOs do Pacto Global da ONU, realizado em parceria com a Accenture. A pesquisa acompanha ano a ano os esforços feitos pelas empresas para cumprir os Objetivos de Desenvolvimento Sustentável (ODS) da ONU – ou a Agenda 2030, considerada fundamental para não permitir que o aquecimento global supere os 1,5 ºC. Com oito anos restantes para o prazo estabelecido, 87% dos CEOs dizem que o ritmo das mudanças experimentadas atualmente deve afetar o cumprimento dessas metas. “O estudo deste ano mostra que os CEOs não acreditam mais que o mundo é tão resiliente às crises quanto esperávamos”, diz Sanda Ojiambo, Assistente do Secretário-Geral da ONU e CEO do Pacto Global.”

Fonte: época Negócios, 13/01/2023

Para ArcelorMittal, a agenda ESG deve andar junto com a geração de renda

“Com unidades industriais em seis estados brasileiros, a ArcelorMittal anunciou, no ano passado, investimentos da ordem de R$ 7,6 bilhões no Brasil nos próximos anos. Os investimentos foram decididos por uma análise estratégica dos setores em que a empresa atua: que vão do aço até geração de energia, produção de biorredutor renovável e tecnologia da informação. Todas essas áreas fazem parte da agenda ESG da companhia. Isso porque, para Paula Harraca, diretora de futuro da ArcelorMittal, os tópicos que envolvem a agenda ESG não podem ser tratados de forma individualizada, como sendo assuntos diferentes. A executiva discutiu o tema durante uma maratona de inovação promovida pela gigante do aço em Belo Horizonte, Minas Gerais. “Não tem como olhar para a sustentabilidade, deixando de lado o fato de que os recursos são um motor da transformação. Nós precisamos entender que geração de emprego e de renda são tão válidos e necessários quanto os outros pilares do ESG, por exemplo”, afirmou.”

Fonte: InfoMoney, 13/01/2023

Como o caso da Americanas impacta o ESG das companhias

“Parece uma história de suspense. Na última quarta-feira (11), a Americanas publicou um fato relevante, anunciando “inconsistências contábeis” no valor de R$ 20 bilhões e declarando que “não é possível no momento determinar o impacto nos balanços”. Na sequência, o CEO Sergio Rial e o CFO André Covre renunciaram, depois de apenas 9 dias na empresa. A pergunta que não quer calar para mim é: se isso acontece na governança de indicadores financeiros, que são altamente regulados e seguem um padrão – tanto nos balanços, quanto na listagem na bolsa e nos processos dos auditores –, como será a governança dos indicadores sociais e ambientais? Você consegue imaginar um CEO renunciando por causa de uma contabilidade errada de emissões? Nessa hora, dá para entender movimentos ativistas como Fridays for the Future e Extinction Rebellion. O sistema criado por nós não valoriza a dignidade humana e um meio ambiente intacto. Cabe a nós mudar o sistema.”

Fonte: Época Negócios, 13/01/2023

Clique aqui para acessar o relatório | Americanas (AMER3): CEO e CFO renunciam após inconsistências contábeis; Recomendação sob revisão

Indústria brasileira de celulose e papel é modelo na adoção de práticas ESG

“A indústria brasileira de celulose e papel é uma das maiores do mundo, com 220 empresas distribuídas entre 540 municípios de 18 estados do País, segundo a Associação Brasileira Técnica de Celulose e Papel (ABTCP). De acordo com dados divulgados pelo Ministério de Minas e Energia (MME), o Brasil é o segundo maior produtor de celulose, respondendo por mais de 11% do volume mundial, atrás apenas dos Estados Unidos, e o maior exportador do material. Além disso, figura entre as 10 maiores potências globais em produção de papel. Diante de tamanha representatividade, a sustentabilidade se apresenta como pauta necessária a partir de uma demanda cada vez maior por soluções alinhadas com a temática ESG (sigla em inglês para meio ambiente, social e governança), valorizando as boas práticas relacionadas ao meio ambiente, aos aspectos sociais, à transparência e à gestão.”

Fonte: Valor Econômico, 13/01/2023

Política

A agenda do clima em compasso de espera

“A mudança do clima tem despertado mais atenção a cada ano, especialmente durante as conferências realizadas pela Organização das Nações Unidas (ONU), que reúnem autoridades de quase 200 países, além de empresas e representantes de diferentes setores da sociedade civil. É natural que seja assim, devido ao tamanho do desafio que temos pela frente se quisermos manter a temperatura global não muito distante de 1,5 grau Celsius acima dos níveis pré-industriais. Em novembro, durante a 27ª Conferência sobre Mudanças Climáticas da ONU (COP27) realizada no Egito, o tema ganhou grande destaque mais uma vez, com extensa cobertura midiática realçando os pequenos avanços e os dilemas que seguem sem solução no curto prazo. Apesar das expectativas geradas para esses grandes encontros anuais, não surpreende que algumas COPs sejam concluídas com poucos acordos abrangentes e concretos.”

Fonte: Exame, 16/01/2023

Opinião

OPINIÃO: A derrocada da Americanas e o capitalismo tóxico do resultado a qualquer custo

“A grotesca debacle das Lojas Americanas, uma das mais populares varejistas brasileiras, pode ser vista de duas formas.  A primeira é a visão tradicional, segundo a qual executivos da companhia durante anos supostamente fraudaram as demonstrações financeiras da empresa ocultando um rombo colossal, trazendo vultosos prejuízos a centenas de milhares de acionistas, debenturistas, credores, fornecedores, cotistas dos fundos imobiliários que detêm suas lojas, os executivos que possuíam parcela relevante de suas reservas em planos de incentivo, além de colocar em risco o emprego de mais de 40 mil pessoas. As instituições competentes devem apurar a participação direta ou indireta dos administradores, controladores, conselheiros e auditores, punindo exemplarmente os envolvidos.”

Fonte: Capital Reset, 16/01/2023

Internacional

Empresas

O ESG representa 65% de todos os fluxos para ETFs europeus em 2022

“Os fundos negociados em bolsa alinhados com os resultados ambientais, sociais e de governança representaram 65% de todas as entradas líquidas em ETFs europeus em 2022, mesmo com o desempenho inferior das estratégias ESG. Os ETFs ESG reuniram € 51 bilhões ao longo do ano do total de fluxos para ETFs domiciliados na Europa de € 78,4 bilhões. Os totais gerais caíram em relação a 2021, quando os investidores despejaram € 160 bilhões em ETFs europeus, mas a participação do ESG saltou significativamente em relação aos 51% registrados na época. Existem agora € 249 bilhões em ETFs alinhados ao ESG na Europa, representando 18,8% do total de ativos. “Em princípio, isso fala de uma mudança estrutural de longo prazo”, disse Jose Garcia-Zarate, diretor associado de pesquisa de fundos passivos da Morningstar. Ele observou que 2022 não foi um ano para investir em ESG para aqueles puramente focados em retornos de curto prazo.”

Fonte: Financial Times, 13/01/2023


Índices ESG e suas performances

(1) O Índice ISE (Índice de Sustentabilidade Empresarial da B3) tem como objetivo ser o indicador do desempenho médio das cotações dos ativos de empresas com reconhecido comprometimento com o desenvolvimento sustentável, práticas e alinhamento estratégico com a sustentabilidade empresarial.
(2) O Índice S&P/B3 Brasil ESG mede a performance de títulos que cumprem critérios de sustentabilidade e é ponderado pelas pontuações ESG da S&P DJI. Ele exclui ações com base na sua participação em certas atividades comerciais, no seu desempenho em comparação com o Pacto Global da ONU e também cias sem pontuação ESG da S&P DJI.
(3) O ICO2 tem como propósito ser um instrumento indutor das discussões sobre mudança do clima no Brasil. A adesão das companhias ao ICO2 demonstra o comprometimento com a transparência de suas emissões e antecipa a visão de como estão se preparando para uma economia de baixo carbono.
(4) O objetivo do IGCT é ser o indicador do desempenho médio das cotações dos ativos de emissão de empresas integrantes do IGC que atendam aos critérios adicionais descritos nesta metodologia.
(5) A série de índices FTSE4Good foi projetada para medir o desempenho de empresas que demonstram fortes práticas ambientais, sociais e de governança (ESG).
(6)
O Índice MSCI ACWI, que representa o desempenho de todo o conjunto de ações de grande e médio porte do mundo, em 23 mercados desenvolvidos e 26 emergentes.


Nossos últimos relatórios

  • Retrospectiva ESG: 12 meses, 12 acontecimentos e 12 relatórios que você não pode perder (link)
  • Novo ano, nova carteira do ISE B3: Tudo o que você precisa saber (link)
  • Carteira ESG XP: Sem alterações no nosso portfólio para janeiro (link)
  • Nova resolução da CVM define regras ESG mais rígidas para companhias abertas (link)
  • Radar ESG | Papel e Celulose (SUZB3, KLBN11, RANI3): Bem posicionadas, apesar dos riscos ambientais acima da média (link)
  • Radar ESG | Vestuário Esportivo (SBFG3, TFCO4, VULC3): E no jogo ESG, quem vence? (link)
  • Radar ESG | DASA (DASA3): Bom desempenho ESG, com oportunidades de melhoria (link)
  • ESG: Top 5 tendências para 2023 (link)
  • Carteira ESG XP: Atualizando o nosso portfólio para dezembro (link)
  • COP27 chega ao fim; 5 principais destaques da conferência (link)
  • Copa do Mundo 2022: ESG escalado para entrar em campo? (link)
  • COP27: Três principais mensagens dos primeiros dias (link)
  • Ambev (ABEV3): Feedback webinar ESG; Destravando valor via a sustentabilidade (link)
  • Carteira ESG XP: Atualizando o nosso portfólio para novembro (link)
  • Radar ESG | PetroRio (PRIO3): Desenvolvendo as estratégias para atuar no campo ESG (link)
  • COP27: Um mês para a próxima conferência climática da ONU (link)
  • Aura Minerals (AURA33): Indo a campo; Principais destaques da visita ESG (link)
  • Carteira ESG XP: Duas alterações para o mês de outubro (link)
  • ESG & Telecom | 5G Insights; Capítulo 4: Como o uso do 5G pode impulsionar a descarbonização? (link)
  • Radar ESG | Eletrobras (ELET3): Mudanças que vêm para o bem; Melhorias ESG também estão por vir (link)
  • Radar ESG | Guararapes (GUAR3): Evoluindo em como vestir essa agenda (link)
  • Radar ESG | Zenvia (ZENV): Dando os primeiros passos na agenda ESG (link)
  • Radar ESG | Frigoríficos brasileiros: Em busca de maior sustentabilidade e melhor governança (BRFS3, JBSS3, MRFG3, BEEF3) (link)
  • ESG: Como os clientes institucionais estão evoluindo no tema? (link)
  • Carteira ESG XP: Sem alterações no nosso portfólio para setembro (link)
  • Raio-X das metas de emissões das companhias brasileiras (link)
  • Seleção BDRs ESG​: 15 nomes para exposição internacional ao tema (link)
  • ESG: Três aprendizados da Expert XP 2022 (link)
  • Carteira ESG XP: Sem alterações no nosso portfólio para julho (link)
  • Radar ESG | Alupar (ALUP11): Bem posicionada para se beneficiar da tendência da transição energética; esperamos mais por vir (link)
  • Radar ESG | Intelbras (INTB3): Agregando valor através de oportunidades em tecnologia limpa (link)
  • Radar ESG | Grupo Vittia (VITT3): Melhorando a sustentabilidade na agricultura (link)
  • Radar ESG | Mater Dei (MATD3): Já na rota ESG (link)
  • Crédito de Carbono: Governo publica decreto para regulamentar o mercado; Confira nossa análise (link)
  • Reunião com Joaquim Leite, Ministro do Meio Ambiente: Carbono e energia renovável centralizam as discussões (link)
  • Radar ESG | Ambipar (AMBP3): Sobre fazer parte solução (link)
  • Radar ESG | Raízen (RAIZ4): No caminho de um futuro mais verde (link)
  • Radar ESG | Cruzeiro do Sul (CSED3): No caminho certo (link)
  • Radar ESG | Juniores de O&G (RRRP3 e RECV3): Envolvidas com a agenda ESG, enquanto enfrentam ventos contrários ao setor (link)
  • Radar ESG | Petz (PETZ3): A caminho de se tornar uma empresa ESG para cachorro (link)
  • Carteira ESG XP: Uma alteração no nosso portfólio para abril (link)
  • Seis temas-chave no investimento ESG frente ao conflito Rússia/Ucrânia (link)
  • SEC anuncia proposta para divulgação obrigatória de dados climáticos; Positivo (link)
  • Update ESG | Petrobras (PETR4): Feedback do webinar sobre clima (link)
  • Radar ESG | Telefônica Brasil / Vivo (VIVT3): Conectando-se à agenda ESG (link)
  • Mulheres na liderança: Um olhar sobre a representatividade feminina nas empresas da B3 (link)
  • Carteira ESG XP: Uma alteração no nosso portfólio para março (link)
  • ISE B3: Um raio-X da nova carteira do Índice de Sustentabilidade da B3 (link)
  • Radar ESG | Panvel (PNVL3): Prescrevendo a agenda ESG (link)
  • Carteira ESG XP: Uma alteração no portfólio para fevereiro (link)
  • Radar ESG | Omega Energia (MEGA3): Líder em energia renovável, surfando a onda da sustentabilidade (link)
  • Radar ESG | Desktop (DESK3): No início da jornada ESG (link)
  • Carteira ESG XP: Sem alterações em nosso portfólio para janeiro (link)
  • Radar ESG | AgroGalaxy (AGXY3): Plantando as sementes ESG (link)
  • Radar ESG | Petrobras (PETR4): E o campo ESG, como a Petrobras está explorando? (link)
  • Radar ESG | Oncoclínicas (ONCO3): Ainda na sala de espera (link)
  • Radar ESG | Aviação Brasil (EMBR3, AZUL4 e GOLL4): Voando pelos ares ESG (link)
  • Radar ESG | Alpargatas (ALPA4): Iniciando a caminhada pela agenda ESG (link)
  • Radar ESG | Kepler Weber (KEPL3): Um começo promissor (link)
  • Radar ESG | TIM (TIMS3): Chamando a agenda ESG (link)
  • ESG: O que moldará os investimentos sustentáveis em 2022? (link)
  • Carteira ESG XP: Sem alterações em nosso portfólio para dezembro (link)
  • Radar ESG | Burger King Brasil (BKBR): Espaço para avanço na agenda, mas os planos ambiciosos adiante animam (link)
  • COP26: Implicações do documento final (link)
  • Expo Dubai: Buscando soluções diante de recursos finitos (link)
  • Expo Dubai: Todos os olhos voltados para o futuro da mobilidade (link)
  • Expo Dubai: Tecnologia e sustentabilidade centralizam os destaques do evento nesta terça-feira (link)
  • Expo Dubai: Três principais destaques do evento nesta segunda-feira, dia do Brasil na feira (link)
  • COP26: Um encontro decisivo para conter o aquecimento global (link)
  • Seleção BDRs ESG​: 15 nomes para exposição internacional ao tema (link)
  • Radar ESG | Kora Saúde (KRSA3): Ainda há um caminho a ser percorrido (link)
  • Radar ESG | Empresas de Autopeças: Preparando a estrada ESG; Governança e segurança em primeiro lugar (link)
  • Radar ESG | Unifique (FIQE3) e Brisanet (BRIT3): O que as empresas de telecomunicações brasileiras têm feito? (link)
  • Radar ESG | Natura&Co. (NTCO3): Não é apenas maquiagem; ESG é uma realidade! (link)
  • Vale (VALE3): Feedback do Webinar ESG; Todos os olhos voltados para a redução de riscos (link)
  • Radar ESG | Totvs (TOTS3): A melhor posicionada no setor de tecnologia sob a cobertura da XP (link)
  • Assembleia Geral da ONU: Cenário climático alarmante centraliza as discussões (link)
  • Amazônia: Entendendo a importância da maior floresta tropical do mundo (link)
  • ESG no centro das discussões; Três principais aprendizados da Expert XP 2021 (link)
  • Radar ESG | Companhia Brasileira de Alumínio (CBAV3): Uma líder em alumínio verde, com forte posicionamento ESG (link)
  • Relatório do IPCC: Um chamado para todos, inclusive para o mercado, frente a um cenário alarmante do clima (link)
  • Radar ESG | WEG (WEGE3): Um player ESG bem equipado para se beneficiar das tendências adiante (link)
  • Radar ESG | Boa Safra (SOJA3): Agenda ESG em produção, semente por semente (link)
  • Água: Onde há escassez, há oportunidade (link)
  • Radar ESG | Positivo (POSI3): Um trabalho em andamento (link)
  • B3 anuncia nova metodologia para o ISE; Positivo (link)
  • Radar ESG | G2D (G2DI33): Abraçando os pilares S e E através do portfólio de investimentos de impacto (link)
  • Ambev (ABEV3): Feedback do evento ESG; Reforçamos nossa visão positiva (link)
  • Radar ESG | Setor de infraestrutura (CCRO3, ECOR3, RAIL3, HBSA3, STBP3): Preparando o asfalto (link)
  • Crédito de carbono: Capturando parte da solução; 5 nomes para exposição ao tema (link)
  • Radar ESG | Incorporadoras de Imóveis Residenciais Populares: Construindo os andares ESG (link)
  • Radar ESG | Arezzo & Co. (ARZZ3): Caminhando com seus próprios passos pela agenda ESG (link)
  • Trilogia ESG (Pt. I): Um mergulho no pilar E; Três nomes que são parte da solução (link)
  • Radar ESG | Blau (BLAU3) e Hypera (HYPE3): Em busca da fórmula ESG (link)
  • Bitcoin e ESG: Entenda os dois lados da moeda (link)
  • Radar ESG | Bemobi (BMOB3): Diversidade é o nome do jogo (link)
  • Radar ESG | Setor de Logística (SIMH3, JSLG3 e VAMO3): Preparando-se para a estrada ESG (link)
  • Radar ESG | Laboratórios: ESG ainda na triagem; Fleury se destacando em relação aos pares (link)
  • Cúpula de Líderes sobre o Clima: Tecnologia, economia e agenda verde centralizam as discussões no segundo dia do evento (link)
  • Cúpula de Líderes sobre o Clima: Cooperação global é uma das três principais mensagens do evento (link)
  • Radar ESG | Locadoras de automóveis: Rumo à agenda ESG; Localiza liderando a corrida (link)
  • Radar ESG | São Martinho (SMTO3): Quanto mais se semeia, maior é a colheita (link)
  • Radar ESG | Orizon (ORVR3): Quando ESG está escrito no DNA (link)
  • Sondagem XP/ESG com investidores institucionais (link)
  • O melhor dos dois mundos: Seleção de 10 BDRs para exposição internacional ao tema ESG (link)
  • Radar ESG | Enjoei (ENJU3): O usado é o novo “novo”? (link)
  • Radar ESG | CSN Mineração (CMIN3): Explorando os campos ESG (link)
  • Radar ESG | Jalles (JALL3): Plantando as sementes ESG (link)
  • Radar ESG | Incorporadoras de alta renda: ESG ainda em construção (link)
  • Radar ESG | Setor de saúde: O ESG ainda está na sala de espera? (link)
  • Radar ESG | Quão sustentáveis são as empresas de e-commerce? Uma análise ESG dessas gigantes (link)
  • Radar ESG | IMC (MEAL3): Por que a empresa ainda tem muito espaço para melhorar? (link)
  • Radar ESG | Aeris (AERI3): Uma das empresas melhor posicionada para surfar o vento ESG (link)
  • Radar ESG | 3R Petroleum: Construindo um caminho que incorpora metas ESG (link)
  • Radar ESG | Setor de supermercados: Vale a pena encher o carrinho? (link)
  • Radar ESG | JHSF (JHSF3): Espaço para melhorias (link)
  • Radar ESG | Quem é o melhor aluno da classe? Avaliando os líderes em ESG dentre as empresas de educação no Brasil (link)
  • Panorama do marco regulatório de investimentos ESG no Brasil (link)
  • CVM e B3 estudam intensificar critérios ESG para as companhias listadas (link)
  • Radar ESG | Setor de vestuário e joias: ESG ainda na confecção (link)
  • ESG: Tendências e preferências para 2021 (link)
  • Radar ESG | LOG Commercial Properties (LOGG3): Oportunidades em empreendimentos verdes (link)
  • Eleições americanas: Quais os efeitos para a agenda ESG nos EUA e no Brasil? (link)
  • Radar ESG | Farmácias: Raia Drogasil como a ação prescrita no setor para exposição a ESG (link)
  • Radar ESG | Shoppings: Entenda o que importa para eles quando o tema é ESG (link)
  • Radar ESG | Ambev (ABEV3): Um case que desce redondo (link)
  • Feedback do roadshow ESG: O que as gestoras no Brasil estão fazendo em relação ao tema? (link)
  • ESG de A a Z: Tudo o que você precisa saber sobre o tema (link)

Ainda não tem conta na XP? Clique aqui e abra a sua!

XP Expert

Avaliação

O quão foi útil este conteúdo pra você?


Newsletter
Newsletter

Gostaria de receber nossos conteúdos por e-mail?

Cadastre-se e receba grátis nossos relatórios e recomendações de investimentos

A XP Investimentos CCTVM S/A, inscrita sob o CNPJ: 02.332.886/0001-04, é uma instituição financeira autorizada a funcionar pelo Banco Central do Brasil.Toda comunicação através de rede mundial de computadores está sujeita a interrupções ou atrasos, podendo impedir ou prejudicar o envio de ordens ou a recepção de informações atualizadas. A XP Investimentos exime-se de responsabilidade por danos sofridos por seus clientes, por força de falha de serviços disponibilizados por terceiros. A XP Investimentos CCTVM S/A é instituição autorizada a funcionar pelo Banco Central do Brasil.


Este site usa cookies e dados pessoais de acordo com a nossa Política de Cookies (gerencie suas preferências de cookies) e a nossa Política de Privacidade.