XP Expert

Vendas de licença de carbono atingem US$63 bilhões em 2022 | Café com ESG, 22/03

Troca no Conselho da Vale gera repercussão; Arrecadação com vendas de licenças de carbono batem recorde em 2022

Compartilhar:

  • Compartilhar no Facebook
  • Compartilhar no Twitter
  • Compartilhar no Whatsapp
  • Compartilhar no LinkedIn
  • Compartilhar via E-mail

Bom dia! Neste relatório diário publicado todas as manhãs pelo time ESG do Research da XP, buscamos trazer as últimas notícias para que você comece o dia bem informado e fique por dentro do que o Brasil e o mundo fala sobre um tema que tem ficado cada vez mais relevante: ESG – do termo em inglês Environmental, Social and Governance ou, em português, ASG – Ambiental, Social e Governança.

Quais tópicos abordamos ao longo do conteúdo? (i) Notícias no Brasil e no mundo acerca do tema ESG; (ii) Performance histórica dos principais índices ESG em diferentes países; (iii) Comparativo da performance do Ibovespa vs. ISE (Índice de Sustentabilidade Empresarial, da B3); e (iv) Lista com os últimos relatórios publicados pelo Research ESG da XP.
Por que essas informações são importantes? 
Porque elas indicam os temas dentro da agenda ESG que estão sendo cada vez mais monitoradas por parte dos investidores e das empresas, e podem impactar os preços das ações de diferentes companhias.

Esperamos que aproveite a leitura!

Principais tópicos do dia

O mercado encerrou o pregão de terça-feira em território misto, com o Ibov em alta de +0,07% e o ISE em queda de -0,33%.

No Brasil, passados dois anos da formação atual do conselho da Vale, a mineradora anunciou uma nova troca de 50% de sua composição, ensejando críticas de que a alta rotatividade pode ser prejudicial à continuidade dos trabalhos – a chapa montada, que será votada em assembleia de acionistas no dia 28 de abril, também despertou preocupações com a recuperação da influência da Previ.

No internacional, (i) governos ao redor do mundo arrecadaram um recorde de US$63 bilhões com a venda de licenças de carbono ao longo de 2022, impulsionado pelo crescente número de países que aumentaram suas metas de redução de emissões – a principal mensagem por trás do número recorde é que, em vez de enfraquecer as ambições climáticas, a crise energética levou os governos a acabar com sua dependência de combustíveis fósseis mais rapidamente, apoiados por políticas como o comércio de emissões; e (ii) a petrolífera francesa TotalEnergies, que possui operações no Brasil, antecipou que não prevê uma redução significativa de emissões de gases de efeito estufa até 2030, dado o interesse da companhia em ampliar sua produção de de gás natural liquefeito em 40% ainda nesta década – em comunicado, executivos da companhia informaram que esse movimento é apenas uma adaptação da estratégia climática, e não um abandono.

Gostaria de receber os relatórios ESG por e-mailClique aqui.
Gostou do conteúdo, tem alguma dúvida ou quer nos enviar uma sugestão? Basta deixar um comentário no final do post!


XPInc CTA

Abra a sua conta na XP Investimentos!

XPInc CTA

Receba conteúdos da Expert pelo Telegram!

Brasil

Empresas

Vale troca 50% do conselho (de novo) – e independente solta o verbo

“Ainda não será desta vez que a eleição do conselho de administração da mineradora Vale ficará livre de polêmicas. Desde que se tornou uma true corporation, em 2020, com o capital pulverizado em bolsa, a mineradora tem enfrentado controvérsias a cada nova formação do colegiado. Em 2021 a companhia a companhia tentou emplacar um exótico sistema de voto contrário que deixou investidores descontentes e acabou vetado pela CVM. Agora, passados apenas dois anos da formação atual, o conselho será novamente renovado em 50%, ensejando críticas de que a alta rotatividade pode ser prejudicial à continuidade dos trabalhos. A chapa montada pelo comitê de indicação e governança, e que será votada em assembleia de acionistas em 28 de abril, também despertou preocupações no mercado com a recuperação da influência da Previ, o fundo de pensão dos funcionários do Banco do Brasil, que teve dois nomes apontados, num momento em que a Cosan está chegando no Board.”

Fonte: Capital Reset, 21/03/2023

Por que não estamos pensando na escassez hídrica quando falamos de ESG?

“A sete anos do prazo final da Agenda 2030 instituída pela ONU com os Objetivos do Desenvolvimento Sustentável (ODS), uma das agendas liga o sinal amarelo para vermelho: o ODS 06 – Água Potável e Saneamento. No 30º aniversário do Dia Mundial da Água (22 de março), a ONU promove a UN Water Conference (Conferência Mundial da Água) em Nova York (Estados Unidos) para propor agendas de ação com os Estados-membros, entidades da ONU, organizações da sociedade civil e setor empresarial. A Conferência ocorre de 22 a 24 de março dentro da sede da Organização das Nações Unidas, com mesas de discussões sobre os diferentes desafios e oportunidades mediadas por diversos países, incluindo o Brasil. Aliás, quando falamos de Brasil, nossa perspectiva sobre o ODS 06 é questionável. Um dos temas do ODS 06 é a agenda do Saneamento, a qual progrediu de certa forma nos últimos anos com a aprovação do Marco Legal (Lei Federal nº 14.026/2020), ampliando a possibilidade de o setor privado aportar recursos financeiros e operar os serviços em locais historicamente negligenciados pelo poder público.”

Fonte: Exame, 22/03/2023

Gestoras incluem os papéis na estratégia de investimento

“Com potencial similar ao da transição energética, o setor de saneamento e os ativos ligados à água estão sendo mais disputados por gestoras e investidores no Brasil e no mundo. O cordão, puxado por países europeus, chega ao Brasil embalado nas discussões sobre a escassez do serviço e a movimentação de concessões no setor. Seja por meio de papéis de crédito privado de equity (ações) ou por FIP (fundos de investimentos e participações), as gestoras têm empacotado esses títulos em fundos com qualificações distintas para diferentes tipos de investidores. A Vinci Partners tem olhado com interesse este setor desde os anos 90. A primeira investida foi a Escelsa, no Espírito Santo, em 1994. Depois, em 2000, com a Cemar (Equatorial Energia), do Maranhão. E mais recentemente, a Águas do Brasil, no Rio de Janeiro, primeira transação do Vias, um FIP de infraestrutura da Vinci que possui selo ESG e pretende investir R$ 3 bilhões em saneamento.”

Fonte: Valor Econômico, 22/03/2023

Setor de varejo mira em sustentabilidade e inovação em 2023

“O varejo já demonstrou, em anos anteriores, resiliência diante dos desafios apresentados, maturidade e muita persistência para superar adversidades. Ao mesmo tempo, em 2023, há novas prioridades para o setor e oportunidades de crescimento sustentável considerando aspectos atualizados relacionados com pessoas, meio ambiente e resultados. Essas são algumas das conclusões da publicação O delicado equilíbrio do varejo, conduzida pela KPMG. O conteúdo destacou ainda que os desafios econômicos e geopolíticos do ano passado continuam impactando 2023. A inflação global faz os consumidores terem menos poder de compra e as margens das empresas estão sob pressão. Além disso, as políticas monetárias mais apertadas dos bancos centrais aumentam o custo de capacitação de capital e as restrições ao crédito. Por fim, e não menos importante, uma possível recessão está na perspectiva de muitas economias ao redor do mundo. Para além do contexto econômico desafiador, é a resiliência dos varejistas que vai movimentar as transformações que o setor precisa para se adaptar ao novo momento.”

Fonte: Terra, 21/03/2023

Ferrari sofre ciberataque que expõe nomes e e-mails de clientes

“A Ferrari informou que foi atingida por um ataque de ransomware que expôs informações de clientes da montadora italiana de carros esportivos. “Certos dados relacionados aos nossos clientes foram expostos, incluindo nomes, endereços, endereços de e-mail e números de telefone”, disse o CEO, Benedetto Vigna, na segunda-feira (20) em uma mensagem aos clientes vista pela agência Bloomberg News. Nenhum detalhe de pagamento, número de conta bancária ou detalhes de carros da Ferrari adquiridos ou encomendados foram roubados, e a violação não teve impacto nas operações da montadora, acrescentou Vigna. Em um ataque de ransomware, os arquivos do computador da vítima são criptografados por criminosos que exigem pagamento para desbloqueá-los. A montadora italiana iniciou uma investigação em colaboração com uma empresa líder global em segurança cibernética, de acordo com um comunicado.”

Fonte: Valor Econômico, 21/03/2023

iFood, Connecting Food e mais 20 empresas se organizam em coalizão para combate à fome

“Nesta terça-feira, 21, o movimento Todos à Mesa, que se propõe a reduzir a fome e o desperdício de alimentos no Brasil, reúne empresas associadas no primeiro encontro presencial de líderes para atrair mais empresas para o movimento. Hoje, o projeto conta com 22 companhias multinacionais – dentre elas, Bauducco, Carrefour, Connecting Food, Danone, iFood, Mondelez, Nestlé, Pepsico – e, tem pretensão de contar, até 2025, com a adesão de 60 empresas. “O movimento Todos à Mesa responde com ações imediatas para que as empresas levem essas iniciativas para dentro das estratégias ESG, pensando nos Objetivos de Desenvolvimento Sustentável (ODS) 2, 12.3 e 17″, afirma Alcione Pereira, CEO da Connecting Food e uma das fundadoras do Todos à Mesa, em entrevista para a EXAME ESG. A ação, que começou em 2020 e se consolidou com um maior número de empresas no ano seguinte, já distribuiu mais de 7 mil toneladas de alimentos para o consumo e impactou cerca de 3 milhões de pessoas, segundo o grupo.”

Fonte: Exame, 21/03/2023

Internacional

Empresas

Recorde de US$63 bilhões arrecadados com vendas de permissões de carbono em 2022

“Os governos globalmente arrecadaram um recorde de US$ 63 bilhões com a venda de licenças de carbono em sistemas de comércio de emissões em 2022, já que muitos países aumentaram suas ambições para reduzir a poluição, apesar dos preços recordes de energia após a invasão russa da Ucrânia, informou um relatório na quarta-feira. Muitos países e regiões lançaram sistemas de comércio de emissões (ETS) para definir um preço para as emissões de dióxido de carbono (CO2) e incentivar as empresas a investir em tecnologia de baixo carbono e ajudar a atingir as metas climáticas. “Em vez de enfraquecer as ambições climáticas, a crise energética levou os governos a acabar com sua dependência de combustíveis fósseis mais rapidamente, apoiados por políticas como o comércio de emissões”, disse Stefano De Clara, chefe do fórum intergovernamental International Carbon Action Partnership (ICAP). A partir de 2023, cerca de 28 ETSs estão em operação globalmente, cobrindo cerca de 17% das emissões globais, segundo o relatório.”

Fonte: Reuters, 22/03/2023

Um terço das vendas da Nestlé vem de produtos pouco saudáveis

“A Nestlé, maior empresa de alimentos do mundo, afirmou que um terço de seu faturamento vem de produtos considerados pouco saudáveis. A avaliação foi feita segundo o critério Health Star Rating, que leva em consideração quantidades de gorduras saturadas, açúcares, sal, fibras e ingredientes como frutas e legumes na composição de alimentos industrializados. Medido por faturamento, 35% do portfólio de marcas da companhia obteve no máximo 3,5 pontos, de 5 possíveis. Somente 30% foi classificado acima de 3,5 pontos, o que é considerado saudável. A medição foi divulgada no relatório anual da gigante suíça, que define seu propósito como “usar o poder da comida para melhorar a qualidade de vida para todos, hoje e nas gerações futuras”. A Nestlé e outras grandes multinacionais do setor vêm sofrendo pressão crescente de seus acionistas para medir o valor nutricional de seus produtos de acordo com padrões independentes.”

Fonte: Capital Reset, 21/03/2023

TotalEnergies mantém aposta no gás, significando pouco avanço nas reduções de emissões até 2030

“A petrolífera francesa TotalEnergies prevê que suas emissões gerais de gases de efeito estufa não verão uma grande redução até 2030, uma vez que quer expandir seus negócios de gás, disseram executivos em uma atualização sobre sua estratégia climática na terça-feira. A TotalEnergies planeja aumentar sua produção de gás natural liquefeito (GNL) em 40% nesta década. O presidente-executivo, Patrick Pouyanne, disse que a empresa não deve ser responsabilizada pela combustão de seus clientes dos combustíveis que vende, acrescentando que quando a TotalEnergies vende gás para substituir o carvão mais poluente, isso é positivo para o clima. As emissões dos utilizadores finais, designadas por Âmbito 3, situaram-se em 389 milhões de toneladas de CO2e no ano passado e a TotalEnergies prevê que esta métrica estagnará e se situe em menos de 400 milhões de toneladas de CO2 equivalente (CO2) até 2030.”

Fonte: Reuters, 21/03/2023

Política

Grupos industriais dizem que regras de emissões Euro 7 vão aumentar os preços dos automóveis

“As regras de emissão Euro 7 propostas pela União Europeia para veículos complicarão a vida da indústria automobilística e aumentarão os preços dos carros novos sem trazer os benefícios ambientais pretendidos, disse um grupo de lobby da indústria nesta terça-feira. Os países da UE e os legisladores devem negociar este ano a legislação proposta que reforçaria os limites das emissões de poluentes nos automóveis, incluindo óxidos de azoto. A diretora-geral da Associação Europeia de Fabricantes de Automóveis (ACEA), Sigrid de Vries, disse que o projeto de lei é “um excelente exemplo” de regulamentação que adicionaria complexidade e incerteza à medida que a indústria luta com “decisões e investimentos importantes”. Ao mesmo tempo, não traria “os benefícios ambientais que afirma oferecer”, acrescentou de Vries em um comunicado. Algumas montadoras disseram que o Euro 7 as forçaria a investir em tecnologia para modelos de motores de combustão quando já alocaram dezenas de bilhões de euros para novos veículos elétricos (EVs) de emissão zero.”

Fonte: Reuters, 21/03/2023


Índices ESG e suas performances

(1) O Índice ISE (Índice de Sustentabilidade Empresarial da B3) tem como objetivo ser o indicador do desempenho médio das cotações dos ativos de empresas com reconhecido comprometimento com o desenvolvimento sustentável, práticas e alinhamento estratégico com a sustentabilidade empresarial.
(2) O Índice S&P/B3 Brasil ESG mede a performance de títulos que cumprem critérios de sustentabilidade e é ponderado pelas pontuações ESG da S&P DJI. Ele exclui ações com base na sua participação em certas atividades comerciais, no seu desempenho em comparação com o Pacto Global da ONU e também cias sem pontuação ESG da S&P DJI.
(3) O ICO2 tem como propósito ser um instrumento indutor das discussões sobre mudança do clima no Brasil. A adesão das companhias ao ICO2 demonstra o comprometimento com a transparência de suas emissões e antecipa a visão de como estão se preparando para uma economia de baixo carbono.
(4) O objetivo do IGCT é ser o indicador do desempenho médio das cotações dos ativos de emissão de empresas integrantes do IGC que atendam aos critérios adicionais descritos nesta metodologia.
(5) A série de índices FTSE4Good foi projetada para medir o desempenho de empresas que demonstram fortes práticas ambientais, sociais e de governança (ESG).
(6)
O Índice MSCI ACWI, que representa o desempenho de todo o conjunto de ações de grande e médio porte do mundo, em 23 mercados desenvolvidos e 26 emergentes.


Nossos últimos relatórios

  • Hidrogênio Verde (H2V): O combustível do futuro? (link)
  • Brunch com ESG: AMER3 e BBAS3 em destaque; Conferência de Davos chega ao fim (link)
  • Radar ESG | Setor financeiro (BBAS3, BBDC4, BPAC11, B3SA3, ITUB4, SANB11): Sólida performance ESG, com espaço para melhoria na governança (link)
  • Retrospectiva ESG: 12 meses, 12 acontecimentos e 12 relatórios que você não pode perder (link)
  • Novo ano, nova carteira do ISE B3: Tudo o que você precisa saber (link)
  • Carteira ESG XP: Sem alterações no nosso portfólio para janeiro (link)
  • Nova resolução da CVM define regras ESG mais rígidas para companhias abertas (link)
  • Radar ESG | Papel e Celulose (SUZB3, KLBN11, RANI3): Bem posicionadas, apesar dos riscos ambientais acima da média (link)
  • Radar ESG | Vestuário Esportivo (SBFG3, TFCO4, VULC3): E no jogo ESG, quem vence? (link)
  • Radar ESG | DASA (DASA3): Bom desempenho ESG, com oportunidades de melhoria (link)
  • ESG: Top 5 tendências para 2023 (link)
  • Carteira ESG XP: Atualizando o nosso portfólio para dezembro (link)
  • COP27 chega ao fim; 5 principais destaques da conferência (link)
  • Copa do Mundo 2022: ESG escalado para entrar em campo? (link)
  • COP27: Três principais mensagens dos primeiros dias (link)
  • Ambev (ABEV3): Feedback webinar ESG; Destravando valor via a sustentabilidade (link)
  • Carteira ESG XP: Atualizando o nosso portfólio para novembro (link)
  • Radar ESG | PetroRio (PRIO3): Desenvolvendo as estratégias para atuar no campo ESG (link)
  • COP27: Um mês para a próxima conferência climática da ONU (link)
  • Aura Minerals (AURA33): Indo a campo; Principais destaques da visita ESG (link)
  • Carteira ESG XP: Duas alterações para o mês de outubro (link)
  • ESG & Telecom | 5G Insights; Capítulo 4: Como o uso do 5G pode impulsionar a descarbonização? (link)
  • Radar ESG | Eletrobras (ELET3): Mudanças que vêm para o bem; Melhorias ESG também estão por vir (link)
  • Radar ESG | Guararapes (GUAR3): Evoluindo em como vestir essa agenda (link)
  • Radar ESG | Zenvia (ZENV): Dando os primeiros passos na agenda ESG (link)
  • Radar ESG | Frigoríficos brasileiros: Em busca de maior sustentabilidade e melhor governança (BRFS3, JBSS3, MRFG3, BEEF3) (link)
  • ESG: Como os clientes institucionais estão evoluindo no tema? (link)
  • Carteira ESG XP: Sem alterações no nosso portfólio para setembro (link)
  • Raio-X das metas de emissões das companhias brasileiras (link)
  • Seleção BDRs ESG​: 15 nomes para exposição internacional ao tema (link)
  • ESG: Três aprendizados da Expert XP 2022 (link)
  • Carteira ESG XP: Sem alterações no nosso portfólio para julho (link)
  • Radar ESG | Alupar (ALUP11): Bem posicionada para se beneficiar da tendência da transição energética; esperamos mais por vir (link)
  • Radar ESG | Intelbras (INTB3): Agregando valor através de oportunidades em tecnologia limpa (link)
  • Radar ESG | Grupo Vittia (VITT3): Melhorando a sustentabilidade na agricultura (link)
  • Radar ESG | Mater Dei (MATD3): Já na rota ESG (link)
  • Crédito de Carbono: Governo publica decreto para regulamentar o mercado; Confira nossa análise (link)
  • Reunião com Joaquim Leite, Ministro do Meio Ambiente: Carbono e energia renovável centralizam as discussões (link)
  • Radar ESG | Ambipar (AMBP3): Sobre fazer parte solução (link)
  • Radar ESG | Raízen (RAIZ4): No caminho de um futuro mais verde (link)
  • Radar ESG | Cruzeiro do Sul (CSED3): No caminho certo (link)
  • Radar ESG | Juniores de O&G (RRRP3 e RECV3): Envolvidas com a agenda ESG, enquanto enfrentam ventos contrários ao setor (link)
  • Radar ESG | Petz (PETZ3): A caminho de se tornar uma empresa ESG para cachorro (link)
  • Carteira ESG XP: Uma alteração no nosso portfólio para abril (link)
  • Seis temas-chave no investimento ESG frente ao conflito Rússia/Ucrânia (link)
  • SEC anuncia proposta para divulgação obrigatória de dados climáticos; Positivo (link)
  • Update ESG | Petrobras (PETR4): Feedback do webinar sobre clima (link)
  • Radar ESG | Telefônica Brasil / Vivo (VIVT3): Conectando-se à agenda ESG (link)
  • Mulheres na liderança: Um olhar sobre a representatividade feminina nas empresas da B3 (link)
  • Carteira ESG XP: Uma alteração no nosso portfólio para março (link)
  • ISE B3: Um raio-X da nova carteira do Índice de Sustentabilidade da B3 (link)
  • Radar ESG | Panvel (PNVL3): Prescrevendo a agenda ESG (link)
  • Carteira ESG XP: Uma alteração no portfólio para fevereiro (link)
  • Radar ESG | Omega Energia (MEGA3): Líder em energia renovável, surfando a onda da sustentabilidade (link)
  • Radar ESG | Desktop (DESK3): No início da jornada ESG (link)
  • Carteira ESG XP: Sem alterações em nosso portfólio para janeiro (link)
  • Radar ESG | AgroGalaxy (AGXY3): Plantando as sementes ESG (link)
  • Radar ESG | Petrobras (PETR4): E o campo ESG, como a Petrobras está explorando? (link)
  • Radar ESG | Oncoclínicas (ONCO3): Ainda na sala de espera (link)
  • Radar ESG | Aviação Brasil (EMBR3, AZUL4 e GOLL4): Voando pelos ares ESG (link)
  • Radar ESG | Alpargatas (ALPA4): Iniciando a caminhada pela agenda ESG (link)
  • Radar ESG | Kepler Weber (KEPL3): Um começo promissor (link)
  • Radar ESG | TIM (TIMS3): Chamando a agenda ESG (link)
  • ESG: O que moldará os investimentos sustentáveis em 2022? (link)
  • Carteira ESG XP: Sem alterações em nosso portfólio para dezembro (link)
  • Radar ESG | Burger King Brasil (BKBR): Espaço para avanço na agenda, mas os planos ambiciosos adiante animam (link)
  • COP26: Implicações do documento final (link)
  • Expo Dubai: Buscando soluções diante de recursos finitos (link)
  • Expo Dubai: Todos os olhos voltados para o futuro da mobilidade (link)
  • Expo Dubai: Tecnologia e sustentabilidade centralizam os destaques do evento nesta terça-feira (link)
  • Expo Dubai: Três principais destaques do evento nesta segunda-feira, dia do Brasil na feira (link)
  • COP26: Um encontro decisivo para conter o aquecimento global (link)
  • Seleção BDRs ESG​: 15 nomes para exposição internacional ao tema (link)
  • Radar ESG | Kora Saúde (KRSA3): Ainda há um caminho a ser percorrido (link)
  • Radar ESG | Empresas de Autopeças: Preparando a estrada ESG; Governança e segurança em primeiro lugar (link)
  • Radar ESG | Unifique (FIQE3) e Brisanet (BRIT3): O que as empresas de telecomunicações brasileiras têm feito? (link)
  • Radar ESG | Natura&Co. (NTCO3): Não é apenas maquiagem; ESG é uma realidade! (link)
  • Vale (VALE3): Feedback do Webinar ESG; Todos os olhos voltados para a redução de riscos (link)
  • Radar ESG | Totvs (TOTS3): A melhor posicionada no setor de tecnologia sob a cobertura da XP (link)
  • Assembleia Geral da ONU: Cenário climático alarmante centraliza as discussões (link)
  • Amazônia: Entendendo a importância da maior floresta tropical do mundo (link)
  • ESG no centro das discussões; Três principais aprendizados da Expert XP 2021 (link)
  • Radar ESG | Companhia Brasileira de Alumínio (CBAV3): Uma líder em alumínio verde, com forte posicionamento ESG (link)
  • Relatório do IPCC: Um chamado para todos, inclusive para o mercado, frente a um cenário alarmante do clima (link)
  • Radar ESG | WEG (WEGE3): Um player ESG bem equipado para se beneficiar das tendências adiante (link)
  • Radar ESG | Boa Safra (SOJA3): Agenda ESG em produção, semente por semente (link)
  • Água: Onde há escassez, há oportunidade (link)
  • Radar ESG | Positivo (POSI3): Um trabalho em andamento (link)
  • B3 anuncia nova metodologia para o ISE; Positivo (link)
  • Radar ESG | G2D (G2DI33): Abraçando os pilares S e E através do portfólio de investimentos de impacto (link)
  • Ambev (ABEV3): Feedback do evento ESG; Reforçamos nossa visão positiva (link)
  • Radar ESG | Setor de infraestrutura (CCRO3, ECOR3, RAIL3, HBSA3, STBP3): Preparando o asfalto (link)
  • Crédito de carbono: Capturando parte da solução; 5 nomes para exposição ao tema (link)
  • Radar ESG | Incorporadoras de Imóveis Residenciais Populares: Construindo os andares ESG (link)
  • Radar ESG | Arezzo & Co. (ARZZ3): Caminhando com seus próprios passos pela agenda ESG (link)
  • Trilogia ESG (Pt. I): Um mergulho no pilar E; Três nomes que são parte da solução (link)
  • Radar ESG | Blau (BLAU3) e Hypera (HYPE3): Em busca da fórmula ESG (link)
  • Bitcoin e ESG: Entenda os dois lados da moeda (link)
  • Radar ESG | Bemobi (BMOB3): Diversidade é o nome do jogo (link)
  • Radar ESG | Setor de Logística (SIMH3, JSLG3 e VAMO3): Preparando-se para a estrada ESG (link)
  • Radar ESG | Laboratórios: ESG ainda na triagem; Fleury se destacando em relação aos pares (link)
  • Cúpula de Líderes sobre o Clima: Tecnologia, economia e agenda verde centralizam as discussões no segundo dia do evento (link)
  • Cúpula de Líderes sobre o Clima: Cooperação global é uma das três principais mensagens do evento (link)
  • Radar ESG | Locadoras de automóveis: Rumo à agenda ESG; Localiza liderando a corrida (link)
  • Radar ESG | São Martinho (SMTO3): Quanto mais se semeia, maior é a colheita (link)
  • Radar ESG | Orizon (ORVR3): Quando ESG está escrito no DNA (link)
  • Sondagem XP/ESG com investidores institucionais (link)
  • O melhor dos dois mundos: Seleção de 10 BDRs para exposição internacional ao tema ESG (link)
  • Radar ESG | Enjoei (ENJU3): O usado é o novo “novo”? (link)
  • Radar ESG | CSN Mineração (CMIN3): Explorando os campos ESG (link)
  • Radar ESG | Jalles (JALL3): Plantando as sementes ESG (link)
  • Radar ESG | Incorporadoras de alta renda: ESG ainda em construção (link)
  • Radar ESG | Setor de saúde: O ESG ainda está na sala de espera? (link)
  • Radar ESG | Quão sustentáveis são as empresas de e-commerce? Uma análise ESG dessas gigantes (link)
  • Radar ESG | IMC (MEAL3): Por que a empresa ainda tem muito espaço para melhorar? (link)
  • Radar ESG | Aeris (AERI3): Uma das empresas melhor posicionada para surfar o vento ESG (link)
  • Radar ESG | 3R Petroleum: Construindo um caminho que incorpora metas ESG (link)
  • Radar ESG | Setor de supermercados: Vale a pena encher o carrinho? (link)
  • Radar ESG | JHSF (JHSF3): Espaço para melhorias (link)
  • Radar ESG | Quem é o melhor aluno da classe? Avaliando os líderes em ESG dentre as empresas de educação no Brasil (link)
  • Panorama do marco regulatório de investimentos ESG no Brasil (link)
  • CVM e B3 estudam intensificar critérios ESG para as companhias listadas (link)
  • Radar ESG | Setor de vestuário e joias: ESG ainda na confecção (link)
  • ESG: Tendências e preferências para 2021 (link)
  • Radar ESG | LOG Commercial Properties (LOGG3): Oportunidades em empreendimentos verdes (link)
  • Eleições americanas: Quais os efeitos para a agenda ESG nos EUA e no Brasil? (link)
  • Radar ESG | Farmácias: Raia Drogasil como a ação prescrita no setor para exposição a ESG (link)
  • Radar ESG | Shoppings: Entenda o que importa para eles quando o tema é ESG (link)
  • Radar ESG | Ambev (ABEV3): Um case que desce redondo (link)
  • Feedback do roadshow ESG: O que as gestoras no Brasil estão fazendo em relação ao tema? (link)
  • ESG de A a Z: Tudo o que você precisa saber sobre o tema (link)

Ainda não tem conta na XP? Clique aqui e abra a sua!

XP Expert

Avaliação

O quão foi útil este conteúdo pra você?


Newsletter
Newsletter

Gostaria de receber nossos conteúdos por e-mail?

Cadastre-se e receba grátis nossos relatórios e recomendações de investimentos

A XP Investimentos CCTVM S/A, inscrita sob o CNPJ: 02.332.886/0001-04, é uma instituição financeira autorizada a funcionar pelo Banco Central do Brasil.Toda comunicação através de rede mundial de computadores está sujeita a interrupções ou atrasos, podendo impedir ou prejudicar o envio de ordens ou a recepção de informações atualizadas. A XP Investimentos exime-se de responsabilidade por danos sofridos por seus clientes, por força de falha de serviços disponibilizados por terceiros. A XP Investimentos CCTVM S/A é instituição autorizada a funcionar pelo Banco Central do Brasil.


Este site usa cookies e dados pessoais de acordo com a nossa Política de Cookies (gerencie suas preferências de cookies) e a nossa Política de Privacidade.