XP Expert

Impulso para descarbonização incentiva otimismo de investidores com empresas de energia | Café com ESG, 18/07

Comece o dia bem informado com as principais notícias ao redor do Brasil e do mundo quando o tema é ESG!

Compartilhar:

  • Compartilhar no Facebook
  • Compartilhar no Twitter
  • Compartilhar no Whatsapp
  • Compartilhar no LinkedIn
  • Compartilhar via E-mail

Bom dia! Neste relatório diário publicado todas as manhãs pelo time ESG do Research da XP, buscamos trazer as últimas notícias para que você comece o dia bem informado e fique por dentro do que o Brasil e o mundo fala sobre um tema que tem ficado cada vez mais relevante: ESG – do termo em inglês Environmental, Social and Governance ou, em português, ASG – Ambiental, Social e Governança.

Quais tópicos abordamos ao longo do conteúdo? (i) Notícias no Brasil e no mundo acerca do tema ESG; (ii) Performance histórica dos principais índices ESG em diferentes países; (iii) Comparativo da performance do Ibovespa vs. ISE (Índice de Sustentabilidade Empresarial, da B3); e (iv) Lista com os últimos relatórios publicados pelo Research ESG da XP.
Por que essas informações são importantes? 
Porque elas indicam os temas dentro da agenda ESG que estão sendo cada vez mais monitoradas por parte dos investidores e das empresas, e podem impactar os preços das ações de diferentes companhias.

Esperamos que aproveite a leitura!

Principais tópicos do dia

• O mercado fechou o pregão de sexta-feira em território neutro, com o Ibov e o ISE em alta de +0,4% e +0,1%, respectivamente. Na semana, o Ibov e o ISE fecharam em queda de -3,7% e -1,4%, respectivamente.

• No Brasil, na análise de João Accioly, diretor da CVM, um interesse maior em participar do mercado de carbono traz, aos olhos do público, uma melhora de imagem da empresa entre o público consumidor – na prática, o consumidor apresenta crescente interesse em comprar produtos que não agridam tanto ao meio-ambiente e até mesmo a pagar mais por esses itens, o que também seria algo vantajoso, tanto no lado empresarial quanto para a sociedade.

• No internacional, (i) a invasão da Ucrânia pela Rússia tornou ainda mais necessária a tarefa de reduzir o vício da economia global em combustíveis fósseis – segundo Mark Lacey da Schroders, os investidores estão começando a olhar mais favoravelmente para as empresas de energia devido ao seu papel vital na transição para uma economia descarbonizada; e (ii) o Parlamento europeu aprovou na semana passada, na Comissão de Meio Ambiente, um texto que: aumenta a lista de commodities que não podem entrar no bloco se estiverem ligadas a desmatamento; altera a data de corte; e inclui instituições financeiras às normas até agora discutidas apenas para empresas.

Gostaria de receber os relatórios ESG por e-mailClique aqui.
Gostou do conteúdo, tem alguma dúvida ou quer nos enviar uma sugestão? Basta deixar um comentário no final do post!


XPInc CTA

Abra a sua conta na XP Investimentos!

XPInc CTA

Assine conteúdos exclusivos aqui!

XPInc CTA

Receba conteúdos da Expert pelo Telegram!

Brasil

Empresas

Maior participação em mercado de carbono aumenta percepção de valor da empresa, diz diretor da CVM

“Um interesse maior em participar do mercado de carbono traz, aos olhos do público, uma melhora de imagem da empresa entre o público consumidor, na análise de João Accioly, diretor da Comissão de Valores Mobiliários (CVM). Na prática, pontuou ele, o consumidor apresenta crescente interesse em comprar produtos que não agridam tanto ao meio-ambiente – e até mesmo a pagar mais por esses itens, o que também seria algo vantajoso, tanto no lado empresarial quanto para a sociedade. Ele deu as declarações durante a “Glocal Experience”, na marina da Glória, no Rio de Janeiro, evento que discute os caminhos do mundo na trajetória da sustentabilidade, e da transição energética, com participação de representantes do governo, iniciativa privada, instituições, academia e líderes da sociedade.”

Fonte: Valor Investe, 16/07/2022

Clique aqui para acessar o relatório | “Crédito de carbono: Capturando parte da solução; 5 nomes para exposição ao tema

Parceria entre Embraer e Raízen estimula produção de combustível de aviação sustentável (SAF)

“A Embraer e a Raízen assinaram hoje uma Carta de Intenções com o compromisso das Companhias de estimularem o desenvolvimento do ecossistema de produção de combustível de aviação sustentável (SAF, na sigla em inglês), reforçando a agenda de sustentabilidade das duas empresas. Entre as intenções, a Embraer irá se tornar a primeira fabricante de aeronaves a consumir SAF que poderá ser distribuído pela Raízen, empresa referência global em bioenergia. A iniciativa beneficia a indústria de transporte aéreo em todo o mundo e o uso da tecnologia é também parte fundamental da estratégia da Embraer em neutralizar a pegada de carbono de suas operações até 2040, uma vez que mais de 60% das emissões nas operações da empresa (escopo 1) decorrem do uso de querosene de aviação em ensaios e voos de produção.”

Fonte: Embraer, 17/07/2022

Nasce primeira venture builder brasileira focada em ESG para startups

“Para a maioria das grandes empresas, trabalhar a agenda ESG (ambiental, social e de governança) faz parte do planejamento estratégico. No caso das startups, porém, é difícil traçar um caminho para alcançar objetivos sustentáveis, como a meta de zerar o carbono em sua cadeia de produção, por falta de estrutura, dinheiro ou até pelo seu quadro de funcionários. Pensando nisso, o grupo FCJ lançou a primeira venture builder brasileira focada em sustentabilidade corporativa para startups. A meta da ESG Ventures é promover programas de tração que ajudem essas novas empresas de tecnologia a implementarem práticas sustentáveis em seus processos, em troca de uma porcentagem acionária.”

Fonte: Época Negócios, 15/07/2022

Opinião

Finanças e Risco Climático, Por Que Devemos Nos Preocupar?

“Atualmente há um consenso entre os reguladores globais de que o aquecimento global é um problema real. Além disso, é esperado uma série de consequências que podem causar fortes mudanças nas alocações de ativos e na sua precificação. Muito tem se discutido sobre que tipo de riscos os eventos relacionados a mudança climática poderiam gerar no sistema financeiro, principalmente no que tange à estabilidade financeira. No entanto, este é um debate complexo que parece longe de terminar. Por este motivo venho estudando o tema e nesse artigo, que escrevi junto com Leonardo Cunha (mestrando da Coppead/UFRJ), levantamos algumas questões sobre o tema e trouxemos alguns autores relevantes para o debate.”

Fonte: Investing.com, 15/07/2022

Internacional

Empresas

Crise de energia leva ESG a repensar petróleo e gás

“A invasão da Ucrânia pela Rússia tornou a imensa tarefa de reduzir o vício da economia global em combustíveis fósseis ainda mais assustadora. As promessas existentes de reduzir as emissões de carbono para zero líquido até 2050 já eram bastante desafiadoras. Agora, governos e empresas estão lutando para equilibrar suas ambições verdes com os novos imperativos da segurança energética. […] Mark Lacey, gerente-chefe das estratégias ISF Global Energy e Energy Transition de US$ 3 bilhões da Schroders, diz que os investidores estão começando a olhar mais favoravelmente para as empresas de energia devido ao seu papel vital na transição para uma economia descarbonizada. Ele acrescenta que essas empresas “têm levado o desafio net zero muito mais a sério” desde 2015, por meio de investimentos em tecnologias como hidrogênio e captura de carbono.”

Fonte: Financial Times, 18/07/2022

Clique aqui para acessar o relatório | “Transição Energética & Metais Verdes: Explorando companhias bem posicionadas”

A crescente demanda por cobalto estimula a busca por minerais nos resíduos de minas da Austrália

“Quando o governo do estado de Queensland enviou Anita Parbhakar-Fox para a remota cidade de Mt Isa, no interior australiano, para caçar cobalto em resíduos de minas de cobre, o professor de geologia tinha grandes expectativas. Mas quando ela testou as amostras em seu laboratório na Universidade de Queensland, ela ficou chocada. Uma leitura mostrou 7.000 partes de cobalto por milhão – mais de 200 vezes a presença média de cobalto na crosta terrestre. […] Os governos estadual e federal da Austrália estão enviando equipes de geólogos para o interior para vasculhar os resíduos das minas em busca de cobalto, à medida que o país busca diversificar os combustíveis fósseis para se tornar um exportador de minerais de energia limpa, como cobalto, níquel e lítio.”

Fonte: Financial Times, 18/07/2022

Reino Unido pretende definir o ritmo para planos corporativos net zero

“Enquanto os delegados desciam a Glasgow para a cúpula da COP26 em novembro passado, o governo do Reino Unido anunciou que o país se tornaria “o primeiro centro financeiro líquido alinhado a zero do mundo”. As empresas listadas e os grandes gestores de ativos seriam obrigados a publicar um plano para atingir emissões líquidas zero de carbono – ou explicar por que não conseguiram. O status do Reino Unido como um centro financeiro global significava que o anúncio era de mais do que interesse local – e o prazo agora está a menos de um ano. Até junho de 2023, as empresas listadas no Reino Unido terão que publicar planos líquidos de transição zero, assim como os investidores regulamentados que administram mais de £ 50 bilhões em ativos ou possuem mais de £ 25 bilhões.”

Fonte: Financial Times, 18/07/2022

Os diretores de sustentabilidade prosperam à medida que os riscos ESG aumentam

“Não faz muito tempo, os diretores de sustentabilidade eram uma novidade corporativa. “Isso é uma moda passageira ou um papel que vai durar?” perguntou um artigo do Financial Times em 2011. Até agora, a resposta é clara. O CSO tornou-se um membro crucial da equipe de gestão, uma ascensão que reflete a crescente proeminência da sustentabilidade na agenda corporativa. Isso, por sua vez, mudou o mix de habilidades exigidas. Embora a capacidade de gerenciar os riscos climáticos e navegar em um cenário regulatório cada vez mais difícil seja vital, também é a experiência em lidar com assuntos corporativos no mais alto nível. Rachael De Renzy Channer, que lidera a prática de sustentabilidade na empresa de busca de executivos Egon Zehnder, diz que “o requisito de profundo conhecimento climático” é menos importante do que costumava ser. “Na verdade, é a capacidade de operar no C-level, ter essas conversas com o CFO sobre relatórios”, diz ela”

Fonte: Financial Times, 18/07/2022

O ESG foi parar na Justiça. Esse fundo quer ganhar dinheiro com isso

“A gestora britânica Aristata Capital anunciou a captação de 40 milhões de libras (US$ 48 milhões) para um tipo inédito de fundo: os recursos serão usados para financiar ações judiciais em torno de questões ESG. Já existe uma indústria bilionária de financiamento de ações coletivas na Justiça por terceiros – em troca de uma parte de eventuais indenizações –, mas o fundo da Aristata é o primeiro a se concentrar exclusivamente em casos ligados à sustentabilidade. O fundo oferece o dinheiro para grupos de pessoas ou comunidades afetadas por um problema ambiental, por exemplo, e que não teriam condições de arcar com os custos de um escritório de advocacia. Caso haja uma sentença favorável, a Aristata recebe de volta um múltiplo do dinheiro que investiu ou então uma porcentagem da indenização. O objetivo do Impact Litigation Fund I é dar um retorno de 20% ao ano aos investidores.”

Fonte: Capital Reset, 18/07/2022

Política

Europeus querem exigir mais do setor privado

“O Parlamento europeu aprovou na terça-feira, na Comissão de Meio Ambiente, um texto que aumenta a lista de commodities que não podem entrar no bloco se estiverem ligadas a desmatamento, altera a data de corte e inclui instituições financeiras às normas até agora discutidas apenas para empresas. Há duas legislações sobre o tema. Uma delas, ainda não votada, coloca também direitos humanos como algo a ser rastreado por todas as empresas europeias em suas cadeias de valor. O novo texto da proposta relativa a desmatamento ainda pode ser alterado nas esferas (Comissão, Conselho e Parlamento Europeu) do bloco. Os novos produtos seriam borracha, milho e carnes de cabra, porco, ovelha e frango. Essas commodities se juntariam à carne bovina, soja, café, cacau, madeira e óleo de palma que já vêm sendo discutidos. A ação é vista em Bruxelas como reação ao “desmatamento importado” e pode ser aprovada este ano.”

Fonte: Valor Econômico, 18/07/2022

Biden diz que agirá sobre o clima após Manchin adiar legislação

O presidente Joe Biden disse nesta sexta-feira que tomará medidas por conta própria para reduzir as emissões climáticas depois que os esforços para aprovar uma legislação no Congresso fracassaram mais uma vez. “Se o Senado não agir para enfrentar a crise climática e fortalecer nossa indústria doméstica de energia limpa, tomarei medidas executivas fortes para atender a esse momento”, disse Biden em comunicado preparado. O presidente democrata não disse especificamente quais medidas ele tomaria.”

Fonte: Reuters, 15/07/2022


Índices ESG e suas performances

(1) O Índice ISE (Índice de Sustentabilidade Empresarial da B3) tem como objetivo ser o indicador do desempenho médio das cotações dos ativos de empresas com reconhecido comprometimento com o desenvolvimento sustentável, práticas e alinhamento estratégico com a sustentabilidade empresarial.
(2) O Índice S&P/B3 Brasil ESG mede a performance de títulos que cumprem critérios de sustentabilidade e é ponderado pelas pontuações ESG da S&P DJI. Ele exclui ações com base na sua participação em certas atividades comerciais, no seu desempenho em comparação com o Pacto Global da ONU e também cias sem pontuação ESG da S&P DJI.
(3) O ICO2 tem como propósito ser um instrumento indutor das discussões sobre mudança do clima no Brasil. A adesão das companhias ao ICO2 demonstra o comprometimento com a transparência de suas emissões e antecipa a visão de como estão se preparando para uma economia de baixo carbono.
(4) O objetivo do IGCT é ser o indicador do desempenho médio das cotações dos ativos de emissão de empresas integrantes do IGC que atendam aos critérios adicionais descritos nesta metodologia.
(5) A série de índices FTSE4Good foi projetada para medir o desempenho de empresas que demonstram fortes práticas ambientais, sociais e de governança (ESG).
(6)
O Índice MSCI ACWI, que representa o desempenho de todo o conjunto de ações de grande e médio porte do mundo, em 23 mercados desenvolvidos e 26 emergentes.


Nossos últimos relatórios

  • Radar ESG | Alupar (ALUP11): Bem posicionada para se beneficiar da tendência da transição energética; esperamos mais por vir (link)
  • Radar ESG | Intelbras (INTB3): Agregando valor através de oportunidades em tecnologia limpa (link)
  • Radar ESG | Grupo Vittia (VITT3): Melhorando a sustentabilidade na agricultura (link)
  • Radar ESG | Mater Dei (MATD3): Já na rota ESG (link)
  • Crédito de Carbono: Governo publica decreto para regulamentar o mercado; Confira nossa análise (link)
  • Reunião com Joaquim Leite, Ministro do Meio Ambiente: Carbono e energia renovável centralizam as discussões (link)
  • Radar ESG | Ambipar (AMBP3): Sobre fazer parte solução (link)
  • Radar ESG | Raízen (RAIZ4): No caminho de um futuro mais verde (link)
  • Radar ESG | Cruzeiro do Sul (CSED3): No caminho certo (link)
  • Radar ESG | Juniores de O&G (RRRP3 e RECV3): Envolvidas com a agenda ESG, enquanto enfrentam ventos contrários ao setor (link)
  • Radar ESG | Petz (PETZ3): A caminho de se tornar uma empresa ESG para cachorro (link)
  • Carteira ESG XP: Uma alteração no nosso portfólio para abril (link)
  • Seis temas-chave no investimento ESG frente ao conflito Rússia/Ucrânia (link)
  • SEC anuncia proposta para divulgação obrigatória de dados climáticos; Positivo (link)
  • Update ESG | Petrobras (PETR4): Feedback do webinar sobre clima (link)
  • Radar ESG | Telefônica Brasil / Vivo (VIVT3): Conectando-se à agenda ESG (link)
  • Mulheres na liderança: Um olhar sobre a representatividade feminina nas empresas da B3 (link)
  • Carteira ESG XP: Uma alteração no nosso portfólio para março (link)
  • ISE B3: Um raio-X da nova carteira do Índice de Sustentabilidade da B3 (link)
  • Radar ESG | Panvel (PNVL3): Prescrevendo a agenda ESG (link)
  • Carteira ESG XP: Uma alteração no portfólio para fevereiro (link)
  • Radar ESG | Omega Energia (MEGA3): Líder em energia renovável, surfando a onda da sustentabilidade (link)
  • Radar ESG | Desktop (DESK3): No início da jornada ESG (link)
  • Carteira ESG XP: Sem alterações em nosso portfólio para janeiro (link)
  • Radar ESG | AgroGalaxy (AGXY3): Plantando as sementes ESG (link)
  • Radar ESG | Petrobras (PETR4): E o campo ESG, como a Petrobras está explorando? (link)
  • Radar ESG | Oncoclínicas (ONCO3): Ainda na sala de espera (link)
  • Radar ESG | Aviação Brasil (EMBR3, AZUL4 e GOLL4): Voando pelos ares ESG (link)
  • Radar ESG | Alpargatas (ALPA4): Iniciando a caminhada pela agenda ESG (link)
  • Radar ESG | Kepler Weber (KEPL3): Um começo promissor (link)
  • Radar ESG | TIM (TIMS3): Chamando a agenda ESG (link)
  • ESG: O que moldará os investimentos sustentáveis em 2022? (link)
  • Carteira ESG XP: Sem alterações em nosso portfólio para dezembro (link)
  • Radar ESG | Burger King Brasil (BKBR): Espaço para avanço na agenda, mas os planos ambiciosos adiante animam (link)
  • COP26: Implicações do documento final (link)
  • Expo Dubai: Buscando soluções diante de recursos finitos (link)
  • Expo Dubai: Todos os olhos voltados para o futuro da mobilidade (link)
  • Expo Dubai: Tecnologia e sustentabilidade centralizam os destaques do evento nesta terça-feira (link)
  • Expo Dubai: Três principais destaques do evento nesta segunda-feira, dia do Brasil na feira (link)
  • COP26: Um encontro decisivo para conter o aquecimento global (link)
  • Seleção BDRs ESG​: 15 nomes para exposição internacional ao tema (link)
  • Radar ESG | Kora Saúde (KRSA3): Ainda há um caminho a ser percorrido (link)
  • Radar ESG | Empresas de Autopeças: Preparando a estrada ESG; Governança e segurança em primeiro lugar (link)
  • Radar ESG | Unifique (FIQE3) e Brisanet (BRIT3): O que as empresas de telecomunicações brasileiras têm feito? (link)
  • Radar ESG | Natura&Co. (NTCO3): Não é apenas maquiagem; ESG é uma realidade! (link)
  • Vale (VALE3): Feedback do Webinar ESG; Todos os olhos voltados para a redução de riscos (link)
  • Radar ESG | Totvs (TOTS3): A melhor posicionada no setor de tecnologia sob a cobertura da XP (link)
  • Assembleia Geral da ONU: Cenário climático alarmante centraliza as discussões (link)
  • Amazônia: Entendendo a importância da maior floresta tropical do mundo (link)
  • ESG no centro das discussões; Três principais aprendizados da Expert XP 2021 (link)
  • Radar ESG | Companhia Brasileira de Alumínio (CBAV3): Uma líder em alumínio verde, com forte posicionamento ESG (link)
  • Relatório do IPCC: Um chamado para todos, inclusive para o mercado, frente a um cenário alarmante do clima (link)
  • Radar ESG | WEG (WEGE3): Um player ESG bem equipado para se beneficiar das tendências adiante (link)
  • Radar ESG | Boa Safra (SOJA3): Agenda ESG em produção, semente por semente (link)
  • Água: Onde há escassez, há oportunidade (link)
  • Radar ESG | Positivo (POSI3): Um trabalho em andamento (link)
  • B3 anuncia nova metodologia para o ISE; Positivo (link)
  • Radar ESG | G2D (G2DI33): Abraçando os pilares S e E através do portfólio de investimentos de impacto (link)
  • Ambev (ABEV3): Feedback do evento ESG; Reforçamos nossa visão positiva (link)
  • Radar ESG | Setor de infraestrutura (CCRO3, ECOR3, RAIL3, HBSA3, STBP3): Preparando o asfalto (link)
  • Crédito de carbono: Capturando parte da solução; 5 nomes para exposição ao tema (link)
  • Radar ESG | Incorporadoras de Imóveis Residenciais Populares: Construindo os andares ESG (link)
  • Radar ESG | Arezzo & Co. (ARZZ3): Caminhando com seus próprios passos pela agenda ESG (link)
  • Trilogia ESG (Pt. I): Um mergulho no pilar E; Três nomes que são parte da solução (link)
  • Radar ESG | Blau (BLAU3) e Hypera (HYPE3): Em busca da fórmula ESG (link)
  • Bitcoin e ESG: Entenda os dois lados da moeda (link)
  • Radar ESG | Bemobi (BMOB3): Diversidade é o nome do jogo (link)
  • Radar ESG | Setor de Logística (SIMH3, JSLG3 e VAMO3): Preparando-se para a estrada ESG (link)
  • Radar ESG | Laboratórios: ESG ainda na triagem; Fleury se destacando em relação aos pares (link)
  • Cúpula de Líderes sobre o Clima: Tecnologia, economia e agenda verde centralizam as discussões no segundo dia do evento (link)
  • Cúpula de Líderes sobre o Clima: Cooperação global é uma das três principais mensagens do evento (link)
  • Radar ESG | Locadoras de automóveis: Rumo à agenda ESG; Localiza liderando a corrida (link)
  • Radar ESG | São Martinho (SMTO3): Quanto mais se semeia, maior é a colheita (link)
  • Radar ESG | Orizon (ORVR3): Quando ESG está escrito no DNA (link)
  • Sondagem XP/ESG com investidores institucionais (link)
  • O melhor dos dois mundos: Seleção de 10 BDRs para exposição internacional ao tema ESG (link)
  • Radar ESG | Enjoei (ENJU3): O usado é o novo “novo”? (link)
  • Radar ESG | CSN Mineração (CMIN3): Explorando os campos ESG (link)
  • Radar ESG | Jalles (JALL3): Plantando as sementes ESG (link)
  • Radar ESG | Incorporadoras de alta renda: ESG ainda em construção (link)
  • Radar ESG | Setor de saúde: O ESG ainda está na sala de espera? (link)
  • Radar ESG | Quão sustentáveis são as empresas de e-commerce? Uma análise ESG dessas gigantes (link)
  • Radar ESG | IMC (MEAL3): Por que a empresa ainda tem muito espaço para melhorar? (link)
  • Radar ESG | Aeris (AERI3): Uma das empresas melhor posicionada para surfar o vento ESG (link)
  • Radar ESG | 3R Petroleum: Construindo um caminho que incorpora metas ESG (link)
  • Radar ESG | Setor de supermercados: Vale a pena encher o carrinho? (link)
  • Radar ESG | JHSF (JHSF3): Espaço para melhorias (link)
  • Radar ESG | Quem é o melhor aluno da classe? Avaliando os líderes em ESG dentre as empresas de educação no Brasil (link)
  • Panorama do marco regulatório de investimentos ESG no Brasil (link)
  • CVM e B3 estudam intensificar critérios ESG para as companhias listadas (link)
  • Radar ESG | Setor de vestuário e joias: ESG ainda na confecção (link)
  • ESG: Tendências e preferências para 2021 (link)
  • Radar ESG | LOG Commercial Properties (LOGG3): Oportunidades em empreendimentos verdes (link)
  • Eleições americanas: Quais os efeitos para a agenda ESG nos EUA e no Brasil? (link)
  • Radar ESG | Farmácias: Raia Drogasil como a ação prescrita no setor para exposição a ESG (link)
  • Radar ESG | Shoppings: Entenda o que importa para eles quando o tema é ESG (link)
  • Radar ESG | Ambev (ABEV3): Um case que desce redondo (link)
  • Feedback do roadshow ESG: O que as gestoras no Brasil estão fazendo em relação ao tema? (link)
  • ESG de A a Z: Tudo o que você precisa saber sobre o tema (link)

Ainda não tem conta na XP? Clique aqui e abra a sua!

XP Expert

Avaliação

O quão foi útil este conteúdo pra você?


Newsletter
Newsletter

Gostaria de receber nossos conteúdos por e-mail?

Cadastre-se e receba grátis nossos relatórios e recomendações de investimentos

Telegram
Telegram XP

Acesse os conteúdos

Telegram XP

pelo Telegram da XP Investimentos

A XP Investimentos CCTVM S/A, inscrita sob o CNPJ: 02.332.886/0001-04, é uma instituição financeira autorizada a funcionar pelo Banco Central do Brasil.Toda comunicação através de rede mundial de computadores está sujeita a interrupções ou atrasos, podendo impedir ou prejudicar o envio de ordens ou a recepção de informações atualizadas. A XP Investimentos exime-se de responsabilidade por danos sofridos por seus clientes, por força de falha de serviços disponibilizados por terceiros. A XP Investimentos CCTVM S/A é instituição autorizada a funcionar pelo Banco Central do Brasil.


Este site usa cookies e dados pessoais de acordo com a nossa Política de Cookies (gerencie suas preferências de cookies) e a nossa Política de Privacidade.