XP Expert

Empresas do setor de papel e celulose em destaque | Café com ESG, 28/02

Renault promove capacitação em ESG para concessionários; Assessor especial do governo Joe Biden para o clima se encontra com autoridades brasileiras

Compartilhar:

  • Compartilhar no Facebook
  • Compartilhar no Twitter
  • Compartilhar no Whatsapp
  • Compartilhar no LinkedIn
  • Compartilhar via E-mail

Bom dia! Neste relatório diário publicado todas as manhãs pelo time ESG do Research da XP, buscamos trazer as últimas notícias para que você comece o dia bem informado e fique por dentro do que o Brasil e o mundo fala sobre um tema que tem ficado cada vez mais relevante: ESG – do termo em inglês Environmental, Social and Governance ou, em português, ASG – Ambiental, Social e Governança.

Quais tópicos abordamos ao longo do conteúdo? (i) Notícias no Brasil e no mundo acerca do tema ESG; (ii) Performance histórica dos principais índices ESG em diferentes países; (iii) Comparativo da performance do Ibovespa vs. ISE (Índice de Sustentabilidade Empresarial, da B3); e (iv) Lista com os últimos relatórios publicados pelo Research ESG da XP.
Por que essas informações são importantes? 
Porque elas indicam os temas dentro da agenda ESG que estão sendo cada vez mais monitoradas por parte dos investidores e das empresas, e podem impactar os preços das ações de diferentes companhias.

Esperamos que aproveite a leitura!

Principais tópicos do dia

O mercado iniciou a semana em território levemente negativo, com o Ibov e o ISE em queda de -0,1% e -0,2%, respectivamente, no pregão de segunda-feira.

• No Brasil, (i) a Klabin, maior produtora brasileira de embalagens em papel, foi incluída pelo terceiro ano consecutivo no ranking global de sustentabilidade organizado pela S&P Global – a empresa aparece como a única companhia da América Latina entre as Top 1% S&P Global ESG Score, categoria que reúne as empresas que obtiveram melhor desempenho em cada setor; e (ii) a Bracell, uma das maiores empresas de celulose do mundo, iniciou a operação de um caminhão elétrico movido a energia limpa e renovável, como parte das ações para diminuir o impacto de sua operação logística na sua planta industrial em Lençóis Paulista, no interior de São Paulo.

• Na internacional, segundo um levantamento da BloombergNEF, depois de uma explosão em 2021, o mercado voluntário de créditos de carbono, em que as empresas buscam compensar suas emissões de forma espontânea, desacelerou o ritmo em 2022, tanto em termos de demanda, quanto a oferta de créditos.

Gostaria de receber os relatórios ESG por e-mailClique aqui.
Gostou do conteúdo, tem alguma dúvida ou quer nos enviar uma sugestão? Basta deixar um comentário no final do post!


XPInc CTA

Abra a sua conta na XP Investimentos!

XPInc CTA

Receba conteúdos da Expert pelo Telegram!

Brasil

Empresas

O (seu) vinho com trabalho escravo e a responsabilidade pela cadeia de suprimentos 

“As imagens e relatos de cerca de 200 trabalhadores resgatados de condições análogas à escravidão na colheita da uva em Bento Gonçalves correram o Brasil neste fim de semana. Jornadas extenuantes de mais de 15 horas, alojamento precário e emprego de violência, com uso de máquinas de choque e spray de pimenta estavam entre os expedientes utilizados pela Fênix Serviços Administrativos, empresa que prestava serviços para  três das mais conhecidas vinícolas do país: Salton, Aurora e Garibaldi. Trazidos da Bahia, os trabalhadores precisavam comprar alimentos a preços abusivos em lojas controladas pelos empregadores, e acabavam sempre endividados, o que os mantinham presos à condição. Eram ameaçados de ter de pagar R$ 1600, o valor da passagem da Bahia, se faltassem por um dia sequer no trabalho. Há relatos de um trabalhador que carregou caminhões de uva sufocando numa crise de asma.”

Fonte: Capital Reset, 27/02/2023

Klabin é única empresa da América Latina entre as Top 1% do S&P Global ESG Score

“A Klabin, maior produtora brasileira de embalagens em papel, foi incluída pelo terceiro ano consecutivo no ranking global de sustentabilidade organizado pela S&P Global. A empresa aparece como a única companhia da América Latina entre as Top 1% S&P Global ESG Score, categoria que reúne as empresas que obtiveram melhor desempenho em cada setor. Conforme a Klabin, o “The Sustainability Yearbook” avaliou mais de 7 mil empresas, das quais 708 selecionadas para compor o índice. Destas, apenas 67 estão entre as Top 1% S&P Global ESG Score. Na avaliação da S&P Global (CSA), que também dá origem ao Índice Dow Jones de Sustentabilidade, a companhia marcou 86 pontos, com a segunda posição no ranking geral de índices. “Receber mais uma vez um reconhecimento criterioso e de referência como o The Sustainability Yearbook é um marco muito significativo, que chancela nosso trabalho com foco em sustentabilidade e nos encoraja a seguir buscando a melhoria contínua”, diz, em nota, o diretor de Tecnologia Industrial, Inovação, Sustentabilidade e Projetos da Klabin, Francisco Razzolini.”

Fonte: Valor Econômico, 27/02/2023

Clique aqui para ver o relatório completo de Klabin l Radar ESG | Papel e Celulose (SUZB3, KLBN11, RANI3): Bem posicionadas, apesar dos riscos ambientais acima da média

Finanças e biodiversidade: tornando visível o essencial

“Em “O Pequeno Príncipe”, belo livro de Antoine de Saint- Exupéry, em um diálogo que se tornou clássico, sua amiga raposa diz ao principezinho: “O essencial é invisível aos olhos”. Se na vida, nos diz a raposa, não enxergamos o que é realmente essencial, também assim é, muitas vezes, nas decisões econômicas e financeiras. Aspectos muito importantes para o bem-estar humano associados à natureza, como existência e acesso à água potável, boa qualidade do ar, existência de abelhas ou de jequitibás estão distantes das decisões cotidianas no âmbito econômico e financeiro. Isso acontece, entre outros motivos, porque são externos ao sistema de preços e mercado e, por isso, requerem técnicas de valoração e análise sofisticadas, diferentes da lógica intuitiva de “preço vezes quantidade” que é utilizada para os produtos e serviços transacionados no mercado.”

Fonte: Valor Econômico, 27/02/2023

ESG: O pilar “G” liderado pelo jurídico

“A evolução da governança corporativa no Brasil encontra certo histórico nos eventos de corrupção ocorridos na última década. É indiscutível que esses episódios aceleraram o aperfeiçoamento dos mecanismos de controle nas corporações e criou procedimentos robustos – com um novo olhar sob a gestão de riscos. São quase dez anos da publicação da Lei Anticorrupção (nº 12.846/2013) e sete de seu decreto regulamentador (Decreto nº 8.420/2015). De lá para cá, o poder público estabeleceu ferramentas capazes de reconhecer a atuação das empresas no desenvolvimento de agendas de integridade e na construção de ambientes de negócio idôneos e éticos. São exemplos o Selo Pró-Ética (criado em 2010, mas reestruturado em 2014) e inúmeros mecanismos de consulta como o CEIS e o CNEP (respectivamente, cadastros públicos de empresas inidôneas e punidas, ambas de 2016).”

Fonte: Valor Econômico, 27/02/2023

Bracell apresenta caminhão acima de 40 toneladas 100% elétrico

“A Bracell, uma das maiores empresas de celulose do mundo, iniciou a operação de um caminhão elétrico movido a energia limpa e renovável, como parte das ações para diminuir o impacto de sua operação logística na sua planta industrial em Lençóis Paulista, no interior de São Paulo. Os caminhões elétricos não são exatamente uma novidade no transporte das grandes cidades, onde alguns caminhões pequenos e utilitários já funcionam com tecnologia 100% renovável. No entanto, grandes veículos, como o da Bracell – um modelo 6×4 da chinesa CAMC capaz de transportar 30 toneladas de carga – ainda são raros no país. “Está na essência da Bracell fazer a sua produção ser o mais sustentável possível. Já usamos o modal ferroviário, mas no rodoviário, ainda não tínhamos boas opções para a frota com caminhões desse tamanho”, conta Alberto Pagano, head de supply chain da Bracell.”

Fonte: Exame, 27/02/2023

Política

Agenda sustentável ainda é desafio para o setor de saneamento, mostra estudo

“O compromisso com questões ambientais, sociais e de governança — o tripé da agenda ESG — deve nortear a atuação do setor de saneamento básico no Brasil nos próximos anos. Estudo divulgado nesta terça-feira, 28, pelo Instituto Trata Brasil e a KPMG no Brasil, analisa como as concessionárias têm se posicionado em relação às políticas de sustentabilidade, diante de um cenário global cada vez mais desafiador. A conclusão é que o acesso pleno ao saneamento pode ser uma das principais chaves para a proteção do meio ambiente, a adaptação às mudanças climáticas e o combate à pobreza. Mas “ainda há muito a ser entendido e explorado” em relação ao papel do setor nessa agenda. Apesar dos evidentes impactos das mudanças climáticas no nível dos reservatórios de água e na geração de energia, dois fatores que afetam diretamente o setor de saneamento, mais de um terço das concessionárias que prestam serviços de água e esgoto para a maior parte da população brasileira ainda não divulgam dados nem têm metas claras em relação à gestão ESG, segundo o levantamento.”

Fonte: Exame, 28/02/2023

Internacional

Empresas

Turbulência no mercado voluntário de créditos de carbono

“Depois de uma explosão em 2021, o mercado voluntário de créditos de carbono — em que as empresas buscam compensar suas emissões de forma espontânea — está passando por um processo de depuração. Tanto a demanda quanto a oferta de créditos perderam bastante fôlego em 2022, segundo um levantamento da BloombergNEF, mostrando que a euforia do “carbono neutro” nas manchetes e nos relatórios de sustentabilidade esconde uma dinâmica complexa e cheia de desafios. “Se 2021 foi o ano da decolagem do mercado de offsets, 2022 seria mais bem descrito como o ano da turbulência inicial após ele ter atingido as nuvens mais baixas”, aponta a empresa de inteligência de mercado. Foram analisados os números dos quatro principais registros dos chamados offsets, ou compensações: Verra, Gold Standard, American Carbon Registry e Climate Action Reserve.”

Fonte: Capital Reset, 27/02/2023


Índices ESG e suas performances

(1) O Índice ISE (Índice de Sustentabilidade Empresarial da B3) tem como objetivo ser o indicador do desempenho médio das cotações dos ativos de empresas com reconhecido comprometimento com o desenvolvimento sustentável, práticas e alinhamento estratégico com a sustentabilidade empresarial.
(2) O Índice S&P/B3 Brasil ESG mede a performance de títulos que cumprem critérios de sustentabilidade e é ponderado pelas pontuações ESG da S&P DJI. Ele exclui ações com base na sua participação em certas atividades comerciais, no seu desempenho em comparação com o Pacto Global da ONU e também cias sem pontuação ESG da S&P DJI.
(3) O ICO2 tem como propósito ser um instrumento indutor das discussões sobre mudança do clima no Brasil. A adesão das companhias ao ICO2 demonstra o comprometimento com a transparência de suas emissões e antecipa a visão de como estão se preparando para uma economia de baixo carbono.
(4) O objetivo do IGCT é ser o indicador do desempenho médio das cotações dos ativos de emissão de empresas integrantes do IGC que atendam aos critérios adicionais descritos nesta metodologia.
(5) A série de índices FTSE4Good foi projetada para medir o desempenho de empresas que demonstram fortes práticas ambientais, sociais e de governança (ESG).
(6)
O Índice MSCI ACWI, que representa o desempenho de todo o conjunto de ações de grande e médio porte do mundo, em 23 mercados desenvolvidos e 26 emergentes.


Nossos últimos relatórios

  • Hidrogênio Verde (H2V): O combustível do futuro? (link)
  • Brunch com ESG: AMER3 e BBAS3 em destaque; Conferência de Davos chega ao fim (link)
  • Radar ESG | Setor financeiro (BBAS3, BBDC4, BPAC11, B3SA3, ITUB4, SANB11): Sólida performance ESG, com espaço para melhoria na governança (link)
  • Retrospectiva ESG: 12 meses, 12 acontecimentos e 12 relatórios que você não pode perder (link)
  • Novo ano, nova carteira do ISE B3: Tudo o que você precisa saber (link)
  • Carteira ESG XP: Sem alterações no nosso portfólio para janeiro (link)
  • Nova resolução da CVM define regras ESG mais rígidas para companhias abertas (link)
  • Radar ESG | Papel e Celulose (SUZB3, KLBN11, RANI3): Bem posicionadas, apesar dos riscos ambientais acima da média (link)
  • Radar ESG | Vestuário Esportivo (SBFG3, TFCO4, VULC3): E no jogo ESG, quem vence? (link)
  • Radar ESG | DASA (DASA3): Bom desempenho ESG, com oportunidades de melhoria (link)
  • ESG: Top 5 tendências para 2023 (link)
  • Carteira ESG XP: Atualizando o nosso portfólio para dezembro (link)
  • COP27 chega ao fim; 5 principais destaques da conferência (link)
  • Copa do Mundo 2022: ESG escalado para entrar em campo? (link)
  • COP27: Três principais mensagens dos primeiros dias (link)
  • Ambev (ABEV3): Feedback webinar ESG; Destravando valor via a sustentabilidade (link)
  • Carteira ESG XP: Atualizando o nosso portfólio para novembro (link)
  • Radar ESG | PetroRio (PRIO3): Desenvolvendo as estratégias para atuar no campo ESG (link)
  • COP27: Um mês para a próxima conferência climática da ONU (link)
  • Aura Minerals (AURA33): Indo a campo; Principais destaques da visita ESG (link)
  • Carteira ESG XP: Duas alterações para o mês de outubro (link)
  • ESG & Telecom | 5G Insights; Capítulo 4: Como o uso do 5G pode impulsionar a descarbonização? (link)
  • Radar ESG | Eletrobras (ELET3): Mudanças que vêm para o bem; Melhorias ESG também estão por vir (link)
  • Radar ESG | Guararapes (GUAR3): Evoluindo em como vestir essa agenda (link)
  • Radar ESG | Zenvia (ZENV): Dando os primeiros passos na agenda ESG (link)
  • Radar ESG | Frigoríficos brasileiros: Em busca de maior sustentabilidade e melhor governança (BRFS3, JBSS3, MRFG3, BEEF3) (link)
  • ESG: Como os clientes institucionais estão evoluindo no tema? (link)
  • Carteira ESG XP: Sem alterações no nosso portfólio para setembro (link)
  • Raio-X das metas de emissões das companhias brasileiras (link)
  • Seleção BDRs ESG​: 15 nomes para exposição internacional ao tema (link)
  • ESG: Três aprendizados da Expert XP 2022 (link)
  • Carteira ESG XP: Sem alterações no nosso portfólio para julho (link)
  • Radar ESG | Alupar (ALUP11): Bem posicionada para se beneficiar da tendência da transição energética; esperamos mais por vir (link)
  • Radar ESG | Intelbras (INTB3): Agregando valor através de oportunidades em tecnologia limpa (link)
  • Radar ESG | Grupo Vittia (VITT3): Melhorando a sustentabilidade na agricultura (link)
  • Radar ESG | Mater Dei (MATD3): Já na rota ESG (link)
  • Crédito de Carbono: Governo publica decreto para regulamentar o mercado; Confira nossa análise (link)
  • Reunião com Joaquim Leite, Ministro do Meio Ambiente: Carbono e energia renovável centralizam as discussões (link)
  • Radar ESG | Ambipar (AMBP3): Sobre fazer parte solução (link)
  • Radar ESG | Raízen (RAIZ4): No caminho de um futuro mais verde (link)
  • Radar ESG | Cruzeiro do Sul (CSED3): No caminho certo (link)
  • Radar ESG | Juniores de O&G (RRRP3 e RECV3): Envolvidas com a agenda ESG, enquanto enfrentam ventos contrários ao setor (link)
  • Radar ESG | Petz (PETZ3): A caminho de se tornar uma empresa ESG para cachorro (link)
  • Carteira ESG XP: Uma alteração no nosso portfólio para abril (link)
  • Seis temas-chave no investimento ESG frente ao conflito Rússia/Ucrânia (link)
  • SEC anuncia proposta para divulgação obrigatória de dados climáticos; Positivo (link)
  • Update ESG | Petrobras (PETR4): Feedback do webinar sobre clima (link)
  • Radar ESG | Telefônica Brasil / Vivo (VIVT3): Conectando-se à agenda ESG (link)
  • Mulheres na liderança: Um olhar sobre a representatividade feminina nas empresas da B3 (link)
  • Carteira ESG XP: Uma alteração no nosso portfólio para março (link)
  • ISE B3: Um raio-X da nova carteira do Índice de Sustentabilidade da B3 (link)
  • Radar ESG | Panvel (PNVL3): Prescrevendo a agenda ESG (link)
  • Carteira ESG XP: Uma alteração no portfólio para fevereiro (link)
  • Radar ESG | Omega Energia (MEGA3): Líder em energia renovável, surfando a onda da sustentabilidade (link)
  • Radar ESG | Desktop (DESK3): No início da jornada ESG (link)
  • Carteira ESG XP: Sem alterações em nosso portfólio para janeiro (link)
  • Radar ESG | AgroGalaxy (AGXY3): Plantando as sementes ESG (link)
  • Radar ESG | Petrobras (PETR4): E o campo ESG, como a Petrobras está explorando? (link)
  • Radar ESG | Oncoclínicas (ONCO3): Ainda na sala de espera (link)
  • Radar ESG | Aviação Brasil (EMBR3, AZUL4 e GOLL4): Voando pelos ares ESG (link)
  • Radar ESG | Alpargatas (ALPA4): Iniciando a caminhada pela agenda ESG (link)
  • Radar ESG | Kepler Weber (KEPL3): Um começo promissor (link)
  • Radar ESG | TIM (TIMS3): Chamando a agenda ESG (link)
  • ESG: O que moldará os investimentos sustentáveis em 2022? (link)
  • Carteira ESG XP: Sem alterações em nosso portfólio para dezembro (link)
  • Radar ESG | Burger King Brasil (BKBR): Espaço para avanço na agenda, mas os planos ambiciosos adiante animam (link)
  • COP26: Implicações do documento final (link)
  • Expo Dubai: Buscando soluções diante de recursos finitos (link)
  • Expo Dubai: Todos os olhos voltados para o futuro da mobilidade (link)
  • Expo Dubai: Tecnologia e sustentabilidade centralizam os destaques do evento nesta terça-feira (link)
  • Expo Dubai: Três principais destaques do evento nesta segunda-feira, dia do Brasil na feira (link)
  • COP26: Um encontro decisivo para conter o aquecimento global (link)
  • Seleção BDRs ESG​: 15 nomes para exposição internacional ao tema (link)
  • Radar ESG | Kora Saúde (KRSA3): Ainda há um caminho a ser percorrido (link)
  • Radar ESG | Empresas de Autopeças: Preparando a estrada ESG; Governança e segurança em primeiro lugar (link)
  • Radar ESG | Unifique (FIQE3) e Brisanet (BRIT3): O que as empresas de telecomunicações brasileiras têm feito? (link)
  • Radar ESG | Natura&Co. (NTCO3): Não é apenas maquiagem; ESG é uma realidade! (link)
  • Vale (VALE3): Feedback do Webinar ESG; Todos os olhos voltados para a redução de riscos (link)
  • Radar ESG | Totvs (TOTS3): A melhor posicionada no setor de tecnologia sob a cobertura da XP (link)
  • Assembleia Geral da ONU: Cenário climático alarmante centraliza as discussões (link)
  • Amazônia: Entendendo a importância da maior floresta tropical do mundo (link)
  • ESG no centro das discussões; Três principais aprendizados da Expert XP 2021 (link)
  • Radar ESG | Companhia Brasileira de Alumínio (CBAV3): Uma líder em alumínio verde, com forte posicionamento ESG (link)
  • Relatório do IPCC: Um chamado para todos, inclusive para o mercado, frente a um cenário alarmante do clima (link)
  • Radar ESG | WEG (WEGE3): Um player ESG bem equipado para se beneficiar das tendências adiante (link)
  • Radar ESG | Boa Safra (SOJA3): Agenda ESG em produção, semente por semente (link)
  • Água: Onde há escassez, há oportunidade (link)
  • Radar ESG | Positivo (POSI3): Um trabalho em andamento (link)
  • B3 anuncia nova metodologia para o ISE; Positivo (link)
  • Radar ESG | G2D (G2DI33): Abraçando os pilares S e E através do portfólio de investimentos de impacto (link)
  • Ambev (ABEV3): Feedback do evento ESG; Reforçamos nossa visão positiva (link)
  • Radar ESG | Setor de infraestrutura (CCRO3, ECOR3, RAIL3, HBSA3, STBP3): Preparando o asfalto (link)
  • Crédito de carbono: Capturando parte da solução; 5 nomes para exposição ao tema (link)
  • Radar ESG | Incorporadoras de Imóveis Residenciais Populares: Construindo os andares ESG (link)
  • Radar ESG | Arezzo & Co. (ARZZ3): Caminhando com seus próprios passos pela agenda ESG (link)
  • Trilogia ESG (Pt. I): Um mergulho no pilar E; Três nomes que são parte da solução (link)
  • Radar ESG | Blau (BLAU3) e Hypera (HYPE3): Em busca da fórmula ESG (link)
  • Bitcoin e ESG: Entenda os dois lados da moeda (link)
  • Radar ESG | Bemobi (BMOB3): Diversidade é o nome do jogo (link)
  • Radar ESG | Setor de Logística (SIMH3, JSLG3 e VAMO3): Preparando-se para a estrada ESG (link)
  • Radar ESG | Laboratórios: ESG ainda na triagem; Fleury se destacando em relação aos pares (link)
  • Cúpula de Líderes sobre o Clima: Tecnologia, economia e agenda verde centralizam as discussões no segundo dia do evento (link)
  • Cúpula de Líderes sobre o Clima: Cooperação global é uma das três principais mensagens do evento (link)
  • Radar ESG | Locadoras de automóveis: Rumo à agenda ESG; Localiza liderando a corrida (link)
  • Radar ESG | São Martinho (SMTO3): Quanto mais se semeia, maior é a colheita (link)
  • Radar ESG | Orizon (ORVR3): Quando ESG está escrito no DNA (link)
  • Sondagem XP/ESG com investidores institucionais (link)
  • O melhor dos dois mundos: Seleção de 10 BDRs para exposição internacional ao tema ESG (link)
  • Radar ESG | Enjoei (ENJU3): O usado é o novo “novo”? (link)
  • Radar ESG | CSN Mineração (CMIN3): Explorando os campos ESG (link)
  • Radar ESG | Jalles (JALL3): Plantando as sementes ESG (link)
  • Radar ESG | Incorporadoras de alta renda: ESG ainda em construção (link)
  • Radar ESG | Setor de saúde: O ESG ainda está na sala de espera? (link)
  • Radar ESG | Quão sustentáveis são as empresas de e-commerce? Uma análise ESG dessas gigantes (link)
  • Radar ESG | IMC (MEAL3): Por que a empresa ainda tem muito espaço para melhorar? (link)
  • Radar ESG | Aeris (AERI3): Uma das empresas melhor posicionada para surfar o vento ESG (link)
  • Radar ESG | 3R Petroleum: Construindo um caminho que incorpora metas ESG (link)
  • Radar ESG | Setor de supermercados: Vale a pena encher o carrinho? (link)
  • Radar ESG | JHSF (JHSF3): Espaço para melhorias (link)
  • Radar ESG | Quem é o melhor aluno da classe? Avaliando os líderes em ESG dentre as empresas de educação no Brasil (link)
  • Panorama do marco regulatório de investimentos ESG no Brasil (link)
  • CVM e B3 estudam intensificar critérios ESG para as companhias listadas (link)
  • Radar ESG | Setor de vestuário e joias: ESG ainda na confecção (link)
  • ESG: Tendências e preferências para 2021 (link)
  • Radar ESG | LOG Commercial Properties (LOGG3): Oportunidades em empreendimentos verdes (link)
  • Eleições americanas: Quais os efeitos para a agenda ESG nos EUA e no Brasil? (link)
  • Radar ESG | Farmácias: Raia Drogasil como a ação prescrita no setor para exposição a ESG (link)
  • Radar ESG | Shoppings: Entenda o que importa para eles quando o tema é ESG (link)
  • Radar ESG | Ambev (ABEV3): Um case que desce redondo (link)
  • Feedback do roadshow ESG: O que as gestoras no Brasil estão fazendo em relação ao tema? (link)
  • ESG de A a Z: Tudo o que você precisa saber sobre o tema (link)

Ainda não tem conta na XP? Clique aqui e abra a sua!

XP Expert

Avaliação

O quão foi útil este conteúdo pra você?


Newsletter
Newsletter

Gostaria de receber nossos conteúdos por e-mail?

Cadastre-se e receba grátis nossos relatórios e recomendações de investimentos

A XP Investimentos CCTVM S/A, inscrita sob o CNPJ: 02.332.886/0001-04, é uma instituição financeira autorizada a funcionar pelo Banco Central do Brasil.Toda comunicação através de rede mundial de computadores está sujeita a interrupções ou atrasos, podendo impedir ou prejudicar o envio de ordens ou a recepção de informações atualizadas. A XP Investimentos exime-se de responsabilidade por danos sofridos por seus clientes, por força de falha de serviços disponibilizados por terceiros. A XP Investimentos CCTVM S/A é instituição autorizada a funcionar pelo Banco Central do Brasil.


Este site usa cookies e dados pessoais de acordo com a nossa Política de Cookies (gerencie suas preferências de cookies) e a nossa Política de Privacidade.