XP Expert

CVM revê regras para fundos de investimento | Café com ESG, 01/06

CVM afirma estar aberto a receber sugestões do mercado para alterações em fundos de investimento; Brasil possui dados favoráveis para liderar corrida pela matriz energética limpa

Compartilhar:

  • Compartilhar no Facebook
  • Compartilhar no Twitter
  • Compartilhar no Whatsapp
  • Compartilhar no LinkedIn
  • Compartilhar via E-mail

Bom dia! Neste relatório diário publicado todas as manhãs pelo time ESG do Research da XP, buscamos trazer as últimas notícias para que você comece o dia bem informado e fique por dentro do que o Brasil e o mundo fala sobre um tema que tem ficado cada vez mais relevante: ESG – do termo em inglês Environmental, Social and Governance ou, em português, ASG – Ambiental, Social e Governança.

Quais tópicos abordamos ao longo do conteúdo? (i) Notícias no Brasil e no mundo acerca do tema ESG; (ii) Performance histórica dos principais índices ESG em diferentes países; (iii) Comparativo da performance do Ibovespa vs. ISE (Índice de Sustentabilidade Empresarial, da B3); e (iv) Lista com os últimos relatórios publicados pelo Research ESG da XP.
Por que essas informações são importantes? 
Porque elas indicam os temas dentro da agenda ESG que estão sendo cada vez mais monitoradas por parte dos investidores e das empresas, e podem impactar os preços das ações de diferentes companhias.

Esperamos que aproveite a leitura!

Principais tópicos do dia

• O mercado encerrou o pregão de quarta-feira no negativo, com o Ibov e o ISE em leves quedas de -0,57% e -0,21%, respectivamente.

• No Brasil, a Comissão de Valores Mobiliários (CVM) acaba de fazer uma grande reforma nas regras de fundos de investimento e já começa a se preparar para uma provável nova rodada de mudanças em 2024 – o regulador sinalizou que está aberto a receber sugestões do mercado para alterações em fundos de investimento em participações (FIPs) imobiliários (FIIs) e fundos de índice (ETFs).

• No internacional, (i) Xangai está construindo o maior centro de bioenergia do mundo, com previsão de conclusão até maio de 2025 – o projeto deverá lidar com 4.500 toneladas de resíduos úmidos por dia, se tornando a maior base de reciclagem profunda de resíduos úmidos do mundo; e (ii) segundo um estudo publicado ontem na revista Nature pelo grupo internacional de cientistas Earth Comission, o planeta Terra ultrapassou sete dos oito limites de segurança cientificamente estabelecidos e entrou na “zona de perigo”, não só para um planeta superaquecido que está perdendo áreas naturais, mas também para o bem-estar das pessoas que o habitam.

Gostaria de receber os relatórios ESG por e-mailClique aqui.
Gostou do conteúdo, tem alguma dúvida ou quer nos enviar uma sugestão? Basta deixar um comentário no final do post!


XPInc CTA

Abra a sua conta na XP Investimentos!

XPInc CTA

Receba conteúdos da Expert pelo Telegram!

Brasil

Empresas

CVM vai ouvir mercado para nova rodada de mudanças em fundos

“A Comissão de Valores Mobiliários (CVM) acaba de fazer uma grande reforma nas regras de fundos de investimento e já começa a se preparar para uma provável nova rodada de mudanças em 2024. O regulador sinalizou que está aberto a receber sugestões do mercado para alterações em fundos de investimento em participações (FIPs) imobiliários (FIIs) e fundo s de índice (ETFs). Em dezembro, a autarquia divulgou a nova regra geral de fundos, e cada modalidade passou a ter seus respectivos anexos. Na época, foram apresentados os dois primeiros: o de fundos de investimento financeiros (FiFs) — que inclui ações, cambiais, multimercados e renda fixa, antes conhecidos como “fundos 555” — e os fundos de direitos creditórios (FIDC). Já a regra de ETFs é a mais antiga: foi editada em 2002. Além de uma modernização em direção a parâmetros internacionais, a inclusão nas normas de questões já abordadas pelo colegiado traria mais segurança jurídica, na visão de Vieira, do Velloza Advogados. “Em alguns casos, a CVM teve que analisar se ETFs poderiam ser ou não estruturados, caso de índices que replicam créditos de carbono e outros créditos relacionados ao mercado ESG”, afirma.”

Fonte: Capital Reset, 01/06/2023

“Para apoiar a sustentabilidade e o ESG, empresas exigirão mais funcionários com habilidades verdes”, diz diretora global de RH da Schneider Electric

“Aprendizagem e qualificação são essenciais para o desenvolvimento de carreira. Com a transição energética em curso e a chegada de novas tecnologias, os profissionais precisarão se adaptar com rapidez às demandas de mercado. Atualmente, 12,7 milhões de pessoas trabalham no setor global de energia renovável, de acordo com a Agência Internacional de Energia Renovável, número que pode passar de 38 milhões até 2030. Diante do desafio de encontrar talentos “verdes”, a multinacional Schneider Electric, que há mais de uma década figura entre as empresas mais sustentáveis do mundo no prestigiado ranking da revista Corporate Knights, se comprometeu a treinar 1 milhão de pessoas até 2025. “Para apoiar a sustentabilidade e o ESG, empresas exigirão mais funcionários com habilidades verdes”, diz ao Um Só Planeta a diretora global de RH da Schneider Electric, Charise Le, reconhecendo, contudo, que o conceito de “habilidades verdes” ainda está em construção.”

Fonte: Um Só Planeta – Globo, 31/05/2023

O que precisa mudar na indústria de investimentos

Desde janeiro, casas de gestão consagradas perdem bilhões de reais, mesmo com os números da Anbima e da B3 mostrando milhares de contas abertas e CPFs cadastrados nos últimos anos. Ou seja: de um lado, temos mais pessoas dispostas a investir, mas, de outro, elas não se sentem confortáveis e confiantes para continuar investindo. Como reverter esse quadro? Uma parte da resposta está justamente na relação entre o valor do produto de investimento e o dos investidores. Sobretudo em momentos complexos, como este primeiro semestre de 2023, as gestoras precisam (re)pensar seu negócio e responder a algumas perguntas: qual é o diferencial? O que o fundo ou a tese de investimento agrega para meus clientes e para o mundo? Como deixo isso evidente? Qual é a experiência oferecida? Uma pesquisa do Morgan Stanley Institute for Sustainable Investing de 2021 identificou que, entre millennials, 59% já fazem investimentos alinhados à sustentabilidade. Além de se sentirem mais conectados com suas decisões, boa parte deles também têm tido retornos financeiros competitivos. Em 2014, pesquisa da Universidade de Oxford mostrou que, entre 200 estudos, 80% apresentam relação positiva entre preço das ações e práticas sustentáveis.”

Fonte: Valor Econômico, 01/06/2023

Política

Brasil pode liderar a corrida pela matriz energética limpa

“Estamos vivendo um momento especial para a matriz energética brasileira. O país bateu recorde histórico de exploração e produção de petróleo, no início de 2023, o que gerou um crescimento exponencial na demanda de serviços e conservação, não apenas nas plataformas de petróleo, como também na área de refino, com unidades privatizadas e mistas, onde há grandes oportunidades nas paradas de manutenção de plataformas de petróleo, bem como em flotéis (embarcação acoplada às plataformas para assistência aos colaboradores). Em relação ao segmento de energia elétrica, a demanda é ainda maior, pois o país vem recebendo muitos investimentos para o desenvolvimento de sua matriz energética, especialmente no campo das energias limpas e renováveis. Segundo a Aneel, 80% de todos os projetos em desenvolvimento são destinados à geração limpa. Isso representa uma virada sem precedentes na matriz energética brasileira.”

Fonte: Valor Econômico, 01/06/2023

‘Política externa improvisa linguagem em temas de terreno minado’

“O ex-embaixador do Brasil na França e na Argentina e ex-secretário geral do Itamaraty Marcos Azambuja diz que o presidente Luiz Inácio Lula da Silva está cometendo erros ao dar vazão a ideias imprecisas e ao usar linguagem desatenta em temas de política externa. Foi assim quando suavizou a culpa de Vladimir Putin pela guerra e foi assim quando disse a Nicolás Maduro que os que listam problemas da Venezuela reproduzem uma “narrativa” imposta contra o país. Para o diplomata, de 88 anos, que é conselheiro emérito do Centro Brasileiro de Relações Internacionais (Cebri), do ponto de vista formal, a diplomacia brasileira aponta para uma posição muito mais assertiva e bem aceita do que a de Bolsonaro. O problema é o tom de Lula, que parece querer agora colocar o pêndulo da política externa excessivamente para alimentar algumas dúvidas na relação com outras nações. Ele diz ter apreço pelo petista e arrisca uma comparação com Nelson Mandela. “Nelson Mandela saiu de 27 anos de cadeia mais generoso, mais equilibrado, mais moderado do que entrou.” Lula, após um ano e meio na prisão “me parece um pouco mais ressentido”.”

Fonte: Valor Econômico, 31/05/2023

Internacional

Empresas

Xangai constrói maior projeto de reciclagem de resíduos úmidos do mundo

“Xangai está construindo o maior centro de bioenergia do mundo. A primeira e segunda fases do projeto já estão em pleno funcionamento. Quando a construção da terceira fase for concluída até maio de 2025, o projeto deverá lidar com 4.500 toneladas de resíduos úmidos por dia. Essa será a maior base de reciclagem profunda de resíduos úmidos do mundo, segundo o Grupo Chengtou Environment. As duas primeiras fases têm capacidade para lidar com 2.500 toneladas por dia. A empresa sediada em Xangai é responsável por 80% do trabalho de transferência e eliminação de resíduos da cidade e é a maior unidade de eliminação de resíduos da metrópole chinesa oriental. Ela construiu cinco plantas de eliminação de resíduos úmidos, com capacidade de manuseio de 3.530 toneladas por dia, representando metade da capacidade total de manuseio de resíduos úmidos em Xangai. O sistema de reciclagem de recursos renováveis da Chengtou Environment abrange os seis distritos de Jiading, Qingpu, Xuhui, Huangpu, Jing’an e Pudong, com 5.210 estações de reciclagem.”

Fonte: Exame, 31/05/2023

Política

Lei da natureza da UE está em jogo após saída do legislador

“Os planos da União Europeia para restaurar os ecossistemas naturais danificados estão em jogo depois que o maior grupo de legisladores do Parlamento da UE abandonou as negociações sobre as regras. Os legisladores do Partido Popular Europeu (EPP) abandonaram as negociações na quarta-feira sobre a proposta, que estabeleceria metas obrigatórias para restaurar ambientes naturais danificados. O grupo disse que suas preocupações – que incluem a possibilidade de a lei reduzir a produção de alimentos na Europa – não foram atendidas. No entanto, legisladores de outros grupos políticos disseram que chegaram a um acordo de compromisso com apoio suficiente para aprovar uma votação do comitê do Parlamento em 15 de junho. A proposta visa combater um rápido declínio no número de espécies e na saúde dos ecossistemas da Europa. Mas provocou um debate político acirrado , com líderes, incluindo o primeiro-ministro belga, Alexander De Croo, questionando se a UE está pressionando demais a regulamentação ambiental e enredando as indústrias na burocracia.”

Fonte: Reuters, 01/06/2023

Estudo aponta que Terra está em zona de perigo em quase todos aspectos ecológicos

“De acordo com um estudo publicado nesta quarta-feira na revista Nature pelo grupo internacional de cientistas Earth Comission, o planeta Terra ultrapassou sete dos oito limites de segurança cientificamente estabelecidos e entrou na “zona de perigo”, não só para um planeta superaquecido que está perdendo áreas naturais, mas também para o bem-estar d as pessoas que o habitam. Segundo a agência de notícias “Association Press” (AP), o estudo analisa o clima, a poluição atmosférica, a contaminação da água com fósforo e nitrogênio devido à utilização excessiva de fertilizantes, o abastecimento de água subterrânea, a água doce de superfície, o ambiente natural não construído e o ambiente global natural e construído pelo homem. Dentre esses aspectos, só a poluição atmosférica não atingiu o ponto de perigo a nível mundial. O estudo encontrou pontos quentes em áreas problemáticas de todo leste europeu, sul da Ásia, Oriente Médio, Sudeste Asiático, partes da África e grande parte do Brasil, México, China e parte do oeste dos EUA – em grande parte devido às alterações climáticas. Além disso, cerca de dois terços da Terra não satisfazem os critérios de segurança da água doce, disseram os cientistas a título de exemplo.”

Fonte: Valor Econômico, 01/06/2023


Índices ESG e suas performances

(1) O Índice ISE (Índice de Sustentabilidade Empresarial da B3) tem como objetivo ser o indicador do desempenho médio das cotações dos ativos de empresas com reconhecido comprometimento com o desenvolvimento sustentável, práticas e alinhamento estratégico com a sustentabilidade empresarial.
(2) O Índice S&P/B3 Brasil ESG mede a performance de títulos que cumprem critérios de sustentabilidade e é ponderado pelas pontuações ESG da S&P DJI. Ele exclui ações com base na sua participação em certas atividades comerciais, no seu desempenho em comparação com o Pacto Global da ONU e também cias sem pontuação ESG da S&P DJI.
(3) O ICO2 tem como propósito ser um instrumento indutor das discussões sobre mudança do clima no Brasil. A adesão das companhias ao ICO2 demonstra o comprometimento com a transparência de suas emissões e antecipa a visão de como estão se preparando para uma economia de baixo carbono.
(4) O objetivo do IGCT é ser o indicador do desempenho médio das cotações dos ativos de emissão de empresas integrantes do IGC que atendam aos critérios adicionais descritos nesta metodologia.
(5) A série de índices FTSE4Good foi projetada para medir o desempenho de empresas que demonstram fortes práticas ambientais, sociais e de governança (ESG).
(6)
O Índice MSCI ACWI, que representa o desempenho de todo o conjunto de ações de grande e médio porte do mundo, em 23 mercados desenvolvidos e 26 emergentes.


Nossos últimos relatórios

  • Como os investidores institucionais estão vendo o tema ESG? Feedback da nossa rodada de reuniões (link)
  • Hidrogênio Verde (H2V): O combustível do futuro? (link)
  • Brunch com ESG: AMER3 e BBAS3 em destaque; Conferência de Davos chega ao fim (link)
  • Radar ESG | Setor financeiro (BBAS3, BBDC4, BPAC11, B3SA3, ITUB4, SANB11): Sólida performance ESG, com espaço para melhoria na governança (link)
  • Retrospectiva ESG: 12 meses, 12 acontecimentos e 12 relatórios que você não pode perder (link)
  • Novo ano, nova carteira do ISE B3: Tudo o que você precisa saber (link)
  • Carteira ESG XP: Sem alterações no nosso portfólio para janeiro (link)
  • Nova resolução da CVM define regras ESG mais rígidas para companhias abertas (link)
  • Radar ESG | Papel e Celulose (SUZB3, KLBN11, RANI3): Bem posicionadas, apesar dos riscos ambientais acima da média (link)
  • Radar ESG | Vestuário Esportivo (SBFG3, TFCO4, VULC3): E no jogo ESG, quem vence? (link)
  • Radar ESG | DASA (DASA3): Bom desempenho ESG, com oportunidades de melhoria (link)
  • ESG: Top 5 tendências para 2023 (link)
  • Carteira ESG XP: Atualizando o nosso portfólio para dezembro (link)
  • COP27 chega ao fim; 5 principais destaques da conferência (link)
  • Copa do Mundo 2022: ESG escalado para entrar em campo? (link)
  • COP27: Três principais mensagens dos primeiros dias (link)
  • Ambev (ABEV3): Feedback webinar ESG; Destravando valor via a sustentabilidade (link)
  • Carteira ESG XP: Atualizando o nosso portfólio para novembro (link)
  • Radar ESG | PetroRio (PRIO3): Desenvolvendo as estratégias para atuar no campo ESG (link)
  • COP27: Um mês para a próxima conferência climática da ONU (link)
  • Aura Minerals (AURA33): Indo a campo; Principais destaques da visita ESG (link)
  • Carteira ESG XP: Duas alterações para o mês de outubro (link)
  • ESG & Telecom | 5G Insights; Capítulo 4: Como o uso do 5G pode impulsionar a descarbonização? (link)
  • Radar ESG | Eletrobras (ELET3): Mudanças que vêm para o bem; Melhorias ESG também estão por vir (link)
  • Radar ESG | Guararapes (GUAR3): Evoluindo em como vestir essa agenda (link)
  • Radar ESG | Zenvia (ZENV): Dando os primeiros passos na agenda ESG (link)
  • Radar ESG | Frigoríficos brasileiros: Em busca de maior sustentabilidade e melhor governança (BRFS3, JBSS3, MRFG3, BEEF3) (link)
  • ESG: Como os clientes institucionais estão evoluindo no tema? (link)
  • Carteira ESG XP: Sem alterações no nosso portfólio para setembro (link)
  • Raio-X das metas de emissões das companhias brasileiras (link)
  • Seleção BDRs ESG​: 15 nomes para exposição internacional ao tema (link)
  • ESG: Três aprendizados da Expert XP 2022 (link)
  • Carteira ESG XP: Sem alterações no nosso portfólio para julho (link)
  • Radar ESG | Alupar (ALUP11): Bem posicionada para se beneficiar da tendência da transição energética; esperamos mais por vir (link)
  • Radar ESG | Intelbras (INTB3): Agregando valor através de oportunidades em tecnologia limpa (link)
  • Radar ESG | Grupo Vittia (VITT3): Melhorando a sustentabilidade na agricultura (link)
  • Radar ESG | Mater Dei (MATD3): Já na rota ESG (link)
  • Crédito de Carbono: Governo publica decreto para regulamentar o mercado; Confira nossa análise (link)
  • Reunião com Joaquim Leite, Ministro do Meio Ambiente: Carbono e energia renovável centralizam as discussões (link)
  • Radar ESG | Ambipar (AMBP3): Sobre fazer parte solução (link)
  • Radar ESG | Raízen (RAIZ4): No caminho de um futuro mais verde (link)
  • Radar ESG | Cruzeiro do Sul (CSED3): No caminho certo (link)
  • Radar ESG | Juniores de O&G (RRRP3 e RECV3): Envolvidas com a agenda ESG, enquanto enfrentam ventos contrários ao setor (link)
  • Radar ESG | Petz (PETZ3): A caminho de se tornar uma empresa ESG para cachorro (link)
  • Carteira ESG XP: Uma alteração no nosso portfólio para abril (link)
  • Seis temas-chave no investimento ESG frente ao conflito Rússia/Ucrânia (link)
  • SEC anuncia proposta para divulgação obrigatória de dados climáticos; Positivo (link)
  • Update ESG | Petrobras (PETR4): Feedback do webinar sobre clima (link)
  • Radar ESG | Telefônica Brasil / Vivo (VIVT3): Conectando-se à agenda ESG (link)
  • Mulheres na liderança: Um olhar sobre a representatividade feminina nas empresas da B3 (link)
  • Carteira ESG XP: Uma alteração no nosso portfólio para março (link)
  • ISE B3: Um raio-X da nova carteira do Índice de Sustentabilidade da B3 (link)
  • Radar ESG | Panvel (PNVL3): Prescrevendo a agenda ESG (link)
  • Carteira ESG XP: Uma alteração no portfólio para fevereiro (link)
  • Radar ESG | Omega Energia (MEGA3): Líder em energia renovável, surfando a onda da sustentabilidade (link)
  • Radar ESG | Desktop (DESK3): No início da jornada ESG (link)
  • Carteira ESG XP: Sem alterações em nosso portfólio para janeiro (link)
  • Radar ESG | AgroGalaxy (AGXY3): Plantando as sementes ESG (link)
  • Radar ESG | Petrobras (PETR4): E o campo ESG, como a Petrobras está explorando? (link)
  • Radar ESG | Oncoclínicas (ONCO3): Ainda na sala de espera (link)
  • Radar ESG | Aviação Brasil (EMBR3, AZUL4 e GOLL4): Voando pelos ares ESG (link)
  • Radar ESG | Alpargatas (ALPA4): Iniciando a caminhada pela agenda ESG (link)
  • Radar ESG | Kepler Weber (KEPL3): Um começo promissor (link)
  • Radar ESG | TIM (TIMS3): Chamando a agenda ESG (link)
  • ESG: O que moldará os investimentos sustentáveis em 2022? (link)
  • Carteira ESG XP: Sem alterações em nosso portfólio para dezembro (link)
  • Radar ESG | Burger King Brasil (BKBR): Espaço para avanço na agenda, mas os planos ambiciosos adiante animam (link)
  • COP26: Implicações do documento final (link)
  • Expo Dubai: Buscando soluções diante de recursos finitos (link)
  • Expo Dubai: Todos os olhos voltados para o futuro da mobilidade (link)
  • Expo Dubai: Tecnologia e sustentabilidade centralizam os destaques do evento nesta terça-feira (link)
  • Expo Dubai: Três principais destaques do evento nesta segunda-feira, dia do Brasil na feira (link)
  • COP26: Um encontro decisivo para conter o aquecimento global (link)
  • Seleção BDRs ESG​: 15 nomes para exposição internacional ao tema (link)
  • Radar ESG | Kora Saúde (KRSA3): Ainda há um caminho a ser percorrido (link)
  • Radar ESG | Empresas de Autopeças: Preparando a estrada ESG; Governança e segurança em primeiro lugar (link)
  • Radar ESG | Unifique (FIQE3) e Brisanet (BRIT3): O que as empresas de telecomunicações brasileiras têm feito? (link)
  • Radar ESG | Natura&Co. (NTCO3): Não é apenas maquiagem; ESG é uma realidade! (link)
  • Vale (VALE3): Feedback do Webinar ESG; Todos os olhos voltados para a redução de riscos (link)
  • Radar ESG | Totvs (TOTS3): A melhor posicionada no setor de tecnologia sob a cobertura da XP (link)
  • Assembleia Geral da ONU: Cenário climático alarmante centraliza as discussões (link)
  • Amazônia: Entendendo a importância da maior floresta tropical do mundo (link)
  • ESG no centro das discussões; Três principais aprendizados da Expert XP 2021 (link)
  • Radar ESG | Companhia Brasileira de Alumínio (CBAV3): Uma líder em alumínio verde, com forte posicionamento ESG (link)
  • Relatório do IPCC: Um chamado para todos, inclusive para o mercado, frente a um cenário alarmante do clima (link)
  • Radar ESG | WEG (WEGE3): Um player ESG bem equipado para se beneficiar das tendências adiante (link)
  • Radar ESG | Boa Safra (SOJA3): Agenda ESG em produção, semente por semente (link)
  • Água: Onde há escassez, há oportunidade (link)
  • Radar ESG | Positivo (POSI3): Um trabalho em andamento (link)
  • B3 anuncia nova metodologia para o ISE; Positivo (link)
  • Radar ESG | G2D (G2DI33): Abraçando os pilares S e E através do portfólio de investimentos de impacto (link)
  • Ambev (ABEV3): Feedback do evento ESG; Reforçamos nossa visão positiva (link)
  • Radar ESG | Setor de infraestrutura (CCRO3, ECOR3, RAIL3, HBSA3, STBP3): Preparando o asfalto (link)
  • Crédito de carbono: Capturando parte da solução; 5 nomes para exposição ao tema (link)
  • Radar ESG | Incorporadoras de Imóveis Residenciais Populares: Construindo os andares ESG (link)
  • Radar ESG | Arezzo & Co. (ARZZ3): Caminhando com seus próprios passos pela agenda ESG (link)
  • Trilogia ESG (Pt. I): Um mergulho no pilar E; Três nomes que são parte da solução (link)
  • Radar ESG | Blau (BLAU3) e Hypera (HYPE3): Em busca da fórmula ESG (link)
  • Bitcoin e ESG: Entenda os dois lados da moeda (link)
  • Radar ESG | Bemobi (BMOB3): Diversidade é o nome do jogo (link)
  • Radar ESG | Setor de Logística (SIMH3, JSLG3 e VAMO3): Preparando-se para a estrada ESG (link)
  • Radar ESG | Laboratórios: ESG ainda na triagem; Fleury se destacando em relação aos pares (link)
  • Cúpula de Líderes sobre o Clima: Tecnologia, economia e agenda verde centralizam as discussões no segundo dia do evento (link)
  • Cúpula de Líderes sobre o Clima: Cooperação global é uma das três principais mensagens do evento (link)
  • Radar ESG | Locadoras de automóveis: Rumo à agenda ESG; Localiza liderando a corrida (link)
  • Radar ESG | São Martinho (SMTO3): Quanto mais se semeia, maior é a colheita (link)
  • Radar ESG | Orizon (ORVR3): Quando ESG está escrito no DNA (link)
  • Sondagem XP/ESG com investidores institucionais (link)
  • O melhor dos dois mundos: Seleção de 10 BDRs para exposição internacional ao tema ESG (link)
  • Radar ESG | Enjoei (ENJU3): O usado é o novo “novo”? (link)
  • Radar ESG | CSN Mineração (CMIN3): Explorando os campos ESG (link)
  • Radar ESG | Jalles (JALL3): Plantando as sementes ESG (link)
  • Radar ESG | Incorporadoras de alta renda: ESG ainda em construção (link)
  • Radar ESG | Setor de saúde: O ESG ainda está na sala de espera? (link)
  • Radar ESG | Quão sustentáveis são as empresas de e-commerce? Uma análise ESG dessas gigantes (link)
  • Radar ESG | IMC (MEAL3): Por que a empresa ainda tem muito espaço para melhorar? (link)
  • Radar ESG | Aeris (AERI3): Uma das empresas melhor posicionada para surfar o vento ESG (link)
  • Radar ESG | 3R Petroleum: Construindo um caminho que incorpora metas ESG (link)
  • Radar ESG | Setor de supermercados: Vale a pena encher o carrinho? (link)
  • Radar ESG | JHSF (JHSF3): Espaço para melhorias (link)
  • Radar ESG | Quem é o melhor aluno da classe? Avaliando os líderes em ESG dentre as empresas de educação no Brasil (link)
  • Panorama do marco regulatório de investimentos ESG no Brasil (link)
  • CVM e B3 estudam intensificar critérios ESG para as companhias listadas (link)
  • Radar ESG | Setor de vestuário e joias: ESG ainda na confecção (link)
  • ESG: Tendências e preferências para 2021 (link)
  • Radar ESG | LOG Commercial Properties (LOGG3): Oportunidades em empreendimentos verdes (link)
  • Eleições americanas: Quais os efeitos para a agenda ESG nos EUA e no Brasil? (link)
  • Radar ESG | Farmácias: Raia Drogasil como a ação prescrita no setor para exposição a ESG (link)
  • Radar ESG | Shoppings: Entenda o que importa para eles quando o tema é ESG (link)
  • Radar ESG | Ambev (ABEV3): Um case que desce redondo (link)
  • Feedback do roadshow ESG: O que as gestoras no Brasil estão fazendo em relação ao tema? (link)
  • ESG de A a Z: Tudo o que você precisa saber sobre o tema (link)

Ainda não tem conta na XP? Clique aqui e abra a sua!

XP Expert

Avaliação

O quão foi útil este conteúdo pra você?


Newsletter
Newsletter

Gostaria de receber nossos conteúdos por e-mail?

Cadastre-se e receba grátis nossos relatórios e recomendações de investimentos

A XP Investimentos CCTVM S/A, inscrita sob o CNPJ: 02.332.886/0001-04, é uma instituição financeira autorizada a funcionar pelo Banco Central do Brasil.Toda comunicação através de rede mundial de computadores está sujeita a interrupções ou atrasos, podendo impedir ou prejudicar o envio de ordens ou a recepção de informações atualizadas. A XP Investimentos exime-se de responsabilidade por danos sofridos por seus clientes, por força de falha de serviços disponibilizados por terceiros. A XP Investimentos CCTVM S/A é instituição autorizada a funcionar pelo Banco Central do Brasil.


Este site usa cookies e dados pessoais de acordo com a nossa Política de Cookies (gerencie suas preferências de cookies) e a nossa Política de Privacidade.