XP Expert

Bolsas globais lançam diretrizes para ações verdes | Café com ESG, 24/03

Federação Mundial de Bolsas avança na agenda verde; Unipar investe no pilar (S) do ESG

Compartilhar:

  • Compartilhar no Facebook
  • Compartilhar no Twitter
  • Compartilhar no Whatsapp
  • Compartilhar no LinkedIn
  • Compartilhar via E-mail

Bom dia! Neste relatório diário publicado todas as manhãs pelo time ESG do Research da XP, buscamos trazer as últimas notícias para que você comece o dia bem informado e fique por dentro do que o Brasil e o mundo fala sobre um tema que tem ficado cada vez mais relevante: ESG – do termo em inglês Environmental, Social and Governance ou, em português, ASG – Ambiental, Social e Governança.

Quais tópicos abordamos ao longo do conteúdo? (i) Notícias no Brasil e no mundo acerca do tema ESG; (ii) Performance histórica dos principais índices ESG em diferentes países; (iii) Comparativo da performance do Ibovespa vs. ISE (Índice de Sustentabilidade Empresarial, da B3); e (iv) Lista com os últimos relatórios publicados pelo Research ESG da XP.
Por que essas informações são importantes? 
Porque elas indicam os temas dentro da agenda ESG que estão sendo cada vez mais monitoradas por parte dos investidores e das empresas, e podem impactar os preços das ações de diferentes companhias.

Esperamos que aproveite a leitura!

Principais tópicos do dia

O mercado encerrou o pregão de quinta-feira pelo segundo dia consecutivo em território negativo, com o Ibov e o ISE em queda de -2,27% e -2,44%, respectivamente.

No Brasil, (i) a Unipar, líder na produção de cloro e soda da América do Sul e segunda maior produtora de PVC da região, pretende investir R$ 15 milhões em mais de 40 projetos sociais ao longo do ano, que juntos têm o potencial de impactar 900 mil pessoas – em suas diretrizes de sustentabilidade, a companhia definiu as áreas de saneamento e desenvolvimento humano como prioridades para seu investimento social; e (ii) a Votorantim e o Canada Pension Plan Investment Board (CPPIB) fecharam uma nova sociedade para investir em transição energética – conhecida como Floen, a joint venture será investidora de companhias que atuam desde hidrogênio verde a biocombustíveis para alavancar quem já tem modelo de negócio testado, mas que precisam de capital, técnica e governança para ganhar porte.

No internacional, a Federação Mundial de Bolsas (WFE, na sigla em inglês) lançou ontem um documento com diretrizes para rotular ações de empresas como “verdes” com o intuito de ajudar a canalizar recursos para negócios sustentáveis e, ao mesmo tempo, oferecer parâmetros para que o investidor se proteja do greenwashing – as regras foram bem recebidas por profissionais da área de finanças sustentáveis, embora haja dúvidas sobre a velocidade com que diferentes bolsas poderão adotá-las.  

Gostaria de receber os relatórios ESG por e-mailClique aqui.
Gostou do conteúdo, tem alguma dúvida ou quer nos enviar uma sugestão? Basta deixar um comentário no final do post!


XPInc CTA

Abra a sua conta na XP Investimentos!

XPInc CTA

Receba conteúdos da Expert pelo Telegram!

Brasil

Empresas

Votorantim e CPPIB criam Floen para acelerar transição energética

“Parceiros em outras empreitadas, a Votorantim e o Canada Pension Plan Investment Board (CPPIB) fecharam uma nova sociedade para investir em transição energética. A Floen será investidora de companhias que atuam desde hidrogênio verde a biocombustíveis, e tem mandato também para eventualmente levantar uma operação do zero. Quem vai comandar a nova empresa é Raphaella Gomes, que foi diretora de transição energética e investimentos na Raízen e CEO da Raízen Geo Biogás. A Floen quer alavancar companhias que já tenham modelo de negócio testado, em escala comercial, mas que precisam de capital, técnica e governança para ganhar porte. Os sócios não abrem a disposição de investimento na sociedade, que é meio a meio, mas dizem que a ambição é grande. “Olhando nosso ecossistema de empresas e as características do Brasil, vimos a oportunidade de investir de forma temática. É claro que, dado o perfil dos sócios e a demanda de capital para transição energética, tem que ser um negócio grande. Vamos fazer isso para escalar e ser relevante”, diz João Schmidt, presidente da Votorantim.”

Fonte: Valor Econômico, 23/03/2023

43 projetos sociais: o “S” do ESG da Unipar

“A Unipar vai investir em 43 projetos sociais este ano, que juntos têm o potencial de impactar 900 mil pessoas. A líder na produção de cloro e soda da América do Sul e segunda maior produtora de PVC da região pretende investir R$ 15 milhões nesses projetos – que envolvem as áreas de educação, cultura, esportes e ação social. Em suas diretrizes de sustentabilidade, a Unipar definiu as áreas de saneamento e desenvolvimento humano como prioridades para seu investimento social. A meta da empresa é impactar 2 milhões de pessoas entre 2022 e 2025, com um olhar especial para as comunidades no entorno de suas operações. “Queremos mobilizar todo o nosso ecossistema para potencializar e tornar mais impactante cada ação, atuando como um agente de transformação por um mundo mais sustentável,” disse o CEO Mauricio Russomanno. “Este movimento está em linha com nosso propósito de ser confiável em todas as nossas relações. E naturalmente, para ser confiável uma empresa tem que ser sustentável.” Como produtora de cloro e PVC, a Unipar está participando ativamente da democratização do saneamento no Brasil, que começou a ganhar tração com a aprovação do novo Marco Legal do setor.”

Fonte: Brazil Journal, 23/03/2023

CEO da Dexco: sustentabilidade não é marketing é sobrevivência

“Na última semana, durante os dias 14 a 17 de março, a São Paulo Expo recebeu a Expo Revestir, uma feira promovida pela Associação Nacional dos Fabricantes de Cerâmica para Revestimentos, Louças Sanitárias e Congêneres (Anfacer). Ali, nos mais de 60 mil metros quadrados do local, estava localizada a Cidade Dexco, com mostras e estandes especiais sobre as louças, madeiras e revestimentos oferecidos pela marca. A antiga Duratex, agora Dexco, começou suas atividades há mais de 70 anos. Hoje, a companhia conta com 18 plantas em 16 cidades diferentes com 13 mil funcionários e une marcas como Deca, Portinari, Hydra, Duratex, Castelatto, Ceusa e Durafloor. Durante entrevista para a EXAME ESG, o CEO da Dexco, Antonio Joaquim de Oliveira, disse: “O caminho da construção em direção à sustentabilidade não é só um tema de marketing ou de atratividade, mas é um tema de sobrevivência, porque ele vai combater essencialmente o desperdício, vai tender a ter obras mais rápidas e eficientes em termos de consumo de capital de consumo de materiais””

Fonte: Exame, 23/03/2023

Política

A Foz do Amazonas é a nova fronteira do petróleo. Isso se Marina deixar

““Eu estou olhando para esse desafio do petróleo na Foz do Amazonas do mesmo jeito que olhei para Belo Monte,” disse Marina Silva, a ministra do Meio Ambiente e Mudança do Clima, em uma entrevista recente à agência Sumaúma. Desde seu retorno ao governo, Marina tem sido pressionada por ativistas ambientais a se opor terminantemente à exploração de petróleo nas águas profundas da Bacia da Foz do Amazonas, a dezenas de quilômetros da costa. Essa região encontra-se em uma área que deverá concentrar os novos investimentos em exploração do petróleo nos mares brasileiros. Isso, se Marina deixar. Pelas declarações da ministra, muito provavelmente o cenário adiante fará lembrar as disputas que culminaram com seu pedido de demissão do governo Lula em 2008 – justamente por causa da divergência em relação ao modelo de desenvolvimento para a Amazônia.”

Fonte: Brazil Journal, 23/03/2023

Internacional

Empresas

Bolsas criam padrão para que empresas listem ‘green equities’

“Depois dos green bonds, as green equities. Bolsas de valores do mundo todo, inclusive a brasileira B3, decidiram criar diretrizes para rotular ações de empresas como “verdes”. A ideia do framework lançado hoje pela Federação Mundial de Bolsas (WFE, na sigla em inglês) é ajudar a canalizar recursos para negócios sustentáveis e, ao mesmo tempo, oferecer parâmetros para que o investidor se proteja do chamado greenwashing. As regras foram bem recebidas por profissionais da área de finanças sustentáveis, embora haja dúvidas sobre a velocidade com que diferentes bolsas poderão adotá-las. Como as diretrizes são bem gerais, dão margem para que cada bolsa crie um padrão próprio para definir quais ações listadas poderão ser consideradas verdes, o que poderá dificultar a comparabilidade entre papéis negociados em diferentes mercados. No documento, a WFE afirma que a intenção é fazer com que o mercado de capitais progrida em direção a uma economia sustentável, de forma semelhante ao que acontece com a oferta de títulos de dívida.”

Fonte: Capital Reset, 23/03/2023

BlackRock continuará questionando conselhos sobre riscos climáticos ‘materiais’

“A BlackRock, maior gestora de ativos do mundo, disse na quinta-feira que continuará pressionando as empresas para obter detalhes sobre como elas tratam os riscos “materiais” relacionados ao clima, apesar das críticas de alguns políticos dos EUA por sua posição sobre a transição energética. Os comentários continuam a tentativa da BlackRock de caminhar em uma linha intermediária entre os republicanos que dizem que ela supervalorizou os fatores ambientais, sociais e de governança no investimento, e os acionistas ativistas e outros investidores que dizem que a gestora de ativos de US$ 8,6 trilhões deveria pressionar as empresas com mais força para lidar com as questões climáticas. Em uma declaração sobre as áreas prioritárias nas quais se concentrará nas negociações com as empresas no início da temporada para reuniões anuais da empresa, a BlackRock disse que, embora tenha refinado parte da linguagem que usa, nada de substantivo mudou. Especificamente, concentraria seus compromissos com as empresas do portfólio em tópicos como qualidade e eficácia a bordo; estratégia, propósito e resiliência financeira de uma empresa; incentivos executivos; riscos relacionados ao clima e capital natural; e o impacto de uma empresa sobre as pessoas, especialmente seus trabalhadores.”

Fonte: Reuters, 23/03/2023

Novo CEO da Starbucks pede cuidado com funcionários em meio a conflitos trabalhistas

“A Starbucks, que tem enfrentado críticas por sua oposição à organização sindical, quer ser “um tipo diferente de empresa” que cuida de seus funcionários da linha de frente, disse o novo CEO Laxman Narasimhan aos funcionários na quinta-feira antes da reunião anual da rede de cafés. Em uma carta aos trabalhadores, Narasimhan disse que o desempenho da Starbucks foi forte, mas a empresa precisa fortalecer sua saúde. “Devemos cuidar” da equipe voltada para o cliente, escreveu ele. “Nós nos esforçamos para ser um tipo diferente de empresa operando em um tipo diferente de mundo”, disse ele, acrescentando que a Starbucks planeja “revigorar” sua cultura de funcionários. Seus comentários foram feitos um dia depois que os funcionários da Starbucks deixaram o trabalho em 100 lojas nos Estados Unidos, e um vídeo postado pelo sindicato nas redes sociais mostrou centenas de ativistas marchando em protesto do lado de fora da sede da empresa.”

Fonte: Reuters, 23/03/2023

Franklin Templeton e Akamai defendem investimentos sustentáveis ​​em meio à reação contrária

“Grandes empresas, incluindo a gestora de ativos Franklin Templeton (BEN.N) e a provedora de serviços da web Akamai Technologies Inc (AKAM.O), juntaram-se a um esforço na quinta-feira para defender as práticas de investimento sustentável de uma reação dos políticos republicanos dos EUA. As empresas assinaram uma declaração que também recebeu apoio de líderes de grandes fundos de pensão nos estados de tendência democrata de Nova York e Califórnia, e de investidores religiosos e progressistas. Os signatários prometeram que estão “totalmente comprometidos com a sustentabilidade e abordando os impactos financeiros das mudanças climáticas” e pediram aos formuladores de políticas que “protejam a liberdade de investir com responsabilidade”. A pressão está aumentando de muitos lados antes das decisões, incluindo orientações há muito esperadas para divulgações relacionadas ao clima das empresas, que a Comissão de Valores Mobiliários dos EUA deve emitir possivelmente já no próximo mês.

Fonte: Reuters, 24/03/2023


Índices ESG e suas performances

(1) O Índice ISE (Índice de Sustentabilidade Empresarial da B3) tem como objetivo ser o indicador do desempenho médio das cotações dos ativos de empresas com reconhecido comprometimento com o desenvolvimento sustentável, práticas e alinhamento estratégico com a sustentabilidade empresarial.
(2) O Índice S&P/B3 Brasil ESG mede a performance de títulos que cumprem critérios de sustentabilidade e é ponderado pelas pontuações ESG da S&P DJI. Ele exclui ações com base na sua participação em certas atividades comerciais, no seu desempenho em comparação com o Pacto Global da ONU e também cias sem pontuação ESG da S&P DJI.
(3) O ICO2 tem como propósito ser um instrumento indutor das discussões sobre mudança do clima no Brasil. A adesão das companhias ao ICO2 demonstra o comprometimento com a transparência de suas emissões e antecipa a visão de como estão se preparando para uma economia de baixo carbono.
(4) O objetivo do IGCT é ser o indicador do desempenho médio das cotações dos ativos de emissão de empresas integrantes do IGC que atendam aos critérios adicionais descritos nesta metodologia.
(5) A série de índices FTSE4Good foi projetada para medir o desempenho de empresas que demonstram fortes práticas ambientais, sociais e de governança (ESG).
(6)
O Índice MSCI ACWI, que representa o desempenho de todo o conjunto de ações de grande e médio porte do mundo, em 23 mercados desenvolvidos e 26 emergentes.


Nossos últimos relatórios

  • Como os investidores institucionais estão vendo o tema ESG? Feedback da nossa rodada de reuniões (link)
  • Hidrogênio Verde (H2V): O combustível do futuro? (link)
  • Brunch com ESG: AMER3 e BBAS3 em destaque; Conferência de Davos chega ao fim (link)
  • Radar ESG | Setor financeiro (BBAS3, BBDC4, BPAC11, B3SA3, ITUB4, SANB11): Sólida performance ESG, com espaço para melhoria na governança (link)
  • Retrospectiva ESG: 12 meses, 12 acontecimentos e 12 relatórios que você não pode perder (link)
  • Novo ano, nova carteira do ISE B3: Tudo o que você precisa saber (link)
  • Carteira ESG XP: Sem alterações no nosso portfólio para janeiro (link)
  • Nova resolução da CVM define regras ESG mais rígidas para companhias abertas (link)
  • Radar ESG | Papel e Celulose (SUZB3, KLBN11, RANI3): Bem posicionadas, apesar dos riscos ambientais acima da média (link)
  • Radar ESG | Vestuário Esportivo (SBFG3, TFCO4, VULC3): E no jogo ESG, quem vence? (link)
  • Radar ESG | DASA (DASA3): Bom desempenho ESG, com oportunidades de melhoria (link)
  • ESG: Top 5 tendências para 2023 (link)
  • Carteira ESG XP: Atualizando o nosso portfólio para dezembro (link)
  • COP27 chega ao fim; 5 principais destaques da conferência (link)
  • Copa do Mundo 2022: ESG escalado para entrar em campo? (link)
  • COP27: Três principais mensagens dos primeiros dias (link)
  • Ambev (ABEV3): Feedback webinar ESG; Destravando valor via a sustentabilidade (link)
  • Carteira ESG XP: Atualizando o nosso portfólio para novembro (link)
  • Radar ESG | PetroRio (PRIO3): Desenvolvendo as estratégias para atuar no campo ESG (link)
  • COP27: Um mês para a próxima conferência climática da ONU (link)
  • Aura Minerals (AURA33): Indo a campo; Principais destaques da visita ESG (link)
  • Carteira ESG XP: Duas alterações para o mês de outubro (link)
  • ESG & Telecom | 5G Insights; Capítulo 4: Como o uso do 5G pode impulsionar a descarbonização? (link)
  • Radar ESG | Eletrobras (ELET3): Mudanças que vêm para o bem; Melhorias ESG também estão por vir (link)
  • Radar ESG | Guararapes (GUAR3): Evoluindo em como vestir essa agenda (link)
  • Radar ESG | Zenvia (ZENV): Dando os primeiros passos na agenda ESG (link)
  • Radar ESG | Frigoríficos brasileiros: Em busca de maior sustentabilidade e melhor governança (BRFS3, JBSS3, MRFG3, BEEF3) (link)
  • ESG: Como os clientes institucionais estão evoluindo no tema? (link)
  • Carteira ESG XP: Sem alterações no nosso portfólio para setembro (link)
  • Raio-X das metas de emissões das companhias brasileiras (link)
  • Seleção BDRs ESG​: 15 nomes para exposição internacional ao tema (link)
  • ESG: Três aprendizados da Expert XP 2022 (link)
  • Carteira ESG XP: Sem alterações no nosso portfólio para julho (link)
  • Radar ESG | Alupar (ALUP11): Bem posicionada para se beneficiar da tendência da transição energética; esperamos mais por vir (link)
  • Radar ESG | Intelbras (INTB3): Agregando valor através de oportunidades em tecnologia limpa (link)
  • Radar ESG | Grupo Vittia (VITT3): Melhorando a sustentabilidade na agricultura (link)
  • Radar ESG | Mater Dei (MATD3): Já na rota ESG (link)
  • Crédito de Carbono: Governo publica decreto para regulamentar o mercado; Confira nossa análise (link)
  • Reunião com Joaquim Leite, Ministro do Meio Ambiente: Carbono e energia renovável centralizam as discussões (link)
  • Radar ESG | Ambipar (AMBP3): Sobre fazer parte solução (link)
  • Radar ESG | Raízen (RAIZ4): No caminho de um futuro mais verde (link)
  • Radar ESG | Cruzeiro do Sul (CSED3): No caminho certo (link)
  • Radar ESG | Juniores de O&G (RRRP3 e RECV3): Envolvidas com a agenda ESG, enquanto enfrentam ventos contrários ao setor (link)
  • Radar ESG | Petz (PETZ3): A caminho de se tornar uma empresa ESG para cachorro (link)
  • Carteira ESG XP: Uma alteração no nosso portfólio para abril (link)
  • Seis temas-chave no investimento ESG frente ao conflito Rússia/Ucrânia (link)
  • SEC anuncia proposta para divulgação obrigatória de dados climáticos; Positivo (link)
  • Update ESG | Petrobras (PETR4): Feedback do webinar sobre clima (link)
  • Radar ESG | Telefônica Brasil / Vivo (VIVT3): Conectando-se à agenda ESG (link)
  • Mulheres na liderança: Um olhar sobre a representatividade feminina nas empresas da B3 (link)
  • Carteira ESG XP: Uma alteração no nosso portfólio para março (link)
  • ISE B3: Um raio-X da nova carteira do Índice de Sustentabilidade da B3 (link)
  • Radar ESG | Panvel (PNVL3): Prescrevendo a agenda ESG (link)
  • Carteira ESG XP: Uma alteração no portfólio para fevereiro (link)
  • Radar ESG | Omega Energia (MEGA3): Líder em energia renovável, surfando a onda da sustentabilidade (link)
  • Radar ESG | Desktop (DESK3): No início da jornada ESG (link)
  • Carteira ESG XP: Sem alterações em nosso portfólio para janeiro (link)
  • Radar ESG | AgroGalaxy (AGXY3): Plantando as sementes ESG (link)
  • Radar ESG | Petrobras (PETR4): E o campo ESG, como a Petrobras está explorando? (link)
  • Radar ESG | Oncoclínicas (ONCO3): Ainda na sala de espera (link)
  • Radar ESG | Aviação Brasil (EMBR3, AZUL4 e GOLL4): Voando pelos ares ESG (link)
  • Radar ESG | Alpargatas (ALPA4): Iniciando a caminhada pela agenda ESG (link)
  • Radar ESG | Kepler Weber (KEPL3): Um começo promissor (link)
  • Radar ESG | TIM (TIMS3): Chamando a agenda ESG (link)
  • ESG: O que moldará os investimentos sustentáveis em 2022? (link)
  • Carteira ESG XP: Sem alterações em nosso portfólio para dezembro (link)
  • Radar ESG | Burger King Brasil (BKBR): Espaço para avanço na agenda, mas os planos ambiciosos adiante animam (link)
  • COP26: Implicações do documento final (link)
  • Expo Dubai: Buscando soluções diante de recursos finitos (link)
  • Expo Dubai: Todos os olhos voltados para o futuro da mobilidade (link)
  • Expo Dubai: Tecnologia e sustentabilidade centralizam os destaques do evento nesta terça-feira (link)
  • Expo Dubai: Três principais destaques do evento nesta segunda-feira, dia do Brasil na feira (link)
  • COP26: Um encontro decisivo para conter o aquecimento global (link)
  • Seleção BDRs ESG​: 15 nomes para exposição internacional ao tema (link)
  • Radar ESG | Kora Saúde (KRSA3): Ainda há um caminho a ser percorrido (link)
  • Radar ESG | Empresas de Autopeças: Preparando a estrada ESG; Governança e segurança em primeiro lugar (link)
  • Radar ESG | Unifique (FIQE3) e Brisanet (BRIT3): O que as empresas de telecomunicações brasileiras têm feito? (link)
  • Radar ESG | Natura&Co. (NTCO3): Não é apenas maquiagem; ESG é uma realidade! (link)
  • Vale (VALE3): Feedback do Webinar ESG; Todos os olhos voltados para a redução de riscos (link)
  • Radar ESG | Totvs (TOTS3): A melhor posicionada no setor de tecnologia sob a cobertura da XP (link)
  • Assembleia Geral da ONU: Cenário climático alarmante centraliza as discussões (link)
  • Amazônia: Entendendo a importância da maior floresta tropical do mundo (link)
  • ESG no centro das discussões; Três principais aprendizados da Expert XP 2021 (link)
  • Radar ESG | Companhia Brasileira de Alumínio (CBAV3): Uma líder em alumínio verde, com forte posicionamento ESG (link)
  • Relatório do IPCC: Um chamado para todos, inclusive para o mercado, frente a um cenário alarmante do clima (link)
  • Radar ESG | WEG (WEGE3): Um player ESG bem equipado para se beneficiar das tendências adiante (link)
  • Radar ESG | Boa Safra (SOJA3): Agenda ESG em produção, semente por semente (link)
  • Água: Onde há escassez, há oportunidade (link)
  • Radar ESG | Positivo (POSI3): Um trabalho em andamento (link)
  • B3 anuncia nova metodologia para o ISE; Positivo (link)
  • Radar ESG | G2D (G2DI33): Abraçando os pilares S e E através do portfólio de investimentos de impacto (link)
  • Ambev (ABEV3): Feedback do evento ESG; Reforçamos nossa visão positiva (link)
  • Radar ESG | Setor de infraestrutura (CCRO3, ECOR3, RAIL3, HBSA3, STBP3): Preparando o asfalto (link)
  • Crédito de carbono: Capturando parte da solução; 5 nomes para exposição ao tema (link)
  • Radar ESG | Incorporadoras de Imóveis Residenciais Populares: Construindo os andares ESG (link)
  • Radar ESG | Arezzo & Co. (ARZZ3): Caminhando com seus próprios passos pela agenda ESG (link)
  • Trilogia ESG (Pt. I): Um mergulho no pilar E; Três nomes que são parte da solução (link)
  • Radar ESG | Blau (BLAU3) e Hypera (HYPE3): Em busca da fórmula ESG (link)
  • Bitcoin e ESG: Entenda os dois lados da moeda (link)
  • Radar ESG | Bemobi (BMOB3): Diversidade é o nome do jogo (link)
  • Radar ESG | Setor de Logística (SIMH3, JSLG3 e VAMO3): Preparando-se para a estrada ESG (link)
  • Radar ESG | Laboratórios: ESG ainda na triagem; Fleury se destacando em relação aos pares (link)
  • Cúpula de Líderes sobre o Clima: Tecnologia, economia e agenda verde centralizam as discussões no segundo dia do evento (link)
  • Cúpula de Líderes sobre o Clima: Cooperação global é uma das três principais mensagens do evento (link)
  • Radar ESG | Locadoras de automóveis: Rumo à agenda ESG; Localiza liderando a corrida (link)
  • Radar ESG | São Martinho (SMTO3): Quanto mais se semeia, maior é a colheita (link)
  • Radar ESG | Orizon (ORVR3): Quando ESG está escrito no DNA (link)
  • Sondagem XP/ESG com investidores institucionais (link)
  • O melhor dos dois mundos: Seleção de 10 BDRs para exposição internacional ao tema ESG (link)
  • Radar ESG | Enjoei (ENJU3): O usado é o novo “novo”? (link)
  • Radar ESG | CSN Mineração (CMIN3): Explorando os campos ESG (link)
  • Radar ESG | Jalles (JALL3): Plantando as sementes ESG (link)
  • Radar ESG | Incorporadoras de alta renda: ESG ainda em construção (link)
  • Radar ESG | Setor de saúde: O ESG ainda está na sala de espera? (link)
  • Radar ESG | Quão sustentáveis são as empresas de e-commerce? Uma análise ESG dessas gigantes (link)
  • Radar ESG | IMC (MEAL3): Por que a empresa ainda tem muito espaço para melhorar? (link)
  • Radar ESG | Aeris (AERI3): Uma das empresas melhor posicionada para surfar o vento ESG (link)
  • Radar ESG | 3R Petroleum: Construindo um caminho que incorpora metas ESG (link)
  • Radar ESG | Setor de supermercados: Vale a pena encher o carrinho? (link)
  • Radar ESG | JHSF (JHSF3): Espaço para melhorias (link)
  • Radar ESG | Quem é o melhor aluno da classe? Avaliando os líderes em ESG dentre as empresas de educação no Brasil (link)
  • Panorama do marco regulatório de investimentos ESG no Brasil (link)
  • CVM e B3 estudam intensificar critérios ESG para as companhias listadas (link)
  • Radar ESG | Setor de vestuário e joias: ESG ainda na confecção (link)
  • ESG: Tendências e preferências para 2021 (link)
  • Radar ESG | LOG Commercial Properties (LOGG3): Oportunidades em empreendimentos verdes (link)
  • Eleições americanas: Quais os efeitos para a agenda ESG nos EUA e no Brasil? (link)
  • Radar ESG | Farmácias: Raia Drogasil como a ação prescrita no setor para exposição a ESG (link)
  • Radar ESG | Shoppings: Entenda o que importa para eles quando o tema é ESG (link)
  • Radar ESG | Ambev (ABEV3): Um case que desce redondo (link)
  • Feedback do roadshow ESG: O que as gestoras no Brasil estão fazendo em relação ao tema? (link)
  • ESG de A a Z: Tudo o que você precisa saber sobre o tema (link)

Ainda não tem conta na XP? Clique aqui e abra a sua!

XP Expert

Avaliação

O quão foi útil este conteúdo pra você?


Newsletter
Newsletter

Gostaria de receber nossos conteúdos por e-mail?

Cadastre-se e receba grátis nossos relatórios e recomendações de investimentos

A XP Investimentos CCTVM S/A, inscrita sob o CNPJ: 02.332.886/0001-04, é uma instituição financeira autorizada a funcionar pelo Banco Central do Brasil.Toda comunicação através de rede mundial de computadores está sujeita a interrupções ou atrasos, podendo impedir ou prejudicar o envio de ordens ou a recepção de informações atualizadas. A XP Investimentos exime-se de responsabilidade por danos sofridos por seus clientes, por força de falha de serviços disponibilizados por terceiros. A XP Investimentos CCTVM S/A é instituição autorizada a funcionar pelo Banco Central do Brasil.


Este site usa cookies e dados pessoais de acordo com a nossa Política de Cookies (gerencie suas preferências de cookies) e a nossa Política de Privacidade.