XP Expert

Embrapa quer quantificar soja de baixo carbono | Café com ESG, 12/04

Embrapa avança em metodologia para quantificar a emissão de carbono na soja; Apple anuncia investimento adicional para Fundo de Restauração

Compartilhar:

  • Compartilhar no Facebook
  • Compartilhar no Twitter
  • Compartilhar no Whatsapp
  • Compartilhar no LinkedIn
  • Compartilhar via E-mail

Bom dia! Neste relatório diário publicado todas as manhãs pelo time ESG do Research da XP, buscamos trazer as últimas notícias para que você comece o dia bem informado e fique por dentro do que o Brasil e o mundo fala sobre um tema que tem ficado cada vez mais relevante: ESG – do termo em inglês Environmental, Social and Governance ou, em português, ASG – Ambiental, Social e Governança.

Quais tópicos abordamos ao longo do conteúdo? (i) Notícias no Brasil e no mundo acerca do tema ESG; (ii) Performance histórica dos principais índices ESG em diferentes países; (iii) Comparativo da performance do Ibovespa vs. ISE (Índice de Sustentabilidade Empresarial, da B3); e (iv) Lista com os últimos relatórios publicados pelo Research ESG da XP.
Por que essas informações são importantes? 
Porque elas indicam os temas dentro da agenda ESG que estão sendo cada vez mais monitoradas por parte dos investidores e das empresas, e podem impactar os preços das ações de diferentes companhias.

Esperamos que aproveite a leitura!

Principais tópicos do dia

O mercado encerrou o pregão de terça-feira em território positivo, com o Ibov e o ISE em forte alta de +4,28% e +4,19%, respectivamente.

• No Brasil, (i) o Banco do Brasil fará uma emissão de bônus no exterior, com metas de sustentabilidade e com prazo de 7 anos para o financiamento de projetos ambientais e sociais – os mercados de emissão externa são mais ativos no início do ano, mas estavam fechados até a semana passada, quando o governo brasileiro realizou uma emissão soberana e abriu caminho para as empresas; e (ii) a Embrapa está elaborando uma metodologia para quantificar a emissão de carbono na produção brasileira de soja em cada propriedade e emitir um selo que certifique os agricultores que alcançarem resultados melhores que a média entre seus pares – a iniciativa, apresentada ontem, busca dar uma resposta à pressão de governos e consumidores pela redução do impacto da principal cultura brasileira no clima.

• No internacional, a Apple anunciou ontem que investirá US$ 200 milhões adicionais em seu Fundo de Restauração, dobrando seu compromisso financeiro criado inicialmente em 2021 de apoiar projetos que removem carbono da atmosfera – a expectativa é de remoção de cerca de 1 milhão de toneladas métricas de dióxido de carbono por ano, com o Fundo já tendo investido em propriedades florestais em países da América Latina, incluindo o Brasil.

Gostaria de receber os relatórios ESG por e-mailClique aqui.
Gostou do conteúdo, tem alguma dúvida ou quer nos enviar uma sugestão? Basta deixar um comentário no final do post!


XPInc CTA

Abra a sua conta na XP Investimentos!

XPInc CTA

Receba conteúdos da Expert pelo Telegram!

Brasil

Empresas

Soja de baixo carbono terá diretrizes e selo

“A Embrapa está elaborando uma metodologia para quantificar a emissão de carbono na produção brasileira de soja em cada propriedade e emitir um selo que certifique os agricultores que alcançarem resultados melhores que a média entre seus pares. A iniciativa, apresentada ontem na Expolondrina, busca dar uma resposta à pressão de governos e consumidores pela redução do impacto da principal cultura brasileira no clima, mas ainda não vai contabilizar o peso do desmatamento, que é o principal fator de emissões de gases de efeito estufa do país e maior foco da preocupação da comunidade internacional. A apresentação das diretrizes da metodologia deverá ocorrer ainda neste semestre, e elas entrarão em testes a partir da próxima safra de soja (2023/24), que começará a ser plantada em outubro. Os critérios serão avaliados ao longo de três safras. A expectativa é que a metodologia e a marca do selo “soja baixo carbono” estejam consolidados em 2026. A ideia da Embrapa é que o selo da soja de baixo carbono torne-se um aval para que o produtor rural obtenha vantagens financeiras, como facilidade no acesso a crédito ou via pagamentos por serviços ambientais, o que algumas grandes companhias do agronegócio já fazem.”

Fonte: Valor Econômico, 12/04/2023

BB fará emissão de bônus no exterior com meta de sustentabilidade, diz fonte

“O Banco do Brasil fará uma emissão de bônus no exterior, com metas de sustentabilidade, segundo o Valor apurou. Os papéis terão prazo de 7 anos e taxa inicial estimada entre 6,875% e 7%. A emissão é definida como “benchmark”, o que geralmente significa que deve ficar entre US$ 500 milhões e US$ 1 bilhão. A oferta recebeu rating Ba2 da Moody’s e BB- da Fitch e é liderada por UBS BB, BNP Paribas, BofA e Bradesco BBI. Os mercados de emissão externa são mais ativos no início do ano, mas estavam fechados até a semana passada, quando o governo brasileiro realizou uma emissão soberana e abriu caminho para as empresas, com as estatais tradicionalmente puxando a fila. Segundo prospecto da emissão, o BB pretende usar os recursos para o financiamento e/ou refinanciamento de projetos ambientais e sociais existentes ou futuros que atendam aos critérios de elegibilidade estabelecidos. Embora quase todos os projetos ambientais e sociais de sustentabilidade sejam elegíveis para uso dos recursos, o banco pretende inicialmente se concentrar em projetos que envolvam financiamento de energia renovável; e financiamento de micro, pequenas e médias empresas, especialmente para o empoderamento e avanço socioeconômico de empresas lideradas por mulheres.”

Fonte: Valor Econômico, 11/04/2023

Energytechs ajudam empresas a controlar gasto de energia

“A conta de luz é um dos gastos obrigatórios que preocupam as empresas, ainda mais se elas contam com inúmeros pontos de venda e unidades. Assim, otimizar o consumo de energia elétrica pode levar à economia de recursos em grande escala, além de ajudar a cumprir as metas ESG (ambientais, sociais e de governança). De olho nesse mercado, startups criaram sensores e plataformas de monitoramento para reconhecer problemas no consumo e ajudar a economizar. Os aparelhos criados normalmente são pequenos, funcionam com bateria própria e são instalados sobre máquinas que consomem muita energia, como o ar condicionado. A partir daí, medem o gasto de energia e conseguem detectar se há desperdício ou algum ponto na utilização que pode ser melhorado. Por meio de wi-fi e internet das coisas, os dados sobem para uma plataforma online, à qual os clientes têm acesso. De acordo com Bruno Arcuri, CEO da Diel Energia, o próprio aparelho faz toda a análise e traz quinzenalmente o relatório que a plataforma identificou de problemas.”

Fonte: Terra, 11/04/2023

9 em cada 10 pessoas acreditam que o consumo consciente e sustentável pode fazer diferença, mostra pesquisa

“Empresas que adotam medidas para reduzir seu impacto ambiental e divulgam essas ações estão ganhando destaque em um mercado que tem consumidores cada vez mais conscientes, preocupados com o que consomem e que estão buscando informações sobre produtos e marcas que possuem práticas sustentáveis. Um levantamento feito pela Ecglobal, empresa de soluções de pesquisa no mercado digital da América Latina, com 7.695 participantes da comunidade temática Você Em Casa, constatou que o setor alimentício é o mais lembrado quando se trata de consumo consciente. De um total de 42 marcas mencionadas, lideram o ranking as marcas de alimentos com 48% das menções, seguido por beleza e os cuidados pessoais com 38% e 16% das menções para as demais categorias. Dos participantes consultados, 68% são mulheres de 25 a 44 anos, 66% moram na região Sudeste, 55% no Nordeste e os demais estão no Norte , Sul e Centro-Oeste. E a tendência é que essa preocupação ambiental continue.”

Fonte: Valor Econômico, 11/04/2023

Projeto quer levar a internet de Musk a 5 mil povos da Amazônia

“Há poucas semanas, dez comunidades Yanomami receberam uma encomenda incomum: uma antena da Starlink, a empresa de comunicação via satélite do bilionário Elon Musk, e um kit de energia solar. Foi o primeiro passo de um ambicioso projeto que pretende até 2025 levar internet rápida para as mais de 4,5 comunidades indígenas, quilombolas e ribeirinhas existentes na Amazônia Legal. Batizada de Conexão Povos da Floresta, a iniciativa deve consumir investimentos estimados em US$ 100 milhões para conectar 1 milhão de pessoas, espalhadas por uma área de 116 milhões de hectares. A ideia é que a internet seja uma ferramenta de transformação social para a região, permitindo o acesso a saúde, educação e oportunidades profissionais e, com isso, ajudando na conservação da floresta. O projeto é liderado por Tasso Azevedo, do MapBiomas, e foi idealizado por três organizações sociais:  Coordenação das Organizações Indígenas da Amazônia Brasileira (Coiab), Coordenação Nacional de Articulação das Comunidades Negras Rurais Quilombolas (Conaq) e Conselho Nacional das Populações Extrativistas (CNS).”

Fonte: Capital Reset, 12/04/2023

Internacional

Empresas

Manter combustíveis fósseis custaria US$ 14 trilhões, diz Musk

“Para que o mundo passe a usar fontes de energia totalmente limpas são necessários investimentos de US$ 10 trilhões, mas a contínua dependência de combustíveis fósseis custaria cerca de US$ 14 trilhões, segundo Elon Musk. Uma construção em massa de fábricas de painéis solares e refinarias de metal é necessária nos próximos 20 anos para geração de energia renovável e capacidade de armazenamento de eletricidade que alimentem a economia global apenas com energia livre de carbono, segundo o Plano Diretor Parte 3 da Tesla publicado nesta quinta-feira. O “white paper” detalha a visão de Musk para um mundo sem combustíveis fósseis, delineada pela primeira vez durante o dia do investidor no mês passado. “A Terra vai migrar para uma economia de energia sustentável”, disse Musk durante o evento em Austin, no Texas. “E isso acontecerá durante sua existência.” A Tesla vê redes aperfeiçoadas movidas com energia eólica e solar, matrizes globais de fazendas de baterias e cavernas subterrâneas de hidrogênio para armazenar energia, uma reformulação de indústrias pesadas como aço e fabricação de cimento, além de casas e empresas aquecidas ou resfriadas com bombas de calor.”

Fonte: Exame, 11/04/2023

Apple investirá mais US$ 200 milhões em fundo de remoção de carbono

“A Apple Inc (AAPL.O) disse na terça-feira que dobrou seu compromisso financeiro com um fundo que havia estabelecido há dois anos para investir em projetos que removem carbono da atmosfera. A fabricante do iPhone disse que investirá até US$ 200 milhões adicionais em seu Fundo de Restauração, criado em 2021 com um compromisso inicial de US$ 200 milhões. Espera-se que o investimento adicional ajude o fundo a iniciar novos projetos e dobrar sua meta declarada anteriormente de remover cerca de 1 milhão de toneladas métricas de dióxido de carbono por ano, disse a empresa. A Apple está se esforçando para se tornar neutra em carbono em toda a sua cadeia de suprimentos e no ciclo de vida de todos os produtos até 2030. O fundo, lançado com o Goldman Sachs Group Inc (GS.N) e a organização sem fins lucrativos Conservation International, investiu em propriedades florestais no Brasil e no Paraguai nos últimos dois anos. O fundo expandido será administrado pela Climate Asset Management, uma joint venture do HSBC Asset Management and Pollination, acrescentou a Apple.”

Fonte: Reuters, 11/04/2023

Como os relatórios ESG da UE afetarão as empresas dos EUA

“A União Europeia está atualmente trabalhando em padrões de relatórios sustentáveis ​​para empresas da UE. Isso faz parte de um esforço contínuo para melhorar a regulamentação ambiental, social e de governança (ESG). Ele também abordou questões mais amplas de lavagem verde por empresas que desejam parecer mais ambientalmente conscientes do que realmente são. A primeira onda de padrões de relatórios ESG se concentra em empresas de capital aberto. Assim que esses padrões de relatórios estiverem em vigor e estabelecidos, a UE expandirá os requisitos de relatórios para pequenas e médias empresas ou PMEs. O progresso em relação aos relatórios de PME diminuiu, pois o desenvolvimento foi deixado de lado em favor de maior clareza nos padrões das empresas de capital aberto. As corporações expressaram preocupação de que os novos padrões, elaborados pelo European Financial Reporting Advisory Group ou EFRAG, não fossem claros, um problema comum com ESG. O EFRAG estava se movendo em direção a padrões específicos do setor ERSC, ou padrões a serem usados ​​por diferentes indústrias, mas Mairead McGuinness, a Comissária Europeia para Estabilidade Financeira, Serviços Financeiros e União dos Mercados de Capitais, afirmou recentemente que a Comissão Européia instruiu o EFRAG a mudar para uma abordagem mais clara orientação para os padrões de relatórios atuais.”

Fonte: Forbes, 11/04/2023

Demanda de energia nos EUA deve cair 1% em 2023 com clima mais ameno

“Espera-se que o consumo de energia dos EUA caia cerca de 1% em 2023 em relação ao ano anterior, à medida que o clima mais ameno desacelera o uso em relação ao recorde atingido em 2022, disse a Administração de Informação de Energia dos EUA (EIA) em seu Short-Term Energy Outlook (STEO) na terça-feira. A EIA projetou que a demanda de eletricidade está a caminho de cair para 4.000 bilhões de quilowatts-hora (kWh) em 2023, de uma alta histórica de 4.048 bilhões de quilowatts-hora (kWh) em 2022, antes de subir para 4.062 bilhões de kWh em 2024, à medida que o crescimento econômico aumenta. Prevê-se que menos demanda, juntamente com mais geração de eletricidade a partir de fontes de energia renováveis ​​baratas e preços mais baixos de gás natural, reduzam os preços de energia no atacado este ano, disse a EIA. Espera-se que o preço de atacado no pico do norte no mercado de energia ERCOT do Texas seja em média de US$ 35 por megawatt-hora (MWh) em 2023, em comparação com uma média de quase US$ 80/MWh em 2022.”

Fonte: Reuters, 11/04/2023

Política

EUA propõem redução de 56% nas emissões de veículos até 2032, exigindo um grande salto de veículos elétricos

“A Agência de Proteção Ambiental dos EUA (EPA) propôs na quarta-feira cortes abrangentes de emissões para carros e caminhões novos até 2032, uma medida que a agência diz que pode significar que dois em cada três novos veículos que as montadoras vendem serão elétricos dentro de uma década. A proposta, se finalizada, representa o plano de redução de emissões de veículos dos EUA mais agressivo até o momento, exigindo cortes médios anuais de poluição de 13%. A EPA também está propondo novos padrões de emissões mais rigorosos para caminhões médios e pesados até 2032. A EPA projeta que as regras do ano-modelo 2027-2032 reduziriam mais de 9 bilhões de toneladas de emissões de CO2 até 2055 – o equivalente a mais do que o dobro das emissões totais de CO2 dos EUA no ano passado. A agência estima que os benefícios líquidos da proposta até 2055 variam de US$ 850 bilhões a US$ 1,6 trilhão. A proposta é mais ambiciosa do que a meta do presidente Joe Biden para 2021, apoiada pelas montadoras, que buscam que 50% dos novos veículos até 2030 sejam veículos elétricos (EVs) ou híbridos plug-in.”

Fonte: Reuters, 12/04/2023


Índices ESG e suas performances

(1) O Índice ISE (Índice de Sustentabilidade Empresarial da B3) tem como objetivo ser o indicador do desempenho médio das cotações dos ativos de empresas com reconhecido comprometimento com o desenvolvimento sustentável, práticas e alinhamento estratégico com a sustentabilidade empresarial.
(2) O Índice S&P/B3 Brasil ESG mede a performance de títulos que cumprem critérios de sustentabilidade e é ponderado pelas pontuações ESG da S&P DJI. Ele exclui ações com base na sua participação em certas atividades comerciais, no seu desempenho em comparação com o Pacto Global da ONU e também cias sem pontuação ESG da S&P DJI.
(3) O ICO2 tem como propósito ser um instrumento indutor das discussões sobre mudança do clima no Brasil. A adesão das companhias ao ICO2 demonstra o comprometimento com a transparência de suas emissões e antecipa a visão de como estão se preparando para uma economia de baixo carbono.
(4) O objetivo do IGCT é ser o indicador do desempenho médio das cotações dos ativos de emissão de empresas integrantes do IGC que atendam aos critérios adicionais descritos nesta metodologia.
(5) A série de índices FTSE4Good foi projetada para medir o desempenho de empresas que demonstram fortes práticas ambientais, sociais e de governança (ESG).
(6)
O Índice MSCI ACWI, que representa o desempenho de todo o conjunto de ações de grande e médio porte do mundo, em 23 mercados desenvolvidos e 26 emergentes.


Nossos últimos relatórios

  • Como os investidores institucionais estão vendo o tema ESG? Feedback da nossa rodada de reuniões (link)
  • Hidrogênio Verde (H2V): O combustível do futuro? (link)
  • Brunch com ESG: AMER3 e BBAS3 em destaque; Conferência de Davos chega ao fim (link)
  • Radar ESG | Setor financeiro (BBAS3, BBDC4, BPAC11, B3SA3, ITUB4, SANB11): Sólida performance ESG, com espaço para melhoria na governança (link)
  • Retrospectiva ESG: 12 meses, 12 acontecimentos e 12 relatórios que você não pode perder (link)
  • Novo ano, nova carteira do ISE B3: Tudo o que você precisa saber (link)
  • Carteira ESG XP: Sem alterações no nosso portfólio para janeiro (link)
  • Nova resolução da CVM define regras ESG mais rígidas para companhias abertas (link)
  • Radar ESG | Papel e Celulose (SUZB3, KLBN11, RANI3): Bem posicionadas, apesar dos riscos ambientais acima da média (link)
  • Radar ESG | Vestuário Esportivo (SBFG3, TFCO4, VULC3): E no jogo ESG, quem vence? (link)
  • Radar ESG | DASA (DASA3): Bom desempenho ESG, com oportunidades de melhoria (link)
  • ESG: Top 5 tendências para 2023 (link)
  • Carteira ESG XP: Atualizando o nosso portfólio para dezembro (link)
  • COP27 chega ao fim; 5 principais destaques da conferência (link)
  • Copa do Mundo 2022: ESG escalado para entrar em campo? (link)
  • COP27: Três principais mensagens dos primeiros dias (link)
  • Ambev (ABEV3): Feedback webinar ESG; Destravando valor via a sustentabilidade (link)
  • Carteira ESG XP: Atualizando o nosso portfólio para novembro (link)
  • Radar ESG | PetroRio (PRIO3): Desenvolvendo as estratégias para atuar no campo ESG (link)
  • COP27: Um mês para a próxima conferência climática da ONU (link)
  • Aura Minerals (AURA33): Indo a campo; Principais destaques da visita ESG (link)
  • Carteira ESG XP: Duas alterações para o mês de outubro (link)
  • ESG & Telecom | 5G Insights; Capítulo 4: Como o uso do 5G pode impulsionar a descarbonização? (link)
  • Radar ESG | Eletrobras (ELET3): Mudanças que vêm para o bem; Melhorias ESG também estão por vir (link)
  • Radar ESG | Guararapes (GUAR3): Evoluindo em como vestir essa agenda (link)
  • Radar ESG | Zenvia (ZENV): Dando os primeiros passos na agenda ESG (link)
  • Radar ESG | Frigoríficos brasileiros: Em busca de maior sustentabilidade e melhor governança (BRFS3, JBSS3, MRFG3, BEEF3) (link)
  • ESG: Como os clientes institucionais estão evoluindo no tema? (link)
  • Carteira ESG XP: Sem alterações no nosso portfólio para setembro (link)
  • Raio-X das metas de emissões das companhias brasileiras (link)
  • Seleção BDRs ESG​: 15 nomes para exposição internacional ao tema (link)
  • ESG: Três aprendizados da Expert XP 2022 (link)
  • Carteira ESG XP: Sem alterações no nosso portfólio para julho (link)
  • Radar ESG | Alupar (ALUP11): Bem posicionada para se beneficiar da tendência da transição energética; esperamos mais por vir (link)
  • Radar ESG | Intelbras (INTB3): Agregando valor através de oportunidades em tecnologia limpa (link)
  • Radar ESG | Grupo Vittia (VITT3): Melhorando a sustentabilidade na agricultura (link)
  • Radar ESG | Mater Dei (MATD3): Já na rota ESG (link)
  • Crédito de Carbono: Governo publica decreto para regulamentar o mercado; Confira nossa análise (link)
  • Reunião com Joaquim Leite, Ministro do Meio Ambiente: Carbono e energia renovável centralizam as discussões (link)
  • Radar ESG | Ambipar (AMBP3): Sobre fazer parte solução (link)
  • Radar ESG | Raízen (RAIZ4): No caminho de um futuro mais verde (link)
  • Radar ESG | Cruzeiro do Sul (CSED3): No caminho certo (link)
  • Radar ESG | Juniores de O&G (RRRP3 e RECV3): Envolvidas com a agenda ESG, enquanto enfrentam ventos contrários ao setor (link)
  • Radar ESG | Petz (PETZ3): A caminho de se tornar uma empresa ESG para cachorro (link)
  • Carteira ESG XP: Uma alteração no nosso portfólio para abril (link)
  • Seis temas-chave no investimento ESG frente ao conflito Rússia/Ucrânia (link)
  • SEC anuncia proposta para divulgação obrigatória de dados climáticos; Positivo (link)
  • Update ESG | Petrobras (PETR4): Feedback do webinar sobre clima (link)
  • Radar ESG | Telefônica Brasil / Vivo (VIVT3): Conectando-se à agenda ESG (link)
  • Mulheres na liderança: Um olhar sobre a representatividade feminina nas empresas da B3 (link)
  • Carteira ESG XP: Uma alteração no nosso portfólio para março (link)
  • ISE B3: Um raio-X da nova carteira do Índice de Sustentabilidade da B3 (link)
  • Radar ESG | Panvel (PNVL3): Prescrevendo a agenda ESG (link)
  • Carteira ESG XP: Uma alteração no portfólio para fevereiro (link)
  • Radar ESG | Omega Energia (MEGA3): Líder em energia renovável, surfando a onda da sustentabilidade (link)
  • Radar ESG | Desktop (DESK3): No início da jornada ESG (link)
  • Carteira ESG XP: Sem alterações em nosso portfólio para janeiro (link)
  • Radar ESG | AgroGalaxy (AGXY3): Plantando as sementes ESG (link)
  • Radar ESG | Petrobras (PETR4): E o campo ESG, como a Petrobras está explorando? (link)
  • Radar ESG | Oncoclínicas (ONCO3): Ainda na sala de espera (link)
  • Radar ESG | Aviação Brasil (EMBR3, AZUL4 e GOLL4): Voando pelos ares ESG (link)
  • Radar ESG | Alpargatas (ALPA4): Iniciando a caminhada pela agenda ESG (link)
  • Radar ESG | Kepler Weber (KEPL3): Um começo promissor (link)
  • Radar ESG | TIM (TIMS3): Chamando a agenda ESG (link)
  • ESG: O que moldará os investimentos sustentáveis em 2022? (link)
  • Carteira ESG XP: Sem alterações em nosso portfólio para dezembro (link)
  • Radar ESG | Burger King Brasil (BKBR): Espaço para avanço na agenda, mas os planos ambiciosos adiante animam (link)
  • COP26: Implicações do documento final (link)
  • Expo Dubai: Buscando soluções diante de recursos finitos (link)
  • Expo Dubai: Todos os olhos voltados para o futuro da mobilidade (link)
  • Expo Dubai: Tecnologia e sustentabilidade centralizam os destaques do evento nesta terça-feira (link)
  • Expo Dubai: Três principais destaques do evento nesta segunda-feira, dia do Brasil na feira (link)
  • COP26: Um encontro decisivo para conter o aquecimento global (link)
  • Seleção BDRs ESG​: 15 nomes para exposição internacional ao tema (link)
  • Radar ESG | Kora Saúde (KRSA3): Ainda há um caminho a ser percorrido (link)
  • Radar ESG | Empresas de Autopeças: Preparando a estrada ESG; Governança e segurança em primeiro lugar (link)
  • Radar ESG | Unifique (FIQE3) e Brisanet (BRIT3): O que as empresas de telecomunicações brasileiras têm feito? (link)
  • Radar ESG | Natura&Co. (NTCO3): Não é apenas maquiagem; ESG é uma realidade! (link)
  • Vale (VALE3): Feedback do Webinar ESG; Todos os olhos voltados para a redução de riscos (link)
  • Radar ESG | Totvs (TOTS3): A melhor posicionada no setor de tecnologia sob a cobertura da XP (link)
  • Assembleia Geral da ONU: Cenário climático alarmante centraliza as discussões (link)
  • Amazônia: Entendendo a importância da maior floresta tropical do mundo (link)
  • ESG no centro das discussões; Três principais aprendizados da Expert XP 2021 (link)
  • Radar ESG | Companhia Brasileira de Alumínio (CBAV3): Uma líder em alumínio verde, com forte posicionamento ESG (link)
  • Relatório do IPCC: Um chamado para todos, inclusive para o mercado, frente a um cenário alarmante do clima (link)
  • Radar ESG | WEG (WEGE3): Um player ESG bem equipado para se beneficiar das tendências adiante (link)
  • Radar ESG | Boa Safra (SOJA3): Agenda ESG em produção, semente por semente (link)
  • Água: Onde há escassez, há oportunidade (link)
  • Radar ESG | Positivo (POSI3): Um trabalho em andamento (link)
  • B3 anuncia nova metodologia para o ISE; Positivo (link)
  • Radar ESG | G2D (G2DI33): Abraçando os pilares S e E através do portfólio de investimentos de impacto (link)
  • Ambev (ABEV3): Feedback do evento ESG; Reforçamos nossa visão positiva (link)
  • Radar ESG | Setor de infraestrutura (CCRO3, ECOR3, RAIL3, HBSA3, STBP3): Preparando o asfalto (link)
  • Crédito de carbono: Capturando parte da solução; 5 nomes para exposição ao tema (link)
  • Radar ESG | Incorporadoras de Imóveis Residenciais Populares: Construindo os andares ESG (link)
  • Radar ESG | Arezzo & Co. (ARZZ3): Caminhando com seus próprios passos pela agenda ESG (link)
  • Trilogia ESG (Pt. I): Um mergulho no pilar E; Três nomes que são parte da solução (link)
  • Radar ESG | Blau (BLAU3) e Hypera (HYPE3): Em busca da fórmula ESG (link)
  • Bitcoin e ESG: Entenda os dois lados da moeda (link)
  • Radar ESG | Bemobi (BMOB3): Diversidade é o nome do jogo (link)
  • Radar ESG | Setor de Logística (SIMH3, JSLG3 e VAMO3): Preparando-se para a estrada ESG (link)
  • Radar ESG | Laboratórios: ESG ainda na triagem; Fleury se destacando em relação aos pares (link)
  • Cúpula de Líderes sobre o Clima: Tecnologia, economia e agenda verde centralizam as discussões no segundo dia do evento (link)
  • Cúpula de Líderes sobre o Clima: Cooperação global é uma das três principais mensagens do evento (link)
  • Radar ESG | Locadoras de automóveis: Rumo à agenda ESG; Localiza liderando a corrida (link)
  • Radar ESG | São Martinho (SMTO3): Quanto mais se semeia, maior é a colheita (link)
  • Radar ESG | Orizon (ORVR3): Quando ESG está escrito no DNA (link)
  • Sondagem XP/ESG com investidores institucionais (link)
  • O melhor dos dois mundos: Seleção de 10 BDRs para exposição internacional ao tema ESG (link)
  • Radar ESG | Enjoei (ENJU3): O usado é o novo “novo”? (link)
  • Radar ESG | CSN Mineração (CMIN3): Explorando os campos ESG (link)
  • Radar ESG | Jalles (JALL3): Plantando as sementes ESG (link)
  • Radar ESG | Incorporadoras de alta renda: ESG ainda em construção (link)
  • Radar ESG | Setor de saúde: O ESG ainda está na sala de espera? (link)
  • Radar ESG | Quão sustentáveis são as empresas de e-commerce? Uma análise ESG dessas gigantes (link)
  • Radar ESG | IMC (MEAL3): Por que a empresa ainda tem muito espaço para melhorar? (link)
  • Radar ESG | Aeris (AERI3): Uma das empresas melhor posicionada para surfar o vento ESG (link)
  • Radar ESG | 3R Petroleum: Construindo um caminho que incorpora metas ESG (link)
  • Radar ESG | Setor de supermercados: Vale a pena encher o carrinho? (link)
  • Radar ESG | JHSF (JHSF3): Espaço para melhorias (link)
  • Radar ESG | Quem é o melhor aluno da classe? Avaliando os líderes em ESG dentre as empresas de educação no Brasil (link)
  • Panorama do marco regulatório de investimentos ESG no Brasil (link)
  • CVM e B3 estudam intensificar critérios ESG para as companhias listadas (link)
  • Radar ESG | Setor de vestuário e joias: ESG ainda na confecção (link)
  • ESG: Tendências e preferências para 2021 (link)
  • Radar ESG | LOG Commercial Properties (LOGG3): Oportunidades em empreendimentos verdes (link)
  • Eleições americanas: Quais os efeitos para a agenda ESG nos EUA e no Brasil? (link)
  • Radar ESG | Farmácias: Raia Drogasil como a ação prescrita no setor para exposição a ESG (link)
  • Radar ESG | Shoppings: Entenda o que importa para eles quando o tema é ESG (link)
  • Radar ESG | Ambev (ABEV3): Um case que desce redondo (link)
  • Feedback do roadshow ESG: O que as gestoras no Brasil estão fazendo em relação ao tema? (link)
  • ESG de A a Z: Tudo o que você precisa saber sobre o tema (link)

Ainda não tem conta na XP? Clique aqui e abra a sua!

XP Expert

Avaliação

O quão foi útil este conteúdo pra você?


Newsletter
Newsletter

Gostaria de receber nossos conteúdos por e-mail?

Cadastre-se e receba grátis nossos relatórios e recomendações de investimentos

A XP Investimentos CCTVM S/A, inscrita sob o CNPJ: 02.332.886/0001-04, é uma instituição financeira autorizada a funcionar pelo Banco Central do Brasil.Toda comunicação através de rede mundial de computadores está sujeita a interrupções ou atrasos, podendo impedir ou prejudicar o envio de ordens ou a recepção de informações atualizadas. A XP Investimentos exime-se de responsabilidade por danos sofridos por seus clientes, por força de falha de serviços disponibilizados por terceiros. A XP Investimentos CCTVM S/A é instituição autorizada a funcionar pelo Banco Central do Brasil.


Este site usa cookies e dados pessoais de acordo com a nossa Política de Cookies (gerencie suas preferências de cookies) e a nossa Política de Privacidade.