XP Expert

Ambipar avança no mercado de crédito de carbono | Café com ESG, 03/03

Ambipar desenvolve projeto para comercializar créditos de carbono; Mercedes-Benz investe em baterias recicláveis em nova fábrica na Alemanha

Compartilhar:

  • Compartilhar no Facebook
  • Compartilhar no Twitter
  • Compartilhar no Whatsapp
  • Compartilhar no LinkedIn
  • Compartilhar via E-mail

Bom dia! Neste relatório diário publicado todas as manhãs pelo time ESG do Research da XP, buscamos trazer as últimas notícias para que você comece o dia bem informado e fique por dentro do que o Brasil e o mundo fala sobre um tema que tem ficado cada vez mais relevante: ESG – do termo em inglês Environmental, Social and Governance ou, em português, ASG – Ambiental, Social e Governança.

Quais tópicos abordamos ao longo do conteúdo? (i) Notícias no Brasil e no mundo acerca do tema ESG; (ii) Performance histórica dos principais índices ESG em diferentes países; (iii) Comparativo da performance do Ibovespa vs. ISE (Índice de Sustentabilidade Empresarial, da B3); e (iv) Lista com os últimos relatórios publicados pelo Research ESG da XP.
Por que essas informações são importantes? 
Porque elas indicam os temas dentro da agenda ESG que estão sendo cada vez mais monitoradas por parte dos investidores e das empresas, e podem impactar os preços das ações de diferentes companhias.

Esperamos que aproveite a leitura!

Principais tópicos do dia

O mercado encerrou o pregão de quinta-feira em queda, com o Ibov e o ISE recuando -1,01% e -0,56%, respectivamente.

• No Brasil, a Biofílica, empresa comprada em julho de 2021 pela Ambipar e uma das pioneiras na gestão de projetos de carbono florestal, desenvolveu um projeto para comercializar créditos de carbono que prevê o replantio de 75 mil hectares de vegetação nativa da Mata Atlântica até 2040 em 30 municípios – diferente de como é feito hoje, a venda dos créditos será antecipada e a um preço fixo, que cobre o custo do plantio e trato das mudas até a pega, além da margem da Biofílica Ambipar.

• No internacional, (i) a Mercedes-Benz deu início a construção de uma nova fábrica sustentável de baterias recicláveis na Alemanha – a planta piloto terá uma capacidade anual de 2.500 toneladas e contribuirá para a produção de mais de 50K módulos de bateria para novos veículos elétricos da montadora; e (ii) Joe Biden deve vetar uma decisão do Congresso americano que tenta impedir que gestores de fundos de pensão favoreçam critérios ambientais, sociais e de governança (ESG) em seus investimentos – sendo o primeiro veto do presidente americano em mais de dois anos de mandato.

Gostaria de receber os relatórios ESG por e-mailClique aqui.
Gostou do conteúdo, tem alguma dúvida ou quer nos enviar uma sugestão? Basta deixar um comentário no final do post!


XPInc CTA

Abra a sua conta na XP Investimentos!

XPInc CTA

Receba conteúdos da Expert pelo Telegram!

Brasil

Empresas

Na Ambipar, crédito de carbono dá escala a reflorestamento da Mata Atlântica

“O Brasil vive um boom de negócios de reflorestamento para sequestro de carbono, com uma série de novas empresas surgindo e investidores e empresas de peso envolvidos. Em comum, todos ainda terão que se provar e superar os desafios de execução para escalar a atividade. Em meio a esse cenário, um projeto para recompor um trecho de Mata Atlântica no Estado de São Paulo já tem resultados a apresentar. Desenvolvido pela Biofílica Ambipar em parceria com o Instituto de Pesquisas Ecológicas (IPÊ), o projeto Corredores de Vida já recuperou 2 mil hectares de vegetação nativa com o plantio de mais de 4 milhões de árvores, na região do Pontal do Paranapanema, no extremo Oeste paulista. Maior caso de restauro do país até hoje, o projeto não é novo. Nasceu há 17 anos pelas mãos do instituto IPÊ e até hoje andou com recursos filantrópicos. A novidade é que, desde 2021, a Biofílica Ambipar se juntou a ele para criar uma nova equação financeira.”

Fonte: Capital Reset, 03/03/2023

Emissão de dívidas de empresas para financiar projetos ESG cai 38% no Brasil em 2022

“A consultoria Nint, especializada em questões socioambientais, calculou a quantidade de vezes em que empresas brasileiras emitiram dívida para financiar questões e projetos ESG (ambientais, sociais e de governança corporativa, na sigla em inglês), e o valor total dessas operações em 2022. De acordo com o relatório, os números apresentaram uma queda, tanto no total arrecadado quanto no número de operações, puxados principalmente pelo menor interesse de investidores estrangeiros. Em 2022, foram realizadas 79 operações por empresas brasileiras, que arrecadaram R$ 58 bilhões – uma redução de 38% nos recursos em relação ao ano anterior, que teve 121 emissões. No mercado nacional, as operações cresceram para R$ 39 bilhões (+39%), enquanto internacionalmente foram investidos R$ 15 bilhões, queda de 75% na comparação com 2021. A diferença entre os resultados nacional e internacional pode ser explicada por alguns fatores. Um é que foi um ano complicado para o mercado de renda fixa de forma geral; outro são as incertezas do mercado internacional com fatores como a guerra na Ucrânia e as eleições de 2022 – situação parecida já havia ocorrido antes 2018, de acordo com o relatório da Nint.”

Fonte: Estadão, 02/03/2023

Heineken amplia compromissos socioambientais para sua nova fábrica, em MG

“Com a expectativa de iniciar neste mês as obras de sua mais nova fábrica, que ficará em Passos (MG), a fabricante de cervejas Heineken resolveu assumir mais compromissos em prol do meio ambiente e da comunidade local, em complemento às ações anunciadas anteriormente, quando desistiu de instalar a fábrica em Pedro Leopoldo, na região metropolitana de Belo Horizonte, a capital mineira. Entre as iniciativas, está uma parceria com a Fundação SOS Mata Atlântica para desenvolvimento de um programa permanente de recuperação e conservação florestal de áreas com função hídrica – preferencialmente em parques e reservas da região – por meio do fomento de viveiros para produção de mudas nativas. O trabalho também será fortalecido com o incentivo de iniciativas e organizações locais. A cervejaria também passará a fazer parte do Programa Produtor de Águas da Agência Nacional de Águas (ANA), apoiando o Projeto Bocaina de Pagamento por Serviços Ambientais, que visa apoiar propriedades rurais localizadas na bacia que abastece a população da cidade.”

Fonte: Exame, 02/03/2023

Empresas de TI deverão valorizar mais fornecedores com boas práticas ESG, diz pesquisa

Uma pesquisa realizada pela Gartner prevê que, até 2026, a sustentabilidade ambiental será uma das prioridades para 70% das empresas que contratam serviços de TI. Ao todo, foram ouvidas 221 empresas da América do Norte, Europa e Ásia com faturamento anual de pelo menos U$250 milhões. Além disso, quatro em cada cinco líderes afirmam que a sustentabilidade ajudou a organização em que trabalham a otimizar e reduzir custos, e 83% apontam que atividades relacionadas ao tema criaram diretamente valor de curto e longo prazo para a companhia. Stephen White, diretor analista sênior da Gartner, acredita que, devido ao crescimento da demanda por tecnologias digitais, as empresas de TI serão desafiadas a fazer reduções de emissões de gases de efeito estufa, uso de fontes de energia renováveis e sua circulação, consumo de energia minimizado e utilização eficiente de água. “O fornecimento e a aquisição de tecnologia sustentável levarão em consideração os impactos ambientais de cada organização, garantindo fornecedores que operam e oferecem sustentabilidade por meio da redução desses danos”, afirma.”

Fonte: Valor Econômico, 03/03/2023

Marcelo Braga, da IBM: Apesar do revés, o setor de tecnologia deve crescer 6,2% em 2023

A busca por soluções tecnológicas e modernizações é o foco das companhias em 2023. Segundo pesquisa global da IBM, 78% das lideranças corporativas realizarão investimentos em tecnologia nos próximos 12 meses – o percentual é maior do que em países como Estados Unidos, Alemanha, Reino Unido e Japão. Com essa perspectiva significativa para o cenário brasileiro, os principais fatores externos que estão impulsionando o investimento em tecnologia no País são riscos cibernéticos (32%), mudanças de mercado (29%) e pressões ambientais devido à agenda ESG (26%). Entre os fatores que estão dificultando ou desacelerando os investimentos em tecnologia, a inflação lidera com 30%. É olhando para essas frentes que a centenária IBM no Brasil trabalha para impulsionar os negócios e expandir o portfólio dos clientes. Segundo Marcelo Braga, presidente da companhia no país, da grande à pequena, as organizações estão ávidas por organizar a casa em um momento de incerteza global.”

Fonte: Exame, 02/03/2023

Política

No G20, ministro Vieira defende agro do Brasil e cobra financiamento dos países ricos ao meio ambiente

Em discurso na reunião de ministros das Relações Exteriores do G20, em Nova Delhi, o chanceler Mauro Vieira fez uma defesa do agronegócio brasileiro e cobrou mais agilidade dos países ricos em financiar políticas de preservação do meio ambiente. Também fez um apelo para a reforma do Conselho de Segurança das Nações Unidas. De acordo com ele, o Brasil tem uma das mais sustentáveis agriculturas e pecuárias do planeta, e o governo está comprometido com o combate às mudanças climáticas. Alertou, contudo, para a importância da normalização da produção e do comércio de fertilizantes. O agronegócio brasileiro ainda tem grande dependência dos fertilizantes vindos da Rússia. Vieira se reuniu em Nova Delhi com o chanceler russo, Sergey Lavrov, com quem debateu, entre outras coisas, a posição do Brasil diante da guerra na Ucrânia. Segundo Vieira, os países desenvolvidos devem acelerar o apoio financeiro às políticas de combate às mudanças climáticas. Esta semana, a ministra do Meio Ambiente, Marina Silva, tratou da adesão dos Estados Unidos ao Fundo Amazônia com o enviado da Casa Branca para o clima, John Kerry.”

Fonte: Valor Econômico, 02/03/2023

Opinião

A Onda dos litígios climáticos corporativos

A emergência climática é uma realidade palpável. Fenômenos climáticos extremos cada vez mais intensos e frequentes já impactam grande parte da população e confirmam as previsões do IPCC de que a temperatura global está aumentando, com graves impactos para a biodiversidade, os ecossistemas, e as pessoas, em especial aquelas em situação de vulnerabilidade. Mas ninguém está a salvo: as mudanças climáticas impactam a economia de forma absolutamente contundente – segundo a Deloitte, apenas na América do Sul as perdas podem chegar a US$ 17 trilhões até 2070. Nesse cenário, a descarbonização da economia emerge como um dever incontornável, que hoje se reflete na due dilligence ambiental, na criação de selos verdes, na regulamentação do mercado de carbono e nos compromissos com a redução de emissões de gases de efeito estufa. Considerando que o setor privado é responsável pela maior parte dessas emissões, é certo que as empresas têm um papel fundamental a desempenhar.”

Fonte: Valor Econômico, 02/03/2023

Internacional

Empresas

Mercedes-Benz começa a construir fábrica de reciclagem de baterias no sul da Alemanha

“A Mercedes-Benz (MBGn.DE) lançou a pedra fundamental de uma fábrica sustentável de reciclagem de baterias em Kuppenheim, no sul da Alemanha, na sexta-feira. A planta piloto terá uma capacidade anual de 2500 toneladas e contribuirá para a produção de mais de 50.000 módulos de bateria para novos veículos elétricos Mercedes-Benz. As baterias recicladas virão de veículos de teste e baterias de arranque. Com base no sucesso do piloto, os volumes de produção poderiam ser ampliados a médio e longo prazo. O comissionamento da primeira etapa da planta – desmontagem mecânica – está previsto para começar em dezembro deste ano. Sujeita a conversações com o sector público, a fábrica-piloto será concluída alguns meses mais tarde. A usina de Kuppenheim já opera uma operação neutra em CO2 com eletricidade solar e verde. Sua construção está sendo financiada como parte de um projeto de pesquisa científica pelo Ministério Federal da Economia e Proteção Climática.”

Fonte: Reuters, 03/03/2023

Política

A guerra cultural em torno do ESG chega à Casa Branca 

“Joe Biden deve vetar uma decisão do Congresso americano que tenta impedir que gestores de fundos de pensão favoreçam critérios ambientais, sociais e de governança (ESG) em seus investimentos. Será o primeiro veto do presidente americano em mais de dois anos de mandato. A decisão é um sinal do avanço da campanha de políticos conservadores contra o que classificam de capitalismo “woke”. A expressão é usada hoje de forma pejorativa para qualificar toda e qualquer iniciativa ligada a assuntos como inclusão e proteção do meio ambiente. Apesar de contar com uma maioria apertada no Senado, o Partido Democrata, de Biden, sofreu duas defecções ontem. Ambos votaram a favor da resolução apresentada pela oposição. Os congressistas derrubaram uma regra instituída pelo Departamento do Trabalho em substituição à política da gestão Donald Trump.”

Fonte: Capital Reset, 02/03/2023

UE destina mais de R$ 4,4 bi para proteção dos oceanos em 2023

“A União Europeia (UE) anunciou, nesta quinta-feira, 2, que vai destinar mais de 800 milhões de euros (em torno de R$ 4,4 bilhões) para programas de proteção marinha em 2023, no início da Conferência Mundial Our Ocean (“Nosso Oceano”), que acontece no Panamá. Na Conferência Our Ocean no Panamá, a UE confirma seu firme compromisso com a governança internacional dos oceanos, ao anunciar 39 compromissos de ação para o ano de 2023. Essas ações serão financiadas com 816,5 milhões de euros”, informou a UE em um comunicado. Desse total, a UE destinará cerca de “320 milhões de euros (em torno de R$ 1,76 bilhão) para pesquisas oceânicas para proteger a biodiversidade marinha e abordar os impactos da mudança climática no oceano”. Além disso, o bloco europeu “vai renovar sua constelação de satélites com o lançamento do Sentinel-1C, no valor de 250 milhões de euros (em torno de R$ 1,3 bilhão)”, segundo o comunicado.”

Fonte: Exame, 02/03/2023


Índices ESG e suas performances

(1) O Índice ISE (Índice de Sustentabilidade Empresarial da B3) tem como objetivo ser o indicador do desempenho médio das cotações dos ativos de empresas com reconhecido comprometimento com o desenvolvimento sustentável, práticas e alinhamento estratégico com a sustentabilidade empresarial.
(2) O Índice S&P/B3 Brasil ESG mede a performance de títulos que cumprem critérios de sustentabilidade e é ponderado pelas pontuações ESG da S&P DJI. Ele exclui ações com base na sua participação em certas atividades comerciais, no seu desempenho em comparação com o Pacto Global da ONU e também cias sem pontuação ESG da S&P DJI.
(3) O ICO2 tem como propósito ser um instrumento indutor das discussões sobre mudança do clima no Brasil. A adesão das companhias ao ICO2 demonstra o comprometimento com a transparência de suas emissões e antecipa a visão de como estão se preparando para uma economia de baixo carbono.
(4) O objetivo do IGCT é ser o indicador do desempenho médio das cotações dos ativos de emissão de empresas integrantes do IGC que atendam aos critérios adicionais descritos nesta metodologia.
(5) A série de índices FTSE4Good foi projetada para medir o desempenho de empresas que demonstram fortes práticas ambientais, sociais e de governança (ESG).
(6)
O Índice MSCI ACWI, que representa o desempenho de todo o conjunto de ações de grande e médio porte do mundo, em 23 mercados desenvolvidos e 26 emergentes.


Nossos últimos relatórios

  • Hidrogênio Verde (H2V): O combustível do futuro? (link)
  • Brunch com ESG: AMER3 e BBAS3 em destaque; Conferência de Davos chega ao fim (link)
  • Radar ESG | Setor financeiro (BBAS3, BBDC4, BPAC11, B3SA3, ITUB4, SANB11): Sólida performance ESG, com espaço para melhoria na governança (link)
  • Retrospectiva ESG: 12 meses, 12 acontecimentos e 12 relatórios que você não pode perder (link)
  • Novo ano, nova carteira do ISE B3: Tudo o que você precisa saber (link)
  • Carteira ESG XP: Sem alterações no nosso portfólio para janeiro (link)
  • Nova resolução da CVM define regras ESG mais rígidas para companhias abertas (link)
  • Radar ESG | Papel e Celulose (SUZB3, KLBN11, RANI3): Bem posicionadas, apesar dos riscos ambientais acima da média (link)
  • Radar ESG | Vestuário Esportivo (SBFG3, TFCO4, VULC3): E no jogo ESG, quem vence? (link)
  • Radar ESG | DASA (DASA3): Bom desempenho ESG, com oportunidades de melhoria (link)
  • ESG: Top 5 tendências para 2023 (link)
  • Carteira ESG XP: Atualizando o nosso portfólio para dezembro (link)
  • COP27 chega ao fim; 5 principais destaques da conferência (link)
  • Copa do Mundo 2022: ESG escalado para entrar em campo? (link)
  • COP27: Três principais mensagens dos primeiros dias (link)
  • Ambev (ABEV3): Feedback webinar ESG; Destravando valor via a sustentabilidade (link)
  • Carteira ESG XP: Atualizando o nosso portfólio para novembro (link)
  • Radar ESG | PetroRio (PRIO3): Desenvolvendo as estratégias para atuar no campo ESG (link)
  • COP27: Um mês para a próxima conferência climática da ONU (link)
  • Aura Minerals (AURA33): Indo a campo; Principais destaques da visita ESG (link)
  • Carteira ESG XP: Duas alterações para o mês de outubro (link)
  • ESG & Telecom | 5G Insights; Capítulo 4: Como o uso do 5G pode impulsionar a descarbonização? (link)
  • Radar ESG | Eletrobras (ELET3): Mudanças que vêm para o bem; Melhorias ESG também estão por vir (link)
  • Radar ESG | Guararapes (GUAR3): Evoluindo em como vestir essa agenda (link)
  • Radar ESG | Zenvia (ZENV): Dando os primeiros passos na agenda ESG (link)
  • Radar ESG | Frigoríficos brasileiros: Em busca de maior sustentabilidade e melhor governança (BRFS3, JBSS3, MRFG3, BEEF3) (link)
  • ESG: Como os clientes institucionais estão evoluindo no tema? (link)
  • Carteira ESG XP: Sem alterações no nosso portfólio para setembro (link)
  • Raio-X das metas de emissões das companhias brasileiras (link)
  • Seleção BDRs ESG​: 15 nomes para exposição internacional ao tema (link)
  • ESG: Três aprendizados da Expert XP 2022 (link)
  • Carteira ESG XP: Sem alterações no nosso portfólio para julho (link)
  • Radar ESG | Alupar (ALUP11): Bem posicionada para se beneficiar da tendência da transição energética; esperamos mais por vir (link)
  • Radar ESG | Intelbras (INTB3): Agregando valor através de oportunidades em tecnologia limpa (link)
  • Radar ESG | Grupo Vittia (VITT3): Melhorando a sustentabilidade na agricultura (link)
  • Radar ESG | Mater Dei (MATD3): Já na rota ESG (link)
  • Crédito de Carbono: Governo publica decreto para regulamentar o mercado; Confira nossa análise (link)
  • Reunião com Joaquim Leite, Ministro do Meio Ambiente: Carbono e energia renovável centralizam as discussões (link)
  • Radar ESG | Ambipar (AMBP3): Sobre fazer parte solução (link)
  • Radar ESG | Raízen (RAIZ4): No caminho de um futuro mais verde (link)
  • Radar ESG | Cruzeiro do Sul (CSED3): No caminho certo (link)
  • Radar ESG | Juniores de O&G (RRRP3 e RECV3): Envolvidas com a agenda ESG, enquanto enfrentam ventos contrários ao setor (link)
  • Radar ESG | Petz (PETZ3): A caminho de se tornar uma empresa ESG para cachorro (link)
  • Carteira ESG XP: Uma alteração no nosso portfólio para abril (link)
  • Seis temas-chave no investimento ESG frente ao conflito Rússia/Ucrânia (link)
  • SEC anuncia proposta para divulgação obrigatória de dados climáticos; Positivo (link)
  • Update ESG | Petrobras (PETR4): Feedback do webinar sobre clima (link)
  • Radar ESG | Telefônica Brasil / Vivo (VIVT3): Conectando-se à agenda ESG (link)
  • Mulheres na liderança: Um olhar sobre a representatividade feminina nas empresas da B3 (link)
  • Carteira ESG XP: Uma alteração no nosso portfólio para março (link)
  • ISE B3: Um raio-X da nova carteira do Índice de Sustentabilidade da B3 (link)
  • Radar ESG | Panvel (PNVL3): Prescrevendo a agenda ESG (link)
  • Carteira ESG XP: Uma alteração no portfólio para fevereiro (link)
  • Radar ESG | Omega Energia (MEGA3): Líder em energia renovável, surfando a onda da sustentabilidade (link)
  • Radar ESG | Desktop (DESK3): No início da jornada ESG (link)
  • Carteira ESG XP: Sem alterações em nosso portfólio para janeiro (link)
  • Radar ESG | AgroGalaxy (AGXY3): Plantando as sementes ESG (link)
  • Radar ESG | Petrobras (PETR4): E o campo ESG, como a Petrobras está explorando? (link)
  • Radar ESG | Oncoclínicas (ONCO3): Ainda na sala de espera (link)
  • Radar ESG | Aviação Brasil (EMBR3, AZUL4 e GOLL4): Voando pelos ares ESG (link)
  • Radar ESG | Alpargatas (ALPA4): Iniciando a caminhada pela agenda ESG (link)
  • Radar ESG | Kepler Weber (KEPL3): Um começo promissor (link)
  • Radar ESG | TIM (TIMS3): Chamando a agenda ESG (link)
  • ESG: O que moldará os investimentos sustentáveis em 2022? (link)
  • Carteira ESG XP: Sem alterações em nosso portfólio para dezembro (link)
  • Radar ESG | Burger King Brasil (BKBR): Espaço para avanço na agenda, mas os planos ambiciosos adiante animam (link)
  • COP26: Implicações do documento final (link)
  • Expo Dubai: Buscando soluções diante de recursos finitos (link)
  • Expo Dubai: Todos os olhos voltados para o futuro da mobilidade (link)
  • Expo Dubai: Tecnologia e sustentabilidade centralizam os destaques do evento nesta terça-feira (link)
  • Expo Dubai: Três principais destaques do evento nesta segunda-feira, dia do Brasil na feira (link)
  • COP26: Um encontro decisivo para conter o aquecimento global (link)
  • Seleção BDRs ESG​: 15 nomes para exposição internacional ao tema (link)
  • Radar ESG | Kora Saúde (KRSA3): Ainda há um caminho a ser percorrido (link)
  • Radar ESG | Empresas de Autopeças: Preparando a estrada ESG; Governança e segurança em primeiro lugar (link)
  • Radar ESG | Unifique (FIQE3) e Brisanet (BRIT3): O que as empresas de telecomunicações brasileiras têm feito? (link)
  • Radar ESG | Natura&Co. (NTCO3): Não é apenas maquiagem; ESG é uma realidade! (link)
  • Vale (VALE3): Feedback do Webinar ESG; Todos os olhos voltados para a redução de riscos (link)
  • Radar ESG | Totvs (TOTS3): A melhor posicionada no setor de tecnologia sob a cobertura da XP (link)
  • Assembleia Geral da ONU: Cenário climático alarmante centraliza as discussões (link)
  • Amazônia: Entendendo a importância da maior floresta tropical do mundo (link)
  • ESG no centro das discussões; Três principais aprendizados da Expert XP 2021 (link)
  • Radar ESG | Companhia Brasileira de Alumínio (CBAV3): Uma líder em alumínio verde, com forte posicionamento ESG (link)
  • Relatório do IPCC: Um chamado para todos, inclusive para o mercado, frente a um cenário alarmante do clima (link)
  • Radar ESG | WEG (WEGE3): Um player ESG bem equipado para se beneficiar das tendências adiante (link)
  • Radar ESG | Boa Safra (SOJA3): Agenda ESG em produção, semente por semente (link)
  • Água: Onde há escassez, há oportunidade (link)
  • Radar ESG | Positivo (POSI3): Um trabalho em andamento (link)
  • B3 anuncia nova metodologia para o ISE; Positivo (link)
  • Radar ESG | G2D (G2DI33): Abraçando os pilares S e E através do portfólio de investimentos de impacto (link)
  • Ambev (ABEV3): Feedback do evento ESG; Reforçamos nossa visão positiva (link)
  • Radar ESG | Setor de infraestrutura (CCRO3, ECOR3, RAIL3, HBSA3, STBP3): Preparando o asfalto (link)
  • Crédito de carbono: Capturando parte da solução; 5 nomes para exposição ao tema (link)
  • Radar ESG | Incorporadoras de Imóveis Residenciais Populares: Construindo os andares ESG (link)
  • Radar ESG | Arezzo & Co. (ARZZ3): Caminhando com seus próprios passos pela agenda ESG (link)
  • Trilogia ESG (Pt. I): Um mergulho no pilar E; Três nomes que são parte da solução (link)
  • Radar ESG | Blau (BLAU3) e Hypera (HYPE3): Em busca da fórmula ESG (link)
  • Bitcoin e ESG: Entenda os dois lados da moeda (link)
  • Radar ESG | Bemobi (BMOB3): Diversidade é o nome do jogo (link)
  • Radar ESG | Setor de Logística (SIMH3, JSLG3 e VAMO3): Preparando-se para a estrada ESG (link)
  • Radar ESG | Laboratórios: ESG ainda na triagem; Fleury se destacando em relação aos pares (link)
  • Cúpula de Líderes sobre o Clima: Tecnologia, economia e agenda verde centralizam as discussões no segundo dia do evento (link)
  • Cúpula de Líderes sobre o Clima: Cooperação global é uma das três principais mensagens do evento (link)
  • Radar ESG | Locadoras de automóveis: Rumo à agenda ESG; Localiza liderando a corrida (link)
  • Radar ESG | São Martinho (SMTO3): Quanto mais se semeia, maior é a colheita (link)
  • Radar ESG | Orizon (ORVR3): Quando ESG está escrito no DNA (link)
  • Sondagem XP/ESG com investidores institucionais (link)
  • O melhor dos dois mundos: Seleção de 10 BDRs para exposição internacional ao tema ESG (link)
  • Radar ESG | Enjoei (ENJU3): O usado é o novo “novo”? (link)
  • Radar ESG | CSN Mineração (CMIN3): Explorando os campos ESG (link)
  • Radar ESG | Jalles (JALL3): Plantando as sementes ESG (link)
  • Radar ESG | Incorporadoras de alta renda: ESG ainda em construção (link)
  • Radar ESG | Setor de saúde: O ESG ainda está na sala de espera? (link)
  • Radar ESG | Quão sustentáveis são as empresas de e-commerce? Uma análise ESG dessas gigantes (link)
  • Radar ESG | IMC (MEAL3): Por que a empresa ainda tem muito espaço para melhorar? (link)
  • Radar ESG | Aeris (AERI3): Uma das empresas melhor posicionada para surfar o vento ESG (link)
  • Radar ESG | 3R Petroleum: Construindo um caminho que incorpora metas ESG (link)
  • Radar ESG | Setor de supermercados: Vale a pena encher o carrinho? (link)
  • Radar ESG | JHSF (JHSF3): Espaço para melhorias (link)
  • Radar ESG | Quem é o melhor aluno da classe? Avaliando os líderes em ESG dentre as empresas de educação no Brasil (link)
  • Panorama do marco regulatório de investimentos ESG no Brasil (link)
  • CVM e B3 estudam intensificar critérios ESG para as companhias listadas (link)
  • Radar ESG | Setor de vestuário e joias: ESG ainda na confecção (link)
  • ESG: Tendências e preferências para 2021 (link)
  • Radar ESG | LOG Commercial Properties (LOGG3): Oportunidades em empreendimentos verdes (link)
  • Eleições americanas: Quais os efeitos para a agenda ESG nos EUA e no Brasil? (link)
  • Radar ESG | Farmácias: Raia Drogasil como a ação prescrita no setor para exposição a ESG (link)
  • Radar ESG | Shoppings: Entenda o que importa para eles quando o tema é ESG (link)
  • Radar ESG | Ambev (ABEV3): Um case que desce redondo (link)
  • Feedback do roadshow ESG: O que as gestoras no Brasil estão fazendo em relação ao tema? (link)
  • ESG de A a Z: Tudo o que você precisa saber sobre o tema (link)

Ainda não tem conta na XP? Clique aqui e abra a sua!

XP Expert

Avaliação

O quão foi útil este conteúdo pra você?


Newsletter
Newsletter

Gostaria de receber nossos conteúdos por e-mail?

Cadastre-se e receba grátis nossos relatórios e recomendações de investimentos

A XP Investimentos CCTVM S/A, inscrita sob o CNPJ: 02.332.886/0001-04, é uma instituição financeira autorizada a funcionar pelo Banco Central do Brasil.Toda comunicação através de rede mundial de computadores está sujeita a interrupções ou atrasos, podendo impedir ou prejudicar o envio de ordens ou a recepção de informações atualizadas. A XP Investimentos exime-se de responsabilidade por danos sofridos por seus clientes, por força de falha de serviços disponibilizados por terceiros. A XP Investimentos CCTVM S/A é instituição autorizada a funcionar pelo Banco Central do Brasil.


Este site usa cookies e dados pessoais de acordo com a nossa Política de Cookies (gerencie suas preferências de cookies) e a nossa Política de Privacidade.