XP Expert

No Rock in Rio, Coca-Cola, Heineken, Braskem e Natura se unem para promover a economia circular | Café com ESG, 12/09

Comece o dia bem informado com as principais notícias ao redor do Brasil e do mundo quando o tema é ESG!

Compartilhar:

  • Compartilhar no Facebook
  • Compartilhar no Twitter
  • Compartilhar no Whatsapp
  • Compartilhar no LinkedIn
  • Compartilhar via E-mail

Bom dia! Neste relatório diário publicado todas as manhãs pelo time ESG do Research da XP, buscamos trazer as últimas notícias para que você comece o dia bem informado e fique por dentro do que o Brasil e o mundo fala sobre um tema que tem ficado cada vez mais relevante: ESG – do termo em inglês Environmental, Social and Governance ou, em português, ASG – Ambiental, Social e Governança.

Quais tópicos abordamos ao longo do conteúdo? (i) Notícias no Brasil e no mundo acerca do tema ESG; (ii) Performance histórica dos principais índices ESG em diferentes países; (iii) Comparativo da performance do Ibovespa vs. ISE (Índice de Sustentabilidade Empresarial, da B3); e (iv) Lista com os últimos relatórios publicados pelo Research ESG da XP.
Por que essas informações são importantes? 
Porque elas indicam os temas dentro da agenda ESG que estão sendo cada vez mais monitoradas por parte dos investidores e das empresas, e podem impactar os preços das ações de diferentes companhias.

Esperamos que aproveite a leitura!

Principais tópicos do dia

• O mercado fechou o pregão de sexta-feira em território positivo, com o Ibov e o ISE em alta de +2,2% e +1,8%, respectivamente. Na semana, o Ibov teve alta de +1,3%, quanto o ISE encerrou em +0,7%.

• No Brasil, (i) no Rock in Rio, Coca-Cola e Heineken se uniram para promover a reciclagem de copos de plástico, que posteriormente serão transformados em resina pela petroquímica Braskem, que será empregada na fabricação de embalagens de produtos da Natura – as quatro companhias formam, assim, uma espécie de coligação em busca da correta gestão de resíduos como motor para a economia circular; e (ii) uma pesquisa realizada pela CVA Solutions, em parceria com o Grupo BXG, com três mil pessoas, apontou o grau de envolvimento dos consumidores quando o assunto são as práticas ESG – na avaliação geral, considerando o Índice de Escolha ESG, que sintetiza a capacidade da marca para comunicar eficazmente sua narrativa ESG, engajar, e converter esse engajamento em vendas, Natura, Itaú e Coca-Cola foram as marcas que melhor pontuaram.

• No internacional, o presidente Joe Biden deve assinar hoje algumas ordens para enviar mais dólares do governo para a indústria de biotecnologia dos EUA, com o objetivo de reduzir a dependência de materiais chineses que geram energia limpa – a ordem executiva permite que o governo federal direcione o financiamento para o uso de micróbios e outros recursos biologicamente derivados para fazer novos alimentos, fertilizantes e sementes, além de tornar as operações de mineração mais eficientes.

Gostaria de receber os relatórios ESG por e-mailClique aqui.
Gostou do conteúdo, tem alguma dúvida ou quer nos enviar uma sugestão? Basta deixar um comentário no final do post!


XPInc CTA

Abra a sua conta na XP Investimentos!

XPInc CTA

Receba conteúdos da Expert pelo Telegram!

Brasil

Empresas

No Rock in Rio, gigantes de bebidas se unem para reciclar até 4,5 milhões de copos de plástico

“A grande visibilidade do Rock in Rio leva empresas a promoverem ações de sustentabilidade na Cidade do Rock, para conectar suas marcas à preservação ambiental e se alinharem à organização do evento na busca pela redução de emissões de carbono. Coca-Cola e Heineken se uniram para promover a reciclagem de copos de plástico, que posteriormente serão transformados em resina pela petroquímica Braskem, que será empregada na fabricação de embalagens de produtos da Natura. As quatro companhias formam, assim, uma espécie de coligação em busca da correta gestão de resíduos como motor para a economia circular. As empresas pretendem incentivar o público a fazer o descarte ambientalmente correto dos copos durante o festival e se alinham aos objetivos do Rock in Rio, que neste ano pretende reduzir em 10% a geração de resíduos, que em 2019 atingiram 350 toneladas, chegar a 80% de reciclagem de todo o material sem uso depois do festival.”

Fonte: Valor Econômico, 10/09/2022

ESG pode ajudar o consumidor a optar por determinada marca

“Uma pesquisa realizada pela CVA Solutions, em parceria com o Grupo BXG, com três mil pessoas, aponta o grau de envolvimento dos consumidores quando o assunto são as práticas ESG, de responsabilidade ambiental, social e de governança, e o quanto essas práticas determinam a escolha de uma marca em detrimento de outra. Os produtos foram divididos em três categorias: higiene e beleza, serviços financeiros e bebidas. Nelas, Natura, Itaú e Coca Cola, lideram o índice de escolha ESG dos entrevistados, respectivamente. “A decisão do consumidor tem o poder de pressionar uma indústria a alinhar-se às boas práticas de gestão corporativa, ambiental e social. Mais até do que regulamentações impostas pelo governo e estímulos do mercado financeiro para conceder crédito ou investimentos” – defendem Sandro Cimatti, diretor da CVA Solutions, e Eric Dherte, diretor do Grupo BXG.”

Fonte: O Globo, 11/09/2022

Energia limpa muda o cenário

“O setor mineral vive um momento peculiar. De um lado, os especialistas apontam a possibilidade de uma recessão nos Estados Unidos e na Europa, além de um crescimento menor da China, o que impactaria negativamente a demanda e os preços das commodities. De outro, a guerra entre Rússia e Ucrânia – ambos grandes produtores de minérios – e a transição energética, uma agenda urgente, podem abrir oportunidades para o Brasil. […] Com 27% do total, Minas Gerais lidera entre os estados que abrigam os novos empreendimentos minerais. A Bahia aparece em segundo lugar (15%) e o Pará (11%) em terceiro. Os demais vão dividir os 47% restantes. “A mineração industrial é um dos grandes trunfos para o Brasil dar um salto e se tornar, efetivamente, um dos protagonistas da transição para uma economia efetivamente “verde”, diz Raul Jungmann, presidente do Instituto Brasileiro de Mineração (Ibram).”

Fonte: Valor Econômico, 12/09/2022

Clique aqui para acessar o relatório | “Transição Energética & Metais Verdes: Explorando companhias bem posicionadas

Future Carbon vende US$ 3 milhões de ‘fluxo futuro’ de créditos de carbono

“A Future Carbon, startup de desenvolvimento de projetos de créditos de carbono, fechou um contrato de financiamento de US$ 3 milhões com a canadense Carbon Streaming. Trata-se de uma modalidade inovadora que pode acelerar o desenvolvimento de um setor cuja demanda vem explodindo no mundo todo e que pode ter no Brasil um dos grandes vendedores. A ideia da Carbon Streaming é apoiar os desenvolvedores pagando hoje por créditos que serão gerados no futuro. Algumas companhias já fazem isso hoje, diretamente ou por intermédio de terceiros, para garantir acesso a créditos que usarão para compensar suas emissões de gases de efeito estufa.”

Fonte: Capital Reset, 12/09/2022

Clique aqui para acessar o relatório | “Crédito de carbono: Capturando parte da solução; 5 nomes para exposição ao tema

Sustentabilidade empresarial: busca pelo ‘pacote completo’ do ESG é uma das tendências do Hacktown 2022

“Já ficou se perguntando qual a chave certa para ter sucesso nos negócios? Nos últimos anos, uma sigla inglesa com apenas três letras tem chamado a atenção de investidores e impactado, diretamente, no mercado empresarial. O ESG (Environmental, social and corporate governance), aliado à tecnologia, faz parte do pacote completo para uma gestão de qualidade. O assunto é uma das tendências que serão exploradas no HackTown 2022, em Santa Rita do Sapucaí (MG). O ESG mostra que, apesar do avanço da tecnologia, é preciso ir além e inovar. Para que a “máquina” se desenvolva em todos os pilares, as ações sustentáveis e sociais, assim como o gerenciamento correto de um negócio, servem de métricas para visualizar a perspectiva de uma empresa a longo prazo.”

Fonte: G1 Globo, 10/09/2022

Internacional

Política

Ordem executiva de Biden para financiar indústria de biomanufatura dos EUA

“O presidente Joe Biden assinará ordens na segunda-feira para empurrar mais dólares do governo para a indústria de biotecnologia dos EUA, com o objetivo de reduzir a dependência da China de materiais que geram energia limpa, criar novas fábricas e inocular populações contra a pandemia de COVID-19. A ordem executiva permite que o governo federal direcione o financiamento para o uso de micróbios e outros recursos biologicamente derivados para fazer novos alimentos, fertilizantes e sementes, além de tornar as operações de mineração mais eficientes, disseram funcionários do governo. Eles não forneceram detalhes sobre quanto dinheiro estaria disponível, de onde viria ou como seria alocado. Mais detalhes são esperados em uma cúpula da Casa Branca sobre o assunto na quarta-feira.”

Fonte: Reuters, 12/09/2022

Opinião

“ESG já é alta prioridade em startups e grandes empresas”, diz analista de risco de consultoria britânica

“Com a ascensão ao trono de um ambientalista de carteirinha, o agora rei Charles III, a agenda ESG (governança corporativa, social e ambiental) ganha um defensor no topo do poder. Nos aspectos ambientais da sigla, algumas destas ações se relacionam ao mercado de carbono, que pela falta de regulação oficial no Brasil, ainda depende de ações voluntárias das empresas. Gabriel Brasil, graduado em economia e mestre em economia política internacional, comenta à coluna os principais desafios que o país ainda enfrenta neste cenário. O economista é analista de riscos políticos e ESG na consultoria britânica Control Risks, fundada em 1975 e umas das principais do mundo no segmento. Na agência, seu foco de análise se concentra na América Latina, principalmente no Brasil.”

Fonte: Gaucha, 11/09/2022


Índices ESG e suas performances

(1) O Índice ISE (Índice de Sustentabilidade Empresarial da B3) tem como objetivo ser o indicador do desempenho médio das cotações dos ativos de empresas com reconhecido comprometimento com o desenvolvimento sustentável, práticas e alinhamento estratégico com a sustentabilidade empresarial.
(2) O Índice S&P/B3 Brasil ESG mede a performance de títulos que cumprem critérios de sustentabilidade e é ponderado pelas pontuações ESG da S&P DJI. Ele exclui ações com base na sua participação em certas atividades comerciais, no seu desempenho em comparação com o Pacto Global da ONU e também cias sem pontuação ESG da S&P DJI.
(3) O ICO2 tem como propósito ser um instrumento indutor das discussões sobre mudança do clima no Brasil. A adesão das companhias ao ICO2 demonstra o comprometimento com a transparência de suas emissões e antecipa a visão de como estão se preparando para uma economia de baixo carbono.
(4) O objetivo do IGCT é ser o indicador do desempenho médio das cotações dos ativos de emissão de empresas integrantes do IGC que atendam aos critérios adicionais descritos nesta metodologia.
(5) A série de índices FTSE4Good foi projetada para medir o desempenho de empresas que demonstram fortes práticas ambientais, sociais e de governança (ESG).
(6)
O Índice MSCI ACWI, que representa o desempenho de todo o conjunto de ações de grande e médio porte do mundo, em 23 mercados desenvolvidos e 26 emergentes.


Nossos últimos relatórios

  • Radar ESG | Alupar (ALUP11): Bem posicionada para se beneficiar da tendência da transição energética; esperamos mais por vir (link)
  • Radar ESG | Intelbras (INTB3): Agregando valor através de oportunidades em tecnologia limpa (link)
  • Radar ESG | Grupo Vittia (VITT3): Melhorando a sustentabilidade na agricultura (link)
  • Radar ESG | Mater Dei (MATD3): Já na rota ESG (link)
  • Crédito de Carbono: Governo publica decreto para regulamentar o mercado; Confira nossa análise (link)
  • Reunião com Joaquim Leite, Ministro do Meio Ambiente: Carbono e energia renovável centralizam as discussões (link)
  • Radar ESG | Ambipar (AMBP3): Sobre fazer parte solução (link)
  • Radar ESG | Raízen (RAIZ4): No caminho de um futuro mais verde (link)
  • Radar ESG | Cruzeiro do Sul (CSED3): No caminho certo (link)
  • Radar ESG | Juniores de O&G (RRRP3 e RECV3): Envolvidas com a agenda ESG, enquanto enfrentam ventos contrários ao setor (link)
  • Radar ESG | Petz (PETZ3): A caminho de se tornar uma empresa ESG para cachorro (link)
  • Carteira ESG XP: Uma alteração no nosso portfólio para abril (link)
  • Seis temas-chave no investimento ESG frente ao conflito Rússia/Ucrânia (link)
  • SEC anuncia proposta para divulgação obrigatória de dados climáticos; Positivo (link)
  • Update ESG | Petrobras (PETR4): Feedback do webinar sobre clima (link)
  • Radar ESG | Telefônica Brasil / Vivo (VIVT3): Conectando-se à agenda ESG (link)
  • Mulheres na liderança: Um olhar sobre a representatividade feminina nas empresas da B3 (link)
  • Carteira ESG XP: Uma alteração no nosso portfólio para março (link)
  • ISE B3: Um raio-X da nova carteira do Índice de Sustentabilidade da B3 (link)
  • Radar ESG | Panvel (PNVL3): Prescrevendo a agenda ESG (link)
  • Carteira ESG XP: Uma alteração no portfólio para fevereiro (link)
  • Radar ESG | Omega Energia (MEGA3): Líder em energia renovável, surfando a onda da sustentabilidade (link)
  • Radar ESG | Desktop (DESK3): No início da jornada ESG (link)
  • Carteira ESG XP: Sem alterações em nosso portfólio para janeiro (link)
  • Radar ESG | AgroGalaxy (AGXY3): Plantando as sementes ESG (link)
  • Radar ESG | Petrobras (PETR4): E o campo ESG, como a Petrobras está explorando? (link)
  • Radar ESG | Oncoclínicas (ONCO3): Ainda na sala de espera (link)
  • Radar ESG | Aviação Brasil (EMBR3, AZUL4 e GOLL4): Voando pelos ares ESG (link)
  • Radar ESG | Alpargatas (ALPA4): Iniciando a caminhada pela agenda ESG (link)
  • Radar ESG | Kepler Weber (KEPL3): Um começo promissor (link)
  • Radar ESG | TIM (TIMS3): Chamando a agenda ESG (link)
  • ESG: O que moldará os investimentos sustentáveis em 2022? (link)
  • Carteira ESG XP: Sem alterações em nosso portfólio para dezembro (link)
  • Radar ESG | Burger King Brasil (BKBR): Espaço para avanço na agenda, mas os planos ambiciosos adiante animam (link)
  • COP26: Implicações do documento final (link)
  • Expo Dubai: Buscando soluções diante de recursos finitos (link)
  • Expo Dubai: Todos os olhos voltados para o futuro da mobilidade (link)
  • Expo Dubai: Tecnologia e sustentabilidade centralizam os destaques do evento nesta terça-feira (link)
  • Expo Dubai: Três principais destaques do evento nesta segunda-feira, dia do Brasil na feira (link)
  • COP26: Um encontro decisivo para conter o aquecimento global (link)
  • Seleção BDRs ESG​: 15 nomes para exposição internacional ao tema (link)
  • Radar ESG | Kora Saúde (KRSA3): Ainda há um caminho a ser percorrido (link)
  • Radar ESG | Empresas de Autopeças: Preparando a estrada ESG; Governança e segurança em primeiro lugar (link)
  • Radar ESG | Unifique (FIQE3) e Brisanet (BRIT3): O que as empresas de telecomunicações brasileiras têm feito? (link)
  • Radar ESG | Natura&Co. (NTCO3): Não é apenas maquiagem; ESG é uma realidade! (link)
  • Vale (VALE3): Feedback do Webinar ESG; Todos os olhos voltados para a redução de riscos (link)
  • Radar ESG | Totvs (TOTS3): A melhor posicionada no setor de tecnologia sob a cobertura da XP (link)
  • Assembleia Geral da ONU: Cenário climático alarmante centraliza as discussões (link)
  • Amazônia: Entendendo a importância da maior floresta tropical do mundo (link)
  • ESG no centro das discussões; Três principais aprendizados da Expert XP 2021 (link)
  • Radar ESG | Companhia Brasileira de Alumínio (CBAV3): Uma líder em alumínio verde, com forte posicionamento ESG (link)
  • Relatório do IPCC: Um chamado para todos, inclusive para o mercado, frente a um cenário alarmante do clima (link)
  • Radar ESG | WEG (WEGE3): Um player ESG bem equipado para se beneficiar das tendências adiante (link)
  • Radar ESG | Boa Safra (SOJA3): Agenda ESG em produção, semente por semente (link)
  • Água: Onde há escassez, há oportunidade (link)
  • Radar ESG | Positivo (POSI3): Um trabalho em andamento (link)
  • B3 anuncia nova metodologia para o ISE; Positivo (link)
  • Radar ESG | G2D (G2DI33): Abraçando os pilares S e E através do portfólio de investimentos de impacto (link)
  • Ambev (ABEV3): Feedback do evento ESG; Reforçamos nossa visão positiva (link)
  • Radar ESG | Setor de infraestrutura (CCRO3, ECOR3, RAIL3, HBSA3, STBP3): Preparando o asfalto (link)
  • Crédito de carbono: Capturando parte da solução; 5 nomes para exposição ao tema (link)
  • Radar ESG | Incorporadoras de Imóveis Residenciais Populares: Construindo os andares ESG (link)
  • Radar ESG | Arezzo & Co. (ARZZ3): Caminhando com seus próprios passos pela agenda ESG (link)
  • Trilogia ESG (Pt. I): Um mergulho no pilar E; Três nomes que são parte da solução (link)
  • Radar ESG | Blau (BLAU3) e Hypera (HYPE3): Em busca da fórmula ESG (link)
  • Bitcoin e ESG: Entenda os dois lados da moeda (link)
  • Radar ESG | Bemobi (BMOB3): Diversidade é o nome do jogo (link)
  • Radar ESG | Setor de Logística (SIMH3, JSLG3 e VAMO3): Preparando-se para a estrada ESG (link)
  • Radar ESG | Laboratórios: ESG ainda na triagem; Fleury se destacando em relação aos pares (link)
  • Cúpula de Líderes sobre o Clima: Tecnologia, economia e agenda verde centralizam as discussões no segundo dia do evento (link)
  • Cúpula de Líderes sobre o Clima: Cooperação global é uma das três principais mensagens do evento (link)
  • Radar ESG | Locadoras de automóveis: Rumo à agenda ESG; Localiza liderando a corrida (link)
  • Radar ESG | São Martinho (SMTO3): Quanto mais se semeia, maior é a colheita (link)
  • Radar ESG | Orizon (ORVR3): Quando ESG está escrito no DNA (link)
  • Sondagem XP/ESG com investidores institucionais (link)
  • O melhor dos dois mundos: Seleção de 10 BDRs para exposição internacional ao tema ESG (link)
  • Radar ESG | Enjoei (ENJU3): O usado é o novo “novo”? (link)
  • Radar ESG | CSN Mineração (CMIN3): Explorando os campos ESG (link)
  • Radar ESG | Jalles (JALL3): Plantando as sementes ESG (link)
  • Radar ESG | Incorporadoras de alta renda: ESG ainda em construção (link)
  • Radar ESG | Setor de saúde: O ESG ainda está na sala de espera? (link)
  • Radar ESG | Quão sustentáveis são as empresas de e-commerce? Uma análise ESG dessas gigantes (link)
  • Radar ESG | IMC (MEAL3): Por que a empresa ainda tem muito espaço para melhorar? (link)
  • Radar ESG | Aeris (AERI3): Uma das empresas melhor posicionada para surfar o vento ESG (link)
  • Radar ESG | 3R Petroleum: Construindo um caminho que incorpora metas ESG (link)
  • Radar ESG | Setor de supermercados: Vale a pena encher o carrinho? (link)
  • Radar ESG | JHSF (JHSF3): Espaço para melhorias (link)
  • Radar ESG | Quem é o melhor aluno da classe? Avaliando os líderes em ESG dentre as empresas de educação no Brasil (link)
  • Panorama do marco regulatório de investimentos ESG no Brasil (link)
  • CVM e B3 estudam intensificar critérios ESG para as companhias listadas (link)
  • Radar ESG | Setor de vestuário e joias: ESG ainda na confecção (link)
  • ESG: Tendências e preferências para 2021 (link)
  • Radar ESG | LOG Commercial Properties (LOGG3): Oportunidades em empreendimentos verdes (link)
  • Eleições americanas: Quais os efeitos para a agenda ESG nos EUA e no Brasil? (link)
  • Radar ESG | Farmácias: Raia Drogasil como a ação prescrita no setor para exposição a ESG (link)
  • Radar ESG | Shoppings: Entenda o que importa para eles quando o tema é ESG (link)
  • Radar ESG | Ambev (ABEV3): Um case que desce redondo (link)
  • Feedback do roadshow ESG: O que as gestoras no Brasil estão fazendo em relação ao tema? (link)
  • ESG de A a Z: Tudo o que você precisa saber sobre o tema (link)

Ainda não tem conta na XP? Clique aqui e abra a sua!

XP Expert

Avaliação

O quão foi útil este conteúdo pra você?


Newsletter
Newsletter

Gostaria de receber nossos conteúdos por e-mail?

Cadastre-se e receba grátis nossos relatórios e recomendações de investimentos

A XP Investimentos CCTVM S/A, inscrita sob o CNPJ: 02.332.886/0001-04, é uma instituição financeira autorizada a funcionar pelo Banco Central do Brasil.Toda comunicação através de rede mundial de computadores está sujeita a interrupções ou atrasos, podendo impedir ou prejudicar o envio de ordens ou a recepção de informações atualizadas. A XP Investimentos exime-se de responsabilidade por danos sofridos por seus clientes, por força de falha de serviços disponibilizados por terceiros. A XP Investimentos CCTVM S/A é instituição autorizada a funcionar pelo Banco Central do Brasil.


Este site usa cookies e dados pessoais de acordo com a nossa Política de Cookies (gerencie suas preferências de cookies) e a nossa Política de Privacidade.