XP Expert

Em 2022, eventos climáticos extremos já causaram perdas de US$ 65 bilhões | Café com ESG, 29/07

Comece o dia bem informado com as principais notícias ao redor do Brasil e do mundo quando o tema é ESG!

Compartilhar:

  • Compartilhar no Facebook
  • Compartilhar no Twitter
  • Compartilhar no Whatsapp
  • Compartilhar no LinkedIn
  • Compartilhar via E-mail

Bom dia! Neste relatório diário publicado todas as manhãs pelo time ESG do Research da XP, buscamos trazer as últimas notícias para que você comece o dia bem informado e fique por dentro do que o Brasil e o mundo fala sobre um tema que tem ficado cada vez mais relevante: ESG – do termo em inglês Environmental, Social and Governance ou, em português, ASG – Ambiental, Social e Governança.

Quais tópicos abordamos ao longo do conteúdo? (i) Notícias no Brasil e no mundo acerca do tema ESG; (ii) Performance histórica dos principais índices ESG em diferentes países; (iii) Comparativo da performance do Ibovespa vs. ISE (Índice de Sustentabilidade Empresarial, da B3); e (iv) Lista com os últimos relatórios publicados pelo Research ESG da XP.
Por que essas informações são importantes? 
Porque elas indicam os temas dentro da agenda ESG que estão sendo cada vez mais monitoradas por parte dos investidores e das empresas, e podem impactar os preços das ações de diferentes companhias.

Esperamos que aproveite a leitura!

Principais tópicos do dia

• O mercado fechou o pregão de quinta-feira em território positivo, com o Ibov e o ISE em alta de +1,1% e +0,9, respectivamente.

• No Brasil, em um movimento inédito, os bancos querem criar uma regra para controlar o risco de desmatamento da Floresta Amazônica pela cadeia de carne bovina, com medidas em discussão na Febraban que miram apenas nos frigoríficos – se a proposta de fato sair do papel, a indústria de carne será a primeira a ter uma regulação dos bancos voltada à Amazônia, tendo a principal meta estipulada para dezembro de 2025 – se quiserem obter crédito nos bancos depois disso, os frigoríficos terão de garantir que não compram gado (direta ou indiretamente) de áreas de desmatamento ilegal.

• No mundo, (i) os eventos climáticos extremos deste ano já causaram perdas de US$ 65 bilhões, de acordo com a resseguradora alemã Munich Re, e a conta ainda não inclui os efeitos da onda de calor que atingiu a Europa e os Estados Unidos nas últimas semanas – no ano passado, catástrofes naturais totalizaram prejuízos de US$ 280 bilhões, muitas delas com relação direta com o aumento da temperatura global; e (ii) a Index Industry Association informou ontem que o número de gestoras de ativos que incorporam critérios ESG em seus investimentos de renda fixa aumentou significativamente no ano passado – atualmente, 76% dos gestores implementam ESG em renda fixa, acima dos 42% em 2021, de acordo com a pesquisa da associação com 300 gestoras de ativos nos EUA e na Europa.

Gostaria de receber os relatórios ESG por e-mailClique aqui.
Gostou do conteúdo, tem alguma dúvida ou quer nos enviar uma sugestão? Basta deixar um comentário no final do post!


XPInc CTA

Abra a sua conta na XP Investimentos!

XPInc CTA

Assine conteúdos exclusivos aqui!

XPInc CTA

Receba conteúdos da Expert pelo Telegram!

Brasil

Empresas

Bancos querem controlar cadeia da carne na Amazônia, mas poupam pecuaristas

“Em um movimento inédito, os bancos brasileiros querem criar uma regra para controlar o risco de desmatamento da Floresta Amazônica pela cadeia de carne bovina. As medidas em discussão na Federação Brasileira de Bancos (Febraban) miram apenas nos frigoríficos e ignoram os pecuaristas, atores também relevantes para coibir a “lavagem de gado”. O Valor teve acesso à minuta de uma normativa que está em debate na Febraban. O documento, que ainda precisa passar por algumas instâncias para se tornar uma medida de autorregulação, lista as regras que os frigoríficos terão que cumprir para acessar crédito no sistema bancário. Se a medida de fato sair do papel, a indústria de carne será a primeira a ter uma regulação dos bancos voltada à Amazônia. A principal meta foi estipulada para dezembro de 2025. Se quiserem obter crédito nos bancos depois disso, os frigoríficos terão de garantir que não compram gado — direta ou indiretamente — de áreas de desmatamento ilegal.”

Fonte: Valor Econômico, 28/07/2022

Ganhos em restaurar o meio ambiente

“O agronegócio brasileiro tem muito a ganhar com a restauração de ecossistemas degradados: se o Brasil cumprir a meta de restaurar 12 milhões de hectares de áreas degradadas até 2030, meta firmada pelo país no âmbito do Acordo de Paris, que visa combater as mudanças climáticas, será possível gerar entre 1 milhão e 2,5 milhões de postos de trabalho diretos na cadeia de restauração florestal. Ao cumprir o compromisso internacional, será gerado um emprego a cada dois hectares restaurados, de acordo com um estudo recém-publicado na revista People and Nature, coordenado pelos pesquisadores brasileiros Pedro Brancalion, professor associado da Esalq/USP, e Rafael Chaves, especialista em meio ambiente da Secretaria de Infraestrutura e Meio Ambiente do Estado de São Paulo, com apoio de organizações como a Coalizão Brasil, Florestas, Clima e Agricultura e a The Nature Conservancy (TNC). “

Fonte: Valor Econômico, 29/07/2022

Investimento coletivo em créditos de carbono busca retornos de 51% ao ano; entenda

“O investidor com maior apetite ao risco e interesse em pautas sobre desenvolvimento sustentável tem a opção de investir em um projeto com foco em créditos de carbono para uma área na floresta Amazônica. A aplicação é por meio de crowdfunding (espécie de “vaquinha virtual para investimento”, em que os investidores podem fazer um aporte em troca de participação em empresas ou projetos), a meta de retorno é alta e o pagamento de dividendos está previsto para acontecer a partir de 2024. Os valores captados serão investidos na empresa Moss Earth Desenvolvimento de Projetos Ambientais e o valor mínimo da aplicação é de R$ 5 mil, por uma cota. A oferta tem expectativa de retorno de 51,08% ao ano.”

Fonte: Valor Investe, 29/07/2022

100% das plantas da 3M do Brasil usam energia limpa, resultado de uma aposta inovadora feita há 10 anos

“A pauta ESG está avançando no mundo inteiro e vem ganhando as agendas da maioria das empresas, grandes e pequenas. Quem não quer ficar para trás vem se movimentando, tirando o tema do discurso e lançando ações concretas alinhadas com o planejamento estratégico do negócio. Agora, imagine que lá atrás já tinha gente fazendo isso por entender que a sustentabilidade deveria ser prioridade. Há 10 anos, quando o assunto ainda era pouco comentado, a 3M decidiu apostar em energia limpa. Hoje, 100% das quatro plantas da empresa no Brasil utilizam energia renovável. “

Fonte: Projeto Draft, 28/07/2022

Internacional

Empresas

O uso de ESG pelos gestores em surtos de renda fixa, mostra pesquisa

“O número de gestoras de ativos que incorporam critérios ambientais, sociais e de governança (ESG) em seus investimentos de renda fixa aumentou significativamente no ano passado, informou a Index Industry Association nesta quinta-feira. Atualmente, 76% dos gestores implementam ESG em renda fixa, acima dos 42% em 2021, de acordo com a pesquisa da associação sem fins lucrativos com 300 empresas de gestão de investimentos nos Estados Unidos e na Europa. Isso excede os 74% de empresas que incorporam ESG em ações, acima dos 53% em 2021, disse a associação.”

Fonte: Reuters, 28/07/2022

Desempenho ESG positivo melhora retornos globalmente, mostra pesquisa

“Os fundos de ações tiveram desempenho superior nos mercados globais nos últimos cinco anos se fossem ponderados para empresas com pontuações ambientais, sociais e de governança (ESG) positivas, pesquisa da empresa de dados de sustentabilidade ESG Book compartilhou exclusivamente com a Reuters este mês mostrado. A análise do ESG Book de carteiras modelo contendo 60 a 85 ações em média mostrou que o desempenho variou amplamente por componente individual de ESG. As empresas com melhores pontuações de governança tiveram um desempenho mais forte do que aquelas com pontuações sociais mais altas, por exemplo.”

Fonte: Reuters, 28/07/2022

Órgão de fiscalização da concorrência do Reino Unido investigará varejistas de moda sobre greenwashing

“O órgão de fiscalização da concorrência do Reino Unido lançou investigações sobre três marcas de moda sobre suas alegações de sustentabilidade e ecologicamente corretas, após uma análise sobre alegações de lavagem verde na indústria de roupas. A Autoridade de Concorrência e Mercados disse na sexta-feira que está investigando declarações da marca Asos, Boohoo e Asda, George, sobre a natureza ecológica de seus produtos de moda, incluindo roupas, calçados e acessórios. A investigação foi desencadeada por uma revisão da CMA em janeiro que disse ter “identificado preocupações sobre alegações verdes potencialmente enganosas” por alguns varejistas de moda do Reino Unido.”

Fonte: Financial Times, 29/07/2022

China emitirá princípios para títulos verdes

“A China emitirá princípios para títulos verdes para construir critérios unificados para emissores domésticos, correndo para estabelecer padrões em um mercado em crescimento alinhado às normas internacionais, informou o jornal oficial Securities Times nesta quinta-feira. O país pretende levar suas emissões a um pico antes de 2030 e se tornar neutro em carbono até 2060, alimentando seu mercado de títulos verdes para crescer e se tornar um dos maiores do mundo. Títulos financeiros verdes, instrumentos de financiamento de dívida verde e títulos corporativos verdes aplicarão os novos princípios, enquanto títulos corporativos – emitidos principalmente por empresas estatais (SOEs) – serão excluídos, de acordo com o relatório.”

Fonte: Reuters, 28/07/2022

Política

A conta do clima extremo do primeiro semestre: US$ 65 bi

Os eventos climáticos extremos deste ano já causaram perdas de US$ 65 bilhões, segundo a resseguradora alemã Munich Re, e a conta ainda não inclui os efeitos da onda de calor que atingiu a Europa e os Estados Unidos nas últimas semanas. No ano passado, catástrofes naturais totalizaram prejuízos de US$ 280 bilhões, muitas delas com relação direta com o aumento da temperatura global. Em 2022, as manifestações concretas da mudança do clima continuam sendo registradas no mundo todo – chuvas recordes na Austrália e no Paquistão, incêndios florestais em Portugal, na Espanha e na Itália. “Podem ser eventos separados, com causas diferentes, mas, tomados como um todo, uma coisa está ficando muito clara: a influência da mudança climática é cada vez mais evidente”, afirmou o cientista-chefe de clima da Munich Re, Ernst Rauch.”

Fonte: Capital Reset, 29/07/2022

Departamento de Energia dos EUA visa investimento de US $ 165 milhões em grupo geotérmico, petróleo e gás

“O Departamento de Energia dos Estados Unidos está planejando um novo investimento de até 165 milhões de dólares em uma iniciativa de energia geotérmica que utilizaria a experiência da indústria de petróleo e gás para liberar recursos energéticos e se afastar dos combustíveis fósseis. A energia geotérmica, que aproveita o calor da terra, atualmente representa menos de 1% da matriz energética dos EUA. Se aproveitado, poderá gerar 8,5% de toda a geração de eletricidade dos EUA até 2050, disse o departamento. O DOE fornecerá inicialmente US $ 10 milhões para financiar um consórcio para estudar questões no setor geotérmico e, em seguida, fornecerá US $ 155 milhões nos próximos quatro anos em pesquisa para o projeto, chamado de iniciativa Geothermal Energy from Oil and Gas Demonstrated Engineering (GEODE).”

Fonte: Reuters, 28/07/2022

Clique aqui para acessar o relatório | “Transição Energética & Metais Verdes: Explorando companhias bem posicionadas


Índices ESG e suas performances

(1) O Índice ISE (Índice de Sustentabilidade Empresarial da B3) tem como objetivo ser o indicador do desempenho médio das cotações dos ativos de empresas com reconhecido comprometimento com o desenvolvimento sustentável, práticas e alinhamento estratégico com a sustentabilidade empresarial.
(2) O Índice S&P/B3 Brasil ESG mede a performance de títulos que cumprem critérios de sustentabilidade e é ponderado pelas pontuações ESG da S&P DJI. Ele exclui ações com base na sua participação em certas atividades comerciais, no seu desempenho em comparação com o Pacto Global da ONU e também cias sem pontuação ESG da S&P DJI.
(3) O ICO2 tem como propósito ser um instrumento indutor das discussões sobre mudança do clima no Brasil. A adesão das companhias ao ICO2 demonstra o comprometimento com a transparência de suas emissões e antecipa a visão de como estão se preparando para uma economia de baixo carbono.
(4) O objetivo do IGCT é ser o indicador do desempenho médio das cotações dos ativos de emissão de empresas integrantes do IGC que atendam aos critérios adicionais descritos nesta metodologia.
(5) A série de índices FTSE4Good foi projetada para medir o desempenho de empresas que demonstram fortes práticas ambientais, sociais e de governança (ESG).
(6)
O Índice MSCI ACWI, que representa o desempenho de todo o conjunto de ações de grande e médio porte do mundo, em 23 mercados desenvolvidos e 26 emergentes.


Nossos últimos relatórios

  • Radar ESG | Alupar (ALUP11): Bem posicionada para se beneficiar da tendência da transição energética; esperamos mais por vir (link)
  • Radar ESG | Intelbras (INTB3): Agregando valor através de oportunidades em tecnologia limpa (link)
  • Radar ESG | Grupo Vittia (VITT3): Melhorando a sustentabilidade na agricultura (link)
  • Radar ESG | Mater Dei (MATD3): Já na rota ESG (link)
  • Crédito de Carbono: Governo publica decreto para regulamentar o mercado; Confira nossa análise (link)
  • Reunião com Joaquim Leite, Ministro do Meio Ambiente: Carbono e energia renovável centralizam as discussões (link)
  • Radar ESG | Ambipar (AMBP3): Sobre fazer parte solução (link)
  • Radar ESG | Raízen (RAIZ4): No caminho de um futuro mais verde (link)
  • Radar ESG | Cruzeiro do Sul (CSED3): No caminho certo (link)
  • Radar ESG | Juniores de O&G (RRRP3 e RECV3): Envolvidas com a agenda ESG, enquanto enfrentam ventos contrários ao setor (link)
  • Radar ESG | Petz (PETZ3): A caminho de se tornar uma empresa ESG para cachorro (link)
  • Carteira ESG XP: Uma alteração no nosso portfólio para abril (link)
  • Seis temas-chave no investimento ESG frente ao conflito Rússia/Ucrânia (link)
  • SEC anuncia proposta para divulgação obrigatória de dados climáticos; Positivo (link)
  • Update ESG | Petrobras (PETR4): Feedback do webinar sobre clima (link)
  • Radar ESG | Telefônica Brasil / Vivo (VIVT3): Conectando-se à agenda ESG (link)
  • Mulheres na liderança: Um olhar sobre a representatividade feminina nas empresas da B3 (link)
  • Carteira ESG XP: Uma alteração no nosso portfólio para março (link)
  • ISE B3: Um raio-X da nova carteira do Índice de Sustentabilidade da B3 (link)
  • Radar ESG | Panvel (PNVL3): Prescrevendo a agenda ESG (link)
  • Carteira ESG XP: Uma alteração no portfólio para fevereiro (link)
  • Radar ESG | Omega Energia (MEGA3): Líder em energia renovável, surfando a onda da sustentabilidade (link)
  • Radar ESG | Desktop (DESK3): No início da jornada ESG (link)
  • Carteira ESG XP: Sem alterações em nosso portfólio para janeiro (link)
  • Radar ESG | AgroGalaxy (AGXY3): Plantando as sementes ESG (link)
  • Radar ESG | Petrobras (PETR4): E o campo ESG, como a Petrobras está explorando? (link)
  • Radar ESG | Oncoclínicas (ONCO3): Ainda na sala de espera (link)
  • Radar ESG | Aviação Brasil (EMBR3, AZUL4 e GOLL4): Voando pelos ares ESG (link)
  • Radar ESG | Alpargatas (ALPA4): Iniciando a caminhada pela agenda ESG (link)
  • Radar ESG | Kepler Weber (KEPL3): Um começo promissor (link)
  • Radar ESG | TIM (TIMS3): Chamando a agenda ESG (link)
  • ESG: O que moldará os investimentos sustentáveis em 2022? (link)
  • Carteira ESG XP: Sem alterações em nosso portfólio para dezembro (link)
  • Radar ESG | Burger King Brasil (BKBR): Espaço para avanço na agenda, mas os planos ambiciosos adiante animam (link)
  • COP26: Implicações do documento final (link)
  • Expo Dubai: Buscando soluções diante de recursos finitos (link)
  • Expo Dubai: Todos os olhos voltados para o futuro da mobilidade (link)
  • Expo Dubai: Tecnologia e sustentabilidade centralizam os destaques do evento nesta terça-feira (link)
  • Expo Dubai: Três principais destaques do evento nesta segunda-feira, dia do Brasil na feira (link)
  • COP26: Um encontro decisivo para conter o aquecimento global (link)
  • Seleção BDRs ESG​: 15 nomes para exposição internacional ao tema (link)
  • Radar ESG | Kora Saúde (KRSA3): Ainda há um caminho a ser percorrido (link)
  • Radar ESG | Empresas de Autopeças: Preparando a estrada ESG; Governança e segurança em primeiro lugar (link)
  • Radar ESG | Unifique (FIQE3) e Brisanet (BRIT3): O que as empresas de telecomunicações brasileiras têm feito? (link)
  • Radar ESG | Natura&Co. (NTCO3): Não é apenas maquiagem; ESG é uma realidade! (link)
  • Vale (VALE3): Feedback do Webinar ESG; Todos os olhos voltados para a redução de riscos (link)
  • Radar ESG | Totvs (TOTS3): A melhor posicionada no setor de tecnologia sob a cobertura da XP (link)
  • Assembleia Geral da ONU: Cenário climático alarmante centraliza as discussões (link)
  • Amazônia: Entendendo a importância da maior floresta tropical do mundo (link)
  • ESG no centro das discussões; Três principais aprendizados da Expert XP 2021 (link)
  • Radar ESG | Companhia Brasileira de Alumínio (CBAV3): Uma líder em alumínio verde, com forte posicionamento ESG (link)
  • Relatório do IPCC: Um chamado para todos, inclusive para o mercado, frente a um cenário alarmante do clima (link)
  • Radar ESG | WEG (WEGE3): Um player ESG bem equipado para se beneficiar das tendências adiante (link)
  • Radar ESG | Boa Safra (SOJA3): Agenda ESG em produção, semente por semente (link)
  • Água: Onde há escassez, há oportunidade (link)
  • Radar ESG | Positivo (POSI3): Um trabalho em andamento (link)
  • B3 anuncia nova metodologia para o ISE; Positivo (link)
  • Radar ESG | G2D (G2DI33): Abraçando os pilares S e E através do portfólio de investimentos de impacto (link)
  • Ambev (ABEV3): Feedback do evento ESG; Reforçamos nossa visão positiva (link)
  • Radar ESG | Setor de infraestrutura (CCRO3, ECOR3, RAIL3, HBSA3, STBP3): Preparando o asfalto (link)
  • Crédito de carbono: Capturando parte da solução; 5 nomes para exposição ao tema (link)
  • Radar ESG | Incorporadoras de Imóveis Residenciais Populares: Construindo os andares ESG (link)
  • Radar ESG | Arezzo & Co. (ARZZ3): Caminhando com seus próprios passos pela agenda ESG (link)
  • Trilogia ESG (Pt. I): Um mergulho no pilar E; Três nomes que são parte da solução (link)
  • Radar ESG | Blau (BLAU3) e Hypera (HYPE3): Em busca da fórmula ESG (link)
  • Bitcoin e ESG: Entenda os dois lados da moeda (link)
  • Radar ESG | Bemobi (BMOB3): Diversidade é o nome do jogo (link)
  • Radar ESG | Setor de Logística (SIMH3, JSLG3 e VAMO3): Preparando-se para a estrada ESG (link)
  • Radar ESG | Laboratórios: ESG ainda na triagem; Fleury se destacando em relação aos pares (link)
  • Cúpula de Líderes sobre o Clima: Tecnologia, economia e agenda verde centralizam as discussões no segundo dia do evento (link)
  • Cúpula de Líderes sobre o Clima: Cooperação global é uma das três principais mensagens do evento (link)
  • Radar ESG | Locadoras de automóveis: Rumo à agenda ESG; Localiza liderando a corrida (link)
  • Radar ESG | São Martinho (SMTO3): Quanto mais se semeia, maior é a colheita (link)
  • Radar ESG | Orizon (ORVR3): Quando ESG está escrito no DNA (link)
  • Sondagem XP/ESG com investidores institucionais (link)
  • O melhor dos dois mundos: Seleção de 10 BDRs para exposição internacional ao tema ESG (link)
  • Radar ESG | Enjoei (ENJU3): O usado é o novo “novo”? (link)
  • Radar ESG | CSN Mineração (CMIN3): Explorando os campos ESG (link)
  • Radar ESG | Jalles (JALL3): Plantando as sementes ESG (link)
  • Radar ESG | Incorporadoras de alta renda: ESG ainda em construção (link)
  • Radar ESG | Setor de saúde: O ESG ainda está na sala de espera? (link)
  • Radar ESG | Quão sustentáveis são as empresas de e-commerce? Uma análise ESG dessas gigantes (link)
  • Radar ESG | IMC (MEAL3): Por que a empresa ainda tem muito espaço para melhorar? (link)
  • Radar ESG | Aeris (AERI3): Uma das empresas melhor posicionada para surfar o vento ESG (link)
  • Radar ESG | 3R Petroleum: Construindo um caminho que incorpora metas ESG (link)
  • Radar ESG | Setor de supermercados: Vale a pena encher o carrinho? (link)
  • Radar ESG | JHSF (JHSF3): Espaço para melhorias (link)
  • Radar ESG | Quem é o melhor aluno da classe? Avaliando os líderes em ESG dentre as empresas de educação no Brasil (link)
  • Panorama do marco regulatório de investimentos ESG no Brasil (link)
  • CVM e B3 estudam intensificar critérios ESG para as companhias listadas (link)
  • Radar ESG | Setor de vestuário e joias: ESG ainda na confecção (link)
  • ESG: Tendências e preferências para 2021 (link)
  • Radar ESG | LOG Commercial Properties (LOGG3): Oportunidades em empreendimentos verdes (link)
  • Eleições americanas: Quais os efeitos para a agenda ESG nos EUA e no Brasil? (link)
  • Radar ESG | Farmácias: Raia Drogasil como a ação prescrita no setor para exposição a ESG (link)
  • Radar ESG | Shoppings: Entenda o que importa para eles quando o tema é ESG (link)
  • Radar ESG | Ambev (ABEV3): Um case que desce redondo (link)
  • Feedback do roadshow ESG: O que as gestoras no Brasil estão fazendo em relação ao tema? (link)
  • ESG de A a Z: Tudo o que você precisa saber sobre o tema (link)

Ainda não tem conta na XP? Clique aqui e abra a sua!

XP Expert

Avaliação

O quão foi útil este conteúdo pra você?


Newsletter
Newsletter

Gostaria de receber nossos conteúdos por e-mail?

Cadastre-se e receba grátis nossos relatórios e recomendações de investimentos

Telegram
Telegram XP

Acesse os conteúdos

Telegram XP

pelo Telegram da XP Investimentos

A XP Investimentos CCTVM S/A, inscrita sob o CNPJ: 02.332.886/0001-04, é uma instituição financeira autorizada a funcionar pelo Banco Central do Brasil.Toda comunicação através de rede mundial de computadores está sujeita a interrupções ou atrasos, podendo impedir ou prejudicar o envio de ordens ou a recepção de informações atualizadas. A XP Investimentos exime-se de responsabilidade por danos sofridos por seus clientes, por força de falha de serviços disponibilizados por terceiros. A XP Investimentos CCTVM S/A é instituição autorizada a funcionar pelo Banco Central do Brasil.


Este site usa cookies e dados pessoais de acordo com a nossa Política de Cookies (gerencie suas preferências de cookies) e a nossa Política de Privacidade.