XP Expert

Crises recentes impulsionam a União Europeia na redução do uso de combustíveis fósseis | Café com ESG, 02/06

Comece o dia bem informado com as principais notícias ao redor do Brasil e do mundo quando o tema é ESG!

Compartilhar:

  • Compartilhar no Facebook
  • Compartilhar no Twitter
  • Compartilhar no Whatsapp
  • Compartilhar no LinkedIn
  • Compartilhar via E-mail

Bom dia! Neste relatório diário publicado todas as manhãs pelo time ESG do Research da XP, buscamos trazer as últimas notícias para que você comece o dia bem informado e fique por dentro do que o Brasil e o mundo fala sobre um tema que tem ficado cada vez mais relevante: ESG – do termo em inglês Environmental, Social and Governance ou, em português, ASG – Ambiental, Social e Governança.

Quais tópicos abordamos ao longo do conteúdo? (i) Notícias no Brasil e no mundo acerca do tema ESG; (ii) Performance histórica dos principais índices ESG em diferentes países; (iii) Comparativo da performance do Ibovespa vs. ISE (Índice de Sustentabilidade Empresarial, da B3); e (iv) Lista com os últimos relatórios publicados pelo Research ESG da XP.
Por que essas informações são importantes? 
Porque elas indicam os temas dentro da agenda ESG que estão sendo cada vez mais monitoradas por parte dos investidores e das empresas, e podem impactar os preços das ações de diferentes companhias.

Esperamos que aproveite a leitura!

Principais tópicos do dia

• O mercado fechou o pregão de quarta-feira em território neutro, com o Ibov estável e o ISE em leve queda de -0,2%.

• No Brasil, uma pesquisa realizada pelo Conselho Empresarial Brasileiro para o Desenvolvimento Sustentável com 16 grandes empresas identificou os desafios e oportunidades para o transporte elétrico de cargas no país – o estudo elencou pontos essenciais para que a transformação da mobilidade avance, como a formação de uma melhor infraestrutura de recarga de baterias, a criação de um marco legal e de programas de fomento à eletromobilidade e a adoção de um conjunto de sistemas e tecnologias que facilitem a gestão de dados.

• No internacional, (i) uma análise das políticas climáticas dos países da UE mostrou que, desde 2020, dos 27 países membros do grupo, 17 intensificaram seus planos para aumentar a energia renovável, marcando o período em que as crises de energia e COVID-19 impulsionaram as nações a se colocarem no caminho para reduzir o uso de combustíveis fósseis nesta década; e (ii) em um evento com o Banco Internacional de Compensações, o banco central dos bancos centrais, vários dirigentes se disseram dispostos a seguir com a bandeira de combater o atual surto inflacionário e, também, as mudanças climáticas.

Gostaria de receber os relatórios ESG por e-mailClique aqui.
Gostou do conteúdo, tem alguma dúvida ou quer nos enviar uma sugestão? Basta deixar um comentário no final do post!


XPInc CTA

Abra a sua conta na XP Investimentos!

XPInc CTA

Assine conteúdos exclusivos aqui!

XPInc CTA

Receba conteúdos da Expert pelo Telegram!

Brasil

Empresas

Transporte eletrificado enfrenta falta de marco legal e infraestrutura

“A formação de uma melhor infraestrutura de recarga de baterias, a criação de um marco legal e de programas de fomento à eletromobilidade e a adoção de um conjunto de sistemas e tecnologias que facilitem a gestão de dados, entre outros temas, são alguns dos aspectos apontados em uma pesquisa com 16 grandes empresas para identificar desafios e oportunidades para o transporte elétrico de cargas. Realizado pelo Conselho Empresarial Brasileiro para o Desenvolvimento Sustentável (CEBDS), e encomendado pelo Instituto Clima e Sociedade (iCS), o levantamento teve como objetivo mapear o cenário atual em diversas situações: da logística de entregas de mercadorias ao consumidor final até o deslocamento de longas distâncias para equipamentos e suprimentos. Marina Grossi, presidente do CEBDS, disse que o estudo identificou pontos essenciais para que a transformação da mobilidade avance, como novas leis e normas que favoreçam a utilização de veículos elétricos e a ampliação da infraestrutura de recarga, o que pode criar ambiente favorável para a realização de investimentos pelas empresas.”

Fonte: Valor Econômico, 02/06/2022

Startups terão fundo para impacto positivo na floresta

“A gestora de venture capital KPTL e o Fundo Vale lançam hoje um fundo de investimento de R$ 200 milhões em participações em startups que causem impacto positivo na área de floresta e clima. Os aportes têm previsão de ocorrer ao longo de cinco anos. “O objetivo é que se chegue no fundo de R$ 200 milhões sabendo que esta vertical pode ser muito maior pela aptidão natural da região”, diz Renato Ramalho, CEO da KPTL. Ao final de dois anos, adianta o executivo, a ideia é ter um portfólio de 25 a 35 empresas. “Este não é um fundo para reflorestamento”, esclarece Ramalho. “Mas que vai olhar para empresas com caráter inovativo e de base tecnológica, e que terá relação próxima com a agenda de reflorestamento. A ideia é dar potência a iniciativas que podem ajudar no reflorestamento”, segue. “Estamos falando de economia regenerativa, de biotecnologia, fármacos, logística, varejo, uma pauta ampla.””

Fonte: Valor Econômico, 02/06/2022

A favela é uma solução verde para o ESG, diz Edu Lyra

“Mais de 14 milhões de pessoas moram em favelas no Brasil. Se fossem um estado, as favelas seriam o sétimo mais populoso, e o quinto de maior renda, com um PIB superior a 130 bilhões de reais. Edu Lyra, fundador da Gerando Falcões, organização que promove o empreendedorismo na base da pirâmide, tem dificuldade para entender por que tantas empresas escolhem ignorar esse mercado. “O empresário que não está olhando para a favela hoje, é como se estivesse dormindo no volante do caminhão”, afirma Lyra.” Um dos primeiros projetos em desenvolvimento envolve a BRK Ambiental, empresa de saneamento e primeira apoiadora do Favela Beta. A empresa irá implementar um projeto piloto em Vergel do Lago, um dos bairros mais antigos de Maceió.”

Fonte: Exame, 01/06/2022

Internacional

Política

Guerra na Ucrânia e pandemia devem acelerar a transição energética verde da Europa, segundo relatório

“A maioria dos países da União Europeia impulsionou seus planos de energia renovável desde 2020, colocando-os no caminho para reduzir o uso de combustíveis fósseis nesta década, à medida que as crises de energia e COVID-19 estimularam, não atrapalharam sua transição verde, disseram pesquisadores nesta quinta-feira. O aumento dos custos de energia e os choques de oferta desencadeados pela invasão da Ucrânia pela Rússia levaram alguns países a queimar mais carvão e comprar gás não russo, levantando temores de que isso prejudicará os esforços para combater as mudanças climáticas. Uma análise das políticas climáticas dos países da UE sugere que, a longo prazo, o oposto deve ser verdadeiro. Dos 27 países membros da UE, 17 aumentaram seus planos para aumentar a energia renovável desde 2020, disseram os think tanks Ember e o Centro de Pesquisa e Ar Limpo. Se alcançados, os planos mais recentes dos países verão 63% da eletricidade da UE produzida a partir de fontes renováveis ​​​​até 2030, acima dos 55% de suas políticas de 2019, disseram os pesquisadores.”

Fonte: Reuters, 01/06/20225

A África pode crescer sem combustíveis fósseis?

“Em Hell’s Gate, a duas horas de carro ao norte de Nairóbi, o vapor jorra da crosta terrestre, gerando uma forma renovável de energia que supre quase metade das necessidades atuais de eletricidade do Quênia. O vapor é capturado em quilômetros de tubos verdes, que se enrolam nas encostas como pítons gigantes em direção às usinas de energia que convertem a energia vulcânica em eletricidade. O que começou como um experimento peculiar há 40 anos agora é uma indústria séria. O Quênia tem reservas geotérmicas suficientes para multiplicar sua capacidade instalada atual em pelo menos oito vezes, de acordo com a Autoridade Reguladora de Energia e Petróleo, o regulador de energia do país. Em teoria, isso daria a oportunidade de aumentar massivamente as indústrias de energia renovável, da fabricação verde ao hidrogênio verde.”

Fonte: Financial Times, 01/06/20225

Promessa do Catar sobre neutralidade de carbono na Copa é “enganosa”, diz ONG

“A promessa de neutralidade de carbono feita pela organização da Copa do Mundo do Catar é “enganosa”, afirma a ONG Carbon Market Watch em um relatório publicado nesta terça-feira. “Os dados sugerem que as emissões ligadas à Copa do Mundo serão consideravelmente mais altas do que o previsto pela organização e que os créditos de carbono destinados a compensar essas emissões não terão um impacto suficientemente positivo para o clima”, afirma o autor do relatório, Gilles Dufrasne. Em comunicado, o Comitê Organizador do Mundial classificou as conclusões do relatório de “especulativas e inexatas”. “Estamos em um bom caminho para organizar uma Copa do Mundo neutra em carbono”, diz a nota do Comitê.”

Fonte: GHZ, 31/05/20225

Planeta Azul: Navegando nas águas do ESG

“Em vista de sua grande importância, cada vez mais a preocupação com a saúde e a vida do oceano vem se marcando presente em conferências e organizações mundiais. Na última conferência em comemoração ao Dia Mundial do Oceano, em 2021, o então secretário-geral das Nações Unidas, António Guterres, pontuou os benefícios desse território para a humanidade e como ele vem sofrendo com a ação antropogênica e os efeitos das mudanças climáticas. Segundo Guterres, a poluição plástica e a sobrepesca já causaram uma perda de quase US$ 90 bilhões, aumentando a vulnerabilidade de famílias que são integralmente dependentes de fontes vindas das regiões costeiras. As projeções do Sexto Relatório de Avaliação (AR6) do Painel Intergovernamental sobre Mudanças Climáticas (IPCC), que reuniu 278 cientistas de 65 países, mostraram quase 1 metro de aumento médio do nível do mar em seu cenário mais pessimista, caso nada seja feito e as emissões atinjam um patamar desenfreado. E o aquecimento do planeta é um dos principais vilões do oceano.”

Fonte: Valor Econômico, 02/06/20225

Regulação

BCs querem combater inflação e mudança climática

“Os bancos centrais estão enfrentando muitas dificuldades para combater o maior surto inflacionário em 40 anos, e agora estão sendo cobrados porque estão se engajando também na luta para evitar as mudanças climáticas. Em um evento do banco central dos bancos centrais, o Banco Internacional de Compensações (BIS, na sigla em inglês), vários dirigentes se disseram dispostos a seguir com essa nova bandeira. Os críticos dizem que, ao cuidar de muitas coisas diferentes, os banqueiros centrais dedicam menos tempo a fazer o que realmente está no centro do seu mandato: garantir a estabilidade do poder de compra das moedas. Em anos recentes, alguns bancos centrais ampliaram o seu escopo para áreas fora de seu perímetro original. O Federal Reserve (Fed, o banco central americano), por exemplo, mudou o mandato para olhar também o desemprego de minorias, o que de certa forma significa combater a desigualdade social.”

Fonte: Valor Econômico, 02/06/2022


Índices ESG e suas performances

(1) O Índice ISE (Índice de Sustentabilidade Empresarial da B3) tem como objetivo ser o indicador do desempenho médio das cotações dos ativos de empresas com reconhecido comprometimento com o desenvolvimento sustentável, práticas e alinhamento estratégico com a sustentabilidade empresarial.
(2) O Índice S&P/B3 Brasil ESG mede a performance de títulos que cumprem critérios de sustentabilidade e é ponderado pelas pontuações ESG da S&P DJI. Ele exclui ações com base na sua participação em certas atividades comerciais, no seu desempenho em comparação com o Pacto Global da ONU e também cias sem pontuação ESG da S&P DJI.
(3) O ICO2 tem como propósito ser um instrumento indutor das discussões sobre mudança do clima no Brasil. A adesão das companhias ao ICO2 demonstra o comprometimento com a transparência de suas emissões e antecipa a visão de como estão se preparando para uma economia de baixo carbono.
(4) O objetivo do IGCT é ser o indicador do desempenho médio das cotações dos ativos de emissão de empresas integrantes do IGC que atendam aos critérios adicionais descritos nesta metodologia.
(5) A série de índices FTSE4Good foi projetada para medir o desempenho de empresas que demonstram fortes práticas ambientais, sociais e de governança (ESG).
(6)
O Índice MSCI ACWI, que representa o desempenho de todo o conjunto de ações de grande e médio porte do mundo, em 23 mercados desenvolvidos e 26 emergentes.


Nossos últimos relatórios

  • Radar ESG | Mater Dei (MATD3): Já na rota ESG (link)
  • Crédito de Carbono: Governo publica decreto para regulamentar o mercado; Confira nossa análise (link)
  • Reunião com Joaquim Leite, Ministro do Meio Ambiente: Carbono e energia renovável centralizam as discussões (link)
  • Radar ESG | Ambipar (AMBP3): Sobre fazer parte solução (link)
  • Radar ESG | Raízen (RAIZ4): No caminho de um futuro mais verde (link)
  • Radar ESG | Cruzeiro do Sul (CSED3): No caminho certo (link)
  • Radar ESG | Juniores de O&G (RRRP3 e RECV3): Envolvidas com a agenda ESG, enquanto enfrentam ventos contrários ao setor (link)
  • Radar ESG | Petz (PETZ3): A caminho de se tornar uma empresa ESG para cachorro (link)
  • Carteira ESG XP: Uma alteração no nosso portfólio para abril (link)
  • Seis temas-chave no investimento ESG frente ao conflito Rússia/Ucrânia (link)
  • SEC anuncia proposta para divulgação obrigatória de dados climáticos; Positivo (link)
  • Update ESG | Petrobras (PETR4): Feedback do webinar sobre clima (link)
  • Radar ESG | Telefônica Brasil / Vivo (VIVT3): Conectando-se à agenda ESG (link)
  • Mulheres na liderança: Um olhar sobre a representatividade feminina nas empresas da B3 (link)
  • Carteira ESG XP: Uma alteração no nosso portfólio para março (link)
  • ISE B3: Um raio-X da nova carteira do Índice de Sustentabilidade da B3 (link)
  • Radar ESG | Panvel (PNVL3): Prescrevendo a agenda ESG (link)
  • Carteira ESG XP: Uma alteração no portfólio para fevereiro (link)
  • Radar ESG | Omega Energia (MEGA3): Líder em energia renovável, surfando a onda da sustentabilidade (link)
  • Radar ESG | Desktop (DESK3): No início da jornada ESG (link)
  • Carteira ESG XP: Sem alterações em nosso portfólio para janeiro (link)
  • Radar ESG | AgroGalaxy (AGXY3): Plantando as sementes ESG (link)
  • Radar ESG | Petrobras (PETR4): E o campo ESG, como a Petrobras está explorando? (link)
  • Radar ESG | Oncoclínicas (ONCO3): Ainda na sala de espera (link)
  • Radar ESG | Aviação Brasil (EMBR3, AZUL4 e GOLL4): Voando pelos ares ESG (link)
  • Radar ESG | Alpargatas (ALPA4): Iniciando a caminhada pela agenda ESG (link)
  • Radar ESG | Kepler Weber (KEPL3): Um começo promissor (link)
  • Radar ESG | TIM (TIMS3): Chamando a agenda ESG (link)
  • ESG: O que moldará os investimentos sustentáveis em 2022? (link)
  • Carteira ESG XP: Sem alterações em nosso portfólio para dezembro (link)
  • Radar ESG | Burger King Brasil (BKBR): Espaço para avanço na agenda, mas os planos ambiciosos adiante animam (link)
  • COP26: Implicações do documento final (link)
  • Expo Dubai: Buscando soluções diante de recursos finitos (link)
  • Expo Dubai: Todos os olhos voltados para o futuro da mobilidade (link)
  • Expo Dubai: Tecnologia e sustentabilidade centralizam os destaques do evento nesta terça-feira (link)
  • Expo Dubai: Três principais destaques do evento nesta segunda-feira, dia do Brasil na feira (link)
  • COP26: Um encontro decisivo para conter o aquecimento global (link)
  • Seleção BDRs ESG​: 15 nomes para exposição internacional ao tema (link)
  • Radar ESG | Kora Saúde (KRSA3): Ainda há um caminho a ser percorrido (link)
  • Radar ESG | Empresas de Autopeças: Preparando a estrada ESG; Governança e segurança em primeiro lugar (link)
  • Radar ESG | Unifique (FIQE3) e Brisanet (BRIT3): O que as empresas de telecomunicações brasileiras têm feito? (link)
  • Radar ESG | Natura&Co. (NTCO3): Não é apenas maquiagem; ESG é uma realidade! (link)
  • Vale (VALE3): Feedback do Webinar ESG; Todos os olhos voltados para a redução de riscos (link)
  • Radar ESG | Totvs (TOTS3): A melhor posicionada no setor de tecnologia sob a cobertura da XP (link)
  • Assembleia Geral da ONU: Cenário climático alarmante centraliza as discussões (link)
  • Amazônia: Entendendo a importância da maior floresta tropical do mundo (link)
  • ESG no centro das discussões; Três principais aprendizados da Expert XP 2021 (link)
  • Radar ESG | Companhia Brasileira de Alumínio (CBAV3): Uma líder em alumínio verde, com forte posicionamento ESG (link)
  • Relatório do IPCC: Um chamado para todos, inclusive para o mercado, frente a um cenário alarmante do clima (link)
  • Radar ESG | WEG (WEGE3): Um player ESG bem equipado para se beneficiar das tendências adiante (link)
  • Radar ESG | Boa Safra (SOJA3): Agenda ESG em produção, semente por semente (link)
  • Água: Onde há escassez, há oportunidade (link)
  • Radar ESG | Positivo (POSI3): Um trabalho em andamento (link)
  • B3 anuncia nova metodologia para o ISE; Positivo (link)
  • Radar ESG | G2D (G2DI33): Abraçando os pilares S e E através do portfólio de investimentos de impacto (link)
  • Ambev (ABEV3): Feedback do evento ESG; Reforçamos nossa visão positiva (link)
  • Radar ESG | Setor de infraestrutura (CCRO3, ECOR3, RAIL3, HBSA3, STBP3): Preparando o asfalto (link)
  • Crédito de carbono: Capturando parte da solução; 5 nomes para exposição ao tema (link)
  • Radar ESG | Incorporadoras de Imóveis Residenciais Populares: Construindo os andares ESG (link)
  • Radar ESG | Arezzo & Co. (ARZZ3): Caminhando com seus próprios passos pela agenda ESG (link)
  • Trilogia ESG (Pt. I): Um mergulho no pilar E; Três nomes que são parte da solução (link)
  • Radar ESG | Blau (BLAU3) e Hypera (HYPE3): Em busca da fórmula ESG (link)
  • Bitcoin e ESG: Entenda os dois lados da moeda (link)
  • Radar ESG | Bemobi (BMOB3): Diversidade é o nome do jogo (link)
  • Radar ESG | Setor de Logística (SIMH3, JSLG3 e VAMO3): Preparando-se para a estrada ESG (link)
  • Radar ESG | Laboratórios: ESG ainda na triagem; Fleury se destacando em relação aos pares (link)
  • Cúpula de Líderes sobre o Clima: Tecnologia, economia e agenda verde centralizam as discussões no segundo dia do evento (link)
  • Cúpula de Líderes sobre o Clima: Cooperação global é uma das três principais mensagens do evento (link)
  • Radar ESG | Locadoras de automóveis: Rumo à agenda ESG; Localiza liderando a corrida (link)
  • Radar ESG | São Martinho (SMTO3): Quanto mais se semeia, maior é a colheita (link)
  • Radar ESG | Orizon (ORVR3): Quando ESG está escrito no DNA (link)
  • Sondagem XP/ESG com investidores institucionais (link)
  • O melhor dos dois mundos: Seleção de 10 BDRs para exposição internacional ao tema ESG (link)
  • Radar ESG | Enjoei (ENJU3): O usado é o novo “novo”? (link)
  • Radar ESG | CSN Mineração (CMIN3): Explorando os campos ESG (link)
  • Radar ESG | Jalles (JALL3): Plantando as sementes ESG (link)
  • Radar ESG | Incorporadoras de alta renda: ESG ainda em construção (link)
  • Radar ESG | Setor de saúde: O ESG ainda está na sala de espera? (link)
  • Radar ESG | Quão sustentáveis são as empresas de e-commerce? Uma análise ESG dessas gigantes (link)
  • Radar ESG | IMC (MEAL3): Por que a empresa ainda tem muito espaço para melhorar? (link)
  • Radar ESG | Aeris (AERI3): Uma das empresas melhor posicionada para surfar o vento ESG (link)
  • Radar ESG | 3R Petroleum: Construindo um caminho que incorpora metas ESG (link)
  • Radar ESG | Setor de supermercados: Vale a pena encher o carrinho? (link)
  • Radar ESG | JHSF (JHSF3): Espaço para melhorias (link)
  • Radar ESG | Quem é o melhor aluno da classe? Avaliando os líderes em ESG dentre as empresas de educação no Brasil (link)
  • Panorama do marco regulatório de investimentos ESG no Brasil (link)
  • CVM e B3 estudam intensificar critérios ESG para as companhias listadas (link)
  • Radar ESG | Setor de vestuário e joias: ESG ainda na confecção (link)
  • ESG: Tendências e preferências para 2021 (link)
  • Radar ESG | LOG Commercial Properties (LOGG3): Oportunidades em empreendimentos verdes (link)
  • Eleições americanas: Quais os efeitos para a agenda ESG nos EUA e no Brasil? (link)
  • Radar ESG | Farmácias: Raia Drogasil como a ação prescrita no setor para exposição a ESG (link)
  • Radar ESG | Shoppings: Entenda o que importa para eles quando o tema é ESG (link)
  • Radar ESG | Ambev (ABEV3): Um case que desce redondo (link)
  • Feedback do roadshow ESG: O que as gestoras no Brasil estão fazendo em relação ao tema? (link)
  • ESG de A a Z: Tudo o que você precisa saber sobre o tema (link)

Ainda não tem conta na XP? Clique aqui e abra a sua!

XP Expert

Avaliação

O quão foi útil este conteúdo pra você?


Newsletter
Newsletter

Gostaria de receber nossos conteúdos por e-mail?

Cadastre-se e receba grátis nossos relatórios e recomendações de investimentos

Telegram
Telegram XP

Acesse os conteúdos

Telegram XP

pelo Telegram da XP Investimentos

A XP Investimentos CCTVM S/A, inscrita sob o CNPJ: 02.332.886/0001-04, é uma instituição financeira autorizada a funcionar pelo Banco Central do Brasil.Toda comunicação através de rede mundial de computadores está sujeita a interrupções ou atrasos, podendo impedir ou prejudicar o envio de ordens ou a recepção de informações atualizadas. A XP Investimentos exime-se de responsabilidade por danos sofridos por seus clientes, por força de falha de serviços disponibilizados por terceiros. A XP Investimentos CCTVM S/A é instituição autorizada a funcionar pelo Banco Central do Brasil.


Este site usa cookies e dados pessoais de acordo com a nossa Política de Cookies (gerencie suas preferências de cookies) e a nossa Política de Privacidade.