XP Expert

Governo pretende atualizar lei de concessões de florestas e destravar leilão de oito áreas ainda este ano | Café com ESG, 21/06

Comece o dia bem informado com as principais notícias ao redor do Brasil e do mundo quando o tema é ESG!

Compartilhar:

  • Compartilhar no Facebook
  • Compartilhar no Twitter
  • Compartilhar no Whatsapp
  • Compartilhar no LinkedIn
  • Compartilhar via E-mail

Bom dia! Neste relatório diário publicado todas as manhãs pelo time ESG do Research da XP, buscamos trazer as últimas notícias para que você comece o dia bem informado e fique por dentro do que o Brasil e o mundo fala sobre um tema que tem ficado cada vez mais relevante: ESG – do termo em inglês Environmental, Social and Governance ou, em português, ASG – Ambiental, Social e Governança.

Quais tópicos abordamos ao longo do conteúdo? (i) Notícias no Brasil e no mundo acerca do tema ESG; (ii) Performance histórica dos principais índices ESG em diferentes países; (iii) Comparativo da performance do Ibovespa vs. ISE (Índice de Sustentabilidade Empresarial, da B3); e (iv) Lista com os últimos relatórios publicados pelo Research ESG da XP.
Por que essas informações são importantes? 
Porque elas indicam os temas dentro da agenda ESG que estão sendo cada vez mais monitoradas por parte dos investidores e das empresas, e podem impactar os preços das ações de diferentes companhias.

Esperamos que aproveite a leitura!

Principais tópicos do dia

• O mercado fechou o pregão de segunda-feira em território neutro, com o Ibov estável e o ISE em leve queda de -0,2%.

• No Brasil, (i) o governo aposta em um projeto em tramitação na Câmara dos Deputados para atualizar a lei de concessões de florestas e destravar o leilão de oito áreas ainda este ano – a atual legislação proíbe que as florestas sob concessão sejam utilizadas no mercado de carbono, em que empresas interessadas pagam para manter a vegetação de um lugar e, com isso, compensar suas próprias emissões, mas o projeto acaba com essa restrição, o que especialistas entendem como positivo para estimular o interesse na exploração sustentável dessas áreas verdes; e (ii) o Laboratório de Inovação Financeira (LAB) estruturou, para 2022, uma força tarefa com cinco frentes de trabalho para fortalecer e intensificar os debates sobre o mercado voluntário de carbono no Brasil – segundo Daniela Baccas, analista na Superintendência de Proteção e Orientação aos Investidores (SOI) da CVM, que gere o LAB, o objetivo da frente de atuação é identificar as lacunas e entraves existentes no desenvolvimento dos mercados voluntários de carbono.

• No internacional, a produtora de carvão Glencore disse que não há como capturar as emissões de metano de minas de carvão a céu aberto após alegações recentes de que suas minas estavam liberando muito mais gás do que a empresa divulgou anteriormente.

Gostaria de receber os relatórios ESG por e-mailClique aqui.
Gostou do conteúdo, tem alguma dúvida ou quer nos enviar uma sugestão? Basta deixar um comentário no final do post!


XPInc CTA

Abra a sua conta na XP Investimentos!

XPInc CTA

Assine conteúdos exclusivos aqui!

XPInc CTA

Receba conteúdos da Expert pelo Telegram!

Brasil

Empresas

Já popular nas empresas, a sigla ESG ganha salas de aula do infantil à pós

“Usada para se referir a práticas ambientais, sociais e de governança, a sigla ESG – do inglês, Environmental, Social e Governance – já ganha popularidade há algum tempo no mundo corporativo. Na prática, diz o quanto um negócio busca meios de reduzir seus impactos no meio ambiente, se preocupa com as pessoas e as questões sociais e adota boas práticas administrativas. E essa nova tendência avança nos ambientes educacionais, do infantil à pós-graduação. Juntos os três pilares do ESG permitem, ainda, que os negócios sejam mais longevos e sólidos, e contribuam para a construção de um mundo mais sustentável. É um compromisso que envolve também a própria viabilidade das companhias, uma vez que o mercado financeiro mostra que levará cada vez mais em conta a responsabilidade social da empresa no momento de incentivar ou desestimular investimentos. Responder a esse cenário exige profissionais capacitados – e eles estão em falta. Um relatório da CFA Institute mapeou no LinkedIn os perfis de 1 milhão de profissionais de investimentos e constatou que apenas 1% tinha alguma formação na área de ESG.”

Fonte: Estadão, 20/06/2022

Regras internacionais de diligência e rastreabilidade nas cadeias: quais os impactos para o Brasil?

“Dentre os diversos temas da agenda ESG, a busca pela sustentabilidade nas cadeias de suprimentos e de valor é um dos tópicos mais importantes e desafiadores. A falha em garantir a extensão de padrões de sustentabilidade aos sucessivos níveis da cadeia de suprimentos cada vez mais expõe as empresas a uma série de consequências sociais, financeiras e legais. Crescem os casos de empresas sendo acionadas judicialmente por possíveis lacunas no monitoramento das suas cadeias de suprimentos. Em uma ação judicial que começou a ser julgada neste mês de junho, a varejista Casino, que controla o Grupo Pão de Açúcar no Brasil, foi demandada por entidades da sociedade civil brasileiras e europeias na justiça francesa. Estas alegam que a empresa tem falhado em garantir que seus fornecedores diretos e indiretos de carne, no Brasil e na Colômbia, estejam em conformidade com regras ambientais e sociais, como a proibição de criar gado em terras indígenas ou em unidades de conservação.”

Fonte: Valor Econômico, 21/06/2022

Política

Governo quer aval a mercado de carbono em concessão florestal

“O governo do presidente Jair Bolsonaro aposta em um projeto em tramitação na Câmara dos Deputados para atualizar a lei de concessões de florestas e destravar o leilão de oito áreas ainda este ano. A proposta, de autoria de um deputado da oposição, já foi aprovada por duas comissões e libera o uso dessas florestas para o mercado de carbono, que cresce aceleradamente no mundo. A atual legislação proíbe que as florestas sob concessão sejam utilizadas no mercado de carbono, em que empresas interessadas pagam para manter a vegetação de um lugar e, com isso, compensar suas próprias emissões. O projeto acaba com essa restrição, o que especialistas entendem como positivo para estimular o interesse na exploração sustentável dessas áreas verdes. Gerente de Portfólio do Instituto Escolhas, Jaqueline Ferreira diz que países como Peru e Bolívia já exploram o mercado de carbono na Amazônia e que o Brasil “está ficando para trás”.”

Fonte: Valor Econômico, 21/06/2022

Clique aqui para acessar o relatório | “Crédito de carbono: Capturando parte da solução; 5 nomes para exposição ao tema

LAB intensifica discussão sobre mercados voluntários de carbono no país

“O laboratório de Inovação Financeira (LAB) estruturou, para 2022, uma força tarefa com cinco frentes de trabalho lpara fortalecer e intensificar os debates sobre o mercado voluntário de carbono no Brasil. […] A Comissão de Valores Mobiliários (CVM) é gestora do LAB, ao lado da Associação Brasileira de Desenvolvimento (ABDE) e do Banco Interamericano de Desenvolvimento (BID), além de também contar com parceria da Deutsche Gesellschaft für Internationale Zusammenarbeit GmbH (GIZ). Segundo Daniela Baccas, analista na Superintendência de Proteção e Orientação aos Investidores (SOI) da CVM, o objetivo da frente de atuação é identificar as lacunas e entraves existentes no desenvolvimento dos mercados voluntários de carbono. “Além dessa análise, sob a perspectiva de infraestrutura, tecnologia blockchain, aspectos fundiários e questões estatais, as equipes de trabalho também buscarão apontar possíveis caminhos para solucionar essas dificuldades encontradas, visando maior robustez, integridade e segurança jurídica”, acrescentou Daniela, que também participa dessa força tarefa que se encontra inserida no Grupo de Trabalho de Finanças Verdes do LAB (GT FV).”

Fonte: gov.br, 20/06/2022

Internacional

Empresas

Aperam South America é a primeira empresa com balanço carbono neutro do mundo no segmento e anuncia investimentos

“A Aperam South America, maior empresa da América Latina em produção de aço inoxidável, se orgulha por ter atingido o balanço neutro entre emissões e remoções de gases de efeito estufa na atmosfera no acumulado de 2020/2021. A iniciativa faz da companhia a primeira do segmento de aços planos especiais com balanço carbono neutro no mundo, antecipando 30 anos do prazo estabelecido pela empresa: a redução de suas emissões até 2030 e a neutralização até 2050. De acordo com o diretor presidente da Aperam South America e da Aperam BioEnergia, Frederico Ayres Lima, a atuação da companhia foi pautada pelo conceito de inovabilidade, criado para definir o uso de inovação a favor da sustentabilidade. As medições comprovaram que a empresa não contribuiu para o efeito estufa. Na prática, após ter neutralizado a emissão de todo o volume de gases produzidos na fabricação de aço e de carvão vegetal, as operações integradas da empresa com a Aperam BioEnergia removeram da atmosfera um adicional de 33 mil toneladas métricas de gases de efeito estufa.”

Fonte: G1, 20/06/2022

Glencore e BHP dizem que metano de minas de carvão a céu aberto “gasosas” não pode ser capturado

“A produtora de carvão Glencore disse que não há como capturar as emissões de metano de minas de carvão a céu aberto após alegações recentes de que suas minas estavam liberando muito mais gás do que a empresa divulgou anteriormente. O metano é um gás de efeito estufa responsável por cerca de 30% do aquecimento global até o momento, de acordo com o Painel Intergovernamental sobre Mudanças Climáticas da ONU. No ano passado, os EUA e a UE pediram aos países que se unissem ao compromisso de reduzir as emissões de metano em pelo menos 30% até 2030. A Austrália, o segundo maior fornecedor de carvão do mundo, atrás da Indonésia, recusou-se a se juntar aos 113 países que assinaram o compromisso. A Glencore disse ao Financial Times que, diferentemente das minas subterrâneas, “não havia tecnologias ou métodos praticáveis para capturar as emissões fugitivas de metano das minas de carvão a céu aberto”.”

Fonte: Financial Times, 21/06/2022

Commerzbank e RWE assinam memorando de entendimento para fundo de energia eólica offshore

“O credor alemão Commerzbank disse nesta segunda-feira que assinou um memorando de entendimento com a concessionária RWE para criar um fundo que dá às empresas industriais alemãs de médio porte acesso à eletricidade gerada por energia eólica offshore. A RWE, que construirá e operará um parque eólico com capacidade de cerca de um gigawatt (GW), deterá 51% das ações do parque e os 49% restantes serão oferecidos a empresas de médio porte interessadas em participar do fundo.”

Fonte: Reuters, 20/06/2022

Política

Demanda de energia na China estabelece novos recordes à medida que ondas de calor avassalam cidades do norte

“O consumo de energia aumentou nas províncias chinesas ao norte do rio Yangtze devido ao clima mais quente que o normal, com regiões como Henan, a terceira província mais populosa da China, sendo testadas para atender a demanda recorde de eletricidade. A carga máxima de demanda de energia em Henan, que tem uma população de quase 100 milhões de pessoas, estabeleceu um novo recorde de 65,34 milhões de quilowatts no domingo, informou a televisão estatal na segunda-feira.”

Fonte: Reuters, 20/06/2022

Grécia subsidiará novas geladeiras e aparelhos de ar condicionado para reduzir conta de energia

“A Grécia oferecerá subsídios às famílias para ajudá-las a substituir suas geladeiras e aparelhos de ar-condicionado antigos e reduzir as crescentes contas de energia, disse o governo nesta segunda-feira. Como muitos outros países da UE, a Grécia foi dominada pelo aumento dos custos de energia, uma tendência que foi exacerbada após a invasão da Ucrânia pela Rússia e seu corte de fluxos de gás para vários países da Europa.”

Fonte: Reuters, 20/06/2022

Clique aqui para acessar o relatório | “Seis temas-chave no investimento ESG frente ao conflito Rússia/Ucrânia


Índices ESG e suas performances

(1) O Índice ISE (Índice de Sustentabilidade Empresarial da B3) tem como objetivo ser o indicador do desempenho médio das cotações dos ativos de empresas com reconhecido comprometimento com o desenvolvimento sustentável, práticas e alinhamento estratégico com a sustentabilidade empresarial.
(2) O Índice S&P/B3 Brasil ESG mede a performance de títulos que cumprem critérios de sustentabilidade e é ponderado pelas pontuações ESG da S&P DJI. Ele exclui ações com base na sua participação em certas atividades comerciais, no seu desempenho em comparação com o Pacto Global da ONU e também cias sem pontuação ESG da S&P DJI.
(3) O ICO2 tem como propósito ser um instrumento indutor das discussões sobre mudança do clima no Brasil. A adesão das companhias ao ICO2 demonstra o comprometimento com a transparência de suas emissões e antecipa a visão de como estão se preparando para uma economia de baixo carbono.
(4) O objetivo do IGCT é ser o indicador do desempenho médio das cotações dos ativos de emissão de empresas integrantes do IGC que atendam aos critérios adicionais descritos nesta metodologia.
(5) A série de índices FTSE4Good foi projetada para medir o desempenho de empresas que demonstram fortes práticas ambientais, sociais e de governança (ESG).
(6)
O Índice MSCI ACWI, que representa o desempenho de todo o conjunto de ações de grande e médio porte do mundo, em 23 mercados desenvolvidos e 26 emergentes.


Nossos últimos relatórios

  • Radar ESG | Mater Dei (MATD3): Já na rota ESG (link)
  • Crédito de Carbono: Governo publica decreto para regulamentar o mercado; Confira nossa análise (link)
  • Reunião com Joaquim Leite, Ministro do Meio Ambiente: Carbono e energia renovável centralizam as discussões (link)
  • Radar ESG | Ambipar (AMBP3): Sobre fazer parte solução (link)
  • Radar ESG | Raízen (RAIZ4): No caminho de um futuro mais verde (link)
  • Radar ESG | Cruzeiro do Sul (CSED3): No caminho certo (link)
  • Radar ESG | Juniores de O&G (RRRP3 e RECV3): Envolvidas com a agenda ESG, enquanto enfrentam ventos contrários ao setor (link)
  • Radar ESG | Petz (PETZ3): A caminho de se tornar uma empresa ESG para cachorro (link)
  • Carteira ESG XP: Uma alteração no nosso portfólio para abril (link)
  • Seis temas-chave no investimento ESG frente ao conflito Rússia/Ucrânia (link)
  • SEC anuncia proposta para divulgação obrigatória de dados climáticos; Positivo (link)
  • Update ESG | Petrobras (PETR4): Feedback do webinar sobre clima (link)
  • Radar ESG | Telefônica Brasil / Vivo (VIVT3): Conectando-se à agenda ESG (link)
  • Mulheres na liderança: Um olhar sobre a representatividade feminina nas empresas da B3 (link)
  • Carteira ESG XP: Uma alteração no nosso portfólio para março (link)
  • ISE B3: Um raio-X da nova carteira do Índice de Sustentabilidade da B3 (link)
  • Radar ESG | Panvel (PNVL3): Prescrevendo a agenda ESG (link)
  • Carteira ESG XP: Uma alteração no portfólio para fevereiro (link)
  • Radar ESG | Omega Energia (MEGA3): Líder em energia renovável, surfando a onda da sustentabilidade (link)
  • Radar ESG | Desktop (DESK3): No início da jornada ESG (link)
  • Carteira ESG XP: Sem alterações em nosso portfólio para janeiro (link)
  • Radar ESG | AgroGalaxy (AGXY3): Plantando as sementes ESG (link)
  • Radar ESG | Petrobras (PETR4): E o campo ESG, como a Petrobras está explorando? (link)
  • Radar ESG | Oncoclínicas (ONCO3): Ainda na sala de espera (link)
  • Radar ESG | Aviação Brasil (EMBR3, AZUL4 e GOLL4): Voando pelos ares ESG (link)
  • Radar ESG | Alpargatas (ALPA4): Iniciando a caminhada pela agenda ESG (link)
  • Radar ESG | Kepler Weber (KEPL3): Um começo promissor (link)
  • Radar ESG | TIM (TIMS3): Chamando a agenda ESG (link)
  • ESG: O que moldará os investimentos sustentáveis em 2022? (link)
  • Carteira ESG XP: Sem alterações em nosso portfólio para dezembro (link)
  • Radar ESG | Burger King Brasil (BKBR): Espaço para avanço na agenda, mas os planos ambiciosos adiante animam (link)
  • COP26: Implicações do documento final (link)
  • Expo Dubai: Buscando soluções diante de recursos finitos (link)
  • Expo Dubai: Todos os olhos voltados para o futuro da mobilidade (link)
  • Expo Dubai: Tecnologia e sustentabilidade centralizam os destaques do evento nesta terça-feira (link)
  • Expo Dubai: Três principais destaques do evento nesta segunda-feira, dia do Brasil na feira (link)
  • COP26: Um encontro decisivo para conter o aquecimento global (link)
  • Seleção BDRs ESG​: 15 nomes para exposição internacional ao tema (link)
  • Radar ESG | Kora Saúde (KRSA3): Ainda há um caminho a ser percorrido (link)
  • Radar ESG | Empresas de Autopeças: Preparando a estrada ESG; Governança e segurança em primeiro lugar (link)
  • Radar ESG | Unifique (FIQE3) e Brisanet (BRIT3): O que as empresas de telecomunicações brasileiras têm feito? (link)
  • Radar ESG | Natura&Co. (NTCO3): Não é apenas maquiagem; ESG é uma realidade! (link)
  • Vale (VALE3): Feedback do Webinar ESG; Todos os olhos voltados para a redução de riscos (link)
  • Radar ESG | Totvs (TOTS3): A melhor posicionada no setor de tecnologia sob a cobertura da XP (link)
  • Assembleia Geral da ONU: Cenário climático alarmante centraliza as discussões (link)
  • Amazônia: Entendendo a importância da maior floresta tropical do mundo (link)
  • ESG no centro das discussões; Três principais aprendizados da Expert XP 2021 (link)
  • Radar ESG | Companhia Brasileira de Alumínio (CBAV3): Uma líder em alumínio verde, com forte posicionamento ESG (link)
  • Relatório do IPCC: Um chamado para todos, inclusive para o mercado, frente a um cenário alarmante do clima (link)
  • Radar ESG | WEG (WEGE3): Um player ESG bem equipado para se beneficiar das tendências adiante (link)
  • Radar ESG | Boa Safra (SOJA3): Agenda ESG em produção, semente por semente (link)
  • Água: Onde há escassez, há oportunidade (link)
  • Radar ESG | Positivo (POSI3): Um trabalho em andamento (link)
  • B3 anuncia nova metodologia para o ISE; Positivo (link)
  • Radar ESG | G2D (G2DI33): Abraçando os pilares S e E através do portfólio de investimentos de impacto (link)
  • Ambev (ABEV3): Feedback do evento ESG; Reforçamos nossa visão positiva (link)
  • Radar ESG | Setor de infraestrutura (CCRO3, ECOR3, RAIL3, HBSA3, STBP3): Preparando o asfalto (link)
  • Crédito de carbono: Capturando parte da solução; 5 nomes para exposição ao tema (link)
  • Radar ESG | Incorporadoras de Imóveis Residenciais Populares: Construindo os andares ESG (link)
  • Radar ESG | Arezzo & Co. (ARZZ3): Caminhando com seus próprios passos pela agenda ESG (link)
  • Trilogia ESG (Pt. I): Um mergulho no pilar E; Três nomes que são parte da solução (link)
  • Radar ESG | Blau (BLAU3) e Hypera (HYPE3): Em busca da fórmula ESG (link)
  • Bitcoin e ESG: Entenda os dois lados da moeda (link)
  • Radar ESG | Bemobi (BMOB3): Diversidade é o nome do jogo (link)
  • Radar ESG | Setor de Logística (SIMH3, JSLG3 e VAMO3): Preparando-se para a estrada ESG (link)
  • Radar ESG | Laboratórios: ESG ainda na triagem; Fleury se destacando em relação aos pares (link)
  • Cúpula de Líderes sobre o Clima: Tecnologia, economia e agenda verde centralizam as discussões no segundo dia do evento (link)
  • Cúpula de Líderes sobre o Clima: Cooperação global é uma das três principais mensagens do evento (link)
  • Radar ESG | Locadoras de automóveis: Rumo à agenda ESG; Localiza liderando a corrida (link)
  • Radar ESG | São Martinho (SMTO3): Quanto mais se semeia, maior é a colheita (link)
  • Radar ESG | Orizon (ORVR3): Quando ESG está escrito no DNA (link)
  • Sondagem XP/ESG com investidores institucionais (link)
  • O melhor dos dois mundos: Seleção de 10 BDRs para exposição internacional ao tema ESG (link)
  • Radar ESG | Enjoei (ENJU3): O usado é o novo “novo”? (link)
  • Radar ESG | CSN Mineração (CMIN3): Explorando os campos ESG (link)
  • Radar ESG | Jalles (JALL3): Plantando as sementes ESG (link)
  • Radar ESG | Incorporadoras de alta renda: ESG ainda em construção (link)
  • Radar ESG | Setor de saúde: O ESG ainda está na sala de espera? (link)
  • Radar ESG | Quão sustentáveis são as empresas de e-commerce? Uma análise ESG dessas gigantes (link)
  • Radar ESG | IMC (MEAL3): Por que a empresa ainda tem muito espaço para melhorar? (link)
  • Radar ESG | Aeris (AERI3): Uma das empresas melhor posicionada para surfar o vento ESG (link)
  • Radar ESG | 3R Petroleum: Construindo um caminho que incorpora metas ESG (link)
  • Radar ESG | Setor de supermercados: Vale a pena encher o carrinho? (link)
  • Radar ESG | JHSF (JHSF3): Espaço para melhorias (link)
  • Radar ESG | Quem é o melhor aluno da classe? Avaliando os líderes em ESG dentre as empresas de educação no Brasil (link)
  • Panorama do marco regulatório de investimentos ESG no Brasil (link)
  • CVM e B3 estudam intensificar critérios ESG para as companhias listadas (link)
  • Radar ESG | Setor de vestuário e joias: ESG ainda na confecção (link)
  • ESG: Tendências e preferências para 2021 (link)
  • Radar ESG | LOG Commercial Properties (LOGG3): Oportunidades em empreendimentos verdes (link)
  • Eleições americanas: Quais os efeitos para a agenda ESG nos EUA e no Brasil? (link)
  • Radar ESG | Farmácias: Raia Drogasil como a ação prescrita no setor para exposição a ESG (link)
  • Radar ESG | Shoppings: Entenda o que importa para eles quando o tema é ESG (link)
  • Radar ESG | Ambev (ABEV3): Um case que desce redondo (link)
  • Feedback do roadshow ESG: O que as gestoras no Brasil estão fazendo em relação ao tema? (link)
  • ESG de A a Z: Tudo o que você precisa saber sobre o tema (link)

Ainda não tem conta na XP? Clique aqui e abra a sua!

XP Expert

Avaliação

O quão foi útil este conteúdo pra você?


Newsletter
Newsletter

Gostaria de receber nossos conteúdos por e-mail?

Cadastre-se e receba grátis nossos relatórios e recomendações de investimentos

Telegram
Telegram XP

Acesse os conteúdos

Telegram XP

pelo Telegram da XP Investimentos

A XP Investimentos CCTVM S/A, inscrita sob o CNPJ: 02.332.886/0001-04, é uma instituição financeira autorizada a funcionar pelo Banco Central do Brasil.Toda comunicação através de rede mundial de computadores está sujeita a interrupções ou atrasos, podendo impedir ou prejudicar o envio de ordens ou a recepção de informações atualizadas. A XP Investimentos exime-se de responsabilidade por danos sofridos por seus clientes, por força de falha de serviços disponibilizados por terceiros. A XP Investimentos CCTVM S/A é instituição autorizada a funcionar pelo Banco Central do Brasil.


Este site usa cookies e dados pessoais de acordo com a nossa Política de Cookies (gerencie suas preferências de cookies) e a nossa Política de Privacidade.