XP Expert

Das 404 empresas listadas na B3, 16% possuem metas claras de inclusão | Café com ESG, 20/06

Comece o dia bem informado com as principais notícias ao redor do Brasil e do mundo quando o tema é ESG!

Compartilhar:

  • Compartilhar no Facebook
  • Compartilhar no Twitter
  • Compartilhar no Whatsapp
  • Compartilhar no LinkedIn
  • Compartilhar via E-mail

Bom dia! Neste relatório diário publicado todas as manhãs pelo time ESG do Research da XP, buscamos trazer as últimas notícias para que você comece o dia bem informado e fique por dentro do que o Brasil e o mundo fala sobre um tema que tem ficado cada vez mais relevante: ESG – do termo em inglês Environmental, Social and Governance ou, em português, ASG – Ambiental, Social e Governança.

Quais tópicos abordamos ao longo do conteúdo? (i) Notícias no Brasil e no mundo acerca do tema ESG; (ii) Performance histórica dos principais índices ESG em diferentes países; (iii) Comparativo da performance do Ibovespa vs. ISE (Índice de Sustentabilidade Empresarial, da B3); e (iv) Lista com os últimos relatórios publicados pelo Research ESG da XP.
Por que essas informações são importantes? 
Porque elas indicam os temas dentro da agenda ESG que estão sendo cada vez mais monitoradas por parte dos investidores e das empresas, e podem impactar os preços das ações de diferentes companhias.

Esperamos que aproveite a leitura!

Principais tópicos do dia

• O mercado fechou o pregão de sexta-feira em território negativo, com o Ibov e o ISE em queda de -3,0% e -2,0%, respectivamente. Na semana, o Ibov e o ISE fecharam recuando -5,4% e -4,8%, respectivamente.

• No Brasil, (i) de 404 empresas com ações negociadas na B3, 59% não apresentam ao público metas definidas de inclusão de mulheres, pessoas não-brancas e pessoas com deficiência, e apenas 16% das empresas apresentam metas claras de inclusão – é o que aponta um levantamento realizado pela consultoria Luvi One em parceria com a fintech Arara.io; e (ii) depois de dez anos de estudos, pesquisas de legislações e melhores práticas internacionais, o Instituto Olga Kos de Inclusão Cultural criou a Escala Cidadã Olga Kos, um selo para medir inclusão social nas empresas, que acaba de ser homologada pelo Inmetro.

• No internacional, na semana passada, o Comitê de Supervisão Bancária da Basileia, um órgão sediado na Suíça que define políticas globais, adicionou uma proposta à versão final da estrutura de mudança climática em que trabalha desde 2020, dizendo que os bancos devem revisar suas estruturas de remuneração e bônus para garantir que sejam consistentes com as metas de longo prazo no combate às mudanças climáticas.

Gostaria de receber os relatórios ESG por e-mailClique aqui.
Gostou do conteúdo, tem alguma dúvida ou quer nos enviar uma sugestão? Basta deixar um comentário no final do post!


XPInc CTA

Abra a sua conta na XP Investimentos!

XPInc CTA

Assine conteúdos exclusivos aqui!

XPInc CTA

Receba conteúdos da Expert pelo Telegram!

Clique aqui para acessar o relatório | “Transição Energética & Metais Verdes: Explorando companhias bem posicionadas”

Brasil

Empresas

Só 16% das empresas da bolsa têm metas claras de inclusão

“De 404 empresas com ações negociadas na B3, 59% não apresentam ao público metas definidas de inclusão de mulheres, pessoas não-brancas e pessoas com deficiência (PCD) em seus quadros. Entre as companhias restantes, o assunto é geralmente abordado de maneira vaga. Apenas 16% das empresas de fato apresentam metas claras de inclusão. É o que aponta um levantamento realizado pela consultoria Luvi One em parceria com a fintech Arara.io. A pesquisa usou relatórios de sustentabilidade e documentos enviados à Comissão de Valores Mobiliários (CVM) para analisar como as companhias de capital aberto estão desenhando estratégias para garantir inclusão segundo recortes de gênero, raça e etnia e PCD.”

Fonte: Capital Reset, 20/06/2022

Inmetro aprova primeiro selo para medir inclusão social nas empresas

“As métricas para avaliar pegadas de carbono, riscos climáticos e nível de governança corporativa das empresas se aperfeiçoam a cada dia. Mas a avaliação do “S”, de social, dentro de casa e em seu entorno ainda é um desafio. E quando o assunto é especificamente pessoas com deficiência intelectual, como saber se uma companhia está sendo mesmo inclusiva? “É possível dizer que uma empresa é inclusiva por ter rampa de acesso e banheiros adaptados para cadeirantes, ou porque tem mulheres em cargos de gestão? Acreditamos que não”, afirma Natália Mônaco, coordenadora do departamento de pesquisa do Instituto Olga Kos de Inclusão Cultural. Depois de dez anos de estudos, pesquisas de legislações e melhores práticas internacionais, a entidade criou a Escala Cidadã Olga Kos, que acaba de ser homologada pelo Instituto Nacional de Metrologia, Qualidade e Tecnologia Inmetro).”

Fonte: Valor Econômico, 20/06/2022

Nova métrica de emissões favorece pecuária

“Grande emissora de metano, a pecuária pode virar o jogo e reduzir seu impacto no ambiente, e conta com diversas alternativas para isso. Como se sabe, a mitigação pode vir com boas práticas de manejo de dejetos, adoção de biodisgestores e e melhora da dieta dos animais, entre outras ações. Mas a adoção de novos parâmetros para os cálculos de emissões também pode resultar em um cenário mais favorável para o segmento. É o que aponta o estudo “Panorama das Emissões de Metano e Implicações do Uso de Diferentes Métricas”, concluído recentemente pelo Observatório de Bioeconomia da Fundação Getúlio Vargas (FGV). O trabalho realça como o uso da nova métrica GWP* (Potencial de Aquecimento Global “Star”) de conversão de um gás de efeito estufa em dióxido de carbono equivalente (CO2eq) pode alterar o potencial de contribuição do metano da pecuária para o aquecimento global.

Fonte: Valor Econômico, 20/06/2022

Custos de emissões de CO2 devem ser incorporados nas operações, diz diretor-geral da TotalEnergies

“Todas as empresas que querem ter compromissos com a sustentabilidade precisam começar a incorporar os custos das emissões de carbono nas operações. A visão é do diretor geral de exploração e produção da petroleira francesa TotalEnergies no Brasil, Charles Fernandes. Para o executivo, é necessário começar a precificar emissões mesmo naquelas atividades em países que ainda não têm um mercado regulado de carbono, como é o caso do Brasil. “Toda empresa que tem o compromisso de ser sustentável tem que embutir preços a essa questão. Fazendo isso, se dá o sinal correto da direção para onde se deve direcionar o capital”, diz.”

Fonte: Valor Econômico, 18/06/2022

Internacional

Empresa

LG Chem da Coreia do Sul planeja construir usina de hidrogênio para reduzir emissões de carbono

“A LG Chem Ltd da Coreia do Sul disse na segunda-feira que planeja construir uma fábrica de hidrogênio na Coreia do Sul para produzir 50.000 toneladas de hidrogênio anualmente até o segundo trimestre de 2024, em uma tentativa de reduzir as emissões de carbono. Espera-se que a nova planta empregue tecnologia, que converte metano em hidrogênio criando uma reação química sob vapor de alta temperatura, disse a LG Chem em comunicado. “A planta é um componente-chave da estratégia da LG Chem de aumentar seu uso de energia renovável, como hidrogênio no processo NCC em até 70% até 2025, bem como os planos da empresa de utilizar ativamente hidrogênio na produção de bioenergia renovável. matérias-primas como óleos vegetais hidrotratados.””

Fonte: Reuters, 20/06/2022

As gestoras de ativos são instruídas a limpar a lavagem verde e as reivindicações líquidas zero

“A renúncia do diretor da maior gestora de ativos da Alemanha, após uma batida policial por alegações de que havia enganado investidores sobre seu histórico ambiental, está alimentando um intenso debate sobre a chamada “lavagem verde” no setor de investimentos. A decisão de Asoka Wöhrmann de deixar o cargo de executivo-chefe da DWS no início deste mês demonstra os riscos envolvidos em combinar metas ambientais, sociais e de governança (ESG) com retornos financeiros. Também mostra que a responsabilidade agora se estende até o topo de um gestor de ativos – um desenvolvimento que os diretores de investimentos rivais devem ter notado. Os reguladores financeiros parecem determinados a garantir que os gestores de ativos não possam explorar a crescente demanda por estratégias ESG atraindo investidores com alegações enganosas ou irreais.”

Fonte: Financial Times, 19/06/2022

Instituto do Reino Unido promove código de ética após escândalos corporativos

“Os diretores de empresas britânicas devem assinar um código de conduta para melhorar o comportamento nas salas de reuniões após colapsos corporativos de alto nível, como a construtora Carillion e a varejista BHS, um órgão do setor proposto no domingo. O Instituto de Diretores, que tem cerca de 20.000 membros, propôs um código voluntário de nove pontos que abrange ética, diversidade, competência e legalidade. Também incluiria o compromisso de reduzir a pegada de carbono de uma empresa em tempo razoável. O plano complementaria o código de governança corporativa existente administrado pelo regulador, o Financial Reporting Council (FRC) e os deveres legais gerais sob a lei das sociedades do Reino Unido. “Existe o risco de que cada novo escândalo ou colapso corporativo renove a pressão sobre o governo para impor obrigações regulatórias prescritivas relacionadas à diretoria”, disse Roger Barker, diretor de política e governança do IoD.”

Fonte: Reuters, 19/06/2022

A América corporativa busca interromper a regra climática da SEC

“Os maiores grupos de lobby corporativo de Washington estão tentando impedir uma proposta da SEC que exigiria que as empresas pela primeira vez divulgassem certas emissões de carbono e riscos de mudanças climáticas. Três anos depois que a Business Roundtable procurou retratar seus membros como mais ecologicamente corretos, o grupo do setor está pressionando a SEC a reescrever sua proposta de divulgação climática de março. Sua oposição marca uma ruptura com as empresas de tecnologia Microsoft e Salesforce, que aplaudem amplamente os planos. “Pedimos à SEC que publique uma proposta revisada”, disse a Business Roundtable, que é presidida por Mary Barra, da General Motors. A exigência da SEC de que as empresas adicionem informações de emissões às suas demonstrações financeiras auditadas é “impraticável”, acrescentou. Milhares de comentários foram postados no site da SEC até sexta-feira, último dia do período de comentários da regra climática. Uma regra final poderia ser adotada antes do final do ano.”

Fonte: Financial Times, 18/06/2022

Programas de compensação de carbono não entregam o que prometem

“Os programas de compensação de carbono tornaram-se onipresentes. Você provavelmente já os viu como opções para marcar em reservas de voos: “Clique aqui para fazer upgrade para um assento premium”; “Clique aqui para cancelar suas emissões de gases de efeito estufa”. É uma proposta atraente –a promessa de que, por uma pequena quantia de dinheiro, você pode cuidar de seus negócios sem culpa climática. Mas, se parece bom demais para ser verdade, é porque, pelo menos por enquanto, é mesmo. O The New York Times pediu aos leitores nesta primavera que enviassem suas questões sobre a mudança climática, e vários perguntaram sobre compensações de carbono. Como elas funcionam? Elas funcionam ou “é apenas dinheiro pela culpa?”, como perguntou um leitor?”

Fonte: Forbes, 18/06/2022

Regulação

Regulador bancário global pede vínculos mais estreitos entre remuneração e riscos climáticos

“Os bancos devem revisar suas estruturas de remuneração e bônus para garantir que sejam consistentes com as metas de longo prazo no combate às mudanças climáticas, disse o regulador financeiro mais poderoso do mundo nesta quarta-feira, abrindo uma nova frente na batalha para mobilizar finanças contra ameaças ambientais. O Comitê de Supervisão Bancária da Basileia, um órgão sediado na Suíça que inclui reguladores de 28 grandes economias e define políticas globais, adicionou a proposta de pagamento à versão final da estrutura de mudança climática em que trabalha desde 2020. eliminar as ameaças à “segurança e solidez” de bancos individuais e do sistema financeiro mais amplo, pressionando os credores a se prepararem para o potencial da mudança climática de devastar as indústrias, países e indivíduos aos quais emprestam. Os bancos têm sido frequentemente criticados por apoiarem as iniciativas de mudança climática da boca para fora, proclamando suas credenciais verdes, enquanto continuam a cortar empréstimos para a indústria de combustíveis fósseis e não cumprem os requisitos de divulgação.”

Fonte: Financial Times, 15/06/2022

Política

Guerra na Ucrânia atinge comércio global de madeira e aumenta riscos para florestas

“A guerra na Ucrânia causou sérias interrupções no comércio global de madeira e aumentou as preocupações com a destruição de florestas à medida que as exportações são interrompidas, as proteções ambientais são suspensas e Kyiv redireciona a mão de obra do combate a incêndios florestais para a linha de frente. As sanções internacionais impostas pela invasão da Ucrânia por Moscou reduziram o fornecimento da Rússia, o maior exportador mundial de madeira de fibra longa, e da Bielorrússia, enquanto o conflito prejudicou severamente a produção na Ucrânia. Os três países responderam por um quarto do comércio mundial de madeira no ano passado, segundo dados do setor. Eles exportaram 8,5 milhões de metros cúbicos de fibra longa para a Europa no ano passado, pouco menos de 10% da demanda da região. A Rússia, maior exportador mundial de madeira macia, produz sozinha cerca de 40 milhões de metros cúbicos por ano.”

Fonte: Financial Times, 19/06/2022

Clique aqui para acessar o relatório | “Seis temas-chave no investimento ESG frente ao conflito Rússia/Ucrânia


Índices ESG e suas performances

(1) O Índice ISE (Índice de Sustentabilidade Empresarial da B3) tem como objetivo ser o indicador do desempenho médio das cotações dos ativos de empresas com reconhecido comprometimento com o desenvolvimento sustentável, práticas e alinhamento estratégico com a sustentabilidade empresarial.
(2) O Índice S&P/B3 Brasil ESG mede a performance de títulos que cumprem critérios de sustentabilidade e é ponderado pelas pontuações ESG da S&P DJI. Ele exclui ações com base na sua participação em certas atividades comerciais, no seu desempenho em comparação com o Pacto Global da ONU e também cias sem pontuação ESG da S&P DJI.
(3) O ICO2 tem como propósito ser um instrumento indutor das discussões sobre mudança do clima no Brasil. A adesão das companhias ao ICO2 demonstra o comprometimento com a transparência de suas emissões e antecipa a visão de como estão se preparando para uma economia de baixo carbono.
(4) O objetivo do IGCT é ser o indicador do desempenho médio das cotações dos ativos de emissão de empresas integrantes do IGC que atendam aos critérios adicionais descritos nesta metodologia.
(5) A série de índices FTSE4Good foi projetada para medir o desempenho de empresas que demonstram fortes práticas ambientais, sociais e de governança (ESG).
(6)
O Índice MSCI ACWI, que representa o desempenho de todo o conjunto de ações de grande e médio porte do mundo, em 23 mercados desenvolvidos e 26 emergentes.


Nossos últimos relatórios

  • Radar ESG | Mater Dei (MATD3): Já na rota ESG (link)
  • Crédito de Carbono: Governo publica decreto para regulamentar o mercado; Confira nossa análise (link)
  • Reunião com Joaquim Leite, Ministro do Meio Ambiente: Carbono e energia renovável centralizam as discussões (link)
  • Radar ESG | Ambipar (AMBP3): Sobre fazer parte solução (link)
  • Radar ESG | Raízen (RAIZ4): No caminho de um futuro mais verde (link)
  • Radar ESG | Cruzeiro do Sul (CSED3): No caminho certo (link)
  • Radar ESG | Juniores de O&G (RRRP3 e RECV3): Envolvidas com a agenda ESG, enquanto enfrentam ventos contrários ao setor (link)
  • Radar ESG | Petz (PETZ3): A caminho de se tornar uma empresa ESG para cachorro (link)
  • Carteira ESG XP: Uma alteração no nosso portfólio para abril (link)
  • Seis temas-chave no investimento ESG frente ao conflito Rússia/Ucrânia (link)
  • SEC anuncia proposta para divulgação obrigatória de dados climáticos; Positivo (link)
  • Update ESG | Petrobras (PETR4): Feedback do webinar sobre clima (link)
  • Radar ESG | Telefônica Brasil / Vivo (VIVT3): Conectando-se à agenda ESG (link)
  • Mulheres na liderança: Um olhar sobre a representatividade feminina nas empresas da B3 (link)
  • Carteira ESG XP: Uma alteração no nosso portfólio para março (link)
  • ISE B3: Um raio-X da nova carteira do Índice de Sustentabilidade da B3 (link)
  • Radar ESG | Panvel (PNVL3): Prescrevendo a agenda ESG (link)
  • Carteira ESG XP: Uma alteração no portfólio para fevereiro (link)
  • Radar ESG | Omega Energia (MEGA3): Líder em energia renovável, surfando a onda da sustentabilidade (link)
  • Radar ESG | Desktop (DESK3): No início da jornada ESG (link)
  • Carteira ESG XP: Sem alterações em nosso portfólio para janeiro (link)
  • Radar ESG | AgroGalaxy (AGXY3): Plantando as sementes ESG (link)
  • Radar ESG | Petrobras (PETR4): E o campo ESG, como a Petrobras está explorando? (link)
  • Radar ESG | Oncoclínicas (ONCO3): Ainda na sala de espera (link)
  • Radar ESG | Aviação Brasil (EMBR3, AZUL4 e GOLL4): Voando pelos ares ESG (link)
  • Radar ESG | Alpargatas (ALPA4): Iniciando a caminhada pela agenda ESG (link)
  • Radar ESG | Kepler Weber (KEPL3): Um começo promissor (link)
  • Radar ESG | TIM (TIMS3): Chamando a agenda ESG (link)
  • ESG: O que moldará os investimentos sustentáveis em 2022? (link)
  • Carteira ESG XP: Sem alterações em nosso portfólio para dezembro (link)
  • Radar ESG | Burger King Brasil (BKBR): Espaço para avanço na agenda, mas os planos ambiciosos adiante animam (link)
  • COP26: Implicações do documento final (link)
  • Expo Dubai: Buscando soluções diante de recursos finitos (link)
  • Expo Dubai: Todos os olhos voltados para o futuro da mobilidade (link)
  • Expo Dubai: Tecnologia e sustentabilidade centralizam os destaques do evento nesta terça-feira (link)
  • Expo Dubai: Três principais destaques do evento nesta segunda-feira, dia do Brasil na feira (link)
  • COP26: Um encontro decisivo para conter o aquecimento global (link)
  • Seleção BDRs ESG​: 15 nomes para exposição internacional ao tema (link)
  • Radar ESG | Kora Saúde (KRSA3): Ainda há um caminho a ser percorrido (link)
  • Radar ESG | Empresas de Autopeças: Preparando a estrada ESG; Governança e segurança em primeiro lugar (link)
  • Radar ESG | Unifique (FIQE3) e Brisanet (BRIT3): O que as empresas de telecomunicações brasileiras têm feito? (link)
  • Radar ESG | Natura&Co. (NTCO3): Não é apenas maquiagem; ESG é uma realidade! (link)
  • Vale (VALE3): Feedback do Webinar ESG; Todos os olhos voltados para a redução de riscos (link)
  • Radar ESG | Totvs (TOTS3): A melhor posicionada no setor de tecnologia sob a cobertura da XP (link)
  • Assembleia Geral da ONU: Cenário climático alarmante centraliza as discussões (link)
  • Amazônia: Entendendo a importância da maior floresta tropical do mundo (link)
  • ESG no centro das discussões; Três principais aprendizados da Expert XP 2021 (link)
  • Radar ESG | Companhia Brasileira de Alumínio (CBAV3): Uma líder em alumínio verde, com forte posicionamento ESG (link)
  • Relatório do IPCC: Um chamado para todos, inclusive para o mercado, frente a um cenário alarmante do clima (link)
  • Radar ESG | WEG (WEGE3): Um player ESG bem equipado para se beneficiar das tendências adiante (link)
  • Radar ESG | Boa Safra (SOJA3): Agenda ESG em produção, semente por semente (link)
  • Água: Onde há escassez, há oportunidade (link)
  • Radar ESG | Positivo (POSI3): Um trabalho em andamento (link)
  • B3 anuncia nova metodologia para o ISE; Positivo (link)
  • Radar ESG | G2D (G2DI33): Abraçando os pilares S e E através do portfólio de investimentos de impacto (link)
  • Ambev (ABEV3): Feedback do evento ESG; Reforçamos nossa visão positiva (link)
  • Radar ESG | Setor de infraestrutura (CCRO3, ECOR3, RAIL3, HBSA3, STBP3): Preparando o asfalto (link)
  • Crédito de carbono: Capturando parte da solução; 5 nomes para exposição ao tema (link)
  • Radar ESG | Incorporadoras de Imóveis Residenciais Populares: Construindo os andares ESG (link)
  • Radar ESG | Arezzo & Co. (ARZZ3): Caminhando com seus próprios passos pela agenda ESG (link)
  • Trilogia ESG (Pt. I): Um mergulho no pilar E; Três nomes que são parte da solução (link)
  • Radar ESG | Blau (BLAU3) e Hypera (HYPE3): Em busca da fórmula ESG (link)
  • Bitcoin e ESG: Entenda os dois lados da moeda (link)
  • Radar ESG | Bemobi (BMOB3): Diversidade é o nome do jogo (link)
  • Radar ESG | Setor de Logística (SIMH3, JSLG3 e VAMO3): Preparando-se para a estrada ESG (link)
  • Radar ESG | Laboratórios: ESG ainda na triagem; Fleury se destacando em relação aos pares (link)
  • Cúpula de Líderes sobre o Clima: Tecnologia, economia e agenda verde centralizam as discussões no segundo dia do evento (link)
  • Cúpula de Líderes sobre o Clima: Cooperação global é uma das três principais mensagens do evento (link)
  • Radar ESG | Locadoras de automóveis: Rumo à agenda ESG; Localiza liderando a corrida (link)
  • Radar ESG | São Martinho (SMTO3): Quanto mais se semeia, maior é a colheita (link)
  • Radar ESG | Orizon (ORVR3): Quando ESG está escrito no DNA (link)
  • Sondagem XP/ESG com investidores institucionais (link)
  • O melhor dos dois mundos: Seleção de 10 BDRs para exposição internacional ao tema ESG (link)
  • Radar ESG | Enjoei (ENJU3): O usado é o novo “novo”? (link)
  • Radar ESG | CSN Mineração (CMIN3): Explorando os campos ESG (link)
  • Radar ESG | Jalles (JALL3): Plantando as sementes ESG (link)
  • Radar ESG | Incorporadoras de alta renda: ESG ainda em construção (link)
  • Radar ESG | Setor de saúde: O ESG ainda está na sala de espera? (link)
  • Radar ESG | Quão sustentáveis são as empresas de e-commerce? Uma análise ESG dessas gigantes (link)
  • Radar ESG | IMC (MEAL3): Por que a empresa ainda tem muito espaço para melhorar? (link)
  • Radar ESG | Aeris (AERI3): Uma das empresas melhor posicionada para surfar o vento ESG (link)
  • Radar ESG | 3R Petroleum: Construindo um caminho que incorpora metas ESG (link)
  • Radar ESG | Setor de supermercados: Vale a pena encher o carrinho? (link)
  • Radar ESG | JHSF (JHSF3): Espaço para melhorias (link)
  • Radar ESG | Quem é o melhor aluno da classe? Avaliando os líderes em ESG dentre as empresas de educação no Brasil (link)
  • Panorama do marco regulatório de investimentos ESG no Brasil (link)
  • CVM e B3 estudam intensificar critérios ESG para as companhias listadas (link)
  • Radar ESG | Setor de vestuário e joias: ESG ainda na confecção (link)
  • ESG: Tendências e preferências para 2021 (link)
  • Radar ESG | LOG Commercial Properties (LOGG3): Oportunidades em empreendimentos verdes (link)
  • Eleições americanas: Quais os efeitos para a agenda ESG nos EUA e no Brasil? (link)
  • Radar ESG | Farmácias: Raia Drogasil como a ação prescrita no setor para exposição a ESG (link)
  • Radar ESG | Shoppings: Entenda o que importa para eles quando o tema é ESG (link)
  • Radar ESG | Ambev (ABEV3): Um case que desce redondo (link)
  • Feedback do roadshow ESG: O que as gestoras no Brasil estão fazendo em relação ao tema? (link)
  • ESG de A a Z: Tudo o que você precisa saber sobre o tema (link)

Ainda não tem conta na XP? Clique aqui e abra a sua!

XP Expert

Avaliação

O quão foi útil este conteúdo pra você?


Newsletter
Newsletter

Gostaria de receber nossos conteúdos por e-mail?

Cadastre-se e receba grátis nossos relatórios e recomendações de investimentos

Telegram
Telegram XP

Acesse os conteúdos

Telegram XP

pelo Telegram da XP Investimentos

A XP Investimentos CCTVM S/A, inscrita sob o CNPJ: 02.332.886/0001-04, é uma instituição financeira autorizada a funcionar pelo Banco Central do Brasil.Toda comunicação através de rede mundial de computadores está sujeita a interrupções ou atrasos, podendo impedir ou prejudicar o envio de ordens ou a recepção de informações atualizadas. A XP Investimentos exime-se de responsabilidade por danos sofridos por seus clientes, por força de falha de serviços disponibilizados por terceiros. A XP Investimentos CCTVM S/A é instituição autorizada a funcionar pelo Banco Central do Brasil.


Este site usa cookies e dados pessoais de acordo com a nossa Política de Cookies (gerencie suas preferências de cookies) e a nossa Política de Privacidade.