XP Expert

Ambev e Petrobras avançam em iniciativas sustentáveis | Café com ESG, 15/06

Comece o dia bem informado com as principais notícias ao redor do Brasil e do mundo quando o tema é ESG!

Compartilhar:

  • Compartilhar no Facebook
  • Compartilhar no Twitter
  • Compartilhar no Whatsapp
  • Compartilhar no LinkedIn
  • Compartilhar via E-mail

Bom dia! Neste relatório diário publicado todas as manhãs pelo time ESG do Research da XP, buscamos trazer as últimas notícias para que você comece o dia bem informado e fique por dentro do que o Brasil e o mundo fala sobre um tema que tem ficado cada vez mais relevante: ESG – do termo em inglês Environmental, Social and Governance ou, em português, ASG – Ambiental, Social e Governança.

Quais tópicos abordamos ao longo do conteúdo? (i) Notícias no Brasil e no mundo acerca do tema ESG; (ii) Performance histórica dos principais índices ESG em diferentes países; (iii) Comparativo da performance do Ibovespa vs. ISE (Índice de Sustentabilidade Empresarial, da B3); e (iv) Lista com os últimos relatórios publicados pelo Research ESG da XP.
Por que essas informações são importantes? 
Porque elas indicam os temas dentro da agenda ESG que estão sendo cada vez mais monitoradas por parte dos investidores e das empresas, e podem impactar os preços das ações de diferentes companhias.

Esperamos que aproveite a leitura!

Principais tópicos do dia

• O mercado fechou o pregão de terça-feira em território negativo, com o Ibov e o ISE em queda de -0,5% e -1,0%, respectivamente.

• No Brasil, do lado das empresas, (i) a Ambev está firmando parcerias com empresas do setor de energia com parques eólicos no Nordeste, como Neoenergia Oitis, 2W Energia e Engie Brasil Energia, a fim de utilizar energia eólica em todas as suas operações no país nos próximos dois anos; e (ii) a Petrobras anunciou a chegada de um navio “sustentável” ao Brasil no fim de maio, o Suezmax DP2 Eagle Colatina, que deve contribuir para a redução de emissões de carbono no transporte marítima por economizar energia – a companhia afirmou que a redução do consumo médio de combustível chega a 24% na comparação com embarcações da mesma classe.

• Do lado da política, o Banco Interamericano de Desenvolvimento (BID) e o Ministério da Infraestrutura brasileiro vão desenvolver um plano nacional de descarbonização no setor de transporte, um dos maiores emissores de carbono no país – o objetivo dessa parceria é ajudar Brasil a implementar tecnologias e marcos regulatórios para atingir as metas nacionais de redução nas emissões dos gases de efeito estufa do setor para os anos de 2025 (-37%) e 2030 (-43% de gases emitidos).

Gostaria de receber os relatórios ESG por e-mailClique aqui.
Gostou do conteúdo, tem alguma dúvida ou quer nos enviar uma sugestão? Basta deixar um comentário no final do post!


XPInc CTA

Abra a sua conta na XP Investimentos!

XPInc CTA

Assine conteúdos exclusivos aqui!

XPInc CTA

Receba conteúdos da Expert pelo Telegram!

Brasil

Empresas

Estudo mostra quais são as empresas campeãs em ESG do Brasil na opinião de consumidores

“Com o intuito de mostrar ao mercado as empresas que mais são associadas ao ESG (sigla para questões ambientais, sociais e de governança), a consultoria Walk The Talk by La Maison divulgou uma pesquisa realizada com 4.421 pessoas (homens e mulheres), de 16 a 64 anos, das cinco regiões do Brasil, das classes ABC e pediu a percepção sobre o posicionamento e ações de 50 empresas que são representativas em suas categorias. Além de mostrar as companhias que mais atuam em relação ao meio ambiente, sociedade e governança, a pesquisa também revela as principais preocupações da população com essas causas. […] A Natura foi a empresa mais associada ao ESG, obtendo 536 pontos, num índice que chega a 1 mil. A Unilever aparece logo após, com 389, seguida pela Ypê (386), Boticário (376), Petrobrás (372), Nestlé (354), Banco do Brasil (335), P&G (332) e Coca Cola (315).”

Fonte: Valor Investe, 15/06/2022

Ambev vai usar energia eólica em todas as unidades

“Para utilizar energia eólica em todas as suas operações no Brasil nos próximos dois anos, a fabricante de bebidas Ambev está firmando parcerias com empresas do setor de energia com parques eólicos no Nordeste, como Neoenergia Oitis, 2W Energia e Engie Brasil Energia. Elas vão fornecer energia para a companhia por um prazo que pode chegar a dez anos, de acordo com Rodrigo Figueiredo, vice presidente de sustentabilidade e suprimentos da Ambev. A estratégia faz parte de um plano maior de descarbonização da companhia de bebidas, implantado há cinco anos. Desde 2020 a empresa já tem algumas parcerias do tipo, mas com companhias produtoras de energia solar – que vão coexistir com a nova fonte energética. A meta é chegar a 100% da produção utilizando fontes de energia “verde” até 2025 e levar também essa alternativa para os estabelecimentos que vendem seus produtos.”

Fonte: Valor Econômico, 15/06/2022

Clique aqui para acessar o relatório | “Radar ESG – Ambev (ABEV3): Um case que desce redondo

Petrobras anunciou a chegada de um navio “sustentável” ao Brasil

“A Petrobras anunciou a chegada de um navio “sustentável” ao Brasil no fim de maio, o Suezmax DP2 Eagle Colatina, que deve contribuir para a redução de emissões de carbono no transporte marítima por economizar energia. A companhia afirma que a redução do consumo médio de combustível chega a 24% na comparação com embarcações da mesma classe. A forma de construção dos navios sustentáveis se diferencia da convencional por utilizar tecnologias e motores que diminuem o peso das embarcações. Até o fim do ano, a Petrobras deve receber outros dois navios do mesmo gênero, Eagle Cambe e Eagle Crato. Os navios sustentáveis já representam cerca de 37% da frota da estatal.”

Fonte: Valor Econômico, 15/06/2022

Clique aqui para acessar o relatório | “Radar ESG – Petrobras (PETR4): E o campo ESG, como a Petrobras está explorando?

Anbima avaliza FIDCS com investimentos ESG diferenciem nomenclatura

“Os Fundos de Investimento em Direitos Creditórios (FIDCs) que têm teses de investimentos sustentáveis poderão utilizar o termo IS, referente a Investimento Sustentável, em seus nomes. A definição foi autorizada por novas regras da Associação Brasileira das Entidades dos Mercados Financeiro e de Capitais (Anbima), que estão em período de avaliação pelo mercado. Para ter direito à nomenclatura, os fundos deverão ter em seus regulamentos que as exigências sustentáveis consideram a empresa que vende os créditos e a empresa devedora. As metodologias e os processos de gestão também deverão atestar o compromisso sustentável e o monitoramento constante dos ativos.”

Fonte: E-Investidor, 13/06/2022

Política

BID e Brasil acordam plano contra um dos maiores vilões do carbono no país

“O Banco Interamericano de Desenvolvimento (BID) e o Ministério da Infraestrutura vão desenvolver um plano nacional de descarbonização no setor de transporte, um dos maiores emissores de carbono no país. De acordo com dados do Observatório do Clima, o setor representou 47% de todas emissões em 2019, e o transporte de cargas, sozinho, foi responsável por 40% desse total. O objetivo dessa parceria é ajudar Brasil a implementar tecnologias e marcos regulatórios para atingir as metas nacionais de redução nas emissões dos gases de efeito estufa do setor para os anos de 2025 (-37%) e 2030 (-43% de gases emitidos). “Esta é uma abordagem inteligente também do ponto de vista econômico: projetos sustentáveis de infraestrutura têm um efeito multiplicador ao fortalecerem a capacidade produtiva”, afirmou Mauricio Claver-Carone, presidente do BID. O projeto vai custar 1,6 milhão de dólares, financiados pelo Programa de Infraestrutura Sustentável do Reino Unido (UKSIP).”

Fonte: Veja, 14/06/2022

Internacional

Empresa

Toyota diz que a escolha do consumidor dita o ritmo da eletrificação

“A Toyota Motor Corp rebateu os críticos que dizem que ela demorou a adotar os veículos elétricos a bateria (BEV), argumentando que precisava oferecer uma variedade de opções de carros para atender a diferentes mercados e clientes. Em sua assembléia geral anual na quarta-feira, a maior montadora do mundo em vendas dobrou sua posição de manter tecnologias como veículos movidos a célula de combustível e híbridos que nas últimas duas décadas a tornaram líder em carros mais limpos. Além das preocupações sobre sua estratégia de eletrificação, os executivos da Toyota abordaram uma série de questões sobre os planos de sucessão de CEOs para a atual escassez de chips. Outrora um dos favoritos dos ambientalistas por seu popular modelo híbrido Prius, a Toyota foi criticada por não eliminar gradualmente os carros movidos a gasolina e por fazer lobby na política climática.”

Fonte: Reuters, 15/06/2022

LGIM da Grã-Bretanha vota contra menos empresas por falhas climáticas

“A Legal & General Investment Management disse nesta terça-feira que votou contra os presidentes de 80 empresas este ano por não cumprirem seus padrões mínimos de mudança climática, uma queda de 35% em relação ao ano passado, depois de descobrir que mais empresas estabeleceram ambições de descarbonização . As empresas dos setores de petróleo e gás, bancos e mineração e fundos de investimento imobiliário estão entre os maiores gestores de ativos da Grã-Bretanha que mais votaram contra, disse a LGIM após publicar seu último relatório anual Climate Impact Pledge, que abrange cerca de 1.000 empresas.”

Fonte: Reuters, 14/06/2022

Política

Países ponderam adiar novo mercado de carbono da UE em busca de acordo climático

“Os países da União Europeia estão considerando um adiamento de um ano para o lançamento de um novo mercado europeu de carbono para edifícios e transportes, adiando o início para 2027, à medida que buscam um compromisso sobre políticas climáticas mais ambiciosas. documentos preliminares mostram. À medida que a UE de 27 países busca atingir metas mais rígidas de redução de emissões, está negociando uma série de leis para colocar um preço na poluição – incluindo uma atualização de seu mercado de carbono existente para a indústria e usinas de energia e um novo esquema para impor CO2 custos para os fornecedores de combustíveis utilizados nos transportes e edifícios.”

Fonte: Reuters, 14/06/2022

Clique aqui para acessar o relatório | “Crédito de carbono: Capturando parte da solução; 5 nomes para exposição ao tema

Painéis de parlamentares da UE se opõem ao rótulo ‘verde’ para gás e investimentos nucleares

“Duas comissões do Parlamento Europeu apoiaram nesta terça-feira uma tentativa de impedir a UE de rotular o gás e a energia nuclear como investimentos favoráveis ​​ao clima, preparando o terreno para uma votação completa no Parlamento sobre a rejeição das regras no próximo mês. As comissões de meio ambiente e economia do Parlamento apoiaram uma resolução que tenta bloquear um plano da Comissão Europeia para incluir gás e energia nuclear na taxonomia da União Europeia – um sistema de rotulagem para investimentos “sustentáveis” projetado para direcionar o capital privado para aqueles que apoiam as metas de mudança climática.”

Fonte: Reuters, 14/06/2022

Chefe da ONU diz que corrida por novos combustíveis fósseis é ‘ilusória’

“Os países ricos fizeram uma corrida perigosa por combustíveis fósseis em resposta à guerra na Ucrânia, disse o secretário-geral da ONU nesta terça-feira, alertando que os novos investimentos feitos em carvão, petróleo e gás eram “ilusórios”. devido ao seu impacto nas alterações climáticas. “A crise energética exacerbada pela guerra na Ucrânia viu uma perigosa duplicação dos combustíveis fósseis pelas principais economias”, disse Antonio Guterres em um discurso em vídeo na Cúpula Mundial Austríaca, uma conferência sobre o clima.”

Fonte: Reuters, 14/06/2022


Índices ESG e suas performances

(1) O Índice ISE (Índice de Sustentabilidade Empresarial da B3) tem como objetivo ser o indicador do desempenho médio das cotações dos ativos de empresas com reconhecido comprometimento com o desenvolvimento sustentável, práticas e alinhamento estratégico com a sustentabilidade empresarial.
(2) O Índice S&P/B3 Brasil ESG mede a performance de títulos que cumprem critérios de sustentabilidade e é ponderado pelas pontuações ESG da S&P DJI. Ele exclui ações com base na sua participação em certas atividades comerciais, no seu desempenho em comparação com o Pacto Global da ONU e também cias sem pontuação ESG da S&P DJI.
(3) O ICO2 tem como propósito ser um instrumento indutor das discussões sobre mudança do clima no Brasil. A adesão das companhias ao ICO2 demonstra o comprometimento com a transparência de suas emissões e antecipa a visão de como estão se preparando para uma economia de baixo carbono.
(4) O objetivo do IGCT é ser o indicador do desempenho médio das cotações dos ativos de emissão de empresas integrantes do IGC que atendam aos critérios adicionais descritos nesta metodologia.
(5) A série de índices FTSE4Good foi projetada para medir o desempenho de empresas que demonstram fortes práticas ambientais, sociais e de governança (ESG).
(6)
O Índice MSCI ACWI, que representa o desempenho de todo o conjunto de ações de grande e médio porte do mundo, em 23 mercados desenvolvidos e 26 emergentes.


Nossos últimos relatórios

  • Radar ESG | Mater Dei (MATD3): Já na rota ESG (link)
  • Crédito de Carbono: Governo publica decreto para regulamentar o mercado; Confira nossa análise (link)
  • Reunião com Joaquim Leite, Ministro do Meio Ambiente: Carbono e energia renovável centralizam as discussões (link)
  • Radar ESG | Ambipar (AMBP3): Sobre fazer parte solução (link)
  • Radar ESG | Raízen (RAIZ4): No caminho de um futuro mais verde (link)
  • Radar ESG | Cruzeiro do Sul (CSED3): No caminho certo (link)
  • Radar ESG | Juniores de O&G (RRRP3 e RECV3): Envolvidas com a agenda ESG, enquanto enfrentam ventos contrários ao setor (link)
  • Radar ESG | Petz (PETZ3): A caminho de se tornar uma empresa ESG para cachorro (link)
  • Carteira ESG XP: Uma alteração no nosso portfólio para abril (link)
  • Seis temas-chave no investimento ESG frente ao conflito Rússia/Ucrânia (link)
  • SEC anuncia proposta para divulgação obrigatória de dados climáticos; Positivo (link)
  • Update ESG | Petrobras (PETR4): Feedback do webinar sobre clima (link)
  • Radar ESG | Telefônica Brasil / Vivo (VIVT3): Conectando-se à agenda ESG (link)
  • Mulheres na liderança: Um olhar sobre a representatividade feminina nas empresas da B3 (link)
  • Carteira ESG XP: Uma alteração no nosso portfólio para março (link)
  • ISE B3: Um raio-X da nova carteira do Índice de Sustentabilidade da B3 (link)
  • Radar ESG | Panvel (PNVL3): Prescrevendo a agenda ESG (link)
  • Carteira ESG XP: Uma alteração no portfólio para fevereiro (link)
  • Radar ESG | Omega Energia (MEGA3): Líder em energia renovável, surfando a onda da sustentabilidade (link)
  • Radar ESG | Desktop (DESK3): No início da jornada ESG (link)
  • Carteira ESG XP: Sem alterações em nosso portfólio para janeiro (link)
  • Radar ESG | AgroGalaxy (AGXY3): Plantando as sementes ESG (link)
  • Radar ESG | Petrobras (PETR4): E o campo ESG, como a Petrobras está explorando? (link)
  • Radar ESG | Oncoclínicas (ONCO3): Ainda na sala de espera (link)
  • Radar ESG | Aviação Brasil (EMBR3, AZUL4 e GOLL4): Voando pelos ares ESG (link)
  • Radar ESG | Alpargatas (ALPA4): Iniciando a caminhada pela agenda ESG (link)
  • Radar ESG | Kepler Weber (KEPL3): Um começo promissor (link)
  • Radar ESG | TIM (TIMS3): Chamando a agenda ESG (link)
  • ESG: O que moldará os investimentos sustentáveis em 2022? (link)
  • Carteira ESG XP: Sem alterações em nosso portfólio para dezembro (link)
  • Radar ESG | Burger King Brasil (BKBR): Espaço para avanço na agenda, mas os planos ambiciosos adiante animam (link)
  • COP26: Implicações do documento final (link)
  • Expo Dubai: Buscando soluções diante de recursos finitos (link)
  • Expo Dubai: Todos os olhos voltados para o futuro da mobilidade (link)
  • Expo Dubai: Tecnologia e sustentabilidade centralizam os destaques do evento nesta terça-feira (link)
  • Expo Dubai: Três principais destaques do evento nesta segunda-feira, dia do Brasil na feira (link)
  • COP26: Um encontro decisivo para conter o aquecimento global (link)
  • Seleção BDRs ESG​: 15 nomes para exposição internacional ao tema (link)
  • Radar ESG | Kora Saúde (KRSA3): Ainda há um caminho a ser percorrido (link)
  • Radar ESG | Empresas de Autopeças: Preparando a estrada ESG; Governança e segurança em primeiro lugar (link)
  • Radar ESG | Unifique (FIQE3) e Brisanet (BRIT3): O que as empresas de telecomunicações brasileiras têm feito? (link)
  • Radar ESG | Natura&Co. (NTCO3): Não é apenas maquiagem; ESG é uma realidade! (link)
  • Vale (VALE3): Feedback do Webinar ESG; Todos os olhos voltados para a redução de riscos (link)
  • Radar ESG | Totvs (TOTS3): A melhor posicionada no setor de tecnologia sob a cobertura da XP (link)
  • Assembleia Geral da ONU: Cenário climático alarmante centraliza as discussões (link)
  • Amazônia: Entendendo a importância da maior floresta tropical do mundo (link)
  • ESG no centro das discussões; Três principais aprendizados da Expert XP 2021 (link)
  • Radar ESG | Companhia Brasileira de Alumínio (CBAV3): Uma líder em alumínio verde, com forte posicionamento ESG (link)
  • Relatório do IPCC: Um chamado para todos, inclusive para o mercado, frente a um cenário alarmante do clima (link)
  • Radar ESG | WEG (WEGE3): Um player ESG bem equipado para se beneficiar das tendências adiante (link)
  • Radar ESG | Boa Safra (SOJA3): Agenda ESG em produção, semente por semente (link)
  • Água: Onde há escassez, há oportunidade (link)
  • Radar ESG | Positivo (POSI3): Um trabalho em andamento (link)
  • B3 anuncia nova metodologia para o ISE; Positivo (link)
  • Radar ESG | G2D (G2DI33): Abraçando os pilares S e E através do portfólio de investimentos de impacto (link)
  • Ambev (ABEV3): Feedback do evento ESG; Reforçamos nossa visão positiva (link)
  • Radar ESG | Setor de infraestrutura (CCRO3, ECOR3, RAIL3, HBSA3, STBP3): Preparando o asfalto (link)
  • Crédito de carbono: Capturando parte da solução; 5 nomes para exposição ao tema (link)
  • Radar ESG | Incorporadoras de Imóveis Residenciais Populares: Construindo os andares ESG (link)
  • Radar ESG | Arezzo & Co. (ARZZ3): Caminhando com seus próprios passos pela agenda ESG (link)
  • Trilogia ESG (Pt. I): Um mergulho no pilar E; Três nomes que são parte da solução (link)
  • Radar ESG | Blau (BLAU3) e Hypera (HYPE3): Em busca da fórmula ESG (link)
  • Bitcoin e ESG: Entenda os dois lados da moeda (link)
  • Radar ESG | Bemobi (BMOB3): Diversidade é o nome do jogo (link)
  • Radar ESG | Setor de Logística (SIMH3, JSLG3 e VAMO3): Preparando-se para a estrada ESG (link)
  • Radar ESG | Laboratórios: ESG ainda na triagem; Fleury se destacando em relação aos pares (link)
  • Cúpula de Líderes sobre o Clima: Tecnologia, economia e agenda verde centralizam as discussões no segundo dia do evento (link)
  • Cúpula de Líderes sobre o Clima: Cooperação global é uma das três principais mensagens do evento (link)
  • Radar ESG | Locadoras de automóveis: Rumo à agenda ESG; Localiza liderando a corrida (link)
  • Radar ESG | São Martinho (SMTO3): Quanto mais se semeia, maior é a colheita (link)
  • Radar ESG | Orizon (ORVR3): Quando ESG está escrito no DNA (link)
  • Sondagem XP/ESG com investidores institucionais (link)
  • O melhor dos dois mundos: Seleção de 10 BDRs para exposição internacional ao tema ESG (link)
  • Radar ESG | Enjoei (ENJU3): O usado é o novo “novo”? (link)
  • Radar ESG | CSN Mineração (CMIN3): Explorando os campos ESG (link)
  • Radar ESG | Jalles (JALL3): Plantando as sementes ESG (link)
  • Radar ESG | Incorporadoras de alta renda: ESG ainda em construção (link)
  • Radar ESG | Setor de saúde: O ESG ainda está na sala de espera? (link)
  • Radar ESG | Quão sustentáveis são as empresas de e-commerce? Uma análise ESG dessas gigantes (link)
  • Radar ESG | IMC (MEAL3): Por que a empresa ainda tem muito espaço para melhorar? (link)
  • Radar ESG | Aeris (AERI3): Uma das empresas melhor posicionada para surfar o vento ESG (link)
  • Radar ESG | 3R Petroleum: Construindo um caminho que incorpora metas ESG (link)
  • Radar ESG | Setor de supermercados: Vale a pena encher o carrinho? (link)
  • Radar ESG | JHSF (JHSF3): Espaço para melhorias (link)
  • Radar ESG | Quem é o melhor aluno da classe? Avaliando os líderes em ESG dentre as empresas de educação no Brasil (link)
  • Panorama do marco regulatório de investimentos ESG no Brasil (link)
  • CVM e B3 estudam intensificar critérios ESG para as companhias listadas (link)
  • Radar ESG | Setor de vestuário e joias: ESG ainda na confecção (link)
  • ESG: Tendências e preferências para 2021 (link)
  • Radar ESG | LOG Commercial Properties (LOGG3): Oportunidades em empreendimentos verdes (link)
  • Eleições americanas: Quais os efeitos para a agenda ESG nos EUA e no Brasil? (link)
  • Radar ESG | Farmácias: Raia Drogasil como a ação prescrita no setor para exposição a ESG (link)
  • Radar ESG | Shoppings: Entenda o que importa para eles quando o tema é ESG (link)
  • Radar ESG | Ambev (ABEV3): Um case que desce redondo (link)
  • Feedback do roadshow ESG: O que as gestoras no Brasil estão fazendo em relação ao tema? (link)
  • ESG de A a Z: Tudo o que você precisa saber sobre o tema (link)

Ainda não tem conta na XP? Clique aqui e abra a sua!

XP Expert

Avaliação

O quão foi útil este conteúdo pra você?


Newsletter
Newsletter

Gostaria de receber nossos conteúdos por e-mail?

Cadastre-se e receba grátis nossos relatórios e recomendações de investimentos

Telegram
Telegram XP

Acesse os conteúdos

Telegram XP

pelo Telegram da XP Investimentos

A XP Investimentos CCTVM S/A, inscrita sob o CNPJ: 02.332.886/0001-04, é uma instituição financeira autorizada a funcionar pelo Banco Central do Brasil.Toda comunicação através de rede mundial de computadores está sujeita a interrupções ou atrasos, podendo impedir ou prejudicar o envio de ordens ou a recepção de informações atualizadas. A XP Investimentos exime-se de responsabilidade por danos sofridos por seus clientes, por força de falha de serviços disponibilizados por terceiros. A XP Investimentos CCTVM S/A é instituição autorizada a funcionar pelo Banco Central do Brasil.


Este site usa cookies e dados pessoais de acordo com a nossa Política de Cookies (gerencie suas preferências de cookies) e a nossa Política de Privacidade.