XP Expert

SEC redige padrões para balizar o setor de fundos “sustentáveis” | Café com ESG, 25/05

Comece o dia bem informado com as principais notícias ao redor do Brasil e do mundo quando o tema é ESG!

Compartilhar:

  • Compartilhar no Facebook
  • Compartilhar no Twitter
  • Compartilhar no Whatsapp
  • Compartilhar no LinkedIn
  • Compartilhar via E-mail

Bom dia! Neste relatório diário publicado todas as manhãs pelo time ESG do Research da XP, buscamos trazer as últimas notícias para que você comece o dia bem informado e fique por dentro do que o Brasil e o mundo fala sobre um tema que tem ficado cada vez mais relevante: ESG – do termo em inglês Environmental, Social and Governance ou, em português, ASG – Ambiental, Social e Governança.

Quais tópicos abordamos ao longo do conteúdo? (i) Notícias no Brasil e no mundo acerca do tema ESG; (ii) Performance histórica dos principais índices ESG em diferentes países; (iii) Comparativo da performance do Ibovespa vs. ISE (Índice de Sustentabilidade Empresarial, da B3); e (iv) Lista com os últimos relatórios publicados pelo Research ESG da XP.
Por que essas informações são importantes? 
Porque elas indicam os temas dentro da agenda ESG que estão sendo cada vez mais monitoradas por parte dos investidores e das empresas, e podem impactar os preços das ações de diferentes companhias.

Esperamos que aproveite a leitura!

Principais tópicos do dia

• O mercado fechou o pregão de terça-feira em território neutro, com o Ibov e o ISE em alta de +0,2% e +0,1%, respectivamente.

• No Brasil, (i) a Cemig aderiu à iniciativa global Movimento Ambição Net Zero, do Pacto Global da ONU, uma agenda que prevê a redução coletiva de 2 gigatoneladas de CO2 e de emissões acumuladas até 2030; e (ii) nessa mesma linha, a Hidrovias do Brasil lançou ontem um conjunto de metas de sustentabilidade, dentre elas, alcançar uma operação carbono neutro até 2030.

• No internacional, a SEC, o órgão supervisor dos mercados financeiros dos Estados Unidos, prepara ofensiva para evitar o greenwashing em produtos de investimento em suas credenciais ESG, redigindo padrões para balizar o setor de fundos “sustentáveis”, após o crescimento explosivo que os aproximou dos US$ 3 trilhões em ativos.

Gostaria de receber os relatórios ESG por e-mailClique aqui.
Gostou do conteúdo, tem alguma dúvida ou quer nos enviar uma sugestão? Basta deixar um comentário no final do post!


XPInc CTA

Abra a sua conta na XP Investimentos!

XPInc CTA

Assine conteúdos exclusivos aqui!

XPInc CTA

Receba conteúdos da Expert pelo Telegram!

Brasil

Empresas

Pacto da ONU: Cemig quer reduzir emissões de carbono em 2 gigatoneladas até 2030

“A Companhia Energética de Minas Gerais (Cemig) aderiu à iniciativa global Movimento Ambição Net Zero, do Pacto Global da Organização das Nações Unidas (ONU). A agenda prevê a redução coletiva de 2 gigatoneladas de CO2 e de emissões acumuladas até 2030. A iniciativa é um dos caminhos da companhia para a meta de zerar as emissões líquidas de carbono até 2040. Segundo o presidente da empresa, Reynaldo Passanezi Filho, a empresa vem seguindo neste caminho de investimentos crescentes em geração limpa e renovável, em especial após desativação da termelétrica que era operada pela companhia, em 2019. Entretanto, além dos investimentos em energias renováveis, que já fazem parte dos negócios da empresa, a Cemig não fará nenhum aporte adicional para alcançar esta meta. Segundo Passanezi, os investimentos que a companhia previu em seu último planejamento estratégico, apresentado em 2021, já caminhavam na direção do Net Zero.”

Fonte: Valor Econômico, 24/05/2022

Hidrovias do Brasil anuncia meta net zero e diz: ninguém é ESG sozinho

Criada há 12 anos, a Hidrovias atua em um segmento que, naturalmente, pode se encaixar nos critérios ESG. O transporte hidroviário aproveita a infraestrutura natural, é eficiente e reduz a necessidade de obras de infraestrutura de grande impacto, como rodovias. Porém, por si só, isso não é suficiente para fazer a empresa ser ESG, na visão de seu presidente, Fabio Schettino. “O desafio está na cadeia de valor”, diz ele. A companhia lança, nesta terça, 24, um conjunto de metas de sustentabilidade baseado em seis pilares. O objetivo é tornar seus compromissos ESG públicos, no espírito da transparência. A Hidrovias também espera ser um agente indutor da pauta sustentável em sua cadeia, incluindo entre os clientes.”

Fonte: Exame, 24/05/2022

Política

Desmatamento da Mata Atlântica cresce 66%

“A Mata Atlântica, o bioma mais ameaçado do Brasil, registrou crescimento do desmatamento de 66% em 2021 em relação a 2020, somando 21.642 hectares de floresta indo ao chão. É a maior taxa em seis anos. Quinze Estados derrubaram árvores, mas cinco acumularam 89% do desmatamento – Minas Gerais, Bahia, Mato Grosso do Sul, Paraná e Santa Catarina. Os dados são do Atlas da Mata Atlântica, estudo que a Fundação SOS Mata Atlântica realiza regularmente desde 1989 em parceria com o Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (Inpe). “É um aumento muito maior do que nós imaginávamos”, diz Luis Fernando Guedes Pinto, diretor de conhecimento da SOS Mata Atlântica e coordenador do Atlas. Dos 17 Estados que compõem o bioma, 15 registraram alta do desmatamento em relação ao período anterior.”

Fonte: Valor Econômico, 25/05/2022

Internacional

Empresas

Exxon deve enfrentar processo de mudança climática de Massachusetts, regras do tribunal

“A Suprema Corte de Massachusetts rejeitou nesta terça-feira por unanimidade a oferta da Exxon Mobil Corp de rejeitar uma ação do procurador-geral do estado acusando a petroleira de enganar consumidores e investidores sobre as mudanças climáticas e os perigos de usando combustíveis fósseis. O Supremo Tribunal Judicial de Massachusetts disse que a procuradora-geral Maura Healey poderia prosseguir com o que a Exxon chamou de um caso politicamente motivado que alegou violar uma lei estadual que protege os réus de ações judiciais destinadas a silenciá-los.”

Fonte: Reuters, 24/05/2022

Air Liquide abre instalação de hidrogênio líquido em Nevada

A empresa francesa de gás industrial Air Liquide anunciou nesta terça-feira que abriu sua maior unidade de produção e logística de hidrogênio líquido em North Las Vegas, Nevada, para suprir as necessidades crescentes de veículos movidos a hidrogênio. “Enquanto o mercado de mobilidade limpa continua a amadurecer, a configuração da planta também permitirá a venda de hidrogênio para uma ampla gama de setores com uma variedade de opções renováveis ​​e de baixo carbono para os clientes”, disse a Air Liquide em comunicado à imprensa.

Fonte: Reuters, 24/05/2022

Política

Choques globais de energia e financiamento testam compromissos climáticos

“Seis meses depois que o mundo concordou em Glasgow com um pacto climático da ONU com metas novas e ousadas, líderes políticos e empresariais que enfrentam uma crise de energia, mercados voláteis e uma desaceleração econômica estão tentando descobrir como cortar emissões de carbono. Em meio à disparada dos preços do petróleo e do gás desencadeada pela invasão russa da Ucrânia em 24 de fevereiro, alguns países recorreram a outros combustíveis, incluindo carvão, para atender às suas necessidades energéticas. Enquanto isso, as dificuldades do mercado financeiro complicaram os planos para levantar os trilhões de dólares necessários para a transição energética dos combustíveis fósseis.”

Fonte: Reuters, 24/05/2022

Áustria vende primeiro título verde da história

“A Áustria se tornou o último governo a entrar no mercado de títulos verdes com uma venda de dívida de 4 bilhões de euros (4,3 bilhões de dólares) na terça-feira. O título, com vencimento em 23 de maio de 2049, precificado por um rendimento de 1,876%, e o Tesouro da Áustria reteve 250 milhões de euros da emissão, disse. O título atraiu 25 bilhões de euros de demanda de investidores, mostrou um memorando de um dos principais gestores vistos pela Reuters. Os governos europeus demonstraram forte interesse em emitir títulos verdes, que financiam projetos ecologicamente corretos, já que a demanda dos investidores aumentou nos últimos anos.”

Fonte: Reuters, 24/05/2022

Regulação

Riscos climáticos precisam de parâmetros para melhor ambiente de negócio

“As mudanças climáticas e emissões de gases efeito-estufa (GEE) são alguns dos fatores que vêm sendo considerados no âmbito de indicadores de Environmental, Social and Governance (ESG), que hoje são levados em conta pelo mercado financeiro para análise de risco e retorno de investimentos, vez que funcionam como espécie de indicador de perenidade do negócio e longevidade de lucro de uma empresa. Mas esse tão almejado indicador esperado pelos investidores tomadores de decisão padece de uma necessária base de comparação. E foi no sentido de preencher essa laguna que a U.S. Securities and Exchange Commission (SEC), agência responsável por proteger e regular o mercado de capitais americano, publicou recentemente (21/03), proposta de novas regras que exigem a divulgação padronizada de informações sobre como as empresas listadas, inclusive estrangeiras, estão se estruturando em relação a riscos relacionados a mudanças climáticas e emissões de GEE.”

Fonte: O Globo, 25/05/2022

SEC prepara ofensiva contra ‘greenwashing’ em fundos

“O órgão supervisor dos mercados financeiros dos Estados Unidos se prepara para reprimir exageros reivindicados por produtos de investimento em suas credenciais ambientais, sociais e de governança (ESG, na sigla em inglês), redigindo padrões para balizar o setor de fundos “sustentáveis”, após o crescimento explosivo que os aproximou dos US$ 3 trilhões em ativos. As regras que estão sendo elaboradas pela Securities and Exchange Commission (SEC, equivalente à Comissão de Valores Mobiliários nos EUA) especificarão as informações que devem ser divulgadas por fundos de investimento cujos nomes incluem termos como “ESG”, “sustentável” ou “baixo carbono”. Acredita-se que essas regras exigirão explicações sobre como os fundos ESG são comercializados, como os critérios ESG estão incorporados aos investimentos e como esses fundos votam nas assembleias gerais das companhias, de acordo com fontes a par dos planos do regulador.”

Fonte: Valor Econômico, 25/05/2022


Índices ESG e suas performances

(1) O Índice ISE (Índice de Sustentabilidade Empresarial da B3) tem como objetivo ser o indicador do desempenho médio das cotações dos ativos de empresas com reconhecido comprometimento com o desenvolvimento sustentável, práticas e alinhamento estratégico com a sustentabilidade empresarial.
(2) O Índice S&P/B3 Brasil ESG mede a performance de títulos que cumprem critérios de sustentabilidade e é ponderado pelas pontuações ESG da S&P DJI. Ele exclui ações com base na sua participação em certas atividades comerciais, no seu desempenho em comparação com o Pacto Global da ONU e também cias sem pontuação ESG da S&P DJI.
(3) O ICO2 tem como propósito ser um instrumento indutor das discussões sobre mudança do clima no Brasil. A adesão das companhias ao ICO2 demonstra o comprometimento com a transparência de suas emissões e antecipa a visão de como estão se preparando para uma economia de baixo carbono.
(4) O objetivo do IGCT é ser o indicador do desempenho médio das cotações dos ativos de emissão de empresas integrantes do IGC que atendam aos critérios adicionais descritos nesta metodologia.
(5) A série de índices FTSE4Good foi projetada para medir o desempenho de empresas que demonstram fortes práticas ambientais, sociais e de governança (ESG).
(6)
O Índice MSCI ACWI, que representa o desempenho de todo o conjunto de ações de grande e médio porte do mundo, em 23 mercados desenvolvidos e 26 emergentes.


Nossos últimos relatórios

  • Radar ESG | Raízen (RAIZ4): No caminho de um futuro mais verde (link)
  • Radar ESG | Cruzeiro do Sul (CSED3): No caminho certo (link)
  • Radar ESG | Juniores de O&G (RRRP3 e RECV3): Envolvidas com a agenda ESG, enquanto enfrentam ventos contrários ao setor (link)
  • Radar ESG | Petz (PETZ3): A caminho de se tornar uma empresa ESG para cachorro (link)
  • Carteira ESG XP: Uma alteração no nosso portfólio para abril (link)
  • Seis temas-chave no investimento ESG frente ao conflito Rússia/Ucrânia (link)
  • SEC anuncia proposta para divulgação obrigatória de dados climáticos; Positivo (link)
  • Update ESG | Petrobras (PETR4): Feedback do webinar sobre clima (link)
  • Radar ESG | Telefônica Brasil / Vivo (VIVT3): Conectando-se à agenda ESG (link)
  • Mulheres na liderança: Um olhar sobre a representatividade feminina nas empresas da B3 (link)
  • Carteira ESG XP: Uma alteração no nosso portfólio para março (link)
  • ISE B3: Um raio-X da nova carteira do Índice de Sustentabilidade da B3 (link)
  • Radar ESG | Panvel (PNVL3): Prescrevendo a agenda ESG (link)
  • Carteira ESG XP: Uma alteração no portfólio para fevereiro (link)
  • Radar ESG | Omega Energia (MEGA3): Líder em energia renovável, surfando a onda da sustentabilidade (link)
  • Radar ESG | Desktop (DESK3): No início da jornada ESG (link)
  • Carteira ESG XP: Sem alterações em nosso portfólio para janeiro (link)
  • Radar ESG | AgroGalaxy (AGXY3): Plantando as sementes ESG (link)
  • Radar ESG | Petrobras (PETR4): E o campo ESG, como a Petrobras está explorando? (link)
  • Radar ESG | Oncoclínicas (ONCO3): Ainda na sala de espera (link)
  • Radar ESG | Aviação Brasil (EMBR3, AZUL4 e GOLL4): Voando pelos ares ESG (link)
  • Radar ESG | Alpargatas (ALPA4): Iniciando a caminhada pela agenda ESG (link)
  • Radar ESG | Kepler Weber (KEPL3): Um começo promissor (link)
  • Radar ESG | TIM (TIMS3): Chamando a agenda ESG (link)
  • ESG: O que moldará os investimentos sustentáveis em 2022? (link)
  • Carteira ESG XP: Sem alterações em nosso portfólio para dezembro (link)
  • Radar ESG | Burger King Brasil (BKBR): Espaço para avanço na agenda, mas os planos ambiciosos adiante animam (link)
  • COP26: Implicações do documento final (link)
  • Expo Dubai: Buscando soluções diante de recursos finitos (link)
  • Expo Dubai: Todos os olhos voltados para o futuro da mobilidade (link)
  • Expo Dubai: Tecnologia e sustentabilidade centralizam os destaques do evento nesta terça-feira (link)
  • Expo Dubai: Três principais destaques do evento nesta segunda-feira, dia do Brasil na feira (link)
  • COP26: Um encontro decisivo para conter o aquecimento global (link)
  • Seleção BDRs ESG​: 15 nomes para exposição internacional ao tema (link)
  • Radar ESG | Kora Saúde (KRSA3): Ainda há um caminho a ser percorrido (link)
  • Radar ESG | Empresas de Autopeças: Preparando a estrada ESG; Governança e segurança em primeiro lugar (link)
  • Radar ESG | Unifique (FIQE3) e Brisanet (BRIT3): O que as empresas de telecomunicações brasileiras têm feito? (link)
  • Radar ESG | Natura&Co. (NTCO3): Não é apenas maquiagem; ESG é uma realidade! (link)
  • Vale (VALE3): Feedback do Webinar ESG; Todos os olhos voltados para a redução de riscos (link)
  • Radar ESG | Totvs (TOTS3): A melhor posicionada no setor de tecnologia sob a cobertura da XP (link)
  • Assembleia Geral da ONU: Cenário climático alarmante centraliza as discussões (link)
  • Amazônia: Entendendo a importância da maior floresta tropical do mundo (link)
  • ESG no centro das discussões; Três principais aprendizados da Expert XP 2021 (link)
  • Radar ESG | Companhia Brasileira de Alumínio (CBAV3): Uma líder em alumínio verde, com forte posicionamento ESG (link)
  • Relatório do IPCC: Um chamado para todos, inclusive para o mercado, frente a um cenário alarmante do clima (link)
  • Radar ESG | WEG (WEGE3): Um player ESG bem equipado para se beneficiar das tendências adiante (link)
  • Radar ESG | Boa Safra (SOJA3): Agenda ESG em produção, semente por semente (link)
  • Água: Onde há escassez, há oportunidade (link)
  • Radar ESG | Positivo (POSI3): Um trabalho em andamento (link)
  • B3 anuncia nova metodologia para o ISE; Positivo (link)
  • Radar ESG | G2D (G2DI33): Abraçando os pilares S e E através do portfólio de investimentos de impacto (link)
  • Ambev (ABEV3): Feedback do evento ESG; Reforçamos nossa visão positiva (link)
  • Radar ESG | Setor de infraestrutura (CCRO3, ECOR3, RAIL3, HBSA3, STBP3): Preparando o asfalto (link)
  • Crédito de carbono: Capturando parte da solução; 5 nomes para exposição ao tema (link)
  • Radar ESG | Incorporadoras de Imóveis Residenciais Populares: Construindo os andares ESG (link)
  • Radar ESG | Arezzo & Co. (ARZZ3): Caminhando com seus próprios passos pela agenda ESG (link)
  • Trilogia ESG (Pt. I): Um mergulho no pilar E; Três nomes que são parte da solução (link)
  • Radar ESG | Blau (BLAU3) e Hypera (HYPE3): Em busca da fórmula ESG (link)
  • Bitcoin e ESG: Entenda os dois lados da moeda (link)
  • Radar ESG | Bemobi (BMOB3): Diversidade é o nome do jogo (link)
  • Radar ESG | Setor de Logística (SIMH3, JSLG3 e VAMO3): Preparando-se para a estrada ESG (link)
  • Radar ESG | Laboratórios: ESG ainda na triagem; Fleury se destacando em relação aos pares (link)
  • Cúpula de Líderes sobre o Clima: Tecnologia, economia e agenda verde centralizam as discussões no segundo dia do evento (link)
  • Cúpula de Líderes sobre o Clima: Cooperação global é uma das três principais mensagens do evento (link)
  • Radar ESG | Locadoras de automóveis: Rumo à agenda ESG; Localiza liderando a corrida (link)
  • Radar ESG | São Martinho (SMTO3): Quanto mais se semeia, maior é a colheita (link)
  • Radar ESG | Orizon (ORVR3): Quando ESG está escrito no DNA (link)
  • Sondagem XP/ESG com investidores institucionais (link)
  • O melhor dos dois mundos: Seleção de 10 BDRs para exposição internacional ao tema ESG (link)
  • Radar ESG | Enjoei (ENJU3): O usado é o novo “novo”? (link)
  • Radar ESG | CSN Mineração (CMIN3): Explorando os campos ESG (link)
  • Radar ESG | Jalles (JALL3): Plantando as sementes ESG (link)
  • Radar ESG | Incorporadoras de alta renda: ESG ainda em construção (link)
  • Radar ESG | Setor de saúde: O ESG ainda está na sala de espera? (link)
  • Radar ESG | Quão sustentáveis são as empresas de e-commerce? Uma análise ESG dessas gigantes (link)
  • Radar ESG | IMC (MEAL3): Por que a empresa ainda tem muito espaço para melhorar? (link)
  • Radar ESG | Aeris (AERI3): Uma das empresas melhor posicionada para surfar o vento ESG (link)
  • Radar ESG | 3R Petroleum: Construindo um caminho que incorpora metas ESG (link)
  • Radar ESG | Setor de supermercados: Vale a pena encher o carrinho? (link)
  • Radar ESG | JHSF (JHSF3): Espaço para melhorias (link)
  • Radar ESG | Quem é o melhor aluno da classe? Avaliando os líderes em ESG dentre as empresas de educação no Brasil (link)
  • Panorama do marco regulatório de investimentos ESG no Brasil (link)
  • CVM e B3 estudam intensificar critérios ESG para as companhias listadas (link)
  • Radar ESG | Setor de vestuário e joias: ESG ainda na confecção (link)
  • ESG: Tendências e preferências para 2021 (link)
  • Radar ESG | LOG Commercial Properties (LOGG3): Oportunidades em empreendimentos verdes (link)
  • Eleições americanas: Quais os efeitos para a agenda ESG nos EUA e no Brasil? (link)
  • Radar ESG | Farmácias: Raia Drogasil como a ação prescrita no setor para exposição a ESG (link)
  • Radar ESG | Shoppings: Entenda o que importa para eles quando o tema é ESG (link)
  • Radar ESG | Ambev (ABEV3): Um case que desce redondo (link)
  • Feedback do roadshow ESG: O que as gestoras no Brasil estão fazendo em relação ao tema? (link)
  • ESG de A a Z: Tudo o que você precisa saber sobre o tema (link)

Ainda não tem conta na XP? Clique aqui e abra a sua!

XP Expert

Avaliação

O quão foi útil este conteúdo pra você?


Newsletter
Newsletter

Gostaria de receber nossos conteúdos por e-mail?

Cadastre-se e receba grátis nossos relatórios e recomendações de investimentos

Telegram
Telegram XP

Acesse os conteúdos

Telegram XP

pelo Telegram da XP Investimentos

A XP Investimentos CCTVM S/A, inscrita sob o CNPJ: 02.332.886/0001-04, é uma instituição financeira autorizada a funcionar pelo Banco Central do Brasil.Toda comunicação através de rede mundial de computadores está sujeita a interrupções ou atrasos, podendo impedir ou prejudicar o envio de ordens ou a recepção de informações atualizadas. A XP Investimentos exime-se de responsabilidade por danos sofridos por seus clientes, por força de falha de serviços disponibilizados por terceiros. A XP Investimentos CCTVM S/A é instituição autorizada a funcionar pelo Banco Central do Brasil.


Este site usa cookies e dados pessoais de acordo com a nossa Política de Cookies (gerencie suas preferências de cookies) e a nossa Política de Privacidade.