XP Expert

Gestoras brasileiras apoiam a adoção de parâmetros ESG internacionais, diz OCDE | Café com ESG, 22/06

Comece o dia bem informado com as principais notícias ao redor do Brasil e do mundo quando o tema é ESG!

Compartilhar:

  • Compartilhar no Facebook
  • Compartilhar no Twitter
  • Compartilhar no Whatsapp
  • Compartilhar no LinkedIn
  • Compartilhar via E-mail

Bom dia! Neste relatório diário publicado todas as manhãs pelo time ESG do Research da XP, buscamos trazer as últimas notícias para que você comece o dia bem informado e fique por dentro do que o Brasil e o mundo fala sobre um tema que tem ficado cada vez mais relevante: ESG – do termo em inglês Environmental, Social and Governance ou, em português, ASG – Ambiental, Social e Governança.

Quais tópicos abordamos ao longo do conteúdo? (i) Notícias no Brasil e no mundo acerca do tema ESG; (ii) Performance histórica dos principais índices ESG em diferentes países; (iii) Comparativo da performance do Ibovespa vs. ISE (Índice de Sustentabilidade Empresarial, da B3); e (iv) Lista com os últimos relatórios publicados pelo Research ESG da XP.
Por que essas informações são importantes? 
Porque elas indicam os temas dentro da agenda ESG que estão sendo cada vez mais monitoradas por parte dos investidores e das empresas, e podem impactar os preços das ações de diferentes companhias.

Esperamos que aproveite a leitura!

Principais tópicos do dia

• O mercado fechou o pregão de terça-feira em território neutro, com o Ibov e o ISE em leve queda de -0,2% e -0,1%, respectivamente.

• No Brasil, (i) a maioria das grandes gestoras de recursos e das companhias listadas no país apoia a adoção de parâmetros internacionais referentes aos temas ESG para a divulgação de relatórios de sustentabilidade, de acordo com um levantamento da OCDE, em parceria com a CVM, divulgado ontem; (ii) o mercado de crédito de carbono tem um potencial gigantesco nos próximos anos e diversos especialistas apontam que o crescimento da área pode ser superior a 15 vezes até 2030, mas o Brasil precisa alinhar regras e regulações para criar um ambiente de negócios seguro para as empresas nacionais e estrangeiras.

• No internacional, ontem, algumas companhias aéreas alertaram as principais empresas petrolíferas dizendo que devem acelerar o desenvolvimento de combustíveis alternativos para que a indústria da aviação atinja sua meta de emissões líquidas zero em 2050 ou correm o risco de perder para as empresas que o fizerem – o setor aéreo exige grandes investimentos nos chamados combustíveis de aviação sustentáveis ​​(SAF), que atualmente são escassos e muito mais caros do que os combustíveis convencionais para aviação.

Gostaria de receber os relatórios ESG por e-mailClique aqui.
Gostou do conteúdo, tem alguma dúvida ou quer nos enviar uma sugestão? Basta deixar um comentário no final do post!


XPInc CTA

Abra a sua conta na XP Investimentos!

XPInc CTA

Assine conteúdos exclusivos aqui!

XPInc CTA

Receba conteúdos da Expert pelo Telegram!

Brasil

Empresas

Gestores e empresas apoiam parâmetro ESG internacional, diz OCDE

“A maioria das grandes gestoras de recursos e das companhias listadas no Brasil apoia a adoção de parâmetros internacionais referentes aos temas ambientais, sociais e de governança (ESG, na sigla em inglês) para a divulgação de relatórios de sustentabilidade. Esse retrato é um dos pontos tratados em um levantamento da Organização para a Cooperação e o Desenvolvimento Econômico (OCDE), em parceria com a Comissão de Valores Mobiliários (CVM), divulgado ontem, em evento no Rio. O relatório aponta que, do ponto de vista dos diretores das companhias abertas brasileiras, há prioridade para as considerações e informações envolvendo capital humano e segurança de dados. “Em 2021, cerca de 90% dos conselhos das empresas pesquisadas consideraram essas duas questões de sustentabilidade em seu processo de tomada de decisão. Dentre outras questões, as mudanças climáticas e a biodiversidade também receberam atenção da maioria dos conselhos de empresas públicas em 2021”, diz o documento.”

Fonte: Valor Econômico, 22/06/2022

Brasil tem o maior potencial global para créditos de carbono, mas regulamentação precisa andar

“O mercado de crédito de carbono tem um potencial gigantesco nos próximos anos e diversos especialistas apontam que o crescimento da área pode ser superior a 15 vezes até 2030. Diante de tamanha oportunidade, o Brasil pode se tornar um dos protagonistas no setor, mas precisa alinhar regras e regulações para criar um ambiente de negócios seguro para empresas que atuam por aqui e também estrangeiras – discussão que ainda caminha a passos lentos no País, apesar de alguns avanços. Essa foi a opinião dos participantes do painel “A regulação do mercado nacional de carbono”, durante o Summit ESG Estadão, que teve a presença de Guido Penido, consultor do Banco Mundial, Marina Grossi, presidente do Conselho Empresarial Brasileiro para o Desenvolvimento Sustentável (CEBDS), Plínio Ribeiro, presidente da Biofílica Ambipar, e de Ronaldo Seroa da Motta, professor de economia ambiental da Universidade Estadual do Rio de Janeiro (UERJ).”

Fonte: Estadão, 21/06/2022

Clique aqui para acessar o relatório | “Crédito de carbono: Capturando parte da solução; 5 nomes para exposição ao tema

Seguradoras precisam acelerar uso de ESG e transformação digital

“As transformações na indústria de seguros estão acelerando, mas as empresas do setor no Brasil precisarão aumentar a velocidade de mudança para não ficar para trás. A percepção de existir um distanciamento considerável frente ao nível de outros setores ou mesmo da média global da indústria em questões como integração a ecossistemas cada vez mais digitalizados e a adesão ao ESG – sigla em inglês para fatores ambientais, sociais e de governança – fica evidente nos resultados de duas pesquisas realizadas pelas consultorias McKinsey e Accenture. De acordo com levantamento da McKinsey sobre a integração dos seguros aos chamados ecossistemas, até 2030 esses arranjos vão representar 25% do PIB global. O sócio responsável por seguros da consultoria, João Bueno, comenta que um ecossistema é a lógica como a economia se organiza atualmente, onde produtos e serviços se integram em grandes arranjos. “Vemos hoje 12 ecossistemas na economia, como mobilidade, moradia, saúde, patrimônio, educação, proteção e B2B, entre outros.””

Fonte: Valor Econômico, 22/06/2022

Mineração vai se expandir no Pará com boas práticas ESG, afirma IBRAM

“A mineração industrial vai observar expansão nos próximos anos no estado do Pará e irá se desenvolver de acordo com as métricas e parâmetros ESG, ou seja, com boas práticas sustentáveis, voltadas à excelência em relação aos aspectos ambientais, sociais e de governança. “Quem quiser ter um lugar no futuro tem que prestar atenção nessas três letras: ESG e, além de prestar atenção, tem que praticá-las. Porque não há lugar no futuro para quem não estiver devidamente obtendo sua licença ambiental, a sua licença social e obviamente tendo uma boa governança”, afirmou o diretor-presidente do Instituto Brasileiro de Mineração (IBRAM), Raul Jungmann.”

Fonte: Folha Vitoria, 21/06/2022

Estudo quantifica impacto humano na retenção de carbono da Mata Atlântica

“Entre os inúmeros benefícios das florestas nativas está o grande potencial de estocar carbono na biomassa de suas árvores, o que pode contrabalancear as emissões de gases de efeito estufa para a atmosfera. Estudo publicado sexta-feira (17), na revista Science Advances traz novos subsídios para compreender o conceito de “sequestro de carbono”, um aspecto estratégico no debate sobre mudanças climáticas globais. “Ainda sabemos pouco sobre quais são os fatores que podem levar florestas a estocar mais ou menos carbono”, diz Renato Augusto Ferreira de Lima, pesquisador do Departamento de Ecologia do Instituto de Biociências da Universidade de São Paulo (IB-USP), atualmente no Centre for the Synthesis and Analysis of Biodiversity (Cesab, com sede em Montpellier, França), e um dos dez cientistas que assinam o artigo.”

Fonte: Revista Galileu, 21/06/2022

Clique aqui para acessar o relatório | “Relatório do IPCC: Um chamado para todos, inclusive para o mercado, frente a um cenário alarmante do clima

Internacional

Empresas

CEO da Unilever ‘não tem ideia’ de como atingir a meta de zerar emissões de carbono

“O presidente-executivo da Unilever, Alan Jope, disse que “não fazia ideia” de como a gigante do consumidor cumpriria a meta de reduzir as emissões de carbono do “escopo 3″ – que inclui aquelas geradas pelos consumidores que usam seus produtos. Os produtos da empresa variam de sabonete Dove a macarrão Knorr e detergente Surf, e a energia usada pelos consumidores para cozinhar alimentos, lavar roupas ou limpar seus cabelos e pele “representa 60% de nossa pegada total de carbono”, disse Jope no Consumer Goods Forum em Dublin na terça-feira. A produção de energia de suas fábricas e rede de distribuição é “quase imaterial” em comparação, acrescentou o CEO. Jope estava delineando os desafios para atingir as metas do escopo 3, sobre as quais a empresa tem menos influência, até 2039. Ele disse que exigiria mudanças significativas no comportamento do consumidor e na ação dos governos, incluindo a adoção de um uso muito maior de energia renovável em todo o mundo.”

Fonte: Valor Econômico, 21/06/2022

Companhias aéreas alertam petroleiras para acelerar produção de combustíveis alternativos

“As principais empresas petrolíferas devem acelerar o desenvolvimento de combustíveis alternativos cruciais para que a indústria da aviação atinja sua meta de emissões líquidas zero em 2050 ou correm o risco de perder para as empresas que o fizerem, alertaram as companhias aéreas nesta terça-feira. O setor aéreo exige grandes investimentos nos chamados combustíveis de aviação sustentáveis ​​(SAF), que atualmente são escassos e muito mais caros do que os combustíveis convencionais para aviação.”

Fonte: Reuters, 21/06/2022

FedEx muda de teste de caminhão de entrega EV para adoção

“A FedEx Corp tem 150 caminhões de entrega de emissão zero BrightDrop circulando nas ruas e rodovias de Los Angeles enquanto faz testes para a adoção de veículos elétricos. A parceria com a BrightDrop, uma subsidiária de 18 meses da General Motors , avança a FedEx em direção à sua meta de tornar 100% de sua frota de coleta e entrega de veículos elétricos até 2030. “Você começa com muitos projetos científicos”, disse Russ Musgrove, diretor administrativo de veículos globais da FedEx Express, que tem um total de 2.500 caminhões BrightDrop encomendados. Essa unidade da FedEx trabalha em projetos de veículos elétricos (VE) há mais de uma década.”

Fonte: Reuters, 21/06/2022

Política

Pressionar para deter a perda de biodiversidade com metas juridicamente vinculativas da UE

“A crise da biodiversidade está aumentando a agenda política à medida que Bruxelas avança com metas juridicamente vinculativas para reduzir o uso de pesticidas e melhorar os ecossistemas naturais, apesar da objeção de agricultores que argumentam que enfrentam “crises cumulativas” após o coronavírus e a guerra na Ucrânia. As leis, publicadas na quarta-feira, estabelecem metas abrangentes para melhorar a biodiversidade nas terras agrícolas, aumentar o número de abelhas, restaurar turfeiras drenadas e aumentar as áreas verdes nas cidades, com as medidas que cobririam um quinto da terra e do mar da UE até 2030 Bruxelas também pretende reduzir o uso de pesticidas pela metade até 2030, tanto em quantidade quanto no nível de risco que eles representam para o meio ambiente. Ao mesmo tempo, a ONU convocou 196 países em Nairóbi esta semana para negociar as metas globais de biodiversidade a serem decididas em uma cúpula em dezembro. A cúpula da COP15 está sendo transferida de Kunming, na China, para Montreal, no Canadá, depois de ter sido adiada por dois anos devido ao Covid.”

Fonte: Financial Times, 22/06/2022

Aumento no fornecimento de diesel renovável nos EUA não compensará a perda de diesel de petróleo

“Uma enxurrada de usinas de diesel renovável nos Estados Unidos que devem entrar em operação nos próximos três anos não será suficiente para compensar a perda de capacidade de refino de diesel de petróleo devido ao fechamento de usinas desde 2019, mostra uma análise da Reuters de dados federais. A capacidade de refino dos EUA diminuiu nos últimos dois anos, pois as fábricas fecharam durante o início da pandemia de coronavírus, fazendo com que os preços subissem.”

Fonte: Reuters, 21/06/2022

Portugal escolhe empresas para investimento de US$ 8 bilhões em projetos verdes

“Portugal escolheu 51 consórcios para investir um total de 7,57 bilhões de euros (8 bilhões de dólares) em projetos verdes e outros projetos inovadores nos próximos quatro anos como parte do programa de recuperação da União Europeia. O primeiro-ministro António Costa disse na terça-feira que os projetos selecionados poderão usar 3 bilhões de euros em subsídios do programa de recuperação e resiliência de 16,6 bilhões de euros de Portugal.”

Fonte: Reuters, 21/06/2022


Índices ESG e suas performances

(1) O Índice ISE (Índice de Sustentabilidade Empresarial da B3) tem como objetivo ser o indicador do desempenho médio das cotações dos ativos de empresas com reconhecido comprometimento com o desenvolvimento sustentável, práticas e alinhamento estratégico com a sustentabilidade empresarial.
(2) O Índice S&P/B3 Brasil ESG mede a performance de títulos que cumprem critérios de sustentabilidade e é ponderado pelas pontuações ESG da S&P DJI. Ele exclui ações com base na sua participação em certas atividades comerciais, no seu desempenho em comparação com o Pacto Global da ONU e também cias sem pontuação ESG da S&P DJI.
(3) O ICO2 tem como propósito ser um instrumento indutor das discussões sobre mudança do clima no Brasil. A adesão das companhias ao ICO2 demonstra o comprometimento com a transparência de suas emissões e antecipa a visão de como estão se preparando para uma economia de baixo carbono.
(4) O objetivo do IGCT é ser o indicador do desempenho médio das cotações dos ativos de emissão de empresas integrantes do IGC que atendam aos critérios adicionais descritos nesta metodologia.
(5) A série de índices FTSE4Good foi projetada para medir o desempenho de empresas que demonstram fortes práticas ambientais, sociais e de governança (ESG).
(6)
O Índice MSCI ACWI, que representa o desempenho de todo o conjunto de ações de grande e médio porte do mundo, em 23 mercados desenvolvidos e 26 emergentes.


Nossos últimos relatórios

  • Radar ESG | Mater Dei (MATD3): Já na rota ESG (link)
  • Crédito de Carbono: Governo publica decreto para regulamentar o mercado; Confira nossa análise (link)
  • Reunião com Joaquim Leite, Ministro do Meio Ambiente: Carbono e energia renovável centralizam as discussões (link)
  • Radar ESG | Ambipar (AMBP3): Sobre fazer parte solução (link)
  • Radar ESG | Raízen (RAIZ4): No caminho de um futuro mais verde (link)
  • Radar ESG | Cruzeiro do Sul (CSED3): No caminho certo (link)
  • Radar ESG | Juniores de O&G (RRRP3 e RECV3): Envolvidas com a agenda ESG, enquanto enfrentam ventos contrários ao setor (link)
  • Radar ESG | Petz (PETZ3): A caminho de se tornar uma empresa ESG para cachorro (link)
  • Carteira ESG XP: Uma alteração no nosso portfólio para abril (link)
  • Seis temas-chave no investimento ESG frente ao conflito Rússia/Ucrânia (link)
  • SEC anuncia proposta para divulgação obrigatória de dados climáticos; Positivo (link)
  • Update ESG | Petrobras (PETR4): Feedback do webinar sobre clima (link)
  • Radar ESG | Telefônica Brasil / Vivo (VIVT3): Conectando-se à agenda ESG (link)
  • Mulheres na liderança: Um olhar sobre a representatividade feminina nas empresas da B3 (link)
  • Carteira ESG XP: Uma alteração no nosso portfólio para março (link)
  • ISE B3: Um raio-X da nova carteira do Índice de Sustentabilidade da B3 (link)
  • Radar ESG | Panvel (PNVL3): Prescrevendo a agenda ESG (link)
  • Carteira ESG XP: Uma alteração no portfólio para fevereiro (link)
  • Radar ESG | Omega Energia (MEGA3): Líder em energia renovável, surfando a onda da sustentabilidade (link)
  • Radar ESG | Desktop (DESK3): No início da jornada ESG (link)
  • Carteira ESG XP: Sem alterações em nosso portfólio para janeiro (link)
  • Radar ESG | AgroGalaxy (AGXY3): Plantando as sementes ESG (link)
  • Radar ESG | Petrobras (PETR4): E o campo ESG, como a Petrobras está explorando? (link)
  • Radar ESG | Oncoclínicas (ONCO3): Ainda na sala de espera (link)
  • Radar ESG | Aviação Brasil (EMBR3, AZUL4 e GOLL4): Voando pelos ares ESG (link)
  • Radar ESG | Alpargatas (ALPA4): Iniciando a caminhada pela agenda ESG (link)
  • Radar ESG | Kepler Weber (KEPL3): Um começo promissor (link)
  • Radar ESG | TIM (TIMS3): Chamando a agenda ESG (link)
  • ESG: O que moldará os investimentos sustentáveis em 2022? (link)
  • Carteira ESG XP: Sem alterações em nosso portfólio para dezembro (link)
  • Radar ESG | Burger King Brasil (BKBR): Espaço para avanço na agenda, mas os planos ambiciosos adiante animam (link)
  • COP26: Implicações do documento final (link)
  • Expo Dubai: Buscando soluções diante de recursos finitos (link)
  • Expo Dubai: Todos os olhos voltados para o futuro da mobilidade (link)
  • Expo Dubai: Tecnologia e sustentabilidade centralizam os destaques do evento nesta terça-feira (link)
  • Expo Dubai: Três principais destaques do evento nesta segunda-feira, dia do Brasil na feira (link)
  • COP26: Um encontro decisivo para conter o aquecimento global (link)
  • Seleção BDRs ESG​: 15 nomes para exposição internacional ao tema (link)
  • Radar ESG | Kora Saúde (KRSA3): Ainda há um caminho a ser percorrido (link)
  • Radar ESG | Empresas de Autopeças: Preparando a estrada ESG; Governança e segurança em primeiro lugar (link)
  • Radar ESG | Unifique (FIQE3) e Brisanet (BRIT3): O que as empresas de telecomunicações brasileiras têm feito? (link)
  • Radar ESG | Natura&Co. (NTCO3): Não é apenas maquiagem; ESG é uma realidade! (link)
  • Vale (VALE3): Feedback do Webinar ESG; Todos os olhos voltados para a redução de riscos (link)
  • Radar ESG | Totvs (TOTS3): A melhor posicionada no setor de tecnologia sob a cobertura da XP (link)
  • Assembleia Geral da ONU: Cenário climático alarmante centraliza as discussões (link)
  • Amazônia: Entendendo a importância da maior floresta tropical do mundo (link)
  • ESG no centro das discussões; Três principais aprendizados da Expert XP 2021 (link)
  • Radar ESG | Companhia Brasileira de Alumínio (CBAV3): Uma líder em alumínio verde, com forte posicionamento ESG (link)
  • Relatório do IPCC: Um chamado para todos, inclusive para o mercado, frente a um cenário alarmante do clima (link)
  • Radar ESG | WEG (WEGE3): Um player ESG bem equipado para se beneficiar das tendências adiante (link)
  • Radar ESG | Boa Safra (SOJA3): Agenda ESG em produção, semente por semente (link)
  • Água: Onde há escassez, há oportunidade (link)
  • Radar ESG | Positivo (POSI3): Um trabalho em andamento (link)
  • B3 anuncia nova metodologia para o ISE; Positivo (link)
  • Radar ESG | G2D (G2DI33): Abraçando os pilares S e E através do portfólio de investimentos de impacto (link)
  • Ambev (ABEV3): Feedback do evento ESG; Reforçamos nossa visão positiva (link)
  • Radar ESG | Setor de infraestrutura (CCRO3, ECOR3, RAIL3, HBSA3, STBP3): Preparando o asfalto (link)
  • Crédito de carbono: Capturando parte da solução; 5 nomes para exposição ao tema (link)
  • Radar ESG | Incorporadoras de Imóveis Residenciais Populares: Construindo os andares ESG (link)
  • Radar ESG | Arezzo & Co. (ARZZ3): Caminhando com seus próprios passos pela agenda ESG (link)
  • Trilogia ESG (Pt. I): Um mergulho no pilar E; Três nomes que são parte da solução (link)
  • Radar ESG | Blau (BLAU3) e Hypera (HYPE3): Em busca da fórmula ESG (link)
  • Bitcoin e ESG: Entenda os dois lados da moeda (link)
  • Radar ESG | Bemobi (BMOB3): Diversidade é o nome do jogo (link)
  • Radar ESG | Setor de Logística (SIMH3, JSLG3 e VAMO3): Preparando-se para a estrada ESG (link)
  • Radar ESG | Laboratórios: ESG ainda na triagem; Fleury se destacando em relação aos pares (link)
  • Cúpula de Líderes sobre o Clima: Tecnologia, economia e agenda verde centralizam as discussões no segundo dia do evento (link)
  • Cúpula de Líderes sobre o Clima: Cooperação global é uma das três principais mensagens do evento (link)
  • Radar ESG | Locadoras de automóveis: Rumo à agenda ESG; Localiza liderando a corrida (link)
  • Radar ESG | São Martinho (SMTO3): Quanto mais se semeia, maior é a colheita (link)
  • Radar ESG | Orizon (ORVR3): Quando ESG está escrito no DNA (link)
  • Sondagem XP/ESG com investidores institucionais (link)
  • O melhor dos dois mundos: Seleção de 10 BDRs para exposição internacional ao tema ESG (link)
  • Radar ESG | Enjoei (ENJU3): O usado é o novo “novo”? (link)
  • Radar ESG | CSN Mineração (CMIN3): Explorando os campos ESG (link)
  • Radar ESG | Jalles (JALL3): Plantando as sementes ESG (link)
  • Radar ESG | Incorporadoras de alta renda: ESG ainda em construção (link)
  • Radar ESG | Setor de saúde: O ESG ainda está na sala de espera? (link)
  • Radar ESG | Quão sustentáveis são as empresas de e-commerce? Uma análise ESG dessas gigantes (link)
  • Radar ESG | IMC (MEAL3): Por que a empresa ainda tem muito espaço para melhorar? (link)
  • Radar ESG | Aeris (AERI3): Uma das empresas melhor posicionada para surfar o vento ESG (link)
  • Radar ESG | 3R Petroleum: Construindo um caminho que incorpora metas ESG (link)
  • Radar ESG | Setor de supermercados: Vale a pena encher o carrinho? (link)
  • Radar ESG | JHSF (JHSF3): Espaço para melhorias (link)
  • Radar ESG | Quem é o melhor aluno da classe? Avaliando os líderes em ESG dentre as empresas de educação no Brasil (link)
  • Panorama do marco regulatório de investimentos ESG no Brasil (link)
  • CVM e B3 estudam intensificar critérios ESG para as companhias listadas (link)
  • Radar ESG | Setor de vestuário e joias: ESG ainda na confecção (link)
  • ESG: Tendências e preferências para 2021 (link)
  • Radar ESG | LOG Commercial Properties (LOGG3): Oportunidades em empreendimentos verdes (link)
  • Eleições americanas: Quais os efeitos para a agenda ESG nos EUA e no Brasil? (link)
  • Radar ESG | Farmácias: Raia Drogasil como a ação prescrita no setor para exposição a ESG (link)
  • Radar ESG | Shoppings: Entenda o que importa para eles quando o tema é ESG (link)
  • Radar ESG | Ambev (ABEV3): Um case que desce redondo (link)
  • Feedback do roadshow ESG: O que as gestoras no Brasil estão fazendo em relação ao tema? (link)
  • ESG de A a Z: Tudo o que você precisa saber sobre o tema (link)

Ainda não tem conta na XP? Clique aqui e abra a sua!

XP Expert

Avaliação

O quão foi útil este conteúdo pra você?


Newsletter
Newsletter

Gostaria de receber nossos conteúdos por e-mail?

Cadastre-se e receba grátis nossos relatórios e recomendações de investimentos

Telegram
Telegram XP

Acesse os conteúdos

Telegram XP

pelo Telegram da XP Investimentos

A XP Investimentos CCTVM S/A, inscrita sob o CNPJ: 02.332.886/0001-04, é uma instituição financeira autorizada a funcionar pelo Banco Central do Brasil.Toda comunicação através de rede mundial de computadores está sujeita a interrupções ou atrasos, podendo impedir ou prejudicar o envio de ordens ou a recepção de informações atualizadas. A XP Investimentos exime-se de responsabilidade por danos sofridos por seus clientes, por força de falha de serviços disponibilizados por terceiros. A XP Investimentos CCTVM S/A é instituição autorizada a funcionar pelo Banco Central do Brasil.


Este site usa cookies e dados pessoais de acordo com a nossa Política de Cookies (gerencie suas preferências de cookies) e a nossa Política de Privacidade.