XP Expert

Standard Ethics rebaixa a classificação da Rússia | Café com ESG, 25/02

Comece o dia bem informado com as principais notícias ao redor do Brasil e do mundo quando o tema é ESG!

Compartilhar:

  • Compartilhar no Facebook
  • Compartilhar no Twitter
  • Compartilhar no Whatsapp
  • Compartilhar no LinkedIn
  • Compartilhar via E-mail

Bom dia! Neste relatório diário publicado todas as manhãs pelo time ESG do Research da XP, buscamos trazer as últimas notícias para que você comece o dia bem informado e fique por dentro do que o Brasil e o mundo fala sobre um tema que tem ficado cada vez mais relevante: ESG – do termo em inglês Environmental, Social and Governance ou, em português, ASG – Ambiental, Social e Governança.

Quais tópicos abordamos ao longo do conteúdo? (i) Notícias no Brasil e no mundo acerca do tema ESG; (ii) Performance histórica dos principais índices ESG em diferentes países; (iii) Comparativo da performance do Ibovespa vs. ISE (Índice de Sustentabilidade Empresarial, da B3); e (iv) Lista com os últimos relatórios publicados pelo Research ESG da XP.
Por que essas informações são importantes? 
Porque elas indicam os temas dentro da agenda ESG que estão sendo cada vez mais monitoradas por parte dos investidores e das empresas, e podem impactar os preços das ações de diferentes companhias.

Esperamos que aproveite a leitura!

Principais tópicos do dia

• Na quinta-feira, o mercado fechou em território negativo, com o Ibov e o ISE em leve queda de -0,4% e -0,1%, respectivamente.

• No Brasil, do lado das empresas, (i) a fabricante de bebidas Ambev anunciou na sua apresentação de resultados que toda a alta liderança da companhia tem a remuneração variável ligada às metas ESG; e (ii) a Vale informou em comunicado que assinou memorando de entendimento com a companhia chinesa Hunan Valin Iron & Steel Group (Valin Group) para o desenvolvimento de soluções de descarbonização para a siderurgia.

• No internacional, a agência de classificação de sustentabilidade Standard Ethics disse ontem que rebaixou a classificação da Federação Russa depois que ela invadiu a Ucrânia para o degrau mais baixo, definido como “não sustentável”.

Gostaria de receber os relatórios ESG por e-mailClique aqui.
Gostou do conteúdo, tem alguma dúvida ou quer nos enviar uma sugestão? Basta deixar um comentário no final do post!


Brasil

Empresas

Ambev: CEO e diretoria têm remuneração variável ligada às metas ESG

Na apresentação dos resultados do último ano, a fabricante de bebidas Ambev anunciou que toda a alta liderança da companhia têm a remuneração variável ligada às metas ESG. Na prática, isso representa mais um passo importante para a integração de ESG dentro da estratégia de negócios da Ambev e reforça as frentes de atuação da companhia em meio ambiente, social e governança. As metas estão ligadas à economia circular, projetos de impacto social, geração de valor para micro e pequenos empreendedores, além de diversidade e inclusão e governança.”

Fonte: Exame, 24/02/2022

Vale e Valin Group assinam memorando de entendimento para projeto de redução de emissões

“A Vale informou em comunicado que assinou memorando de entendimento com a companhia chinesa Hunan Valin Iron & Steel Group (Valin Group) para o desenvolvimento de soluções de descarbonização para a siderurgia. Segundo a Vale, as companhias pretendem estudar e explorar a viabilidade de cooperação no uso de produtos de minério de ferro de alta qualidade; plantas de metálicos construídas em regiões fora da China para fornecimento da Valin Group; uso da tecnologia Tecnored na China; e aplicação de tecnologias verdes e de baixa emissão de carbono, incluindo recursos energéticos como hidrogênio, biomassa e gás de síntese.”

Fonte: Valor Investe, 23/02/2022

Investimentos de impacto superam R$ 1 bi no Brasil, aponta pesquisa

“Os investimentos em negócios de impacto feitos no Brasil somaram pelo menos R$ 1 bilhão em 2020, segundo uma pesquisa divulgada ontem pela Aspen Networks Development Entrepreneurs (Ande). Dos 47 gestores que responderam ao levantamento, 38 tinham ativos sob gestão destinados a negócios brasileiros de impacto naquele ano. Somados, eles totalizaram R$ 4,4 bilhões em ativos sob gestão. A expectativa era de um aumento significativo nos recursos captados em 2021, chegando a um total sob gestão de R$ 6,1 bilhões, ou um crescimento de 38%. Como os dados foram apurados no segundo semestre do ano passado, a entidade acredita que o total deva ter sido alcançado.”

Fonte: Capital Reset, 24/02/2022

Política

ESG chega às concessões públicas

O estado de Pernambuco, governado por Paulo Câmara, fará a licitação do seu Centro de Convenções na B3, em São Paulo, com outorga inicial de R$ 4,7 milhões. Se até aí nenhuma novidade, o grande destaque é o fato de que a modelagem do empreendimento é a primeira do País feita dentro de parâmetros ESG alinhados aos Objetivos de Desenvolvimento Sustentável (ODS) da ONU. De acordo com Grupo Houer e a startup Seall, que desenvolveram o projeto, o potencial médio de redução das emissões de CO2 chegará a 61% e a redução do custo operacional a 54% para os eixos de resíduos, energia e água.

Fonte: Isto É Dinheiro, 25/02/2022

Opinião

Desafios dos créditos de carbono

“Uma pesquisa recente da Confederação Nacional da Indústria afirmava que mais de 90% da população brasileira considera a preservação da Amazônia fundamental para o Brasil e compatível com o progresso econômico1.O desafio é como alcançála, quando a área desmatada em 2021 (13.235 km2) foi praticamente o triplo daquela de 10 anos atrás (4.571 km2 em 2012). Para muitos especialistas, é preciso uma estratégia abrangente para enfrentar o desmatamento e trazer o Brasil para a trajetória assumida no Acordo de Paris e ratificada em 2021. Cumprir esses compromissos é possível e indispensável para manter a agricultura brasileira e os mercados da nossa pecuária. Mas, para isso, será provavelmente preciso ir além da aplicação das medidas coibitivas ao desmatamento previstas pela lei brasileira.”

Fonte: Valor Econômico, 24/02/2022

Internacional

Empresas

EDP ​​Renewables investirá até S$ 10 bilhões até 2030 em hub de energia limpa em Cingapura

“A EDP Renováveis ​​(EDPR) , a quarta maior produtora de energia renovável do mundo, disse nesta quinta-feira que planeja investir até S$ 10 bilhões (US$ 7,40 bilhões) até 2030 para estabelecer uma hub de energia em Cingapura para a região Ásia-Pacífico. A EDPR, que é 75% detida pela maior concessionária de energia de Portugal Energias de Portugal, fechou um acordo de S$ 1 bilhão para adquirir uma participação de 91% na empresa de energias renováveis ​​do Sudeste Asiático Sunseap Group na quinta-feira, depois que todas as condições regulatórias pendentes foram cumpridas para o acordo alcançado em novembro.”

Fonte: Reuters, 24/02/2022

Gigante de tecnologia chinesa Tencent promete neutralidade de carbono até 2030

“A chinesa Tencent Holdings Ltd planeja alcançar a neutralidade de carbono em suas operações e cadeia de suprimentos até o final da década, disse a empresa nesta quinta-feira. A companhia, cujos negócios comportam um aplicativo de mensagens, jogos e serviços baseados na nuvem, também está se comprometendo a usar energia verde para toda a sua eletricidade até 2030. A Tencent disse que pretende reduzir o consumo de energia por unidade de produção em suas operações e aumentar o uso de energia renovável.”

Fonte: Reuters, 24/02/2022

Apollo visa US$ 50 bilhões em investimentos sustentáveis ​​com nova plataforma

“A Apollo Global Management Inc, gestora de ativos alternativos, lançou uma plataforma de investimento sustentável na quinta-feira, visando a implantação de US$ 50 bilhões em oportunidades de descarbonização e transição energética nos próximos cinco anos. A nova plataforma ressalta a oportunidade que a Apollo vê em fornecer capital para empresas focadas em energia limpa e se afastar dos combustíveis fósseis, enquanto o mundo tenta limitar o aumento das temperaturas globais a 1,5 graus Celsius para evitar os efeitos mais catastróficos das mudanças climáticas.”

Fonte: Reuters, 24/02/2022

Política

A guerra na Ucrânia e o paradoxo da transição energética

“A invasão da Ucrânia por tropas russas na manhã desta quinta-feira deu início a uma guerra que pode ser a maior em uma geração, talvez o conflito mais grave no Ocidente desde a Segunda Guerra Mundial. Comentaristas apontam para uma nova ordem mundial e um novo equilíbrio de forças global, 30 anos depois do fim da Guerra Fria. Outra consequência possível – até mesmo provável, segundo alguns analistas – do conflito é uma aceleração ainda maior da transição energética. No curto prazo, porém, deve ocorrer o inverso. Os mesmos governos europeus que têm liderança reconhecida na agenda de descarbonização estão preocupados com a segurança energética nos próximos meses.”

Fonte: Capital Reset, 25/02/2022

Standard Ethics reduz a classificação de sustentabilidade da Rússia para o degrau mais baixo

“A agência de classificação de sustentabilidade Standard Ethics disse nesta quinta-feira que rebaixou a classificação da Federação Russa depois que ela invadiu a Ucrânia. A Standard Ethics, que classifica empresas e governos em seu desempenho em uma série de medidas ambientais, sociais e relacionadas à governança, disse que reduziu a Rússia um degrau para sua classificação mais baixa de ‘F’ de ‘E-‘, definida como ‘Não sustentável’.”

Fonte: Reuters, 24/02/2022


Índices ESG e suas performances

(1) O Índice ISE (Índice de Sustentabilidade Empresarial da B3) tem como objetivo ser o indicador do desempenho médio das cotações dos ativos de empresas com reconhecido comprometimento com o desenvolvimento sustentável, práticas e alinhamento estratégico com a sustentabilidade empresarial.
(2) O Índice S&P/B3 Brasil ESG mede a performance de títulos que cumprem critérios de sustentabilidade e é ponderado pelas pontuações ESG da S&P DJI. Ele exclui ações com base na sua participação em certas atividades comerciais, no seu desempenho em comparação com o Pacto Global da ONU e também cias sem pontuação ESG da S&P DJI.
(3) O ICO2 tem como propósito ser um instrumento indutor das discussões sobre mudança do clima no Brasil. A adesão das companhias ao ICO2 demonstra o comprometimento com a transparência de suas emissões e antecipa a visão de como estão se preparando para uma economia de baixo carbono.
(4) O objetivo do IGCT é ser o indicador do desempenho médio das cotações dos ativos de emissão de empresas integrantes do IGC que atendam aos critérios adicionais descritos nesta metodologia.
(5) A série de índices FTSE4Good foi projetada para medir o desempenho de empresas que demonstram fortes práticas ambientais, sociais e de governança (ESG).
(6)
O Índice MSCI ACWI, que representa o desempenho de todo o conjunto de ações de grande e médio porte do mundo, em 23 mercados desenvolvidos e 26 emergentes.


Nossos últimos relatórios

  • ISE B3: Um raio-X da nova carteira do Índice de Sustentabilidade da B3 (link)
  • Radar ESG | Panvel (PNVL3): Prescrevendo a agenda ESG (link)
  • Carteira ESG XP: Uma alteração no portfólio para fevereiro (link)
  • Radar ESG | Omega Energia (MEGA3): Líder em energia renovável, surfando a onda da sustentabilidade (link)
  • Radar ESG | Desktop (DESK3): No início da jornada ESG (link)
  • Carteira ESG XP: Sem alterações em nosso portfólio para janeiro (link)
  • Radar ESG | AgroGalaxy (AGXY3): Plantando as sementes ESG (link)
  • Radar ESG | Petrobras (PETR4): E o campo ESG, como a Petrobras está explorando? (link)
  • Radar ESG | Oncoclínicas (ONCO3): Ainda na sala de espera (link)
  • Radar ESG | Aviação Brasil (EMBR3, AZUL4 e GOLL4): Voando pelos ares ESG (link)
  • Radar ESG | Alpargatas (ALPA4): Iniciando a caminhada pela agenda ESG (link)
  • Radar ESG | Kepler Weber (KEPL3): Um começo promissor (link)
  • Radar ESG | TIM (TIMS3): Chamando a agenda ESG (link)
  • ESG: O que moldará os investimentos sustentáveis em 2022? (link)
  • Carteira ESG XP: Sem alterações em nosso portfólio para dezembro (link)
  • Radar ESG | Burger King Brasil (BKBR): Espaço para avanço na agenda, mas os planos ambiciosos adiante animam (link)
  • COP26: Implicações do documento final (link)
  • Expo Dubai: Buscando soluções diante de recursos finitos (link)
  • Expo Dubai: Todos os olhos voltados para o futuro da mobilidade (link)
  • Expo Dubai: Tecnologia e sustentabilidade centralizam os destaques do evento nesta terça-feira (link)
  • Expo Dubai: Três principais destaques do evento nesta segunda-feira, dia do Brasil na feira (link)
  • COP26: Um encontro decisivo para conter o aquecimento global (link)
  • Seleção BDRs ESG​: 15 nomes para exposição internacional ao tema (link)
  • Radar ESG | Kora Saúde (KRSA3): Ainda há um caminho a ser percorrido (link)
  • Radar ESG | Empresas de Autopeças: Preparando a estrada ESG; Governança e segurança em primeiro lugar (link)
  • Radar ESG | Unifique (FIQE3) e Brisanet (BRIT3): O que as empresas de telecomunicações brasileiras têm feito? (link)
  • Radar ESG | Natura&Co. (NTCO3): Não é apenas maquiagem; ESG é uma realidade! (link)
  • Vale (VALE3): Feedback do Webinar ESG; Todos os olhos voltados para a redução de riscos (link)
  • Radar ESG | Totvs (TOTS3): A melhor posicionada no setor de tecnologia sob a cobertura da XP (link)
  • Assembleia Geral da ONU: Cenário climático alarmante centraliza as discussões (link)
  • Amazônia: Entendendo a importância da maior floresta tropical do mundo (link)
  • ESG no centro das discussões; Três principais aprendizados da Expert XP 2021 (link)
  • Radar ESG | Companhia Brasileira de Alumínio (CBAV3): Uma líder em alumínio verde, com forte posicionamento ESG (link)
  • Relatório do IPCC: Um chamado para todos, inclusive para o mercado, frente a um cenário alarmante do clima (link)
  • Radar ESG | WEG (WEGE3): Um player ESG bem equipado para se beneficiar das tendências adiante (link)
  • Radar ESG | Boa Safra (SOJA3): Agenda ESG em produção, semente por semente (link)
  • Água: Onde há escassez, há oportunidade (link)
  • Radar ESG | Positivo (POSI3): Um trabalho em andamento (link)
  • B3 anuncia nova metodologia para o ISE; Positivo (link)
  • Radar ESG | G2D (G2DI33): Abraçando os pilares S e E através do portfólio de investimentos de impacto (link)
  • Ambev (ABEV3): Feedback do evento ESG; Reforçamos nossa visão positiva (link)
  • Radar ESG | Setor de infraestrutura (CCRO3, ECOR3, RAIL3, HBSA3, STBP3): Preparando o asfalto (link)
  • Crédito de carbono: Capturando parte da solução; 5 nomes para exposição ao tema (link)
  • Radar ESG | Incorporadoras de Imóveis Residenciais Populares: Construindo os andares ESG (link)
  • Radar ESG | Arezzo & Co. (ARZZ3): Caminhando com seus próprios passos pela agenda ESG (link)
  • Trilogia ESG (Pt. I): Um mergulho no pilar E; Três nomes que são parte da solução (link)
  • Radar ESG | Blau (BLAU3) e Hypera (HYPE3): Em busca da fórmula ESG (link)
  • Bitcoin e ESG: Entenda os dois lados da moeda (link)
  • Radar ESG | Bemobi (BMOB3): Diversidade é o nome do jogo (link)
  • Radar ESG | Setor de Logística (SIMH3, JSLG3 e VAMO3): Preparando-se para a estrada ESG (link)
  • Radar ESG | Laboratórios: ESG ainda na triagem; Fleury se destacando em relação aos pares (link)
  • Cúpula de Líderes sobre o Clima: Tecnologia, economia e agenda verde centralizam as discussões no segundo dia do evento (link)
  • Cúpula de Líderes sobre o Clima: Cooperação global é uma das três principais mensagens do evento (link)
  • Radar ESG | Locadoras de automóveis: Rumo à agenda ESG; Localiza liderando a corrida (link)
  • Radar ESG | São Martinho (SMTO3): Quanto mais se semeia, maior é a colheita (link)
  • Radar ESG | Orizon (ORVR3): Quando ESG está escrito no DNA (link)
  • Sondagem XP/ESG com investidores institucionais (link)
  • O melhor dos dois mundos: Seleção de 10 BDRs para exposição internacional ao tema ESG (link)
  • Radar ESG | Enjoei (ENJU3): O usado é o novo “novo”? (link)
  • Radar ESG | CSN Mineração (CMIN3): Explorando os campos ESG (link)
  • Radar ESG | Jalles (JALL3): Plantando as sementes ESG (link)
  • Radar ESG | Incorporadoras de alta renda: ESG ainda em construção (link)
  • Radar ESG | Setor de saúde: O ESG ainda está na sala de espera? (link)
  • Radar ESG | Quão sustentáveis são as empresas de e-commerce? Uma análise ESG dessas gigantes (link)
  • Radar ESG | IMC (MEAL3): Por que a empresa ainda tem muito espaço para melhorar? (link)
  • Radar ESG | Aeris (AERI3): Uma das empresas melhor posicionada para surfar o vento ESG (link)
  • Radar ESG | 3R Petroleum: Construindo um caminho que incorpora metas ESG (link)
  • Radar ESG | Setor de supermercados: Vale a pena encher o carrinho? (link)
  • Radar ESG | JHSF (JHSF3): Espaço para melhorias (link)
  • Radar ESG | Quem é o melhor aluno da classe? Avaliando os líderes em ESG dentre as empresas de educação no Brasil (link)
  • Panorama do marco regulatório de investimentos ESG no Brasil (link)
  • CVM e B3 estudam intensificar critérios ESG para as companhias listadas (link)
  • Radar ESG | Setor de vestuário e joias: ESG ainda na confecção (link)
  • ESG: Tendências e preferências para 2021 (link)
  • Radar ESG | LOG Commercial Properties (LOGG3): Oportunidades em empreendimentos verdes (link)
  • Eleições americanas: Quais os efeitos para a agenda ESG nos EUA e no Brasil? (link)
  • Radar ESG | Farmácias: Raia Drogasil como a ação prescrita no setor para exposição a ESG (link)
  • Radar ESG | Shoppings: Entenda o que importa para eles quando o tema é ESG (link)
  • Radar ESG | Ambev (ABEV3): Um case que desce redondo (link)
  • Feedback do roadshow ESG: O que as gestoras no Brasil estão fazendo em relação ao tema? (link)
  • ESG de A a Z: Tudo o que você precisa saber sobre o tema (link)

Ainda não tem conta na XP? Clique aqui e abra a sua!

XP Expert

Avaliação

O quão foi útil este conteúdo pra você?


Newsletter
Newsletter

Gostaria de receber nossos conteúdos por e-mail?

Cadastre-se e receba grátis nossos relatórios e recomendações de investimentos

Telegram
Telegram XP

Acesse os conteúdos

Telegram XP

pelo Telegram da XP Investimentos

A XP Investimentos CCTVM S/A, inscrita sob o CNPJ: 02.332.886/0001-04, é uma instituição financeira autorizada a funcionar pelo Banco Central do Brasil.Toda comunicação através de rede mundial de computadores está sujeita a interrupções ou atrasos, podendo impedir ou prejudicar o envio de ordens ou a recepção de informações atualizadas. A XP Investimentos exime-se de responsabilidade por danos sofridos por seus clientes, por força de falha de serviços disponibilizados por terceiros. A XP Investimentos CCTVM S/A é instituição autorizada a funcionar pelo Banco Central do Brasil.


Este site usa cookies e dados pessoais de acordo com a nossa Política de Cookies (gerencie suas preferências de cookies) e a nossa Política de Privacidade.