XP Expert

Pressão dos investidores sobre o risco das mudanças climáticas cresce no exterior | Café com ESG, 27/01

Comece o dia bem informado com as principais notícias ao redor do Brasil e do mundo quando o tema é ESG!

Compartilhar:

  • Compartilhar no Facebook
  • Compartilhar no Twitter
  • Compartilhar no Whatsapp
  • Compartilhar no LinkedIn
  • Compartilhar via E-mail

Bom dia! Neste relatório diário publicado todas as manhãs pelo time ESG do Research da XP, buscamos trazer as últimas notícias para que você comece o dia bem informado e fique por dentro do que o Brasil e o mundo fala sobre um tema que tem ficado cada vez mais relevante: ESG – do termo em inglês Environmental, Social and Governance ou, em português, ASG – Ambiental, Social e Governança.

Quais tópicos abordamos ao longo do conteúdo? (i) Notícias no Brasil e no mundo acerca do tema ESG; (ii) Performance histórica dos principais índices ESG em diferentes países; (iii) Comparativo da performance do Ibovespa vs. ISE (Índice de Sustentabilidade Empresarial, da B3); e (iv) Lista com os últimos relatórios publicados pelo Research ESG da XP.
Por que essas informações são importantes? 
Porque elas indicam os temas dentro da agenda ESG que estão sendo cada vez mais monitoradas por parte dos investidores e das empresas, e podem impactar os preços das ações de diferentes companhias.


Esperamos que aproveite a leitura!

Principais tópicos do dia

• O mercado encerrou o pregão de quarta-feira em território positivo, com o Ibov e o ISE em alta de +1,0% e +0,4%, respectivamente.

• No internacional, do lado das empresas, (i) o JP Morgan Chase está lutando contra quatro petições de acionistas relacionadas às mudanças climáticas na SEC e, sendo maior credor para empresas de combustíveis fósseis, o banco enfrenta uma pressão crescente dos investidores sobre o risco das mudanças climáticas nos últimos anos; e (ii) líderes empresariais dos Estados Unidos, GM e Microsoft expressaram apoio a partes-chave da proposta do presidente Joe Biden de gastos de US$1,75 trilhão em programas climáticos e sociais, mesmo com um futuro incerto no Congresso.

• Por fim, os principais estados produtores de petróleo dos EUA estão tentando tirar a supervisão dos poços de captura de carbono de reguladores federais, na esperança de acelerar a abordagem preferida da indústria petrolífera para combater o aquecimento climático em meio a pedidos de limites à produção de combustíveis fósseis.


Brasil

Empresas

Energisa adere a fundo do BNDES e vai investir R$ 5 milhões em restauração florestal no Pantanal e Amazônia

“O grupo Energisa aderiu ao fundo Floresta Viva, lançado pelo Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES), para investir em restauração florestal. A companhia prevê direcionar R$ 5 milhões em ações no Pantanal e Amazônia, onde atua nos segmentos de geração de energia a partir de fontes renováveis e distribuição de energia elétrica. O aporte da Energisa totalizará um investimento de R$ 10 milhões nos programas de reflorestamento, pois o fundo opera por meio de um modelo de financiamento que combina recursos não reembolsáveis do BNDES com os de instituições apoiadoras. O modelo é de “matchfunding” – ou seja, para cada R$ 1 do setor privado, o banco coloca outro R$ 1. A seleção dos projetos que receberão os investimentos ocorrerá por uma chamada pública.”

Fonte: Valor Econômico, 26/01/2022

“Gestão voltada ao ESG não se sustenta sem dados”, diz CEO da SAP no Brasil

“A prévia de resultados da SAP, apresentada há alguns dias, espelhadas no balanço definitivo que sai hoje (27), mostrou que a empresa teve um crescimento de 17% em sua receita de tecnologia em nuvem. No montante de 2021, o crescimento estimado é de 2%. No Brasil, como destaca Adriana Aroulho, CEO da SAP no país, em 2021, vale considerar um destaque importante para o aumento de clientes unicórnios, das startups avaliadas em mais de US$ 1 bilhão, e o incremento dos investimentos feito pelos clientes em computação em nuvem. Em entrevista à Forbes Brasil, Adriana, que completou um ano no comando da companhia, em agosto de 2021, ressalta a importância do equilíbrio na relação entre dados e ESG, reforça os impactos do ecossistema de startups brasileiro também na demanda por serviços de software e sinaliza o varejo como um segmento mais avançado nas discussões envolvendo tecnologias como metaverso.”

Fonte: Forbes, 27/01/2022

Iniciativa educacional de Itaipu oferece curso gratuito de sustentabilidade; veja como participar

“A Escola Internacional para Sustentabilidade (EIS), em parceria com o Parque Tecnológico Itaipu, está com inscrições abertas, até este domingo (30), para o curso gratuito e online de gestão para sustentabilidade territorial. O curso é direcionado para qualquer pessoa com interesse em temáticas de sustentabilidade e desenvolvimento sustentável. O conteúdo é disponibilizado em português e espanhol. […] O curso é oferecido pela iniciativa em convênio entre Itaipu e o Núcleo de Inteligência Territorial (NIT) do Centro de Inteligência e Desenvolvimento Territorial do Parque Tecnológico Itaipu (PTI-BR).”

Fonte: G1, 26/01/2022

Opinião

A transição energética é inflacionária?

“O preço da energia foi um fator importante para o salto da inflação em 2021. No Brasil, o Banco Central explicou na sua carta aberta que gasolina, gás de cozinha e etanol responderam por 30% da variação do IPCA do ano. Nos EUA, a energia teve um aumento de 29%, correspondendo a um quinto do aumento do CPI. O aumento do diesel entrou de forma indireta na inflação, e.g., pelo custo do frete. O preço do petróleo reflete a oferta e demanda, inclusive níveis de estoque. Isso é comum para as commodities negociadas globalmente. Os atuais preços altos do milho e soja também refletem o surto de crescimento na demanda global na esteira de mudanças de consumo na China e do impulso fiscal nas economias avançadas, com erosão de estoques.”

Fonte: Valor Econômico, 27/01/2022

Internacional

Empresas

JP Morgan luta contra ativistas por propostas de divulgação climática

“O JPMorgan Chase está lutando contra quatro petições de acionistas relacionadas às mudanças climáticas na Securities and Exchange Commission, apesar de uma nova política da agência norte-americana de adotar uma postura mais dura contra tentativas de bloquear votos de investidores. O maior credor para empresas de combustíveis fósseis, o JPMorgan enfrentou uma pressão crescente dos investidores sobre o risco das mudanças climáticas nos últimos anos. A Tulipshare, uma plataforma de investimentos com sede em Londres, é a mais recente a criticar o banco dos EUA por pedir à SEC que rejeite a proposta da startup de fintech de que o banco pare de investir, subscrever e emprestar para empresas de combustíveis fósseis. O JPMorgan estava tentando “silenciar os investidores sobre a questão das mudanças climáticas”, disse Tulipshare.”

Fonte: Financial Times, 26/01/2022

GM e Microsoft defendem clima de Biden e impulso de gastos sociais

“Proeminentes líderes empresariais dos Estados Unidos expressaram apoio a partes-chave da proposta do presidente Joe Biden de gastos de 1,75 trilhão de dólares em programas climáticos e sociais, mesmo com um futuro incerto no Congresso. A Casa Branca ainda está pressionando para obter a aprovação de mais de US$ 500 bilhões para combater as mudanças climáticas e impulsionar os veículos elétricos, juntamente com centenas de bilhões de dólares para pré-escola universal, licença familiar remunerada e outros gastos com segurança social.”

Fonte: Reuters, 26/01/2022

Principais estados petrolíferos dos EUA disputam supervisão da captura de carbono para acelerar licenças

“Os principais estados produtores de petróleo dos Estados Unidos estão tentando arrancar a supervisão dos poços de captura de carbono de reguladores federais, na esperança de acelerar a abordagem preferida da indústria petrolífera para combater o aquecimento climático em meio a pedidos de limites à produção de combustíveis fósseis. As empresas estão propondo hubs de captura e armazenamento de carbono (CCS) para sequestrar as emissões de gases de efeito estufa de refinarias, plantas químicas e de gás natural, uma medida que pode ajudar a retardar o aquecimento global.”

Fonte: Reuters, 26/01/2022

Vendedores a descoberto de fundos de hedge miram em ações de energia verde

“Os fundos de hedge vêm aumentando suas apostas contra ações de energia sustentável, apostando que, à medida que as taxas de juros subirem, os investidores serão menos tolerantes com empresas com fortes credenciais ambientais, mas com lucros fracos. As ações de ações sustentáveis ​​atraíram bilhões de dólares em ingressos de investidores com mentalidade ética nos últimos anos, elevando as avaliações de algumas ações a níveis de dar água nos olhos. Algumas dessas ações já começaram a cair à medida que o Federal Reserve se prepara para começar a retirar seu apoio à era da pandemia – um processo que está derrubando muitos ativos de alto crescimento, especialmente no setor de tecnologia. Mas os que duvidam dizem que as ações verdes têm muito mais a cair.”

Fonte: Financial Times, 26/01/2022

Política

UE aproveitou as energias renováveis ​​para quase dois quintos da energia em 2020

“Quase dois quintos da eletricidade consumida na União Europeia em 2020 veio de fontes renováveis, disse o escritório de estatísticas do bloco nesta quarta-feira, embora seu progresso tenha permanecido menor que o de seus vizinhos nórdicos Islândia e Noruega. Os países da UE utilizaram as energias renováveis ​​para 37% de seu consumo bruto de eletricidade em comparação com 34% em 2019, disse o Eurostat, embora as taxas variem muito em toda a região.”

Fonte: Reuters, 26/01/2022


Índices ESG e suas performances

(1) O Índice ISE (Índice de Sustentabilidade Empresarial da B3) tem como objetivo ser o indicador do desempenho médio das cotações dos ativos de empresas com reconhecido comprometimento com o desenvolvimento sustentável, práticas e alinhamento estratégico com a sustentabilidade empresarial.
(2) O Índice S&P/B3 Brasil ESG mede a performance de títulos que cumprem critérios de sustentabilidade e é ponderado pelas pontuações ESG da S&P DJI. Ele exclui ações com base na sua participação em certas atividades comerciais, no seu desempenho em comparação com o Pacto Global da ONU e também cias sem pontuação ESG da S&P DJI.
(3) O ICO2 tem como propósito ser um instrumento indutor das discussões sobre mudança do clima no Brasil. A adesão das companhias ao ICO2 demonstra o comprometimento com a transparência de suas emissões e antecipa a visão de como estão se preparando para uma economia de baixo carbono.
(4) O objetivo do IGCT é ser o indicador do desempenho médio das cotações dos ativos de emissão de empresas integrantes do IGC que atendam aos critérios adicionais descritos nesta metodologia.
(5) A série de índices FTSE4Good foi projetada para medir o desempenho de empresas que demonstram fortes práticas ambientais, sociais e de governança (ESG).
(6)
O Índice MSCI ACWI, que representa o desempenho de todo o conjunto de ações de grande e médio porte do mundo, em 23 mercados desenvolvidos e 26 emergentes.


Nossos últimos relatórios

  • Carteira ESG XP: Sem alterações em nosso portfólio para janeiro (link)
  • Radar ESG | AgroGalaxy (AGXY3): Plantando as sementes ESG (link)
  • Radar ESG | Petrobras (PETR4): E o campo ESG, como a Petrobras está explorando? (link)
  • Radar ESG | Oncoclínicas (ONCO3): Ainda na sala de espera (link)
  • Radar ESG | Aviação Brasil (EMBR3, AZUL4 e GOLL4): Voando pelos ares ESG (link)
  • Radar ESG | Alpargatas (ALPA4): Iniciando a caminhada pela agenda ESG (link)
  • Radar ESG | Kepler Weber (KEPL3): Um começo promissor (link)
  • Radar ESG | TIM (TIMS3): Chamando a agenda ESG (link)
  • ESG: O que moldará os investimentos sustentáveis em 2022? (link)
  • Carteira ESG XP: Sem alterações em nosso portfólio para dezembro (link)
  • Radar ESG | Burger King Brasil (BKBR): Espaço para avanço na agenda, mas os planos ambiciosos adiante animam (link)
  • COP26: Implicações do documento final (link)
  • Expo Dubai: Buscando soluções diante de recursos finitos (link)
  • Expo Dubai: Todos os olhos voltados para o futuro da mobilidade (link)
  • Expo Dubai: Tecnologia e sustentabilidade centralizam os destaques do evento nesta terça-feira (link)
  • Expo Dubai: Três principais destaques do evento nesta segunda-feira, dia do Brasil na feira (link)
  • COP26: Um encontro decisivo para conter o aquecimento global (link)
  • Seleção BDRs ESG​: 15 nomes para exposição internacional ao tema (link)
  • Radar ESG | Kora Saúde (KRSA3): Ainda há um caminho a ser percorrido (link)
  • Radar ESG | Empresas de Autopeças: Preparando a estrada ESG; Governança e segurança em primeiro lugar (link)
  • Radar ESG | Unifique (FIQE3) e Brisanet (BRIT3): O que as empresas de telecomunicações brasileiras têm feito? (link)
  • Radar ESG | Natura&Co. (NTCO3): Não é apenas maquiagem; ESG é uma realidade! (link)
  • Vale (VALE3): Feedback do Webinar ESG; Todos os olhos voltados para a redução de riscos (link)
  • Radar ESG | Totvs (TOTS3): A melhor posicionada no setor de tecnologia sob a cobertura da XP (link)
  • Assembleia Geral da ONU: Cenário climático alarmante centraliza as discussões (link)
  • Amazônia: Entendendo a importância da maior floresta tropical do mundo (link)
  • ESG no centro das discussões; Três principais aprendizados da Expert XP 2021 (link)
  • Radar ESG | Companhia Brasileira de Alumínio (CBAV3): Uma líder em alumínio verde, com forte posicionamento ESG (link)
  • Relatório do IPCC: Um chamado para todos, inclusive para o mercado, frente a um cenário alarmante do clima (link)
  • Radar ESG | WEG (WEGE3): Um player ESG bem equipado para se beneficiar das tendências adiante (link)
  • Radar ESG | Boa Safra (SOJA3): Agenda ESG em produção, semente por semente (link)
  • Água: Onde há escassez, há oportunidade (link)
  • Radar ESG | Positivo (POSI3): Um trabalho em andamento (link)
  • B3 anuncia nova metodologia para o ISE; Positivo (link)
  • Radar ESG | G2D (G2DI33): Abraçando os pilares S e E através do portfólio de investimentos de impacto (link)
  • Ambev (ABEV3): Feedback do evento ESG; Reforçamos nossa visão positiva (link)
  • Radar ESG | Setor de infraestrutura (CCRO3, ECOR3, RAIL3, HBSA3, STBP3): Preparando o asfalto (link)
  • Crédito de carbono: Capturando parte da solução; 5 nomes para exposição ao tema (link)
  • Radar ESG | Incorporadoras de Imóveis Residenciais Populares: Construindo os andares ESG (link)
  • Radar ESG | Arezzo & Co. (ARZZ3): Caminhando com seus próprios passos pela agenda ESG (link)
  • Trilogia ESG (Pt. I): Um mergulho no pilar E; Três nomes que são parte da solução (link)
  • Radar ESG | Blau (BLAU3) e Hypera (HYPE3): Em busca da fórmula ESG (link)
  • Bitcoin e ESG: Entenda os dois lados da moeda (link)
  • Radar ESG | Bemobi (BMOB3): Diversidade é o nome do jogo (link)
  • Radar ESG | Setor de Logística (SIMH3, JSLG3 e VAMO3): Preparando-se para a estrada ESG (link)
  • Radar ESG | Laboratórios: ESG ainda na triagem; Fleury se destacando em relação aos pares (link)
  • Cúpula de Líderes sobre o Clima: Tecnologia, economia e agenda verde centralizam as discussões no segundo dia do evento (link)
  • Cúpula de Líderes sobre o Clima: Cooperação global é uma das três principais mensagens do evento (link)
  • Radar ESG | Locadoras de automóveis: Rumo à agenda ESG; Localiza liderando a corrida (link)
  • Radar ESG | São Martinho (SMTO3): Quanto mais se semeia, maior é a colheita (link)
  • Radar ESG | Orizon (ORVR3): Quando ESG está escrito no DNA (link)
  • Sondagem XP/ESG com investidores institucionais (link)
  • O melhor dos dois mundos: Seleção de 10 BDRs para exposição internacional ao tema ESG (link)
  • Radar ESG | Enjoei (ENJU3): O usado é o novo “novo”? (link)
  • Radar ESG | CSN Mineração (CMIN3): Explorando os campos ESG (link)
  • Radar ESG | Jalles (JALL3): Plantando as sementes ESG (link)
  • Radar ESG | Incorporadoras de alta renda: ESG ainda em construção (link)
  • Radar ESG | Setor de saúde: O ESG ainda está na sala de espera? (link)
  • Radar ESG | Quão sustentáveis são as empresas de e-commerce? Uma análise ESG dessas gigantes (link)
  • Radar ESG | IMC (MEAL3): Por que a empresa ainda tem muito espaço para melhorar? (link)
  • Radar ESG | Aeris (AERI3): Uma das empresas melhor posicionada para surfar o vento ESG (link)
  • Radar ESG | 3R Petroleum: Construindo um caminho que incorpora metas ESG (link)
  • Radar ESG | Setor de supermercados: Vale a pena encher o carrinho? (link)
  • Radar ESG | JHSF (JHSF3): Espaço para melhorias (link)
  • Radar ESG | Quem é o melhor aluno da classe? Avaliando os líderes em ESG dentre as empresas de educação no Brasil (link)
  • Panorama do marco regulatório de investimentos ESG no Brasil (link)
  • CVM e B3 estudam intensificar critérios ESG para as companhias listadas (link)
  • Radar ESG | Setor de vestuário e joias: ESG ainda na confecção (link)
  • ESG: Tendências e preferências para 2021 (link)
  • Radar ESG | LOG Commercial Properties (LOGG3): Oportunidades em empreendimentos verdes (link)
  • Eleições americanas: Quais os efeitos para a agenda ESG nos EUA e no Brasil? (link)
  • Radar ESG | Farmácias: Raia Drogasil como a ação prescrita no setor para exposição a ESG (link)
  • Radar ESG | Shoppings: Entenda o que importa para eles quando o tema é ESG (link)
  • Radar ESG | Ambev (ABEV3): Um case que desce redondo (link)
  • Feedback do roadshow ESG: O que as gestoras no Brasil estão fazendo em relação ao tema? (link)
  • ESG de A a Z: Tudo o que você precisa saber sobre o tema (link)

Ainda não tem conta na XP? Clique aqui e abra a sua!

XP Expert

Avaliação

O quão foi útil este conteúdo pra você?


Newsletter
Newsletter

Gostaria de receber nossos conteúdos por e-mail?

Cadastre-se e receba grátis nossos relatórios e recomendações de investimentos

Telegram
Telegram XP

Acesse os conteúdos

Telegram XP

pelo Telegram da XP Investimentos

A XP Investimentos CCTVM S/A, inscrita sob o CNPJ: 02.332.886/0001-04, é uma instituição financeira autorizada a funcionar pelo Banco Central do Brasil.Toda comunicação através de rede mundial de computadores está sujeita a interrupções ou atrasos, podendo impedir ou prejudicar o envio de ordens ou a recepção de informações atualizadas. A XP Investimentos exime-se de responsabilidade por danos sofridos por seus clientes, por força de falha de serviços disponibilizados por terceiros. A XP Investimentos CCTVM S/A é instituição autorizada a funcionar pelo Banco Central do Brasil.


Este site usa cookies e dados pessoais de acordo com a nossa Política de Cookies (gerencie suas preferências de cookies) e a nossa Política de Privacidade.