XP Expert

CVM faz mudanças na norma para a divulgação de dados ESG | Café com ESG, 29/12

Comece o dia bem informado com as principais notícias ao redor do Brasil e do mundo quando o tema é ESG!

Compartilhar:

  • Compartilhar no Facebook
  • Compartilhar no Twitter
  • Compartilhar no Whatsapp
  • Compartilhar no LinkedIn
  • Compartilhar via E-mail

Bom dia! Neste relatório diário publicado todas as manhãs pelo time ESG do Research da XP, buscamos trazer as últimas notícias para que você comece o dia bem informado e fique por dentro do que o Brasil e o mundo fala sobre um tema que tem ficado cada vez mais relevante: ESG – do termo em inglês Environmental, Social and Governance ou, em português, ASG – Ambiental, Social e Governança.

Quais tópicos abordamos ao longo do conteúdo? (i) Notícias no Brasil e no mundo acerca do tema ESG; (ii) Performance histórica dos principais índices ESG em diferentes países; (iii) Comparativo da performance do Ibovespa vs. ISE (Índice de Sustentabilidade Empresarial, da B3); e (iv) Lista com os últimos relatórios publicados pelo Research ESG da XP.
Por que essas informações são importantes? 
Porque elas indicam os temas dentro da agenda ESG que estão sendo cada vez mais monitoradas por parte dos investidores e das empresas, e podem impactar os preços das ações de diferentes companhias.

Esperamos que aproveite a leitura!

Principais tópicos do dia

• O mercado fechou o pregão desta terça-feira em território negativo, com o Ibov e o ISE em leve queda de -0,7% e -0,2%, respectivamente.

• No Brasil, (i) a CVM fez mudanças na norma para a divulgação de dados ESG, que entrará em vigor em 2023 e fará com que as companhias abertas no país sejam mais transparentes em relação às suas práticas ESG, tendo a divulgação da diversidade nas empresas e questões climáticas como as principais novidades do documento; e (ii) apesar do barulho em torno do tema da sustentabilidade, grande parte das gestoras de recursos brasileiras engatinha quando o assunto é a análise de investimentos sob a ótica dos compromissos ESG, de acordo com uma pesquisa feita para a Associação Brasileira das Entidades dos Mercados Financeiros e de Capitais (Anbima).

• No internacional, a China se comprometeu a cortar as emissões de carbono das fundições de alumínio e reduzir a capacidade de aço sob um plano de cinco anos que adiciona alguns detalhes sobre a iniciativa de Pequim de remodelar as indústrias pesadas, tendo como meta a redução de 5% das emissões do setor de alumínio até 2025.


Brasil

Empresas

Gestoras de fundos ainda engatinham no tema ESG, mostra pesquisa da Anbima

“Apesar do barulho em torno do tema da sustentabilidade, grande parte das gestoras de recursos brasileiras engatinha quando o assunto é a análise de investimentos sob a ótica dos compromissos ambientais, sociais e de governança (ESG, na sigla em inglês). Pesquisa feita para a Associação Brasileira das Entidades dos Mercados Financeiros e de Capitais (Anbima), como parte do trabalho que o Grupo Consultivo de Sustentabilidade, verificou que transparência e ética, que fazem parte do G de governança, foram os mais citados pelos gestores. As menções foram feitas por 92% dos entrevistados. Aspectos relacionados às dimensões ambiental e social, porém, apareceram com frequência muito menor. “O nível de consciência aumentou, mas à medida que se entra em questões mais específicas, observamos um mercado fragmentado em termos de informação e que precisa compreender em maior profundidade o tema”, diz o vice-presidente e coordenador do Grupo Consultivo de Sustentabilidade, Carlos Takahashi. Em relação à própria governança, Takahashi afirma que transparência e ética são fatores “holísticos”. Ficam em segundo plano questões específicas de uma boa governança, como a remuneração dos conselhos de administração das empresas e sua independência.”

Fonte: Estadão, 29/12/2021

RaiaDrogasil espera dobrar coleta de medicamentos vencidos em um ano

“O recolhimento de medicamentos vencidos, uma ameaça ambiental e social no caso de um descarte inadequado, faz parte de uma série de ações previstas na agenda ESG (Ambiental, Social e Governança) da RD (SA:RADL3) (RaiaDrogasil), que encerra o ano com mais de 2.400 farmácias presentes em todos os estados do Brasil. Em entrevista à Bloomberg Línea, a diretor de sustentabilidade da companhia, Giuliana Ortega, diz que a RD deve fechar 2021 dobrando o volume de remédios fora do vencimento retirados de circulação em relação ao ano passado. “A gente recolheu 63 toneladas em 2020. Até outubro deste ano, já foram 105 toneladas em todas as lojas. Precisamos ainda ver os dados de novembro e dezembro, mas acredito que a gente vai provavelmente dobrar esse número de um ano para outro, chegando a 120 toneladas. Para o ano que vem, esperamos um crescimento acelerado desse número, principalmente porque vamos investir em comunicação para que nossos clientes saibam dessa possibilidade e entendam o impacto ambiental do descarte desses produtos no lixo comum”, afirma a executiva, acrescentando que hoje já são mais de 2.000 coletores de medicamentos vencidos em suas unidades espalhadas pelo país.”

Fonte: Investig.com, 28/12/2021

Plataforma pioneira quer acelerar cultura de doação no país ao mensurar o impacto

“Dois atores de destaque no ecossistema de impacto no país, Grupo Mol e Simbiose Social se unem para cocriar ferramentas que aceleram a cultura de doação no país. O primeiro entra com investimento e conexões de um modelo consolidado junto ao varejo, enquanto a startup oferece tecnologia e inteligência de dados. O objetivo é oferecer uma plataforma de gestão do investimento social privado. Por meio dela, empresas conseguem mensurar o real impacto de suas doações para organizações da sociedade civil. “Na pandemia, empresas nos procuraram pedindo ajuda para doar cestas e EPIs, organizar voluntariado e recursos que iam além do incentivo fiscal”, diz Raphael Mayer, 27, cofundador da Simbiose. A startup estava organizada para mapear e conectar empresas que fazem uso de leis de incentivo federais, estaduais e municipais com ONGs aptas a receber o recurso. Uma maneira de descentralizar a aplicação de verbas para causas como educação, saúde e esporte em todo o país..”

Fonte: Valor Econômico, 27/12/2021

Regulação

CVM adota norma para divulgação de informações de ESG

“As companhias abertas brasileiras terão que ser mais transparentes em relação às suas práticas ambientais, sociais e de governança (ESG, nas sigla em inglês). As mudanças vão ocorrer a partir de 2023, quando o formulário de referência – documento que contém as principais informações sobre as empresas – passará a exigir estes dados. A diversidade nas empresas e questões climáticas estão entre as novidades do documento. Com a resolução 59, que substituiu a instrução 480, a Comissão de Valores Mobiliários (CVM) simplificou as informações do formulário e eliminou redundâncias. Segundo o presidente da autarquia, Marcelo Barbosa, não há determinação para que as companhias adotem políticas ambientais, sociais ou de governança. “Estamos apenas pedindo que forneçam informações sobre como tratam alguns quesitos. Através dessas respostas, o mercado irá conhecer melhor como cada um dos emissores aborda a pauta ESG”, disse, em recente entrevista a jornalistas. A Fundação das Normas Internacionais de Contabilidade (IFRS Foundation) anunciou recentemente a formação de um Comitê Internacional de Parâmetros de Sustentabilidade (ISSB, na sigla em inglês), com o objetivo de desenvolver uma base global para os mercados financeiros globais. “Na medida em que for oportuno e conveniente vamos ajustar também a nossa regulação no Brasil para refletir medidas que sejam tomadas em nível internacional”, acrescentou Barbosa.”

Fonte: Valor Econômico, 29/12/2021

Opinião

Reflexões sobre o livro ‘ESG: O Cisne Verde e o Capitalismo de Stakeholder – A Tríade Regenerativa do Futuro Global’

“Um marco se consolida com a publicação do livro ESG: Capitalismo de Stakeholder e Cisne Verde – A Tríade Regenerativa do Futuro Global publicado pela Editora Revista dos Tribunais/ Thomson Reuters, a obra tem o propósito de apresentar o contexto que movimentado o ambiente dos negócios, além de ser um tema de interesse para empresas, investidores, governos e organismos internacionais em nível global. Diante disso, o livro evidencia a realização de um processo transformacional que impacta diretamente o modelo de gestão, cabendo aos líderes esse novo olhar e adaptação. As transformações são rápidas, logo, esse pressuposto faz todo sentido para a gestão das organizações no olhar ESG, o que se configura no premente rompimento de paradigma aos conceitos que existiam anteriormente. A resiliência é premissa para quem desejar permanecer no mercado, isso em conjunto com a integridade e a transparência que são elementos essenciais para a prática de negócios responsáveis.”

Fonte: Estadão, 29/12/2021

Internacional

Empresas

O desafio da mudança climática para as ferrovias antigas do Reino Unido

“Na cidade litorânea de Dawlish, no sudoeste da Inglaterra, engenheiros estão trabalhando noite e dia para proteger sua ferrovia de 175 anos da ameaça moderna das mudanças climáticas. As ondas do Canal da Mancha batem diretamente no paredão da linha construída por Isambard Kingdom Brunel, um dos principais engenheiros civis da era vitoriana, tornando este trecho da pista particularmente vulnerável. Em 2014, parte da ferrovia, que liga Londres a Penzance na Cornualha, foi arrastada por uma forte tempestade. Sete anos depois, as equipes de engenheiros estruturais estão de volta, esperando a maré, enquanto substituem a infraestrutura em ruínas. A nova parede, feita de lajes de concreto de oito metros de altura, foi projetada para proteger a estação Dawlish e os trilhos pelos próximos 100 anos.”

Fonte: Financial Times, 26/12/2021

Política

China promete reduzir as emissões de carbono do alumínio em 5% até 2025

“A China se comprometeu a cortar as emissões de carbono das fundições de alumínio e reduzir a capacidade de aço sob um plano de cinco anos que adiciona alguns detalhes sobre a iniciativa de Pequim de remodelar as indústrias pesadas. O setor de alumínio deve reduzir as emissões em 5% até 2025, disse o Ministério da Indústria e Tecnologia da Informação em um comunicado. A capacidade nas indústrias, incluindo aço e cimento, deve diminuir ao longo do período, enquanto as taxas de utilização da planta devem ficar “em um nível razoável”, acrescentou. As propostas reforçam os planos de Pequim de conter as emissões de gases de efeito estufa e reduzir o consumo de energia em setores-chave. Os produtores de aço e alumínio estão sob pressão já este ano em meio às tentativas iniciais de limitar a produção – mas também por causa de uma queda na demanda liderada por propriedades. O setor de aço é responsável por cerca de 15% da pegada de carbono da China, com o alumínio representando cerca de 4%. Em ambos os setores, a China é de longe o maior produtor global. O documento não mencionou metas para 2025 de produção ou emissões de carbono do setor siderúrgico.”

Fonte: Bloomberg, 29/12/2021


Índices ESG e suas performances

(1) O Índice ISE (Índice de Sustentabilidade Empresarial da B3) tem como objetivo ser o indicador do desempenho médio das cotações dos ativos de empresas com reconhecido comprometimento com o desenvolvimento sustentável, práticas e alinhamento estratégico com a sustentabilidade empresarial.
(2) O Índice S&P/B3 Brasil ESG mede a performance de títulos que cumprem critérios de sustentabilidade e é ponderado pelas pontuações ESG da S&P DJI. Ele exclui ações com base na sua participação em certas atividades comerciais, no seu desempenho em comparação com o Pacto Global da ONU e também cias sem pontuação ESG da S&P DJI.
(3) O ICO2 tem como propósito ser um instrumento indutor das discussões sobre mudança do clima no Brasil. A adesão das companhias ao ICO2 demonstra o comprometimento com a transparência de suas emissões e antecipa a visão de como estão se preparando para uma economia de baixo carbono.
(4) O objetivo do IGCT é ser o indicador do desempenho médio das cotações dos ativos de emissão de empresas integrantes do IGC que atendam aos critérios adicionais descritos nesta metodologia.
(5) A série de índices FTSE4Good foi projetada para medir o desempenho de empresas que demonstram fortes práticas ambientais, sociais e de governança (ESG).
(6)
O Índice MSCI ACWI, que representa o desempenho de todo o conjunto de ações de grande e médio porte do mundo, em 23 mercados desenvolvidos e 26 emergentes.


Nossos últimos relatórios

  • Carteira ESG XP: Sem alterações em nosso portfólio para janeiro (link)
  • Radar ESG | AgroGalaxy (AGXY3): Plantando as sementes ESG (link)
  • Radar ESG | Petrobras (PETR4): E o campo ESG, como a Petrobras está explorando? (link)
  • Radar ESG | Oncoclínicas (ONCO3): Ainda na sala de espera (link)
  • Radar ESG | Aviação Brasil (EMBR3, AZUL4 e GOLL4): Voando pelos ares ESG (link)
  • Radar ESG | Alpargatas (ALPA4): Iniciando a caminhada pela agenda ESG (link)
  • Radar ESG | Kepler Weber (KEPL3): Um começo promissor (link)
  • Radar ESG | TIM (TIMS3): Chamando a agenda ESG (link)
  • ESG: O que moldará os investimentos sustentáveis em 2022? (link)
  • Carteira ESG XP: Sem alterações em nosso portfólio para dezembro (link)
  • Radar ESG | Burger King Brasil (BKBR): Espaço para avanço na agenda, mas os planos ambiciosos adiante animam (link)
  • COP26: Implicações do documento final (link)
  • Expo Dubai: Buscando soluções diante de recursos finitos (link)
  • Expo Dubai: Todos os olhos voltados para o futuro da mobilidade (link)
  • Expo Dubai: Tecnologia e sustentabilidade centralizam os destaques do evento nesta terça-feira (link)
  • Expo Dubai: Três principais destaques do evento nesta segunda-feira, dia do Brasil na feira (link)
  • COP26: Um encontro decisivo para conter o aquecimento global (link)
  • Seleção BDRs ESG​: 15 nomes para exposição internacional ao tema (link)
  • Radar ESG | Kora Saúde (KRSA3): Ainda há um caminho a ser percorrido (link)
  • Radar ESG | Empresas de Autopeças: Preparando a estrada ESG; Governança e segurança em primeiro lugar (link)
  • Radar ESG | Unifique (FIQE3) e Brisanet (BRIT3): O que as empresas de telecomunicações brasileiras têm feito? (link)
  • Radar ESG | Natura&Co. (NTCO3): Não é apenas maquiagem; ESG é uma realidade! (link)
  • Vale (VALE3): Feedback do Webinar ESG; Todos os olhos voltados para a redução de riscos (link)
  • Radar ESG | Totvs (TOTS3): A melhor posicionada no setor de tecnologia sob a cobertura da XP (link)
  • Assembleia Geral da ONU: Cenário climático alarmante centraliza as discussões (link)
  • Amazônia: Entendendo a importância da maior floresta tropical do mundo (link)
  • ESG no centro das discussões; Três principais aprendizados da Expert XP 2021 (link)
  • Radar ESG | Companhia Brasileira de Alumínio (CBAV3): Uma líder em alumínio verde, com forte posicionamento ESG (link)
  • Relatório do IPCC: Um chamado para todos, inclusive para o mercado, frente a um cenário alarmante do clima (link)
  • Radar ESG | WEG (WEGE3): Um player ESG bem equipado para se beneficiar das tendências adiante (link)
  • Radar ESG | Boa Safra (SOJA3): Agenda ESG em produção, semente por semente (link)
  • Água: Onde há escassez, há oportunidade (link)
  • Radar ESG | Positivo (POSI3): Um trabalho em andamento (link)
  • B3 anuncia nova metodologia para o ISE; Positivo (link)
  • Radar ESG | G2D (G2DI33): Abraçando os pilares S e E através do portfólio de investimentos de impacto (link)
  • Ambev (ABEV3): Feedback do evento ESG; Reforçamos nossa visão positiva (link)
  • Radar ESG | Setor de infraestrutura (CCRO3, ECOR3, RAIL3, HBSA3, STBP3): Preparando o asfalto (link)
  • Crédito de carbono: Capturando parte da solução; 5 nomes para exposição ao tema (link)
  • Radar ESG | Incorporadoras de Imóveis Residenciais Populares: Construindo os andares ESG (link)
  • Radar ESG | Arezzo & Co. (ARZZ3): Caminhando com seus próprios passos pela agenda ESG (link)
  • Trilogia ESG (Pt. I): Um mergulho no pilar E; Três nomes que são parte da solução (link)
  • Radar ESG | Blau (BLAU3) e Hypera (HYPE3): Em busca da fórmula ESG (link)
  • Bitcoin e ESG: Entenda os dois lados da moeda (link)
  • Radar ESG | Bemobi (BMOB3): Diversidade é o nome do jogo (link)
  • Radar ESG | Setor de Logística (SIMH3, JSLG3 e VAMO3): Preparando-se para a estrada ESG (link)
  • Radar ESG | Laboratórios: ESG ainda na triagem; Fleury se destacando em relação aos pares (link)
  • Cúpula de Líderes sobre o Clima: Tecnologia, economia e agenda verde centralizam as discussões no segundo dia do evento (link)
  • Cúpula de Líderes sobre o Clima: Cooperação global é uma das três principais mensagens do evento (link)
  • Radar ESG | Locadoras de automóveis: Rumo à agenda ESG; Localiza liderando a corrida (link)
  • Radar ESG | São Martinho (SMTO3): Quanto mais se semeia, maior é a colheita (link)
  • Radar ESG | Orizon (ORVR3): Quando ESG está escrito no DNA (link)
  • Sondagem XP/ESG com investidores institucionais (link)
  • O melhor dos dois mundos: Seleção de 10 BDRs para exposição internacional ao tema ESG (link)
  • Radar ESG | Enjoei (ENJU3): O usado é o novo “novo”? (link)
  • Radar ESG | CSN Mineração (CMIN3): Explorando os campos ESG (link)
  • Radar ESG | Jalles (JALL3): Plantando as sementes ESG (link)
  • Radar ESG | Incorporadoras de alta renda: ESG ainda em construção (link)
  • Radar ESG | Setor de saúde: O ESG ainda está na sala de espera? (link)
  • Radar ESG | Quão sustentáveis são as empresas de e-commerce? Uma análise ESG dessas gigantes (link)
  • Radar ESG | IMC (MEAL3): Por que a empresa ainda tem muito espaço para melhorar? (link)
  • Radar ESG | Aeris (AERI3): Uma das empresas melhor posicionada para surfar o vento ESG (link)
  • Radar ESG | 3R Petroleum: Construindo um caminho que incorpora metas ESG (link)
  • Radar ESG | Setor de supermercados: Vale a pena encher o carrinho? (link)
  • Radar ESG | JHSF (JHSF3): Espaço para melhorias (link)
  • Radar ESG | Quem é o melhor aluno da classe? Avaliando os líderes em ESG dentre as empresas de educação no Brasil (link)
  • Panorama do marco regulatório de investimentos ESG no Brasil (link)
  • CVM e B3 estudam intensificar critérios ESG para as companhias listadas (link)
  • Radar ESG | Setor de vestuário e joias: ESG ainda na confecção (link)
  • ESG: Tendências e preferências para 2021 (link)
  • Radar ESG | LOG Commercial Properties (LOGG3): Oportunidades em empreendimentos verdes (link)
  • Eleições americanas: Quais os efeitos para a agenda ESG nos EUA e no Brasil? (link)
  • Radar ESG | Farmácias: Raia Drogasil como a ação prescrita no setor para exposição a ESG (link)
  • Radar ESG | Shoppings: Entenda o que importa para eles quando o tema é ESG (link)
  • Radar ESG | Ambev (ABEV3): Um case que desce redondo (link)
  • Feedback do roadshow ESG: O que as gestoras no Brasil estão fazendo em relação ao tema? (link)
  • ESG de A a Z: Tudo o que você precisa saber sobre o tema (link)

Ainda não tem conta na XP? Clique aqui e abra a sua!

XP Expert

Avaliação

O quão foi útil este conteúdo pra você?


Newsletter
Newsletter

Gostaria de receber nossos conteúdos por e-mail?

Cadastre-se e receba grátis nossos relatórios e recomendações de investimentos

Telegram
Telegram XP

Acesse os conteúdos

Telegram XP

pelo Telegram da XP Investimentos

B3 Autorregulação Anbima - Gestão de patrimônio Autorregulação Anbima - Gestão de recursos Autorregulação Anbima - Private Autorregulação Anbima - Distribuição de Produtos de Investimentos

A XP Investimentos CCTVM S/A, inscrita sob o CNPJ: 02.332.886/0001-04, é uma instituição financeira autorizada a funcionar pelo Banco Central do Brasil.

Toda comunicação através de rede mundial de computadores está sujeita a interrupções ou atrasos, podendo impedir ou prejudicar o envio de ordens ou a recepção de informações atualizadas. A XP Investimentos exime-se de responsabilidade por danos sofridos por seus clientes, por força de falha de serviços disponibilizados por terceiros. A XP Investimentos CCTVM S/A é instituição autorizada a funcionar pelo Banco Central do Brasil.

BMF&BOVESPA

BSM

CVM

Este site usa cookies e dados pessoais de acordo com a nossa Política de Cookies (gerencie suas preferências de cookies) e a nossa Política de Privacidade.