XP Expert

Cbios já têm peso relevante na remuneração das usinas de etanol | Café com ESG, 16/05

Comece o dia bem informado com as principais notícias ao redor do Brasil e do mundo quando o tema é ESG!

Compartilhar:

  • Compartilhar no Facebook
  • Compartilhar no Twitter
  • Compartilhar no Whatsapp
  • Compartilhar no LinkedIn
  • Compartilhar via E-mail

Bom dia! Neste relatório diário publicado todas as manhãs pelo time ESG do Research da XP, buscamos trazer as últimas notícias para que você comece o dia bem informado e fique por dentro do que o Brasil e o mundo fala sobre um tema que tem ficado cada vez mais relevante: ESG – do termo em inglês Environmental, Social and Governance ou, em português, ASG – Ambiental, Social e Governança.

Quais tópicos abordamos ao longo do conteúdo? (i) Notícias no Brasil e no mundo acerca do tema ESG; (ii) Performance histórica dos principais índices ESG em diferentes países; (iii) Comparativo da performance do Ibovespa vs. ISE (Índice de Sustentabilidade Empresarial, da B3); e (iv) Lista com os últimos relatórios publicados pelo Research ESG da XP.
Por que essas informações são importantes? 
Porque elas indicam os temas dentro da agenda ESG que estão sendo cada vez mais monitoradas por parte dos investidores e das empresas, e podem impactar os preços das ações de diferentes companhias.

Esperamos que aproveite a leitura!

Principais tópicos do dia

• O mercado fechou o pregão de sexta-feira em território positivo, com o Ibov e o ISE em alta de +1,2% e +2,0%, respectivamente. Na semana, o ISE avançou +2,4%, enquanto o Ibov fechou em alta de +1,7%.

• No Brasil, os Créditos de Descarbonização (CBios), vendidos por produtores de biocombustíveis no Brasil, já têm um peso relevante na remuneração que o etanol está oferecendo às usinas, na comparação com os ganhos que elas podem ter com a venda de açúcar – os preços médios dos CBios voltaram a ultrapassar na semana passada a marca de R$ 100, após quase dois meses de ligeira pressão sobre as cotações.

• No internacional, (i) o Grupo das Sete principais economias (G-7) vai fornecer apoio financeiro e técnico para ajudar os países em desenvolvimento a fazer a transição de sua principal geração de energia a carvão para energia renovável em um esforço para acelerar a descarbonização; e (ii) o ministério da indústria do Japão disse que os setores público e privado do país precisarão investir um total de 150 trilhões de ienes (1,2 trilhão de dólares) em descarbonização nos próximos 10 anos para ajudar a alcançar a meta ambiciosa do país de se tornar neutro em carbono até 2050.

Gostaria de receber os relatórios ESG por e-mailClique aqui.
Gostou do conteúdo, tem alguma dúvida ou quer nos enviar uma sugestão? Basta deixar um comentário no final do post!


XPInc CTA

Abra a sua conta na XP Investimentos!

XPInc CTA

Assine conteúdos exclusivos aqui!

XPInc CTA

Receba conteúdos da Expert pelo Telegram!

Brasil

Empresas

CBios já fazem a diferença na vantagem do etanol sobre o açúcar

“Os Créditos de Descarbonização (CBios), que equivalem a 1 tonelada de carbono de emissão evitada com a substituição de combustíveis fósseis por renováveis e são vendidos por produtores de biocombustíveis no Brasil, já têm um peso relevante na remuneração que o etanol está oferecendo às usinas, na comparação com os ganhos que elas podem ter com a venda de açúcar. Na B3, onde esses ativos são negociados, os preços médios dos CBios voltaram a ultrapassar na semana passada a marca de R$ 100, após quase dois meses de ligeira pressão sobre as cotações. Na quinta-feira (último dado disponível), o preço médio ficou em R$ 102,01, o maior valor desde o início das negociações.”

Fonte: Valor Econômico, 15/05/2022

Certificados de créditos de reciclagem: uma solução ambiental e social

“Uma das pautas mais urgentes da sustentabilidade é, hoje, a destinação de resíduos. Não apenas porque traz impactos significativos aos biomas e à saúde pública, mas porque passa a tratar o que era chamado de lixo como solução, por meio da logística reversa. No entanto, esbarramos em grandes gargalos. Apenas 3% de todo resíduo sólido coletado no Brasil é reciclado, segundo a Associação Brasileira de Empresas de Limpeza Pública e Resíduos Especiais (Abrelpe). Ou seja, quase tudo o que consumimos não é reaproveitado e ainda pode acabar nos cerca de 3 mil lixões em atividade no país. Isso contribuiria para a emissão de 6 milhões de toneladas de gases de efeito estufa (ou três milhões de carros movidos a gasolina), de acordo com o Sindicato das Empresas de Limpeza Urbana do Estado de São Paulo (Selur).”

Fonte: Valor Econômico, 13/05/2022

Regulamentação

Opinião

Novas regras para ESG buscam evitar o ‘greenwashing’

“Aplicar dinheiro em ESG é hit no mundo dos investimentos. Segundo a Bloomberg Intelligence, até o fim de 2022 o volume dedicado a esse tipo de investimento deve atingir US$ 41 trilhões e até 2025 deve ultrapassar a US$ 50 trilhões. Mas, por se tratar de um campo relativamente novo e com baixa regulamentação, há muitas dúvidas sobre se todo esse volume de dinheiro efetivamente é aplicado em empresas e ações dedicadas ao meio ambiente, à melhoria dos níveis de governança e à responsabilidade social. Há uma grande preocupação com a prática de maquiagem verde, o greenwashing, que nada mais é do que propaganda enganosa. Na busca de regulamentar essa indústria e dar maior garantia aos investidores, os organismos internacionais começaram a elaborar diretrizes.”

Fonte: Estadão, 14/05/2022

Todos querem ser ESG, mas ignoram que vai faltar floresta

“Seis meses após o governo brasileiro se comprometer a reflorestar um território equivalente a todo o Uruguai (ou duas vezes Portugal) até 2030, nós nos aproximamos de um “apagão de mudas”. A meta de reflorestar 18 milhões de hectares até 2030, firmada na COP26, em novembro do ano passado, soma-se à alta demanda de empresas e fundos por áreas verdes para negociar crédito de carbono. E o prognóstico é que vai faltar floresta. Em 2015, no Acordo de Paris, o governo Dilma Rousseff colocou a meta de reflorestar 12 milhões de hectares em 15 anos. Quatro anos depois, o governo de Jair Bolsonaro aumentou a aposta e emplacou a promessa dos 18 milhões de hectares.”

Fonte: Folha de São Paulo, 15/05/2022

Internacional

Empresas

Tributação, sustentabilidade, transparência e ESG

“É crescente na nossa sociedade a preocupação das empresas em demonstrar ao mercado as suas boas práticas ambientais, sociais e de governança, também conhecidas como práticas ESG. A sigla ESG (Environmental, Social and Governance) surgiu em 2004 por meio de uma publicação do Pacto Global da Organização das Nações Unidas em parceria com o Banco Mundial, intitulada “Who Cares Wins: Connecting Financial Market to a Changing World”, com o propósito de integrar questões ambientais, sociais e de governança no mercado de capitais. Esse tema ganhou ainda mais força como um novo padrão de investimentos focados em sustentabilidade com a publicação “Sustainable Investment” e a Declaração de Integração pela gestora Blackrock e quando a Business Roundtable, associação formada pelos presidentes das principais multinacionais americanas, divulgou a Declaração de Propósito de uma Corporação, comprometendo-se a liderar as corporações em prol do desenvolvimento sustentável.”

Fonte: Valor Econômico, 16/05/2022

Grandes petroleiras obtém alívio dos investidores à medida que as preocupações com a energia superam as preocupações com o climatividade’ em ratings ESG

As grandes empresas petrolíferas tiveram um passeio mais fácil nas assembleias de acionistas até agora este ano em comparação com a série punitiva de votos hostis de investidores ligados a preocupações climáticas do ano passado, já que essas questões foram eclipsadas pela escassez de petróleo. As principais empresas petrolíferas derrotaram com folga várias resoluções climáticas de alto nível apresentadas por ativistas de acionistas na atual rodada de assembleias gerais anuais.”

Fonte: Reuters, 13/05/2022

Goldman Sachs impulsiona equipe de recrutamento em busca de metas de diversidade

“O Goldman Sachs Group Inc dobrou sua equipe de recrutamento de diversidade e aumentou seu orçamento em US$ 10 milhões para ajudar a cumprir suas metas de adicionar mais mulheres, negros e latinos à sua força de trabalho, disse o chefe de Diversidade A oficial Megan Hogan disse à Reuters na sexta-feira. O banco adicionou cerca de 25 novos recrutadores focados na contratação de funcionários diversos desde o início do ano, elevando a equipe para 50 pessoas.”

Fonte: Reuters, 13/05/2022

Política

G-7 promete ajudar países da Ásia a deixar dependência de usinas a carvão

“O Grupo das Sete principais economias (G-7) expandirá uma iniciativa para apoiar países em desenvolvimento em seus esforços para eliminar gradualmente o carvão. Os membros do G-7 fornecerão apoio financeiro e técnico para ajudar os países em desenvolvimento a fazer a transição de sua principal geração de energia a carvão para energia renovável em um esforço para acelerar a descarbonização. Como primeiro passo, será prestado apoio à Indonésia, Vietnã, Índia e Senegal. Um acordo será alcançado já na reunião dos ministros de meio ambiente, clima e energia do G-7 no fim de maio. A África do Sul recebeu apoio para se afastar do carvão na 26ª Conferência das Partes da Convenção-Quadro das Nações Unidas sobre Mudanças Climáticas (COP26) em 2021. Países como os Estados Unidos e o Reino Unido comprometeram US$ 8,5 bilhões em assistência para acelerar a introdução de energia renovável na África do Sul e o fechamento de usinas a carvão.”

Fonte: Valor Econômico, 16/05/2022

Japão precisa investir US$ 1,2 trilhão em descarbonização em 10 anos, diz ministério da indústria

“Os setores público e privado do Japão precisarão investir um total de 150 trilhões de ienes (1,2 trilhão de dólares) em descarbonização nos próximos 10 anos para ajudar a alcançar a meta ambiciosa do país de se tornar neutro em carbono até 2050, a indústria disse o ministério na sexta-feira. A estimativa foi divulgada como parte de um relatório provisório sobre a estratégia de energia limpa do país, que deve ser finalizado ainda este ano.”

Fonte: Reuters, 13/05/2022


Índices ESG e suas performances

(1) O Índice ISE (Índice de Sustentabilidade Empresarial da B3) tem como objetivo ser o indicador do desempenho médio das cotações dos ativos de empresas com reconhecido comprometimento com o desenvolvimento sustentável, práticas e alinhamento estratégico com a sustentabilidade empresarial.
(2) O Índice S&P/B3 Brasil ESG mede a performance de títulos que cumprem critérios de sustentabilidade e é ponderado pelas pontuações ESG da S&P DJI. Ele exclui ações com base na sua participação em certas atividades comerciais, no seu desempenho em comparação com o Pacto Global da ONU e também cias sem pontuação ESG da S&P DJI.
(3) O ICO2 tem como propósito ser um instrumento indutor das discussões sobre mudança do clima no Brasil. A adesão das companhias ao ICO2 demonstra o comprometimento com a transparência de suas emissões e antecipa a visão de como estão se preparando para uma economia de baixo carbono.
(4) O objetivo do IGCT é ser o indicador do desempenho médio das cotações dos ativos de emissão de empresas integrantes do IGC que atendam aos critérios adicionais descritos nesta metodologia.
(5) A série de índices FTSE4Good foi projetada para medir o desempenho de empresas que demonstram fortes práticas ambientais, sociais e de governança (ESG).
(6)
O Índice MSCI ACWI, que representa o desempenho de todo o conjunto de ações de grande e médio porte do mundo, em 23 mercados desenvolvidos e 26 emergentes.


Nossos últimos relatórios

  • Radar ESG | Raízen (RAIZ4): No caminho de um futuro mais verde (link)
  • Radar ESG | Cruzeiro do Sul (CSED3): No caminho certo (link)
  • Radar ESG | Juniores de O&G (RRRP3 e RECV3): Envolvidas com a agenda ESG, enquanto enfrentam ventos contrários ao setor (link)
  • Radar ESG | Petz (PETZ3): A caminho de se tornar uma empresa ESG para cachorro (link)
  • Carteira ESG XP: Uma alteração no nosso portfólio para abril (link)
  • Seis temas-chave no investimento ESG frente ao conflito Rússia/Ucrânia (link)
  • SEC anuncia proposta para divulgação obrigatória de dados climáticos; Positivo (link)
  • Update ESG | Petrobras (PETR4): Feedback do webinar sobre clima (link)
  • Radar ESG | Telefônica Brasil / Vivo (VIVT3): Conectando-se à agenda ESG (link)
  • Mulheres na liderança: Um olhar sobre a representatividade feminina nas empresas da B3 (link)
  • Carteira ESG XP: Uma alteração no nosso portfólio para março (link)
  • ISE B3: Um raio-X da nova carteira do Índice de Sustentabilidade da B3 (link)
  • Radar ESG | Panvel (PNVL3): Prescrevendo a agenda ESG (link)
  • Carteira ESG XP: Uma alteração no portfólio para fevereiro (link)
  • Radar ESG | Omega Energia (MEGA3): Líder em energia renovável, surfando a onda da sustentabilidade (link)
  • Radar ESG | Desktop (DESK3): No início da jornada ESG (link)
  • Carteira ESG XP: Sem alterações em nosso portfólio para janeiro (link)
  • Radar ESG | AgroGalaxy (AGXY3): Plantando as sementes ESG (link)
  • Radar ESG | Petrobras (PETR4): E o campo ESG, como a Petrobras está explorando? (link)
  • Radar ESG | Oncoclínicas (ONCO3): Ainda na sala de espera (link)
  • Radar ESG | Aviação Brasil (EMBR3, AZUL4 e GOLL4): Voando pelos ares ESG (link)
  • Radar ESG | Alpargatas (ALPA4): Iniciando a caminhada pela agenda ESG (link)
  • Radar ESG | Kepler Weber (KEPL3): Um começo promissor (link)
  • Radar ESG | TIM (TIMS3): Chamando a agenda ESG (link)
  • ESG: O que moldará os investimentos sustentáveis em 2022? (link)
  • Carteira ESG XP: Sem alterações em nosso portfólio para dezembro (link)
  • Radar ESG | Burger King Brasil (BKBR): Espaço para avanço na agenda, mas os planos ambiciosos adiante animam (link)
  • COP26: Implicações do documento final (link)
  • Expo Dubai: Buscando soluções diante de recursos finitos (link)
  • Expo Dubai: Todos os olhos voltados para o futuro da mobilidade (link)
  • Expo Dubai: Tecnologia e sustentabilidade centralizam os destaques do evento nesta terça-feira (link)
  • Expo Dubai: Três principais destaques do evento nesta segunda-feira, dia do Brasil na feira (link)
  • COP26: Um encontro decisivo para conter o aquecimento global (link)
  • Seleção BDRs ESG​: 15 nomes para exposição internacional ao tema (link)
  • Radar ESG | Kora Saúde (KRSA3): Ainda há um caminho a ser percorrido (link)
  • Radar ESG | Empresas de Autopeças: Preparando a estrada ESG; Governança e segurança em primeiro lugar (link)
  • Radar ESG | Unifique (FIQE3) e Brisanet (BRIT3): O que as empresas de telecomunicações brasileiras têm feito? (link)
  • Radar ESG | Natura&Co. (NTCO3): Não é apenas maquiagem; ESG é uma realidade! (link)
  • Vale (VALE3): Feedback do Webinar ESG; Todos os olhos voltados para a redução de riscos (link)
  • Radar ESG | Totvs (TOTS3): A melhor posicionada no setor de tecnologia sob a cobertura da XP (link)
  • Assembleia Geral da ONU: Cenário climático alarmante centraliza as discussões (link)
  • Amazônia: Entendendo a importância da maior floresta tropical do mundo (link)
  • ESG no centro das discussões; Três principais aprendizados da Expert XP 2021 (link)
  • Radar ESG | Companhia Brasileira de Alumínio (CBAV3): Uma líder em alumínio verde, com forte posicionamento ESG (link)
  • Relatório do IPCC: Um chamado para todos, inclusive para o mercado, frente a um cenário alarmante do clima (link)
  • Radar ESG | WEG (WEGE3): Um player ESG bem equipado para se beneficiar das tendências adiante (link)
  • Radar ESG | Boa Safra (SOJA3): Agenda ESG em produção, semente por semente (link)
  • Água: Onde há escassez, há oportunidade (link)
  • Radar ESG | Positivo (POSI3): Um trabalho em andamento (link)
  • B3 anuncia nova metodologia para o ISE; Positivo (link)
  • Radar ESG | G2D (G2DI33): Abraçando os pilares S e E através do portfólio de investimentos de impacto (link)
  • Ambev (ABEV3): Feedback do evento ESG; Reforçamos nossa visão positiva (link)
  • Radar ESG | Setor de infraestrutura (CCRO3, ECOR3, RAIL3, HBSA3, STBP3): Preparando o asfalto (link)
  • Crédito de carbono: Capturando parte da solução; 5 nomes para exposição ao tema (link)
  • Radar ESG | Incorporadoras de Imóveis Residenciais Populares: Construindo os andares ESG (link)
  • Radar ESG | Arezzo & Co. (ARZZ3): Caminhando com seus próprios passos pela agenda ESG (link)
  • Trilogia ESG (Pt. I): Um mergulho no pilar E; Três nomes que são parte da solução (link)
  • Radar ESG | Blau (BLAU3) e Hypera (HYPE3): Em busca da fórmula ESG (link)
  • Bitcoin e ESG: Entenda os dois lados da moeda (link)
  • Radar ESG | Bemobi (BMOB3): Diversidade é o nome do jogo (link)
  • Radar ESG | Setor de Logística (SIMH3, JSLG3 e VAMO3): Preparando-se para a estrada ESG (link)
  • Radar ESG | Laboratórios: ESG ainda na triagem; Fleury se destacando em relação aos pares (link)
  • Cúpula de Líderes sobre o Clima: Tecnologia, economia e agenda verde centralizam as discussões no segundo dia do evento (link)
  • Cúpula de Líderes sobre o Clima: Cooperação global é uma das três principais mensagens do evento (link)
  • Radar ESG | Locadoras de automóveis: Rumo à agenda ESG; Localiza liderando a corrida (link)
  • Radar ESG | São Martinho (SMTO3): Quanto mais se semeia, maior é a colheita (link)
  • Radar ESG | Orizon (ORVR3): Quando ESG está escrito no DNA (link)
  • Sondagem XP/ESG com investidores institucionais (link)
  • O melhor dos dois mundos: Seleção de 10 BDRs para exposição internacional ao tema ESG (link)
  • Radar ESG | Enjoei (ENJU3): O usado é o novo “novo”? (link)
  • Radar ESG | CSN Mineração (CMIN3): Explorando os campos ESG (link)
  • Radar ESG | Jalles (JALL3): Plantando as sementes ESG (link)
  • Radar ESG | Incorporadoras de alta renda: ESG ainda em construção (link)
  • Radar ESG | Setor de saúde: O ESG ainda está na sala de espera? (link)
  • Radar ESG | Quão sustentáveis são as empresas de e-commerce? Uma análise ESG dessas gigantes (link)
  • Radar ESG | IMC (MEAL3): Por que a empresa ainda tem muito espaço para melhorar? (link)
  • Radar ESG | Aeris (AERI3): Uma das empresas melhor posicionada para surfar o vento ESG (link)
  • Radar ESG | 3R Petroleum: Construindo um caminho que incorpora metas ESG (link)
  • Radar ESG | Setor de supermercados: Vale a pena encher o carrinho? (link)
  • Radar ESG | JHSF (JHSF3): Espaço para melhorias (link)
  • Radar ESG | Quem é o melhor aluno da classe? Avaliando os líderes em ESG dentre as empresas de educação no Brasil (link)
  • Panorama do marco regulatório de investimentos ESG no Brasil (link)
  • CVM e B3 estudam intensificar critérios ESG para as companhias listadas (link)
  • Radar ESG | Setor de vestuário e joias: ESG ainda na confecção (link)
  • ESG: Tendências e preferências para 2021 (link)
  • Radar ESG | LOG Commercial Properties (LOGG3): Oportunidades em empreendimentos verdes (link)
  • Eleições americanas: Quais os efeitos para a agenda ESG nos EUA e no Brasil? (link)
  • Radar ESG | Farmácias: Raia Drogasil como a ação prescrita no setor para exposição a ESG (link)
  • Radar ESG | Shoppings: Entenda o que importa para eles quando o tema é ESG (link)
  • Radar ESG | Ambev (ABEV3): Um case que desce redondo (link)
  • Feedback do roadshow ESG: O que as gestoras no Brasil estão fazendo em relação ao tema? (link)
  • ESG de A a Z: Tudo o que você precisa saber sobre o tema (link)

Ainda não tem conta na XP? Clique aqui e abra a sua!

XP Expert

Avaliação

O quão foi útil este conteúdo pra você?


Newsletter
Newsletter

Gostaria de receber nossos conteúdos por e-mail?

Cadastre-se e receba grátis nossos relatórios e recomendações de investimentos

Telegram
Telegram XP

Acesse os conteúdos

Telegram XP

pelo Telegram da XP Investimentos

A XP Investimentos CCTVM S/A, inscrita sob o CNPJ: 02.332.886/0001-04, é uma instituição financeira autorizada a funcionar pelo Banco Central do Brasil.Toda comunicação através de rede mundial de computadores está sujeita a interrupções ou atrasos, podendo impedir ou prejudicar o envio de ordens ou a recepção de informações atualizadas. A XP Investimentos exime-se de responsabilidade por danos sofridos por seus clientes, por força de falha de serviços disponibilizados por terceiros. A XP Investimentos CCTVM S/A é instituição autorizada a funcionar pelo Banco Central do Brasil.


Este site usa cookies e dados pessoais de acordo com a nossa Política de Cookies (gerencie suas preferências de cookies) e a nossa Política de Privacidade.