XP Expert

Cresce a busca por criptoativos verdes no Brasil | Café com ESG, 22/04

Comece o dia bem informado com as principais notícias ao redor do Brasil e do mundo quando o tema é ESG!

Compartilhar:

  • Compartilhar no Facebook
  • Compartilhar no Twitter
  • Compartilhar no Whatsapp
  • Compartilhar no LinkedIn
  • Compartilhar via E-mail

Bom dia! Neste relatório diário publicado todas as manhãs pelo time ESG do Research da XP, buscamos trazer as últimas notícias para que você comece o dia bem informado e fique por dentro do que o Brasil e o mundo fala sobre um tema que tem ficado cada vez mais relevante: ESG – do termo em inglês Environmental, Social and Governance ou, em português, ASG – Ambiental, Social e Governança.

Quais tópicos abordamos ao longo do conteúdo? (i) Notícias no Brasil e no mundo acerca do tema ESG; (ii) Performance histórica dos principais índices ESG em diferentes países; (iii) Comparativo da performance do Ibovespa vs. ISE (Índice de Sustentabilidade Empresarial, da B3); e (iv) Lista com os últimos relatórios publicados pelo Research ESG da XP.
Por que essas informações são importantes? 
Porque elas indicam os temas dentro da agenda ESG que estão sendo cada vez mais monitoradas por parte dos investidores e das empresas, e podem impactar os preços das ações de diferentes companhias.

Esperamos que aproveite a leitura!

Principais tópicos do dia

• Com feriado ontem, o mercado fechou o pregão de quarta-feira em campo neutro, com o Ibov e o ISE em leve queda de -0,6% e -0,7%, respectivamente.

• No Brasil, (i) cresce um dos mercados mais maduros do mundo na comercialização de certificados de energia renovável, segundo um estudo feito pela Similarweb, que apontou que o país é pioneiro no desenvolvimento de tokens de energia no exterior, um tipo de moeda verde que funciona como ativos digitais relacionados a criptoativos e comprova que a energia é, de fato, de origem limpa e renovável; e (ii) a SLC Agrícola anunciou que vai assinar um contrato voluntário de compensação financeira com o Instituto de Pesquisa Ambiental da Amazônia (Ipam) para manter preservados 1.358 hectares de vegetação nativa no Mato Grosso, uma área que não faz parte da reserva legal nem de área de preservação permanente (APP) da propriedade.

• No internacional, o governo chinês aprovou a construção de seis reatores nucleares como parte de um plano para reduzir as emissões de dióxido de carbono em mais do que o dobro da capacidade de energia nuclear nesta década.

Gostaria de receber os relatórios ESG por e-mailClique aqui.
Gostou do conteúdo, tem alguma dúvida ou quer nos enviar uma sugestão? Basta deixar um comentário no final do post!


XPInc CTA

Abra a sua conta na XP Investimentos!

XPInc CTA

Assine conteúdos exclusivos aqui!

XPInc CTA

Receba conteúdos da Expert pelo Telegram!

Brasil

Empresas

Cresce a busca por certificados de energia renovável relacionados a criptoativos

“O Brasil desponta como um dos mercados mais maduros do mundo na comercialização de certificados de energia renovável, segundo um estudo feito pela Similarweb, empresa de inteligência de mercado global, que apontou que o país é pioneiro no desenvolvimento de tokens de energia no exterior. Esse tipo de moeda verde funciona como ativos digitais relacionados a criptoativos e comprova que a energia é, de fato, de origem limpa e renovável. Os dados da análise digital mostram que nos últimos dois anos, o Brasil se consolidou como o segundo país que mais investiu na comercialização de certificados de energia renovável no mundo, atrás apenas da China.”

Fonte: Valor Econômico, 21/04/2022

SLC assinará compromisso de preservação de mata nativa em MT

“A SLC Agrícola assinará um contrato voluntário de compensação financeira com o Instituto de Pesquisa Ambiental da Amazônia (Ipam) para manter preservados 1.358 hectares de vegetação nativa dentro da Fazenda Perdizes, em Porto dos Gaúchos (MT). A área a ser preservada não faz parte da reserva legal nem de área de preservação permanente (APP) da propriedade. O acordo que será assinado com o Ipam será feito no âmbito do Programa CONSERV, de pagamento por serviços ambientais. Essa é a maior área individual a aderir ao mecanismo e a primeira localizada no bioma amazônico.”

Fonte: Valor Econômico, 20/04/2022

Agenda ESG turbina destinação do IR para causas sociais

“Na hora de fazer a declaração do Imposto de Renda, cidadãos e empresas podem destinar parte do valor a pagar para projetos sociais. Assim, em vez desse dinheiro ser abocanhado pelo “leão”, vai para alguma organização que ajude crianças, adolescentes ou idosos carentes. Para as empresas, a doação é ainda uma oportunidade para praticar o “S” da sigla em inglês ESG (boas práticas ambientais, sociais e de governança). Este ano, pessoas físicas podem fazer a doação até 31 de maio, quando termina o prazo para enviar o Imposto de Renda da Pessoa Física (IRPF) 2022. Uma das únicas exigências da Receita Federal para os cidadãos é a opção pela declaração no modelo completo. Além disso, é só respeitar o limite de destinação para causas sociais: até 3% do IR pode ir para o Fundo da Criança e do Adolescente e outros 3% ao Fundo do Idoso.”

Fonte: Valor Econômico, 22/04/2022

Inclusão é mais do que oferecer palestras e cursos aos funcionários

“A busca por diversidade já saiu do círculo de multinacionais e grandes empresas brasileiras para também chegar às discussões de empresas de capital fechado, de gestão familiar e de médio e pequeno portes. “Está ficando cada vez mais claro que a gestão estratégica de pessoas, a pauta ESG [sigla em inglês para questões ambientais, sociais e de governança)], a sustentabilidade, é importante para empresas em diferentes estágios de maturidade”, afirma a consultora de diversidade Renata Moraes, da ImpulsoBeta. Mas, a executiva alerta que muitas companhias, por falta de orçamento ou de visão estratégica sobre o assunto, acabam copiando o que deu certo em grandes organizações e não se debruçam sobre seus reais problemas para encontrar as melhores soluções, e, por isso, correm o risco de não ver os resultados esperados.”

Fonte: Valor Econômico, 20/04/2022

Frigorífico JBS é criticado por mais de 50% de aumento de emissões

“As emissões de carbono da JBS, a maior empresa frigorífica do mundo, subiram mais de 50% nos últimos cinco anos, de acordo com uma nova pesquisa que expõe o desafio de reduzir os gases de efeito estufa na indústria global de alimentos. O estudo de vários grupos ambientais sugeriu que a empresa com sede em São Paulo liberou 421,6 milhões de toneladas métricas de carbono em 2021, uma pegada maior do que toda a Itália e quase tão grande quanto a do Reino Unido. A JBS – que se comprometeu a reduzir as emissões para zero líquido até 2040 – negou a precisão dos números, dizendo que o relatório usou “metodologia falha e dados grosseiramente extrapolados para fazer alegações enganosas”. A JBS não forneceu seus próprios números oficiais do ano passado.”

Fonte: Financial Times, 21/04/2022

ODATA anuncia novas lideranças para ESG

“A ODATA, provedora brasileira de data centers, anuncia Carolina Maestri como nova diretora de ESG e Claudio Oyarzun assumindo a gerência da área. Ambos chegam com o objetivo de dar continuidade ao trabalho que está sendo feito e aprimorar as iniciativas sociais, ambientais e de governança da empresa. “O ESG sempre foi uma das nossas prioridades, por isso, neste ano, decidimos optar por uma liderança centralizada e robusta. Focaremos em inovações tanto para eficiência energética quanto para sustentabilidade e segurança do trabalho”, conta Ricardo Alário, CEO da companhia.”

Fonte: Data Center Dynamics, 20/04/2022

Política

Investimento da pecuária vai do ‘luftal do boi’ ao carbono

“Maior exportador de carne bovina do mundo, o Brasil vem sendo pressionado nos últimos anos a diminuir sua pegada de carbono na agropecuária, especialmente em razão da produção de gás metano, um dos que mais comprometem a camada de ozônio. Durante a COP26, o país aderiu ao acordo que prevê reduzir em 30% as emissões globais de metano até 2030. Para contribuir com a meta, frigoríficos e empresas do setor agropecuário têm aumentado a produtividade, modificando insumos e agregando inovação para terem uma operação mais sustentável.”

Fonte: Valor Econômico, 20/04/2022

Internacional

Empresas

Os percalços do mercado de CO2 chinês (e as lições para o Brasil)

“Lançado oficialmente em julho do ano passado, o mercado de carbono regulado da China nasceu com o potencial de se tornar o maior do mundo. Mas desde então vem enfrentando diversos percalços, o que coloca em dúvida sua capacidade de se tornar uma ferramenta útil para conter as emissões do principal poluidor do planeta. O volume e o preço das permissões para emitir CO2 ainda são baixos – num movimento um tanto quanto esperado, já que a ideia era ter um começo mais lento para aperfeiçoar detalhes técnicos e, a partir de então, partir para a escala. Mas acusações de fraude e de falhas nos processos de auditoria estão colocando em dúvida a integridade de todo o sistema.”

Fonte: Capital Reset, 22/04/2022

Regulação

Reino Unido estabelece meta de 40% de mulheres em conselhos da empresa

“As mulheres devem compor pelo menos 40% dos conselhos de administração de empresas listadas na Inglaterra e um diretor deve ser uma pessoa de cor, disse o vigilante financeiro do país nesta quarta-feira, ao estabelecer uma série de metas de diversidade para os principais líderes das empresas. Pelo menos um cargo sênior, como presidente da empresa, executivo-chefe ou diretor financeiro deve ser ocupado por uma mulher, disse a Autoridade de Conduta Financeira, confirmando em grande parte as propostas iniciais.”

Fonte: Reuters, 20/04/2022

Política

China aprova seis novos reatores nucleares para reduzir dependência do carvão

“O governo chinês aprovou a construção de seis reatores nucleares como parte de um plano para reduzir as emissões de dióxido de carbono em mais do que o dobro da capacidade de energia nuclear nesta década. Três usinas nucleares em províncias costeiras receberão dois novos reatores cada, de acordo com a mídia local. Os custos de construção são estimados em 120 bilhões de yuans (US$ 18,7 bilhões) para todos os seis reatores combinados, informou a mídia chinesa. A China ocupa o terceiro lugar no mundo em termos de capacidade instalada de energia nuclear, depois dos Estados Unidos e da França. Mas a energia nuclear representa apenas pouco mais de 2% da capacidade de geração de energia do país e apenas 5% da produção total de eletricidade no ano passado. O presidente da China, Xi Jinping, prometeu em 2020 transformar a China de líder mundial em emissões de CO2 em uma sociedade neutra em carbono até 2060.”

Fonte: Valor Econômico, 22/04/2022

EUA permitiram mais energia eólica e solar sob Biden, mas precisa fazer mais relatório ao Congresso

“Os EUA aceleraram a autorização de projetos eólicos e solares em terras federais sob o presidente Joe Biden, mas seu governo precisa de mais pessoal e menos burocracia administrativa para acompanhar a demanda da indústria de energia limpa por terras, de acordo com um relatório enviado ao Congresso na terça-feira. O anúncio mostra progressos em direção ao objetivo de Biden de colocar mais energia renovável em áreas públicas como parte de sua agenda de mudanças climáticas, ao mesmo tempo em que ressalta a dificuldade de elaborar rapidamente políticas para apoiar a expansão de uma indústria em rápido crescimento.”

Fonte: Reuters, 20/04/2022


Índices ESG e suas performances

(1) O Índice ISE (Índice de Sustentabilidade Empresarial da B3) tem como objetivo ser o indicador do desempenho médio das cotações dos ativos de empresas com reconhecido comprometimento com o desenvolvimento sustentável, práticas e alinhamento estratégico com a sustentabilidade empresarial.
(2) O Índice S&P/B3 Brasil ESG mede a performance de títulos que cumprem critérios de sustentabilidade e é ponderado pelas pontuações ESG da S&P DJI. Ele exclui ações com base na sua participação em certas atividades comerciais, no seu desempenho em comparação com o Pacto Global da ONU e também cias sem pontuação ESG da S&P DJI.
(3) O ICO2 tem como propósito ser um instrumento indutor das discussões sobre mudança do clima no Brasil. A adesão das companhias ao ICO2 demonstra o comprometimento com a transparência de suas emissões e antecipa a visão de como estão se preparando para uma economia de baixo carbono.
(4) O objetivo do IGCT é ser o indicador do desempenho médio das cotações dos ativos de emissão de empresas integrantes do IGC que atendam aos critérios adicionais descritos nesta metodologia.
(5) A série de índices FTSE4Good foi projetada para medir o desempenho de empresas que demonstram fortes práticas ambientais, sociais e de governança (ESG).
(6)
O Índice MSCI ACWI, que representa o desempenho de todo o conjunto de ações de grande e médio porte do mundo, em 23 mercados desenvolvidos e 26 emergentes.


Nossos últimos relatórios

  • Radar ESG | Cruzeiro do Sul (CSED3): No caminho certo (link)
  • Radar ESG | Juniores de O&G (RRRP3 e RECV3): Envolvidas com a agenda ESG, enquanto enfrentam ventos contrários ao setor (link)
  • Radar ESG | Petz (PETZ3): A caminho de se tornar uma empresa ESG para cachorro (link)
  • Carteira ESG XP: Uma alteração no nosso portfólio para abril (link)
  • Seis temas-chave no investimento ESG frente ao conflito Rússia/Ucrânia (link)
  • SEC anuncia proposta para divulgação obrigatória de dados climáticos; Positivo (link)
  • Update ESG | Petrobras (PETR4): Feedback do webinar sobre clima (link)
  • Radar ESG | Telefônica Brasil / Vivo (VIVT3): Conectando-se à agenda ESG (link)
  • Mulheres na liderança: Um olhar sobre a representatividade feminina nas empresas da B3 (link)
  • Carteira ESG XP: Uma alteração no nosso portfólio para março (link)
  • ISE B3: Um raio-X da nova carteira do Índice de Sustentabilidade da B3 (link)
  • Radar ESG | Panvel (PNVL3): Prescrevendo a agenda ESG (link)
  • Carteira ESG XP: Uma alteração no portfólio para fevereiro (link)
  • Radar ESG | Omega Energia (MEGA3): Líder em energia renovável, surfando a onda da sustentabilidade (link)
  • Radar ESG | Desktop (DESK3): No início da jornada ESG (link)
  • Carteira ESG XP: Sem alterações em nosso portfólio para janeiro (link)
  • Radar ESG | AgroGalaxy (AGXY3): Plantando as sementes ESG (link)
  • Radar ESG | Petrobras (PETR4): E o campo ESG, como a Petrobras está explorando? (link)
  • Radar ESG | Oncoclínicas (ONCO3): Ainda na sala de espera (link)
  • Radar ESG | Aviação Brasil (EMBR3, AZUL4 e GOLL4): Voando pelos ares ESG (link)
  • Radar ESG | Alpargatas (ALPA4): Iniciando a caminhada pela agenda ESG (link)
  • Radar ESG | Kepler Weber (KEPL3): Um começo promissor (link)
  • Radar ESG | TIM (TIMS3): Chamando a agenda ESG (link)
  • ESG: O que moldará os investimentos sustentáveis em 2022? (link)
  • Carteira ESG XP: Sem alterações em nosso portfólio para dezembro (link)
  • Radar ESG | Burger King Brasil (BKBR): Espaço para avanço na agenda, mas os planos ambiciosos adiante animam (link)
  • COP26: Implicações do documento final (link)
  • Expo Dubai: Buscando soluções diante de recursos finitos (link)
  • Expo Dubai: Todos os olhos voltados para o futuro da mobilidade (link)
  • Expo Dubai: Tecnologia e sustentabilidade centralizam os destaques do evento nesta terça-feira (link)
  • Expo Dubai: Três principais destaques do evento nesta segunda-feira, dia do Brasil na feira (link)
  • COP26: Um encontro decisivo para conter o aquecimento global (link)
  • Seleção BDRs ESG​: 15 nomes para exposição internacional ao tema (link)
  • Radar ESG | Kora Saúde (KRSA3): Ainda há um caminho a ser percorrido (link)
  • Radar ESG | Empresas de Autopeças: Preparando a estrada ESG; Governança e segurança em primeiro lugar (link)
  • Radar ESG | Unifique (FIQE3) e Brisanet (BRIT3): O que as empresas de telecomunicações brasileiras têm feito? (link)
  • Radar ESG | Natura&Co. (NTCO3): Não é apenas maquiagem; ESG é uma realidade! (link)
  • Vale (VALE3): Feedback do Webinar ESG; Todos os olhos voltados para a redução de riscos (link)
  • Radar ESG | Totvs (TOTS3): A melhor posicionada no setor de tecnologia sob a cobertura da XP (link)
  • Assembleia Geral da ONU: Cenário climático alarmante centraliza as discussões (link)
  • Amazônia: Entendendo a importância da maior floresta tropical do mundo (link)
  • ESG no centro das discussões; Três principais aprendizados da Expert XP 2021 (link)
  • Radar ESG | Companhia Brasileira de Alumínio (CBAV3): Uma líder em alumínio verde, com forte posicionamento ESG (link)
  • Relatório do IPCC: Um chamado para todos, inclusive para o mercado, frente a um cenário alarmante do clima (link)
  • Radar ESG | WEG (WEGE3): Um player ESG bem equipado para se beneficiar das tendências adiante (link)
  • Radar ESG | Boa Safra (SOJA3): Agenda ESG em produção, semente por semente (link)
  • Água: Onde há escassez, há oportunidade (link)
  • Radar ESG | Positivo (POSI3): Um trabalho em andamento (link)
  • B3 anuncia nova metodologia para o ISE; Positivo (link)
  • Radar ESG | G2D (G2DI33): Abraçando os pilares S e E através do portfólio de investimentos de impacto (link)
  • Ambev (ABEV3): Feedback do evento ESG; Reforçamos nossa visão positiva (link)
  • Radar ESG | Setor de infraestrutura (CCRO3, ECOR3, RAIL3, HBSA3, STBP3): Preparando o asfalto (link)
  • Crédito de carbono: Capturando parte da solução; 5 nomes para exposição ao tema (link)
  • Radar ESG | Incorporadoras de Imóveis Residenciais Populares: Construindo os andares ESG (link)
  • Radar ESG | Arezzo & Co. (ARZZ3): Caminhando com seus próprios passos pela agenda ESG (link)
  • Trilogia ESG (Pt. I): Um mergulho no pilar E; Três nomes que são parte da solução (link)
  • Radar ESG | Blau (BLAU3) e Hypera (HYPE3): Em busca da fórmula ESG (link)
  • Bitcoin e ESG: Entenda os dois lados da moeda (link)
  • Radar ESG | Bemobi (BMOB3): Diversidade é o nome do jogo (link)
  • Radar ESG | Setor de Logística (SIMH3, JSLG3 e VAMO3): Preparando-se para a estrada ESG (link)
  • Radar ESG | Laboratórios: ESG ainda na triagem; Fleury se destacando em relação aos pares (link)
  • Cúpula de Líderes sobre o Clima: Tecnologia, economia e agenda verde centralizam as discussões no segundo dia do evento (link)
  • Cúpula de Líderes sobre o Clima: Cooperação global é uma das três principais mensagens do evento (link)
  • Radar ESG | Locadoras de automóveis: Rumo à agenda ESG; Localiza liderando a corrida (link)
  • Radar ESG | São Martinho (SMTO3): Quanto mais se semeia, maior é a colheita (link)
  • Radar ESG | Orizon (ORVR3): Quando ESG está escrito no DNA (link)
  • Sondagem XP/ESG com investidores institucionais (link)
  • O melhor dos dois mundos: Seleção de 10 BDRs para exposição internacional ao tema ESG (link)
  • Radar ESG | Enjoei (ENJU3): O usado é o novo “novo”? (link)
  • Radar ESG | CSN Mineração (CMIN3): Explorando os campos ESG (link)
  • Radar ESG | Jalles (JALL3): Plantando as sementes ESG (link)
  • Radar ESG | Incorporadoras de alta renda: ESG ainda em construção (link)
  • Radar ESG | Setor de saúde: O ESG ainda está na sala de espera? (link)
  • Radar ESG | Quão sustentáveis são as empresas de e-commerce? Uma análise ESG dessas gigantes (link)
  • Radar ESG | IMC (MEAL3): Por que a empresa ainda tem muito espaço para melhorar? (link)
  • Radar ESG | Aeris (AERI3): Uma das empresas melhor posicionada para surfar o vento ESG (link)
  • Radar ESG | 3R Petroleum: Construindo um caminho que incorpora metas ESG (link)
  • Radar ESG | Setor de supermercados: Vale a pena encher o carrinho? (link)
  • Radar ESG | JHSF (JHSF3): Espaço para melhorias (link)
  • Radar ESG | Quem é o melhor aluno da classe? Avaliando os líderes em ESG dentre as empresas de educação no Brasil (link)
  • Panorama do marco regulatório de investimentos ESG no Brasil (link)
  • CVM e B3 estudam intensificar critérios ESG para as companhias listadas (link)
  • Radar ESG | Setor de vestuário e joias: ESG ainda na confecção (link)
  • ESG: Tendências e preferências para 2021 (link)
  • Radar ESG | LOG Commercial Properties (LOGG3): Oportunidades em empreendimentos verdes (link)
  • Eleições americanas: Quais os efeitos para a agenda ESG nos EUA e no Brasil? (link)
  • Radar ESG | Farmácias: Raia Drogasil como a ação prescrita no setor para exposição a ESG (link)
  • Radar ESG | Shoppings: Entenda o que importa para eles quando o tema é ESG (link)
  • Radar ESG | Ambev (ABEV3): Um case que desce redondo (link)
  • Feedback do roadshow ESG: O que as gestoras no Brasil estão fazendo em relação ao tema? (link)
  • ESG de A a Z: Tudo o que você precisa saber sobre o tema (link)

Ainda não tem conta na XP? Clique aqui e abra a sua!

XP Expert

Avaliação

O quão foi útil este conteúdo pra você?


Newsletter
Newsletter

Gostaria de receber nossos conteúdos por e-mail?

Cadastre-se e receba grátis nossos relatórios e recomendações de investimentos

Telegram
Telegram XP

Acesse os conteúdos

Telegram XP

pelo Telegram da XP Investimentos

A XP Investimentos CCTVM S/A, inscrita sob o CNPJ: 02.332.886/0001-04, é uma instituição financeira autorizada a funcionar pelo Banco Central do Brasil.Toda comunicação através de rede mundial de computadores está sujeita a interrupções ou atrasos, podendo impedir ou prejudicar o envio de ordens ou a recepção de informações atualizadas. A XP Investimentos exime-se de responsabilidade por danos sofridos por seus clientes, por força de falha de serviços disponibilizados por terceiros. A XP Investimentos CCTVM S/A é instituição autorizada a funcionar pelo Banco Central do Brasil.


Este site usa cookies e dados pessoais de acordo com a nossa Política de Cookies (gerencie suas preferências de cookies) e a nossa Política de Privacidade.