XP Expert

Petrobras diz que estratégia na transição para economia de baixo carbono está na modernização das refinarias | Café com ESG, 17/02

Comece o dia bem informado com as principais notícias ao redor do Brasil e do mundo quando o tema é ESG!

Compartilhar:

  • Compartilhar no Facebook
  • Compartilhar no Twitter
  • Compartilhar no Whatsapp
  • Compartilhar no LinkedIn
  • Compartilhar via E-mail

Bom dia! Neste relatório diário publicado todas as manhãs pelo time ESG do Research da XP, buscamos trazer as últimas notícias para que você comece o dia bem informado e fique por dentro do que o Brasil e o mundo fala sobre um tema que tem ficado cada vez mais relevante: ESG – do termo em inglês Environmental, Social and Governance ou, em português, ASG – Ambiental, Social e Governança.

Quais tópicos abordamos ao longo do conteúdo? (i) Notícias no Brasil e no mundo acerca do tema ESG; (ii) Performance histórica dos principais índices ESG em diferentes países; (iii) Comparativo da performance do Ibovespa vs. ISE (Índice de Sustentabilidade Empresarial, da B3); e (iv) Lista com os últimos relatórios publicados pelo Research ESG da XP.
Por que essas informações são importantes? 
Porque elas indicam os temas dentro da agenda ESG que estão sendo cada vez mais monitoradas por parte dos investidores e das empresas, e podem impactar os preços das ações de diferentes companhias.

Esperamos que aproveite a leitura!

Principais tópicos do dia

• Na quarta-feira, o mercado fechou em território neutro, com o Ibov e o ISE em leve alta de +0,3% e +0,5%, respectivamente.

• No Brasil, (i) o diretor de refino e gás natural da Petrobras, Rodrigo Costa, afirmou ontem que a estratégia da Petrobras na transição para uma economia de baixo carbono está baseada na modernização das refinarias para a produção de combustíveis com menos emissões; e (ii) um levantamento da consultoria Luvi One mostrou que somente 16% das companhias nacionais listadas na bolsa incluem a preservação das florestas em suas metas climáticas.

• No internacional, os bancos norte-americanos fizeram uma proposta regulatória para incorporar os riscos das mudanças climáticas em suas operações diárias, mas disseram que se opõem à gestão de risco prescritiva e critérios de empréstimo, divulgações de exposição e multas de capital.


Brasil

Empresas

Transição energética está baseada em modernizar refinarias para reduzir pegada de carbono, diz Petrobras

“A estratégia da Petrobras na transição para uma economia de baixo carbono está baseada na modernização das refinarias para a produção de combustíveis com menos emissões, afirmou o diretor de refino e gás natural da companhia, Rodrigo Costa. Em participação no evento on-line Brazil Gas Summit, nesta quarta-feira (16), o executivo lembrou que a empresa vai investir R$ 600 milhões na modernização de ativos de refino para produção de derivados com menor índice de emissão de gases de efeito estufa, conforme o plano estratégico para o período de 2022 a 2026.”

Fonte: Valor Econômico, 16/02/2022

Clique aqui para acessar o relatório | “Radar ESG | Petrobras (PETR4): E o campo ESG, como a Petrobras está explorando?

Reduzir desmatamento está fora do radar de companhias da B3

“O setor privado brasileiro ainda não coloca o desmatamento no centro de suas preocupações com o clima. Levantamento da consultoria Luvi One mostra que somente 16% das companhias nacionais listadas na bolsa incluem a preservação das florestas em suas metas climáticas. Na Europa, esse percentual é de 90%. Quando levadas em conta as metas específicas, com estabelecimento de prazo e percentual de redução a ser atingido, o resultado é ainda menor: apenas 5% assumem compromissos de contribuir com um freio no desmatamento no país. “O Brasil ficou um tempo no debate de que a preservação de florestas era assunto de governos. A iniciativa privada tinha um papel subordinado ou de terceiro grau da discussão. Agora, o próprio mercado consumidor exige que as companhias tenham posicionamento em relação às florestas, principalmente com relação ao desmatamento da Amazônia”, afirma o economista Felipe Gutterres, presidente da Luvi One.”

Fonte: Valor Econômico, 17/02/2022

Carbonext cria ‘fábrica’ de projetos de carbono na Amazônia 

“A engenheira florestal Janaina Dallan é uma das pioneiras no Brasil no desenvolvimento de projetos para gerar créditos de carbono com a preservação da Amazônia. Por mais de uma década, entre altos e baixos do mercado, ela basicamente pregou no deserto. Era um projeto aqui, uma venda de créditos acolá. Mas, de dois anos para cá, a história virou. A demanda crescente de empresas do mundo todo para neutralizar suas emissões de gases de efeito estufa impulsiona as trocas voluntárias de crédito de carbono, e a sua Carbonext, fundada em 2010, se tornou uma das protagonistas de um mercado local que começa a se estruturar em bases mais sólidas e escaláveis.”

Fonte: Capital Reset, 16/02/2022

ESG: indicadores não financeiros aumentam percepção de valor dos negócios

“As empresas que atuam no Brasil têm se mostrado mais motivadas em oferecer informações sobre suas práticas de governança ambiental, social e corporativa – também conhecidas pela sigla ESG (Environmental, Social, and Governance) – a seus stakeholders. Essa busca por uma comunicação mais consistente e transparente reflete as expectativas de um mercado que visa a geração de valor e a sustentabilidade dos negócios no longo prazo. De acordo com um recente levantamento produzido por Deloitte e Instituto Brasileiro de Relações com Investidores (IBRI), indicadores não financeiros, como emissão de gases de efeito estufa e representatividade de minorias nas organizações, vêm ganhando relevância e tendem a se tornar tão importantes quanto os indicadores financeiros nos reportes. Não à toa, 74% das empresas que participaram da pesquisa disseram que pretendem aumentar o orçamento destinado a práticas de ESG em 2022.”

Fonte: Exame, 16/02/2022

Empresas planejam transferir 100% de seu frete marítimo para navios movidos a carbono zero

“Após a COP 26 (Conferência das Nações Unidas sobre as Mudanças Climáticas de 2021) e a reunião do Comitê da IMO MEPC 77 (Marine Environment Protection Committee) no final de 2021, o ano inicia com a necessidade de avanço nas políticas de governança sustentável e pressão para a descarbonização do setor de transporte marítimo. Enquanto países desenvolvidos endossam metas em ESG (Governança Ambiental, Social e Corporativa), principalmente em shipping, nações como Brasil, China, Rússia, Arábia Saudita, África do Sul e Emirados Árabes estão reticentes em adotar metas mais ousadas sem que sejam aprovadas juntamente com as mesmas claras políticas de transferência de tecnologia e suporte financeiro. A Organização Marítima Internacional (IMO, da sigla em inglês) prevê que metade das emissões de CO² do setor sejam cortadas até 2050.”

Fonte: Info Channel, 16/02/2022

Internacional

Empresas

Saipem da Itália repensará impulso verde após alerta de lucro, dizem fontes

“A italiana Saipem deve adotar uma abordagem mais cautelosa para novos negócios verdes depois que atrasos em um projeto de parque eólico ajudaram a empresa de energia a emitir um alerta de lucro, disseram duas fontes próximas ao assunto nesta quarta-feira. A Saipem, líder de mercado em exploração e construção submarina e fornecedora de serviços para a indústria de petróleo, tem procurado a energia eólica offshore como parte de uma mudança de foco para atender a um foco crescente do cliente em tecnologias verdes. Mas a transição é difícil, pois a energia renovável requer um conjunto diferente de habilidades para garantir o tipo de retorno que a Saipem obteve em seu negócio tradicional de combustíveis fósseis.”

Fonte: Reuters, 16/02/2022

Neste iniciará fábrica de combustível de aviação sustentável em Cingapura no primeiro trimestre de 2023

“A finlandesa Neste planeja produzir seu primeiro lote de combustível de aviação sustentável (SAF) em Cingapura até o final do primeiro trimestre do próximo ano, depois que a pandemia de COVID-19 atrasou seu projeto de expansão, um executivo sênior disse na quarta-feira. “Foi adiado devido à pandemia, pois já esperávamos estar em operação em 2022”, disse à Reuters o vice-presidente executivo de aviação renovável da Neste, Thorsten Lange. “Mas o plano revisado agora está totalmente no caminho certo.”

Fonte: Reuters, 16/02/2022

Sindicatos da Samsung Electronics ameaçam primeira greve

“Trabalhadores sindicalizados da Samsung Electronics ameaçaram o que seria uma greve sem precedentes na gigante da tecnologia se suas demandas por salários mais altos e melhores condições de trabalho não forem atendidas. Representantes sindicais realizaram um comício na quarta-feira perto da sede da Samsung no centro de Seul, depois que a arbitragem do governo fracassou no início desta semana. Eles estão pedindo que as diferenças salariais entre os funcionários sejam reduzidas, mais licenças remuneradas e melhores benefícios de saúde. “Há muitas opções, uma das quais é uma greve”, disse Kim Hang-yeol, chefe de um dos quatro sindicatos que representam os trabalhadores da Samsung Electronics.”

Fonte: Reuters, 16/02/2022

Indústria automobilística do Reino Unido exige mandato de carregador de EV, supervisão regulatória

“A indústria automobilística do Reino Unido pediu nesta quarta-feira ao governo do país que imponha metas para a implantação de infraestrutura de carregamento de veículos elétricos (VE) e crie um novo órgão regulador para supervisionar as condições do mercado e impor padrões mínimos. A Sociedade de Fabricantes e Comerciantes de Motores (SMMT) disse em comunicado que a indústria apresentou um plano de sete pontos para melhorar a infraestrutura de carregamento de veículos elétricos no país.”

Fonte: Reuters, 16/02/2022

Regulação

Bancos dos EUA pedem que reguladores sejam flexíveis nas regras de risco climático

“Os bancos norte-americanos fizeram nesta semana uma proposta regulatória para incorporar os riscos das mudanças climáticas em suas operações diárias, mas disseram que se opõem a gestão de risco prescritiva e critérios de empréstimo, divulgações de exposição e multas de capital. Os bancos rejeitaram a sugestão do governo do presidente Joe Biden de que deveriam ser obrigados a relatar publicamente ou aos reguladores as exposições ao risco climático. Eles observaram que muitos bancos já estão envolvidos em esforços voluntários de relatórios.”

Fonte: Reuters, 16/02/2022


Índices ESG e suas performances

(1) O Índice ISE (Índice de Sustentabilidade Empresarial da B3) tem como objetivo ser o indicador do desempenho médio das cotações dos ativos de empresas com reconhecido comprometimento com o desenvolvimento sustentável, práticas e alinhamento estratégico com a sustentabilidade empresarial.
(2) O Índice S&P/B3 Brasil ESG mede a performance de títulos que cumprem critérios de sustentabilidade e é ponderado pelas pontuações ESG da S&P DJI. Ele exclui ações com base na sua participação em certas atividades comerciais, no seu desempenho em comparação com o Pacto Global da ONU e também cias sem pontuação ESG da S&P DJI.
(3) O ICO2 tem como propósito ser um instrumento indutor das discussões sobre mudança do clima no Brasil. A adesão das companhias ao ICO2 demonstra o comprometimento com a transparência de suas emissões e antecipa a visão de como estão se preparando para uma economia de baixo carbono.
(4) O objetivo do IGCT é ser o indicador do desempenho médio das cotações dos ativos de emissão de empresas integrantes do IGC que atendam aos critérios adicionais descritos nesta metodologia.
(5) A série de índices FTSE4Good foi projetada para medir o desempenho de empresas que demonstram fortes práticas ambientais, sociais e de governança (ESG).
(6)
O Índice MSCI ACWI, que representa o desempenho de todo o conjunto de ações de grande e médio porte do mundo, em 23 mercados desenvolvidos e 26 emergentes.


Nossos últimos relatórios

  • ISE B3: Um raio-X da nova carteira do Índice de Sustentabilidade da B3 (link)
  • Radar ESG | Panvel (PNVL3): Prescrevendo a agenda ESG (link)
  • Carteira ESG XP: Uma alteração no portfólio para fevereiro (link)
  • Radar ESG | Omega Energia (MEGA3): Líder em energia renovável, surfando a onda da sustentabilidade (link)
  • Radar ESG | Desktop (DESK3): No início da jornada ESG (link)
  • Carteira ESG XP: Sem alterações em nosso portfólio para janeiro (link)
  • Radar ESG | AgroGalaxy (AGXY3): Plantando as sementes ESG (link)
  • Radar ESG | Petrobras (PETR4): E o campo ESG, como a Petrobras está explorando? (link)
  • Radar ESG | Oncoclínicas (ONCO3): Ainda na sala de espera (link)
  • Radar ESG | Aviação Brasil (EMBR3, AZUL4 e GOLL4): Voando pelos ares ESG (link)
  • Radar ESG | Alpargatas (ALPA4): Iniciando a caminhada pela agenda ESG (link)
  • Radar ESG | Kepler Weber (KEPL3): Um começo promissor (link)
  • Radar ESG | TIM (TIMS3): Chamando a agenda ESG (link)
  • ESG: O que moldará os investimentos sustentáveis em 2022? (link)
  • Carteira ESG XP: Sem alterações em nosso portfólio para dezembro (link)
  • Radar ESG | Burger King Brasil (BKBR): Espaço para avanço na agenda, mas os planos ambiciosos adiante animam (link)
  • COP26: Implicações do documento final (link)
  • Expo Dubai: Buscando soluções diante de recursos finitos (link)
  • Expo Dubai: Todos os olhos voltados para o futuro da mobilidade (link)
  • Expo Dubai: Tecnologia e sustentabilidade centralizam os destaques do evento nesta terça-feira (link)
  • Expo Dubai: Três principais destaques do evento nesta segunda-feira, dia do Brasil na feira (link)
  • COP26: Um encontro decisivo para conter o aquecimento global (link)
  • Seleção BDRs ESG​: 15 nomes para exposição internacional ao tema (link)
  • Radar ESG | Kora Saúde (KRSA3): Ainda há um caminho a ser percorrido (link)
  • Radar ESG | Empresas de Autopeças: Preparando a estrada ESG; Governança e segurança em primeiro lugar (link)
  • Radar ESG | Unifique (FIQE3) e Brisanet (BRIT3): O que as empresas de telecomunicações brasileiras têm feito? (link)
  • Radar ESG | Natura&Co. (NTCO3): Não é apenas maquiagem; ESG é uma realidade! (link)
  • Vale (VALE3): Feedback do Webinar ESG; Todos os olhos voltados para a redução de riscos (link)
  • Radar ESG | Totvs (TOTS3): A melhor posicionada no setor de tecnologia sob a cobertura da XP (link)
  • Assembleia Geral da ONU: Cenário climático alarmante centraliza as discussões (link)
  • Amazônia: Entendendo a importância da maior floresta tropical do mundo (link)
  • ESG no centro das discussões; Três principais aprendizados da Expert XP 2021 (link)
  • Radar ESG | Companhia Brasileira de Alumínio (CBAV3): Uma líder em alumínio verde, com forte posicionamento ESG (link)
  • Relatório do IPCC: Um chamado para todos, inclusive para o mercado, frente a um cenário alarmante do clima (link)
  • Radar ESG | WEG (WEGE3): Um player ESG bem equipado para se beneficiar das tendências adiante (link)
  • Radar ESG | Boa Safra (SOJA3): Agenda ESG em produção, semente por semente (link)
  • Água: Onde há escassez, há oportunidade (link)
  • Radar ESG | Positivo (POSI3): Um trabalho em andamento (link)
  • B3 anuncia nova metodologia para o ISE; Positivo (link)
  • Radar ESG | G2D (G2DI33): Abraçando os pilares S e E através do portfólio de investimentos de impacto (link)
  • Ambev (ABEV3): Feedback do evento ESG; Reforçamos nossa visão positiva (link)
  • Radar ESG | Setor de infraestrutura (CCRO3, ECOR3, RAIL3, HBSA3, STBP3): Preparando o asfalto (link)
  • Crédito de carbono: Capturando parte da solução; 5 nomes para exposição ao tema (link)
  • Radar ESG | Incorporadoras de Imóveis Residenciais Populares: Construindo os andares ESG (link)
  • Radar ESG | Arezzo & Co. (ARZZ3): Caminhando com seus próprios passos pela agenda ESG (link)
  • Trilogia ESG (Pt. I): Um mergulho no pilar E; Três nomes que são parte da solução (link)
  • Radar ESG | Blau (BLAU3) e Hypera (HYPE3): Em busca da fórmula ESG (link)
  • Bitcoin e ESG: Entenda os dois lados da moeda (link)
  • Radar ESG | Bemobi (BMOB3): Diversidade é o nome do jogo (link)
  • Radar ESG | Setor de Logística (SIMH3, JSLG3 e VAMO3): Preparando-se para a estrada ESG (link)
  • Radar ESG | Laboratórios: ESG ainda na triagem; Fleury se destacando em relação aos pares (link)
  • Cúpula de Líderes sobre o Clima: Tecnologia, economia e agenda verde centralizam as discussões no segundo dia do evento (link)
  • Cúpula de Líderes sobre o Clima: Cooperação global é uma das três principais mensagens do evento (link)
  • Radar ESG | Locadoras de automóveis: Rumo à agenda ESG; Localiza liderando a corrida (link)
  • Radar ESG | São Martinho (SMTO3): Quanto mais se semeia, maior é a colheita (link)
  • Radar ESG | Orizon (ORVR3): Quando ESG está escrito no DNA (link)
  • Sondagem XP/ESG com investidores institucionais (link)
  • O melhor dos dois mundos: Seleção de 10 BDRs para exposição internacional ao tema ESG (link)
  • Radar ESG | Enjoei (ENJU3): O usado é o novo “novo”? (link)
  • Radar ESG | CSN Mineração (CMIN3): Explorando os campos ESG (link)
  • Radar ESG | Jalles (JALL3): Plantando as sementes ESG (link)
  • Radar ESG | Incorporadoras de alta renda: ESG ainda em construção (link)
  • Radar ESG | Setor de saúde: O ESG ainda está na sala de espera? (link)
  • Radar ESG | Quão sustentáveis são as empresas de e-commerce? Uma análise ESG dessas gigantes (link)
  • Radar ESG | IMC (MEAL3): Por que a empresa ainda tem muito espaço para melhorar? (link)
  • Radar ESG | Aeris (AERI3): Uma das empresas melhor posicionada para surfar o vento ESG (link)
  • Radar ESG | 3R Petroleum: Construindo um caminho que incorpora metas ESG (link)
  • Radar ESG | Setor de supermercados: Vale a pena encher o carrinho? (link)
  • Radar ESG | JHSF (JHSF3): Espaço para melhorias (link)
  • Radar ESG | Quem é o melhor aluno da classe? Avaliando os líderes em ESG dentre as empresas de educação no Brasil (link)
  • Panorama do marco regulatório de investimentos ESG no Brasil (link)
  • CVM e B3 estudam intensificar critérios ESG para as companhias listadas (link)
  • Radar ESG | Setor de vestuário e joias: ESG ainda na confecção (link)
  • ESG: Tendências e preferências para 2021 (link)
  • Radar ESG | LOG Commercial Properties (LOGG3): Oportunidades em empreendimentos verdes (link)
  • Eleições americanas: Quais os efeitos para a agenda ESG nos EUA e no Brasil? (link)
  • Radar ESG | Farmácias: Raia Drogasil como a ação prescrita no setor para exposição a ESG (link)
  • Radar ESG | Shoppings: Entenda o que importa para eles quando o tema é ESG (link)
  • Radar ESG | Ambev (ABEV3): Um case que desce redondo (link)
  • Feedback do roadshow ESG: O que as gestoras no Brasil estão fazendo em relação ao tema? (link)
  • ESG de A a Z: Tudo o que você precisa saber sobre o tema (link)

Ainda não tem conta na XP? Clique aqui e abra a sua!

XP Expert

Avaliação

O quão foi útil este conteúdo pra você?


Newsletter
Newsletter

Gostaria de receber nossos conteúdos por e-mail?

Cadastre-se e receba grátis nossos relatórios e recomendações de investimentos

Telegram
Telegram XP

Acesse os conteúdos

Telegram XP

pelo Telegram da XP Investimentos

A XP Investimentos CCTVM S/A, inscrita sob o CNPJ: 02.332.886/0001-04, é uma instituição financeira autorizada a funcionar pelo Banco Central do Brasil.Toda comunicação através de rede mundial de computadores está sujeita a interrupções ou atrasos, podendo impedir ou prejudicar o envio de ordens ou a recepção de informações atualizadas. A XP Investimentos exime-se de responsabilidade por danos sofridos por seus clientes, por força de falha de serviços disponibilizados por terceiros. A XP Investimentos CCTVM S/A é instituição autorizada a funcionar pelo Banco Central do Brasil.


Este site usa cookies e dados pessoais de acordo com a nossa Política de Cookies (gerencie suas preferências de cookies) e a nossa Política de Privacidade.