XP Expert

Nova pesquisa da Anbima mostra que as gestoras se preocupam principalmente com o pilar G | Café com ESG, 14/01

Comece o dia bem informado com as principais notícias ao redor do Brasil e do mundo quando o tema é ESG!

Compartilhar:

  • Compartilhar no Facebook
  • Compartilhar no Twitter
  • Compartilhar no Whatsapp
  • Compartilhar no LinkedIn
  • Compartilhar via E-mail

Bom dia! Neste relatório diário publicado todas as manhãs pelo time ESG do Research da XP, buscamos trazer as últimas notícias para que você comece o dia bem informado e fique por dentro do que o Brasil e o mundo fala sobre um tema que tem ficado cada vez mais relevante: ESG – do termo em inglês Environmental, Social and Governance ou, em português, ASG – Ambiental, Social e Governança.

Quais tópicos abordamos ao longo do conteúdo? (i) Notícias no Brasil e no mundo acerca do tema ESG; (ii) Performance histórica dos principais índices ESG em diferentes países; (iii) Comparativo da performance do Ibovespa vs. ISE (Índice de Sustentabilidade Empresarial, da B3); e (iv) Lista com os últimos relatórios publicados pelo Research ESG da XP.
Por que essas informações são importantes? 
Porque elas indicam os temas dentro da agenda ESG que estão sendo cada vez mais monitoradas por parte dos investidores e das empresas, e podem impactar os preços das ações de diferentes companhias.


Esperamos que aproveite a leitura!

Principais tópicos do dia

• O mercado fechou o pregão desta quinta-feira de lado, com o Ibov e o ISE em leve queda de -0,1% e -0,3%, respectivamente.

• No Brasil, um estudo realizado pela Anbima com 209 gestoras mostra que essas instituições dão muita atenção à transparência e à ética das empresas em que investem, ambos fatores que ficam debaixo do guarda-chuva de governança corporativa no ESG, com 92% das gestoras respondentes citando estes fatores.

• No internacional, (i) uma autoridade monetária do Banco da Inglaterra disse que precificar as emissões de carbono pode estimular o investimento e alimentar uma melhoria estrutural na produtividade, que daria um choque positivo ao crescimento; e (ii) o conselho da Microsoft anunciou ontem que irá revisar a eficácia de suas políticas e práticas de assédio sexual e discriminação de gênero em resposta a uma proposta de acionistas aprovada em sua última reunião anual.


Brasil

Empresas

Governança corporativa é fator ESG mais observado por gestores, aponta Anbima

As gestoras de recursos dão muita atenção à transparência e à ética das empresas em que investem, ambos fatores que ficam debaixo do guarda-chuva de governança corporativa no ESG (sigla em inglês para práticas sociais, ambientais e de governança). A conclusão é de um estudo realizado pela Associação Brasileira das Entidades dos Mercados Financeiro e de Capitais (Anbima) com 209 gestoras. Tanto transparência quanto ética foram citadas por 92% dessas instituições. Logo depois entre as prioridades do campo de governança corporativa vêm políticas e relações de trabalho (79%), privacidade e segurança de dados (77%), independência do conselho (75%) e remuneração do conselho de administração (54%). “Por ser um tema discutido e tratado há mais tempo, a governança chama atenção. Aspectos específicos, por exemplo, remuneração e independência do conselho de administração, precisam evoluir”, afirma, em nota, Cacá Takahashi, vice-presidente da Anbima.

Fonte: Valor Investe, 13/01/2022

Maioria das empresas ainda não aplica ESG desde o seu início, diz consultor

Os princípios ambientais, sociais e de governanças (ESG, na sigla em inglês) ainda não estão sendo aplicados pela maioria das empresas desde o seu início, na visão do advogado e consultor empresarial Marcus Maida. A maioria delas, segundo ele, acha que a adoção destes critérios ainda custa caro e é muito complexa, além de distante de suas realidades. “O ESG é 100% econômico e significa dinheiro no bolso das empresas”, disse Maida, ao participar de painel na Rio Innovation Week nesta quinta-feira. Os princípios do meio ambiente, por exemplo, devem considerar que ele seja saudável para todo o entorno, o que também incide nas questões sociais.

Fonte: Valor Econômico, 13/01/2022

Corrida pelo alimento carbono zero

“Quem olha com atenção o rótulo de um alimento no corredor do supermercado pode estar buscando a data de validade, a composição nutricional ou até mesmo um selo que certifique o comprometimento do fabricante com a redução das emissões de gases de efeito estufa — se a pessoa realmente estiver interessada, as embalagens já trazem essa informação, pelo menos no caso das indústrias que entraram na corrida do carbono neutro. Gigantes do setor de alimentos como Danone e Nestlé vêm transformando toda a operação com esse objetivo. E há empresas menores que já nasceram com esse DNA, a exemplo da Guaraci Agropastoril, que criou o NoCarbon, primeiro leite orgânico e carbono neutro do Brasil.”

Fonte: IstoÉ Dinheiro, 14/01/2022

Opinião

Crédito de carbono é dinheiro

“O mundo precisa levar a sério o aquecimento global. Parece que está sendo obrigado a isso, pois catástrofes climáticas são mais frequentes e atingem todo o planeta. O remédio existe e se chama redução das emissões dos gases venenosos. Isso pode se converter em recurso financeiro para socorrer economias combalidas como a brasileira. Há pouco, uma reportagem de Luciana Dyniewicz e Renée Pereira mostrou que o empresário Ricardo Stoppe já comercializou cem milhões de reais em crédito de carbono e o negócio está bem promissor. Para isso, ele reservou inicialmente 150 mil hectares na Amazônia e agora já possui 500 mil hectares próprios, além de um milhão e meio de hectares de outros produtores. O mundo civilizado – que leva o aquecimento global a sério – precisará comprar créditos de carbono. Se o Brasil tivesse governo inteligente, estaria empenhado em aproveitar nossa reserva natural e em repor aquilo que a criminosa devastação destruiu nos últimos anos.”

Fonte: Estadão, 13/01/2022

Sustentabilidade, uma visão mais ampla de seu significado

“O conceito de sustentabilidade tem estado cada vez mais presente no nosso cotidiano. Você deve ter percebido nas rodas de conversa, e até mesmo em anúncios publicitários pelas ruas. A popularização do termo evidencia a importância que ele tem ganhado recentemente. Mas a palavra é utilizada em conceitos distintos há muito tempo, causando controvérsias em seu verdadeiro significado. Vamos explorar algumas interpretações e como o conceito evoluiu ao longo do tempo para compreendermos o seu real sentido. Uma das definições mais relevantes relacionadas ao tema surge em 1987 no relatório da comissão de Brundtland, que estabelece: “o desenvolvimento sustentável é o desenvolvimento que encontra as necessidades atuais sem comprometer a habilidade das futuras gerações de atender suas próprias necessidades”.”

Fonte: IstoÉ, 13/01/2022

Internacional

Empresas

Conselho da Microsoft revisará políticas de assédio sexual e discriminação

“A Microsoft revisará a eficácia de suas políticas e práticas de assédio sexual e discriminação de gênero em resposta a uma proposta de acionistas aprovada em sua última reunião anual, disse o conselho da empresa nesta quinta-feira. A revisão produzirá um relatório de transparência com os resultados de quaisquer investigações de assédio sexual nos últimos anos contra diretores e executivos seniores da empresa, incluindo alegações de que uma investigação do comitê do conselho a partir de 2019 envolveu Bill Gates, disse o conselho. Dados sobre o número de casos investigados e sua resolução também devem fazer parte da revisão, juntamente com as medidas que foram tomadas para responsabilizar funcionários, incluindo executivos, por assédio sexual ou discriminação de gênero.”

Fonte: Reuters, 13/01/2022

Reliance da Índia intensifica impulso verde com investimento de US$ 80 bilhões em Gujarat

“A Reliance Industries, da Índia, disse que investiria 5,95 trilhões de rúpias (US$ 80,49 bilhões) para estabelecer projetos de energia verde e reforçar seus braços de varejo e telecomunicações no estado de Gujarat, no oeste, com a meta de emissões líquidas de carbono zero até 2035. De propriedade do bilionário Mukesh Ambani , o conglomerado divulgou no ano passado planos para reduzir sua dependência de seus negócios de petróleo para produtos químicos e investiu em projetos de energia limpa para aprimorar suas credenciais verdes. A medida faz parte de uma mudança maior no setor de energia renovável, estimulada pela pressão de investidores que querem que as empresas façam mais para ajudar na luta contra as mudanças climáticas. A Reliance investirá 5 trilhões de rúpias em um período de 10 a 15 anos para montar uma usina de energia renovável de 100 gigawatts e já começou a explorar terrenos para o projeto, disse em um comunicado às bolsas de valores na quinta-feira.”

Fonte: Reuters, 13/01/2022

Vendedores a descoberto apostam na Beyond Meat

“A Beyond Meat tornou-se uma das empresas mais vendidas no mercado de ações dos EUA, à medida que os investidores se preocupam com as vendas mais fracas e o ceticismo cresce em relação ao boom da carne à base de vegetais. As posições vendidas nas ações da Beyond Meat aumentaram 40% desde o final de outubro, quando a empresa com sede na Califórnia emitiu um alerta de receita. Algumas semanas depois, o grupo reportou vendas abaixo do esperado no terceiro trimestre e reduziu a orientação de receita para o trimestre seguinte. Desde então, vendedores a descoberto – que ganham dinheiro com a queda do preço das ações – acumularam-se no estoque. As apostas de baixa representavam 42% das ações negociadas livremente da Beyond Meat em 10 de janeiro – a maior proporção no índice Russell 1000 das maiores empresas listadas nos EUA, de acordo com o provedor de dados especializado S3 Partners.”

Fonte: Financial Times, 13/01/2022

Política

Plano de transporte da UE deixa milhões de toneladas de CO2 sem regulamentação

“As propostas da Comissão Europeia para trazer o transporte marítimo para o mercado de carbono do bloco contêm exclusões para pequenas embarcações comerciais e militares que deixariam milhões de toneladas de emissões de CO2 não regulamentadas, mostrou um estudo de uma ONG na quinta-feira. Com cerca de 90% do comércio mundial transportado por via marítima, a navegação global é responsável por quase 3% das emissões mundiais de CO2. Até agora, a indústria evitou o sistema de taxas de poluição da UE. Sob as propostas anunciadas em julho de 2021, o transporte marítimo seria adicionado ao Sistema de Comércio de Emissões da União Europeia (ETS) a partir de 2023 em fases ao longo de um período de três anos, um movimento projetado para estimular cortes de emissões do setor.”

Fonte: Reuters, 13/01/2022

Regulação

Integrante do banco Central do Reino Unido diz que créditos de carbono podem ajudar crescimento global

“Uma autoridade monetária do Banco da Inglaterra disse que adotar um preço global para a poluição por combustíveis fósseis pode estimular o investimento e a produtividade que tirariam a economia global do torpor em que se encontra. Catherine Mann, membro do Comitê de Política Monetária do banco central do Reino Unido, disse que precificar as emissões de carbono em todos os lugares pode alimentar uma melhoria estrutural na produtividade, que daria um choque positivo ao crescimento. “Mudar a taxa do preço relativo do carbono é um divisor de águas para a criação de incentivos”, disse Mann durante evento online organizado pelo Banco Europeu de Investimento nesta quinta-feira.”

Fonte: O Globo, 13/01/2022


Índices ESG e suas performances

(1) O Índice ISE (Índice de Sustentabilidade Empresarial da B3) tem como objetivo ser o indicador do desempenho médio das cotações dos ativos de empresas com reconhecido comprometimento com o desenvolvimento sustentável, práticas e alinhamento estratégico com a sustentabilidade empresarial.
(2) O Índice S&P/B3 Brasil ESG mede a performance de títulos que cumprem critérios de sustentabilidade e é ponderado pelas pontuações ESG da S&P DJI. Ele exclui ações com base na sua participação em certas atividades comerciais, no seu desempenho em comparação com o Pacto Global da ONU e também cias sem pontuação ESG da S&P DJI.
(3) O ICO2 tem como propósito ser um instrumento indutor das discussões sobre mudança do clima no Brasil. A adesão das companhias ao ICO2 demonstra o comprometimento com a transparência de suas emissões e antecipa a visão de como estão se preparando para uma economia de baixo carbono.
(4) O objetivo do IGCT é ser o indicador do desempenho médio das cotações dos ativos de emissão de empresas integrantes do IGC que atendam aos critérios adicionais descritos nesta metodologia.
(5) A série de índices FTSE4Good foi projetada para medir o desempenho de empresas que demonstram fortes práticas ambientais, sociais e de governança (ESG).
(6)
O Índice MSCI ACWI, que representa o desempenho de todo o conjunto de ações de grande e médio porte do mundo, em 23 mercados desenvolvidos e 26 emergentes.


Nossos últimos relatórios

  • Carteira ESG XP: Sem alterações em nosso portfólio para janeiro (link)
  • Radar ESG | AgroGalaxy (AGXY3): Plantando as sementes ESG (link)
  • Radar ESG | Petrobras (PETR4): E o campo ESG, como a Petrobras está explorando? (link)
  • Radar ESG | Oncoclínicas (ONCO3): Ainda na sala de espera (link)
  • Radar ESG | Aviação Brasil (EMBR3, AZUL4 e GOLL4): Voando pelos ares ESG (link)
  • Radar ESG | Alpargatas (ALPA4): Iniciando a caminhada pela agenda ESG (link)
  • Radar ESG | Kepler Weber (KEPL3): Um começo promissor (link)
  • Radar ESG | TIM (TIMS3): Chamando a agenda ESG (link)
  • ESG: O que moldará os investimentos sustentáveis em 2022? (link)
  • Carteira ESG XP: Sem alterações em nosso portfólio para dezembro (link)
  • Radar ESG | Burger King Brasil (BKBR): Espaço para avanço na agenda, mas os planos ambiciosos adiante animam (link)
  • COP26: Implicações do documento final (link)
  • Expo Dubai: Buscando soluções diante de recursos finitos (link)
  • Expo Dubai: Todos os olhos voltados para o futuro da mobilidade (link)
  • Expo Dubai: Tecnologia e sustentabilidade centralizam os destaques do evento nesta terça-feira (link)
  • Expo Dubai: Três principais destaques do evento nesta segunda-feira, dia do Brasil na feira (link)
  • COP26: Um encontro decisivo para conter o aquecimento global (link)
  • Seleção BDRs ESG​: 15 nomes para exposição internacional ao tema (link)
  • Radar ESG | Kora Saúde (KRSA3): Ainda há um caminho a ser percorrido (link)
  • Radar ESG | Empresas de Autopeças: Preparando a estrada ESG; Governança e segurança em primeiro lugar (link)
  • Radar ESG | Unifique (FIQE3) e Brisanet (BRIT3): O que as empresas de telecomunicações brasileiras têm feito? (link)
  • Radar ESG | Natura&Co. (NTCO3): Não é apenas maquiagem; ESG é uma realidade! (link)
  • Vale (VALE3): Feedback do Webinar ESG; Todos os olhos voltados para a redução de riscos (link)
  • Radar ESG | Totvs (TOTS3): A melhor posicionada no setor de tecnologia sob a cobertura da XP (link)
  • Assembleia Geral da ONU: Cenário climático alarmante centraliza as discussões (link)
  • Amazônia: Entendendo a importância da maior floresta tropical do mundo (link)
  • ESG no centro das discussões; Três principais aprendizados da Expert XP 2021 (link)
  • Radar ESG | Companhia Brasileira de Alumínio (CBAV3): Uma líder em alumínio verde, com forte posicionamento ESG (link)
  • Relatório do IPCC: Um chamado para todos, inclusive para o mercado, frente a um cenário alarmante do clima (link)
  • Radar ESG | WEG (WEGE3): Um player ESG bem equipado para se beneficiar das tendências adiante (link)
  • Radar ESG | Boa Safra (SOJA3): Agenda ESG em produção, semente por semente (link)
  • Água: Onde há escassez, há oportunidade (link)
  • Radar ESG | Positivo (POSI3): Um trabalho em andamento (link)
  • B3 anuncia nova metodologia para o ISE; Positivo (link)
  • Radar ESG | G2D (G2DI33): Abraçando os pilares S e E através do portfólio de investimentos de impacto (link)
  • Ambev (ABEV3): Feedback do evento ESG; Reforçamos nossa visão positiva (link)
  • Radar ESG | Setor de infraestrutura (CCRO3, ECOR3, RAIL3, HBSA3, STBP3): Preparando o asfalto (link)
  • Crédito de carbono: Capturando parte da solução; 5 nomes para exposição ao tema (link)
  • Radar ESG | Incorporadoras de Imóveis Residenciais Populares: Construindo os andares ESG (link)
  • Radar ESG | Arezzo & Co. (ARZZ3): Caminhando com seus próprios passos pela agenda ESG (link)
  • Trilogia ESG (Pt. I): Um mergulho no pilar E; Três nomes que são parte da solução (link)
  • Radar ESG | Blau (BLAU3) e Hypera (HYPE3): Em busca da fórmula ESG (link)
  • Bitcoin e ESG: Entenda os dois lados da moeda (link)
  • Radar ESG | Bemobi (BMOB3): Diversidade é o nome do jogo (link)
  • Radar ESG | Setor de Logística (SIMH3, JSLG3 e VAMO3): Preparando-se para a estrada ESG (link)
  • Radar ESG | Laboratórios: ESG ainda na triagem; Fleury se destacando em relação aos pares (link)
  • Cúpula de Líderes sobre o Clima: Tecnologia, economia e agenda verde centralizam as discussões no segundo dia do evento (link)
  • Cúpula de Líderes sobre o Clima: Cooperação global é uma das três principais mensagens do evento (link)
  • Radar ESG | Locadoras de automóveis: Rumo à agenda ESG; Localiza liderando a corrida (link)
  • Radar ESG | São Martinho (SMTO3): Quanto mais se semeia, maior é a colheita (link)
  • Radar ESG | Orizon (ORVR3): Quando ESG está escrito no DNA (link)
  • Sondagem XP/ESG com investidores institucionais (link)
  • O melhor dos dois mundos: Seleção de 10 BDRs para exposição internacional ao tema ESG (link)
  • Radar ESG | Enjoei (ENJU3): O usado é o novo “novo”? (link)
  • Radar ESG | CSN Mineração (CMIN3): Explorando os campos ESG (link)
  • Radar ESG | Jalles (JALL3): Plantando as sementes ESG (link)
  • Radar ESG | Incorporadoras de alta renda: ESG ainda em construção (link)
  • Radar ESG | Setor de saúde: O ESG ainda está na sala de espera? (link)
  • Radar ESG | Quão sustentáveis são as empresas de e-commerce? Uma análise ESG dessas gigantes (link)
  • Radar ESG | IMC (MEAL3): Por que a empresa ainda tem muito espaço para melhorar? (link)
  • Radar ESG | Aeris (AERI3): Uma das empresas melhor posicionada para surfar o vento ESG (link)
  • Radar ESG | 3R Petroleum: Construindo um caminho que incorpora metas ESG (link)
  • Radar ESG | Setor de supermercados: Vale a pena encher o carrinho? (link)
  • Radar ESG | JHSF (JHSF3): Espaço para melhorias (link)
  • Radar ESG | Quem é o melhor aluno da classe? Avaliando os líderes em ESG dentre as empresas de educação no Brasil (link)
  • Panorama do marco regulatório de investimentos ESG no Brasil (link)
  • CVM e B3 estudam intensificar critérios ESG para as companhias listadas (link)
  • Radar ESG | Setor de vestuário e joias: ESG ainda na confecção (link)
  • ESG: Tendências e preferências para 2021 (link)
  • Radar ESG | LOG Commercial Properties (LOGG3): Oportunidades em empreendimentos verdes (link)
  • Eleições americanas: Quais os efeitos para a agenda ESG nos EUA e no Brasil? (link)
  • Radar ESG | Farmácias: Raia Drogasil como a ação prescrita no setor para exposição a ESG (link)
  • Radar ESG | Shoppings: Entenda o que importa para eles quando o tema é ESG (link)
  • Radar ESG | Ambev (ABEV3): Um case que desce redondo (link)
  • Feedback do roadshow ESG: O que as gestoras no Brasil estão fazendo em relação ao tema? (link)
  • ESG de A a Z: Tudo o que você precisa saber sobre o tema (link)

Ainda não tem conta na XP? Clique aqui e abra a sua!

XP Expert

Avaliação

O quão foi útil este conteúdo pra você?


Newsletter
Newsletter

Gostaria de receber nossos conteúdos por e-mail?

Cadastre-se e receba grátis nossos relatórios e recomendações de investimentos

Telegram
Telegram XP

Acesse os conteúdos

Telegram XP

pelo Telegram da XP Investimentos

A XP Investimentos CCTVM S/A, inscrita sob o CNPJ: 02.332.886/0001-04, é uma instituição financeira autorizada a funcionar pelo Banco Central do Brasil.Toda comunicação através de rede mundial de computadores está sujeita a interrupções ou atrasos, podendo impedir ou prejudicar o envio de ordens ou a recepção de informações atualizadas. A XP Investimentos exime-se de responsabilidade por danos sofridos por seus clientes, por força de falha de serviços disponibilizados por terceiros. A XP Investimentos CCTVM S/A é instituição autorizada a funcionar pelo Banco Central do Brasil.


Este site usa cookies e dados pessoais de acordo com a nossa Política de Cookies (gerencie suas preferências de cookies) e a nossa Política de Privacidade.