XP Expert

Demanda pelas emissões com critérios sustentáveis de empresas brasileiras surpreende | Café com ESG, 10/01

Comece o dia bem informado com as principais notícias ao redor do Brasil e do mundo quando o tema é ESG!

Compartilhar:

  • Compartilhar no Facebook
  • Compartilhar no Twitter
  • Compartilhar no Whatsapp
  • Compartilhar no LinkedIn
  • Compartilhar via E-mail

Bom dia! Neste relatório diário publicado todas as manhãs pelo time ESG do Research da XP, buscamos trazer as últimas notícias para que você comece o dia bem informado e fique por dentro do que o Brasil e o mundo fala sobre um tema que tem ficado cada vez mais relevante: ESG – do termo em inglês Environmental, Social and Governance ou, em português, ASG – Ambiental, Social e Governança.

Quais tópicos abordamos ao longo do conteúdo? (i) Notícias no Brasil e no mundo acerca do tema ESG; (ii) Performance histórica dos principais índices ESG em diferentes países; (iii) Comparativo da performance do Ibovespa vs. ISE (Índice de Sustentabilidade Empresarial, da B3); e (iv) Lista com os últimos relatórios publicados pelo Research ESG da XP.
Por que essas informações são importantes? 
Porque elas indicam os temas dentro da agenda ESG que estão sendo cada vez mais monitoradas por parte dos investidores e das empresas, e podem impactar os preços das ações de diferentes companhias.

Esperamos que aproveite a leitura!

Principais tópicos do dia

• O Ibov encerrou em campo positivo na sexta-feira, em alta de +1,1%, enquanto o ISE em leve queda de -0,4%. Na semana, o Ibov fechou recuando -2,0%, enquanto o ISE -6,2%.

• No Brasil, (i) as emissões com critérios sustentáveis de empresas brasileiras fizeram sucesso no exterior na primeira semana de 2022 – o Banco do Brasil emitiu US$500mn lá fora em papéis com critérios sociais e a demanda chegou a superar a oferta em 3x, e a Globo Comunicação, dona da TV Globo, teve a procura pelos bônus, em que o grupo se comprometeu a reduzir a emissão de gases do efeito estufa, atingindo US$1,1bn; e (ii) a Orizon Valorização de Resíduos fechou contratos de compra e venda para todo o volume de créditos de carbono gerados no ano de 2021, com valor base estimado em R$44mn.

• No internacional, um fundo público-privado apoiado por Bill Gates está se preparando para investir em projetos de tecnologia limpa no valor de até US$15bn nos EUA, UE e Reino Unido, com o objetivo de subsidiar tecnologias em escala para ajudar os países a atingirem emissões líquidas zero.


Brasil

Empresas

Emissão com critério ESG por brasileiras supera mercado hostil e faz sucesso no exterior

“As emissões com critérios sustentáveis de empresas brasileiras fizeram sucesso no exterior na primeira semana de 2022, mesmo com o susto no mercado causado pela postura mais dura do Federal Reserve (Fed, o banco central americano) sobre a elevação da taxa de juros nos Estados Unidos. O Banco do Brasil emitiu US$ 500 milhões lá fora em papéis com critérios sociais e a demanda chegou a superar a oferta em três vezes. Já na Globo Comunicação, dona da TV Globo, a procura pelos bônus, em que o grupo se comprometeu a reduzir a emissão de gases do efeito estufa, bateu em US$ 1,1 bilhão. E com o sucesso dessas ofertas, a fila de companhias brasileiras para captar recursos lá fora está aumentando. Nomes como Bradesco, JBS, Açu Petróleo e 3R Petroleum devem lançar papéis ainda este mês.”

Fonte: Estadão, 09/01/2022

Orizon fecha contratos de R$ 44 milhões de créditos de carbono gerados em 2021

“A Orizon Valorização de Resíduos fechou contratos de compra e venda para todo o volume de créditos de carbono gerados no ano de 2021, com valor base estimado em R$ 44 milhões, segundo comunicado. Os contratos tem potencial remuneração adicional, sujeito a determinadas condicionantes, no valor de até R$ 16 milhões. Os contratos foram assinados por controladas indiretas da Orizon, a Central de Tratamento de Resíduos Nova Iguaçu, a Central de Tratamento de Resíduos Alcântara, a Ecopesa Ambiental e Foxx URE-JP Ambiental.”

Fonte: Valor Econômico, 07/01/2022

Clique aqui para acessar o nosso relatório | “Radar ESG | Orizon (ORVR3): Quando ESG está escrito no DNA

A Orizon é uma das empresas que faz parte da nossa carteira recomendada ESG. Clique aqui para assinar o Expert Pass e ter acesso ao portfólio completo | “Carteira ESG XP: Sem alterações em nosso portfólio para janeiro

Omega fecha acordo com Cremer para energia renovável

“A Omega Energia renovou um acordo por mais dez anos para fornecimento de energia renovável para as operações da fabricante de produtos de saúde Cremer. Os valores da operação não foram divulgados pelas companhias. A parceria entre as empresas começou em 2014 e o novo contrato fechado neste ano estabelece que até 2033 as operações da Cremer devem deixar de emitir 60 mil toneladas de carbono. Esta extensão do negócio prevê uma ampliação de 30% no montante de energia em relação ao contrato anterior, por conta de algumas fusões e aquisições feitas pelo grupo Viveo, dona da Cremer. O montante de energia no contrato agora é de 7,5 megawatt-hora médio (MWhmed).”

Fonte: Valor Econômico, 10/01/2022

Entenda o que o churrasco no Bradesco revela sobre as publicidades ESG

“Um vídeo sugerindo a redução no consumo de carne deveria ajudar o Bradesco a divulgar seu aplicativo que calcula pegadas de carbono, mas acabou com um pedido de retratação e pelo menos cinco churrascos organizados por pecuaristas em frente às agências do banco. O episódio começou há cerca de duas semanas, com um vídeo que circulou nas redes sociais. Nele, três influenciadoras dão dicas de como ter hábitos mais sustentáveis e recomendam a adesão ao movimento conhecido como “Segunda sem Carne”. “A criação de gado contribui para a emissão dos gases de efeito estufa, então, que tal se a gente reduzir o nosso consumo de carne e escolher um prato vegetariano na segunda-feira?”, diz uma das influenciadoras. No final do vídeo, elas divulgam o aplicativo do Bradesco.”

Fonte: Folha de São Paulo, 07/01/2022

Opinião

Bancos, os novos vilões do carbono

“Enquanto as empresas se preparavam em 2021 para a COP26 (sigla para a Conferência das Nações Unidas sobre Mudanças Climáticas), em Glasgow, um dos maiores bancos da Europa divulgou seus planos atualizados sobre como pretendia fazer sua parte no combate às mudanças climáticas. O grupo suíço UBS informou que havia se tornado membro fundador da nova Aliança Bancária Carbono Zero (NZBA, na sigla em inglês), um clube congregado pela Organização das Nações Unidas (ONU) e formado principalmente por bancos ocidentais comprometidos a reduzir as emissões de carbono em seus portfólios de empréstimos. “Publicaremos um plano abrangente de ações climáticas posteriormente neste ano, definindo metas baseadas na ciência, incluindo marcos intermediários”, destacou o UBS. Era o mês de abril. O fim do ano chegou e não houve nenhum novo plano de ação. O banco informa que agora a meta é apresentá-lo em março.”

Fonte: Valor Econômico, 10/01/2022

Internacional

Empresas

Fundo apoiado por Bill Gates pretende investir US$ 15 bilhões em tecnologia limpa

“Um fundo público-privado apoiado por Bill Gates está se preparando para investir em projetos de tecnologia limpa no valor de até US$ 15 bilhões nos EUA, UE e Reino Unido, com o objetivo de subsidiar tecnologias em escala para ajudar os países a atingirem emissões líquidas zero. A Breakthrough Energy Catalyst, que levantou US$ 1,5 bilhão em capital privado de filantrópicas e empresas, investirá em quatro áreas principais: captura direta de ar, hidrogênio verde, combustível de aviação e tecnologias de armazenamento de energia. O diretor-gerente do BEC, Jonah Goldman, disse ao Financial Times que o fundo mobilizaria até US$ 15 bilhões, ou dez vezes o investimento inicial, usando estruturas financeiras inovadoras e acordos de parceria.”

Fonte: Financial Times, 10/01/2022

A energia do hidrogênio está ganhando força, mas os críticos dizem que não é eficiente nem verde o suficiente

“O hidrogênio é o elemento mais simples e a substância mais abundante do universo. Quando o hidrogênio queima, ele gera energia na forma de calor, e o único subproduto é a água. Isso significa que a energia criada a partir do hidrogênio não gera dióxido de carbono que aquece a atmosfera, tornando-o uma das muitas fontes potenciais de energia que poderiam ajudar a reduzir as emissões de carbono e o aquecimento global. Mas criar hidrogênio e transformá-lo em um formato útil requer energia – e essa energia não é necessariamente renovável. Esse processo também é ineficiente e caro se comparado a outras formas de energia, renováveis ou não. Muitos críticos dizem que a indústria do hidrogênio é uma forma dos gigantes do petróleo e do gás impedirem a adoção de fontes puras de energia renovável, como a solar e a eólica, dando-lhes uma cobertura “verde” e, ao mesmo tempo, mantendo a demanda por seus produtos.”

Fonte: CNBC, 06/01/2022

GM reconhece autoridade da Califórnia para definir regras de emissões de veículos

“A General Motors Co disse no domingo que concordou em reconhecer a autoridade da Califórnia para definir os padrões de emissão de veículos sob a Lei do Ar Limpo. A mudança tornará a montadora de Detroit elegível para compras de frotas do governo pelo estado da Califórnia, disse a GM. A montadora se comprometeu a reconhecer a autoridade da Califórnia em uma carta ao governador da Califórnia, Gavin Newsom. A GM disse na carta que está “comprometida em cumprir as regulamentações da Califórnia”. Logo depois que Joe Biden foi eleito presidente, a GM em novembro de 2020 se reverteu e não apoiou mais um esforço do então governo Trump para impedir a Califórnia de estabelecer suas próprias regras de emissões.”

Fonte: Reuters, 09/01/2022

Política

Ex-funcionário do FMI aconselha a China a adicionar carbono às metas monetárias

“A China deve levar em conta as metas de neutralidade de carbono ao definir as políticas monetárias, disse a mídia local Securities Times, citando Zhu Min, ex-vice-diretor-gerente do Fundo Monetário Internacional, em um fórum no domingo. O banco central chinês deve ser inovador e deve evoluir para adicionar a neutralidade de carbono como o terceiro pilar de seus objetivos de política monetária, além de estabilizar preços e apoiar o crescimento econômico, disse Zhu, que agora é presidente do Instituto Nacional de Pesquisa Financeira do Universidade Tsinghua, no Novo Fórum Financeiro de Pequim.”

Fonte: Bloomberg, 09/01/2022

Opinião

Divisões entre as grandes empresas de petróleo parecem apenas uma questão de tempo

“Há virtude, como todo jornalista sabe, em fazer previsões ou proclamações que têm uma boa chance de se tornarem realidade em algum ponto, mesmo que não sejam agora. Veja os apelos, pelo menos na Europa, para que grandes empresas de petróleo e gás se desintegrem. O mais recente a adicionar sua voz à cacofonia da divisão é Lord Browne de Madingley, também conhecido como John Browne, o ex-presidente-executivo da BP. A indústria, escreveu ele na revista Time, precisa ser “mais ousada ao separar a atividade de baixo e zero carbono de seu negócio de combustíveis fósseis”. Ele se junta ao ativista Third Point que no ano passado mirou na Royal Dutch Shell ao argumentar que as grandes empresas de petróleo e gás estão tentando alcançar o impossível, investindo em negócios renováveis de alto crescimento que devem ser bem valorizados no mercado enquanto mantêm os hidrocarbonetos não amados funcionando acabou, declinando, mas produzindo dinheiro.”

Fonte: Financial Times, 09/01/2022


Índices ESG e suas performances

Última atualização: 30/12/21

(1) O Índice ISE (Índice de Sustentabilidade Empresarial da B3) tem como objetivo ser o indicador do desempenho médio das cotações dos ativos de empresas com reconhecido comprometimento com o desenvolvimento sustentável, práticas e alinhamento estratégico com a sustentabilidade empresarial.
(2) O Índice S&P/B3 Brasil ESG mede a performance de títulos que cumprem critérios de sustentabilidade e é ponderado pelas pontuações ESG da S&P DJI. Ele exclui ações com base na sua participação em certas atividades comerciais, no seu desempenho em comparação com o Pacto Global da ONU e também cias sem pontuação ESG da S&P DJI.
(3) O ICO2 tem como propósito ser um instrumento indutor das discussões sobre mudança do clima no Brasil. A adesão das companhias ao ICO2 demonstra o comprometimento com a transparência de suas emissões e antecipa a visão de como estão se preparando para uma economia de baixo carbono.
(4) O objetivo do IGCT é ser o indicador do desempenho médio das cotações dos ativos de emissão de empresas integrantes do IGC que atendam aos critérios adicionais descritos nesta metodologia.
(5) A série de índices FTSE4Good foi projetada para medir o desempenho de empresas que demonstram fortes práticas ambientais, sociais e de governança (ESG).
(6)
O Índice MSCI ACWI, que representa o desempenho de todo o conjunto de ações de grande e médio porte do mundo, em 23 mercados desenvolvidos e 26 emergentes.


Nossos últimos relatórios

  • Carteira ESG XP: Sem alterações em nosso portfólio para janeiro (link)
  • Radar ESG | AgroGalaxy (AGXY3): Plantando as sementes ESG (link)
  • Radar ESG | Petrobras (PETR4): E o campo ESG, como a Petrobras está explorando? (link)
  • Radar ESG | Oncoclínicas (ONCO3): Ainda na sala de espera (link)
  • Radar ESG | Aviação Brasil (EMBR3, AZUL4 e GOLL4): Voando pelos ares ESG (link)
  • Radar ESG | Alpargatas (ALPA4): Iniciando a caminhada pela agenda ESG (link)
  • Radar ESG | Kepler Weber (KEPL3): Um começo promissor (link)
  • Radar ESG | TIM (TIMS3): Chamando a agenda ESG (link)
  • ESG: O que moldará os investimentos sustentáveis em 2022? (link)
  • Carteira ESG XP: Sem alterações em nosso portfólio para dezembro (link)
  • Radar ESG | Burger King Brasil (BKBR): Espaço para avanço na agenda, mas os planos ambiciosos adiante animam (link)
  • COP26: Implicações do documento final (link)
  • Expo Dubai: Buscando soluções diante de recursos finitos (link)
  • Expo Dubai: Todos os olhos voltados para o futuro da mobilidade (link)
  • Expo Dubai: Tecnologia e sustentabilidade centralizam os destaques do evento nesta terça-feira (link)
  • Expo Dubai: Três principais destaques do evento nesta segunda-feira, dia do Brasil na feira (link)
  • COP26: Um encontro decisivo para conter o aquecimento global (link)
  • Seleção BDRs ESG​: 15 nomes para exposição internacional ao tema (link)
  • Radar ESG | Kora Saúde (KRSA3): Ainda há um caminho a ser percorrido (link)
  • Radar ESG | Empresas de Autopeças: Preparando a estrada ESG; Governança e segurança em primeiro lugar (link)
  • Radar ESG | Unifique (FIQE3) e Brisanet (BRIT3): O que as empresas de telecomunicações brasileiras têm feito? (link)
  • Radar ESG | Natura&Co. (NTCO3): Não é apenas maquiagem; ESG é uma realidade! (link)
  • Vale (VALE3): Feedback do Webinar ESG; Todos os olhos voltados para a redução de riscos (link)
  • Radar ESG | Totvs (TOTS3): A melhor posicionada no setor de tecnologia sob a cobertura da XP (link)
  • Assembleia Geral da ONU: Cenário climático alarmante centraliza as discussões (link)
  • Amazônia: Entendendo a importância da maior floresta tropical do mundo (link)
  • ESG no centro das discussões; Três principais aprendizados da Expert XP 2021 (link)
  • Radar ESG | Companhia Brasileira de Alumínio (CBAV3): Uma líder em alumínio verde, com forte posicionamento ESG (link)
  • Relatório do IPCC: Um chamado para todos, inclusive para o mercado, frente a um cenário alarmante do clima (link)
  • Radar ESG | WEG (WEGE3): Um player ESG bem equipado para se beneficiar das tendências adiante (link)
  • Radar ESG | Boa Safra (SOJA3): Agenda ESG em produção, semente por semente (link)
  • Água: Onde há escassez, há oportunidade (link)
  • Radar ESG | Positivo (POSI3): Um trabalho em andamento (link)
  • B3 anuncia nova metodologia para o ISE; Positivo (link)
  • Radar ESG | G2D (G2DI33): Abraçando os pilares S e E através do portfólio de investimentos de impacto (link)
  • Ambev (ABEV3): Feedback do evento ESG; Reforçamos nossa visão positiva (link)
  • Radar ESG | Setor de infraestrutura (CCRO3, ECOR3, RAIL3, HBSA3, STBP3): Preparando o asfalto (link)
  • Crédito de carbono: Capturando parte da solução; 5 nomes para exposição ao tema (link)
  • Radar ESG | Incorporadoras de Imóveis Residenciais Populares: Construindo os andares ESG (link)
  • Radar ESG | Arezzo & Co. (ARZZ3): Caminhando com seus próprios passos pela agenda ESG (link)
  • Trilogia ESG (Pt. I): Um mergulho no pilar E; Três nomes que são parte da solução (link)
  • Radar ESG | Blau (BLAU3) e Hypera (HYPE3): Em busca da fórmula ESG (link)
  • Bitcoin e ESG: Entenda os dois lados da moeda (link)
  • Radar ESG | Bemobi (BMOB3): Diversidade é o nome do jogo (link)
  • Radar ESG | Setor de Logística (SIMH3, JSLG3 e VAMO3): Preparando-se para a estrada ESG (link)
  • Radar ESG | Laboratórios: ESG ainda na triagem; Fleury se destacando em relação aos pares (link)
  • Cúpula de Líderes sobre o Clima: Tecnologia, economia e agenda verde centralizam as discussões no segundo dia do evento (link)
  • Cúpula de Líderes sobre o Clima: Cooperação global é uma das três principais mensagens do evento (link)
  • Radar ESG | Locadoras de automóveis: Rumo à agenda ESG; Localiza liderando a corrida (link)
  • Radar ESG | São Martinho (SMTO3): Quanto mais se semeia, maior é a colheita (link)
  • Radar ESG | Orizon (ORVR3): Quando ESG está escrito no DNA (link)
  • Sondagem XP/ESG com investidores institucionais (link)
  • O melhor dos dois mundos: Seleção de 10 BDRs para exposição internacional ao tema ESG (link)
  • Radar ESG | Enjoei (ENJU3): O usado é o novo “novo”? (link)
  • Radar ESG | CSN Mineração (CMIN3): Explorando os campos ESG (link)
  • Radar ESG | Jalles (JALL3): Plantando as sementes ESG (link)
  • Radar ESG | Incorporadoras de alta renda: ESG ainda em construção (link)
  • Radar ESG | Setor de saúde: O ESG ainda está na sala de espera? (link)
  • Radar ESG | Quão sustentáveis são as empresas de e-commerce? Uma análise ESG dessas gigantes (link)
  • Radar ESG | IMC (MEAL3): Por que a empresa ainda tem muito espaço para melhorar? (link)
  • Radar ESG | Aeris (AERI3): Uma das empresas melhor posicionada para surfar o vento ESG (link)
  • Radar ESG | 3R Petroleum: Construindo um caminho que incorpora metas ESG (link)
  • Radar ESG | Setor de supermercados: Vale a pena encher o carrinho? (link)
  • Radar ESG | JHSF (JHSF3): Espaço para melhorias (link)
  • Radar ESG | Quem é o melhor aluno da classe? Avaliando os líderes em ESG dentre as empresas de educação no Brasil (link)
  • Panorama do marco regulatório de investimentos ESG no Brasil (link)
  • CVM e B3 estudam intensificar critérios ESG para as companhias listadas (link)
  • Radar ESG | Setor de vestuário e joias: ESG ainda na confecção (link)
  • ESG: Tendências e preferências para 2021 (link)
  • Radar ESG | LOG Commercial Properties (LOGG3): Oportunidades em empreendimentos verdes (link)
  • Eleições americanas: Quais os efeitos para a agenda ESG nos EUA e no Brasil? (link)
  • Radar ESG | Farmácias: Raia Drogasil como a ação prescrita no setor para exposição a ESG (link)
  • Radar ESG | Shoppings: Entenda o que importa para eles quando o tema é ESG (link)
  • Radar ESG | Ambev (ABEV3): Um case que desce redondo (link)
  • Feedback do roadshow ESG: O que as gestoras no Brasil estão fazendo em relação ao tema? (link)
  • ESG de A a Z: Tudo o que você precisa saber sobre o tema (link)

Ainda não tem conta na XP? Clique aqui e abra a sua!

XP Expert

Avaliação

O quão foi útil este conteúdo pra você?


Newsletter
Newsletter

Gostaria de receber nossos conteúdos por e-mail?

Cadastre-se e receba grátis nossos relatórios e recomendações de investimentos

Telegram
Telegram XP

Acesse os conteúdos

Telegram XP

pelo Telegram da XP Investimentos

A XP Investimentos CCTVM S/A, inscrita sob o CNPJ: 02.332.886/0001-04, é uma instituição financeira autorizada a funcionar pelo Banco Central do Brasil.Toda comunicação através de rede mundial de computadores está sujeita a interrupções ou atrasos, podendo impedir ou prejudicar o envio de ordens ou a recepção de informações atualizadas. A XP Investimentos exime-se de responsabilidade por danos sofridos por seus clientes, por força de falha de serviços disponibilizados por terceiros. A XP Investimentos CCTVM S/A é instituição autorizada a funcionar pelo Banco Central do Brasil.


Este site usa cookies e dados pessoais de acordo com a nossa Política de Cookies (gerencie suas preferências de cookies) e a nossa Política de Privacidade.