XP Expert

Bancos estrangeiros definem metas para reduzir financiamento a combustíveis fósseis | Café com ESG, 14/03

Comece o dia bem informado com as principais notícias ao redor do Brasil e do mundo quando o tema é ESG!

Compartilhar:

  • Compartilhar no Facebook
  • Compartilhar no Twitter
  • Compartilhar no Whatsapp
  • Compartilhar no LinkedIn
  • Compartilhar via E-mail

Bom dia! Neste relatório diário publicado todas as manhãs pelo time ESG do Research da XP, buscamos trazer as últimas notícias para que você comece o dia bem informado e fique por dentro do que o Brasil e o mundo fala sobre um tema que tem ficado cada vez mais relevante: ESG – do termo em inglês Environmental, Social and Governance ou, em português, ASG – Ambiental, Social e Governança.

Quais tópicos abordamos ao longo do conteúdo? (i) Notícias no Brasil e no mundo acerca do tema ESG; (ii) Performance histórica dos principais índices ESG em diferentes países; (iii) Comparativo da performance do Ibovespa vs. ISE (Índice de Sustentabilidade Empresarial, da B3); e (iv) Lista com os últimos relatórios publicados pelo Research ESG da XP.
Por que essas informações são importantes? 
Porque elas indicam os temas dentro da agenda ESG que estão sendo cada vez mais monitoradas por parte dos investidores e das empresas, e podem impactar os preços das ações de diferentes companhias.

Esperamos que aproveite a leitura!

Principais tópicos do dia

• Na sexta-feira, o mercado fechou em território negativo, com o Ibov e o ISE em queda de -1,7%. Na semana, o Ibov encerrou recuando -2,4%, enquanto o ISE -1,6%.

• No Brasil, o Ministério de Minas e Energia abriu consulta pública para inserir na regulamentação do programa federal RenovaBio a previsão de negociações de contratos futuros de Créditos de Descarbonização (CBios), tendo como prazo para o envio de sugestões até 30 dias.

• No internacional, bancos estrangeiros evoluem em metas ESG, com destaque para (i) o UBS, que afirmou na sexta-feira que pretende cortar seu financiamento de emissões de combustíveis fósseis em mais de dois terços até 2030; e (ii) o Credit Suisse, que na semana passada estabeleceu novas metas para reduzir quase pela metade sua exposição ao financiamento de emissões de petróleo, gás e carvão entre 2020 e 2030.

Gostaria de receber os relatórios ESG por e-mailClique aqui.
Gostou do conteúdo, tem alguma dúvida ou quer nos enviar uma sugestão? Basta deixar um comentário no final do post!


Brasil

Empresas

Aumenta emissão de dívida atrelada a ESG

“Na esteira de um movimento global, as emissões de título de dívidas com metas sustentáveis têm crescido no Brasil. Quem quiser se sair melhor, garantir um maior acesso a capital e até taxas de juros menores, precisa, contudo, se preocupar especialmente com uma estratégia de descarbonização dos negócios robusta. As vantagens e contras de se emitir dívidas corporativas atreladas a metas ESG (sigla em inglês para questões ambientais, sociais e de governança corporativa) foi o tema da Live do Valor realizada na sexta-feira, dia 11. “No contexto da nova economia, que é de baixo carbono, não há por que empresas com uma política robusta de sustentabilidade deixaram de utilizar instrumentos financeiros que premiem essa transição sustentável. Parece uma escolha fácil”, diz Caroline Prolo, especialista em Direito Ambiental do Stocche Forbes Advogados e colunista do Valor Investe, que participou da “Live do Valor ”. Ao lado de Bruno Aranha, diretor de Crédito Produtivo e Socioambiental do BNDES (Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social) e Bruno Youssif, sócio-fundador e diretor de operações da consultoria Resultante ESG.”

Fonte: Valor Econômico, 14/03/2022

Valgroup cresce em reciclagem de plásticos com aquisição da Deink

“A Valgroup, maior produtora de embalagens plásticas da América Latina, está elevando a capacidade de reciclagem no país, rumo à meta de reciclar o equivalente a 100% do que produz até 2040. Com a aquisição de uma fatia relevante na Deink Brasil, a multinacional de origem brasileira também incorpora uma tecnologia inovadora, que adiciona valor à reciclagem de plásticos impressos e pode transformar esse mercado. A Deink opera em Itupeva (SP) a primeira unidade do mundo em escala comercial com tecnologia de “destintamento” do plástico, que possibilita a remoção da tinta usada na impressão de embalagens. Dessa forma, o plástico reprocessado oferece características similares às da resina virgem, elevando seu valor de mercado.”

Fonte: Valor Econômico, 14/03/2022

Regulação

Ministério de Minas e Energia faz consulta sobre contratos futuros de CBios

“O Ministério de Minas e Energia (MME) abriu consulta pública para inserir na regulamentação do programa federal RenovaBio a previsão de negociações de contratos futuros de Créditos de Descarbonização (CBios). O prazo para o envio de sugestões será de 30 dias. Cada CBio equivale a 1 tonelada de carbono que deixa de ser emitida a partir da substituição de combustíveis fósseis por biocombustíveis. As distribuidoras de combustíveis têm metas anuais de compra de CBios para cumprir. Em 2022, o setor terá que comprar 36 milhões de CBios para comprovar a redução de emissões de 36 milhões de toneladas de gás carbônico equivalente. Segundo a Pasta, com a possibilidade de negociações de contratos futuros desses títulos, o objetivo é proteger os produtores de biocombustíveis e distribuidores de “oscilações bruscas nos preços do ativo”.”

Fonte: Valor Econômico, 11/03/2022

Clique aqui para acessar o relatório | “Crédito de carbono: Capturando parte da solução; 5 nomes para exposição ao tema

Internacional

Empresas

Qual a importância da agricultura regenerativa para a formação do mercado de carbono

“[…] Uma avaliação na agricultura global é necessária para girar em direção a alimentos produzidos de forma sustentável para alimentar nossa crescente população. Os conceitos existentes de gestão da terra como “orgânico” ou “biodinâmico” e seus processos de certificação são insuficientes para transformar completamente o agroecossistema, criando um pequeno grupo de elite de qualidade e produção sustentável de alimentos. Inovações tecnológicas que apresentem resultados claros e possam mensurar práticas sustentáveis ​​podem ser uma nova forma de facilitar essa mudança. A agricultura regenerativa tem uma longa história anterior à revolução verde e pode ser aplicada a todos os sistemas agrícolas.”

Fonte: Forbes, 14/03/2022

UBS se une a credores definindo metas de redução de emissões de combustíveis fósseis

“O UBS pretende cortar seu financiamento de emissões de combustíveis fósseis em mais de dois terços até 2030, disse o maior banco da Suíça nesta sexta-feira, juntando-se aos credores que estabelecem metas pela primeira vez este ano. Mais de 100 bancos se comprometeram a atingir zero emissões líquidas de carbono até 2050 e estão sob pressão para fornecer detalhes sobre os cortes profundos de curto prazo necessários para que tenham alguma chance de atingir sua meta.”

Fonte: Reuters, 11/03/2022

Credit Suisse pretende reduzir quase pela metade o financiamento de emissões para combustíveis fósseis até 2030

“O Credit Suisse estabeleceu novas metas na quinta-feira para reduzir quase pela metade sua exposição ao financiamento de emissões de petróleo, gás e carvão entre 2020 e 2030. O segundo maior banco da Suíça reduziu sua exposição às emissões que financiou no setor de petróleo, gás e carvão em 41% entre 2020 e 2021, mostraram estimativas preliminares em seu relatório de sustentabilidade na quinta-feira, quando tinha cerca de US$ 2,6 bilhões em empréstimos pendentes para esses clientes. “

Fonte: Reuters, 11/03/2022

Empresas de defesa aumentam o passo para sair do deserto da sustentabilidade

“Em grande parte ignoradas pelas crescentes fileiras de investidores socialmente preocupados da Europa, as empresas de defesa veem uma nova chance de argumentar por um lugar em portfólios após a invasão russa da Ucrânia. Um gestor de ativos anunciou na semana passada que permitiria novamente o investimento em defesa, um sinal de que estão surgindo rachaduras na oposição generalizada à propriedade de empresas de defesa de investidores sustentáveis ​​na Europa.”

Fonte: Reuters, 11/03/2022

Regulação

EPA revela plano para reduzir poluição interestadual de usinas de energia

“A Agência de Proteção Ambiental propôs nesta sexta-feira regras mais duras para reduzir a poluição causada pela fumaça que causa danos aos pulmões de usinas de energia e fontes industriais como parte de um esforço mais amplo da agência para limpar o setor de energia. A proposta do “Bom Vizinho” visaria um corte de aproximadamente 29% nas emissões de óxidos de nitrogênio formadores de smog de usinas de energia até 2026, juntamente com uma redução de 15% de outras fontes industriais, incentivando o uso mais consistente de equipamentos de controle de poluição, de acordo com uma ficha informativa fornecida pela agência.”

Fonte: Reuters, 11/03/2022


Índices ESG e suas performances

(1) O Índice ISE (Índice de Sustentabilidade Empresarial da B3) tem como objetivo ser o indicador do desempenho médio das cotações dos ativos de empresas com reconhecido comprometimento com o desenvolvimento sustentável, práticas e alinhamento estratégico com a sustentabilidade empresarial.
(2) O Índice S&P/B3 Brasil ESG mede a performance de títulos que cumprem critérios de sustentabilidade e é ponderado pelas pontuações ESG da S&P DJI. Ele exclui ações com base na sua participação em certas atividades comerciais, no seu desempenho em comparação com o Pacto Global da ONU e também cias sem pontuação ESG da S&P DJI.
(3) O ICO2 tem como propósito ser um instrumento indutor das discussões sobre mudança do clima no Brasil. A adesão das companhias ao ICO2 demonstra o comprometimento com a transparência de suas emissões e antecipa a visão de como estão se preparando para uma economia de baixo carbono.
(4) O objetivo do IGCT é ser o indicador do desempenho médio das cotações dos ativos de emissão de empresas integrantes do IGC que atendam aos critérios adicionais descritos nesta metodologia.
(5) A série de índices FTSE4Good foi projetada para medir o desempenho de empresas que demonstram fortes práticas ambientais, sociais e de governança (ESG).
(6)
O Índice MSCI ACWI, que representa o desempenho de todo o conjunto de ações de grande e médio porte do mundo, em 23 mercados desenvolvidos e 26 emergentes.


Nossos últimos relatórios

  • ISE B3: Um raio-X da nova carteira do Índice de Sustentabilidade da B3 (link)
  • Radar ESG | Panvel (PNVL3): Prescrevendo a agenda ESG (link)
  • Carteira ESG XP: Uma alteração no portfólio para fevereiro (link)
  • Radar ESG | Omega Energia (MEGA3): Líder em energia renovável, surfando a onda da sustentabilidade (link)
  • Radar ESG | Desktop (DESK3): No início da jornada ESG (link)
  • Carteira ESG XP: Sem alterações em nosso portfólio para janeiro (link)
  • Radar ESG | AgroGalaxy (AGXY3): Plantando as sementes ESG (link)
  • Radar ESG | Petrobras (PETR4): E o campo ESG, como a Petrobras está explorando? (link)
  • Radar ESG | Oncoclínicas (ONCO3): Ainda na sala de espera (link)
  • Radar ESG | Aviação Brasil (EMBR3, AZUL4 e GOLL4): Voando pelos ares ESG (link)
  • Radar ESG | Alpargatas (ALPA4): Iniciando a caminhada pela agenda ESG (link)
  • Radar ESG | Kepler Weber (KEPL3): Um começo promissor (link)
  • Radar ESG | TIM (TIMS3): Chamando a agenda ESG (link)
  • ESG: O que moldará os investimentos sustentáveis em 2022? (link)
  • Carteira ESG XP: Sem alterações em nosso portfólio para dezembro (link)
  • Radar ESG | Burger King Brasil (BKBR): Espaço para avanço na agenda, mas os planos ambiciosos adiante animam (link)
  • COP26: Implicações do documento final (link)
  • Expo Dubai: Buscando soluções diante de recursos finitos (link)
  • Expo Dubai: Todos os olhos voltados para o futuro da mobilidade (link)
  • Expo Dubai: Tecnologia e sustentabilidade centralizam os destaques do evento nesta terça-feira (link)
  • Expo Dubai: Três principais destaques do evento nesta segunda-feira, dia do Brasil na feira (link)
  • COP26: Um encontro decisivo para conter o aquecimento global (link)
  • Seleção BDRs ESG​: 15 nomes para exposição internacional ao tema (link)
  • Radar ESG | Kora Saúde (KRSA3): Ainda há um caminho a ser percorrido (link)
  • Radar ESG | Empresas de Autopeças: Preparando a estrada ESG; Governança e segurança em primeiro lugar (link)
  • Radar ESG | Unifique (FIQE3) e Brisanet (BRIT3): O que as empresas de telecomunicações brasileiras têm feito? (link)
  • Radar ESG | Natura&Co. (NTCO3): Não é apenas maquiagem; ESG é uma realidade! (link)
  • Vale (VALE3): Feedback do Webinar ESG; Todos os olhos voltados para a redução de riscos (link)
  • Radar ESG | Totvs (TOTS3): A melhor posicionada no setor de tecnologia sob a cobertura da XP (link)
  • Assembleia Geral da ONU: Cenário climático alarmante centraliza as discussões (link)
  • Amazônia: Entendendo a importância da maior floresta tropical do mundo (link)
  • ESG no centro das discussões; Três principais aprendizados da Expert XP 2021 (link)
  • Radar ESG | Companhia Brasileira de Alumínio (CBAV3): Uma líder em alumínio verde, com forte posicionamento ESG (link)
  • Relatório do IPCC: Um chamado para todos, inclusive para o mercado, frente a um cenário alarmante do clima (link)
  • Radar ESG | WEG (WEGE3): Um player ESG bem equipado para se beneficiar das tendências adiante (link)
  • Radar ESG | Boa Safra (SOJA3): Agenda ESG em produção, semente por semente (link)
  • Água: Onde há escassez, há oportunidade (link)
  • Radar ESG | Positivo (POSI3): Um trabalho em andamento (link)
  • B3 anuncia nova metodologia para o ISE; Positivo (link)
  • Radar ESG | G2D (G2DI33): Abraçando os pilares S e E através do portfólio de investimentos de impacto (link)
  • Ambev (ABEV3): Feedback do evento ESG; Reforçamos nossa visão positiva (link)
  • Radar ESG | Setor de infraestrutura (CCRO3, ECOR3, RAIL3, HBSA3, STBP3): Preparando o asfalto (link)
  • Crédito de carbono: Capturando parte da solução; 5 nomes para exposição ao tema (link)
  • Radar ESG | Incorporadoras de Imóveis Residenciais Populares: Construindo os andares ESG (link)
  • Radar ESG | Arezzo & Co. (ARZZ3): Caminhando com seus próprios passos pela agenda ESG (link)
  • Trilogia ESG (Pt. I): Um mergulho no pilar E; Três nomes que são parte da solução (link)
  • Radar ESG | Blau (BLAU3) e Hypera (HYPE3): Em busca da fórmula ESG (link)
  • Bitcoin e ESG: Entenda os dois lados da moeda (link)
  • Radar ESG | Bemobi (BMOB3): Diversidade é o nome do jogo (link)
  • Radar ESG | Setor de Logística (SIMH3, JSLG3 e VAMO3): Preparando-se para a estrada ESG (link)
  • Radar ESG | Laboratórios: ESG ainda na triagem; Fleury se destacando em relação aos pares (link)
  • Cúpula de Líderes sobre o Clima: Tecnologia, economia e agenda verde centralizam as discussões no segundo dia do evento (link)
  • Cúpula de Líderes sobre o Clima: Cooperação global é uma das três principais mensagens do evento (link)
  • Radar ESG | Locadoras de automóveis: Rumo à agenda ESG; Localiza liderando a corrida (link)
  • Radar ESG | São Martinho (SMTO3): Quanto mais se semeia, maior é a colheita (link)
  • Radar ESG | Orizon (ORVR3): Quando ESG está escrito no DNA (link)
  • Sondagem XP/ESG com investidores institucionais (link)
  • O melhor dos dois mundos: Seleção de 10 BDRs para exposição internacional ao tema ESG (link)
  • Radar ESG | Enjoei (ENJU3): O usado é o novo “novo”? (link)
  • Radar ESG | CSN Mineração (CMIN3): Explorando os campos ESG (link)
  • Radar ESG | Jalles (JALL3): Plantando as sementes ESG (link)
  • Radar ESG | Incorporadoras de alta renda: ESG ainda em construção (link)
  • Radar ESG | Setor de saúde: O ESG ainda está na sala de espera? (link)
  • Radar ESG | Quão sustentáveis são as empresas de e-commerce? Uma análise ESG dessas gigantes (link)
  • Radar ESG | IMC (MEAL3): Por que a empresa ainda tem muito espaço para melhorar? (link)
  • Radar ESG | Aeris (AERI3): Uma das empresas melhor posicionada para surfar o vento ESG (link)
  • Radar ESG | 3R Petroleum: Construindo um caminho que incorpora metas ESG (link)
  • Radar ESG | Setor de supermercados: Vale a pena encher o carrinho? (link)
  • Radar ESG | JHSF (JHSF3): Espaço para melhorias (link)
  • Radar ESG | Quem é o melhor aluno da classe? Avaliando os líderes em ESG dentre as empresas de educação no Brasil (link)
  • Panorama do marco regulatório de investimentos ESG no Brasil (link)
  • CVM e B3 estudam intensificar critérios ESG para as companhias listadas (link)
  • Radar ESG | Setor de vestuário e joias: ESG ainda na confecção (link)
  • ESG: Tendências e preferências para 2021 (link)
  • Radar ESG | LOG Commercial Properties (LOGG3): Oportunidades em empreendimentos verdes (link)
  • Eleições americanas: Quais os efeitos para a agenda ESG nos EUA e no Brasil? (link)
  • Radar ESG | Farmácias: Raia Drogasil como a ação prescrita no setor para exposição a ESG (link)
  • Radar ESG | Shoppings: Entenda o que importa para eles quando o tema é ESG (link)
  • Radar ESG | Ambev (ABEV3): Um case que desce redondo (link)
  • Feedback do roadshow ESG: O que as gestoras no Brasil estão fazendo em relação ao tema? (link)
  • ESG de A a Z: Tudo o que você precisa saber sobre o tema (link)

Ainda não tem conta na XP? Clique aqui e abra a sua!

XP Expert

Avaliação

O quão foi útil este conteúdo pra você?


Newsletter
Newsletter

Gostaria de receber nossos conteúdos por e-mail?

Cadastre-se e receba grátis nossos relatórios e recomendações de investimentos

Telegram
Telegram XP

Acesse os conteúdos

Telegram XP

pelo Telegram da XP Investimentos

B3 Autorregulação Anbima - Gestão de patrimônio Autorregulação Anbima - Gestão de recursos Autorregulação Anbima - Private Autorregulação Anbima - Distribuição de Produtos de Investimentos

A XP Investimentos CCTVM S/A, inscrita sob o CNPJ: 02.332.886/0001-04, é uma instituição financeira autorizada a funcionar pelo Banco Central do Brasil.

Toda comunicação através de rede mundial de computadores está sujeita a interrupções ou atrasos, podendo impedir ou prejudicar o envio de ordens ou a recepção de informações atualizadas. A XP Investimentos exime-se de responsabilidade por danos sofridos por seus clientes, por força de falha de serviços disponibilizados por terceiros. A XP Investimentos CCTVM S/A é instituição autorizada a funcionar pelo Banco Central do Brasil.

BMF&BOVESPA

BSM

CVM

Este site usa cookies e dados pessoais de acordo com a nossa Política de Cookies (gerencie suas preferências de cookies) e a nossa Política de Privacidade.