XP Expert

SEC avança com proposta obrigatória de risco climático para empresas listadas nos EUA | Café com ESG, 14/02

Comece o dia bem informado com as principais notícias ao redor do Brasil e do mundo quando o tema é ESG!

Compartilhar:

  • Compartilhar no Facebook
  • Compartilhar no Twitter
  • Compartilhar no Whatsapp
  • Compartilhar no LinkedIn
  • Compartilhar via E-mail

Bom dia! Neste relatório diário publicado todas as manhãs pelo time ESG do Research da XP, buscamos trazer as últimas notícias para que você comece o dia bem informado e fique por dentro do que o Brasil e o mundo fala sobre um tema que tem ficado cada vez mais relevante: ESG – do termo em inglês Environmental, Social and Governance ou, em português, ASG – Ambiental, Social e Governança.

Quais tópicos abordamos ao longo do conteúdo? (i) Notícias no Brasil e no mundo acerca do tema ESG; (ii) Performance histórica dos principais índices ESG em diferentes países; (iii) Comparativo da performance do Ibovespa vs. ISE (Índice de Sustentabilidade Empresarial, da B3); e (iv) Lista com os últimos relatórios publicados pelo Research ESG da XP.
Por que essas informações são importantes? 
Porque elas indicam os temas dentro da agenda ESG que estão sendo cada vez mais monitoradas por parte dos investidores e das empresas, e podem impactar os preços das ações de diferentes companhias.

Esperamos que aproveite a leitura!

Principais tópicos do dia

• Na sexta-feira, o Ibov fechou em leve alta +0,2%, enquanto o ISE recuou -0,7%. Na semana, o Ibov encerrou em território positivo (+1,2%), enquanto o ISE ficou de lado.

• No Brasil, a migração para o sistema de plantio direto (SPD) de alta qualidade, expansão da adoção de sistemas integrados e utilização da tecnologia de fixação biológica de nitrogênio (FBN) são fundamentais para que a produção de soja continue a avançar no Brasil sem aumento das emissões de gases de efeito estufa.

• No internacional, (i) o chefe da Comissão de Valores Mobiliários dos Estados Unidos (SEC) disse nesta sexta-feira que está trabalhando “de perto” com comissários para definir detalhes da proposta obrigatória de risco climático da agência; e (ii) os novos planos de energia renovável da China se concentrarão no Gobi e em outras regiões desérticas, à medida que acelera a construção de novas bases de energia eólica e solar e aumenta sua capacidade de transmissão, disseram os reguladores em novo documento.


Brasil

Empresas

Avanço de práticas sustentáveis poderá tornar grão “carbono neutro” até 2030

“Migração para o sistema de plantio direto (SPD) de alta qualidade, expansão da adoção de sistemas integrados e utilização da tecnologia de fixação biológica de nitrogênio (FBN) são fundamentais para que a produção de soja continue a avançar no Brasil sem aumento – e até com redução – das emissões de gases de efeito estufa. Obrigatória em um número cada vez maior de propriedades nos últimos anos, a receita é destacada pelo estudo “Potencial de Mitigação de Gases de Efeito Estufa das Ações de Descarbonização da Produção de Soja até 2030”, concluído recentemente pelo Observatório de Bioeconomia da Fundação Getulio Vargas (FGV). E ganha força à medida que aumenta a pressão interna e externa por práticas sustentáveis no campo.”

Fonte: Valor Econômico, 14/02/2022

ANBIMA: Certificações incluirão temas ESG a partir de julho

“Os exames de certificação da ANBIMA (Associação Brasileira das Entidades dos Mercados Financeiro e de Capitais) passarão a incluir, a partir de 11 de julho, temas relacionados aos investimentos ESG (ambientais, sociais e de governança, na sigla em inglês). A mudança faz parte da agenda da Associação para a sustentabilidade e reflete demandas do próprio mercado para que os exames acompanhem essa evolução. Os novos temas estarão em todas as certificações da Associação: CPA-10, CPA-20, CEA, CFG, CGA e CGE. As questões terão diferentes níveis de dificuldade, dependendo da certificação que a pessoa busca.”

Fonte: Ambima, 11/02/2022

Nova geração de investidores exige adaptações do regulador

“O crescimento do mercado de capitais torna mais complexo o trabalho de educação financeira e exige adaptações não apenas do próprio mercado, mas também da Comissão de Valores Mobiliários (CVM). Se por um lado o avanço aumenta a base de investidores e ajuda no desenvolvimento da economia, por outro, abre caminho para o surgimento de novos ilícitos. E a velocidade das informações – nem sempre verdadeiras – adiciona complicadores à equação. A CVM já se deu conta do novo perfil do investidor, que também toma decisões sobre como alocar seus recursos de maneira diferente. “Eles estão acostumados a muito estímulo nas redes e plataformas. Os mais jovens cresceram com essa mentalidade. E se comunicam de outra forma também. Nós e os emissores temos que nos adaptar e aprender a nos comunicar com o novo investidor”, afirma o presidente da autarquia, Marcelo Barbosa.”

Fonte: Valor Econômico, 14/02/2022

Cortar emissões na cadeia de fornecimento é desafio de empresas no ESG

“Em dezembro de 2021, a gigante varejista Walmart anunciou um programa de financiamento para incentivar sua cadeia de suprimentos a emitir menos gases de efeito estufa. Por meio de parceria com o HSBC, a companhia passou a oferecer benefícios financeiros para os fornecedores que reduzissem o carbono em suas operações, como linhas de crédito com taxas menores e antecipação de recebíveis. Foi a forma encontrada pelo Walmart para enfrentar um dos maiores desafios das empresas na agenda sustentável: neutralizar as emissões do chamado escopo 3.”

Fonte: Estadão, 12/02/2022

Internacional

Empresas

Fundos ESG podem sofrer com queda das ações de tecnologia

“Os fundos focados em ESG enfrentam uma perspectiva incerta à medida que crescem os custos de pesquisa das gestoras e os impactos nas ações. Os influxos explodiram durante 2021, com os ativos em fundos globais sustentáveis duplicando entre abril e setembro, quando alcançaram US$ 3,9 trilhões (R$ 21,3 trilhões), segundo dados da consultoria Morningstar. Em dezembro, as principais ações dos 20 maiores fundos ESG, que juntos administram US$ 340 bilhões (R$ 1,86 trilhão) em ativos, eram das gigantes tecnológicas Microsoft, Alphabet (dona do Google) e Apple, segundo Rumi Mahmood, vice-presidente de pesquisa de ESG na MSCI.”

Fonte: Estadão, 12/02/2022

Pouca transparência do mercado de crédito de carbono prejudica luta ambientalista

“Quase 40% dos créditos de carbono comprados por empresas têm mais de cinco anos, como mostra uma nova análise de dados mundiais feita pelo Nikkei. É uma tendência que, segundo especialistas, põe em risco o avanço na redução das emissões de gases de efeito estufa. Um crédito de carbono é um certificado que pode ser comercializado e permite ao titular emitir uma tonelada de dióxido de carbono. Os créditos podem ser conseguidos com base na quantidade de CO2 absorvida com a proteção de florestas ou pela introdução de energia renovável, por exemplo. O efeito do corte nas emissões é validado por uma entidade externa e os créditos emitidos com base nesses esforços podem ser negociados nos mercados de carbono.”

Fonte: Valor Econômico, 12/02/2022

Empresa de transporte CMA CGM vai parar de transportar resíduos plásticos

“O grupo global de transporte marítimo CMA CGM disse nesta sexta-feira que deixará de transportar resíduos plásticos em seus navios a partir de 1º de junho para ajudar a conter a poluição. Uma das maiores linhas de contêineres do mundo, a empresa francesa disse que atualmente transporta o equivalente a cerca de 50.000 contêineres padrão de resíduos plásticos por ano. O plástico tornou-se o foco das negociações internacionais sobre poluição, já que o derivado de petróleo encheu os locais de lixo e encheu os oceanos. Alguns países passaram a proibir a importação de tais resíduos.”

Fonte: Reuters, 11/02/2022

Grupo europeu levanta financiamento para US$ 4,6 bilhões para evitar plásticos nos mares

“Um grupo de bancos de desenvolvimento europeus planeja dobrar seu financiamento para esforços globais para impedir que resíduos plásticos poluam os oceanos do mundo para 4 bilhões de euros (4,6 bilhões de dólares). A Iniciativa Oceanos Limpos, liderada pelos bancos de desenvolvimento francês e alemão e pelo Banco Europeu de Investimentos, é o maior grupo que visa a poluição plástica do mar . Cerca de 8 milhões de toneladas de resíduos plásticos entram nos oceanos todos os anos, a maioria descartada em terra ou levada aos rios, disse o grupo na sexta-feira, ameaçando o ambiente marinho e as comunidades que dependem do mar para sua subsistência.”

Fonte: Reuters, 11/02/2022

Singapore Airlines comprará combustível sustentável da ExxonMobil em esforço para reduzir emissões

“A autoridade de aviação civil de Cingapura e o investidor estatal Temasek apoiarão a companhia aérea da cidade-estado Singapore Airlines na compra de combustível de aviação sustentável (SAF) da maior produtora de petróleo dos EUA Exxon Mobil Corp  para uso em voos , disseram as partes na sexta-feira. Espera-se que seu uso reduza cerca de 2.500 toneladas de emissões de dióxido de carbono durante o programa piloto de um ano a partir do terceiro trimestre deste ano. A transportadora usará o blended SAF da Exxon Mobil em seus aviões e voos Scoot. O combustível será composto por 1,25 milhão de litros de SAF puro, fornecido pela refinaria de petróleo finlandesa Neste Oyj  , misturado com combustível de aviação refinado nas instalações da Exxon Mobil em Cingapura, disseram as partes.”

Fonte: Reuters, 11/02/2022

Política

O que vem depois da COP26? A crise do gás sombreia a estrada de Glasgow a Sharm el-Sheikh

“Enquanto os negociadores climáticos do Reino Unido se reuniam com ministros de todo o mundo no início da semana passada sobre a promulgação das promessas verdes do pacto COP26 de Glasgow, os líderes britânicos defendiam os desenvolvimentos domésticos de petróleo e gás e rejeitavam pedidos de um imposto inesperado. A crise do gás e os picos internacionais de preços de energia aumentaram a pressão sobre a equipe da COP do Reino Unido liderada por Alok Sharma, que deve fechar os acordos verdes e reunir apoio para a cúpula climática da ONU COP27 de novembro em Sharm el-Skeikh com o país anfitrião Egito. Questionado recentemente sobre os altos preços do gás e a agenda do zero líquido, Sharma disse: “Não acredito que os dois estejam conectados”. Para garantir a segurança energética e reduzir os gases de efeito estufa, os países devem “continuar a desenvolver energias renováveis”, disse ele.”

Fonte: Financial Times, 12/02/2022

China se concentrará no deserto de Gobi para novas bases de energia solar e eólica

“Os novos planos de energia renovável da China se concentrarão no Gobi e em outras regiões desérticas, à medida que acelera a construção de enormes novas bases de energia eólica e solar e aumenta sua capacidade de transmissão, disseram reguladores em um novo documento de política. . Para cumprir suas metas climáticas, a China – o maior emissor de gases de efeito estufa do mundo – está elaborando políticas que permitirão a “transformação verde e de baixo carbono” de seu sistema energético, tradicionalmente dominado pelo carvão.”

Fonte: Reuters, 11/02/2022

Regulação

O chefe da SEC dos EUA, Gensler, diz que está trabalhando para firmar a proposta obrigatória de risco climático

“O chefe da Comissão de Valores Mobiliários dos Estados Unidos disse nesta sexta-feira que está trabalhando “de perto” com comissários para definir detalhes da proposta obrigatória de risco climático da agência. Os comentários do presidente da SEC, Gary Gensler, no Twitter, vêm em resposta aparentemente direta à crescente pressão de legisladores democratas, incluindo a senadora Elizabeth Warren, para emitir suas regras históricas de divulgação de riscos de mudanças climáticas em meio a atrasos.”

Fonte: Reuters, 11/02/2022

Agência de vigilância da UE definirá ‘lavagem verde’ como foguete de fundos sustentáveis

“O órgão fiscalizador de mercados da União Europeia disse nesta sexta-feira que começará a trabalhar em uma definição legal de “lavagem verde” para sustentar ações de fiscalização, à medida que trilhões de euros fluem para fundos anunciados como favoráveis ​​ao clima.Os reguladores estão se atualizando com o dilúvio de dinheiro destinado a investimentos que promovem suas atrações ambientais, sociais e de governança (ESG).Poucas empresas de investimento foram punidas por “lavagem verde” ou por inflar demais suas credenciais ESG, pois não há regras rígidas sobre o que isso significa.”

Fonte: Reuters, 11/02/2022


Índices ESG e suas performances

(1) O Índice ISE (Índice de Sustentabilidade Empresarial da B3) tem como objetivo ser o indicador do desempenho médio das cotações dos ativos de empresas com reconhecido comprometimento com o desenvolvimento sustentável, práticas e alinhamento estratégico com a sustentabilidade empresarial.
(2) O Índice S&P/B3 Brasil ESG mede a performance de títulos que cumprem critérios de sustentabilidade e é ponderado pelas pontuações ESG da S&P DJI. Ele exclui ações com base na sua participação em certas atividades comerciais, no seu desempenho em comparação com o Pacto Global da ONU e também cias sem pontuação ESG da S&P DJI.
(3) O ICO2 tem como propósito ser um instrumento indutor das discussões sobre mudança do clima no Brasil. A adesão das companhias ao ICO2 demonstra o comprometimento com a transparência de suas emissões e antecipa a visão de como estão se preparando para uma economia de baixo carbono.
(4) O objetivo do IGCT é ser o indicador do desempenho médio das cotações dos ativos de emissão de empresas integrantes do IGC que atendam aos critérios adicionais descritos nesta metodologia.
(5) A série de índices FTSE4Good foi projetada para medir o desempenho de empresas que demonstram fortes práticas ambientais, sociais e de governança (ESG).
(6)
O Índice MSCI ACWI, que representa o desempenho de todo o conjunto de ações de grande e médio porte do mundo, em 23 mercados desenvolvidos e 26 emergentes.


Nossos últimos relatórios

  • Carteira ESG XP: Sem alterações em nosso portfólio para janeiro (link)
  • Radar ESG | AgroGalaxy (AGXY3): Plantando as sementes ESG (link)
  • Radar ESG | Petrobras (PETR4): E o campo ESG, como a Petrobras está explorando? (link)
  • Radar ESG | Oncoclínicas (ONCO3): Ainda na sala de espera (link)
  • Radar ESG | Aviação Brasil (EMBR3, AZUL4 e GOLL4): Voando pelos ares ESG (link)
  • Radar ESG | Alpargatas (ALPA4): Iniciando a caminhada pela agenda ESG (link)
  • Radar ESG | Kepler Weber (KEPL3): Um começo promissor (link)
  • Radar ESG | TIM (TIMS3): Chamando a agenda ESG (link)
  • ESG: O que moldará os investimentos sustentáveis em 2022? (link)
  • Carteira ESG XP: Sem alterações em nosso portfólio para dezembro (link)
  • Radar ESG | Burger King Brasil (BKBR): Espaço para avanço na agenda, mas os planos ambiciosos adiante animam (link)
  • COP26: Implicações do documento final (link)
  • Expo Dubai: Buscando soluções diante de recursos finitos (link)
  • Expo Dubai: Todos os olhos voltados para o futuro da mobilidade (link)
  • Expo Dubai: Tecnologia e sustentabilidade centralizam os destaques do evento nesta terça-feira (link)
  • Expo Dubai: Três principais destaques do evento nesta segunda-feira, dia do Brasil na feira (link)
  • COP26: Um encontro decisivo para conter o aquecimento global (link)
  • Seleção BDRs ESG​: 15 nomes para exposição internacional ao tema (link)
  • Radar ESG | Kora Saúde (KRSA3): Ainda há um caminho a ser percorrido (link)
  • Radar ESG | Empresas de Autopeças: Preparando a estrada ESG; Governança e segurança em primeiro lugar (link)
  • Radar ESG | Unifique (FIQE3) e Brisanet (BRIT3): O que as empresas de telecomunicações brasileiras têm feito? (link)
  • Radar ESG | Natura&Co. (NTCO3): Não é apenas maquiagem; ESG é uma realidade! (link)
  • Vale (VALE3): Feedback do Webinar ESG; Todos os olhos voltados para a redução de riscos (link)
  • Radar ESG | Totvs (TOTS3): A melhor posicionada no setor de tecnologia sob a cobertura da XP (link)
  • Assembleia Geral da ONU: Cenário climático alarmante centraliza as discussões (link)
  • Amazônia: Entendendo a importância da maior floresta tropical do mundo (link)
  • ESG no centro das discussões; Três principais aprendizados da Expert XP 2021 (link)
  • Radar ESG | Companhia Brasileira de Alumínio (CBAV3): Uma líder em alumínio verde, com forte posicionamento ESG (link)
  • Relatório do IPCC: Um chamado para todos, inclusive para o mercado, frente a um cenário alarmante do clima (link)
  • Radar ESG | WEG (WEGE3): Um player ESG bem equipado para se beneficiar das tendências adiante (link)
  • Radar ESG | Boa Safra (SOJA3): Agenda ESG em produção, semente por semente (link)
  • Água: Onde há escassez, há oportunidade (link)
  • Radar ESG | Positivo (POSI3): Um trabalho em andamento (link)
  • B3 anuncia nova metodologia para o ISE; Positivo (link)
  • Radar ESG | G2D (G2DI33): Abraçando os pilares S e E através do portfólio de investimentos de impacto (link)
  • Ambev (ABEV3): Feedback do evento ESG; Reforçamos nossa visão positiva (link)
  • Radar ESG | Setor de infraestrutura (CCRO3, ECOR3, RAIL3, HBSA3, STBP3): Preparando o asfalto (link)
  • Crédito de carbono: Capturando parte da solução; 5 nomes para exposição ao tema (link)
  • Radar ESG | Incorporadoras de Imóveis Residenciais Populares: Construindo os andares ESG (link)
  • Radar ESG | Arezzo & Co. (ARZZ3): Caminhando com seus próprios passos pela agenda ESG (link)
  • Trilogia ESG (Pt. I): Um mergulho no pilar E; Três nomes que são parte da solução (link)
  • Radar ESG | Blau (BLAU3) e Hypera (HYPE3): Em busca da fórmula ESG (link)
  • Bitcoin e ESG: Entenda os dois lados da moeda (link)
  • Radar ESG | Bemobi (BMOB3): Diversidade é o nome do jogo (link)
  • Radar ESG | Setor de Logística (SIMH3, JSLG3 e VAMO3): Preparando-se para a estrada ESG (link)
  • Radar ESG | Laboratórios: ESG ainda na triagem; Fleury se destacando em relação aos pares (link)
  • Cúpula de Líderes sobre o Clima: Tecnologia, economia e agenda verde centralizam as discussões no segundo dia do evento (link)
  • Cúpula de Líderes sobre o Clima: Cooperação global é uma das três principais mensagens do evento (link)
  • Radar ESG | Locadoras de automóveis: Rumo à agenda ESG; Localiza liderando a corrida (link)
  • Radar ESG | São Martinho (SMTO3): Quanto mais se semeia, maior é a colheita (link)
  • Radar ESG | Orizon (ORVR3): Quando ESG está escrito no DNA (link)
  • Sondagem XP/ESG com investidores institucionais (link)
  • O melhor dos dois mundos: Seleção de 10 BDRs para exposição internacional ao tema ESG (link)
  • Radar ESG | Enjoei (ENJU3): O usado é o novo “novo”? (link)
  • Radar ESG | CSN Mineração (CMIN3): Explorando os campos ESG (link)
  • Radar ESG | Jalles (JALL3): Plantando as sementes ESG (link)
  • Radar ESG | Incorporadoras de alta renda: ESG ainda em construção (link)
  • Radar ESG | Setor de saúde: O ESG ainda está na sala de espera? (link)
  • Radar ESG | Quão sustentáveis são as empresas de e-commerce? Uma análise ESG dessas gigantes (link)
  • Radar ESG | IMC (MEAL3): Por que a empresa ainda tem muito espaço para melhorar? (link)
  • Radar ESG | Aeris (AERI3): Uma das empresas melhor posicionada para surfar o vento ESG (link)
  • Radar ESG | 3R Petroleum: Construindo um caminho que incorpora metas ESG (link)
  • Radar ESG | Setor de supermercados: Vale a pena encher o carrinho? (link)
  • Radar ESG | JHSF (JHSF3): Espaço para melhorias (link)
  • Radar ESG | Quem é o melhor aluno da classe? Avaliando os líderes em ESG dentre as empresas de educação no Brasil (link)
  • Panorama do marco regulatório de investimentos ESG no Brasil (link)
  • CVM e B3 estudam intensificar critérios ESG para as companhias listadas (link)
  • Radar ESG | Setor de vestuário e joias: ESG ainda na confecção (link)
  • ESG: Tendências e preferências para 2021 (link)
  • Radar ESG | LOG Commercial Properties (LOGG3): Oportunidades em empreendimentos verdes (link)
  • Eleições americanas: Quais os efeitos para a agenda ESG nos EUA e no Brasil? (link)
  • Radar ESG | Farmácias: Raia Drogasil como a ação prescrita no setor para exposição a ESG (link)
  • Radar ESG | Shoppings: Entenda o que importa para eles quando o tema é ESG (link)
  • Radar ESG | Ambev (ABEV3): Um case que desce redondo (link)
  • Feedback do roadshow ESG: O que as gestoras no Brasil estão fazendo em relação ao tema? (link)
  • ESG de A a Z: Tudo o que você precisa saber sobre o tema (link)

Ainda não tem conta na XP? Clique aqui e abra a sua!

XP Expert

Avaliação

O quão foi útil este conteúdo pra você?


Newsletter
Newsletter

Gostaria de receber nossos conteúdos por e-mail?

Cadastre-se e receba grátis nossos relatórios e recomendações de investimentos

Telegram
Telegram XP

Acesse os conteúdos

Telegram XP

pelo Telegram da XP Investimentos

A XP Investimentos CCTVM S/A, inscrita sob o CNPJ: 02.332.886/0001-04, é uma instituição financeira autorizada a funcionar pelo Banco Central do Brasil.Toda comunicação através de rede mundial de computadores está sujeita a interrupções ou atrasos, podendo impedir ou prejudicar o envio de ordens ou a recepção de informações atualizadas. A XP Investimentos exime-se de responsabilidade por danos sofridos por seus clientes, por força de falha de serviços disponibilizados por terceiros. A XP Investimentos CCTVM S/A é instituição autorizada a funcionar pelo Banco Central do Brasil.


Este site usa cookies e dados pessoais de acordo com a nossa Política de Cookies (gerencie suas preferências de cookies) e a nossa Política de Privacidade.