XP Expert

Conflito Ucrânia e Rússia e disparada dos preços de energia pode dificultar leis mais duras sobre clima na UE | Café com ESG, 03/03

Comece o dia bem informado com as principais notícias ao redor do Brasil e do mundo quando o tema é ESG!

Compartilhar:

  • Compartilhar no Facebook
  • Compartilhar no Twitter
  • Compartilhar no Whatsapp
  • Compartilhar no LinkedIn
  • Compartilhar via E-mail

Bom dia! Neste relatório diário publicado todas as manhãs pelo time ESG do Research da XP, buscamos trazer as últimas notícias para que você comece o dia bem informado e fique por dentro do que o Brasil e o mundo fala sobre um tema que tem ficado cada vez mais relevante: ESG – do termo em inglês Environmental, Social and Governance ou, em português, ASG – Ambiental, Social e Governança.

Quais tópicos abordamos ao longo do conteúdo? (i) Notícias no Brasil e no mundo acerca do tema ESG; (ii) Performance histórica dos principais índices ESG em diferentes países; (iii) Comparativo da performance do Ibovespa vs. ISE (Índice de Sustentabilidade Empresarial, da B3); e (iv) Lista com os últimos relatórios publicados pelo Research ESG da XP.
Por que essas informações são importantes? 
Porque elas indicam os temas dentro da agenda ESG que estão sendo cada vez mais monitoradas por parte dos investidores e das empresas, e podem impactar os preços das ações de diferentes companhias.

Esperamos que aproveite a leitura!

Principais tópicos do dia

• Na quarta-feira, o Ibov fechou em alta de +1,8%, puxado principalmente pelas empresas de commodities, enquanto o ISE teve leve queda de -0,01%.

• Do lado das empresas, a IFRS Foundation, organização internacional que dita as normas para a divulgação de demonstrações financeiras usadas em diversos países, incluindo o Brasil, citou a pretensão de, nos próximos meses, divulgar os primeiros rascunhos das novas regras do IFRS ESG, que ditarão a divulgação de informações sobre os riscos e oportunidades relacionados à sustentabilidade das empresas.

• No internacional, (i) a disparada dos preços da energia e uma crise geopolítica sobre a invasão da Ucrânia pela Rússia estão pairando sobre as tentativas da União Europeia de aprovar uma série de leis mais duras sobre mudanças climáticas, levantando preocupações de que algumas possam ser adiadas ou reduzidas; e (ii) a última parte do relatório do IPCC mostrou que algumas perdas já são irreversíveis e os ecossistemas estão atingindo os limites de sua capacidade de se adaptar às mudanças climáticas, colocando o mundo em uma janela “breve e de fechamento rápido” para adaptação, com os riscos associados ao aquecimento global maiores do que se pensava anteriormente.

Gostaria de receber os relatórios ESG por e-mailClique aqui.
Gostou do conteúdo, tem alguma dúvida ou quer nos enviar uma sugestão? Basta deixar um comentário no final do post!


Brasil

Empresas

Nova norma contábil ESG está próxima e empresas serão cada vez mais cobradas sobre práticas socioambientais

“Um dos pilares da sustentabilidade corporativa é a transparência. A parametrização e indicadores e informações sobre questões ESG (social, ambiental e de governança corporativa) é, contudo, importante para as empresas avançarem no tema e organizarem a divulgação do que estão fazendo. Além de ser, claro, primordial para a boa governança. Com o avanço da discussão sobre padrões globais de contabilidade para práticas ESG, as empresas devem ser cada vez mais pressionadas para adotar, medir e divulgar suas estratégias, atividades, riscos e impactos socioambientais. Em meados do mês de fevereiro (16), a IFRS Foundation, organização internacional que dita as normas para a divulgação de demonstrações financeiras usadas em diversos países, incluindo o Brasil, citou a pretensão de, nos próximos meses, divulgar os primeiros rascunhos das novas do IFRS ESG, que ditarão a divulgação de informações sobre os riscos e oportunidades relacionados à sustentabilidade das empresas.”

Fonte: Valor Econômico, 02/03/2022

Escritórios de advocacia passam a investir em créditos de carbono

“Escritórios de advocacia estão entrando no mercado voluntário de carbono. Passaram a compensar integralmente ou parcialmente as emissões de gases do efeito estufa decorrentes da prestação dos serviços jurídicos. A iniciativa segue uma tendência de crescimento do mercado de créditos de carbono, estimulada em parte pela pressão de investidores e fornecedores pela agenda ESG [governança ambiental, social e corporativa, na sigla em inglês]. Um relatório da Ecosystem Marketplace, da organização sem fins lucrativos Forest Trends, apontou aumento de 60% nos valores negociados nos primeiros oito meses de 2021 em comparação com o ano anterior. No período, foram registrados US$ 748,2 milhões em vendas para 239,3 milhões de créditos. Cada crédito representa uma tonelada de dióxido de carbono.”

Fonte: Valor Econômico, 03/03/2022

BDRs: 15 ativos fortes em ESG para investir no exterior

“A XP Investimentos construiu uma carteira com 15 BDRs, os Brazilian Depositary Receipts, de empresas bem posicionadas na agenda ESG – da sigla em inglês, Environmental, social and corporate governance – com bons retornos financeiros. Os BDRs são certificados emitidos e negociados na Bolsa de Valores brasileira que representam ações de empresas estrangeiras. Na prática, esses recibos permitem que investidores brasileiros invistam em ativos de grandes empresas listadas nas bolsas do exterior sem precisar abrir uma conta em outro país por meio de uma corretora.”

Fonte: Estadão, 03/03/2022

Clique aqui para acessar o relatório | “Seleção BDRs & ESG​: 15 nomes para exposição internacional ao tema – Fevereiro 2022

Internacional

Empresas

Riscos das mudanças climáticas são maiores do que se pensava, alerta relatório do IPCC

“O mundo tem uma janela “breve e de fechamento rápido” para se adaptar às mudanças climáticas, com os riscos associados a níveis mais baixos de aquecimento maiores do que se pensava anteriormente, a última parte de um relatório histórico da ONU assinado por 270 cientistas de 67 países concluiu. Algumas perdas já eram irreversíveis e os ecossistemas estavam atingindo os limites de sua capacidade de se adaptar às mudanças climáticas, alertaram os cientistas na avaliação contundente. As descobertas foram um “atlas do sofrimento humano e uma acusação condenatória de liderança climática fracassada”, disse o secretário-geral da ONU, António Guterres. “Já vi muitos relatórios científicos no meu tempo, mas nada parecido com isso.””

Fonte: Financial Times, 28/02/2022

Quase todas as divulgações corporativas relacionadas ao clima são inadequadas, diz CDP

“Apenas 1% das empresas que enviam dados relacionados às mudanças climáticas à plataforma de divulgação ambiental sem fins lucrativos CDP fornece aos investidores as informações necessárias para avaliar se têm um plano confiável para a transição para uma economia de baixo carbono. Os novos dados, fornecidos à Reuters, ressaltam a grande lacuna entre as empresas que anunciam planos ambiciosos para ajudar a combater as mudanças climáticas e seu acompanhamento limitado com um plano detalhado necessário para que tenham alguma chance de atingir suas metas. O CDP emergiu como o maior repositório mundial de dados ambientais enviados voluntariamente por empresas, que estão sob pressão de seus acionistas para divulgar como planejam navegar na transição para um futuro de baixo carbono.”

Fonte: Reuters, 03/03/2022

Bank of International Settlements lança fundo de títulos verdes asiáticos

“O Banco de Compensações Internacionais (BIS) lançou nesta sexta-feira um novo fundo que investe em títulos verdes asiáticos para ajudar a financiar projetos de combate aos riscos climáticos em uma das regiões mais propensas a desastres naturais do mundo. Aberto a bancos centrais de todo o mundo, o Asian Green Bond Fund investe em títulos verdes denominados em dólares americanos emitidos na Ásia por governos, instituições financeiras internacionais e empresas que cumprem os padrões verdes internacionais. Os títulos verdes são instrumentos financeiros que financiam projetos ambientalmente corretos e proporcionam aos investidores pagamentos de renda regular ou fixa.”

Fonte: Reuters, 25/02/2022

Política

Guerra na Ucrânia: a nova fronteira do ESG 

“[…] Esta não é a primeira vez que conflitos armados se misturam com negócios. Um exemplo recente é a extração de cobalto, metal usado em baterias, nas minas da República Democrática do Congo, país marcado por tensões étnicas há mais de 20 anos. Mas algumas das iniciativas anunciadas por empresas antes de o conflito na Ucrânia completar uma semana indicam que a guerra vai entrar na agenda ESG. Para algumas companhias, já entrou. A primeira grande corporação a se mexer foi a BP (antiga British Petroleum), que anunciou domingo que venderia sua participação de cerca de 20% na Rosneft, uma das estatais russas de gás natural.”

Fonte: Capital Reset, 02/03/2022

Líderes mundiais concordam em elaborar tratado ‘histórico’ sobre poluição plástica

“Um acordo global para combater a poluição por plásticos está à vista depois que quase 200 países concordaram em negociar um tratado juridicamente vinculativo da ONU para cobrir toda a cadeia, desafiando a pressão de interesses estabelecidos para limitar seu escopo. Descrito como um passo “verdadeiramente histórico”, a Assembleia da ONU para o Meio Ambiente resolveu redigir um tratado que abordará não apenas a poluição plástica nos oceanos, mas todo o ciclo de vida dos plásticos, desde a produção até o descarte. A resolução foi “o acordo multilateral ambiental mais significativo desde o [2015] Acordo de Paris”, disse Inger Andersen, diretora executiva do Programa das Nações Unidas para o Meio Ambiente. “É uma apólice de seguro para esta geração e para as futuras, para que possam viver com o plástico e não serem condenados por ele.””

Fonte: Financial Times, 02/03/2022

Nuvens geopolíticas se acumulam sobre os planos de mudança climática da Europa

“A disparada dos preços da energia e uma crise geopolítica sobre a invasão da Ucrânia pela Rússia estão pairando sobre as tentativas da União Europeia de aprovar uma série de leis mais duras sobre mudanças climáticas, levantando preocupações de que algumas possam ser adiadas ou reduzidas. Nas semanas após a Comissão Europeia divulgar o maior pacote de políticas verdes do mundo em julho passado, incêndios florestais atingiram o Mediterrâneo e inundações devastaram a Europa Ocidental. Da Grécia à Alemanha, os governos pediram ações urgentes para enfrentar as mudanças climáticas.”

Fonte: Reuters, 25/02/2022


Índices ESG e suas performances

(1) O Índice ISE (Índice de Sustentabilidade Empresarial da B3) tem como objetivo ser o indicador do desempenho médio das cotações dos ativos de empresas com reconhecido comprometimento com o desenvolvimento sustentável, práticas e alinhamento estratégico com a sustentabilidade empresarial.
(2) O Índice S&P/B3 Brasil ESG mede a performance de títulos que cumprem critérios de sustentabilidade e é ponderado pelas pontuações ESG da S&P DJI. Ele exclui ações com base na sua participação em certas atividades comerciais, no seu desempenho em comparação com o Pacto Global da ONU e também cias sem pontuação ESG da S&P DJI.
(3) O ICO2 tem como propósito ser um instrumento indutor das discussões sobre mudança do clima no Brasil. A adesão das companhias ao ICO2 demonstra o comprometimento com a transparência de suas emissões e antecipa a visão de como estão se preparando para uma economia de baixo carbono.
(4) O objetivo do IGCT é ser o indicador do desempenho médio das cotações dos ativos de emissão de empresas integrantes do IGC que atendam aos critérios adicionais descritos nesta metodologia.
(5) A série de índices FTSE4Good foi projetada para medir o desempenho de empresas que demonstram fortes práticas ambientais, sociais e de governança (ESG).
(6)
O Índice MSCI ACWI, que representa o desempenho de todo o conjunto de ações de grande e médio porte do mundo, em 23 mercados desenvolvidos e 26 emergentes.


Nossos últimos relatórios

  • ISE B3: Um raio-X da nova carteira do Índice de Sustentabilidade da B3 (link)
  • Radar ESG | Panvel (PNVL3): Prescrevendo a agenda ESG (link)
  • Carteira ESG XP: Uma alteração no portfólio para fevereiro (link)
  • Radar ESG | Omega Energia (MEGA3): Líder em energia renovável, surfando a onda da sustentabilidade (link)
  • Radar ESG | Desktop (DESK3): No início da jornada ESG (link)
  • Carteira ESG XP: Sem alterações em nosso portfólio para janeiro (link)
  • Radar ESG | AgroGalaxy (AGXY3): Plantando as sementes ESG (link)
  • Radar ESG | Petrobras (PETR4): E o campo ESG, como a Petrobras está explorando? (link)
  • Radar ESG | Oncoclínicas (ONCO3): Ainda na sala de espera (link)
  • Radar ESG | Aviação Brasil (EMBR3, AZUL4 e GOLL4): Voando pelos ares ESG (link)
  • Radar ESG | Alpargatas (ALPA4): Iniciando a caminhada pela agenda ESG (link)
  • Radar ESG | Kepler Weber (KEPL3): Um começo promissor (link)
  • Radar ESG | TIM (TIMS3): Chamando a agenda ESG (link)
  • ESG: O que moldará os investimentos sustentáveis em 2022? (link)
  • Carteira ESG XP: Sem alterações em nosso portfólio para dezembro (link)
  • Radar ESG | Burger King Brasil (BKBR): Espaço para avanço na agenda, mas os planos ambiciosos adiante animam (link)
  • COP26: Implicações do documento final (link)
  • Expo Dubai: Buscando soluções diante de recursos finitos (link)
  • Expo Dubai: Todos os olhos voltados para o futuro da mobilidade (link)
  • Expo Dubai: Tecnologia e sustentabilidade centralizam os destaques do evento nesta terça-feira (link)
  • Expo Dubai: Três principais destaques do evento nesta segunda-feira, dia do Brasil na feira (link)
  • COP26: Um encontro decisivo para conter o aquecimento global (link)
  • Seleção BDRs ESG​: 15 nomes para exposição internacional ao tema (link)
  • Radar ESG | Kora Saúde (KRSA3): Ainda há um caminho a ser percorrido (link)
  • Radar ESG | Empresas de Autopeças: Preparando a estrada ESG; Governança e segurança em primeiro lugar (link)
  • Radar ESG | Unifique (FIQE3) e Brisanet (BRIT3): O que as empresas de telecomunicações brasileiras têm feito? (link)
  • Radar ESG | Natura&Co. (NTCO3): Não é apenas maquiagem; ESG é uma realidade! (link)
  • Vale (VALE3): Feedback do Webinar ESG; Todos os olhos voltados para a redução de riscos (link)
  • Radar ESG | Totvs (TOTS3): A melhor posicionada no setor de tecnologia sob a cobertura da XP (link)
  • Assembleia Geral da ONU: Cenário climático alarmante centraliza as discussões (link)
  • Amazônia: Entendendo a importância da maior floresta tropical do mundo (link)
  • ESG no centro das discussões; Três principais aprendizados da Expert XP 2021 (link)
  • Radar ESG | Companhia Brasileira de Alumínio (CBAV3): Uma líder em alumínio verde, com forte posicionamento ESG (link)
  • Relatório do IPCC: Um chamado para todos, inclusive para o mercado, frente a um cenário alarmante do clima (link)
  • Radar ESG | WEG (WEGE3): Um player ESG bem equipado para se beneficiar das tendências adiante (link)
  • Radar ESG | Boa Safra (SOJA3): Agenda ESG em produção, semente por semente (link)
  • Água: Onde há escassez, há oportunidade (link)
  • Radar ESG | Positivo (POSI3): Um trabalho em andamento (link)
  • B3 anuncia nova metodologia para o ISE; Positivo (link)
  • Radar ESG | G2D (G2DI33): Abraçando os pilares S e E através do portfólio de investimentos de impacto (link)
  • Ambev (ABEV3): Feedback do evento ESG; Reforçamos nossa visão positiva (link)
  • Radar ESG | Setor de infraestrutura (CCRO3, ECOR3, RAIL3, HBSA3, STBP3): Preparando o asfalto (link)
  • Crédito de carbono: Capturando parte da solução; 5 nomes para exposição ao tema (link)
  • Radar ESG | Incorporadoras de Imóveis Residenciais Populares: Construindo os andares ESG (link)
  • Radar ESG | Arezzo & Co. (ARZZ3): Caminhando com seus próprios passos pela agenda ESG (link)
  • Trilogia ESG (Pt. I): Um mergulho no pilar E; Três nomes que são parte da solução (link)
  • Radar ESG | Blau (BLAU3) e Hypera (HYPE3): Em busca da fórmula ESG (link)
  • Bitcoin e ESG: Entenda os dois lados da moeda (link)
  • Radar ESG | Bemobi (BMOB3): Diversidade é o nome do jogo (link)
  • Radar ESG | Setor de Logística (SIMH3, JSLG3 e VAMO3): Preparando-se para a estrada ESG (link)
  • Radar ESG | Laboratórios: ESG ainda na triagem; Fleury se destacando em relação aos pares (link)
  • Cúpula de Líderes sobre o Clima: Tecnologia, economia e agenda verde centralizam as discussões no segundo dia do evento (link)
  • Cúpula de Líderes sobre o Clima: Cooperação global é uma das três principais mensagens do evento (link)
  • Radar ESG | Locadoras de automóveis: Rumo à agenda ESG; Localiza liderando a corrida (link)
  • Radar ESG | São Martinho (SMTO3): Quanto mais se semeia, maior é a colheita (link)
  • Radar ESG | Orizon (ORVR3): Quando ESG está escrito no DNA (link)
  • Sondagem XP/ESG com investidores institucionais (link)
  • O melhor dos dois mundos: Seleção de 10 BDRs para exposição internacional ao tema ESG (link)
  • Radar ESG | Enjoei (ENJU3): O usado é o novo “novo”? (link)
  • Radar ESG | CSN Mineração (CMIN3): Explorando os campos ESG (link)
  • Radar ESG | Jalles (JALL3): Plantando as sementes ESG (link)
  • Radar ESG | Incorporadoras de alta renda: ESG ainda em construção (link)
  • Radar ESG | Setor de saúde: O ESG ainda está na sala de espera? (link)
  • Radar ESG | Quão sustentáveis são as empresas de e-commerce? Uma análise ESG dessas gigantes (link)
  • Radar ESG | IMC (MEAL3): Por que a empresa ainda tem muito espaço para melhorar? (link)
  • Radar ESG | Aeris (AERI3): Uma das empresas melhor posicionada para surfar o vento ESG (link)
  • Radar ESG | 3R Petroleum: Construindo um caminho que incorpora metas ESG (link)
  • Radar ESG | Setor de supermercados: Vale a pena encher o carrinho? (link)
  • Radar ESG | JHSF (JHSF3): Espaço para melhorias (link)
  • Radar ESG | Quem é o melhor aluno da classe? Avaliando os líderes em ESG dentre as empresas de educação no Brasil (link)
  • Panorama do marco regulatório de investimentos ESG no Brasil (link)
  • CVM e B3 estudam intensificar critérios ESG para as companhias listadas (link)
  • Radar ESG | Setor de vestuário e joias: ESG ainda na confecção (link)
  • ESG: Tendências e preferências para 2021 (link)
  • Radar ESG | LOG Commercial Properties (LOGG3): Oportunidades em empreendimentos verdes (link)
  • Eleições americanas: Quais os efeitos para a agenda ESG nos EUA e no Brasil? (link)
  • Radar ESG | Farmácias: Raia Drogasil como a ação prescrita no setor para exposição a ESG (link)
  • Radar ESG | Shoppings: Entenda o que importa para eles quando o tema é ESG (link)
  • Radar ESG | Ambev (ABEV3): Um case que desce redondo (link)
  • Feedback do roadshow ESG: O que as gestoras no Brasil estão fazendo em relação ao tema? (link)
  • ESG de A a Z: Tudo o que você precisa saber sobre o tema (link)

Ainda não tem conta na XP? Clique aqui e abra a sua!

XP Expert

Avaliação

O quão foi útil este conteúdo pra você?


Newsletter
Newsletter

Gostaria de receber nossos conteúdos por e-mail?

Cadastre-se e receba grátis nossos relatórios e recomendações de investimentos

Telegram
Telegram XP

Acesse os conteúdos

Telegram XP

pelo Telegram da XP Investimentos

B3 Autorregulação Anbima - Gestão de patrimônio Autorregulação Anbima - Gestão de recursos Autorregulação Anbima - Private Autorregulação Anbima - Distribuição de Produtos de Investimentos

A XP Investimentos CCTVM S/A, inscrita sob o CNPJ: 02.332.886/0001-04, é uma instituição financeira autorizada a funcionar pelo Banco Central do Brasil.

Toda comunicação através de rede mundial de computadores está sujeita a interrupções ou atrasos, podendo impedir ou prejudicar o envio de ordens ou a recepção de informações atualizadas. A XP Investimentos exime-se de responsabilidade por danos sofridos por seus clientes, por força de falha de serviços disponibilizados por terceiros. A XP Investimentos CCTVM S/A é instituição autorizada a funcionar pelo Banco Central do Brasil.

BMF&BOVESPA

BSM

CVM

Este site usa cookies e dados pessoais de acordo com a nossa Política de Cookies (gerencie suas preferências de cookies) e a nossa Política de Privacidade.