XP Expert

Carta anual aos CEOs, de Larry Fink, é o destaque | Café com ESG, 20/01

Comece o dia bem informado com as principais notícias ao redor do Brasil e do mundo quando o tema é ESG!

Compartilhar:

  • Compartilhar no Facebook
  • Compartilhar no Twitter
  • Compartilhar no Whatsapp
  • Compartilhar no LinkedIn
  • Compartilhar via E-mail

Bom dia! Neste relatório diário publicado todas as manhãs pelo time ESG do Research da XP, buscamos trazer as últimas notícias para que você comece o dia bem informado e fique por dentro do que o Brasil e o mundo fala sobre um tema que tem ficado cada vez mais relevante: ESG – do termo em inglês Environmental, Social and Governance ou, em português, ASG – Ambiental, Social e Governança.

Quais tópicos abordamos ao longo do conteúdo? (i) Notícias no Brasil e no mundo acerca do tema ESG; (ii) Performance histórica dos principais índices ESG em diferentes países; (iii) Comparativo da performance do Ibovespa vs. ISE (Índice de Sustentabilidade Empresarial, da B3); e (iv) Lista com os últimos relatórios publicados pelo Research ESG da XP.
Por que essas informações são importantes? 
Porque elas indicam os temas dentro da agenda ESG que estão sendo cada vez mais monitoradas por parte dos investidores e das empresas, e podem impactar os preços das ações de diferentes companhias.


Esperamos que aproveite a leitura!

Principais tópicos do dia

O mercado encerrou o pregão de quarta-feira em campo positivo, com o Ibov e o ISE em alta de +1,3% e +2,0%, respectivamente.

• No Brasil, (i) a Corporate Knights, consultoria ESG canadense, elaborou uma lista das 100 empresas mais sustentáveis do mundo, após avaliação de 6.914 companhias com mais de US$ 1 bilhão em receitas, mas apenas três empresas brasileiras ocupam a lista: Banco do Brasil (22ª), a Engie Brasil (23ª) e Natura & Co Holding (88ª); e (ii) o primeiro leilão mundial de créditos de carbono voltados para a micromobilidade urbana será realizado no Brasil, de acordo com o plano da Prefeitura do Rio de Janeiro.

• No internacional, em sua Carta Anual aos CEOs de 2022, Larry Fink, o presidente do conselho de administração e CEO da BlackRock, abriu o texto discutindo as relações de trabalho e colocando o CEO e o trabalho realizado pelo RH como fatores verdadeiramente críticos para a boa performance das companhias.


Brasil

Empresas

BB, Engie Brasil e Natura ficam entre as 100 empresas mais sustentáveis do mundo

“Apenas três empresas brasileiras ocupam a lista de 2022 das 100 empresas mais sustentáveis do mundo, segundo a Corporate Knights, consultoria canadense que avalia e classifica as companhias com base em critérios ambientais, sociais e de governança (ESG, na sigla em inglês). No ranking, estão o Banco do Brasil (22ª posição), a Engie Brasil (23ª posição) e a Natura & Co Holding (88ª posição). A consultoria elaborou a lista com base em uma avaliação de 6.914 empresas de todo o mundo com mais de US$ 1 bilhão em receitas. Cada corporação é avaliada por um conjunto de até 23 indicadores ambientais, sociais e de governança em relação aos seus pares da indústria, utilizando informações públicas disponíveis. A premiação traça uma correlação contínua entre desempenho nas principais métricas ESG e retornos mais altos para os investidores.”

Fonte: Valor Econômico, 19/01/2022

Brasil terá primeiro leilão de créditos de carbono do mundo para micromobilidade

“O primeiro leilão mundial de créditos de carbono voltados para a micromobilidade urbana será realizado no Brasil. Esse é o plano da Prefeitura do Rio de Janeiro, que pretende transformar o município em um hub de investimentos de sustentabilidade a partir de um conjunto de ações coordenadas para instalar, na revitalizada Zona Portuária, uma bolsa de valores de ativos verdes. O leilão será voltado para uma iniciativa que já opera na cidade há anos, mas não gerou créditos até o momento: o TemBici, plataforma de uso de bicicletas compartilhadas, patrocinada, distribuídas por diversos pontos da cidade, que evitam o uso de veículos movidos a combustíveis fósseis.”

Fonte: CNN Brasil, 19/01/2022

Promotores do Brasil ordenam que Vale resguarde 18 barragens de mineração após fortes chuvas

“Promotores brasileiros no estado de Minas Gerais disseram nesta quarta-feira que 18 barragens de rejeitos em minas operadas pela Vale precisam de algumas obras para garantir sua segurança após fortes chuvas nos últimos meses. Em um comunicado, os promotores estaduais disseram que uma análise de 31 barragens revelou a necessidade de medidas preventivas, embora tenham enfatizado que não houve danos diretos às estruturas de maior risco. “Com base nos dados fornecidos, foram encontradas 18 barragens com problemas que devem ser resolvidos para evitar problemas com o funcionamento das estruturas”, disseram os promotores, acrescentando que todas as 18 barragens eram administradas pela Vale. Os promotores disseram que a Vale teria 10 dias para apresentar um relatório informando as medidas que tomaria. A Vale, em resposta a um pedido de comentário, disse que está realizando avaliações detalhadas de suas barragens para fazer as melhorias necessárias, principalmente olhando para a questão do acesso que foi impactado pelas chuvas.”

Fonte: Reuters, 19/01/2022

Bradesco emitirá US$ 500 milhões em bonds para projetos ESG

“O Bradesco (BBDC4) irá emitir seu primeiro bond com critérios de sustentabilidade. O anúncio foi feito nesta terça-feira (18), e o valor total a ser levantado é de US$ 500 milhões. Segundo comunicado, trata-se de uma captação internacional sustentável de dívida sênior. O título de renda fixa tem prazo de 60 meses e possui um cupom de 4,375% ao ano. A emissão seguiu as orientações do documento do Framework de Finanças Sustentáveis do Bradesco. Segundo esse escopo, os recursos serão utilizados pelo banco para financiar projetos ESG que estejam de acordo com os critérios da instituição. A operação foi auditada pela Sustainalytcs, empresa verificadora especializada em negócios sustentáveis.

Fonte: Trade Map, 19/01/2022

Política

Rio de Janeiro recebe primeiro leilão de créditos de carbono do mundo

“O Rio de Janeiro será palco do primeiro leilão mundial de créditos de carbono voltados para a micromobilidade urbana, com o uso de bicicletas compartilhadas, por exemplo. A iniciativa de receber o evento integra o plano da prefeitura de transformar o município em um hub de investimentos de sustentabilidade, inclusive, com a instalação de uma bolsa de valores de ativos verdes, na Zona Portuária do Rio. O leilão será focado em uma ideia que já funciona na cidade há alguns anos, mas não gerou créditos até o momento: o TemBici, plataforma de uso de bicicletas compartilhadas, patrocinada, espalhadas por diversos pontos da cidade, que evitam o uso de veículos movidos a combustíveis fósseis. Secretário municipal de Desenvolvimento Econômico, Inovação e Simplificação, Chicão Bulhões destaca que a iniciativa será realizada ainda no primeiro semestre de 2022, pela AirCarbon Exchange. Recém-instalada na cidade, a empresa é subsidiária de uma das maiores bolsas de comercialização de créditos de carbono do mundo, sediada em Cingapura e com operações em Abu Dhabi.”

Fonte: Diário do Rio, 18/01/2022

Internacional

Empresas

Gestora de fundos que impulsionou o ESG, BlackRock coloca o RH no foco do negócio

“Há alguns anos — difícil precisar quando — o conceito de Recursos Humanos Estratégico começou a compor o discurso de profissionais e empresas. A intenção era desvincular a área do burocrático departamento pessoal, para posicioná-la como disciplina fundamental para o sucesso da empresa. Mas o RH era de fato estratégico? A resposta para essa pergunta deve começar a mudar a partir deste ano. Em sua Carta Anual aos CEOs de 2022, Larry Fink, um dos capitalistas mais influentes do mundo à frente da gestora de fundos BlackRock, abriu o texto discutindo as relações de trabalho e colocando o CEO e o trabalho realizado pelo RH como fatores verdadeiramente críticos para a boa performance das companhias. Na carta, publicada no site da gestora na segunda-feira (18), o CEO afirma: “Colocar o propósito de sua empresa na base de seus relacionamentos com seus stakeholders é fundamental para o sucesso a longo prazo”.”

Fonte: IstoÉ Dinheiro, 19/01/2022

Para Larry Fink, mundo zero carbono vai transformar diversos setores e incomodar empresas consolidadas

“Na sua já tradicional carta anual dirigida a CEOs de companhias, o presidente do conselho de administração e CEO da BlackRock, Larry Fink, avança algumas casas nos preceitos da responsabilidade ambiental, social e de governança (ESG, na sigla em inglês), que tem pregado desde 2018. O líder da gestora americana de US$ 10 trilhões pede engajamento para um capitalismo de “stakeholders”, que envolva não só acionistas, mas clientes, a comunidade, fornecedores e empregados, todos os participante da cadeia empresarial. Num período em que novas fontes de recursos estimulam a inovação, como se viu nos bilhões injetados em empreendimentos iniciais que rapidamente alcançaram o status de unicórnios – com avaliações a partir de US$ 1 bilhão -, Fink escreve que a explosão da disponibilidade de capital nas últimas décadas alimentou um cenário dinâmico. Permitiu que uma grande quantidade de startups desafiasse líderes de mercado. “A BlackRock quer que as empresas em que investimos para nossos clientes evoluam e cresçam para que gerem retornos atraentes por décadas”, afirma Fink no seu texto.”

Fonte: Valor Investe, 18/01/2022

GM projeta geradores movidos a hidrogênio

“A General Motors disse nesta quarta-feira que planeja expandir seus negócios de células de combustível de hidrogênio para além dos veículos, fornecendo geradores movidos a hidrogênio para usos como em canteiros de obras, festivais de música, data centers e militares. A aplicação mais ampla de células de combustível de hidrogênio permitirá à GM alavancar e dimensionar os investimentos existentes em hidrogênio e refinar a tecnologia, disseram executivos da GM. “Pense em lugares onde você não tem uma instalação permanente para geração de energia, mas precisa de fontes de energia limpas”, disse Charlie Freese, diretor executivo do negócio Hydrotec da GM, em uma ligação com jornalistas. A empresa se recusou a dizer qual receita espera do novo negócio e disse que uma data de disponibilidade e preço para os geradores serão anunciados posteriormente.”

Fonte: Reuters, 18/01/2022

Citigroup estabelece meta para reduzir emissões do setor de energia

” O Citigroup Inc (CN) estabeleceu nesta quarta-feira metas para os mutuários corporativos reduzirem as emissões que incluem uma rara meta de “redução absoluta” para empresas do setor de energia até o final da década. O Citi disse em um relatório que pretende que as emissões de empresas em sua carteira de empréstimos de energia caiam 29% até 2030 em relação a 2020. Outros bancos se concentraram em reduzir a “intensidade de emissões” dos clientes, uma medida de emissões em relação à produção que os ativistas climáticos têm disse que não vai longe o suficiente.L1N2T133Y O Citi objetivou uma redução de 63% na intensidade das emissões para os mutuários em todo o setor de energia.Um representante do Citi disse que, embora as emissões absolutas globais devam diminuir em breve, ele escolheu uma meta de intensidade para a energia “porque muitos aspectos da economia global precisarão ser eletrificados, então precisaremos aumentar a geração de energia e, ao mesmo tempo, descarbonizá-la”.”

Fonte: Reuters, 19/01/2022

Política

Empresas temem que a regra climática da SEC dos EUA possa exigir amplas divulgações de emissões

“Enquanto a agência reguladora de valores mobiliários dos Estados Unidos encerra um rascunho de uma nova regra sobre mudanças climáticas, ativistas ambientais e investidores ativistas querem que ela exija que as empresas divulguem não apenas suas próprias emissões de gases de efeito estufa, mas também aquelas geradas por seus fornecedores. e outros parceiros. Enquanto isso, grupos corporativos estão pressionando por uma regra mais restrita que tornará mais fácil e menos dispendioso coletar e relatar dados de emissões, e que os protegerá de serem processados ​​por possíveis erros. No ano passado, a Securities and Exchange Commission (SEC) começou a trabalhar em uma nova regra exigindo que as empresas listadas nos EUA forneçam aos investidores divulgações detalhadas sobre como as mudanças climáticas podem afetar seus negócios. A regra faz parte de um esforço mais amplo do governo do presidente democrata Joe Biden para enfrentar os desafios das mudanças climáticas e reduzir as emissões de gases de efeito estufa em 50-52% até 2030 em comparação com os níveis de 2005, uma promessa ambiciosa que exigirá que todas as agências federais façam sua parte.”

Fonte: Reuters, 19/01/2022


Índices ESG e suas performances

(1) O Índice ISE (Índice de Sustentabilidade Empresarial da B3) tem como objetivo ser o indicador do desempenho médio das cotações dos ativos de empresas com reconhecido comprometimento com o desenvolvimento sustentável, práticas e alinhamento estratégico com a sustentabilidade empresarial.
(2) O Índice S&P/B3 Brasil ESG mede a performance de títulos que cumprem critérios de sustentabilidade e é ponderado pelas pontuações ESG da S&P DJI. Ele exclui ações com base na sua participação em certas atividades comerciais, no seu desempenho em comparação com o Pacto Global da ONU e também cias sem pontuação ESG da S&P DJI.
(3) O ICO2 tem como propósito ser um instrumento indutor das discussões sobre mudança do clima no Brasil. A adesão das companhias ao ICO2 demonstra o comprometimento com a transparência de suas emissões e antecipa a visão de como estão se preparando para uma economia de baixo carbono.
(4) O objetivo do IGCT é ser o indicador do desempenho médio das cotações dos ativos de emissão de empresas integrantes do IGC que atendam aos critérios adicionais descritos nesta metodologia.
(5) A série de índices FTSE4Good foi projetada para medir o desempenho de empresas que demonstram fortes práticas ambientais, sociais e de governança (ESG).
(6)
O Índice MSCI ACWI, que representa o desempenho de todo o conjunto de ações de grande e médio porte do mundo, em 23 mercados desenvolvidos e 26 emergentes.


Nossos últimos relatórios

  • Carteira ESG XP: Sem alterações em nosso portfólio para janeiro (link)
  • Radar ESG | AgroGalaxy (AGXY3): Plantando as sementes ESG (link)
  • Radar ESG | Petrobras (PETR4): E o campo ESG, como a Petrobras está explorando? (link)
  • Radar ESG | Oncoclínicas (ONCO3): Ainda na sala de espera (link)
  • Radar ESG | Aviação Brasil (EMBR3, AZUL4 e GOLL4): Voando pelos ares ESG (link)
  • Radar ESG | Alpargatas (ALPA4): Iniciando a caminhada pela agenda ESG (link)
  • Radar ESG | Kepler Weber (KEPL3): Um começo promissor (link)
  • Radar ESG | TIM (TIMS3): Chamando a agenda ESG (link)
  • ESG: O que moldará os investimentos sustentáveis em 2022? (link)
  • Carteira ESG XP: Sem alterações em nosso portfólio para dezembro (link)
  • Radar ESG | Burger King Brasil (BKBR): Espaço para avanço na agenda, mas os planos ambiciosos adiante animam (link)
  • COP26: Implicações do documento final (link)
  • Expo Dubai: Buscando soluções diante de recursos finitos (link)
  • Expo Dubai: Todos os olhos voltados para o futuro da mobilidade (link)
  • Expo Dubai: Tecnologia e sustentabilidade centralizam os destaques do evento nesta terça-feira (link)
  • Expo Dubai: Três principais destaques do evento nesta segunda-feira, dia do Brasil na feira (link)
  • COP26: Um encontro decisivo para conter o aquecimento global (link)
  • Seleção BDRs ESG​: 15 nomes para exposição internacional ao tema (link)
  • Radar ESG | Kora Saúde (KRSA3): Ainda há um caminho a ser percorrido (link)
  • Radar ESG | Empresas de Autopeças: Preparando a estrada ESG; Governança e segurança em primeiro lugar (link)
  • Radar ESG | Unifique (FIQE3) e Brisanet (BRIT3): O que as empresas de telecomunicações brasileiras têm feito? (link)
  • Radar ESG | Natura&Co. (NTCO3): Não é apenas maquiagem; ESG é uma realidade! (link)
  • Vale (VALE3): Feedback do Webinar ESG; Todos os olhos voltados para a redução de riscos (link)
  • Radar ESG | Totvs (TOTS3): A melhor posicionada no setor de tecnologia sob a cobertura da XP (link)
  • Assembleia Geral da ONU: Cenário climático alarmante centraliza as discussões (link)
  • Amazônia: Entendendo a importância da maior floresta tropical do mundo (link)
  • ESG no centro das discussões; Três principais aprendizados da Expert XP 2021 (link)
  • Radar ESG | Companhia Brasileira de Alumínio (CBAV3): Uma líder em alumínio verde, com forte posicionamento ESG (link)
  • Relatório do IPCC: Um chamado para todos, inclusive para o mercado, frente a um cenário alarmante do clima (link)
  • Radar ESG | WEG (WEGE3): Um player ESG bem equipado para se beneficiar das tendências adiante (link)
  • Radar ESG | Boa Safra (SOJA3): Agenda ESG em produção, semente por semente (link)
  • Água: Onde há escassez, há oportunidade (link)
  • Radar ESG | Positivo (POSI3): Um trabalho em andamento (link)
  • B3 anuncia nova metodologia para o ISE; Positivo (link)
  • Radar ESG | G2D (G2DI33): Abraçando os pilares S e E através do portfólio de investimentos de impacto (link)
  • Ambev (ABEV3): Feedback do evento ESG; Reforçamos nossa visão positiva (link)
  • Radar ESG | Setor de infraestrutura (CCRO3, ECOR3, RAIL3, HBSA3, STBP3): Preparando o asfalto (link)
  • Crédito de carbono: Capturando parte da solução; 5 nomes para exposição ao tema (link)
  • Radar ESG | Incorporadoras de Imóveis Residenciais Populares: Construindo os andares ESG (link)
  • Radar ESG | Arezzo & Co. (ARZZ3): Caminhando com seus próprios passos pela agenda ESG (link)
  • Trilogia ESG (Pt. I): Um mergulho no pilar E; Três nomes que são parte da solução (link)
  • Radar ESG | Blau (BLAU3) e Hypera (HYPE3): Em busca da fórmula ESG (link)
  • Bitcoin e ESG: Entenda os dois lados da moeda (link)
  • Radar ESG | Bemobi (BMOB3): Diversidade é o nome do jogo (link)
  • Radar ESG | Setor de Logística (SIMH3, JSLG3 e VAMO3): Preparando-se para a estrada ESG (link)
  • Radar ESG | Laboratórios: ESG ainda na triagem; Fleury se destacando em relação aos pares (link)
  • Cúpula de Líderes sobre o Clima: Tecnologia, economia e agenda verde centralizam as discussões no segundo dia do evento (link)
  • Cúpula de Líderes sobre o Clima: Cooperação global é uma das três principais mensagens do evento (link)
  • Radar ESG | Locadoras de automóveis: Rumo à agenda ESG; Localiza liderando a corrida (link)
  • Radar ESG | São Martinho (SMTO3): Quanto mais se semeia, maior é a colheita (link)
  • Radar ESG | Orizon (ORVR3): Quando ESG está escrito no DNA (link)
  • Sondagem XP/ESG com investidores institucionais (link)
  • O melhor dos dois mundos: Seleção de 10 BDRs para exposição internacional ao tema ESG (link)
  • Radar ESG | Enjoei (ENJU3): O usado é o novo “novo”? (link)
  • Radar ESG | CSN Mineração (CMIN3): Explorando os campos ESG (link)
  • Radar ESG | Jalles (JALL3): Plantando as sementes ESG (link)
  • Radar ESG | Incorporadoras de alta renda: ESG ainda em construção (link)
  • Radar ESG | Setor de saúde: O ESG ainda está na sala de espera? (link)
  • Radar ESG | Quão sustentáveis são as empresas de e-commerce? Uma análise ESG dessas gigantes (link)
  • Radar ESG | IMC (MEAL3): Por que a empresa ainda tem muito espaço para melhorar? (link)
  • Radar ESG | Aeris (AERI3): Uma das empresas melhor posicionada para surfar o vento ESG (link)
  • Radar ESG | 3R Petroleum: Construindo um caminho que incorpora metas ESG (link)
  • Radar ESG | Setor de supermercados: Vale a pena encher o carrinho? (link)
  • Radar ESG | JHSF (JHSF3): Espaço para melhorias (link)
  • Radar ESG | Quem é o melhor aluno da classe? Avaliando os líderes em ESG dentre as empresas de educação no Brasil (link)
  • Panorama do marco regulatório de investimentos ESG no Brasil (link)
  • CVM e B3 estudam intensificar critérios ESG para as companhias listadas (link)
  • Radar ESG | Setor de vestuário e joias: ESG ainda na confecção (link)
  • ESG: Tendências e preferências para 2021 (link)
  • Radar ESG | LOG Commercial Properties (LOGG3): Oportunidades em empreendimentos verdes (link)
  • Eleições americanas: Quais os efeitos para a agenda ESG nos EUA e no Brasil? (link)
  • Radar ESG | Farmácias: Raia Drogasil como a ação prescrita no setor para exposição a ESG (link)
  • Radar ESG | Shoppings: Entenda o que importa para eles quando o tema é ESG (link)
  • Radar ESG | Ambev (ABEV3): Um case que desce redondo (link)
  • Feedback do roadshow ESG: O que as gestoras no Brasil estão fazendo em relação ao tema? (link)
  • ESG de A a Z: Tudo o que você precisa saber sobre o tema (link)

Ainda não tem conta na XP? Clique aqui e abra a sua!

XP Expert

Avaliação

O quão foi útil este conteúdo pra você?


Newsletter
Newsletter

Gostaria de receber nossos conteúdos por e-mail?

Cadastre-se e receba grátis nossos relatórios e recomendações de investimentos

Telegram
Telegram XP

Acesse os conteúdos

Telegram XP

pelo Telegram da XP Investimentos

A XP Investimentos CCTVM S/A, inscrita sob o CNPJ: 02.332.886/0001-04, é uma instituição financeira autorizada a funcionar pelo Banco Central do Brasil.Toda comunicação através de rede mundial de computadores está sujeita a interrupções ou atrasos, podendo impedir ou prejudicar o envio de ordens ou a recepção de informações atualizadas. A XP Investimentos exime-se de responsabilidade por danos sofridos por seus clientes, por força de falha de serviços disponibilizados por terceiros. A XP Investimentos CCTVM S/A é instituição autorizada a funcionar pelo Banco Central do Brasil.


Este site usa cookies e dados pessoais de acordo com a nossa Política de Cookies (gerencie suas preferências de cookies) e a nossa Política de Privacidade.