XP Expert

B3 atualiza o novo índice IGPTW B3 | Café com ESG, 28/01

Comece o dia bem informado com as principais notícias ao redor do Brasil e do mundo quando o tema é ESG!

Compartilhar:

  • Compartilhar no Facebook
  • Compartilhar no Twitter
  • Compartilhar no Whatsapp
  • Compartilhar no LinkedIn
  • Compartilhar via E-mail

Bom dia! Neste relatório diário publicado todas as manhãs pelo time ESG do Research da XP, buscamos trazer as últimas notícias para que você comece o dia bem informado e fique por dentro do que o Brasil e o mundo fala sobre um tema que tem ficado cada vez mais relevante: ESG – do termo em inglês Environmental, Social and Governance ou, em português, ASG – Ambiental, Social e Governança.

Quais tópicos abordamos ao longo do conteúdo? (i) Notícias no Brasil e no mundo acerca do tema ESG; (ii) Performance histórica dos principais índices ESG em diferentes países; (iii) Comparativo da performance do Ibovespa vs. ISE (Índice de Sustentabilidade Empresarial, da B3); e (iv) Lista com os últimos relatórios publicados pelo Research ESG da XP.
Por que essas informações são importantes? 
Porque elas indicam os temas dentro da agenda ESG que estão sendo cada vez mais monitoradas por parte dos investidores e das empresas, e podem impactar os preços das ações de diferentes companhias.


Esperamos que aproveite a leitura!

Principais tópicos do dia

• O mercado encerrou o pregão de quinta-feira em território positivo, com o Ibov e o ISE em alta de +1,2% e +1,5%, respectivamente.

• No Brasil, a B3 anunciou que vai incluir as empresas Localiza, Mosaico e Neogrida na carteira do recém-criado IGPTW B3, índice lançado em parceria com a consultoria global Great Place to Work (GPTW) com foco nas companhias que possuem as melhores práticas no mercado de trabalho.

• Do lado das empresas, (i) a BP, uma das maiores petroleiras globais, tem planos de investir entre US$3-4bn por ano no mundo até 2025, em negócios de baixo carbono, e colocou o Brasil na rota da expansão da companhia em renováveis; (ii) a Via e o ecossistema de negócios sustentáveis Pangeia se uniram em um projeto de aceleração da jornada ESG da companhia; e (iii) a Pague Menos anunciou no lançamento da sua agenda estratégica de sustentabilidade uma nova seção em seu site de RI dedicada aos temas ESG.


Brasil

Empresas

B3 inclui Localiza, Mosaico e Neogrid no índice IGPTW a partir de fevereiro

“A B3 informou há pouco que atualizou a carteira do recém-criado IGPTW B3, índice lançado em parceria com a consultoria global Great Place to Work (GPTW) com foco nas empresas que possuem as melhores práticas no mercado de trabalho. A partir de 1º de fevereiro, as empresas Localiza, Mosaico e Neogrid passam a integrar a carteira. A Bemobi Tech, que já estava na lista, será considerada como ranqueada. Segundo a B3, a atualização é necessária “devido a divergências técnicas nas bases de dados consideradas para a elaboração da carteira inicialmente divulgada”. A carteira do IGPTW B3 reúne ações de 47 empresas. Doze delas fazem parte do ranking das 150 melhores empresas para trabalhar e possuem peso dobrado no índice em relação às outras 35 empresas que são certificadas pela GPTW.”

Fonte: Valor Econômico, 27/01/2022

BP vai estrear em geração solar no Brasil em 2023

“A BP, uma das maiores petroleiras globais, tem planos de investir entre US$ 3 bilhões e US$ 4 bilhões por ano no mundo até 2025, em negócios de baixo carbono, e colocou o Brasil na rota da expansão da companhia em renováveis. A multinacional espera acelerar o crescimento no mercado brasileiro nos próximos anos e se prepara para estrear na geração solar, em 2023. A companhia também tem planos de entrar no negócio de biogás. Em paralelo, a petroleira britânica começa o ano em busca de descobertas de petróleo e gás natural no Brasil e traça planos de expansão também para a área de geração a gás. Sócia da GNA (Gás Natural Açu), responsável pelo parque termelétrico do Porto do Açu, em São João da Barra (RJ), a BP quer replicar o modelo e criar um polo de gás, associado à geração de energia, também no Ceará. BP tem como meta elevar em 20 vezes a capacidade de geração renovável até 2030, para 50 gigawatts.”

Fonte: Valor Econômico, 28/01/2022

ESG no varejo: Casas Bahia lança e-commerce de produtos sustentáveis

“A Via, dona das marcas Casas Bahia, Ponto e extra.com.br, e o ecossistema de negócios sustentáveis Pangeia se uniram em um projeto de aceleração da jornada ESG da companhia. Como primeira iniciativa, o site e app da Casas Bahia passaram a ter a plataforma como uma loja sustentável oficial. A Pangeia chega ao e-commerce da Casas Bahia com um sortimento variado de produtos de categorias como alimentos, utensílios, acessórios e cuidados pessoais, todos produzidos com práticas sustentáveis por tribos indígenas da Amazônia, cooperativas rurais e florestais, de artesãos e de fabricantes verdadeiramente empenhados na promoção de um ciclo produtivo sustentável.”

Fonte: Mercado e Consumo, 28/01/2022

Pague Menos (PGMN3) divulga agenda de metas dedicada a temas ESG

“A Pague Menos anunciou no lançamento da sua agenda estratégica de sustentabilidade uma nova seção em seu site de relações com investidores dedicada aos temas Environmental, Social and Governance (ESG).A partir da visão de sustentabilidade, a Pague Menos afirma que será “uma solução completa de saúde que contribuirá significativamente para reduzir as desigualdades de acesso a uma vida saudável no Brasil”. Compartilhada com o mercado no Pague Menos Day, a companhia estruturou um conjunto de compromissos de cunho ambiental, social e de governança, ancorados nos pilares de saúde para as pessoas, para o meio ambiente e para os negócios, desdobrados em 32 metas a serem continuamente monitoradas.”

Fonte: Money Times, 27/01/2022

Disparidade entre discurso e prática ESG deve diminuir com o tempo, diz sócio da PwC

“Sócio da firma de consultoria e auditoria PwC Brasil, Lindomar Schmoller afirmou nesta quarta-feira (25) que ainda há muita disparidade entre empresas que adotam discursos de Governança Ambiental, Social e Corporativa (ESG, na sigla em inglês) e as que realmente tomam medidas e incluem metas acerca do tema na remuneração variável de seus colaboradores. Em um estudo realizado pela PwC, revelou-se que 42% das empresas brasileiras possuem índices de representação de gênero em suas estratégias corporativas de longo prazo, mas só 12% oferecem bônus pessoal anual ou plano de incentivos atrelados a essa meta. No setor financeiro essa fatia cai para 6%. A pesquisa foi realizada com 4,4 mil executivos em 89 países.”

Fonte: Valor Econômico, 27/01/2022

Política

Combater desmatamento é “senha para a reinserção internacional”

““Combater o desmatamento não é uma questão internacional. É o mínimo ético meu, eu não quero conviver com a ilegalidade dessa maneira. Antes do chinês ou do europeu, o brasileiro tem o direito de ter uma carne sem desmatamento. Estamos jogando fora a riqueza de uma sociedade e a entregando para o crime.” A frase é de Izabella Teixeira, ex-ministra do Meio Ambiente de 2010 a 2016, em parte do governo Lula e na gestão Dilma Rousseff. “Combater o desmatamento é hoje uma senha para o Brasil ter reinserção internacional. Hoje há pouquíssima tolerância com o Brasil”, continua a bióloga, sênior fellow do Instituto Arapyaú e conselheira do Centro Brasileiro de Relações Internacionais, o Cebri.”

Fonte: Valor Econômico, 28/01/2022

Internacional

Empresas

Nestlé dará dinheiro a produtores de cacau para manter crianças na escola

“A Nestlé disse nesta quinta-feira que começará a pagar aos produtores de cacau se eles mandarem seus filhos para a escola em vez de saírem para cuidar das plantações, como parte de um esforço para comprar todo o seu cacau através de uma cadeia de suprimentos totalmente rastreável e de origem direta até 2025. Os fabricantes de chocolate estão sob crescente pressão de investidores, consumidores e governos para garantir que os grãos de cacau que eles compram não sejam produzidos com trabalho infantil ou em plantações ilegais de cacau em florestas protegidas, ambos comuns na África Ocidental. O grupo de alimentos por trás das barras de chocolate KitKat e da confeitaria Smarties disse que triplicará seus atuais gastos anuais em cacau sustentável para dar um investimento total de 1,3 bilhão de francos suíços (US$ 1,41 bilhão) até 2030.”

Fonte: Reuters, 27/01/2022

Fundos hedge lucram com alta de licenças de carbono

“O preço das licenças de carbono na União Europeia teve uma alta de quase 150% no ano passado, para o maior nível histórico. Para alguns dos fundos hedge que lucraram com a valorização, esse recorde será quebrado novamente em 2022. Fundos como Andurand Capital Management, Northlander Commodity Advisors e Clean Energy Transition esperam que o preço dessas licenças ultrapasse a marca de € 100 – 13% acima do fechamento de quarta-feira – à medida que os países do bloco queimam mais carvão para manter as luzes acesas em meio à disparada da cotação do gás natural, que também é usado para gerar eletricidade. As previsões foram feitas antes que movimentações de tropas da Rússia perto da Ucrânia aumentassem tensões geopolíticas e preocupações sobre o fornecimento de gás. É um momento crítico para o sistema europeu que impõe um preço às emissões de carbono por cerca de 10 mil usinas elétricas e instalações industriais.”

Fonte: Valor Econômico, 28/01/2022

Política

Ministro alemão pede revisão das regras de financiamento de energia verde da UE

“O ministro do Meio Ambiente da Alemanha pediu nesta quinta-feira uma revisão geral das regras propostas pela União Europeia sobre quais tipos de energia devem ser rotulados como verdes, depois que os formuladores de políticas de Bruxelas ignoraram as objeções alemãs à inclusão da energia nuclear. O projeto de plano da UE , publicado no final do ano passado, que classificaria os investimentos em gás natural e energia nuclear como ambientalmente sustentáveis, dividiu opiniões no bloco de 27 membros da UE e entre investidores. A França, sede de uma indústria nuclear globalmente importante, apoiou a classificação da energia nuclear como sustentável.”

Fonte: Reuters, 27/01/2022

Casa Branca pondera extensão das tarifas solares da era Trump

“A Casa Branca está considerando estender as tarifas da era Trump sobre as importações de energia solar, mas com alguns ajustes para facilitar o acesso de instaladores domésticos, de acordo com duas fontes familiarizadas com o pensamento do governo. O plano representa uma tentativa do governo do presidente dos EUA, Joe Biden, de encontrar um terreno comum entre dois importantes grupos políticos: sindicatos, que apóiam restrições de importação para proteger empregos domésticos, e desenvolvedores de energia limpa interessados ​​em acessar suprimentos estrangeiros mais baratos do que produtos fabricados nos EUA. O ex-presidente Donald Trump impôs um regime tarifário de quatro anos sobre as importações de energia solar em 2018, começando em 30% e caindo para 15% no último ano, em uma tentativa de criar empregos na fabricação de energia solar nos EUA.”

Fonte: Reuters, 27/01/2022


Índices ESG e suas performances

(1) O Índice ISE (Índice de Sustentabilidade Empresarial da B3) tem como objetivo ser o indicador do desempenho médio das cotações dos ativos de empresas com reconhecido comprometimento com o desenvolvimento sustentável, práticas e alinhamento estratégico com a sustentabilidade empresarial.
(2) O Índice S&P/B3 Brasil ESG mede a performance de títulos que cumprem critérios de sustentabilidade e é ponderado pelas pontuações ESG da S&P DJI. Ele exclui ações com base na sua participação em certas atividades comerciais, no seu desempenho em comparação com o Pacto Global da ONU e também cias sem pontuação ESG da S&P DJI.
(3) O ICO2 tem como propósito ser um instrumento indutor das discussões sobre mudança do clima no Brasil. A adesão das companhias ao ICO2 demonstra o comprometimento com a transparência de suas emissões e antecipa a visão de como estão se preparando para uma economia de baixo carbono.
(4) O objetivo do IGCT é ser o indicador do desempenho médio das cotações dos ativos de emissão de empresas integrantes do IGC que atendam aos critérios adicionais descritos nesta metodologia.
(5) A série de índices FTSE4Good foi projetada para medir o desempenho de empresas que demonstram fortes práticas ambientais, sociais e de governança (ESG).
(6)
O Índice MSCI ACWI, que representa o desempenho de todo o conjunto de ações de grande e médio porte do mundo, em 23 mercados desenvolvidos e 26 emergentes.


Nossos últimos relatórios

  • Carteira ESG XP: Sem alterações em nosso portfólio para janeiro (link)
  • Radar ESG | AgroGalaxy (AGXY3): Plantando as sementes ESG (link)
  • Radar ESG | Petrobras (PETR4): E o campo ESG, como a Petrobras está explorando? (link)
  • Radar ESG | Oncoclínicas (ONCO3): Ainda na sala de espera (link)
  • Radar ESG | Aviação Brasil (EMBR3, AZUL4 e GOLL4): Voando pelos ares ESG (link)
  • Radar ESG | Alpargatas (ALPA4): Iniciando a caminhada pela agenda ESG (link)
  • Radar ESG | Kepler Weber (KEPL3): Um começo promissor (link)
  • Radar ESG | TIM (TIMS3): Chamando a agenda ESG (link)
  • ESG: O que moldará os investimentos sustentáveis em 2022? (link)
  • Carteira ESG XP: Sem alterações em nosso portfólio para dezembro (link)
  • Radar ESG | Burger King Brasil (BKBR): Espaço para avanço na agenda, mas os planos ambiciosos adiante animam (link)
  • COP26: Implicações do documento final (link)
  • Expo Dubai: Buscando soluções diante de recursos finitos (link)
  • Expo Dubai: Todos os olhos voltados para o futuro da mobilidade (link)
  • Expo Dubai: Tecnologia e sustentabilidade centralizam os destaques do evento nesta terça-feira (link)
  • Expo Dubai: Três principais destaques do evento nesta segunda-feira, dia do Brasil na feira (link)
  • COP26: Um encontro decisivo para conter o aquecimento global (link)
  • Seleção BDRs ESG​: 15 nomes para exposição internacional ao tema (link)
  • Radar ESG | Kora Saúde (KRSA3): Ainda há um caminho a ser percorrido (link)
  • Radar ESG | Empresas de Autopeças: Preparando a estrada ESG; Governança e segurança em primeiro lugar (link)
  • Radar ESG | Unifique (FIQE3) e Brisanet (BRIT3): O que as empresas de telecomunicações brasileiras têm feito? (link)
  • Radar ESG | Natura&Co. (NTCO3): Não é apenas maquiagem; ESG é uma realidade! (link)
  • Vale (VALE3): Feedback do Webinar ESG; Todos os olhos voltados para a redução de riscos (link)
  • Radar ESG | Totvs (TOTS3): A melhor posicionada no setor de tecnologia sob a cobertura da XP (link)
  • Assembleia Geral da ONU: Cenário climático alarmante centraliza as discussões (link)
  • Amazônia: Entendendo a importância da maior floresta tropical do mundo (link)
  • ESG no centro das discussões; Três principais aprendizados da Expert XP 2021 (link)
  • Radar ESG | Companhia Brasileira de Alumínio (CBAV3): Uma líder em alumínio verde, com forte posicionamento ESG (link)
  • Relatório do IPCC: Um chamado para todos, inclusive para o mercado, frente a um cenário alarmante do clima (link)
  • Radar ESG | WEG (WEGE3): Um player ESG bem equipado para se beneficiar das tendências adiante (link)
  • Radar ESG | Boa Safra (SOJA3): Agenda ESG em produção, semente por semente (link)
  • Água: Onde há escassez, há oportunidade (link)
  • Radar ESG | Positivo (POSI3): Um trabalho em andamento (link)
  • B3 anuncia nova metodologia para o ISE; Positivo (link)
  • Radar ESG | G2D (G2DI33): Abraçando os pilares S e E através do portfólio de investimentos de impacto (link)
  • Ambev (ABEV3): Feedback do evento ESG; Reforçamos nossa visão positiva (link)
  • Radar ESG | Setor de infraestrutura (CCRO3, ECOR3, RAIL3, HBSA3, STBP3): Preparando o asfalto (link)
  • Crédito de carbono: Capturando parte da solução; 5 nomes para exposição ao tema (link)
  • Radar ESG | Incorporadoras de Imóveis Residenciais Populares: Construindo os andares ESG (link)
  • Radar ESG | Arezzo & Co. (ARZZ3): Caminhando com seus próprios passos pela agenda ESG (link)
  • Trilogia ESG (Pt. I): Um mergulho no pilar E; Três nomes que são parte da solução (link)
  • Radar ESG | Blau (BLAU3) e Hypera (HYPE3): Em busca da fórmula ESG (link)
  • Bitcoin e ESG: Entenda os dois lados da moeda (link)
  • Radar ESG | Bemobi (BMOB3): Diversidade é o nome do jogo (link)
  • Radar ESG | Setor de Logística (SIMH3, JSLG3 e VAMO3): Preparando-se para a estrada ESG (link)
  • Radar ESG | Laboratórios: ESG ainda na triagem; Fleury se destacando em relação aos pares (link)
  • Cúpula de Líderes sobre o Clima: Tecnologia, economia e agenda verde centralizam as discussões no segundo dia do evento (link)
  • Cúpula de Líderes sobre o Clima: Cooperação global é uma das três principais mensagens do evento (link)
  • Radar ESG | Locadoras de automóveis: Rumo à agenda ESG; Localiza liderando a corrida (link)
  • Radar ESG | São Martinho (SMTO3): Quanto mais se semeia, maior é a colheita (link)
  • Radar ESG | Orizon (ORVR3): Quando ESG está escrito no DNA (link)
  • Sondagem XP/ESG com investidores institucionais (link)
  • O melhor dos dois mundos: Seleção de 10 BDRs para exposição internacional ao tema ESG (link)
  • Radar ESG | Enjoei (ENJU3): O usado é o novo “novo”? (link)
  • Radar ESG | CSN Mineração (CMIN3): Explorando os campos ESG (link)
  • Radar ESG | Jalles (JALL3): Plantando as sementes ESG (link)
  • Radar ESG | Incorporadoras de alta renda: ESG ainda em construção (link)
  • Radar ESG | Setor de saúde: O ESG ainda está na sala de espera? (link)
  • Radar ESG | Quão sustentáveis são as empresas de e-commerce? Uma análise ESG dessas gigantes (link)
  • Radar ESG | IMC (MEAL3): Por que a empresa ainda tem muito espaço para melhorar? (link)
  • Radar ESG | Aeris (AERI3): Uma das empresas melhor posicionada para surfar o vento ESG (link)
  • Radar ESG | 3R Petroleum: Construindo um caminho que incorpora metas ESG (link)
  • Radar ESG | Setor de supermercados: Vale a pena encher o carrinho? (link)
  • Radar ESG | JHSF (JHSF3): Espaço para melhorias (link)
  • Radar ESG | Quem é o melhor aluno da classe? Avaliando os líderes em ESG dentre as empresas de educação no Brasil (link)
  • Panorama do marco regulatório de investimentos ESG no Brasil (link)
  • CVM e B3 estudam intensificar critérios ESG para as companhias listadas (link)
  • Radar ESG | Setor de vestuário e joias: ESG ainda na confecção (link)
  • ESG: Tendências e preferências para 2021 (link)
  • Radar ESG | LOG Commercial Properties (LOGG3): Oportunidades em empreendimentos verdes (link)
  • Eleições americanas: Quais os efeitos para a agenda ESG nos EUA e no Brasil? (link)
  • Radar ESG | Farmácias: Raia Drogasil como a ação prescrita no setor para exposição a ESG (link)
  • Radar ESG | Shoppings: Entenda o que importa para eles quando o tema é ESG (link)
  • Radar ESG | Ambev (ABEV3): Um case que desce redondo (link)
  • Feedback do roadshow ESG: O que as gestoras no Brasil estão fazendo em relação ao tema? (link)
  • ESG de A a Z: Tudo o que você precisa saber sobre o tema (link)

Ainda não tem conta na XP? Clique aqui e abra a sua!

XP Expert

Avaliação

O quão foi útil este conteúdo pra você?


Newsletter
Newsletter

Gostaria de receber nossos conteúdos por e-mail?

Cadastre-se e receba grátis nossos relatórios e recomendações de investimentos

Telegram
Telegram XP

Acesse os conteúdos

Telegram XP

pelo Telegram da XP Investimentos

A XP Investimentos CCTVM S/A, inscrita sob o CNPJ: 02.332.886/0001-04, é uma instituição financeira autorizada a funcionar pelo Banco Central do Brasil.Toda comunicação através de rede mundial de computadores está sujeita a interrupções ou atrasos, podendo impedir ou prejudicar o envio de ordens ou a recepção de informações atualizadas. A XP Investimentos exime-se de responsabilidade por danos sofridos por seus clientes, por força de falha de serviços disponibilizados por terceiros. A XP Investimentos CCTVM S/A é instituição autorizada a funcionar pelo Banco Central do Brasil.


Este site usa cookies e dados pessoais de acordo com a nossa Política de Cookies (gerencie suas preferências de cookies) e a nossa Política de Privacidade.