XP Expert

Ambev e Natura dão mais um passo na agenda sustentável | Café com ESG, 24/12

Comece o dia bem informado com as principais notícias ao redor do Brasil e do mundo quando o tema é ESG!

Compartilhar:

  • Compartilhar no Facebook
  • Compartilhar no Twitter
  • Compartilhar no Whatsapp
  • Compartilhar no LinkedIn
  • Compartilhar via E-mail

Bom dia! Neste relatório diário publicado todas as manhãs pelo time ESG do Research da XP, buscamos trazer as últimas notícias para que você comece o dia bem informado e fique por dentro do que o Brasil e o mundo fala sobre um tema que tem ficado cada vez mais relevante: ESG – do termo em inglês Environmental, Social and Governance ou, em português, ASG – Ambiental, Social e Governança.

Quais tópicos abordamos ao longo do conteúdo? (i) Notícias no Brasil e no mundo acerca do tema ESG; (ii) Performance histórica dos principais índices ESG em diferentes países; (iii) Comparativo da performance do Ibovespa vs. ISE (Índice de Sustentabilidade Empresarial, da B3); e (iv) Lista com os últimos relatórios publicados pelo Research ESG da XP.
Por que essas informações são importantes? 
Porque elas indicam os temas dentro da agenda ESG que estão sendo cada vez mais monitoradas por parte dos investidores e das empresas, e podem impactar os preços das ações de diferentes companhias.

Esperamos que aproveite a leitura!

Principais tópicos do dia

• O mercado fechou o pregão desta quarta-feira de lado, com o Ibov e o ISE em leve queda de -0,33% e -0,01%, respectivamente.

• No Brasil, (i) a Ambev anunciou ontem que vai construir uma fábrica de vidros sustentáveis no Paraná, com previsão de começar a operar em 2025 e com um investimento de R$ 870 milhões; e (ii) após seis anos de pesquisas e desenvolvimento de tecnologia, a fabricante de cosméticos Natura lançou essa semana a Natura Biōme, uma marca de produtos de beleza e cuidados pessoais em barra, e zero plástico.

• No internacional, Bruxelas quer uma fatia anual de € 12 bilhões do esquema de comércio de emissões (ETS) da UE e usá-la para pagar dívidas de fundos de recuperação e apoiar famílias vulneráveis, enquanto a Comissão Europeia defende novas fontes de receita dos Estados membros.

Gostaria de receber esse conteúdo por e-mailClique aqui.
Gostou do conteúdo, tem alguma dúvida ou quer nos enviar uma sugestão? Basta deixar um comentário no final do post!


Brasil

Empresas

Ambev investe R$ 870 milhões em fábrica de vidros no Paraná

“A Ambev anunciou nesta quinta-feira que vai construir uma fábrica de vidros sustentáveis. Com previsão de começar a operar em 2025, a unidade ficará no Paraná e vai ter um investimento de R$ 870 milhões. Além de abastecer todo o país, a empresa vê na unidade oportunidade de desenvolvimento da logística reversa e economia circular, elementos que estabeleceu em seu plano de metas de sustentabilidade. O objetivo da companhia é ter 100% de seus produtos em embalagens retornáveis ou feitas majoritariamente de conteúdo reciclado até 2025. A fábrica de vidros produzirá garrafas a partir da reciclagem de cacos, recolhidos em parcerias com empresas de logística reversa e cooperativas. A nova fábrica terá capacidade de produzir até 500 milhões de garrafas por ano, dependendo do tipo de garrafa, podendo ser long neck, 300 ml, 600 ml e 1 litro. Entre os rótulos a serem atendidos estão, por exemplo, Stella Artois, Becks e Spaten. A fábrica abastecerá cervejarias em diversos Estados, além do próprio Paraná.”

Fonte: Valor Econômico, 23/12/2021

Natura lança Biōme, marca de produtos em barra e zero plástico

“Após seis anos de pesquisas e desenvolvimento de tecnologia, a fabricante de cosméticos Natura lança no mercado a Natura Biōme, uma marca de produtos de beleza e cuidados pessoais em barra, e zero plástico. A primeira linha de produtos sólidos da Natura com fórmulas naturais e veganas busca mostrar como esse tipo de produto também pode ser bastante sensorial e com performance. Para o desenvolvimento, a marca utilizou ingredientes derivados de soluções baseadas na natureza, produzido em sistema agroflorestal pioneiro, e o uso de bioresina, feita a partir de captura de gás metano e aplicada no desenvolvimento de acessório para armazenamento das barras. “Esse produto olhou para diversos desafios, um deles é a lógica de sistemas agroflorestais de modo que não haja uso de agrotóxico e as famílias do cultivo tenham renda sempre, independente do tempo de amadurecimento da cultura. Além disso, pensamos no menor uso de água, na sustentabilidade na cadeia e transporte”, diz Andrea Álvares, vice-presidente de marca, inovação, internacionalização e sustentabilidade da Natura.”

Fonte: Exame, 20/12/2021

Opinião

Perspectivas e sustentabilidade no transporte ferroviário

“[…] Além dos planos de expansão, há grande expectativa de que o setor ferroviário – público e privado – invista em melhorias para a redução da poluição gerada até 2030, no intuito de cumprir as metas colocadas pela COP-26, 26ª Conferência das Nações Unidas sobre as Mudanças Climáticas. Durante o encontro anual realizado pela Convenção-Quadro das Nações Unidas sobre Mudança do Clima (UNFCCC) com representantes de diversos países com intuito de debater as mudanças climáticas no mundo, foi definido que, até 2035, o uso de veículos que utilizam como matriz energética a queima de derivados de petróleo deveria ser superado. Assim, no intuito de cumprir a citada meta e criar uma matriz de transporte “verde”, o Brasil apresentou três planos de concessão de ferrovias – Ferrovia de Integração Oeste-Leste (Fiol), Ferrovia de Integração do Centro-Oeste (Fico) e Ferrogrão – que tem como principal objetivo diminuir a quantidade de caminhões circulando nas rodovias e, consequentemente, reduzir a emissão de gás carbônico (CO2) na atmosfera.”

Fonte: Estadão, 23/12/2021

Internacional

Empresas

China faz a fusão de 3 mineradoras de terras raras para fortalecer o domínio do setor

“A China aprovou a fusão de três empresas líderes de terras raras, criando uma potência estatal que será a maior produtora mundial do recurso estratégico e fortalecerá o controle governamental sobre a indústria. Em um comunicado, a China Minmetals Rare Earth Co disse que recebeu a aprovação do Conselho de Estado, o gabinete do país, para se fundir com dois outros gigantes estatais, Chinalco Rare Earth and Metals Co e Ganzhou Rare Earth Group, para formar um novo grupo sob o controle direto do governo central. A mídia estatal chamou a nova entidade, China Rare Earth Group, de “porta-aviões” em referência ao seu tamanho e poder industrial, observando que controlará 70% da produção de terras raras da China. Elementos de terras raras são um grupo de 17 minerais usados ​​na fabricação de tudo, desde produtos eletrônicos a veículos elétricos e turbinas eólicas, e vistos como críticos nas soluções para mudanças climáticas, entre outros fatores estratégicos importantes.”

Fonte: Financial Times, 22/12/2021

Bruxelas busca receitas anuais de € 12 bilhões do esquema de comércio de carbono da UE

“Bruxelas quer pegar uma fatia anual de € 12 bilhões do esquema de comércio de emissões (ETS) da UE e usá-la para pagar dívidas de fundos de recuperação e apoiar famílias vulneráveis, enquanto a Comissão Europeia defende novas fontes de receita dos Estados membros. As propostas da comissão também lhe dariam a maior parte do novo mecanismo de ajuste de fronteira de carbono, que taxará as importações altamente poluentes, ganhando mais € 1 bilhão por ano em receitas. E Bruxelas ficaria com uma parcela dos direitos tributários realocados sobre as multinacionais, proposta no recente acordo da OCDE, gerando até € 4 bilhões de receita extra. O pacote de novos “recursos próprios” da UE, no valor de até € 17 bilhões por ano a partir de 2026, revolucionaria a forma como a comissão arrecada dinheiro, mas é provável que encontre negociações difíceis com os Estados membros que se irritarão com a concessão de novas linhas de receita a Bruxelas. Bruxelas argumenta que o dinheiro extra é necessário para pagar os empréstimos sem precedentes que serão acumulados sob seu programa de recuperação de pandemia de € 800 bilhões.”

Fonte: Financial Times, 23/12/2021


Índices ESG e suas performances

(1) O Índice ISE (Índice de Sustentabilidade Empresarial da B3) tem como objetivo ser o indicador do desempenho médio das cotações dos ativos de empresas com reconhecido comprometimento com o desenvolvimento sustentável, práticas e alinhamento estratégico com a sustentabilidade empresarial.
(2) O Índice S&P/B3 Brasil ESG mede a performance de títulos que cumprem critérios de sustentabilidade e é ponderado pelas pontuações ESG da S&P DJI. Ele exclui ações com base na sua participação em certas atividades comerciais, no seu desempenho em comparação com o Pacto Global da ONU e também cias sem pontuação ESG da S&P DJI.
(3) O ICO2 tem como propósito ser um instrumento indutor das discussões sobre mudança do clima no Brasil. A adesão das companhias ao ICO2 demonstra o comprometimento com a transparência de suas emissões e antecipa a visão de como estão se preparando para uma economia de baixo carbono.
(4) O objetivo do IGCT é ser o indicador do desempenho médio das cotações dos ativos de emissão de empresas integrantes do IGC que atendam aos critérios adicionais descritos nesta metodologia.
(5) A série de índices FTSE4Good foi projetada para medir o desempenho de empresas que demonstram fortes práticas ambientais, sociais e de governança (ESG).
(6)
O Índice MSCI ACWI, que representa o desempenho de todo o conjunto de ações de grande e médio porte do mundo, em 23 mercados desenvolvidos e 26 emergentes.


Nossos últimos relatórios

  • Radar ESG | Oncoclínicas (ONCO3): Ainda na sala de espera (link)
  • Radar ESG | Aviação Brasil (EMBR3, AZUL4 e GOLL4): Voando pelos ares ESG (link)
  • Radar ESG | Alpargatas (ALPA4): Iniciando a caminhada pela agenda ESG (link)
  • Radar ESG | Kepler Weber (KEPL3): Um começo promissor (link)
  • Radar ESG | TIM (TIMS3): Chamando a agenda ESG (link)
  • ESG: O que moldará os investimentos sustentáveis em 2022? (link)
  • Carteira ESG XP: Sem alterações em nosso portfólio para dezembro (link)
  • Radar ESG | Burger King Brasil (BKBR): Espaço para avanço na agenda, mas os planos ambiciosos adiante animam (link)
  • COP26: Implicações do documento final (link)
  • Expo Dubai: Buscando soluções diante de recursos finitos (link)
  • Expo Dubai: Todos os olhos voltados para o futuro da mobilidade (link)
  • Expo Dubai: Tecnologia e sustentabilidade centralizam os destaques do evento nesta terça-feira (link)
  • Expo Dubai: Três principais destaques do evento nesta segunda-feira, dia do Brasil na feira (link)
  • COP26: Um encontro decisivo para conter o aquecimento global (link)
  • Seleção BDRs ESG​: 15 nomes para exposição internacional ao tema (link)
  • Radar ESG | Kora Saúde (KRSA3): Ainda há um caminho a ser percorrido (link)
  • Radar ESG | Empresas de Autopeças: Preparando a estrada ESG; Governança e segurança em primeiro lugar (link)
  • Radar ESG | Unifique (FIQE3) e Brisanet (BRIT3): O que as empresas de telecomunicações brasileiras têm feito? (link)
  • Radar ESG | Natura&Co. (NTCO3): Não é apenas maquiagem; ESG é uma realidade! (link)
  • Vale (VALE3): Feedback do Webinar ESG; Todos os olhos voltados para a redução de riscos (link)
  • Radar ESG | Totvs (TOTS3): A melhor posicionada no setor de tecnologia sob a cobertura da XP (link)
  • Assembleia Geral da ONU: Cenário climático alarmante centraliza as discussões (link)
  • Amazônia: Entendendo a importância da maior floresta tropical do mundo (link)
  • ESG no centro das discussões; Três principais aprendizados da Expert XP 2021 (link)
  • Radar ESG | Companhia Brasileira de Alumínio (CBAV3): Uma líder em alumínio verde, com forte posicionamento ESG (link)
  • Relatório do IPCC: Um chamado para todos, inclusive para o mercado, frente a um cenário alarmante do clima (link)
  • Radar ESG | WEG (WEGE3): Um player ESG bem equipado para se beneficiar das tendências adiante (link)
  • Radar ESG | Boa Safra (SOJA3): Agenda ESG em produção, semente por semente (link)
  • Água: Onde há escassez, há oportunidade (link)
  • Radar ESG | Positivo (POSI3): Um trabalho em andamento (link)
  • B3 anuncia nova metodologia para o ISE; Positivo (link)
  • Radar ESG | G2D (G2DI33): Abraçando os pilares S e E através do portfólio de investimentos de impacto (link)
  • Ambev (ABEV3): Feedback do evento ESG; Reforçamos nossa visão positiva (link)
  • Radar ESG | Setor de infraestrutura (CCRO3, ECOR3, RAIL3, HBSA3, STBP3): Preparando o asfalto (link)
  • Crédito de carbono: Capturando parte da solução; 5 nomes para exposição ao tema (link)
  • Radar ESG | Incorporadoras de Imóveis Residenciais Populares: Construindo os andares ESG (link)
  • Radar ESG | Arezzo & Co. (ARZZ3): Caminhando com seus próprios passos pela agenda ESG (link)
  • Trilogia ESG (Pt. I): Um mergulho no pilar E; Três nomes que são parte da solução (link)
  • Radar ESG | Blau (BLAU3) e Hypera (HYPE3): Em busca da fórmula ESG (link)
  • Bitcoin e ESG: Entenda os dois lados da moeda (link)
  • Radar ESG | Bemobi (BMOB3): Diversidade é o nome do jogo (link)
  • Radar ESG | Setor de Logística (SIMH3, JSLG3 e VAMO3): Preparando-se para a estrada ESG (link)
  • Radar ESG | Laboratórios: ESG ainda na triagem; Fleury se destacando em relação aos pares (link)
  • Cúpula de Líderes sobre o Clima: Tecnologia, economia e agenda verde centralizam as discussões no segundo dia do evento (link)
  • Cúpula de Líderes sobre o Clima: Cooperação global é uma das três principais mensagens do evento (link)
  • Radar ESG | Locadoras de automóveis: Rumo à agenda ESG; Localiza liderando a corrida (link)
  • Radar ESG | São Martinho (SMTO3): Quanto mais se semeia, maior é a colheita (link)
  • Radar ESG | Orizon (ORVR3): Quando ESG está escrito no DNA (link)
  • Sondagem XP/ESG com investidores institucionais (link)
  • O melhor dos dois mundos: Seleção de 10 BDRs para exposição internacional ao tema ESG (link)
  • Radar ESG | Enjoei (ENJU3): O usado é o novo “novo”? (link)
  • Radar ESG | CSN Mineração (CMIN3): Explorando os campos ESG (link)
  • Radar ESG | Jalles (JALL3): Plantando as sementes ESG (link)
  • Radar ESG | Incorporadoras de alta renda: ESG ainda em construção (link)
  • Radar ESG | Setor de saúde: O ESG ainda está na sala de espera? (link)
  • Radar ESG | Quão sustentáveis são as empresas de e-commerce? Uma análise ESG dessas gigantes (link)
  • Radar ESG | IMC (MEAL3): Por que a empresa ainda tem muito espaço para melhorar? (link)
  • Radar ESG | Aeris (AERI3): Uma das empresas melhor posicionada para surfar o vento ESG (link)
  • Radar ESG | 3R Petroleum: Construindo um caminho que incorpora metas ESG (link)
  • Radar ESG | Setor de supermercados: Vale a pena encher o carrinho? (link)
  • Radar ESG | JHSF (JHSF3): Espaço para melhorias (link)
  • Radar ESG | Quem é o melhor aluno da classe? Avaliando os líderes em ESG dentre as empresas de educação no Brasil (link)
  • Panorama do marco regulatório de investimentos ESG no Brasil (link)
  • CVM e B3 estudam intensificar critérios ESG para as companhias listadas (link)
  • Radar ESG | Setor de vestuário e joias: ESG ainda na confecção (link)
  • ESG: Tendências e preferências para 2021 (link)
  • Radar ESG | LOG Commercial Properties (LOGG3): Oportunidades em empreendimentos verdes (link)
  • Eleições americanas: Quais os efeitos para a agenda ESG nos EUA e no Brasil? (link)
  • Radar ESG | Farmácias: Raia Drogasil como a ação prescrita no setor para exposição a ESG (link)
  • Radar ESG | Shoppings: Entenda o que importa para eles quando o tema é ESG (link)
  • Radar ESG | Ambev (ABEV3): Um case que desce redondo (link)
  • Feedback do roadshow ESG: O que as gestoras no Brasil estão fazendo em relação ao tema? (link)
  • ESG de A a Z: Tudo o que você precisa saber sobre o tema (link)

Ainda não tem conta na XP? Clique aqui e abra a sua!

XP Expert

Avaliação

O quão foi útil este conteúdo pra você?


Newsletter
Newsletter

Gostaria de receber nossos conteúdos por e-mail?

Cadastre-se e receba grátis nossos relatórios e recomendações de investimentos

Telegram
Telegram XP

Acesse os conteúdos

Telegram XP

pelo Telegram da XP Investimentos

B3 Autorregulação Anbima - Gestão de patrimônio Autorregulação Anbima - Gestão de recursos Autorregulação Anbima - Private Autorregulação Anbima - Distribuição de Produtos de Investimentos

A XP Investimentos CCTVM S/A, inscrita sob o CNPJ: 02.332.886/0001-04, é uma instituição financeira autorizada a funcionar pelo Banco Central do Brasil.

Toda comunicação através de rede mundial de computadores está sujeita a interrupções ou atrasos, podendo impedir ou prejudicar o envio de ordens ou a recepção de informações atualizadas. A XP Investimentos exime-se de responsabilidade por danos sofridos por seus clientes, por força de falha de serviços disponibilizados por terceiros. A XP Investimentos CCTVM S/A é instituição autorizada a funcionar pelo Banco Central do Brasil.

BMF&BOVESPA

BSM

CVM

Este site usa cookies e dados pessoais de acordo com a nossa Política de Cookies (gerencie suas preferências de cookies) e a nossa Política de Privacidade.