Café com ESG: Conteúdos diários que transformam | 19/11

Comece o dia bem informado com as principais notícias ao redor do Brasil e do mundo quando o tema é ESG!


Compartilhar:

  • Compartilhar no Facebook
  • Compartilhar no Twitter
  • Compartilhar no Whatsapp
  • Compartilhar no LinkedIn
  • Compartilhar via E-mail

Bom dia! Neste relatório diário publicado todas as manhãs pelo time ESG do Research da XP, buscamos trazer as últimas notícias para que você comece o dia bem informado e fique por dentro do que o Brasil e o mundo fala sobre um tema que tem ficado cada vez mais relevante: ESG – do termo em inglês Environmental, Social and Governance ou, em português, ASG – Ambiental, Social e Governança.

Quais tópicos abordamos ao longo do conteúdo? (i) Notícias no Brasil e no mundo acerca do tema ESG; (ii) Performance histórica dos principais índices ESG em diferentes países; (iii) Comparativo da performance do Ibovespa vs. ISE (Índice de Sustentabilidade Empresarial, da B3); e (iv) Lista com os últimos relatórios publicados pelo Research ESG da XP.
Por que essas informações são importantes? 
Porque elas indicam os temas dentro da agenda ESG que estão sendo cada vez mais monitoradas por parte dos investidores e das empresas, e podem impactar os preços das ações de diferentes companhias.

Esperamos que aproveite a leitura!

Principais tópicos do dia

• Ontem, o Ibov encerrou em leve queda de -0,5%, enquanto o ISE, em alta de +0,3%.

• No Brasil, (i) o Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (Inpe) órgão do Ministério da Ciência e Tecnologia, divulgou ontem que, entre agosto de 2020 e julho de 2021, foram desmatados 13.235 quilômetros quadrados de floresta na região, registrando o maior índice de desmatamento dos últimos 15 anos na chamada Amazônia Legal, que engloba o território de nove Estados; e (ii) a KPMG informou que está lançando no país um núcleo de serviços especializados com foco em empresas do agronegócio interessadas em reduzir e neutralizar suas emissões de gases de efeito estufa, o chamado Agro Decarbonization Hub, que pretende oferecer apoio para definição de metas e planos para a descarbonização.

• No internacional, uma pesquisa da gestora de investimentos anglo-alemã, Arabesque, mostrou que pouco mais de 1% das 5.000 grandes empresas ao redor do mundo estão fazendo divulgações substanciais de seus riscos climáticos, enquanto 54% delas não fizeram nenhum tipo de divulgação.

XP na Expo Dubai

A World Expo é um evento que acontece a cada 5 anos desde 1851, com o objetivo de exibir globalmente as grandes inovações. Este ano a feira acontece em Dubai e estamos aqui, com apoio da nossa parceira Fanato Incentive, para acompanhar e compartilhar os highlights daquilo que irá moldar o futuro.

Já estamos caminhando para o final da nossa visita na Expo Dubai. Hoje, é nosso quinto dia na feira e trazemos como destaques: (i) transformação do sistema alimentar; (ii) consumo consciente e economia circular; (iii) importância da biodiversidade no equilíbrio do planeta.

Clique aqui para ler o relatório com o feedback do dia de ontem.

Gostaria de receber esse conteúdo por e-mailClique aqui.
Gostou do conteúdo, tem alguma dúvida ou quer nos enviar uma sugestão? Basta deixar um comentário no final do post!


Brasil

Empresas

Lideranças negras são exceção dentro das organizações

“Desde junho de 2021, o executivo Maurício Rodrigues ocupa a presidência da divisão agrícola da Bayer na América Latina. Engenheiro civil com especializações em finanças dentro e fora do país, Rodrigues estruturou nos últimos anos a transição de CFO, cargo que ocupara desde 2018, para CEO, por meio de processos de avaliação de talentos e de sucessão na Bayer. “Esses processos me proporcionaram olhar para outras possibilidades na minha própria carreira que anos atrás eu não enxergava.” Como CEO, ele tem o desafio de acelerar a transformação digital e a transição sustentável do negócio e diz que fomentar um ambiente inclusivo é chave para chegar lá. […] Estudo do IBGE de 2019 aponta que somente cerca de 30% dos cargos gerenciais no país são ocupados por pessoas negras. Em 2020, um levantamento do Vagas.com com 238.636 candidatos, sendo 125.745 negros, indicou que esse perfil só é maioria em posições operacionais (47,6%) e técnicas (11,4%). Em cargos de nível pleno, profissionais negros representavam 8,9% do total e na direção ocupavam 0,7% das posições.”

Fonte: Valor Econômico, 18/11/2021

XP vai lançar programa para contratar negros em escritórios de agentes autônomos

“A XP vai lançar nas próximas semanas um programa de formação de assessores de investimento exclusivo para pessoas negras. Além da capacitação, a empresa promete bancar os custos da certificação exigidos para atuar na carreira financeira e direcionar os profissionais para a seleção em vagas nos escritórios autônomos da rede de parceiros da XP. A iniciativa acontece após o episódio da foto da Ável Investimentos, um escritório gaúcho de agentes autônomos ligado à XP que viralizou nas redes sociais, em agosto, ao publicar a imagem de uma equipe formada por dezenas de homens brancos e jovens. A empresa recebeu críticas e questionamento na Justiça por sua política de contratação sem diversidade. Para Marta Pinheiro, diretora de ESG da XP, o projeto de formação pode ser comparado a um programa de trainees.”

Fonte: Valor Econômico, 18/11/2021

KPMG lança núcleo com foco na redução de emissões por empresas do agronegócio

“A KPMG informou hoje que está lançando no país um núcleo de serviços especializados com foco em empresas do agronegócio interessadas em reduzir e neutralizar suas emissões de gases de efeito estufa. O Agro Decarbonization Hub, diz a companhia, pretende oferecer apoio para definição de metas e planos para a descarbonização. “[O núcleo] foi desenhado para oferecer soluções para todas as etapas do processo de redução de gases do efeito estufa, desde o inventário das emissões, passando pela identificação de soluções e chegando até o mapeamento de investimentos”, disse a KPMG, em nota. Os investimentos para o hub virão do fundo global da KPMG destinado à agenda ESG (ambiente, social e governança, em tradução livre). O núcleo de serviços iniciará suas atividades nesta semana, com uma rodada de reuniões com empresas interessadas em avançar na pauta de descarbonização.”

Fonte: Valor Econômico, 18/11/2021

Na SafeSpace, um cheque de R$ 11 milhões para combater o assédio no trabalho 

“A SafeSpace foi criada há um ano e meio com o objetivo de mudar a forma como as empresas lidam com casos de assédio, discriminação, bullying e corrupção, com uma plataforma digital que revoluciona os antigos – e ineficientes — canais de reclamação criados pelas áreas de recursos humanos. A startup de compliance digital acaba de levantar R$ 11 milhões numa rodada de captação liderada pelo fundo ABSeed Ventures e participação do DGF Investimentos e de investidores-anjo. Fundada por quatro jovens, três delas com menos de 30 anos, a empresa consegue garantir o sigilo para quem denuncia e, do outro lado, facilitar a apuração e o desenvolvimento de políticas preventivas por parte da empresa. Num mundo em que relações saudáveis no ambiente de trabalho são cada vez mais demandadas, a solução acabou chamando a atenção de investidores.”

Fonte: Capital Reset, 18/11/2021

Política

Desmatamento na Amazônia atinge 13.235 km², maior área dos últimos 15 anos

“O Brasil registrou o maior índice de desmatamento dos últimos 15 anos na chamada Amazônia Legal, que engloba o território de nove Estados. Nesta quinta-feira, o Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (Inpe) órgão do Ministério da Ciência e Tecnologia, informou que, entre agosto de 2020 e julho de 2021, foram desmatados 13.235 quilômetros quadrados de floresta na região. Em resposta, o ministro do Meio Ambiente, Joaquim Leite, afirmou que o governo federal atuará “de forma contundente contra qualquer crime ambiental”. Esse volume é 21,97% maior que o registro no mesmo intervalo de 12 meses anterior, quando a área devastada foi de 10.851 km². Os dados consolidados pelo Projeto de Monitoramento do Desmatamento na Amazônia Legal por Satélites (Prodes) são conhecidos como a informação técnica mais precisa sobre a medição de desmatamento no País. Para chegar ao levantamento, foi detalhada a situação de 106 cenas prioritárias em todos os Estados que compõem a região. O Pará é o Estado com a maior taxa de desmatamento, respondendo sozinho por 5.257 km² de devastação, o equivalente a 39,72% da área total. Amazonas é o segundo Estado mais afetado, com 2.347 km² (17,73%), seguido pelo Mato Grosso, com 2.263 (17,10%).”

Fonte: Estadão, 18/11/2021

Brasil precisa reduzir pela metade a emissão de gases de efeito estufa

“Uma gota de otimismo em um oceano de ceticismo. Essa é a sensação de muitos especialistas diante das metas relacionadas à emissão de gases divulgadas pelo Brasil na COP-26. O País informou a intenção de reduzir pela metade a emissão de gases do efeito estufa até 2030 e zerar a emissão de carbono na atmosfera em 2050. “Uma coisa é você falar; outra, agir. O que está acontecendo é uma certa desconfiança de todos nós que temos acompanhado tudo o que vem acontecendo em termos de meio ambiente no País”, afirmou Tercio Ambrizzi, que é professor titular do Departamento de Ciências Atmosféricas da USP, durante evento promovido pelo Estadão. Na COP de 2019, em Madri, as ações do País foram apontadas como o principal obstáculo para a regulamentação do artigo 6 do Acordo de Paris, que trata da criação de um mercado internacional de carbono. O objetivo é promover um balanço na emissão de gases, no qual países poderiam ter licença para suas emissões comprando créditos de nações que comprovadamente estão tirando carbono da atmosfera.”

Fonte: Estadão, 18/11/2021

Glasgow regulou as trocas de carbono. E agora?

“A essa altura você já leu ou ouviu falar que um dos principais resultados concretos da COP26, que terminou no sábado passado, foi a regulamentação do Artigo 6 do Acordo de Paris. Mas quase uma semana depois de encerrada a cúpula do clima, ainda há muita confusão e dúvidas sobre o que isso significa de verdade. O objetivo principal do Artigo 6 é incentivar a colaboração internacional para reduzir as emissões globais de gases do efeito estufa dos países, via mecanismos que permitam trocar créditos de carbono. Uma tonelada de CO2 emitida com a derrubada de árvores na Amazônia e nas siderúrgicas da Alemanha têm o mesmo impacto no aquecimento global – mas os custos de evitá-las são muito diferentes.”

Fonte: Capital Reset, 19/11/2021

Opinião

ESG racial, uma agenda empresarial em ascensão

“Na semana que se comemora a Consciência negra e que o país vai debater e atualizar a agenda de denúncias e do combate ao racismo e discriminação racial social e empresarial é possível divisar um novo cenário que ganha corpo e inflexão, a partir dos recentíssimos programas de trainees exclusivos para jovens negros anunciados pelo GPA (Grupo Pão de Açúcar) e a MRV Engenharia. Juntam-se eles aos da Magalu, Yduqs, Vivo, Ambev, Bayer, XP, Nubank, Google, Natura, Mercado Livre, BTG e demais empresas que paulatinamente têm instituído essa ação estratégica para responder de forma efetiva a questão da exclusão dos negros dos postos de comando, do ambiente e da agenda corporativa brasileira. Em outra direção, empresas com o mesmo objetivo têm surpreendido mercado e sociedade com ações disruptivas e inovadoras, como é o caso da Mover – Movimento de Equidade Racial Empresarial, criado por mais de 60 grandes empresas nacionais e multinacionais, com ações, metas e cronogramas na agenda racial, além de fundo de R$ 50 milhões para garantir sua implementação.”

Fonte: Valor Econômico, 19/11/2021

Internacional

Empresas

Apenas 1,2% das principais empresas do mundo fazem divulgações climáticas substanciais – Arabesque

“Pouco mais de 1% das 5.000 grandes empresas em todo o mundo estão fazendo divulgações substanciais de seus riscos climáticos, enquanto mais da metade não está relatando, de acordo com dados de uma pesquisa ESG e da gestora de investimentos Arabesque. Apenas 1,2% das empresas analisadas pela Arabesque – a maioria delas grandes empresas listadas – relataram todas as 11 recomendações da Força-Tarefa sobre Divulgações Financeiras Relacionadas ao Clima (TCFD, na sigla em inglês) em 2019. 54% das principais empresas não fizeram divulgações. O TCFD foi estabelecido pelo Conselho de Estabilidade Financeira, que agrupa reguladores, bancos centrais e funcionários do tesouro dos países do G20, e estabeleceu recomendações em 2017 sobre como as empresas poderiam divulgar voluntariamente os riscos e oportunidades das mudanças climáticas. Os investidores estão cada vez mais se concentrando na exposição das empresas às mudanças climáticas, já que as negociações climáticas da ONU terminaram no sábado com um acordo que pela primeira vez teve como alvo os combustíveis fósseis como o principal motor do aquecimento global.”

Fonte: Reuters, 19/11/2021

Política

Conheça os desafios dos países em desenvolvimento no combate ao aquecimento global

“Da desconfiança quanto ao compromisso dos países ricos em apoiar os mais pobres até a trajetória do Brasil nas edições da Conferência do Clima, que foi do protagonismo ao retrocesso. Confira, a seguir, os principais tópicos abordados por Carlos Nobre, climatologista do Instituto de Estudos Avançados da Universidade de São Paulo (IEA-USP), em sua participação no evento Especial COP-26, realizado no último dia 10. Financiamente: “A parte do financiamento ainda é muito nebulosa. Desde a Eco-92 já se fala na importância de apoiar os países mais pobres e em desenvolvimento em uma transição para menor emissão (de gases de efeito estufa), mas os países ricos até hoje pouco colaboraram. Os valores despendidos a isso foram ínfimos. Palavras genéricas existem em todos os documentos das COPs, mas isso nunca se refletiu em ações efetivas.””

Fonte: Estadão, 18/11/2021


Índices ESG e suas performances

(1) O Índice ISE (Índice de Sustentabilidade Empresarial da B3) tem como objetivo ser o indicador do desempenho médio das cotações dos ativos de empresas com reconhecido comprometimento com o desenvolvimento sustentável, práticas e alinhamento estratégico com a sustentabilidade empresarial.
(2) O Índice S&P/B3 Brasil ESG mede a performance de títulos que cumprem critérios de sustentabilidade e é ponderado pelas pontuações ESG da S&P DJI. Ele exclui ações com base na sua participação em certas atividades comerciais, no seu desempenho em comparação com o Pacto Global da ONU e também cias sem pontuação ESG da S&P DJI.
(3) O ICO2 tem como propósito ser um instrumento indutor das discussões sobre mudança do clima no Brasil. A adesão das companhias ao ICO2 demonstra o comprometimento com a transparência de suas emissões e antecipa a visão de como estão se preparando para uma economia de baixo carbono.
(4) O objetivo do IGCT é ser o indicador do desempenho médio das cotações dos ativos de emissão de empresas integrantes do IGC que atendam aos critérios adicionais descritos nesta metodologia.
(5) A série de índices FTSE4Good foi projetada para medir o desempenho de empresas que demonstram fortes práticas ambientais, sociais e de governança (ESG).
(6)
O Índice MSCI ACWI, que representa o desempenho de todo o conjunto de ações de grande e médio porte do mundo, em 23 mercados desenvolvidos e 26 emergentes.


Nossos últimos relatórios

  • Expo Dubai: Tecnologia e sustentabilidade centralizam os destaques do evento nesta terça-feira (link)
  • Expo Dubai: Três principais destaques do evento nesta segunda-feira, dia do Brasil na feira (link)
  • COP26: Um encontro decisivo para conter o aquecimento global (link)
  • Seleção BDRs ESG​: 15 nomes para exposição internacional ao tema (link)
  • Radar ESG | Kora Saúde (KRSA3): Ainda há um caminho a ser percorrido (link)
  • Radar ESG | Empresas de Autopeças: Preparando a estrada ESG; Governança e segurança em primeiro lugar (link)
  • Radar ESG | Unifique (FIQE3) e Brisanet (BRIT3): O que as empresas de telecomunicações brasileiras têm feito? (link)
  • Radar ESG | Natura&Co. (NTCO3): Não é apenas maquiagem; ESG é uma realidade! (link)
  • Vale (VALE3): Feedback do Webinar ESG; Todos os olhos voltados para a redução de riscos (link)
  • Radar ESG | Totvs (TOTS3): A melhor posicionada no setor de tecnologia sob a cobertura da XP (link)
  • Assembleia Geral da ONU: Cenário climático alarmante centraliza as discussões (link)
  • Amazônia: Entendendo a importância da maior floresta tropical do mundo (link)
  • ESG no centro das discussões; Três principais aprendizados da Expert XP 2021 (link)
  • Radar ESG | Companhia Brasileira de Alumínio (CBAV3): Uma líder em alumínio verde, com forte posicionamento ESG (link)
  • Relatório do IPCC: Um chamado para todos, inclusive para o mercado, frente a um cenário alarmante do clima (link)
  • Radar ESG | WEG (WEGE3): Um player ESG bem equipado para se beneficiar das tendências adiante (link)
  • Radar ESG | Boa Safra (SOJA3): Agenda ESG em produção, semente por semente (link)
  • Água: Onde há escassez, há oportunidade (link)
  • Radar ESG | Positivo (POSI3): Um trabalho em andamento (link)
  • B3 anuncia nova metodologia para o ISE; Positivo (link)
  • Radar ESG | G2D (G2DI33): Abraçando os pilares S e E através do portfólio de investimentos de impacto (link)
  • Ambev (ABEV3): Feedback do evento ESG; Reforçamos nossa visão positiva (link)
  • Radar ESG | Setor de infraestrutura (CCRO3, ECOR3, RAIL3, HBSA3, STBP3): Preparando o asfalto (link)
  • Crédito de carbono: Capturando parte da solução; 5 nomes para exposição ao tema (link)
  • Radar ESG | Incorporadoras de Imóveis Residenciais Populares: Construindo os andares ESG (link)
  • Radar ESG | Arezzo & Co. (ARZZ3): Caminhando com seus próprios passos pela agenda ESG (link)
  • Trilogia ESG (Pt. I): Um mergulho no pilar E; Três nomes que são parte da solução (link)
  • Radar ESG | Blau (BLAU3) e Hypera (HYPE3): Em busca da fórmula ESG (link)
  • Bitcoin e ESG: Entenda os dois lados da moeda (link)
  • Radar ESG | Bemobi (BMOB3): Diversidade é o nome do jogo (link)
  • Radar ESG | Setor de Logística (SIMH3, JSLG3 e VAMO3): Preparando-se para a estrada ESG (link)
  • Radar ESG | Laboratórios: ESG ainda na triagem; Fleury se destacando em relação aos pares (link)
  • Cúpula de Líderes sobre o Clima: Tecnologia, economia e agenda verde centralizam as discussões no segundo dia do evento (link)
  • Cúpula de Líderes sobre o Clima: Cooperação global é uma das três principais mensagens do evento (link)
  • Radar ESG | Locadoras de automóveis: Rumo à agenda ESG; Localiza liderando a corrida (link)
  • Radar ESG | São Martinho (SMTO3): Quanto mais se semeia, maior é a colheita (link)
  • Radar ESG | Orizon (ORVR3): Quando ESG está escrito no DNA (link)
  • Sondagem XP/ESG com investidores institucionais (link)
  • O melhor dos dois mundos: Seleção de 10 BDRs para exposição internacional ao tema ESG (link)
  • Radar ESG | Enjoei (ENJU3): O usado é o novo “novo”? (link)
  • Radar ESG | CSN Mineração (CMIN3): Explorando os campos ESG (link)
  • Radar ESG | Jalles (JALL3): Plantando as sementes ESG (link)
  • Radar ESG | Incorporadoras de alta renda: ESG ainda em construção (link)
  • Radar ESG | Setor de saúde: O ESG ainda está na sala de espera? (link)
  • Radar ESG | Quão sustentáveis são as empresas de e-commerce? Uma análise ESG dessas gigantes (link)
  • Radar ESG | IMC (MEAL3): Por que a empresa ainda tem muito espaço para melhorar? (link)
  • Radar ESG | Aeris (AERI3): Uma das empresas melhor posicionada para surfar o vento ESG (link)
  • Radar ESG | 3R Petroleum: Construindo um caminho que incorpora metas ESG (link)
  • Radar ESG | Setor de supermercados: Vale a pena encher o carrinho? (link)
  • Radar ESG | JHSF (JHSF3): Espaço para melhorias (link)
  • Radar ESG | Quem é o melhor aluno da classe? Avaliando os líderes em ESG dentre as empresas de educação no Brasil (link)
  • Panorama do marco regulatório de investimentos ESG no Brasil (link)
  • CVM e B3 estudam intensificar critérios ESG para as companhias listadas (link)
  • Radar ESG | Setor de vestuário e joias: ESG ainda na confecção (link)
  • ESG: Tendências e preferências para 2021 (link)
  • Radar ESG | LOG Commercial Properties (LOGG3): Oportunidades em empreendimentos verdes (link)
  • Eleições americanas: Quais os efeitos para a agenda ESG nos EUA e no Brasil? (link)
  • Radar ESG | Farmácias: Raia Drogasil como a ação prescrita no setor para exposição a ESG (link)
  • Radar ESG | Shoppings: Entenda o que importa para eles quando o tema é ESG (link)
  • Radar ESG | Ambev (ABEV3): Um case que desce redondo (link)
  • Feedback do roadshow ESG: O que as gestoras no Brasil estão fazendo em relação ao tema? (link)
  • ESG de A a Z: Tudo o que você precisa saber sobre o tema (link)

Ainda não tem conta na XP? Clique aqui e abra a sua!

Avaliação

O quão foi útil este conteúdo pra você?


Newsletter
Newsletter

Gostaria de receber nossos conteúdos por e-mail?

Cadastre-se e receba grátis nossos relatórios e recomendações de investimentos

Telegram
Telegram XP

Acesse os conteúdos

Telegram XP

pelo Telegram da XP Investimentos

Leia também
BM&F Bovespa Autorregulação Anbima - Gestão de patrimônio Autorregulação Anbima - Gestão de recursos Autorregulação Anbima - Private Autorregulação Anbima - Distribuição de Produtos de Investimentos

A XP Investimentos CCTVM S/A, inscrita sob o CNPJ: 02.332.886/0001-04, é uma instituição financeira autorizada a funcionar pelo Banco Central do Brasil.

Toda comunicação através de rede mundial de computadores está sujeita a interrupções ou atrasos, podendo impedir ou prejudicar o envio de ordens ou a recepção de informações atualizadas. A XP Investimentos exime-se de responsabilidade por danos sofridos por seus clientes, por força de falha de serviços disponibilizados por terceiros. A XP Investimentos CCTVM S/A é instituição autorizada a funcionar pelo Banco Central do Brasil.

B3 Certifica B3 Agro Broker B3 Execution Broker B3 Retail Broker B3 Nonresident Investor Broker

BMF&BOVESPA

BSM

CVM

Este site usa cookies e dados pessoais de acordo com a nossa Política de Cookies (gerencie suas preferências de cookies) e a nossa Política de Privacidade.