XP Expert

Raízen vai emitir debêntures atreladas a indicadores ESG | Café com ESG, 09/02

Comece o dia bem informado com as principais notícias ao redor do Brasil e do mundo quando o tema é ESG!

Compartilhar:

  • Compartilhar no Facebook
  • Compartilhar no Twitter
  • Compartilhar no Whatsapp
  • Compartilhar no LinkedIn
  • Compartilhar via E-mail

Bom dia! Neste relatório diário publicado todas as manhãs pelo time ESG do Research da XP, buscamos trazer as últimas notícias para que você comece o dia bem informado e fique por dentro do que o Brasil e o mundo fala sobre um tema que tem ficado cada vez mais relevante: ESG – do termo em inglês Environmental, Social and Governance ou, em português, ASG – Ambiental, Social e Governança.

Quais tópicos abordamos ao longo do conteúdo? (i) Notícias no Brasil e no mundo acerca do tema ESG; (ii) Performance histórica dos principais índices ESG em diferentes países; (iii) Comparativo da performance do Ibovespa vs. ISE (Índice de Sustentabilidade Empresarial, da B3); e (iv) Lista com os últimos relatórios publicados pelo Research ESG da XP.
Por que essas informações são importantes? 
Porque elas indicam os temas dentro da agenda ESG que estão sendo cada vez mais monitoradas por parte dos investidores e das empresas, e podem impactar os preços das ações de diferentes companhias.

Esperamos que aproveite a leitura!

Principais tópicos do dia

• Na terça-feira, o mercado fechou em território neutro, com o Ibov e o ISE em leve alta de +0,2% e +0,5%, respectivamente.

• No Brasil, a Raízen vai emitir debêntures atreladas a indicadores de desempenho ESG, totalizando até R$1,2bn, com duas metas a serem cumpridas até março de 2026: (i) obter a certificação Bonsucro, selo que atesta boas práticas ambientais e sociais nos canaviais, para 94% de suas unidades operacionais (vs. 74% atualmente); e (ii) elevar para 30% a participação de mulheres em posições de liderança (vs. 19% atualmente).

• No internacional, (i) um esquema de certificação financiado pela UE usando blockchain está sendo desenvolvido para terras raras, já que as montadoras exigem provas de que os materiais usados para fabricar ímãs para veículos elétricos (EVs) não estão ligados à poluição tóxica; e (ii) a economista-chefe da OCDE, Laurence Boone, afirmou ontem que, para assegurar a descarbonização da economia, os países precisarão explorar uma série de instrumentos, entre eles de regulação e políticas fiscais.


Brasil

Empresas

Raízen capta até R$ 1,2 bi com meta de diversidade e canaviais certificados

“A Raízen, joint-venture da Cosan com a Shell para a produção de etanol, vai emitir debêntures atreladas a indicadores de desempenho ESG, totalizando até R$ 1,2 bilhão. Os papéis, em duas séries com prazo de vencimento de sete e 10 anos, terão duas metas a serem cumpridas até março de 2026, uma delas ambiental, e a outra, social. A primeira é obter a certificação Bonsucro, um selo que atesta boas práticas ambientais e sociais nos canaviais, para 94% de suas unidades operacionais (hoje 74% detêm o selo). A segunda é elevar de 19% para 30% a participação de mulheres em posições de liderança da companhia. Esse tipo de título de dívida é conhecido como sustainability-linked bond. Os recursos não têm de ser usados obrigatoriamente em projetos sustentáveis como nos ‘green bonds’, mas o descumprimento dos objetivos sociais e ambientais acordados implica o pagamento de uma penalidade sobre a taxa de juros.

Fonte: Capital Reset, 09/02/2022

Louis Dreyfus visa desmatamento zero na cadeia de suprimentos até o final de 2025

A comerciante global de produtos agrícolas Louis Dreyfus Company (LDC) disse na quarta-feira que pretende eliminar o desmatamento e a conversão de vegetação nativa de alto valor de conservação para fins agrícolas de todas as suas cadeias de suprimentos até o final de 2025. Como outros comerciantes de commodities, a LDC tem trabalhado para melhorar a rastreabilidade no fornecimento de soja devido a preocupações com o desmatamento no Brasil.”

Fonte: Reuters, 09/02/2022

Conheça empresas do setor de moda comprometidas com pautas de ESG

As companhias do setor de moda têm buscado nos últimos anos tornar a sua cadeia produtiva mais sustentável e alinhada às outras pautas da sigla ESG (ambiental, social e governança, em português). As principais marcas mundiais até estabeleceram metas para que todos os seus prédios e unidades de venda utilizem energia renovável. Aqui no Brasil, o processo ainda é lento quando o assunto é tornar a cadeia produtiva mais sustentável. No entanto, algumas marcas são destaques nas práticas sociais e governamentais.”

Fonte: E investidor, 08/02/2022

Opinião

Os impactos do ESG no e-commerce

Nos últimos dois anos venho me dedicado (no tempo livre) ao estudo do ESG. Tenho feito parte do Grupo de Capitalismo Consciente, do Pacto Global e estudando muito sobre o Sistema B. Contudo, vejo que o meio que atuo (digital e compras online), vem sendo deixado de lado quando falamos na transformação mais que necessária do ESG no Mundo. As vendas no segmento de e-commerce no Brasil cresceram a uma taxa anual composta (CAGR) estimada de 22,6% nos últimos 10 anos (segundo o relatório da XP) ao mesmo tempo em que a covid-19 e as restrições aos espaços físicos aumentaram as compras online. Sem dúvida, teremos muito desse comportamento sendo mantido no futuro, uma vez que a “comodidade” e a percepção de poupar o tempo é o fator que mais leva as pessoas a mudarem um hábito e migrarem para o e-commerce.”

Fonte: Consumidor Moderno, 08/02/2022

Internacional

Empresas

Esquema de terras raras Blockchain para certificar a produção sustentável para EVs

“Um esquema de certificação financiado pela UE usando blockchain está sendo desenvolvido para terras raras, já que as montadoras exigem provas de que os materiais usados ​​para fabricar ímãs para veículos elétricos (EVs) não estão ligados à poluição tóxica. O sistema estabelecerá padrões globais e dará confiança aos consumidores que exigem produtos sustentáveis, disseram dois dos organizadores à Reuters antes de um anúncio oficial na terça-feira. O Sistema Circular para Avaliação da Sustentabilidade de Terras Raras ou CSyARES deve estar pronto em cerca de três anos, disse a Associação da Indústria de Terras Raras (REIA) e a empresa holandesa de rastreabilidade da cadeia de suprimentos Circularise.”

Fonte: Reuters, 08/02/2022

Compromissos climáticos corporativos prometem reduções de emissões fracas

“Algumas das maiores empresas do mundo estabeleceram metas climáticas que terão apenas um impacto limitado em suas emissões reais de gases de efeito estufa, segundo um relatório. Um estudo com 25 das maiores empresas do mundo, o Corporate Climate Responsibility Monitor, descobriu que apenas três tinham um plano que levaria à descarbonização de mais de 90% das emissões de toda a sua cadeia de valor. Das empresas, 12 não tinham nenhum compromisso específico de redução de emissões, disse o relatório, conduzido pelo órgão alemão de pesquisa climática NewClimate Institute em colaboração com a organização sem fins lucrativos Carbon Market Watch.

Fonte: Reuters, 08/02/2022

Política

OCDE: descarbonização da economia demandará precificação da emissão de carbono

“A economista-chefe da Organização para a Cooperação e Desenvolvimento Econômico (OCDE), Laurence Boone, afirmou nesta terça-feira (8) que, para assegurar a descarbonização da economia, os países precisarão explorar uma série de instrumentos, entre eles de regulação e políticas fiscais. Entre as ações, Boone defendeu a precificação das emissões de carbono e o uso de regulamentações padronizadas. Na visão dela, os governos devem investir em uma rede de infraestrutura que ajude a reduzir as emissões dos gases que contribuem para o efeito estufa.”

Fonte: CNN Brasil, 08/02/2022

A primeira estratégia climática do Exército dos EUA pede cortes de emissões, proteções de base

“O Exército dos EUA divulgou sua primeira estratégia climática na terça-feira, projetada para ajudar a proteger as bases contra os danos do aquecimento global e melhorar a prontidão treinando soldados para lidar com um mundo com mais ondas de calor, secas e inundações. Impulsionada por ordens executivas do presidente Joe Biden para combater as mudanças climáticas, a estratégia climática do Exército exige que o serviço reduza pela metade as emissões de gases de efeito estufa dos níveis de 2005 até 2030 e as reduza a zero líquido até 2050, em linha com seus objetivos mais amplos para o país . “Enfrentamos todos os tipos de ameaças em nossa linha de trabalho, mas poucas delas realmente merecem ser chamadas de existenciais. A crise climática sim”, disse a secretária do Exército, Christine Wormuth, na estratégia. “As mudanças climáticas estão tornando o mundo mais inseguro e precisamos agir.””

Fonte: Reuters, 08/02/2022

Parlamentares da UE planejam esforço de última hora para rejeitar as regras de investimento verde de Bruxelas

“Os legisladores da UE estão preparando uma proposta interpartidária para votar contra as novas regras de Bruxelas sobre investimentos verdes sobre a inclusão de energia nuclear e gás natural como fontes de energia sustentáveis. Os eurodeputados dos principais grupos do Parlamento Europeu disseram ao Financial Times que a “taxonomia” produzida na semana passada pela Comissão Europeia enfrenta um destino incerto. O parlamento tem o poder de rejeitar as regras por maioria de votos nos próximos seis meses. “A maior chance de rejeitar a taxonomia está dentro do parlamento. Vai ser uma batalha difícil, mas há um aborrecimento generalizado com a forma como os eurodeputados foram ignorados durante a consulta”, disse Bas Eickhout, um eurodeputado verde holandês.”

Fonte: Financial Times, 07/02/2022


Índices ESG e suas performances

(1) O Índice ISE (Índice de Sustentabilidade Empresarial da B3) tem como objetivo ser o indicador do desempenho médio das cotações dos ativos de empresas com reconhecido comprometimento com o desenvolvimento sustentável, práticas e alinhamento estratégico com a sustentabilidade empresarial.
(2) O Índice S&P/B3 Brasil ESG mede a performance de títulos que cumprem critérios de sustentabilidade e é ponderado pelas pontuações ESG da S&P DJI. Ele exclui ações com base na sua participação em certas atividades comerciais, no seu desempenho em comparação com o Pacto Global da ONU e também cias sem pontuação ESG da S&P DJI.
(3) O ICO2 tem como propósito ser um instrumento indutor das discussões sobre mudança do clima no Brasil. A adesão das companhias ao ICO2 demonstra o comprometimento com a transparência de suas emissões e antecipa a visão de como estão se preparando para uma economia de baixo carbono.
(4) O objetivo do IGCT é ser o indicador do desempenho médio das cotações dos ativos de emissão de empresas integrantes do IGC que atendam aos critérios adicionais descritos nesta metodologia.
(5) A série de índices FTSE4Good foi projetada para medir o desempenho de empresas que demonstram fortes práticas ambientais, sociais e de governança (ESG).
(6)
O Índice MSCI ACWI, que representa o desempenho de todo o conjunto de ações de grande e médio porte do mundo, em 23 mercados desenvolvidos e 26 emergentes.


Nossos últimos relatórios

  • Carteira ESG XP: Sem alterações em nosso portfólio para janeiro (link)
  • Radar ESG | AgroGalaxy (AGXY3): Plantando as sementes ESG (link)
  • Radar ESG | Petrobras (PETR4): E o campo ESG, como a Petrobras está explorando? (link)
  • Radar ESG | Oncoclínicas (ONCO3): Ainda na sala de espera (link)
  • Radar ESG | Aviação Brasil (EMBR3, AZUL4 e GOLL4): Voando pelos ares ESG (link)
  • Radar ESG | Alpargatas (ALPA4): Iniciando a caminhada pela agenda ESG (link)
  • Radar ESG | Kepler Weber (KEPL3): Um começo promissor (link)
  • Radar ESG | TIM (TIMS3): Chamando a agenda ESG (link)
  • ESG: O que moldará os investimentos sustentáveis em 2022? (link)
  • Carteira ESG XP: Sem alterações em nosso portfólio para dezembro (link)
  • Radar ESG | Burger King Brasil (BKBR): Espaço para avanço na agenda, mas os planos ambiciosos adiante animam (link)
  • COP26: Implicações do documento final (link)
  • Expo Dubai: Buscando soluções diante de recursos finitos (link)
  • Expo Dubai: Todos os olhos voltados para o futuro da mobilidade (link)
  • Expo Dubai: Tecnologia e sustentabilidade centralizam os destaques do evento nesta terça-feira (link)
  • Expo Dubai: Três principais destaques do evento nesta segunda-feira, dia do Brasil na feira (link)
  • COP26: Um encontro decisivo para conter o aquecimento global (link)
  • Seleção BDRs ESG​: 15 nomes para exposição internacional ao tema (link)
  • Radar ESG | Kora Saúde (KRSA3): Ainda há um caminho a ser percorrido (link)
  • Radar ESG | Empresas de Autopeças: Preparando a estrada ESG; Governança e segurança em primeiro lugar (link)
  • Radar ESG | Unifique (FIQE3) e Brisanet (BRIT3): O que as empresas de telecomunicações brasileiras têm feito? (link)
  • Radar ESG | Natura&Co. (NTCO3): Não é apenas maquiagem; ESG é uma realidade! (link)
  • Vale (VALE3): Feedback do Webinar ESG; Todos os olhos voltados para a redução de riscos (link)
  • Radar ESG | Totvs (TOTS3): A melhor posicionada no setor de tecnologia sob a cobertura da XP (link)
  • Assembleia Geral da ONU: Cenário climático alarmante centraliza as discussões (link)
  • Amazônia: Entendendo a importância da maior floresta tropical do mundo (link)
  • ESG no centro das discussões; Três principais aprendizados da Expert XP 2021 (link)
  • Radar ESG | Companhia Brasileira de Alumínio (CBAV3): Uma líder em alumínio verde, com forte posicionamento ESG (link)
  • Relatório do IPCC: Um chamado para todos, inclusive para o mercado, frente a um cenário alarmante do clima (link)
  • Radar ESG | WEG (WEGE3): Um player ESG bem equipado para se beneficiar das tendências adiante (link)
  • Radar ESG | Boa Safra (SOJA3): Agenda ESG em produção, semente por semente (link)
  • Água: Onde há escassez, há oportunidade (link)
  • Radar ESG | Positivo (POSI3): Um trabalho em andamento (link)
  • B3 anuncia nova metodologia para o ISE; Positivo (link)
  • Radar ESG | G2D (G2DI33): Abraçando os pilares S e E através do portfólio de investimentos de impacto (link)
  • Ambev (ABEV3): Feedback do evento ESG; Reforçamos nossa visão positiva (link)
  • Radar ESG | Setor de infraestrutura (CCRO3, ECOR3, RAIL3, HBSA3, STBP3): Preparando o asfalto (link)
  • Crédito de carbono: Capturando parte da solução; 5 nomes para exposição ao tema (link)
  • Radar ESG | Incorporadoras de Imóveis Residenciais Populares: Construindo os andares ESG (link)
  • Radar ESG | Arezzo & Co. (ARZZ3): Caminhando com seus próprios passos pela agenda ESG (link)
  • Trilogia ESG (Pt. I): Um mergulho no pilar E; Três nomes que são parte da solução (link)
  • Radar ESG | Blau (BLAU3) e Hypera (HYPE3): Em busca da fórmula ESG (link)
  • Bitcoin e ESG: Entenda os dois lados da moeda (link)
  • Radar ESG | Bemobi (BMOB3): Diversidade é o nome do jogo (link)
  • Radar ESG | Setor de Logística (SIMH3, JSLG3 e VAMO3): Preparando-se para a estrada ESG (link)
  • Radar ESG | Laboratórios: ESG ainda na triagem; Fleury se destacando em relação aos pares (link)
  • Cúpula de Líderes sobre o Clima: Tecnologia, economia e agenda verde centralizam as discussões no segundo dia do evento (link)
  • Cúpula de Líderes sobre o Clima: Cooperação global é uma das três principais mensagens do evento (link)
  • Radar ESG | Locadoras de automóveis: Rumo à agenda ESG; Localiza liderando a corrida (link)
  • Radar ESG | São Martinho (SMTO3): Quanto mais se semeia, maior é a colheita (link)
  • Radar ESG | Orizon (ORVR3): Quando ESG está escrito no DNA (link)
  • Sondagem XP/ESG com investidores institucionais (link)
  • O melhor dos dois mundos: Seleção de 10 BDRs para exposição internacional ao tema ESG (link)
  • Radar ESG | Enjoei (ENJU3): O usado é o novo “novo”? (link)
  • Radar ESG | CSN Mineração (CMIN3): Explorando os campos ESG (link)
  • Radar ESG | Jalles (JALL3): Plantando as sementes ESG (link)
  • Radar ESG | Incorporadoras de alta renda: ESG ainda em construção (link)
  • Radar ESG | Setor de saúde: O ESG ainda está na sala de espera? (link)
  • Radar ESG | Quão sustentáveis são as empresas de e-commerce? Uma análise ESG dessas gigantes (link)
  • Radar ESG | IMC (MEAL3): Por que a empresa ainda tem muito espaço para melhorar? (link)
  • Radar ESG | Aeris (AERI3): Uma das empresas melhor posicionada para surfar o vento ESG (link)
  • Radar ESG | 3R Petroleum: Construindo um caminho que incorpora metas ESG (link)
  • Radar ESG | Setor de supermercados: Vale a pena encher o carrinho? (link)
  • Radar ESG | JHSF (JHSF3): Espaço para melhorias (link)
  • Radar ESG | Quem é o melhor aluno da classe? Avaliando os líderes em ESG dentre as empresas de educação no Brasil (link)
  • Panorama do marco regulatório de investimentos ESG no Brasil (link)
  • CVM e B3 estudam intensificar critérios ESG para as companhias listadas (link)
  • Radar ESG | Setor de vestuário e joias: ESG ainda na confecção (link)
  • ESG: Tendências e preferências para 2021 (link)
  • Radar ESG | LOG Commercial Properties (LOGG3): Oportunidades em empreendimentos verdes (link)
  • Eleições americanas: Quais os efeitos para a agenda ESG nos EUA e no Brasil? (link)
  • Radar ESG | Farmácias: Raia Drogasil como a ação prescrita no setor para exposição a ESG (link)
  • Radar ESG | Shoppings: Entenda o que importa para eles quando o tema é ESG (link)
  • Radar ESG | Ambev (ABEV3): Um case que desce redondo (link)
  • Feedback do roadshow ESG: O que as gestoras no Brasil estão fazendo em relação ao tema? (link)
  • ESG de A a Z: Tudo o que você precisa saber sobre o tema (link)

Ainda não tem conta na XP? Clique aqui e abra a sua!

XP Expert

Avaliação

O quão foi útil este conteúdo pra você?


Newsletter
Newsletter

Gostaria de receber nossos conteúdos por e-mail?

Cadastre-se e receba grátis nossos relatórios e recomendações de investimentos

Telegram
Telegram XP

Acesse os conteúdos

Telegram XP

pelo Telegram da XP Investimentos

A XP Investimentos CCTVM S/A, inscrita sob o CNPJ: 02.332.886/0001-04, é uma instituição financeira autorizada a funcionar pelo Banco Central do Brasil.Toda comunicação através de rede mundial de computadores está sujeita a interrupções ou atrasos, podendo impedir ou prejudicar o envio de ordens ou a recepção de informações atualizadas. A XP Investimentos exime-se de responsabilidade por danos sofridos por seus clientes, por força de falha de serviços disponibilizados por terceiros. A XP Investimentos CCTVM S/A é instituição autorizada a funcionar pelo Banco Central do Brasil.


Este site usa cookies e dados pessoais de acordo com a nossa Política de Cookies (gerencie suas preferências de cookies) e a nossa Política de Privacidade.