Café com ESG: Conteúdos diários que transformam | 26/07

Comece o dia bem informado com as principais notícias ao redor do Brasil e do mundo quando o tema é ESG!


Compartilhar:

  • Compartilhar no Facebook
  • Compartilhar no Twitter
  • Compartilhar no Whatsapp
  • Compartilhar no LinkedIn
  • Compartilhar via E-mail

Bom dia! Neste relatório diário publicado todas as manhãs pelo time ESG do Research da XP, buscamos trazer as últimas notícias para que você comece o dia bem informado e fique por dentro do que o Brasil e o mundo fala sobre um tema que tem ficado cada vez mais relevante: ESG – do termo em inglês Environmental, Social and Governance ou, em português, ASG – Ambiental, Social e Governança.

Quais tópicos abordamos ao longo do conteúdo? (i) Notícias no Brasil e no mundo acerca do tema ESG; (ii) Performance histórica dos principais índices ESG em diferentes países; (iii) Comparativo da performance do Ibovespa vs. ISE (Índice de Sustentabilidade Empresarial, da B3); e (iv) Lista com os últimos relatórios publicados pelo Research ESG da XP.
Por que essas informações são importantes? 
Porque elas indicam os temas dentro da agenda ESG que estão sendo cada vez mais monitoradas por parte dos investidores e das empresas, e podem impactar os preços das ações de diferentes companhias.

Esperamos que aproveite a leitura!

Gostaria de receber esse conteúdo por e-mailClique aqui.
Gostou do conteúdo, tem alguma dúvida ou quer nos enviar uma sugestão? Basta deixar um comentário no final do post!


Brasil

Empresas

Combate à pobreza é tema invisível para fundos de investimento ESG

“A oferta de investimentos ESG (que incorporam critérios ambientais, sociais e de governança corporativa) alcançou um patamar inédito de 2020 para cá. Só na modalidade de ETFs, fundos cuja composição da carteira espelha um índice de referência do mercado, existem hoje 758 opções pelo mundo, das quais 200 foram criadas apenas no último ano. O cardápio é extenso e engloba fundos de investimento alinhados a temas específicos, como mudanças climáticas, uso racional da água e energia limpa. No entanto, um assunto parece invisível no radar financeiro: o combate à pobreza. Para Alexandre Garcia, professor e pró-reitor da Fecap, a ausência de ETFs vinculadas ao problema é um reflexo do que acontece no mundo dos negócios. Segundo ele, as empresas ainda não estão acostumadas a lidar com os aspectos sociais. “Da sigla ESG, a governança talvez seja o princípio com o qual os executivos estão mais habituados, seguido pelo ambiental. O social é onde existem menos ações, e quando se fala em erradicação da pobreza, isso passa ainda mais longe”, afirma. Marcella Ungaretti, analista de Research ESG da XP, diz que tanto o ESG quanto os Objetivos de Desenvolvimento Sustentável são discussões em evolução, e é provável que se desenvolvam mais rápido nos próximos anos. “A pandemia acabou impulsionando e deixando muito claro o poder que as empresas têm de fazer o bem para a sociedade”, afirma. “Conforme as empresas evoluem e os investidores passem a exigir muito mais delas, é de se esperar que a agenda também avance.”

Fonte: Folha de São Paulo, 25/07/2021

ESG entra na agenda dos executivos de RI

“A agenda ESG, que envolve questões ambientais, sociais e de governança, entrou no dia a dia da área de relações com investidores (RI). A expectativa de investidores e da própria sociedade é que o RI entenda de temas como biodiversidade, economia de baixo carbono, energias renováveis, entre outros. Esse cenário, além da maior entrada de investidores pessoas física na bolsa, exigem novas habilidades e competências desses profissionais. Uma pesquisa feita pela Deloitte em julho de 2020, com líderes de RI de 63 empresas, a maioria (70%) listada em bolsa, já apontou que a pandemia exigiu mais agilidade da área. O estudo mostra que novos formatos de reporte e desenvolvimento de canais próprios de comunicação com pequenos investidores e de planos de gestão de crise foram as ações mais adotadas durante a crise da covid19. Segundo a empresa de consultoria e auditoria BDO, houve um crescimento de 40% na procura de seus clientes por trabalhos ligados a agenda de sustentabilidade, que envolve os aspectos ESG.”

Fonte: Valor Econômico, 26/07/2021

‘Equidade racial se tornou prioridade’, diz presidente da Vivo

“A agenda ESG – que concentra ações ambientais, sociais e de governança – é extensa, mas, na Telefônica/Vivo, líder de setor no País, há uma prioridade clara no momento: a equidade racial. Para Christian Gebara, presidente da gigante das telecomunicações do Brasil, já passou da hora de se fazer essa reparação histórica: “Não é algo de um dia para o outro, mas é uma jornada em que entramos de cabeça”. Para isso, é preciso estabelecer metas, diz o executivo, tanto na porta de entrada quanto nas posições de liderança. O próximo programa de estágio da companhia, em setembro, estabeleceu que metade das 750 vagas deverá ser ocupada por negros. E a meta é ter 30% de negros na liderança até 2024, ante os atuais 19,5%. “Somos uma empresa que fala muito para fora (sobre diversidade) e temos de transmitir isso para que as pessoas acreditem que estamos investindo nessa pauta”, disse o executivo ao Estadão. Leia, a seguir, os principais trechos da entrevista.”

Fonte: Estadão, 25/07/2021

Bolsa muda a metodologia do ISE; Veja mais sobre ESG no mundo dos negócios

“A B3, Bolsa de Valores brasileira, anunciou mudanças na metodologia do ISE (Índice de Sustentabilidade Empresarial), que reúne companhias com boas práticas ambientais, sociais e de governança corporativa. Agora, o indicador vai divulgar a pontuação das empresas e permitir que o investidor compare as companhias em rankings gerais, setoriais e em relação a cada pilar ESG isoladamente. Todas as notas serão públicas, inclusive a das organizações que, após a inscrição, não forem selecionadas para a carteira do ISE. Na versão anterior, não havia divulgação de nenhuma pontuação. Além disso, o novo questionário a ser respondido pelas empresas será específico para o setor em que ela está inserida, o que deve facilitar o preenchimento e permitir a comparabilidade das respostas em cada grupo econômico. O questionário considera dimensões como políticas trabalhistas, governança corporativa, capital social e iniciativas em relação às mudanças climáticas.”

Fonte: Folha de São Paulo, 24/07/2021

Clique aqui para ler nosso relatório em que buscamos trazer nossa visão sobre as mudanças recém anunciadas pela B3 em relação à nova metodologia do ISE | “B3 anuncia nova metodologia para o ISE; Positivo” 

Quais empresas têm as melhores práticas ESG? Plataforma da Bolsa permite que investidores investiguem

“Na última terça-feira, a Bolsa anunciou mudanças na metodologia do ISE, índice que reúne as empresas com as melhores práticas da agenda ESG (que engloba governança e responsabilidade social e ambiental). A mudança, no entanto, não para por aí. Ao tornar o índice mais transparente, com respostas mais detalhadas e específicas, a B3 também visa convidar o investidor a explorar e esmiuçar os dados ali presentes. Isso acontecerá por meio da nova plataforma do ISE, que ficará no site da B3 ou do próprio índice. Nela, os investidores conseguirão ver as notas das companhias em cada critério de avaliação e compará-las as demais. A plataforma ainda está em fase de desenvolvimento. O que se sabe, no entanto, é que nela qualquer investidor poderá ver a nota de cada companhia no próprio ISE, sua posição no ranking geral, sua posição entre as empresas do setor em que ela está inserida e até mesmo sua posição em relação a seus pares naquele modelo de negócios (por exemplo, entre “varejistas de vestuário”). Além disso, os investidores também podem ver as notas daquela empresa em cada um dos critérios avaliados dentro do ISE.”

Fonte: Valor Investe, 26/07/2021

Clique aqui para ler nosso relatório em que buscamos trazer nossa visão sobre as mudanças recém anunciadas pela B3 em relação à nova metodologia do ISE | “B3 anuncia nova metodologia para o ISE; Positivo” 

Mulher caminhoneira ganha espaço em empresa de logística

“”Por que você não vai lavar roupa, em vez de pegar caminhão?” Patrícia de Sousa Mesa ouviu essa pergunta pouco depois de começar como motorista da JSL Logística, em agosto de 2016. Na pequena Butiá (RS), cidade de 20 mil habitantes a 84 quilômetros de Porto Alegre, ela se tornou a primeira mulher a dirigir carreta, uma Scania modelo 440. Torcida contra não faltou, tanto de homens, quanto de mulheres: ouviu que não iria aguentar, iria bater o veículo, perder o controle da direção. “Tive que superar meus próprios medos, de ficar atolada no barro, de cair na valeta”, diz ela, uma jovem avó de 43 anos, que só depois que se separou do marido, aos 32 anos, foi trabalhar fora. Começou em uma indústria de pré-fabricados, mas sonhava com os caminhões. “Paga mais e dá mais liberdade”, diz. Trabalhou com caminhão pipa para uma empresa local, até surgir a chance na JSL. “Batalhei para tirar a carteira de motorista categoria E”, lembra.”

Fonte: Folha de São Paulo, 24/07/2021

Política

Órgão do Ministério do Meio Ambiente, ICMBio, usa brigadistas para segurança patrimonial em sedes

“Com estrutura já estrangulada e incapaz de executar plenamente a sua missão, o Instituto Chico Mendes de Biodiversidade (ICMBio), órgão do Ministério do Meio Ambiente (MMA) responsável por fiscalizar as unidades de conservação do País, tem usado a força de trabalho de seus brigadistas para fazer a proteção de suas sedes, equipamentos e bens apreendidos em operações. O instituto nega que haja desvio de função. Na prática, os funcionários que deveriam se concentrar em ações de fiscalização e proteção das florestas federais são deslocados para serviços de segurança. Isso, segundo a Associação Nacional dos Servidores da Carreira de Especialista em Meio Ambiente (Ascema Nacional), se configura em desvio de função e expõe os funcionários a situações para as quais não foram preparados. O caso foi levado na quarta-feira, 21, à presidente do Tribunal de Contas da União (TCU), Ana Arraes, e ao procurador-geral Alberto Bastos Balazeiro, do Ministério Público do Trabalho (MPT). Em ofício, a Ascema afirma que se trata de situação irregular que tem ocorrido regulamente nas sedes do ICMBio em todo o País. O órgão federal nega as irregularidades.”

Fonte: Estadão, 23/07/2021

Terceiro Setor

Como o voluntariado corporativo pode transformar vidas

“Moradora de comunidade de alta vulnerabilidade social na zona sul de São Paulo, Vanessa Barbosa de Souza, 20, conseguiu, por meio do programa de voluntariado digital da Samsung, desenvolver um aplicativo de apoio psicológico. Ao lado de colegas de equipe da ONG Obra do Berço, uma das parceiras da empresa na iniciativa “Conectados pelo Futuro”, Vanessa pretendia oferecer uma plataforma virtual para ajudar a tratar sinais de depressão, facilitando o contato com profissionais. Um grande avanço para uma jovem que sofreu restrições por ter dificuldade na fala desde a infância. Durante as mentorias com funcionários da Samsung, por videoconferência, ela se sentiu motivada a deixar a timidez e a insegurança para se engajar no projeto. Após essa experiência, planeja se formar em administração e abrir um empreendimento voltado para a saúde mental.”

Fonte: Folha de São Paulo, 24/07/2021

Opinião

Precisamos parar com a retórica de que aquecimento global é um problema futuro

“Um dos legados do período inflacionário no Brasil é que algumas gerações descontam o futuro de forma hiperbólica, já que aprenderam a se planejar. O legado inflacionário explica, em parte, até mesmo por que nosso sistema político não consegue lidar com problemas estruturais da nossa sociedade. Desconto hiperbólico se refere ao padrão de se importar mais com o futuro próximo do que com o longo prazo. No Brasil, a memória da inflação, mesmo que seu pico tenha sido há mais de um quarto de século, ainda molda várias das nossas interações econômicas (quem nunca comprou algo em 4 ou 10 vezes sem juros?). Quando a inflação estava fora de controle, o longo prazo não importava. Na época do gatilho salarial, não dava para se planejar, pois não se sabia nem mesmo quanto se iria ganhar no mês seguinte. […] Até a idealização dos efeitos do aquecimento global está errada e causa obstáculos concretos para a descarbonização da economia global. Riscos ambientes são sociais e não são riscos futuros, com as quais poderemos lidar depois. Mudanças climáticas geram desigualdade de renda hoje.”

Fonte: Folha de São Paulo, 23/07/2021

Internacional

Empresas

Preços do carvão térmico disparam com a recuperação da demanda por eletricidade

“Interrupções no fornecimento, uma seca na China e a recuperação da demanda por eletricidade dispararam o mercado de carvão térmico, tornando a commodity menos apreciada do mundo um dos ativos de melhor desempenho deste ano. Desde o início do ano, o preço do carvão australiano de alta energia – a referência para o vasto mercado asiático – subiu 86%, para mais de US$ 150 a tonelada, seu nível mais alto desde setembro de 2008. Seu equivalente sul-africano também está sendo negociado em seu nível mais alto em mais de 10 anos, aumentando 44% em 2021, de acordo com a última avaliação semanal do provedor de preços de commodities Argus. Isso coloca os benchmarks de carvão à frente de duas das classes de ativos de melhor desempenho deste ano: imóveis, que aumentaram 28%, e ações financeiras, 25%. Apenas o petróleo Brent, com um aumento de 44%, apresenta ganhos comparáveis.”

Fonte: Financial Times, 23/07/2021

McDonald’s quer mais fornecedores liderados por mulheres e negros nos EUA

“O McDonald’s nos Estados Unidos promete ampliar a presença de negócios liderados por mulheres, negros e outros grupos minoritários em sua cadeia de suprimentos. A meta até 2025, segundo a empresa, é destinar 25% dos gastos para esses fornecedores. A parcela gira em torno de 23% atualmente. A medida acontece na esteira de outro anúncio recente da rede, que prometeu destinar uma parte maior de sua verba publicitária para empresas de mídia comandadas por minorias. Nos EUA, o McDonald’s têm enfrentado processos que questionam a conduta da empresa com práticas de diversidade.”

Fonte: Valor Econômico, 23/07/2021

Política

G20 reafirma compromisso com metas climáticas, mas sem prazos

“Os ministros do Meio Ambiente do G20, reunidos em Nápoles, no sul da Itália, reafirmaram nesta sexta-feira (23) seu compromisso com os objetivos da luta contra as mudanças climáticas, mas sem definir um calendário claro. As negociações foram “particularmente complexas”, reconheceu o ministro italiano da Ecologia, Roberto Cingolani. “Este acordo é essencial para abrir caminho para a COP26”, a próxima conferência da ONU sobre mudanças climáticas, que será realizada em novembro em Glasgow, na Escócia, após seu cancelamento no ano passado devido à covid-19. No entanto, dois dos 60 artigos da declaração não obtiveram consenso e ficarão para os líderes do G20, grupo de países que juntos representam 80% das emissões de gases de efeito estufa do planeta.”

Fonte: Isto É, 23/07/2021

Clima extremo tira os modelos de mudança climática ‘fora da escala’

“Incêndios, inundações, ondas de calor e secas. O clima mortal que se desenrolou nas últimas semanas deixou os cientistas do clima “chocados” e preocupados que eventos extremos estejam chegando ainda mais rápido do que os modelos previstos. No sul do Oregon, um incêndio em uma área 25 vezes o tamanho de Manhattan assola há semanas, auxiliado por uma onda de calor recorde. Na China, as enchentes deixaram 51 mortos depois que a chuva de um ano caiu em um único dia na cidade central de Zhengzhou, causando mais de US$ 10 bilhões em danos. E na Rússia, um estado de emergência foi declarado em Yakutia, no Extremo Oriente, onde as autoridades estão criando chuva artificial semeando nuvens com iodo de prata na tentativa de apagar mais de 200 incêndios. Cientistas do clima dizem que a gravidade desses eventos está simplesmente “fora da escala” em comparação com o que os modelos atmosféricos preveem – mesmo quando o aquecimento global é totalmente levado em consideração.”

Fonte: Financial Times, 24/07/2021

Israel anuncia plano ambicioso de redução das emissões de CO2

“O governo israelense anunciou nesta sexta-feira um plano de redução das emissões de dióxido de carbono (CO2), com o qual pretende impulsionar a transição verde de sua economia e que será apresentado neste domingo ao parlamento. As medidas preveem uma redução de 85% nas emissões do país até 2050 em comparação com os níveis de 2015, com uma diminuição intermediária de 27% até 2030, segundo comunicado do premier Naftali Bennet y de ministérios envolvidos. “É a primeira vez que o governo de Israel estabelece objetivos nacionais conjuntos para reduzir as emissões e anuncia uma estratégia nacional rumo a uma economia menos poluente, eficaz e competitiva”, apontou o premier. O plano permitirá que o país alcance o mesmo nível “de outros países desenvolvidos na luta mundial contra a crise climática, que ameaça toda a humanidade”, acrescentou. O projeto será submetido a votação no parlamento. O novo Executivo de Israel, que tomou posse no mês passado, conta com vários ministros que fizeram da luta contra as mudanças climáticas um de seus grandes objetivos.”

Fonte: Isto É, 23/07/2021

A Índia na linha de frente da mudança climática

“Grande parte da Índia enfrenta atualmente inundações e deslizamentos de terra causados por fortes chuvas de monção, em um novo sinal de como o país asiático está na linha de frente da mudança climática. Só nos primeiros sete meses deste ano, o país de 1,3 bilhão de habitantes sofreu dois ciclones, um colapso mortal de uma geleira no Himalaia, uma onda de calor paralisante e inundações. Em fevereiro, uma inundação repentina arrasou um vale remoto no Himalaia indiano, arrastando casas, uma usina hidrelétrica e cerca de 200 pessoas, das quais apenas 60 corpos foram recuperados.”

Fonte: Isto É, 25/07/2021


Índices ESG e suas performances

(1) O Índice ISE (Índice de Sustentabilidade Empresarial da B3) tem como objetivo ser o indicador do desempenho médio das cotações dos ativos de empresas com reconhecido comprometimento com o desenvolvimento sustentável, práticas e alinhamento estratégico com a sustentabilidade empresarial.
(2) O Índice S&P/B3 Brasil ESG mede a performance de títulos que cumprem critérios de sustentabilidade e é ponderado pelas pontuações ESG da S&P DJI. Ele exclui ações com base na sua participação em certas atividades comerciais, no seu desempenho em comparação com o Pacto Global da ONU e também cias sem pontuação ESG da S&P DJI.
(3) O ICO2 tem como propósito ser um instrumento indutor das discussões sobre mudança do clima no Brasil. A adesão das companhias ao ICO2 demonstra o comprometimento com a transparência de suas emissões e antecipa a visão de como estão se preparando para uma economia de baixo carbono.
(4) O objetivo do IGCT é ser o indicador do desempenho médio das cotações dos ativos de emissão de empresas integrantes do IGC que atendam aos critérios adicionais descritos nesta metodologia.
(5) A série de índices FTSE4Good foi projetada para medir o desempenho de empresas que demonstram fortes práticas ambientais, sociais e de governança (ESG).
(6)
O Índice MSCI ACWI, que representa o desempenho de todo o conjunto de ações de grande e médio porte do mundo, em 23 mercados desenvolvidos e 26 emergentes.


Nossos últimos relatórios

  • Radar ESG | Positivo (POSI3): Um trabalho em andamento (link)
  • B3 anuncia nova metodologia para o ISE; Positivo (link)
  • Radar ESG | G2D (G2DI33): Abraçando os pilares S e E através do portfólio de investimentos de impacto (link)
  • Ambev (ABEV3): Feedback do evento ESG; Reforçamos nossa visão positiva (link)
  • Radar ESG | Setor de infraestrutura (CCRO3, ECOR3, RAIL3, HBSA3, STBP3): Preparando o asfalto (link)
  • Crédito de carbono: Capturando parte da solução; 5 nomes para exposição ao tema (link)
  • Radar ESG | Incorporadoras de Imóveis Residenciais Populares: Construindo os andares ESG (link)
  • Radar ESG | Arezzo & Co. (ARZZ3): Caminhando com seus próprios passos pela agenda ESG (link)
  • Trilogia ESG (Pt. I): Um mergulho no pilar E; Três nomes que são parte da solução (link)
  • Radar ESG | Blau (BLAU3) e Hypera (HYPE3): Em busca da fórmula ESG (link)
  • Bitcoin e ESG: Entenda os dois lados da moeda (link)
  • Radar ESG | Bemobi (BMOB3): Diversidade é o nome do jogo (link)
  • Radar ESG | Setor de Logística (SIMH3, JSLG3 e VAMO3): Preparando-se para a estrada ESG (link)
  • Radar ESG | Laboratórios: ESG ainda na triagem; Fleury se destacando em relação aos pares (link)
  • Cúpula de Líderes sobre o Clima: Tecnologia, economia e agenda verde centralizam as discussões no segundo dia do evento (link)
  • Cúpula de Líderes sobre o Clima: Cooperação global é uma das três principais mensagens do evento (link)
  • Radar ESG | Locadoras de automóveis: Rumo à agenda ESG; Localiza liderando a corrida (link)
  • Radar ESG | São Martinho (SMTO3): Quanto mais se semeia, maior é a colheita (link)
  • Radar ESG | Orizon (ORVR3): Quando ESG está escrito no DNA (link)
  • Sondagem XP/ESG com investidores institucionais (link)
  • O melhor dos dois mundos: Seleção de 10 BDRs para exposição internacional ao tema ESG (link)
  • Radar ESG | Enjoei (ENJU3): O usado é o novo “novo”? (link)
  • Radar ESG | CSN Mineração (CMIN3): Explorando os campos ESG (link)
  • Radar ESG | Jalles (JALL3): Plantando as sementes ESG (link)
  • Radar ESG | Incorporadoras de alta renda: ESG ainda em construção (link)
  • Radar ESG | Setor de saúde: O ESG ainda está na sala de espera? (link)
  • Radar ESG | Quão sustentáveis são as empresas de e-commerce? Uma análise ESG dessas gigantes (link)
  • Radar ESG | IMC (MEAL3): Por que a empresa ainda tem muito espaço para melhorar? (link)
  • Radar ESG | Aeris (AERI3): Uma das empresas melhor posicionada para surfar o vento ESG (link)
  • Radar ESG | 3R Petroleum: Construindo um caminho que incorpora metas ESG (link)
  • Radar ESG | Setor de supermercados: Vale a pena encher o carrinho? (link)
  • Radar ESG | JHSF (JHSF3): Espaço para melhorias (link)
  • Radar ESG | Quem é o melhor aluno da classe? Avaliando os líderes em ESG dentre as empresas de educação no Brasil (link)
  • Panorama do marco regulatório de investimentos ESG no Brasil (link)
  • CVM e B3 estudam intensificar critérios ESG para as companhias listadas (link)
  • Radar ESG | Setor de vestuário e joias: ESG ainda na confecção (link)
  • ESG: Tendências e preferências para 2021 (link)
  • Radar ESG | LOG Commercial Properties (LOGG3): Oportunidades em empreendimentos verdes (link)
  • Eleições americanas: Quais os efeitos para a agenda ESG nos EUA e no Brasil? (link)
  • Radar ESG | Farmácias: Raia Drogasil como a ação prescrita no setor para exposição a ESG (link)
  • Radar ESG | Shoppings: Entenda o que importa para eles quando o tema é ESG (link)
  • Radar ESG | Ambev (ABEV3): Um case que desce redondo (link)
  • Feedback do roadshow ESG: O que as gestoras no Brasil estão fazendo em relação ao tema? (link)
  • ESG de A a Z: Tudo o que você precisa saber sobre o tema (link)

Ainda não tem conta na XP? Clique aqui e abra a sua!

Avaliação

O quão foi útil este conteúdo pra você?


Newsletter
Newsletter

Gostaria de receber nossos conteúdos por e-mail?

Cadastre-se e receba grátis nossos relatórios e recomendações de investimentos

Telegram
Telegram XP

Acesse os conteúdos

Telegram XP

pelo Telegram da XP Investimentos

Leia também
BM&F Bovespa Autorregulação Anbima - Gestão de patrimônio Autorregulação Anbima - Gestão de recursos Autorregulação Anbima - Private Autorregulação Anbima - Distribuição de Produtos de Investimentos

A XP Investimentos CCTVM S/A, inscrita sob o CNPJ: 02.332.886/0001-04, é uma instituição financeira autorizada a funcionar pelo Banco Central do Brasil.

Toda comunicação através de rede mundial de computadores está sujeita a interrupções ou atrasos, podendo impedir ou prejudicar o envio de ordens ou a recepção de informações atualizadas. A XP Investimentos exime-se de responsabilidade por danos sofridos por seus clientes, por força de falha de serviços disponibilizados por terceiros. A XP Investimentos CCTVM S/A é instituição autorizada a funcionar pelo Banco Central do Brasil.

B3 Certifica B3 Agro Broker B3 Execution Broker B3 Retail Broker B3 Nonresident Investor Broker

BMF&BOVESPA

BSM

CVM

Este site usa cookies e dados pessoais de acordo com a nossa Política de Cookies (gerencie suas preferências de cookies) e a nossa Política de Privacidade.