Café com ESG: Conteúdos diários que transformam | 20/08

Comece o dia bem informado com as principais notícias ao redor do Brasil e do mundo quando o tema é ESG!


Compartilhar:

  • Compartilhar no Facebook
  • Compartilhar no Twitter
  • Compartilhar no Whatsapp
  • Compartilhar no LinkedIn
  • Compartilhar via E-mail

Bom dia! Neste relatório diário publicado todas as manhãs pelo time ESG do Research da XP, buscamos trazer as últimas notícias para que você comece o dia bem informado e fique por dentro do que o Brasil e o mundo fala sobre um tema que tem ficado cada vez mais relevante: ESG – do termo em inglês Environmental, Social and Governance ou, em português, ASG – Ambiental, Social e Governança.

Quais tópicos abordamos ao longo do conteúdo? (i) Notícias no Brasil e no mundo acerca do tema ESG; (ii) Performance histórica dos principais índices ESG em diferentes países; (iii) Comparativo da performance do Ibovespa vs. ISE (Índice de Sustentabilidade Empresarial, da B3); e (iv) Lista com os últimos relatórios publicados pelo Research ESG da XP.
Por que essas informações são importantes? 
Porque elas indicam os temas dentro da agenda ESG que estão sendo cada vez mais monitoradas por parte dos investidores e das empresas, e podem impactar os preços das ações de diferentes companhias.

Esperamos que aproveite a leitura!

Principais tópicos do dia

• O mercado reverteu as quedas da semana, e teve alta nesta quinta-feira, com o Ibovespa subindo +0,44% e o ISE (Índice de Sustentabilidade Empresarial) +1,26%.

• Do lado das empresas, (i) a Vale anunciou uma parceria com a Ternium para buscar oportunidades de redução das emissões de dióxido de carbono na siderurgia; e (ii) o McDonald’s Corp quase atingiu sua meta de fornecer todas as embalagens de papel para alimentos em restaurantes a partir de fibra reciclada ou sustentável, atingindo 99,6% em 2020 (vs. 92% em 2019).

• Além disso, o desmatamento da floresta amazônica bateu novo recorde. De acordo com a ONG de pesquisa Imazon, a devastação acumulada nos últimos 12 meses é a maior desde 2012. De agosto de 2020 a julho deste ano, 10.476 km² da floresta tropical foram destruídos, área equivalente a nove vezes a cidade do Rio.

Gostaria de receber esse conteúdo por e-mailClique aqui.
Gostou do conteúdo, tem alguma dúvida ou quer nos enviar uma sugestão? Basta deixar um comentário no final do post!


Brasil

Empresas

Vale assina acordo com Ternium para reduzir emissões na siderurgia

“A Vale anunciou nesta quinta-feira (19) que assinou um memorando de entendimento com a Ternium para buscar oportunidades de redução das emissões de dióxido de carbono na siderurgia. A Vale e a Ternium pretendem realizar estudos de viabilidade econômica de potenciais investimentos em uma usina de briquetes de minério de ferro localizada nas instalações da Ternium Brasil e usinas para produzir metálicos com baixa emissão de carbono, utilizando a tecnologia Tecnored, HYL e outras tecnologias para a redução de ferro. A iniciativa contribui para alcançar o compromisso da Vale de reduzir 15% das emissões líquidas de Escopo 3 até 2035. Além disso, a Vale busca reduzir suas emissões absolutas de Escopo 1 e 2 em 33% até 2030 e alcançar neutralidade até 2050, em linha com o Acordo de Paris.”

Fonte: Valor Econômico, 19/08/2021

BR Distribuidora vira Vibra Energia, diante de transição

“A BR Distribuidora anunciou uma mudança de nome e de marca corporativa e passará a se chamar Vibra Energia. A troca ocorre no mês seguinte à saída definitiva da Petrobras do capital da companhia e às vésperas da divulgação do novo planejamento estratégico da empresa, que deve se reposicionar não mais como uma distribuidora de combustíveis, mas como uma companhia de energia. […] Dentro do reposicionamento da Vibra no mercado, o executivo destaca que o novo planejamento estratégico deve trazer a visão da companhia sobre a transição energética e os seus impactos sobre os produtos comercializados pela empresa. Ele afirma que, num primeiro momento dessa transição, combustíveis fósseis como diesel e óleo combustível tendem a ser substituídos, pelos consumidores industriais, por exemplo, por gás natural e energia renovável.”

Fonte: Valor Econômico, 20/08/2021

Mais marcas precisam olhar para os paralímpicos

“[…] Além da Braskem, há outras marcas apoiando os atletas paralímpicos. A Toyota patrocina o Comitê Paralímpico Brasileiro e a Caixa Econômica Federal, algumas modalidades. E como parceiros e apoiadores aparecem o governo do Estado de São Paulo, EY, Alpargatas, Ajinomoto e Estácio. O banco Bradesco vai patrocinar a transmissão dos jogos na TV, informou a Globo. Na publicidade, a inclusão de pessoas com deficiências ainda é bem pequena. Apenas 0,8% dos comerciais de TV mostram pessoas com deficiência. Foram quatro comerciais veiculados no ano passado – Colgate, McDonalds, Pizza Hut e Skol, marca de cerveja da Ambev -, segundo a pesquisa Todxs, conduzida pela agência Heads.”

Fonte: Valor Econômico, 20/08/2021

Environmental ESG e Vero protocolam prospectos de IPO

“Mais duas empresas protocolaram minutas de prospectos preliminares para oferta pública inicial de ações (IPO, na sigla em inglês). Agora, foi a vez da Environmental ESG Participações, do segmento ambiental, e a Vero, da área de telecomunicações, publicarem os documentos na Comissão de Valores Mobiliários (CVM). A Environmental ESG Participações, controlada da Ambipar, fará oferta pública de distribuição primária (novos papéis) de ações ordinárias. A operação será realizada no Brasil, com esforços de colocação no exterior. Os coordenadores da oferta são Bradesco BBI (líder e agente estabilizador), Santander e UBS BB. Ainda conforme a minuta, os recursos líquidos provenientes da oferta serão destinados para otimização da estrutura de capital da companhia, incluindo reforço de capital de giro; investir na expansão orgânica, por meio da construção de novas unidades operacionais e escritórios comerciais; e aquisições de sociedades, no Brasil
e no exterior, no curso regular dos negócios.”

Fonte: Valor Econômico, 19/08/2021

Vale a pena integrar ESG numa startup? A KPTL aposta que sim 

“Criar um negócio do zero e conseguir convencer investidores a injetar capital na ideia não é uma missão fácil. Ainda mais no Brasil, onde mais de 60% das empresas quebram antes de completar cinco anos. Mais difícil ainda é fazer tudo isso já com uma política ESG clara e atuante. A KPTL (lê-se “Capital”, em inglês) quer mudar este cenário. A gestora de venture capital que já realizou mais de 100 investimentos quer agora identificar e sanar os principais problemas de suas atuais e futuras investidas em aspectos ambientais, sociais e de governança. Para fazer isso, firmou no começo do ano passado uma parceria com a consultoria Resultante, especializada em análise ESG e na identificação de riscos e oportunidades socioambientais.”

Fonte: Capital Reset, 19/08/2021

Política

Devastação em 12 meses na Amazônia é a maior desde 2012, aponta ONG

“O desmatamento da floresta amazônica bateu novo recorde. De acordo com a ONG de pesquisa Imazon, a devastação acumulada nos últimos 12 meses é a maior desde 2012. De agosto de 2020 a julho deste ano, 10.476 km² da floresta tropical foram destruídos, área equivalente a nove vezes a cidade do Rio. Os dados obtidos por meio do Sistema de Alerta de Desmatamento (SAD) mostram que o acumulado é 57% maior em relação ao registrado entre agosto de 2019 e julho de 2020, quando 6.688 km² foram devastados. O recorde negativo se confirma em qualquer uma das análises possíveis. Em julho foram 2.095 km² desmatados, 80% a mais que no mesmo mês de 2020, segundo o Imazon. Essa área é maior que a cidade de São Paulo e representa o pior índice da década para julho. O Estado do Pará encabeça a lista dos maiores desmatamentos do mês, com 37% do total. Ele é seguido por Amazonas (19%), Rondônia (15%), Acre (15%), Mato Grosso (10%) e Maranhão (4%). Quanto ao tipo de áreas atingidas, o desmatamento se deu da seguinte forma: terras privadas (63%), assentamentos (23%), Unidades de Conservação (11%) e Terras Indígenas (3%).”

Fonte: Estadão, 19/08/2021

Produtos

Fundos sociais financiam projetos de comunidades afetadas pela pandemia

“Três das mais tradicionais organizações brasileiras de apoio a direitos humanos uniram-se para financiar projetos sociais em comunidades indígenas e quilombolas, que estão entre as mais afetadas pela pandemia de covid-19 no país. Fazem parte da iniciativa, chamada Aliança entre Fundos, o Fundo Baobá de Equidade Racial, o Fundo Brasil de Direitos Humanos e o Fundo Casa Socioambiental. O objetivo é captar um total de R$ 5 milhões, metade dos quais já garantida, para distribuí-los, por meio de editais, a uma série de entidades e organizações que trabalham em favor dessas comunidades. Juntos, os três fundos já captaram R$ 2,5 milhões em parceria com a Inter-American Foundation (IAF) e querem dobrar esse valor após apresentarem o projeto a investidores nacionais e estrangeiros na próxima quinta-feira (26), em um evento on-line.”

Fonte: Valor Econômico, 20/08/2021

Estímulo 2020 vai lançar fundo de impacto social

“A plataforma Estímulo 2020, criada no início da pandemia com doações de empresários e grandes companhias para oferecer crédito barato a micro e pequenos empreendedores, está para lançar um fundo de impacto social que deverá triplicar o volume de recursos disponíveis para empréstimos. Os detalhes da operação, que está sendo estruturada no modelo conhecido como blended finance, ou de “finanças mistas”, só serão conhecidos em setembro, quando o anúncio deve ser feito. Segundo Fábio Lesbaupin, CEO do Estímulo 2020, a entrada no universo dos investimentos de impacto social vai permitir a alavancagem dos recursos dedicados a apoiar MPEs num momento em que muitos enfrentam dificuldades. “Podemos chegar a R$ 500 milhões em patrimônio dentro de cinco anos, o que viabilizaria crédito para 122 mil empresas, representando cerca de 400 mil empregos”, calcula.”

Fonte: Valor Econômico, 20/08/2021

Internacional

Empresas

McDonald’s afirma que quase todas as suas embalagens de papel são de fibra sustentável

“O McDonald’s Corp disse na quinta-feira que quase atingiu sua meta de fornecer todas as embalagens de papel para alimentos em restaurantes a partir de fibra reciclada ou sustentável. A rede global de hambúrgueres com sede em Chicago disse em seu relatório anual de sustentabilidade que em 2020 99,6% dos sacos de papel, embalagens de alimentos, guardanapos, porta-copos e outros materiais à base de fibra usados para embalar refeições para clientes vieram de fibra sustentável certificada ou reciclada fontes, acima de 92% em 2019. […] Uma pesquisa da Adweek-Harris Poll com adultos nos EUA em abril sobre embalagens de fast-food de uso único descobriu que 62% dos entrevistados disseram que teriam uma opinião mais elevada sobre uma marca que mudou às embalagens recicláveis e 81% estavam preocupados com o lixo e a poluição dos restaurantes fast-food.”

Fonte: Reuters, 20/08/2021

CEOs do Reino Unido pedem esquema de retrofit para atingir a meta de emissões domésticas

“Líderes de todas as indústrias de energia, construção, serviços financeiros e habitação estão pressionando o governo a desenvolver “urgentemente” uma estratégia para lidar com as casas ineficientes e com vazamento do Reino Unido ou “correr o risco de perder” sua meta de emissões zero líquidas para 2050. Quatorze executivos de grandes empresas e organizações, incluindo British Gas, Eon, Nationwide e The Federation of Master Builders, estão exigindo uma estratégia nacional de retrofit para reduzir as emissões de 29 milhões de residências britânicas, que no ano passado foram responsáveis por mais de um quinto das emissões de dióxido de carbono do Reino Unido. O lento progresso do Reino Unido na modernização de seu parque imobiliário, que está entre os mais ineficientes da Europa, há muito tempo é uma fonte de frustração para os ambientalistas, incluindo os conselheiros climáticos oficiais do governo que alertaram que a política nesta área “continua atrasada em relação ao que é necessário”.”

Fonte: Financial Times, 19/08/2021

*Retrofit é um processo de melhoria de instalações antigas que busca atualizar o espaço, corrigir problemas e torná-lo mais seguro e confortável para os usuários.

Petroleira investe em planta de soja da ADM para diesel renovável

“A petroleira americana Marathon Petroleum vai investir na nova planta de processamento de soja da Archer Daniels Midland (ADM) localizada em Spiritwood, na Dakota do Norte, para originar óleo de soja para sua produção de diesel renovável. O produto tem a mesma composição química que o diesel, mas é feito de vegetais e, por isso, tem menor pegada de carbono. As duas companhias formaram uma joint venture – na qual a participação da Marathon Petroleum será, inicialmente, de 25% – para operar a planta de processamento de soja. A ADM anunciou recentemente a construção da planta, que receberá investimento de US$ 350 milhões e deverá ficar pronta em 2023. A fábrica deverá ser capaz de processar cerca de 4 mil toneladas de soja por dia e produzir 270 mil toneladas de óleo de soja refinado por ano. Quando a unidade ficar pronta, deverá empregar 75 funcionários.”

Fonte: Valor Econômico, 20/08/2021


Índices ESG e suas performances

(1) O Índice ISE (Índice de Sustentabilidade Empresarial da B3) tem como objetivo ser o indicador do desempenho médio das cotações dos ativos de empresas com reconhecido comprometimento com o desenvolvimento sustentável, práticas e alinhamento estratégico com a sustentabilidade empresarial.
(2) O Índice S&P/B3 Brasil ESG mede a performance de títulos que cumprem critérios de sustentabilidade e é ponderado pelas pontuações ESG da S&P DJI. Ele exclui ações com base na sua participação em certas atividades comerciais, no seu desempenho em comparação com o Pacto Global da ONU e também cias sem pontuação ESG da S&P DJI.
(3) O ICO2 tem como propósito ser um instrumento indutor das discussões sobre mudança do clima no Brasil. A adesão das companhias ao ICO2 demonstra o comprometimento com a transparência de suas emissões e antecipa a visão de como estão se preparando para uma economia de baixo carbono.
(4) O objetivo do IGCT é ser o indicador do desempenho médio das cotações dos ativos de emissão de empresas integrantes do IGC que atendam aos critérios adicionais descritos nesta metodologia.
(5) A série de índices FTSE4Good foi projetada para medir o desempenho de empresas que demonstram fortes práticas ambientais, sociais e de governança (ESG).
(6)
O Índice MSCI ACWI, que representa o desempenho de todo o conjunto de ações de grande e médio porte do mundo, em 23 mercados desenvolvidos e 26 emergentes.


Nossos últimos relatórios

  • Relatório do IPCC: Um chamado para todos, inclusive para o mercado, frente a um cenário alarmante do clima (link)
  • Radar ESG | WEG (WEGE3): Um player ESG bem equipado para se beneficiar das tendências adiante (link)
  • Radar ESG | Boa Safra (SOJA3): Agenda ESG em produção, semente por semente (link)
  • Água: Onde há escassez, há oportunidade (link)
  • Radar ESG | Positivo (POSI3): Um trabalho em andamento (link)
  • B3 anuncia nova metodologia para o ISE; Positivo (link)
  • Radar ESG | G2D (G2DI33): Abraçando os pilares S e E através do portfólio de investimentos de impacto (link)
  • Ambev (ABEV3): Feedback do evento ESG; Reforçamos nossa visão positiva (link)
  • Radar ESG | Setor de infraestrutura (CCRO3, ECOR3, RAIL3, HBSA3, STBP3): Preparando o asfalto (link)
  • Crédito de carbono: Capturando parte da solução; 5 nomes para exposição ao tema (link)
  • Radar ESG | Incorporadoras de Imóveis Residenciais Populares: Construindo os andares ESG (link)
  • Radar ESG | Arezzo & Co. (ARZZ3): Caminhando com seus próprios passos pela agenda ESG (link)
  • Trilogia ESG (Pt. I): Um mergulho no pilar E; Três nomes que são parte da solução (link)
  • Radar ESG | Blau (BLAU3) e Hypera (HYPE3): Em busca da fórmula ESG (link)
  • Bitcoin e ESG: Entenda os dois lados da moeda (link)
  • Radar ESG | Bemobi (BMOB3): Diversidade é o nome do jogo (link)
  • Radar ESG | Setor de Logística (SIMH3, JSLG3 e VAMO3): Preparando-se para a estrada ESG (link)
  • Radar ESG | Laboratórios: ESG ainda na triagem; Fleury se destacando em relação aos pares (link)
  • Cúpula de Líderes sobre o Clima: Tecnologia, economia e agenda verde centralizam as discussões no segundo dia do evento (link)
  • Cúpula de Líderes sobre o Clima: Cooperação global é uma das três principais mensagens do evento (link)
  • Radar ESG | Locadoras de automóveis: Rumo à agenda ESG; Localiza liderando a corrida (link)
  • Radar ESG | São Martinho (SMTO3): Quanto mais se semeia, maior é a colheita (link)
  • Radar ESG | Orizon (ORVR3): Quando ESG está escrito no DNA (link)
  • Sondagem XP/ESG com investidores institucionais (link)
  • O melhor dos dois mundos: Seleção de 10 BDRs para exposição internacional ao tema ESG (link)
  • Radar ESG | Enjoei (ENJU3): O usado é o novo “novo”? (link)
  • Radar ESG | CSN Mineração (CMIN3): Explorando os campos ESG (link)
  • Radar ESG | Jalles (JALL3): Plantando as sementes ESG (link)
  • Radar ESG | Incorporadoras de alta renda: ESG ainda em construção (link)
  • Radar ESG | Setor de saúde: O ESG ainda está na sala de espera? (link)
  • Radar ESG | Quão sustentáveis são as empresas de e-commerce? Uma análise ESG dessas gigantes (link)
  • Radar ESG | IMC (MEAL3): Por que a empresa ainda tem muito espaço para melhorar? (link)
  • Radar ESG | Aeris (AERI3): Uma das empresas melhor posicionada para surfar o vento ESG (link)
  • Radar ESG | 3R Petroleum: Construindo um caminho que incorpora metas ESG (link)
  • Radar ESG | Setor de supermercados: Vale a pena encher o carrinho? (link)
  • Radar ESG | JHSF (JHSF3): Espaço para melhorias (link)
  • Radar ESG | Quem é o melhor aluno da classe? Avaliando os líderes em ESG dentre as empresas de educação no Brasil (link)
  • Panorama do marco regulatório de investimentos ESG no Brasil (link)
  • CVM e B3 estudam intensificar critérios ESG para as companhias listadas (link)
  • Radar ESG | Setor de vestuário e joias: ESG ainda na confecção (link)
  • ESG: Tendências e preferências para 2021 (link)
  • Radar ESG | LOG Commercial Properties (LOGG3): Oportunidades em empreendimentos verdes (link)
  • Eleições americanas: Quais os efeitos para a agenda ESG nos EUA e no Brasil? (link)
  • Radar ESG | Farmácias: Raia Drogasil como a ação prescrita no setor para exposição a ESG (link)
  • Radar ESG | Shoppings: Entenda o que importa para eles quando o tema é ESG (link)
  • Radar ESG | Ambev (ABEV3): Um case que desce redondo (link)
  • Feedback do roadshow ESG: O que as gestoras no Brasil estão fazendo em relação ao tema? (link)
  • ESG de A a Z: Tudo o que você precisa saber sobre o tema (link)

Ainda não tem conta na XP? Clique aqui e abra a sua!

Avaliação

O quão foi útil este conteúdo pra você?


Newsletter
Newsletter

Gostaria de receber nossos conteúdos por e-mail?

Cadastre-se e receba grátis nossos relatórios e recomendações de investimentos

Telegram
Telegram XP

Acesse os conteúdos

Telegram XP

pelo Telegram da XP Investimentos

Leia também
BM&F Bovespa Autorregulação Anbima - Gestão de patrimônio Autorregulação Anbima - Gestão de recursos Autorregulação Anbima - Private Autorregulação Anbima - Distribuição de Produtos de Investimentos

A XP Investimentos CCTVM S/A, inscrita sob o CNPJ: 02.332.886/0001-04, é uma instituição financeira autorizada a funcionar pelo Banco Central do Brasil.

Toda comunicação através de rede mundial de computadores está sujeita a interrupções ou atrasos, podendo impedir ou prejudicar o envio de ordens ou a recepção de informações atualizadas. A XP Investimentos exime-se de responsabilidade por danos sofridos por seus clientes, por força de falha de serviços disponibilizados por terceiros. A XP Investimentos CCTVM S/A é instituição autorizada a funcionar pelo Banco Central do Brasil.

B3 Certifica B3 Agro Broker B3 Execution Broker B3 Retail Broker B3 Nonresident Investor Broker

BMF&BOVESPA

BSM

CVM

Este site usa cookies e dados pessoais de acordo com a nossa Política de Cookies (gerencie suas preferências de cookies) e a nossa Política de Privacidade.