Café com ESG: Conteúdos diários que transformam | 20/07

Comece o dia bem informado com as principais notícias ao redor do Brasil e do mundo quando o tema é ESG!


Compartilhar:

  • Compartilhar no Facebook
  • Compartilhar no Twitter
  • Compartilhar no Whatsapp
  • Compartilhar no LinkedIn
  • Compartilhar via E-mail

Bom dia! Neste relatório diário publicado todas as manhãs pelo time ESG do Research da XP, buscamos trazer as últimas notícias para que você comece o dia bem informado e fique por dentro do que o Brasil e o mundo fala sobre um tema que tem ficado cada vez mais relevante: ESG – do termo em inglês Environmental, Social and Governance ou, em português, ASG – Ambiental, Social e Governança.

Quais tópicos abordamos ao longo do conteúdo? (i) Notícias no Brasil e no mundo acerca do tema ESG; (ii) Performance histórica dos principais índices ESG em diferentes países; (iii) Comparativo da performance do Ibovespa vs. ISE (Índice de Sustentabilidade Empresarial, da B3); e (iv) Lista com os últimos relatórios publicados pelo Research ESG da XP.
Por que essas informações são importantes? 
Porque elas indicam os temas dentro da agenda ESG que estão sendo cada vez mais monitoradas por parte dos investidores e das empresas, e podem impactar os preços das ações de diferentes companhias.

Esperamos que aproveite a leitura!

Gostaria de receber esse conteúdo por e-mailClique aqui.
Gostou do conteúdo, tem alguma dúvida ou quer nos enviar uma sugestão? Basta deixar um comentário no final do post!


Brasil

Empresas

Não há futuro para negócios sem visão social e ambiental

““Não há futuro para os negócios ou líderes empresariais sem uma análise dura e honesta sobre os impactos que causamos ao meio ambiente, ao entorno social e sobre qual tipo de governança estamos praticando.” A afirmação é da islandesa Halla Tómasdóttir, CEO do B Team, um seleto grupo de líderes globais preocupado em transformar o futuro e os negócios. A executiva menciona o trio de crises globais simultâneas e interdependentes que desafia a todos hoje: a emergência climática, a perda de biodiversidade e a crise de desigualdades e da baixa confiança nas instituições. O momento atual, diz ela, é de transição para um futuro onde seja possível compartilhar prosperidade e viver em um planeta saudável.”

Fonte: Valor Econômico, 20/07/2021

Regulação

B3 faz mudanças na metodologia do ISE

“A B3 mudou a metodologia do ISE, o índice com as companhias que adotam práticas ESG (sigla em inglês para ambiental, social e de governança). As principais mudanças são a adoção de um questionário específico, que depende do setor em que a companhia está inserida, e a divulgação pública das notas das empresas que aplicaram para participar do índice. Outra mudança importante será o número ilimitado de companhias participantes, extinguindo o atual limite de 40 companhias na carteira do ISE. No entanto, para participar da seleção, a empresa precisa seguir alguns critérios, como estar entre as 200 ações mais negociadas (líquidas) na bolsa. “Todas as empresas aptas serão listadas”, explica Ana Buchaim, diretora-executiva de pessoas, marketing, comunicação e sustentabilidade da B3.”

Fonte: Valor Econômico, 20/07/2021

Quer saber mais sobre o tema? Leia o relatório completo explicando o que é ESG aqui.

Política

Em junho, Amazônia perdeu o equivalente a quase três vezes a área de Fortaleza

“A Amazônia perdeu uma área de 926 quilômetros quadrados ou o equivalente a quase três vezes a cidade de Fortaleza apenas em junho deste ano, segundo dados de desmatamento reunidos pelo Instituto do Homem e Meio Ambiente da Amazônia (Imazon). No acumulado dos últimos 11 meses, foram 8.381 quilômetros quadrados. O governo Jair Bolsonaro tem sido alvo de críticas no Brasil e no exterior por causa da alta do desmate e dos incêndios na floresta. O acumulado dos últimos 11 meses representa um crescimento de 51% no desmatamento da Amazônia, quando comparado com os dados entre agosto de 2019 e junho do ano passado (5.553 quilômetros quadrados). “As áreas desmatadas em março, abril e maio foram as maiores dos últimos 10 anos para cada mês. E, se analisarmos apenas o acumulado em 2021, o desmatamento também é o pior da última década”, comenta Antônio Fonseca, pesquisador do Imazom, em nota oficial.”

Fonte: Estadão, 19/07/2021

A seca coloca a Amazônia em risco de “morte em grande escala”, alertam pesquisadores

“As condições climáticas cada vez mais severas ameaçam acelerar uma “morte em grande escala” da floresta amazônica, de acordo com os autores de um novo estudo que descobriu que 2,5 bilhões de árvores morreram no bioma após uma seca há vários anos. O Brasil Central está se recuperando da pior seca em 100 anos, que provocou a escassez de água e o risco de cortes de energia. Prevê-se que os trechos ao sul da maior floresta tropical do mundo serão atingidos pela estiagem ainda este ano. Um grupo conjunto de cientistas do Reino Unido e do Brasil alertou que a perda de árvores causada por esses períodos de seca extrema pode empurrar a floresta além de seu chamado “ponto de inflexão”, o limite no qual ela não pode mais sustentar seu ecossistema de reciclagem de água. Isso faria com que mais árvores morressem e provocaria fortes flutuações climáticas em toda a América Latina.”

Fonte: Financial Times, 19/07/2021

Terceiro Setor

Famílias que vivem em palafitas no Amapá ganham tratamento de água e esgoto de empresa social

“O apagão no Amapá, em 2020, não foi exatamente uma surpresa para as famílias que vivem em palafitas acima do rio Amazonas, no bairro Congós, em Macapá. Acostumados a ficar dias sem luz e água e uma vida inteira sem esgoto, moradores da região começaram a ter acesso a saneamento básico neste mês. Uma parceria entre a empresa social Florescer Brasil, o Magazine Luiza e a Caloi vai garantir que casas da 22ª passarela do bairro tenham água potável sem intermitências, coleta de esgoto e compostagem. Em torno de 550 pessoas estão sendo beneficiadas. “Instalamos todo o sistema de água em cinco dias”, conta Felipe Gregório, arquiteto fundador da Florescer, com sede em São Paulo. “Fizemos um mutirão, contratamos encanadores e pedreiros da comunidade.””

Fonte: Folha de São Paulo, 19/07/2021

Prêmio Empreenda Saúde abre inscrições para startups que promovam tecnologia e impacto social

“Startups de saúde podem se inscrever até 2 de agosto no Prêmio Empreenda Saúde, concurso que incentiva projetos tecnológicos e inovadores que apoiem o desenvolvimento do setor no país. Em sua sétima edição, o prêmio busca soluções em fase de prototipagem ou comercialização com potencial de gerar impacto social. Promovido pela Fundação Everis Brasil, o prêmio é aberto a startups registradas legalmente e que tenham captado até R$ 4,5 milhões de financiamento nos últimos três anos ou faturado mais de R$ 2,250 milhões no último ano. As inscrições podem ser feitas pelo site premioempreendasaude.com.br. Neste ano, com novas tendências em saúde aceleradas pela pandemia, há três novas categorias.”

Fonte: Folha de São Paulo, 19/07/2021

Opinião

Riscos financeiros da mudança climática

“Amplia-se a cada dia o consenso de que os riscos climáticos constituem a maior ameaça de longo prazo ao planeta e à vida humana. Governos e instituições, internacionais e nacionais, públicas e privadas, vêm tomando iniciativas cada vez mais abrangentes para mitigar tais riscos. Os reguladores do sistema financeiro (SF), notadamente os bancos centrais, têm, por dever de ofício, que se preocupar com os efeitos de tais riscos sobre a higidez do SF. Mas que formas mais efetivas de regulação deveriam ser adotadas para lidar com tais riscos? Para discutir este importante tema, a conferência de verão (no hemisfério norte) do National Bureau of Economic Research (NBER) organizou na semana passada um painel de experts. René Stulz (Ohio State University), o coordenador, formulou quatro perguntas para os panelistas. Constituem os riscos climáticos riscos sistêmicos para o SF, hoje ou no futuro? Quão importante são os riscos climáticos para as instituições financeiras (IFs) hoje? Qual a melhor forma de medir tais riscos, tanto para o SF, quanto para IFs individuais, e qual a utilidade de testes de estresse para aferir o impacto dos riscos climáticos? Que esforço de pesquisa acadêmica se faz necessário?”

Fonte: Valor Econômico, 20/07/2021

Internacional

Empresas

Emissões de carbono devem atingir novo recorde em 2023, diz IEA

“Apenas 2% dos gastos com recuperação da pandemia estão indo para medidas de energia limpa, e as emissões de carbono provavelmente subiriam para níveis recordes em 2023, “sem um pico claro à vista”, disse a Agência Internacional de Energia. Os governos alocaram US$ 380 bilhões de um total de US$ 16 trilhões em apoio à pandemia de energia limpa, calculou a AIE em seu último relatório de monitoramento dos planos de recuperação da pandemia em todo o mundo. Mesmo se todas essas medidas fossem implementadas a tempo, estaria “ainda longe do que é necessário para colocar o mundo em um caminho para alcançar emissões líquidas zero em meados do século”, disse Fatih Birol, diretor executivo da IEA.”

Fonte: Financial Times, 20/07/2021

BlackRock: Falta de diversidade e independência gerou votos críticos em conselhos

“A principal gestora de ativos BlackRock disse na terça-feira que votou contra 10% dos diretores da empresa este ano, ante 8,5% no ano passado, como parte de uma abordagem mais vigorosa à governança corporativa. A BlackRock deu o detalhamento em seu relatório trimestral de administração, citando questões como a falta de diversidade na diretoria ou independência do diretor. A empresa sediada em Nova York também confirmou que não apoiou a gestão em 35% das resoluções de acionistas este ano, cerca de duas vezes a taxa em 2020, e não apoiou a gestão em quase dois terços das propostas ambientais, ante 11% no ano anterior. Isso ajudou a impulsionar o apoio às questões climáticas e sociais a novos patamares nas reuniões de acionistas. Os números mostram um processo novo e mais crítico do head de administração da empresa, Sandy Boss. Ela assumiu o cargo no ano passado, quando a pandemia COVID-19 paralisou economias em todo o mundo e os clientes se concentraram em questões como desigualdade e meio ambiente.”

Fonte: Reuters, 20/07/2021

Pandemia reduz em 9,4% número mulheres no mercado de trabalho nas Américas

“As Américas registraram uma redução de 9,4% no número de mulheres trabalhadoras, a maior entre todos os continentes, em razão da pandemia de covid-19, informa um relatório das Nações Unidas divulgado nesta segunda-feira. O relatório da Organização Internacional do Trabalho (OIT) indica que a queda no número de mulheres participando do mercado de trabalho freou o avanço registrado na região nos últimos 15 anos, resultado de melhores oportunidades educacionais para as mulheres, migração das áreas rurais para as urbanas e maior disponibilidade de empregos formais no setor de serviços. O relatório indica que no mesmo período, entre 2019 e 2020, a redução do número de homens trabalhadores na região foi de 7%.”

Fonte: Valor Investe, 19/07/2021

Regulação

Banco Central da Rússia aconselha empresas a divulgarem agenda ESG

“O Banco Central da Rússia aconselhou as empresas nacionais a divulgarem sua agenda ambiental, social e de governança (ESG) e avaliar os riscos relacionados, disse na segunda-feira, acrescentando que a falha em identificar questões ESG em tempo hábil pode causar perdas. A demanda por ativos ESG está crescendo em todo o mundo, à medida que empresas com bom desempenho em uma variedade de questões, desde mudança climática até diversidade de diretoria, são vistas como melhores investimentos de longo prazo do que seus pares nessas áreas. O banco central disse ter “recomendado” as empresas russas a divulgarem sua conformidade ESG e avaliarem os riscos relacionados à agenda ESG global, seja em seus relatórios anuais ou de qualquer outra forma, uma vez por ano.”

Fonte: Reuters, 19/07/2021

Política

Superpotência verde da África: Por que o Gabão deseja que os mercados ajudem a enfrentar as mudanças climáticas

“Com o suor escorrendo pelo rosto, Iftikhar Ali, um corretor de títulos e ex-gerente de fundos de hedge, caminha nervosamente para sua próxima nomeação. O encontro acontecerá não na cidade de Londres, mas sob a cobertura da floresta tropical do Gabão. E o cliente que ele está encontrando, que atende pelo nome de Kamaya, é um gorila de dorso prateado das planícies. Depois de anos em que sua economia dependia do petróleo, o Gabão busca se reposicionar como uma “superpotência verde”. Um raro país de alta renda na África, com uma renda nominal per capita de US$ 8.600, o Gabão quer diversificar conforme as reservas de petróleo diminuem. Ele também quer o reconhecimento por preservar suas florestas tropicais, parte da grande floresta tropical da Bacia do Congo – os “pulmões da África” que são o ecossistema florestal mais importante do planeta depois da Amazônia. Ali, diretor de capital de dívida do African Conservation Development Group, uma empresa incorporada nas Ilhas Maurício especializada em administração de terras, está pesquisando um projeto de ecoturismo e o lançamento de um título que espera arrecadar até US$ 300 milhões. Seu ativo subjacente será a floresta que absorve milhões de toneladas de carbono, criando um fluxo de créditos de carbono potencialmente comercializáveis.”

Fonte: Financial Times, 20/07/2021


Índices ESG e suas performances

(1) O Índice ISE (Índice de Sustentabilidade Empresarial da B3) tem como objetivo ser o indicador do desempenho médio das cotações dos ativos de empresas com reconhecido comprometimento com o desenvolvimento sustentável, práticas e alinhamento estratégico com a sustentabilidade empresarial.
(2) O Índice S&P/B3 Brasil ESG mede a performance de títulos que cumprem critérios de sustentabilidade e é ponderado pelas pontuações ESG da S&P DJI. Ele exclui ações com base na sua participação em certas atividades comerciais, no seu desempenho em comparação com o Pacto Global da ONU e também cias sem pontuação ESG da S&P DJI.
(3) O ICO2 tem como propósito ser um instrumento indutor das discussões sobre mudança do clima no Brasil. A adesão das companhias ao ICO2 demonstra o comprometimento com a transparência de suas emissões e antecipa a visão de como estão se preparando para uma economia de baixo carbono.
(4) O objetivo do IGCT é ser o indicador do desempenho médio das cotações dos ativos de emissão de empresas integrantes do IGC que atendam aos critérios adicionais descritos nesta metodologia.
(5) A série de índices FTSE4Good foi projetada para medir o desempenho de empresas que demonstram fortes práticas ambientais, sociais e de governança (ESG).
(6)
O Índice MSCI ACWI, que representa o desempenho de todo o conjunto de ações de grande e médio porte do mundo, em 23 mercados desenvolvidos e 26 emergentes.


Nossos últimos relatórios

  • Radar ESG | G2D (G2DI33): Abraçando os pilares S e E através do portfólio de investimentos de impacto (link)
  • Ambev (ABEV3): Feedback do evento ESG; Reforçamos nossa visão positiva (link)
  • Radar ESG | Setor de infraestrutura (CCRO3, ECOR3, RAIL3, HBSA3, STBP3): Preparando o asfalto (link)
  • Crédito de carbono: Capturando parte da solução; 5 nomes para exposição ao tema (link)
  • Radar ESG | Incorporadoras de Imóveis Residenciais Populares: Construindo os andares ESG (link)
  • Radar ESG | Arezzo & Co. (ARZZ3): Caminhando com seus próprios passos pela agenda ESG (link)
  • Trilogia ESG (Pt. I): Um mergulho no pilar E; Três nomes que são parte da solução (link)
  • Radar ESG | Blau (BLAU3) e Hypera (HYPE3): Em busca da fórmula ESG (link)
  • Bitcoin e ESG: Entenda os dois lados da moeda (link)
  • Radar ESG | Bemobi (BMOB3): Diversidade é o nome do jogo (link)
  • Radar ESG | Setor de Logística (SIMH3, JSLG3 e VAMO3): Preparando-se para a estrada ESG (link)
  • Radar ESG | Laboratórios: ESG ainda na triagem; Fleury se destacando em relação aos pares (link)
  • Cúpula de Líderes sobre o Clima: Tecnologia, economia e agenda verde centralizam as discussões no segundo dia do evento (link)
  • Cúpula de Líderes sobre o Clima: Cooperação global é uma das três principais mensagens do evento (link)
  • Radar ESG | Locadoras de automóveis: Rumo à agenda ESG; Localiza liderando a corrida (link)
  • Radar ESG | São Martinho (SMTO3): Quanto mais se semeia, maior é a colheita (link)
  • Radar ESG | Orizon (ORVR3): Quando ESG está escrito no DNA (link)
  • Sondagem XP/ESG com investidores institucionais (link)
  • O melhor dos dois mundos: Seleção de 10 BDRs para exposição internacional ao tema ESG (link)
  • Radar ESG | Enjoei (ENJU3): O usado é o novo “novo”? (link)
  • Radar ESG | CSN Mineração (CMIN3): Explorando os campos ESG (link)
  • Radar ESG | Jalles (JALL3): Plantando as sementes ESG (link)
  • Radar ESG | Incorporadoras de alta renda: ESG ainda em construção (link)
  • Radar ESG | Setor de saúde: O ESG ainda está na sala de espera? (link)
  • Radar ESG | Quão sustentáveis são as empresas de e-commerce? Uma análise ESG dessas gigantes (link)
  • Radar ESG | IMC (MEAL3): Por que a empresa ainda tem muito espaço para melhorar? (link)
  • Radar ESG | Aeris (AERI3): Uma das empresas melhor posicionada para surfar o vento ESG (link)
  • Radar ESG | 3R Petroleum: Construindo um caminho que incorpora metas ESG (link)
  • Radar ESG | Setor de supermercados: Vale a pena encher o carrinho? (link)
  • Radar ESG | JHSF (JHSF3): Espaço para melhorias (link)
  • Radar ESG | Quem é o melhor aluno da classe? Avaliando os líderes em ESG dentre as empresas de educação no Brasil (link)
  • Panorama do marco regulatório de investimentos ESG no Brasil (link)
  • CVM e B3 estudam intensificar critérios ESG para as companhias listadas (link)
  • Radar ESG | Setor de vestuário e joias: ESG ainda na confecção (link)
  • ESG: Tendências e preferências para 2021 (link)
  • Radar ESG | LOG Commercial Properties (LOGG3): Oportunidades em empreendimentos verdes (link)
  • Eleições americanas: Quais os efeitos para a agenda ESG nos EUA e no Brasil? (link)
  • Radar ESG | Farmácias: Raia Drogasil como a ação prescrita no setor para exposição a ESG (link)
  • Radar ESG | Shoppings: Entenda o que importa para eles quando o tema é ESG (link)
  • Radar ESG | Ambev (ABEV3): Um case que desce redondo (link)
  • Feedback do roadshow ESG: O que as gestoras no Brasil estão fazendo em relação ao tema? (link)
  • ESG de A a Z: Tudo o que você precisa saber sobre o tema (link)

Ainda não tem conta na XP? Clique aqui e abra a sua!

Avaliação

O quão foi útil este conteúdo pra você?


Newsletter
Newsletter

Gostaria de receber nossos conteúdos por e-mail?

Cadastre-se e receba grátis nossos relatórios e recomendações de investimentos

Telegram
Telegram XP

Acesse os conteúdos

Telegram XP

pelo Telegram da XP Investimentos

Leia também
BM&F Bovespa Autorregulação Anbima - Gestão de patrimônio Autorregulação Anbima - Gestão de recursos Autorregulação Anbima - Private Autorregulação Anbima - Distribuição de Produtos de Investimentos

A XP Investimentos CCTVM S/A, inscrita sob o CNPJ: 02.332.886/0001-04, é uma instituição financeira autorizada a funcionar pelo Banco Central do Brasil.

Toda comunicação através de rede mundial de computadores está sujeita a interrupções ou atrasos, podendo impedir ou prejudicar o envio de ordens ou a recepção de informações atualizadas. A XP Investimentos exime-se de responsabilidade por danos sofridos por seus clientes, por força de falha de serviços disponibilizados por terceiros. A XP Investimentos CCTVM S/A é instituição autorizada a funcionar pelo Banco Central do Brasil.

B3 Certifica B3 Agro Broker B3 Execution Broker B3 Retail Broker B3 Nonresident Investor Broker

BMF&BOVESPA

BSM

CVM

Este site usa cookies e dados pessoais de acordo com a nossa Política de Cookies e a nossa Política de Privacidade.