Café com ESG: Conteúdos diários que transformam | 16/07

Comece o dia bem informado com as principais notícias ao redor do Brasil e do mundo quando o tema é ESG!


Compartilhar:

  • Compartilhar no Facebook
  • Compartilhar no Twitter
  • Compartilhar no Whatsapp
  • Compartilhar no LinkedIn
  • Compartilhar via E-mail

Bom dia! Neste relatório diário publicado todas as manhãs pelo time ESG do Research da XP, buscamos trazer as últimas notícias para que você comece o dia bem informado e fique por dentro do que o Brasil e o mundo fala sobre um tema que tem ficado cada vez mais relevante: ESG – do termo em inglês Environmental, Social and Governance ou, em português, ASG – Ambiental, Social e Governança.

Quais tópicos abordamos ao longo do conteúdo? (i) Notícias no Brasil e no mundo acerca do tema ESG; (ii) Performance histórica dos principais índices ESG em diferentes países; (iii) Comparativo da performance do Ibovespa vs. ISE (Índice de Sustentabilidade Empresarial, da B3); e (iv) Lista com os últimos relatórios publicados pelo Research ESG da XP.
Por que essas informações são importantes? 
Porque elas indicam os temas dentro da agenda ESG que estão sendo cada vez mais monitoradas por parte dos investidores e das empresas, e podem impactar os preços das ações de diferentes companhias.

Esperamos que aproveite a leitura!

Gostaria de receber esse conteúdo por e-mailClique aqui.
Gostou do conteúdo, tem alguma dúvida ou quer nos enviar uma sugestão? Basta deixar um comentário no final do post!


Brasil

Empresas

Lojas Renner compra plataforma de revenda de roupas Repassa

“A Lojas Renner (LREN3) anunciou nesta quinta-feira (15) a aquisição de 100% da Repassa, plataforma online de revenda de roupas, calçados e acessórios com atuação nacional. O valor da operação não foi divulgado. Em fato relevante, a Lojas Renner disse que a transação está em linha com a estratégia de consolidação do ecossistema de moda e lifestyle da companhia, amplamente alinhada à pauta ESG (Environmental, Social and Corporate Governance, ou Ambiental, Social e Governança Corporativa traduzido para o português). A compra da Repassa representa o primeiro movimento inorgânico da Lojas Renner nessa empreitada. “O ecossistema tem um potencial muito grande sob exploração, e a companhia continuará aliando investimentos orgânicos e inorgânicos para acelerar esta construção”, afirmou a varejista de moda.”

Fonte: Money times, 15/07/2021

Clique aqui para acessar o relatório completo com a nossa visão em relação à aquisição.

Taxa de carbono nas principais economias coloca pressão no Brasil

“As grandes potências econômicas aceleram planos para reduzir emissões de gases de efeito estufa, com uma clara mensagem a emergentes, como o Brasil, de que ou fazem o mesmo ou pagarão o preço com menos exportações. As políticas climáticas vão mais e mais ser usadas no comércio, para simultaneamente proteger a produção doméstica e pressionar parceiros a reduzir suas próprias emissões. A União Europeia (UE) apresentou na quarta-feira sua “revolução climática” para descarbonizar a economia, desde geração de eletricidade, produção de automóveis, aquecimento habitacional, transportes aéreo e marítimo, agricultura. Também foi a primeira a anunciar a criação de uma taxa de carbono na fronteira. Nos EUA, senadores democratas propuseram taxar importações de produtos mais poluidores, para ajudar a pagar o novo pacote de gastos de US$ 3,5 trilhões do governo. O que os EUA fazem tem impacto global, mas os democratas não disseram como essa taxa será imposta. Um esboço do mecanismo já foi adotado na Califórnia para algumas importações de eletricidade. Canadá e Japão planejam um tipo similar de iniciativa.”

Fonte: Valor Econômico, 16/07/2021

CNI vê risco de prejuízo com taxa carbono da UE

“A indústria brasileira declarou ter preocupação com o plano de taxa carbono pela União Europeia, estimando que a medida poderá criar barreiras em exportações brasileiras para o mercado comum europeu no futuro. Os setores alvejados inicialmente são ferro e aço, alumínio, cimento, eletricidade e fertilizantes importados pela UE. É a primeira vez que uma proposta nesse formato é apresentada no mundo, para implementação a partir de 2023. A Confederação Nacional da Indústria (CNI) diz estar avaliando em detalhe a proposta de criação do Mecanismo de Ajuste de Carbono na Fronteira (CBAM, na sigla em inglês), mas que “vê com preocupação a possibilidade de criação de barreiras ao comércio internacional e, em especial, às exportações brasileiras nos setores afetados, assim como possíveis retaliações comerciais, desvios de comércio e possível violação das regras da Organização Mundial do Comércio (OMC)”.”

Fonte: Valor Econômico, 16/07/2021

Absolar: Ampliação de crédito do Plano Safra 2020-2021 vai beneficiar energia solar

“O casamento entre a energia solar e o agronegócio recebeu um reforço no Plano Safra 2021-2022, com a inclusão do financiamento para projetos de energia renovável no Programa ABC, avaliou a Associação Brasileira de Energia Solar (Absolar). “A nova edição trouxe um importante avanço para a sustentabilidade no meio rural, com a ampliação de recursos e opções de financiamento para produtores rurais que buscam investir em energia solar”, disse a Absolar em nota. Já incentivam o uso de energia renovável os programas voltados para o agronegócio Pronaf, Inovagro e Prodecoop. Os investimentos em energia solar nas propriedades rurais já ultrapassam R$ 3,7 bilhões no País. Atualmente, os produtores rurais representam 13,1% da potência instalada na geração própria de energia solar, com mais de 37 mil sistemas instalados em propriedades rurais, que geraram mais de 23 mil empregos no Brasil. “Somadas, estas linhas do Plano Safra representam R$ 26,9 bilhões para investimentos em projetos no meio rural, um aumento de 56% em relação aos R$ 17,3 bilhões da edição anterior”, informou a entidade. De acordo com o presidente da Absolar, Rodrigo Sauaia, a sinergia entre o agro e a solar fotovoltaica é imensa, com diversas aplicações na produção rural.”

Fonte: Broadcast, 15/07/2021

Política

Registro de racismo no Brasil avança 30% e homicídios de LGBTQI+ crescem 25% em 2020

“A taxa de registros de casos de racismo no Brasil cresceu 29,8% no Brasil em 2020, na comparação com o ano anterior, passando de 1,22 por 100 mil habitantes para 1,58. Os registros de injúria racial, por sua vez, caíram 20,2%. Os dados são do 15º Anuário do Fórum Brasileiro de Segurança Pública (FBSP). Entre os Estados, a taxa mais elevada de registros de racismo em 2020 foi no Rio Grande do Sul (10,8 por 100 mil habitantes). As menores estão no Piauí e Paraíba, ambos com 0,1. Já os casos de injúria racial prevaleceram em Santa Catarina (39,5, contra uma taxa nacional de 5,1), enquanto Amazonas não registrou nenhum caso. Os números, no entanto, precisam ser interpretados com cautela, dado que a qualidade das informações nem sempre é a ideal. Dennis Pacheco, da equipe técnica do FBSP, observa, por exemplo, a discrepância entre registros de racismo e de injúria racial em um mesmo Estado, “como se uma tipologia em nada estivesse relacionada à outra”, afirma.”

Fonte: Valor Econômico, 15/07/2021

Governo federal amplia atuação de militares contra desmatamento ilegal no Amazonas

“O presidente Jair Bolsonaro, atendendo a requerimento do governador Wilson Lima (PSC), ampliou o emprego das Forças Armadas no combate a crimes ambientais no Estado do Amazonas. A autorização ocorre após a Floresta Amazônica bater o recorde de alertas de desmatamento para o mês de junho e estende uma operação militar anunciada naquele mês para a região. A medida consta em edição desta sexta-feira do Diário Oficial da União (DOU). Desde 28 de junho, um decreto autorizava a atuação dos militares em áreas específicas — terras indígenas, unidades federais de conservação e locais de propriedade ou sob posse da União — do território que compõe a Amazônia Legal. No Estado do Amazonas, sete municípios eram abrangidos pelo decreto antes da ampliação. O texto ainda indica outros 19 municípios de Rondônia, Pará e Mato Grosso, cabendo a cada governador formular requerimento para ampliar as áreas atendidas em seu Estado.”

Fonte: Estadão, 16/07/2021

Produtos

XP lança fundo que investe em empresas de tecnologia para consumo de água

“A XP Inc. anunciou nesta quinta-feira o lançamento do Trend Água Tech, fundo que investe em empresas que trabalham para a melhora da eficiência no uso de água. Conforme nota divulgada há pouco, o produto replica o Invesco Water Resources, fundo de índice, ou ETF, que reúne 36 empresas na bolsa norte-americana Nasdaq que atuam na tecnologia de extração, tratamento e distribuição de água. O fundo é voltado a investidores em geral, a partir de R$ 100, com taxa de administração de 0,5% ao ano e possui hedge contra variação cambial (em reais). O produto está disponível nas plataformas da XP e da Rico. Segundo o comunicado, uma das motivações para o lançamento do produto é a aposta no desenvolvimento de companhias que atuam para otimizar o consumo de água.”

Fonte: Valor Econômico, 15/07/2021

XP lança fundo com estratégia ESG utilizada por Ray Dalio

“Ray Dalio é um verdadeiro case de sucesso no mercado financeiro. O lendário gestor fundou a Bridgewater Associates em 1975, atualmente considerada a maior e mais lucrativa gestora de hedge funds do mundo. Com US$ 150 bilhões sob gestão, a casa foi pioneira em utilizar diversas estratégias de alocação, como a ‘paridade de risco’ – hoje disseminada no mercado. Para atingir tamanho êxito financeiro e ser benchmark em gestão, entretanto, a gestora não abriu mão de investir em sustentabilidade. A Bridgewater foi a criadora da estratégia ESG (sigla para boas práticas ambientais, sociais e de governança) chamada ‘All Weather Sustainability’, que consiste em construir um portfólio de longo prazo, lucrativo e com ativos alinhados com os Objetivos de Desenvolvimento Sustentável (ODS) de Organização das Nações Unidas (ONU). Nesta quinta-feira (15), a XP Inc. traz para o Brasil mais um veículo para acessar método de investimento sustentável utilizado por Ray Dalio. A plataforma lança o novo fundo de investimento ‘Lyxor Bridgewater All Weather Sustainability Advisory’, baseado no processo de seleção de ativos ESG da Bridgewater.”

Fonte: Estadão, 15/07/2021

Terceiro Setor

Legião da Boa Vontade distribui cestas e cobertores em formato drive-thru em São Paulo

“Em homenagem ao Dia da Caridade, comemorado em 19 de julho, a Legião da Boa Vontade (LBV) distribui nesta quinta-feira (15) cestas de alimentos e 3.000 cobertores para entidades parceiras na região metropolitana de São Paulo. A ação, no formato de drive-thru para evitar que pessoas se aglomerem, acontece na sede da LBV, no bairro Bom Retiro (SP), das 9h às 16h. Serão beneficiadas pelo menos 500 famílias. As doações serão entregues a entidades participantes da Rede Sociedade Solidária, programa que capacita e assessora líderes comunitários e gestores de organizações sociais. O projeto inclui temas voltados à garantia de direitos e desenvolvimento de ações socioeducativas e soco assistenciais. A LBV prevê a entrega de 11 toneladas neste mês, que beneficiarão pessoas em situação de vulnerabilidade no estado de São Paulo. O público prioritário são crianças, adolescentes, idosos, população em situação de rua e pessoas com necessidades especiais.”

Fonte: Folha de São Paulo, 15/07/2021

Internacional

Empresas

Emissão global de dívida sustentável atingirá marca de US$ 1 trilhão em 2021

“A emissão global de dívida sustentável está a caminho de ultrapassar US$ 1 trilhão neste ano, com os títulos verdes dominando, enquanto os mercados emergentes ainda precisam se recuperar, disse o Instituto de Finanças Internacionais (IIF) em um relatório. Com empresas e instituições financeiras sob pressão crescente de investidores para melhorar seu jogo ambiental, social e de governança (ESG), a emissão de títulos para arrecadar dinheiro para projetos relacionados ao clima ou sociais, ou vinculados a metas de sustentabilidade, é uma opção cada vez mais popular. As vendas de dívidas sustentáveis ​​mais que dobraram em relação ao ano anterior no primeiro semestre de 2021, para mais de US$ 680 bilhões, fechando em torno dos US$ 700 bilhões emitidos durante todo o ano passado. “Com os compromissos do Net Zero em destaque, uma aceleração no investimento em energia de baixo carbono e inovação tecnológica tem apoiado a emissão de títulos ESG, junto com um forte apetite do investidor”, disse o economista do IIF Khadija Mahmood.”

Fonte: Reuters, 15/07/2021

Coreia do Sul convoca reunião com siderúrgicas sobre taxa de carbono da UE

“O governo da Coreia da Sul realizou uma reunião de emergência com as siderúrgicas do país nesta quinta-feira para discutir as novas medidas anunciadas pela União Europeia (UE) para descarbonizar sua economia. Em um sinal de preocupação com um impacto de que a medida pode ter sobre a Coreia do Sul, o vice-ministro da Indústria, Park Jin-kyu, disse que o país pode “transformar a crise em oportunidade” se o governo e o setor privado cooperarem para lidar com a taxa de carbono da UE. Ele pediu que executivos de empresas como a Posco e a Hyundai Steel se preparassem para a nova política europeia. O mecanismo de ajuste de carbono na fronteira (CBAM, na sigla em inglês) vai alvejar inicialmente as importações de aço, cimento, alumínio, fertilizantes e eletricidade. A ideia da UE é depois expandir a medida, prevista para entrar em vigor em 2023, para outros setores.”

Fonte: Valor Econômico, 15/07/2021

Política

Investidores focados no clima apreciam o plano mestre da UE

“Um plano diretor climático da União Europeia para aumentar o custo da poluição e eliminar as emissões é um passo em direção a um único preço de carbono que muitos investidores que se esforçam para tornar as empresas mais sustentáveis podem ajudar a proporcionar mudanças mais profundas. Em seu maior pacote climático até agora, a Comissão Europeia, órgão executivo da UE, anunciou na quarta-feira (14 de julho) 13 propostas de políticas que abrangem energia, transporte marítimo, transporte e manufatura. “A UE deve ser aplaudida por seu nível de ambição nessas metas e por aspirar a ser uma pioneira em mudanças climáticas – ela certamente estabelece um modelo forte a ser seguido por outras nações industrializadas”, disse Mark Wade, Chefe de Pesquisa e Administração de Sustentabilidade na Allianz Global Investors. No centro das propostas de políticas estão os planos de reforma do Sistema de Comércio de Emissões do bloco de 27 membros, que força os poluidores a pagar por suas emissões.”

Fonte: Euractiv, 16/07/2021

Planos climáticos da UE provocam oposição nacional que supera os custos de emissões

“A tentativa histórica de Bruxelas de enfrentar a mudança climática enfrenta um muro de oposição dos governos do bloco, alegando que seus planos afetariam suas famílias com custos de energia mais altos. Os legisladores da UE disseram ao Financial Times que as tentativas da Comissão Europeia de expandir o preço do carbono para os setores mais poluentes da economia, como carros e edifícios, estão em risco, já que os estados membros objetam que isso forçará os mais pobres a pagar. Frans Timmermans, o vice-presidente executivo da comissão encarregado do Acordo Verde, disse que as medidas eram necessárias para “colocar um preço no carbono e um prêmio na descarbonização”. “Nossas ferramentas atuais não fazem o suficiente. Se não combatermos a crise climática, estaremos travando guerras por água e alimentos ”, acrescentou.”

Fonte: Financial Times, 16/07/2021

Taxa de carbono europeia ainda não inclui produtos agrícolas

“A taxa de carbono que a União Europeia (UE) planeja adotar a partir de 2023 em importações provenientes de países com regras ambientais menos estritas não atinge produtos agrícolas, por ora. Mas tende a aumentar a pressão sobre o Brasil e os demais integrantes do Mercosul para progressivamente comprovarem redução de emissão de CO2 na produção de suas mercadorias agropecuárias. No primeiro momento, o Mecanismo de Ajuste de Carbono na Fronteira (Carbon Border Adjustment Mechanism, ou CBAM), como é oficialmente chamada a taxa de carbono europeia, atingirá os setores de aço e ferro, alumínio, cimento, fertilizantes e eletricidade, e será estendida mais tarde para outros setores. A poderosa central sindical europeia Copa-Cogeca reagiu, reclamando que a UE, ao mesmo tempo em que excluiu um CBAM para produtos agrícolas, incluiu o setor de fertilizantes. A central considera essa “falta de coerência’’ como “uma dupla penalidade injusta, que será insuportável para os agricultores”.”

Fonte: Valor Econômico, 16/07/2021

Esquema do mercado de carbono da China é muito limitado, dizem analistas

“A China lançou o maior mercado de carbono do mundo, o que analistas dizem ser uma tentativa cautelosa e limitada do maior poluidor do planeta de reduzir as emissões de dióxido de carbono. A compra e venda de licenças de emissão de gases do efeito estufa como parte do esquema nacional de comércio de emissões da China começou na sexta-feira após uma cerimônia de lançamento na Bolsa de Meio Ambiente e Energia de Xangai. Na primeira meia hora, o preço por tonelada de dióxido de carbono equivalente subiu de Rmb48 no mercado aberto para quase Rmb53, aproximando-se do limite máximo diário de 10%, após 160 quilotoneladas serem negociadas a um valor total de Rmb7,9 milhões (US$1,2 milhões), de acordo com a mídia estatal chinesa. Mas os analistas alertaram que o excesso de oferta, um escopo limitado e nenhum limite para as emissões totais significava que o esquema provavelmente não assumiria imediatamente o seu “papel central” pretendido para alcançar a meta da China de atingir o pico de emissões de carbono até 2030 e atingir as emissões líquidas zero até 2060.”

Fonte: Financial Times, 16/07/2021


Índices ESG e suas performances

(1) O Índice ISE (Índice de Sustentabilidade Empresarial da B3) tem como objetivo ser o indicador do desempenho médio das cotações dos ativos de empresas com reconhecido comprometimento com o desenvolvimento sustentável, práticas e alinhamento estratégico com a sustentabilidade empresarial.
(2) O Índice S&P/B3 Brasil ESG mede a performance de títulos que cumprem critérios de sustentabilidade e é ponderado pelas pontuações ESG da S&P DJI. Ele exclui ações com base na sua participação em certas atividades comerciais, no seu desempenho em comparação com o Pacto Global da ONU e também cias sem pontuação ESG da S&P DJI.
(3) O ICO2 tem como propósito ser um instrumento indutor das discussões sobre mudança do clima no Brasil. A adesão das companhias ao ICO2 demonstra o comprometimento com a transparência de suas emissões e antecipa a visão de como estão se preparando para uma economia de baixo carbono.
(4) O objetivo do IGCT é ser o indicador do desempenho médio das cotações dos ativos de emissão de empresas integrantes do IGC que atendam aos critérios adicionais descritos nesta metodologia.
(5) A série de índices FTSE4Good foi projetada para medir o desempenho de empresas que demonstram fortes práticas ambientais, sociais e de governança (ESG).
(6)
O Índice MSCI ACWI, que representa o desempenho de todo o conjunto de ações de grande e médio porte do mundo, em 23 mercados desenvolvidos e 26 emergentes.


Nossos últimos relatórios

  • Radar ESG | G2D (G2DI33): Abraçando os pilares S e E através do portfólio de investimentos de impacto (link)
  • Ambev (ABEV3): Feedback do evento ESG; Reforçamos nossa visão positiva (link)
  • Radar ESG | Setor de infraestrutura (CCRO3, ECOR3, RAIL3, HBSA3, STBP3): Preparando o asfalto (link)
  • Crédito de carbono: Capturando parte da solução; 5 nomes para exposição ao tema (link)
  • Radar ESG | Incorporadoras de Imóveis Residenciais Populares: Construindo os andares ESG (link)
  • Radar ESG | Arezzo & Co. (ARZZ3): Caminhando com seus próprios passos pela agenda ESG (link)
  • Trilogia ESG (Pt. I): Um mergulho no pilar E; Três nomes que são parte da solução (link)
  • Radar ESG | Blau (BLAU3) e Hypera (HYPE3): Em busca da fórmula ESG (link)
  • Bitcoin e ESG: Entenda os dois lados da moeda (link)
  • Radar ESG | Bemobi (BMOB3): Diversidade é o nome do jogo (link)
  • Radar ESG | Setor de Logística (SIMH3, JSLG3 e VAMO3): Preparando-se para a estrada ESG (link)
  • Radar ESG | Laboratórios: ESG ainda na triagem; Fleury se destacando em relação aos pares (link)
  • Cúpula de Líderes sobre o Clima: Tecnologia, economia e agenda verde centralizam as discussões no segundo dia do evento (link)
  • Cúpula de Líderes sobre o Clima: Cooperação global é uma das três principais mensagens do evento (link)
  • Radar ESG | Locadoras de automóveis: Rumo à agenda ESG; Localiza liderando a corrida (link)
  • Radar ESG | São Martinho (SMTO3): Quanto mais se semeia, maior é a colheita (link)
  • Radar ESG | Orizon (ORVR3): Quando ESG está escrito no DNA (link)
  • Sondagem XP/ESG com investidores institucionais (link)
  • O melhor dos dois mundos: Seleção de 10 BDRs para exposição internacional ao tema ESG (link)
  • Radar ESG | Enjoei (ENJU3): O usado é o novo “novo”? (link)
  • Radar ESG | CSN Mineração (CMIN3): Explorando os campos ESG (link)
  • Radar ESG | Jalles (JALL3): Plantando as sementes ESG (link)
  • Radar ESG | Incorporadoras de alta renda: ESG ainda em construção (link)
  • Radar ESG | Setor de saúde: O ESG ainda está na sala de espera? (link)
  • Radar ESG | Quão sustentáveis são as empresas de e-commerce? Uma análise ESG dessas gigantes (link)
  • Radar ESG | IMC (MEAL3): Por que a empresa ainda tem muito espaço para melhorar? (link)
  • Radar ESG | Aeris (AERI3): Uma das empresas melhor posicionada para surfar o vento ESG (link)
  • Radar ESG | 3R Petroleum: Construindo um caminho que incorpora metas ESG (link)
  • Radar ESG | Setor de supermercados: Vale a pena encher o carrinho? (link)
  • Radar ESG | JHSF (JHSF3): Espaço para melhorias (link)
  • Radar ESG | Quem é o melhor aluno da classe? Avaliando os líderes em ESG dentre as empresas de educação no Brasil (link)
  • Panorama do marco regulatório de investimentos ESG no Brasil (link)
  • CVM e B3 estudam intensificar critérios ESG para as companhias listadas (link)
  • Radar ESG | Setor de vestuário e joias: ESG ainda na confecção (link)
  • ESG: Tendências e preferências para 2021 (link)
  • Radar ESG | LOG Commercial Properties (LOGG3): Oportunidades em empreendimentos verdes (link)
  • Eleições americanas: Quais os efeitos para a agenda ESG nos EUA e no Brasil? (link)
  • Radar ESG | Farmácias: Raia Drogasil como a ação prescrita no setor para exposição a ESG (link)
  • Radar ESG | Shoppings: Entenda o que importa para eles quando o tema é ESG (link)
  • Radar ESG | Ambev (ABEV3): Um case que desce redondo (link)
  • Feedback do roadshow ESG: O que as gestoras no Brasil estão fazendo em relação ao tema? (link)
  • ESG de A a Z: Tudo o que você precisa saber sobre o tema (link)

Ainda não tem conta na XP? Clique aqui e abra a sua!

Avaliação

O quão foi útil este conteúdo pra você?


Newsletter
Newsletter

Gostaria de receber nossos conteúdos por e-mail?

Cadastre-se e receba grátis nossos relatórios e recomendações de investimentos

Telegram
Telegram XP

Acesse os conteúdos

Telegram XP

pelo Telegram da XP Investimentos

Leia também
BM&F Bovespa Autorregulação Anbima - Gestão de patrimônio Autorregulação Anbima - Gestão de recursos Autorregulação Anbima - Private Autorregulação Anbima - Distribuição de Produtos de Investimentos

A XP Investimentos CCTVM S/A, inscrita sob o CNPJ: 02.332.886/0001-04, é uma instituição financeira autorizada a funcionar pelo Banco Central do Brasil.

Toda comunicação através de rede mundial de computadores está sujeita a interrupções ou atrasos, podendo impedir ou prejudicar o envio de ordens ou a recepção de informações atualizadas. A XP Investimentos exime-se de responsabilidade por danos sofridos por seus clientes, por força de falha de serviços disponibilizados por terceiros. A XP Investimentos CCTVM S/A é instituição autorizada a funcionar pelo Banco Central do Brasil.

B3 Certifica B3 Agro Broker B3 Execution Broker B3 Retail Broker B3 Nonresident Investor Broker

BMF&BOVESPA

BSM

CVM

Este site usa cookies e dados pessoais de acordo com a nossa Política de Cookies e a nossa Política de Privacidade.