Lojas Renner (LREN3): Dando os primeiros sinais de M&A para o mercado

A Lojas Renner anunciou hoje sua primeira aquisição depois do seu aumento de capital de R$ 4 bilhões: a Repassa, uma plataforma online de vestuário, calçados e acessórios de segunda mão com presença nacional. Vemos a transação como positiva, porém imaterial em termos de impactos financeiros. Veja nossa visão completa, inclusive do nosso time de ESG, no relatório.


Compartilhar:

  • Compartilhar no Facebook
  • Compartilhar no Twitter
  • Compartilhar no Whatsapp
  • Compartilhar no LinkedIn
  • Compartilhar via E-mail

A Lojas Renner anunciou hoje sua primeira aquisição (link) depois do seu aumento de capital de R$ 4 bilhões, com os recursos previstos para serem utilizados na construção de seu ecossistema de moda e lifystyle. A empresa está adquirindo 100% da Repassa, uma plataforma online de vestuário, calçados e acessórios usados com presença nacional. Vemos a transação como positiva, uma vez que está alinhada com a estratégia da companhia de fortalecer as iniciativas digitais e agenda ESG, embora seja imaterial em termos de impactos financeiros, o que pode ter decepcionado os investidores quando comparado ao tamanho da oferta concluída em abril.

Dados limitados sobre a transação. Embora a empresa não tenha divulgado o valor pago, o pagamento será feito 100% em dinheiro, sendo que a equipe da empresa (junto com seu fundador) irá permanecer na operação, com uma estrutura de earn-out (pagamento adicional vinculado ao atingimento de algumas metas pré-estabelecidas) de 3 a 5 anos.

Olhando para as potenciais sinergias. Embora não vemos a transação como material em termos de impactos financeiros, acreditamos que exista valor a ser capturado através da (i) alavancagem da base de clientes da Lojas Renner e capilaridade para ganho de escala; (ii) aumento do tráfego online para Repassa e LREN; e (iii) expansão dos serviços financeiros da Realize para a operação da plataforma Repassa.

Aprimorando iniciativas ESG. Embora a Lojas Renner já esteja bem posicionada em termos de suas iniciativas ESG (veja a visão do nosso time aqui), a aquisição deve fortalecer essa frente ainda mais, ao mesmo tempo em que abre uma nova avenida de crescimento em direção à economia circular, o que esperamos ser uma forte tendência no setor daqui para frente, especialmente porque a Geração Z está mais inclinada para o consumo consciente.

Ainda há mais por vir. Esperamos que a empresa continue ativa em operações de M&A (fusões e aquisições) e busque outras oportunidades que complementem e fortaleçam seu ecossistema (veja nossa visão aqui). Apesar de vermos a transação anunciada como positiva, ela não justifica a necessidade de captação feita de R$ 4 bilhões em abril, enquanto também não muda o jogo em termos de perspectivas de crescimento para a Renner.

Mantemos nosso preço-alvo de R$ 50,0/ação e recomendação Neutra para o papel dada a baixa visibilidade sobre os potenciais alvos de M&A assim como dos resultados dos investimentos da empresa na construção de seu ecossistema.

Fortalecendo a agenda ESG

Análise por: Marcella Ungaretti e Giovanna Beneducci

Na perspectiva ESG, também vemos a aquisição de forma positiva, reforçando o comprometimento da Lojas Renner com essa agenda. Na nossa opinião, a companhia está bem posicionada, com destaque para: (i) E: sólidas iniciativas visando a redução da emissão de carbono dos produtos em toda a sua cadeia de valor; (ii) S: robustas políticas em relação à gestão de sua cadeia de suprimentos; e (iii) G: uma cultura resiliente e ótima Governança, com maioria independente no Conselho de Administração (7 dos 8 membros).

Clique aqui para acessar o relatório completo

Para o setor de moda e vestuário, vemos a frente Social como a mais importante das três, seguida pelos pilares de Governança e Meio Ambiente, respectivamente. Temos observado que empresas nesse setor estão cada vez mais reconhecendo a necessidade de atender ao interesse dos investidores e consumidores que desejam entender melhor e opinar sobre como suas roupas são obtidas, produzidas e recicladas.

Nesse sentido, vemos que a transação, ainda que pequena, reforça a agenda ESG da Lojas Renner, principalmente no que se refere ao pilar E (ambiental). Por ser uma plataforma online e possuir seu business focado na revenda de roupas, calçados e acessórios, a Repassa promove a adesão à moda circular, entando diretamente envolvida com o consumo responsável.

Uma vez que os produtos comercializados são reparados e reaproveitados ao invés de serem descartados, a Repassa contribui para o sistema ao permitir, através de uma gestão eficiente, que matérias-primas e recursos naturais sejam utilizados de forma a minimizar ou erradicar a geração de resíduos – prolongando, na medida do possível, a vida útil e o valor do produto.

De acordo com a thredUp, a indústria da moda é um dos setores mais poluentes do mundo, com destaque para alguns números que, além de importantes, impressionam: (i) uma média de £ 75 de CO2 é emitida para a produção de calças jeans; (ii) 700 galões de água são necessários para a produção de uma nova camiseta; e (iii) 1 em cada 2 pessoas joga suas roupas indesejadas direto no lixo. Além disso, de acordo com a mesma pesquisa, se todos comprassem um item usado no lugar de um novo durante um ano, haveria uma redução de £ 5,7 bilhões de emissões de CO2, 25 bilhões de galões de água e £ 449 milhões de lixo. Isso posto, o modelo de negócios da Repassa colabora com a redução do impacto ambiental advindo da indústria da moda, incentivando a reutilização e revenda de peças de vestuário sem função, o que entendemos como muito positivo.

Dito isso, vemos a aquisição da Repassa, mesmo que pequena, como um forte indicativo do compromisso ESG da Lojas Renner, nos levando a reafirmar nossa visão positiva para a companhia na perspectiva ESG

Intenção de mudança dos consumidores por categoria nos próximos 5 anos (% de pessoas)

Fonte: XP Research, thredUp

Uma rápida descrição da Repassa

Fortalecendo os laços com a GeraçãoZ e agenda ESG

Conforme discutido em nosso relatório de início de cobertura das ações do Enjoei (aqui), acreditamos que o mercado de segunda mão está bem posicionado para crescer em meio ao aumento da consciência do consumidor e de sua aderência à agenda ESG, com as gerações mais jovens se tornando consumidores mais conscientes, o que favorece a moda circular. Após o anúncio feito hoje, a diretoria da Lojas Renner realizou uma teleconferência para dar mais detalhes sobre a transação com o mercado, na qual afirmou que o crescimento do mercado de roupas de segunda mão deve superar o de vestuário tradicional com um GMV potencial de ~R$ 31 bilhões até 2025 (mercado total). Isso se compara com R$ 6 a 7 bilhões hoje.

O que é a plataforma Repassa? A empresa foi fundada por Tadeu Almeida, que viu uma oportunidade de reduzir o impacto ambiental da indústria do vestuário através da expansão da vida útil dos produtos por meio da economia circular. A startup nasceu como uma plataforma online de produtos de segunda mão, calçados e acessórios, que já conta com presença nacional e teve uma rodada de capitalização feita em 2020 (de R$ 7,5 milhões) para expandir sua atuação e atender à crescente demanda desse mercado.

Marketplace gerenciado como foco principal. Diferentemente da Enjoei, a Repassa aposta no modelo de marketplace gerenciado, com a empresa sendo responsável por todo o processo desde a (i) coleta dos produtos nas casas dos clientes, que são colocados dentro da chamada Sacola do Bem, (ii) curadoria dos itens, selecionando aqueles que são adequados para serem comercializados na plataforma; e (iii) venda e entrega desses itens ao cliente final. A taxa de comissão (take rate) da empresa é de aproximadamente 50%, com o vendedor tendo a opção de usar o saldo da venda na própria plataforma da Repassa, com um desconto de 10%.

A Renner como um amigo conhecido. A Lojas Renner anunciou em novembro de 2020 uma parceria onde a Sacola do Bem da Repassa era utilizada para arrecadação de itens usados. Nesse sentido, vemos uma grande oportunidade de alavancar a capilaridade da operação, pois as lojas físicas da Renner podem futuramente se tornar pontos de entrega/retirada.

Parceria com outros varejistas. Além da Lojas Renner, a Repassa conta também com outros varejistas em sua plataforma, como C&A, Adidas, Zara, Hering, H&M, Farm etc. Vemos isso como oportunidade e risco. Embora a parceria com a Renner dê à Repassa outra escala, o que seria atraente para mais varejistas aderirem à plataforma, isso também pode representar um risco, pois os varejistas podem ver a plataforma como um concorrente.

Estimativas da evolução do mercado de moda no Brasil

Fonte: XP Research, We are Social report.

Percentual de pessoas de cada geração que estariam dispostas a comprar roupas de segunda mão

Fonte: XP Research, thredUp, Companhias

Mapeando a competição

Enjoei (ENJU3) e TROC (ARZZ3) como os principais nomes a serem monitorados

Empresas C2C. Embora seja sabido que o Mercado Livre (MELI) é uma companhia respeitada e referência no setor de comércio eletrônico, acreditamos que o posicionamento do MELI, OLX e Enjoei difere da proposta de valor da Repassa em ser um marketplace gerenciado, enquanto (i) na Enjoei, o vasto sortimento e a experiência de mídia social são os principais pilares por trás da experiência do consumidor e (ii) o foco da MELI/OLX é em escala e produtos mais básicos/commoditizados.

Marketplaces gerenciados para a massa. Acreditamos que este segmento deve ser monitorado mais de perto, já que a TROC foi recentemente comprada pela Arezzo&Co (ARZZ3), e a Enjoei está bem à frente em termos de escala (de acordo com o SimilarWeb, a Enjoei teve 10,5 milhões de visitas mensais nos últimos 12 meses, mais de 22x mais que a Repassa e perto de 140x mais que a TROC). No entanto, acreditamos que a aquisição da Repassa pela Lojas Renner deve permitir que ela ganhe escala com relativa rapidez principalmente por vermos muito espaço para o crescimento do mercado de segunda mão como um todo.

Marketplaces gerenciados de luxo. A exposição da Repassa ao segmento de luxo é limitada e, portanto, vemos pouca sobreposição com essas empresas que atuam nesse segmento.

Marketplaces de aluguel. Embora vejamos isso como uma tendência muito alinhada com a tendência de clientes mais conscientes, e esperamos que esta ganhe força daqui para frente, não vemos isso como uma competição direta para a Repassa já que i) luxo não é o foco da empresa; e ii) embora os produtos sejam mais acessíveis em comparação com itens novos, os preços estão bem acima do tíquete médio praticado na Repassa.

Avaliação

O quão foi útil este conteúdo pra você?


Newsletter
Newsletter

Gostaria de receber nossos conteúdos por e-mail?

Cadastre-se e receba grátis nossos relatórios e recomendações de investimentos

Telegram
Telegram XP

Acesse os conteúdos

Telegram XP

pelo Telegram da XP Investimentos

Leia também
Disclaimer:

Este relatório de análise foi elaborado pela XP Investimentos CCTVM S.A. (“XP Investimentos ou XP”) de acordo com todas as exigências na Resolução CVM 20/2021, tem como objetivo fornecer informações que possam auxiliar o investidor a tomar sua própria decisão de investimento, não constituindo qualquer tipo de oferta ou solicitação de compra e/ou venda de qualquer produto. As informações contidas neste relatório são consideradas válidas na data de sua divulgação e foram obtidas de fontes públicas. A XP Investimentos não se responsabiliza por qualquer decisão tomada pelo cliente com base no presente relatório. Este relatório foi elaborado considerando a classificação de risco dos produtos de modo a gerar resultados de alocação para cada perfil de investidor. O(s) signatário(s) deste relatório declara(m) que as recomendações refletem única e exclusivamente suas análises e opiniões pessoais, que foram produzidas de forma independente, inclusive em relação à XP Investimentos e que estão sujeitas a modificações sem aviso prévio em decorrência de alterações nas condições de mercado, e que sua(s) remuneração(es) é(são) indiretamente influenciada por receitas provenientes dos negócios e operações financeiras realizadas pela XP Investimentos.

O analista responsável pelo conteúdo deste relatório e pelo cumprimento da Instrução CVM nº 598/18 está indicado acima, sendo que, caso constem a indicação de mais um analista no relatório, o responsável será o primeiro analista credenciado a ser mencionado no relatório. Os analistas da XP Investimentos estão obrigados ao cumprimento de todas as regras previstas no Código de Conduta da APIMEC para o Analista de Valores Mobiliários e na Política de Conduta dos Analistas de Valores Mobiliários da XP Investimentos. O atendimento de nossos clientes é realizado por empregados da XP Investimentos ou por agentes autônomos de investimento que desempenham suas atividades por meio da XP, em conformidade com a ICVM nº 497/2011, os quais encontram-se registrados na Associação Nacional das Corretoras e Distribuidoras de Títulos e Valores Mobiliários – ANCORD. O agente autônomo de investimento não pode realizar consultoria, administração ou gestão de patrimônio de clientes, devendo atuar como intermediário e solicitar autorização prévia do cliente para a realização de qualquer operação no mercado de capitais. Os produtos apresentados neste relatório podem não ser adequados para todos os tipos de cliente. Antes de qualquer decisão, os clientes deverão realizar o processo de suitability e confirmar se os produtos apresentados são indicados para o seu perfil de investidor. Este material não sugere qualquer alteração de carteira, mas somente orientação sobre produtos adequados a determinado perfil de investidor. A rentabilidade de produtos financeiros pode apresentar variações e seu preço ou valor pode aumentar ou diminuir num curto espaço de tempo. Os desempenhos anteriores não são necessariamente indicativos de resultados futuros. A rentabilidade divulgada não é líquida de impostos. As informações presentes neste material são baseadas em simulações e os resultados reais poderão ser significativamente diferentes. Este relatório é destinado à circulação exclusiva para a rede de relacionamento da XP Investimentos, incluindo agentes autônomos da XP e clientes da XP, podendo também ser divulgado no site da XP. Fica proibida sua reprodução ou redistribuição para qualquer pessoa, no todo ou em parte, qualquer que seja o propósito, sem o prévio consentimento expresso da XP Investimentos. SAC. 0800 77 20202. A Ouvidoria da XP Investimentos tem a missão de servir de canal de contato sempre que os clientes que não se sentirem satisfeitos com as soluções dadas pela empresa aos seus problemas. O contato pode ser realizado por meio do telefone: 0800 722 3710. O custo da operação e a política de cobrança estão definidos nas tabelas de custos operacionais disponibilizadas no site da XP Investimentos: www.xpi.com.br. A XP Investimentos se exime de qualquer responsabilidade por quaisquer prejuízos, diretos ou indiretos, que venham a decorrer da utilização deste relatório ou seu conteúdo. A Avaliação Técnica e a Avaliação de Fundamentos seguem diferentes metodologias de análise. A Análise Técnica é executada seguindo conceitos como tendência, suporte, resistência, candles, volumes, médias móveis entre outros. Já a Análise Fundamentalista utiliza como informação os resultados divulgados pelas companhias emissoras e suas projeções. Desta forma, as opiniões dos Analistas Fundamentalistas, que buscam os melhores retornos dadas as condições de mercado, o cenário macroeconômico e os eventos específicos da empresa e do setor, podem divergir das opiniões dos Analistas Técnicos, que visam identificar os movimentos mais prováveis dos preços dos ativos, com utilização de “stops” para limitar as possíveis perdas. O investimento em ações é indicado para investidores de perfil moderado e agressivo, de acordo com a política de suitability praticada pela XP Investimentos Ação é uma fração do capital de uma empresa que é negociada no mercado. É um título de renda variável, ou seja, um investimento no qual a rentabilidade não é preestabelecida, varia conforme as cotações de mercado. O investimento em ações é um investimento de alto risco e os desempenhos anteriores não são necessariamente indicativos de resultados futuros e nenhuma declaração ou garantia, de forma expressa ou implícita, é feita neste material em relação a desempenhos. As condições de mercado, o cenário macroeconômico, os eventos específicos da empresa e do setor podem afetar o desempenho do investimento, podendo resultar até mesmo em significativas perdas patrimoniais. A duração recomendada para o investimento é de médio-longo prazo. Não há quaisquer garantias sobre o patrimônio do cliente neste tipo de produto. O investimento em opções é preferencialmente indicado para investidores de perfil agressivo, de acordo com a política de suitability praticada pela XP Investimentos. No mercado de opções, são negociados direitos de compra ou venda de um bem por preço fixado em data futura, devendo o adquirente do direito negociado pagar um prêmio ao vendedor tal como num acordo seguro. As operações com esses derivativos são consideradas de risco muito alto por apresentarem altas relações de risco e retorno e algumas posições apresentarem a possibilidade de perdas superiores ao capital investido. A duração recomendada para o investimento é de curto prazo e o patrimônio do cliente não está garantido neste tipo de produto. O investimento em termos é indicado para investidores de perfil agressivo, de acordo com a política de suitability praticada pela XP Investimentos. São contratos para compra ou a venda de uma determinada quantidade de ações, a um preço fixado, para liquidação em prazo determinado. O prazo do contrato a Termo é livremente escolhido pelos investidores, obedecendo o prazo mínimo de 16 dias e máximo de 999 dias corridos. O preço será o valor da ação adicionado de uma parcela correspondente aos juros – que são fixados livremente em mercado, em função do prazo do contrato. Toda transação a termo requer um depósito de garantia. Essas garantias são prestadas em duas formas: cobertura ou margem. O investimento em Mercados Futuros embute riscos de perdas patrimoniais significativos, e por isso é indicado para investidores de perfil agressivo, de acordo com a política de suitability praticada pela XP Investimentos. Commodity é um objeto ou determinante de preço de um contrato futuro ou outro instrumento derivativo, podendo consubstanciar um índice, uma taxa, um valor mobiliário ou produto físico. É um investimento de risco muito alto, que contempla a possibilidade de oscilação de preço devido à utilização de alavancagem financeira. A duração recomendada para o investimento é de curto prazo e o patrimônio do cliente não está garantido neste tipo de produto. As condições de mercado, mudanças climáticas e o cenário macroeconômico podem afetar o desempenho do investimento.

BM&F Bovespa Autorregulação Anbima - Gestão de patrimônio Autorregulação Anbima - Gestão de recursos Autorregulação Anbima - Private Autorregulação Anbima - Distribuição de Produtos de Investimentos

A XP Investimentos CCTVM S/A, inscrita sob o CNPJ: 02.332.886/0001-04, é uma instituição financeira autorizada a funcionar pelo Banco Central do Brasil.

Toda comunicação através de rede mundial de computadores está sujeita a interrupções ou atrasos, podendo impedir ou prejudicar o envio de ordens ou a recepção de informações atualizadas. A XP Investimentos exime-se de responsabilidade por danos sofridos por seus clientes, por força de falha de serviços disponibilizados por terceiros. A XP Investimentos CCTVM S/A é instituição autorizada a funcionar pelo Banco Central do Brasil.

B3 Certifica B3 Agro Broker B3 Execution Broker B3 Retail Broker B3 Nonresident Investor Broker

BMF&BOVESPA

BSM

CVM

Este site usa cookies e dados pessoais de acordo com a nossa Política de Cookies e a nossa Política de Privacidade.