Café com ESG: Conteúdos diários que transformam | 13/07

Comece o dia bem informado com as principais notícias ao redor do Brasil e do mundo quando o tema é ESG!


Compartilhar:

  • Compartilhar no Facebook
  • Compartilhar no Twitter
  • Compartilhar no Whatsapp
  • Compartilhar no LinkedIn
  • Compartilhar via E-mail

Bom dia! Neste relatório diário publicado todas as manhãs pelo time ESG do Research da XP, buscamos trazer as últimas notícias para que você comece o dia bem informado e fique por dentro do que o Brasil e o mundo fala sobre um tema que tem ficado cada vez mais relevante: ESG – do termo em inglês Environmental, Social and Governance ou, em português, ASG – Ambiental, Social e Governança.

Quais tópicos abordamos ao longo do conteúdo? (i) Notícias no Brasil e no mundo acerca do tema ESG; (ii) Performance histórica dos principais índices ESG em diferentes países; (iii) Comparativo da performance do Ibovespa vs. ISE (Índice de Sustentabilidade Empresarial, da B3); e (iv) Lista com os últimos relatórios publicados pelo Research ESG da XP.
Por que essas informações são importantes? 
Porque elas indicam os temas dentro da agenda ESG que estão sendo cada vez mais monitoradas por parte dos investidores e das empresas, e podem impactar os preços das ações de diferentes companhias.

Esperamos que aproveite a leitura!

Gostaria de receber esse conteúdo por e-mailClique aqui.
Gostou do conteúdo, tem alguma dúvida ou quer nos enviar uma sugestão? Basta deixar um comentário no final do post!


Brasil

Empresas

Grupo Fleury emite R$ 1bi em debênture sustentável

“O Grupo Fleury concluiu a emissão de R$ 1 bilhão em debêntures na sua primeira oferta de títulos atrelada a métricas ambientais, sociais e de governança corporativa (ESG, na sigla em inglês). A oferta foi dividida em três séries, sendo a primeira de R$ 250 milhões, a segunda de R$ 375 milhões e a terceira de R$ 375 milhões. Os prazos de vencimentos são de quatro, cinco e sete anos, respectivamente, e a remuneração equivale a 100% da taxa DI com acréscimo de 1,35% ao ano para debêntures da primeira série, 1,5% para a segunda série e 1,75% para a terceira. A operação foi coordenada pelo Bradesco BBI e os títulos foram adquiridos por um único comprador. A empresa se comprometeu com duas metas que, no caso de não serem cumpridas, levarão ao acréscimo nas taxas de 0,125%, 0,25% e 0,35%, conforme a série.”

Fonte: Valor Econômico, 13/07/2021

Clique aqui para ler o relatório com a análise ESG completa do Grupo Fleury | Laboratórios: ESG ainda na triagem; Fleury se destacando em relação aos pares

Volkswagen terá centro de desenvolvimento de motor a biocombustível no Brasil

“A Volkswagen decidiu fazer do Brasil um centro de pesquisa e desenvolvimento de motores de automóveis que utilizam etanol e outros biocombustíveis. A decisão do grupo alemão parte da premissa de que a transição da indústria rumo ao carro elétrico não vai acontecer na mesma velocidade em todas as partes do mundo. O papel do Brasil, então, será de desenvolver para esses mercados, que em grande parte usam gasolina como fonte de energia, soluções mais limpas, fazendo de certa forma a “ponte” da evolução gradual da produção de veículos elétricos ou híbridos dentro do compromisso da Volkswagen, previsto em sua adesão ao Acordo de Paris, de buscar neutralidade em emissões de poluentes até 2050. O centro de desenvolvimento do Brasil vai funcionar de forma independente em relação às demais operações da montadora no mundo, atraindo parcerias com governo, universidades e produtores de biocombustível. A intenção é de que dele saiam inovações a serem adotadas não apenas domesticamente e em mercados vizinhos, mas também em economias emergentes como Índia e países do continente africano, entre outros.”

Fonte: Estadão, 12/07/2021

Autocrítica para inclusão produtiva no setor de tecnologia: Empresas devem ser treinadas para incluir

“O Brasil precisa discutir a estratégia de contratar com diversidade para o mercado de tecnologia, setor que adota modelo pouco eficiente baseado somente em competências técnicas. A falta de profissionais tem sido constante e, para resolver esse problema, processos de formação são desenvolvidos para beneficiar pessoas em situação de vulnerabilidade social. Um desses programas para selecionar alunos trouxe um desafio envolvendo conceitos matemáticos complexos. Em outro, o inglês era condição para aprovação. Esses casos reais mostram duas coisas: que precisamos reeducar os educados e que o mercado não entendeu a correta engrenagem de inclusão. O modelo de contratação pelas habilidades técnicas fortalece um processo de compra. Quando eu compro um curso, adquiro a possibilidade de estudar e o mercado me contrata. Quando o cidadão não consegue “comprar” as habilidades de que necessita, ficará fora do mercado e da possibilidade de ter renda.”

Fonte: Folha de São Paulo, 12/07/2021

Política

Governo do MS pode decretar emergência para facilitar controle de incêndios no Pantanal

“O governo do Mato Grosso do Sul avalia decretar emergência em alguns municípios do Pantanal para facilitar as ações de combate aos incêndios florestais. Conforme o secretário do Meio Ambiente, Jaime Verruck, a previsão meteorológica para o segundo semestre mostra que o volume de chuvas no Estado nos meses de julho, agosto e setembro será de 40% a 50% abaixo do que é esperado para o período. “Temos uma anomalia climática presente e isso facilitaria a mobilização dos recursos para prevenir e enfrentar o fogo”, disse. Segundo ele, o governo do Estado investiu R$ 56,6 milhões em veículos e equipamentos para fazer frente à nova temporada de queimadas. O objetivo é evitar que os incêndios se tornem descontrolados, como aconteceu em 2020, quando uma parcela expressiva do Pantanal foi carbonizada. “Estamos preparados para esse período mais crítico de incêndios florestais, pois temos uma integração de todas as forças e recursos materiais para o combate, além de mais pessoal treinado”, disse.”

Fonte: Estadão, 12/07/2021

Claramente existe um cenário de mudanças climáticas no Pantanal, diz especialista

“Nos últimos dias, o Pantanal voltou a registrar grandes focos de incêndio em Mato Grosso do Sul, o que tem mobilizado bombeiros em vários pontos do Estado. O cenário de estiagem severa ajuda a espalhar as queimadas pela região e, segundo a previsão do governo, as chuvas entre julho e setembro serão 50% menores do que o previsto para esta época. O que sobra são grandes áreas de vegetação destruída e animais feridos e mortos. Para Cássio Bernardino, coordenador de Projetos do WWF Brasil, já é possível observar efeitos das mudanças climáticas no bioma e a expectativa é de que a seca no Pantanal perdure. Segundo ele, investir na conscientização das pessoas, reforçar as brigadas e melhorar a estrutura estatal de combate ao fogo são essencias para evitar prejuízos ainda maiores ao meio ambiente. Leia a entrevista abaixo.”

Fonte: Estadão, 13/07/2021

Internacional

Empresas

Transição verde não pode deixar país emergente para trás, diz presidente da BlackRock

““A transição para uma economia neutra em carbono precisa ser justa e não pode deixar os países emergentes para trás.” Esse foi um dos pontos destacados por Larry Fink, CEO da gigante americana BlackRock, em discurso nesse domingo, em Veneza, na Itália, em conferência paralela ao encontro do G-20, o grupo que reúne as economias mais ricas do mundo. As palavras de Fink vêm após a BlackRock ter levantado, semana passada, US$ 250 milhões, em um consórcio global para financiar a transformação energética em países emergentes selecionados na América Latina, África e Ásia. A parceria público-privada “Climate Finance Partnership” reuniu governos da França, Alemanha e Japão, além de investidores institucionais e filantropos. O plano é atrair capital privado para projetos de infraestrutura sustentável, como energia renovável. “O desenvolvimento econômico em cada mercado emergente vai depender de como rapidamente eles se tornarão verdes. Isso também exigirá enormes quantidades de capital”, disse Fink. “Há capitais privados que podem ser mobilizados para os emergentes, mas precisamos repensar a forma como instituições financeiras internacionais podem apoiar em escala investimentos de baixo carbono.””

Fonte: Valor Investe, 12/07/2021

Fabricantes europeus querem cadeia de abastecimento de baterias “mais perto de casa

“Fabricantes britânicos e em outras partes da Europa querem mover a cadeia de abastecimento de baterias usadas em carros elétricos e energia renovável para longe da China e mais perto de suas fábricas, mostrou uma pesquisa na terça-feira. A China domina o processamento dos minerais usados em baterias elétricas, bem como a fabricação de células e componentes relacionados, com Japão e Coréia do Sul em um distante segundo e terceiro lugar. Mas os fabricantes, em uma pesquisa com 200 empresas europeias conduzida pela empresa de prototipagem industrial Protolabs, disseram que ficaram mais preocupados com a interrupção da cadeia de suprimentos no ano passado e queriam usar fornecedores mais próximos de casa.”

Fonte: Reuters, 12/07/2021

Política

Grã-Bretanha deve proibir a venda de caminhões a diesel a partir de 2040

“A venda de novos caminhões a diesel no Reino Unido será proibida a partir de 2040 de acordo com o plano de descarbonização do transporte do governo que será divulgado na quarta-feira, de acordo com pessoas informadas sobre as propostas. O plano, muito adiado, incluirá várias consultas públicas sobre medidas destinadas a reduzir a poluição no setor de transportes, já que o Reino Unido busca ter emissões líquidas de carbono zero até 2050. O documento, que ainda não foi assinado pelos ministros, deve ser publicado no mesmo dia em que a Comissão Europeia define como a UE pretende cumprir sua meta de reduzir as emissões em 55% em relação aos níveis de 1990 até 2030. Bruxelas quer aumentar os impostos sobre combustíveis poluentes e introduzir um imposto em toda a UE sobre o querosene de aviação.”

Fonte: Financial Times, 12/07/2021

Estados Unidos e Rússia dispostos a cooperar no combate à mudança climática

“O enviado especial dos Estados Unidos para o clima, John Kerry, e o ministro das Relações Exteriores russo, Serguei Lavrov, afirmaram nesta segunda-feira (12) em uma reunião em Moscou que seus países devem cooperar no combate à mudança climática, apesar das tensões políticas. Kerry, que se reuniu com Lavrov em várias ocasiões quando atuava como secretário de Estado de seu país sob a segunda presidência de Barack Obama, disse que “o que está em jogo não poderia ser maior” em termos de aquecimento global. “Passamos anos, você e eu, negociando sobre guerras, armas químicas, armas nucleares, e digo sem nenhuma reserva que esta é uma iniciativa absolutamente crítica, urgente”, acrescentou em uma coletiva de imprensa conjunta. Lavrov destacou que Moscou “valoriza muito a importância dos problemas vinculados à mudança climática”, e acredita que esta visita de Kerry foi “muito oportuna”.”

Fonte: Isto É, 12/07/2021

Bruxelas visa o imposto sobre o combustível de aviação na tentativa de reduzir as emissões de carbono

“Bruxelas estabelecerá planos esta semana para aumentar os impostos sobre combustíveis poluentes e introduzir um imposto em toda a UE sobre o querosene de aviação pela primeira vez, sob medidas destinadas a colocá-lo na vanguarda dos esforços globais para reduzir as emissões de carbono. A Comissão Europeia irá propor uma reformulação de seu livro de regras de 15 anos sobre impostos de carbono para fornecer um incentivo para combustível de baixas emissões e impor taxas sobre energia altamente poluente usada na indústria de transporte aéreo e marítimo. A medida é uma das doze políticas a serem reveladas na quarta-feira para garantir que a UE possa cumprir a meta de reduzir as emissões médias de carbono em 55% até 2030. Outras incluem uma extensão do esquema de comércio de emissões da UE, regras mais rígidas de CO2 para carros e uma taxa de carbono sobre algumas importações. Um projeto de texto legal de tributação da energia, visto pelo Financial Times, propõe o aumento gradual das taxas mínimas para os combustíveis mais poluentes, como gasolina, gasóleo e querosene utilizado como combustível para aviação durante um período de 10 anos. Combustíveis com emissões zero, hidrogênio verde e combustíveis de aviação sustentáveis ​​não enfrentarão taxas por uma década sob o sistema proposto.”

Fonte: Financial Times, 11/07/2021

Plano diretor climático da Europa visa reduzir as emissões em uma década

“A União Europeia deve assumir a liderança em ações de política climática entre os maiores emissores de gases do efeito estufa nesta semana, com uma série de planos ambiciosos projetados para reduzir as emissões drasticamente na próxima década. As políticas, se aprovadas, colocariam o bloco – a terceira maior economia do mundo – no caminho para cumprir sua meta para 2030 de reduzir as emissões que causam o aquecimento global em 55% em relação aos níveis de 1990. O pacote “Fit for 55″, que está sendo lançado na quarta-feira, enfrentará meses de negociações entre os 27 países da UE e o Parlamento Europeu. Outras economias importantes, incluindo a China e os Estados Unidos – os dois maiores emissores do mundo – se comprometeram a atingir as emissões líquidas zero, que os cientistas dizem que o mundo deve atingir até 2050 para evitar mudanças climáticas catastróficas.”

Fonte: Reuters, 12/07/2021

Projeto de acordo da ONU sobre biodiversidade tem como alvo a conservação, poluição e finanças

“Os negociadores da ONU divulgaram um conjunto de propostas para proteger a natureza na segunda-feira, incluindo um plano para colocar pelo menos um terço do planeta sob proteção conservacionista na próxima década, mas os ambientalistas disseram que o projeto ficou aquém da ambição. As 21 propostas incluem metas para reduzir o uso de pesticidas, cortar resíduos de plástico e canalizar US$ 200 bilhões por ano para proteger a natureza nos países em desenvolvimento. Eles serão votados pelos 196 países da Convenção da ONU sobre Biodiversidade na próxima reunião em outubro. Com cerca de 1 milhão de espécies ameaçadas de extinção, os países estão sendo instados a conservar 30% de seus territórios terrestres e marítimos até 2030. Atualmente, cerca de 17% das terras e 7% dos mares estão sob algum tipo de proteção. Em outros lugares, existem poucos limites para a sobrepesca, o desenvolvimento, a mineração ou a poluição industrial que reduziram os habitats selvagens em todo o mundo.”

Fonte: Reuters, 12/07/2021

Produtos

Fundo de riqueza soberana da Arábia Saudita analisa bancos para estrutura ESG

“O fundo soberano da Arábia Saudita pediu aos bancos que o ajudassem a desenvolver uma estrutura ambiental, social e de governança (ESG), disseram quatro fontes, uma medida que poderia permitir a expansão de sua base de financiamento para atrair investidores com foco em ESG. O Fundo de Investimentos Públicos (PIF) encaminhou pedido de propostas aos bancos no mês passado, afirmaram as quatro fontes com conhecimento direto do assunto, que se manifestaram anonimamente porque o assunto é privado. A PIF – no centro do governante de fato saudita e Visão 2030 do príncipe herdeiro Mohammed bin Salman, que visa tirar a economia do petróleo – tem se financiado nos últimos anos com dezenas de bilhões de dólares em empréstimos. Uma das fontes disse que o desenvolvimento de uma estrutura ESG foi provavelmente um precursor para a venda de títulos multibilionários, que seria o primeiro fundo saudita.”

Fonte: Reuters, 12/07/2021


Índices ESG e suas performances

(1) O Índice ISE (Índice de Sustentabilidade Empresarial da B3) tem como objetivo ser o indicador do desempenho médio das cotações dos ativos de empresas com reconhecido comprometimento com o desenvolvimento sustentável, práticas e alinhamento estratégico com a sustentabilidade empresarial.
(2) O Índice S&P/B3 Brasil ESG mede a performance de títulos que cumprem critérios de sustentabilidade e é ponderado pelas pontuações ESG da S&P DJI. Ele exclui ações com base na sua participação em certas atividades comerciais, no seu desempenho em comparação com o Pacto Global da ONU e também cias sem pontuação ESG da S&P DJI.
(3) O ICO2 tem como propósito ser um instrumento indutor das discussões sobre mudança do clima no Brasil. A adesão das companhias ao ICO2 demonstra o comprometimento com a transparência de suas emissões e antecipa a visão de como estão se preparando para uma economia de baixo carbono.
(4) O objetivo do IGCT é ser o indicador do desempenho médio das cotações dos ativos de emissão de empresas integrantes do IGC que atendam aos critérios adicionais descritos nesta metodologia.
(5) A série de índices FTSE4Good foi projetada para medir o desempenho de empresas que demonstram fortes práticas ambientais, sociais e de governança (ESG).
(6)
O Índice MSCI ACWI, que representa o desempenho de todo o conjunto de ações de grande e médio porte do mundo, em 23 mercados desenvolvidos e 26 emergentes.


Nossos últimos relatórios

  • Radar ESG | G2D (G2DI33): Abraçando os pilares S e E através do portfólio de investimentos de impacto (link)
  • Ambev (ABEV3): Feedback do evento ESG; Reforçamos nossa visão positiva (link)
  • Radar ESG | Setor de infraestrutura (CCRO3, ECOR3, RAIL3, HBSA3, STBP3): Preparando o asfalto (link)
  • Crédito de carbono: Capturando parte da solução; 5 nomes para exposição ao tema (link)
  • Radar ESG | Incorporadoras de Imóveis Residenciais Populares: Construindo os andares ESG (link)
  • Radar ESG | Arezzo & Co. (ARZZ3): Caminhando com seus próprios passos pela agenda ESG (link)
  • Trilogia ESG (Pt. I): Um mergulho no pilar E; Três nomes que são parte da solução (link)
  • Radar ESG | Blau (BLAU3) e Hypera (HYPE3): Em busca da fórmula ESG (link)
  • Bitcoin e ESG: Entenda os dois lados da moeda (link)
  • Radar ESG | Bemobi (BMOB3): Diversidade é o nome do jogo (link)
  • Radar ESG | Setor de Logística (SIMH3, JSLG3 e VAMO3): Preparando-se para a estrada ESG (link)
  • Radar ESG | Laboratórios: ESG ainda na triagem; Fleury se destacando em relação aos pares (link)
  • Cúpula de Líderes sobre o Clima: Tecnologia, economia e agenda verde centralizam as discussões no segundo dia do evento (link)
  • Cúpula de Líderes sobre o Clima: Cooperação global é uma das três principais mensagens do evento (link)
  • Radar ESG | Locadoras de automóveis: Rumo à agenda ESG; Localiza liderando a corrida (link)
  • Radar ESG | São Martinho (SMTO3): Quanto mais se semeia, maior é a colheita (link)
  • Radar ESG | Orizon (ORVR3): Quando ESG está escrito no DNA (link)
  • Sondagem XP/ESG com investidores institucionais (link)
  • O melhor dos dois mundos: Seleção de 10 BDRs para exposição internacional ao tema ESG (link)
  • Radar ESG | Enjoei (ENJU3): O usado é o novo “novo”? (link)
  • Radar ESG | CSN Mineração (CMIN3): Explorando os campos ESG (link)
  • Radar ESG | Jalles (JALL3): Plantando as sementes ESG (link)
  • Radar ESG | Incorporadoras de alta renda: ESG ainda em construção (link)
  • Radar ESG | Setor de saúde: O ESG ainda está na sala de espera? (link)
  • Radar ESG | Quão sustentáveis são as empresas de e-commerce? Uma análise ESG dessas gigantes (link)
  • Radar ESG | IMC (MEAL3): Por que a empresa ainda tem muito espaço para melhorar? (link)
  • Radar ESG | Aeris (AERI3): Uma das empresas melhor posicionada para surfar o vento ESG (link)
  • Radar ESG | 3R Petroleum: Construindo um caminho que incorpora metas ESG (link)
  • Radar ESG | Setor de supermercados: Vale a pena encher o carrinho? (link)
  • Radar ESG | JHSF (JHSF3): Espaço para melhorias (link)
  • Radar ESG | Quem é o melhor aluno da classe? Avaliando os líderes em ESG dentre as empresas de educação no Brasil (link)
  • Panorama do marco regulatório de investimentos ESG no Brasil (link)
  • CVM e B3 estudam intensificar critérios ESG para as companhias listadas (link)
  • Radar ESG | Setor de vestuário e joias: ESG ainda na confecção (link)
  • ESG: Tendências e preferências para 2021 (link)
  • Radar ESG | LOG Commercial Properties (LOGG3): Oportunidades em empreendimentos verdes (link)
  • Eleições americanas: Quais os efeitos para a agenda ESG nos EUA e no Brasil? (link)
  • Radar ESG | Farmácias: Raia Drogasil como a ação prescrita no setor para exposição a ESG (link)
  • Radar ESG | Shoppings: Entenda o que importa para eles quando o tema é ESG (link)
  • Radar ESG | Ambev (ABEV3): Um case que desce redondo (link)
  • Feedback do roadshow ESG: O que as gestoras no Brasil estão fazendo em relação ao tema? (link)
  • ESG de A a Z: Tudo o que você precisa saber sobre o tema (link)

Ainda não tem conta na XP? Clique aqui e abra a sua!

Avaliação

O quão foi útil este conteúdo pra você?


Newsletter
Newsletter

Gostaria de receber nossos conteúdos por e-mail?

Cadastre-se e receba grátis nossos relatórios e recomendações de investimentos

Telegram
Telegram XP

Acesse os conteúdos

Telegram XP

pelo Telegram da XP Investimentos

Leia também
BM&F Bovespa Autorregulação Anbima - Gestão de patrimônio Autorregulação Anbima - Gestão de recursos Autorregulação Anbima - Private Autorregulação Anbima - Distribuição de Produtos de Investimentos

A XP Investimentos CCTVM S/A, inscrita sob o CNPJ: 02.332.886/0001-04, é uma instituição financeira autorizada a funcionar pelo Banco Central do Brasil.

Toda comunicação através de rede mundial de computadores está sujeita a interrupções ou atrasos, podendo impedir ou prejudicar o envio de ordens ou a recepção de informações atualizadas. A XP Investimentos exime-se de responsabilidade por danos sofridos por seus clientes, por força de falha de serviços disponibilizados por terceiros. A XP Investimentos CCTVM S/A é instituição autorizada a funcionar pelo Banco Central do Brasil.

B3 Certifica B3 Agro Broker B3 Execution Broker B3 Retail Broker B3 Nonresident Investor Broker

BMF&BOVESPA

BSM

CVM

Este site usa cookies e dados pessoais de acordo com a nossa Política de Cookies e a nossa Política de Privacidade.