Café com ESG: Conteúdos diários que transformam | 23/07

Comece o dia bem informado com as principais notícias ao redor do Brasil e do mundo quando o tema é ESG!


Compartilhar:

  • Compartilhar no Facebook
  • Compartilhar no Twitter
  • Compartilhar no Whatsapp
  • Compartilhar no LinkedIn
  • Compartilhar via E-mail

Bom dia! Neste relatório diário publicado todas as manhãs pelo time ESG do Research da XP, buscamos trazer as últimas notícias para que você comece o dia bem informado e fique por dentro do que o Brasil e o mundo fala sobre um tema que tem ficado cada vez mais relevante: ESG – do termo em inglês Environmental, Social and Governance ou, em português, ASG – Ambiental, Social e Governança.

Quais tópicos abordamos ao longo do conteúdo? (i) Notícias no Brasil e no mundo acerca do tema ESG; (ii) Performance histórica dos principais índices ESG em diferentes países; (iii) Comparativo da performance do Ibovespa vs. ISE (Índice de Sustentabilidade Empresarial, da B3); e (iv) Lista com os últimos relatórios publicados pelo Research ESG da XP.
Por que essas informações são importantes? 
Porque elas indicam os temas dentro da agenda ESG que estão sendo cada vez mais monitoradas por parte dos investidores e das empresas, e podem impactar os preços das ações de diferentes companhias.

Esperamos que aproveite a leitura!

Gostaria de receber esse conteúdo por e-mailClique aqui.
Gostou do conteúdo, tem alguma dúvida ou quer nos enviar uma sugestão? Basta deixar um comentário no final do post!


Brasil

Empresas

Fundador da WebMotors mira carros elétricos

Depois de apostar em projetos de energia solar com a startup ZFlow, o fundador da WebMotors, Sylvio de Barros, volta seus esforços agora para a disseminação de carros elétricos no Brasil. O executivo está por trás do lançamento da ZMatch, que vai oferecer serviços de compartilhamento e conversão de veículos elétricos, tendo em vista a demanda, por consumidores, de soluções menos poluentes de locomoção. O investimento estimado é de R$ 550 milhões, dos quais R$ 500 milhões virão da própria ZFlow e os outros R$ 50 milhões, de investidores-anjo. O projeto vai funcionar por meio de parcerias. Os primeiros carros elétricos disponíveis para compartilhamento virão de uma colaboração com a Movida, que vai disponibilizar 130 veículos para o projeto. A plataforma digital usada será a da startup Ucorp Mobilidade, que foi comprada pela ZFlow. Os usuários dos veículos poderão recarregá-los em estacionamentos do grupo GarageIn.

Fonte: Valor Econômico, 23/07/2021

WEG está pronta para aproveitar o boom do setor de energia solar no Brasil, diz BofA

“O Bank of America (BofA) afirmou que o setor de energia solar continua em forte expansão no Brasil e que a WEG está muito bem posicionada para aproveitar o momento. Durante o primeiro semestre, a capacidade solar instalada cresceu 55% na comparação com o ano passado no Brasil. “Dessa forma, acreditamos que esta indústria continua sustentando o impressionante ritmo de crescimento da WEG”, diz o relatório, que reitera a recomendação de compra da ação da empresa e o preço-alvo em R$ 48, que implica um potencial de valorização de 39%. A adoção da geração distribuída no Brasil tem crescido em um ritmo rápido (185% de crescimento anual no período de 2017 a 2020), e agora responde por 6 GW de capacidade, contra apenas 0,2 GW em 2017.”

Fonte: Valor Investe, 22/07/2021

Afinal, de onde vêm as emissões de gases de efeito estufa no Brasil?

“Boa parte tem como destino a pecuária: operações de grilagem, ocupação de terra e as queimadas de madeiras têm como objetivo  transformar regiões em pastos de baixa qualidade após o desmatamento. Segundo o instituto Imazon, o desmatamento da Amazônia cresceu 51% entre agosto de 2020 e junho de 2021, com mais de 8 mil km² de área verde devastada. Foi o maior índice de desmatamento em uma década. Somente em junho deste ano, de acordo com o Inpe, a Amazônia perdeu mais de 1 mil km² de floresta nativa. Políticas de zerar o desmatamento ou de “desmatamento net-zero”, em que a mudança no uso da terra pode ser compensada com o replantio de árvores em outro local, podem auxiliar na mudança desses números atuais, dizem os especialistas. O problema é que isso não está sendo feito como deveria. No Acordo de Paris, firmado em 2015, o Brasil se comprometeu a reduzir o desflorestamento para reduzir em 37% as emissões de gases até 2025, o que significaria emitir 1,2 bilhão de toneladas. No entanto, o governo brasileiro afrouxou a meta no fim do ano passado, colocando como objetivo limitar as emissões em 1,7 bilhão de toneladas.”

Fonte: Capital Reset, 22/07/2021

Política

Embaixador dos EUA pede fim do desmatamento

O embaixador dos EUA em Brasília, Todd Chapman, disse ontem que o Brasil terá que mostrar na conferência do clima, em novembro, um plano sobre como pretende zerar o desmatamento ilegal até 2030 e as emissões de carbono até 2050, ambos compromissos que o país assumiu perante a comunidade internacional. Segundo o diplomata, de nada adiantará o país apresentar seu passivo ambiental, relativamente melhor do que o dos demais países, se a Amazônia continuar a ser desmatada no ritmo atual, com seguidos recordes. Para o embaixador, isso poderá fazer a diferença para o Brasil sair como “herói” ou “vilão” ambiental no contexto da COP-26, que ocorre na Escócia em novembro.

Fonte: Valor Econômico, 23/07/2021

Quando o “Agro” vai se diferenciar do “Ogro” negócio no Parlamento Brasileiro?

“Hora de passar a régua, respirar um pouco, avaliar tecnicamente o cenário e se preparar para o segundo semestre. O computo final do primeiro tempo mostra uma reversão do quadro equilibrado dos últimos dois anos. A bancada do “Ogronegócio”, nos primeiros dois anos dessa legislatura, não conseguiu tocar adiante sua boiada. O PL de Mineração em Terra Indígena (PL 191 de 2019), MP da Grilagem (MP 910/2019), PL de Licenciamento Ambiental (3271 de 2004) dentre outros prioritários não avançaram no legislativo federal. Como já avaliamos no contexto do Painel Parlamento Socioambiental, o trabalho incansável de poucos, mas dedicados parlamentares da Frente Parlamentar Ambientalista e a articulação e mobilização da sociedade civil organizada foram cruciais, mas também foi importante e certeira a pressão sobre o então Presidente da Câmara, Deputado Rodrigo Maia, que priorizou o combate à pandemia em detrimento das agendas oportunistas da ala radical da Frente Parlamentar Agropecuária.”

Fonte: Estadão, 22/07/2021

Terceiro Setor

Avaliar impacto social é uma estratégia de comunicação e captação de recursos

“Quando falamos sobre o universo de programas sociais, existe uma necessidade constante de comunicar-se com beneficiários da ação, equipe e parceiros envolvidos, com investidores e a sociedade em geral. Cada um desses públicos se relaciona com o programa de uma maneira diferente e, portanto, usar a mesma linguagem e os mesmo materiais de comunicação para todos provavelmente será estratégia pouco eficaz. […] A avaliação de impacto social, que é o estudo que faz uso de métodos de pesquisa para identificar e mensurar a transformação social gerada por um projeto ou programa, é, por vezes, encarada como documento de alta complexidade. Ela costuma gerar um relatório extenso e detalhado, com informações estatísticas e metodológicas que ficam restritas à equipe de gestão, para apoiá-la em processos de tomada de decisão. No entanto, os resultados também podem ser aliados na estratégia de comunicação da organização. O detalhamento metodológico e estatístico do estudo é relevante porque demonstra que a pesquisa foi feita de forma responsável e consistente.”

Fonte: Folha de São Paulo, 22/07/2021

Programa capacita negros, indígenas e LGBTQIA+ que atuam com moda

“Instituto C&A e Preta Hub lançam a segunda edição do programa para impulsionar empreendedores negros, indígenas, afroindígenas e LGBTQIA+ que atuam com moda. O Afrolab Moda by Instituto C&A capacitará 20 pessoas ao longo de cinco meses em imersão virtual. Idealizado pelo braço social da C&A Brasil e pelo hub de capacitação técnica e criativa que promove a Feira Preta, o edital é voltado para pessoas criativas, com idades entre 18 e 80 anos, prioritariamente de regiões descentralizadas do país. Os interessados precisam ter empreendimentos em design de roupas, calçados ou acessórios e vivência com o mundo da moda brasileira. Conhecimento técnico em produção de coleções e proximidade com a temática também são fundamentais.”

Fonte: Folha de São Paulo, 22/07/2021

Opinião

Minas terrestres, armas químicas e investimentos ESG

“Dois pontos separam as principais empresas da Bolsa das companhias consideradas sustentáveis, mas são dois pontos percentuais, no caso. Neste ano, o Ibovespa, principal indicador do nosso mercado de ações, registrou uma alta de 6,14%. No mesmo período, o índice que reúne ações só das empresas que “cumprem critérios de sustentabilidade”, o Índice S&P/B3 Brasil ESG, subiu 4,11%. Isso significa que a tão falada governança ambiental, social e corporativa (ESG, na sigla em inglês) rende um pouco menos para o investidor? Ou que as empresas que se preocupam em reduzir a poluição, cuidar bem de seus funcionários e ser transparentes estão deixando de ganhar dinheiro? Para ser sincero: é impossível saber. E o motivo disso eu explico aqui embaixo. O tal índice Brasil ESG reúne 131 papéis, enquanto o Ibovespa tem 85. Ou seja: tem mais empresas no índice que filtra por governança do que na carteira que corresponde a cerca de 80% do número de negócios e do volume financeiro do nosso mercado de capitais.”

Fonte: Folha de São Paulo, 22/07/2021

Internacional

Empresas

McDonald’s vai aumentar a diversidade entre os fornecedores para 25%

“McDonald’s Corp e mais de 20 de seus maiores fornecedores dos EUA – incluindo a produtora de carne bovina Cargill e a processadora de frango Tyson Foods – disseram na quinta-feira que vão aumentar a diversidade entre seus fornecedores. A rede de hambúrgueres, que informa os ganhos do segundo trimestre na quarta-feira, prometeu aumentar os gastos dos EUA com diversos fornecedores e prestadores de serviços para 25% até 2025, de cerca de 23% atualmente. O aumento adicionará pelo menos outros US$ 200 milhões anuais aos US$ 3,3 bilhões que o McDonald’s gastou com diversos fornecedores em 2020, dos US$ 14 bilhões que gasta com os mesmos ao todo. O McDonald’s e outras empresas lançaram novas e amplas metas de diversidade em meio a um ajuste de contas nacional com raça, motivado pelo assassinato de George Floyd, um homem negro desarmado, sob custódia policial.”

Fonte: Reuters, 22/07/2021

Empresas devem investir dinheiro para salvar as florestas combatendo a mudança climática

“As empresas que buscam compensar suas emissões que causam o aquecimento do clima podem ter um impacto maior apoiando as iniciativas dos governos para deter a destruição da floresta em vez de plantar novas árvores, disse um grupo ambientalista na quinta-feira. A demanda por créditos de compensação de carbono está crescendo, levando algumas das maiores corporações do mundo a anunciar iniciativas de plantio de árvores. Mas um documento político de autoria da Emergent, uma organização sem fins lucrativos com sede nos Estados Unidos e parceira de organizações, incluindo o Programa das Nações Unidas para o Meio Ambiente, argumentou que esses esforços ainda estão muito aquém do que é necessário. “Estamos tentando resolver a mudança climática aqui ou temos alguns impactos locais interessantes que podemos colocar em um folheto?” disse Eron Bloomgarden, diretor executivo da Emergent.”

Fonte: Reuters, 22/07/2021

Seguradoras não estão conseguindo lidar com o risco climático, alertou o consultor de políticas

“As seguradoras não foram longe o suficiente na revisão de suas práticas de subscrição para responder às mudanças climáticas, com os grupos dos EUA os mais atrasados, de acordo com o chefe de uma iniciativa conjunta entre o setor, o Banco Mundial e a ONU. O setor de seguros, até agora, concentrou mais seus esforços em desviar suas vastas carteiras de investimentos das empresas poluidoras. Mas os legisladores, investidores e ativistas estão aumentando a pressão sobre as seguradoras para reduzir suas “emissões seguradas”, ou a pegada de carbono das empresas para as quais fornecem cobertura. Ekhosuehi Iyahen, secretário-geral do Fórum de Desenvolvimento de Seguros, uma iniciativa público-privada envolvendo seguradoras como AIG, Axa e Aviva, ao lado do Banco Mundial e da ONU, pediu que a indústria mostre “mais ambição” na redução do impacto do carbono de sua subscrição.”

Fonte: Financial Times, 21/07/2021

Política

G20 concorda com luta pelo progresso do clima em declaração sobre meio ambiente

“Os ministros do Meio Ambiente e da Energia do Grupo dos 20 países ricos fizeram pouco progresso na quinta-feira sobre como atingir as metas climáticas, disseram as autoridades, com um grupo de países resistindo a compromissos firmes. Perto do suntuoso palácio real em Nápoles, onde ocorreu o encontro, milhares de manifestantes agitando bandeiras protestaram contra o que eles disseram ser a falta de ação contra o aquecimento global. A reunião do G20 discutiu a biodiversidade e o meio ambiente na quinta-feira, enquanto a energia e as mudanças climáticas estarão na agenda da sexta-feira. Diplomatas lutaram por dias para encontrar um terreno comum significativo em ambos os tópicos. A Itália, que detém a presidência rotativa do G20 este ano, disse que um comunicado sobre meio ambiente finalmente foi acordado para a “grande alegria” de todos os 20 países, após “semanas de negociações e uma sessão de dois dias ininterrupta”.”

Fonte: Reuters, 22/07/2021


Índices ESG e suas performances

(1) O Índice ISE (Índice de Sustentabilidade Empresarial da B3) tem como objetivo ser o indicador do desempenho médio das cotações dos ativos de empresas com reconhecido comprometimento com o desenvolvimento sustentável, práticas e alinhamento estratégico com a sustentabilidade empresarial.
(2) O Índice S&P/B3 Brasil ESG mede a performance de títulos que cumprem critérios de sustentabilidade e é ponderado pelas pontuações ESG da S&P DJI. Ele exclui ações com base na sua participação em certas atividades comerciais, no seu desempenho em comparação com o Pacto Global da ONU e também cias sem pontuação ESG da S&P DJI.
(3) O ICO2 tem como propósito ser um instrumento indutor das discussões sobre mudança do clima no Brasil. A adesão das companhias ao ICO2 demonstra o comprometimento com a transparência de suas emissões e antecipa a visão de como estão se preparando para uma economia de baixo carbono.
(4) O objetivo do IGCT é ser o indicador do desempenho médio das cotações dos ativos de emissão de empresas integrantes do IGC que atendam aos critérios adicionais descritos nesta metodologia.
(5) A série de índices FTSE4Good foi projetada para medir o desempenho de empresas que demonstram fortes práticas ambientais, sociais e de governança (ESG).
(6)
O Índice MSCI ACWI, que representa o desempenho de todo o conjunto de ações de grande e médio porte do mundo, em 23 mercados desenvolvidos e 26 emergentes.


Nossos últimos relatórios

  • B3 anuncia nova metodologia para o ISE; Positivo (link)
  • Radar ESG | G2D (G2DI33): Abraçando os pilares S e E através do portfólio de investimentos de impacto (link)
  • Ambev (ABEV3): Feedback do evento ESG; Reforçamos nossa visão positiva (link)
  • Radar ESG | Setor de infraestrutura (CCRO3, ECOR3, RAIL3, HBSA3, STBP3): Preparando o asfalto (link)
  • Crédito de carbono: Capturando parte da solução; 5 nomes para exposição ao tema (link)
  • Radar ESG | Incorporadoras de Imóveis Residenciais Populares: Construindo os andares ESG (link)
  • Radar ESG | Arezzo & Co. (ARZZ3): Caminhando com seus próprios passos pela agenda ESG (link)
  • Trilogia ESG (Pt. I): Um mergulho no pilar E; Três nomes que são parte da solução (link)
  • Radar ESG | Blau (BLAU3) e Hypera (HYPE3): Em busca da fórmula ESG (link)
  • Bitcoin e ESG: Entenda os dois lados da moeda (link)
  • Radar ESG | Bemobi (BMOB3): Diversidade é o nome do jogo (link)
  • Radar ESG | Setor de Logística (SIMH3, JSLG3 e VAMO3): Preparando-se para a estrada ESG (link)
  • Radar ESG | Laboratórios: ESG ainda na triagem; Fleury se destacando em relação aos pares (link)
  • Cúpula de Líderes sobre o Clima: Tecnologia, economia e agenda verde centralizam as discussões no segundo dia do evento (link)
  • Cúpula de Líderes sobre o Clima: Cooperação global é uma das três principais mensagens do evento (link)
  • Radar ESG | Locadoras de automóveis: Rumo à agenda ESG; Localiza liderando a corrida (link)
  • Radar ESG | São Martinho (SMTO3): Quanto mais se semeia, maior é a colheita (link)
  • Radar ESG | Orizon (ORVR3): Quando ESG está escrito no DNA (link)
  • Sondagem XP/ESG com investidores institucionais (link)
  • O melhor dos dois mundos: Seleção de 10 BDRs para exposição internacional ao tema ESG (link)
  • Radar ESG | Enjoei (ENJU3): O usado é o novo “novo”? (link)
  • Radar ESG | CSN Mineração (CMIN3): Explorando os campos ESG (link)
  • Radar ESG | Jalles (JALL3): Plantando as sementes ESG (link)
  • Radar ESG | Incorporadoras de alta renda: ESG ainda em construção (link)
  • Radar ESG | Setor de saúde: O ESG ainda está na sala de espera? (link)
  • Radar ESG | Quão sustentáveis são as empresas de e-commerce? Uma análise ESG dessas gigantes (link)
  • Radar ESG | IMC (MEAL3): Por que a empresa ainda tem muito espaço para melhorar? (link)
  • Radar ESG | Aeris (AERI3): Uma das empresas melhor posicionada para surfar o vento ESG (link)
  • Radar ESG | 3R Petroleum: Construindo um caminho que incorpora metas ESG (link)
  • Radar ESG | Setor de supermercados: Vale a pena encher o carrinho? (link)
  • Radar ESG | JHSF (JHSF3): Espaço para melhorias (link)
  • Radar ESG | Quem é o melhor aluno da classe? Avaliando os líderes em ESG dentre as empresas de educação no Brasil (link)
  • Panorama do marco regulatório de investimentos ESG no Brasil (link)
  • CVM e B3 estudam intensificar critérios ESG para as companhias listadas (link)
  • Radar ESG | Setor de vestuário e joias: ESG ainda na confecção (link)
  • ESG: Tendências e preferências para 2021 (link)
  • Radar ESG | LOG Commercial Properties (LOGG3): Oportunidades em empreendimentos verdes (link)
  • Eleições americanas: Quais os efeitos para a agenda ESG nos EUA e no Brasil? (link)
  • Radar ESG | Farmácias: Raia Drogasil como a ação prescrita no setor para exposição a ESG (link)
  • Radar ESG | Shoppings: Entenda o que importa para eles quando o tema é ESG (link)
  • Radar ESG | Ambev (ABEV3): Um case que desce redondo (link)
  • Feedback do roadshow ESG: O que as gestoras no Brasil estão fazendo em relação ao tema? (link)
  • ESG de A a Z: Tudo o que você precisa saber sobre o tema (link)

Ainda não tem conta na XP? Clique aqui e abra a sua!

Avaliação

O quão foi útil este conteúdo pra você?


Newsletter
Newsletter

Gostaria de receber nossos conteúdos por e-mail?

Cadastre-se e receba grátis nossos relatórios e recomendações de investimentos

Telegram
Telegram XP

Acesse os conteúdos

Telegram XP

pelo Telegram da XP Investimentos

Leia também
BM&F Bovespa Autorregulação Anbima - Gestão de patrimônio Autorregulação Anbima - Gestão de recursos Autorregulação Anbima - Private Autorregulação Anbima - Distribuição de Produtos de Investimentos

A XP Investimentos CCTVM S/A, inscrita sob o CNPJ: 02.332.886/0001-04, é uma instituição financeira autorizada a funcionar pelo Banco Central do Brasil.

Toda comunicação através de rede mundial de computadores está sujeita a interrupções ou atrasos, podendo impedir ou prejudicar o envio de ordens ou a recepção de informações atualizadas. A XP Investimentos exime-se de responsabilidade por danos sofridos por seus clientes, por força de falha de serviços disponibilizados por terceiros. A XP Investimentos CCTVM S/A é instituição autorizada a funcionar pelo Banco Central do Brasil.

B3 Certifica B3 Agro Broker B3 Execution Broker B3 Retail Broker B3 Nonresident Investor Broker

BMF&BOVESPA

BSM

CVM

Este site usa cookies e dados pessoais de acordo com a nossa Política de Cookies e a nossa Política de Privacidade.