Café com ESG: Conteúdos diários que transformam | 07/07

Comece o dia bem informado com as principais notícias ao redor do Brasil e do mundo quando o tema é ESG!


Compartilhar:

  • Compartilhar no Facebook
  • Compartilhar no Twitter
  • Compartilhar no Whatsapp
  • Compartilhar no LinkedIn
  • Compartilhar via E-mail

Bom dia! Neste relatório diário publicado todas as manhãs pelo time ESG do Research da XP, buscamos trazer as últimas notícias para que você comece o dia bem informado e fique por dentro do que o Brasil e o mundo fala sobre um tema que tem ficado cada vez mais relevante: ESG – do termo em inglês Environmental, Social and Governance ou, em português, ASG – Ambiental, Social e Governança.

Quais tópicos abordamos ao longo do conteúdo? (i) Notícias no Brasil e no mundo acerca do tema ESG; (ii) Performance histórica dos principais índices ESG em diferentes países; (iii) Comparativo da performance do Ibovespa vs. ISE (Índice de Sustentabilidade Empresarial, da B3); e (iv) Lista com os últimos relatórios publicados pelo Research ESG da XP.
Por que essas informações são importantes? 
Porque elas indicam os temas dentro da agenda ESG que estão sendo cada vez mais monitoradas por parte dos investidores e das empresas, e podem impactar os preços das ações de diferentes companhias.

Esperamos que aproveite a leitura!

Gostaria de receber esse conteúdo por e-mailClique aqui.
Gostou do conteúdo, tem alguma dúvida ou quer nos enviar uma sugestão? Basta deixar um comentário no final do post!


Brasil

Empresas

Bradesco é primeiro banco brasileiro a se comprometer com portfólio neutro em carbono

O Bradesco é o primeiro banco brasileiro a aderir à Net-Zero Banking Alliance (NZBA), comprometendo-se a ter um portfólio de crédito neutro em carbono até 2050. O compromisso é importante porque, quando se trata da atividade bancária, neutralizar as emissões diretas é pouco relevante (embora costume ser algo anunciado com alarde). O que importa mesmo é a pegada de carbono da carteira de crédito. Lançada em abril, a iniciativa é encabeçada pela ONU e propõe que os bancos adotem uma postura mais robusta para alinhar seus portfólios a fim de atingir a neutralidade das emissões de gases de efeito estufa. O movimento já reúne mais de 40 instituições financeiras do mundo inteiro, incluindo Morgan Stanley, Santander, Deutsche Bank e HSBC. Outros bancos ainda podem aderir, desde que façam isso até novembro, quando terá início a 26ª Conferência das Nações Unidas sobre Mudanças Climáticas, a COP 26.

Fonte: Capital Reset, 06/07/2021

Embrapa cria nova técnica para calcular sequestro de carbono na pecuária

“A Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária (Embrapa) desenvolveu uma técnica capaz de fazer a “contabilidade do carbono” da atividade pecuária nacional. Os resultados do estudo mostram que a produção com lotação média, de 3,3 unidades animais por hectare, e com manejo adequado do pasto, com a recuperação da pastagem degradada, consegue neutralizar as emissões de gases do efeito estufa dos bovinos e ainda gerar créditos de carbono correspondentes ao produzido por seis árvores de eucalipto. O estudo, publicado na revista Animal, da Universidade de Cambridge, na Inglaterra, mediu não apenas as emissões do rebanho, mas também da fabricação de fertilizantes, dos combustíveis fósseis das operações agrícolas e do uso de energia elétrica para irrigação, de acordo com cada um dos quatro níveis de intensificação da atividade analisados. Os cientistas calcularam o volume de carbono sequestrado pelo solo e o número de árvores necessário para compensar a emissão de gases por bovino produzido nos diferentes sistemas avaliados. “Foi possível compreender melhor os benefícios da parte do sequestro de carbono realizada pelo crescimento das plantas, seja pelo acúmulo no solo das pastagens, seja no caule das árvores, que estavam esquecidas nessa problemática ambiental”, afirma a pesquisadora Patrícia Perondi Anchão Oliveira.”

Fonte: Valor Econômico, 06/07/2021

Boom: Operações de crédito ESG neste ano já são o dobro de 2020

“Na primeira metade do ano, o volume de operações de crédito sustentável do país já é quase o dobro de 2020 como um todo, aponta levantamento feito pela Sitawi Finanças do Bem. Até 2 de julho, foram R$ 54,8 bilhões em títulos de crédito e empréstimos ESG rotulados como um todo, contra R$ 28 bilhões no ano passado. Os números incluem green bonds, em que os recursos captados são usados para projetos com benefícios ambientais; social bonds, voltados para projetos com benefícios sociais; e sustainable bonds, que reúnem tanto características verdes quanto sociais. Entram na conta também os sustainability-linked bonds, em que o uso dos recursos é livre, mas os juros são atrelados a metas relacionadas à sustentabilidade. Essa modalidade foi a que mais cresceu neste ano. Depois de a Suzano inaugurar esse mercado para empresas brasileiras em setembro, captando US$ 750 milhões numa emissão que contou com um desconto frente a emissões tradicionais de mesmo prazo, os SLBs foram a escolha de quase uma dezena de empresas que acessaram o mercado externo no começo de 2021. Klabin, Movida, Simpar (ex-JSL), Natura, Iochpe-Maxion e até JBS — numa emissão considerada polêmica por não incluir a maior fonte de emissões de CO2 da companhia — estão entre os exemplos. A própria Suzano voltou ao mercado recentemente para captar mais US$ 1 bi.”

Fonte: Capital Reset, 06/07/2021

Chegou a vez dos social bonds? Muita calma nessa hora

“Quase todo dia tem uma empresa emitindo green bonds ou captando com metas atreladas a objetivos ambientais. Mas uma outra espécie de dívida ESG é bem menos comum no mercado brasileiro: os títulos com benefícios sociais. A última semana fugiu à regra, com quatro operações, dobrando o escopo de emissões de crédito com esse apelo que saíram nos últimos anos. Dentro dos chamados sustainability-linked bonds (SLB), a Suzano, de papel e celulose, fechou uma emissão de US$ 1 bilhão no mercado externo, com juros associados a metas de diversidade de gênero na liderança. E o Fleury está na rua com uma emissão de R$ 1 bilhão em debêntures com metas atreladas ao aumento de acesso a saúde nas classes C, D e E. Já a fintech Gyra+, que empresta para micro e pequenos negócios, levantou R$ 120 milhões com uma emissão de social bonds. E, por fim, a Pravaler, de financiamento estudantil, fez uma emissão menor, de R$ 20 milhões que também levou o rótulo. (Pausa para tradução: nos social bonds, os recursos são ‘carimbados’ para serem aplicados em projetos que têm benefícios sociais. Já nos SLBs, o uso dos recursos é livre, mas a taxa sobe se o emissor não cumprir as metas ambientais ou sociais atreladas à dívida.)”

Fonte: Capital Reset, 06/07/2021

Política

Mourão levará 3 mil militares à Amazônia e promete queda de 12% no desmatamento

“O vice-presidente da República, Hamilton Mourão, afirmou nesta terça-feira, 6, que cerca de 3 mil militares das Forças Armadas serão deslocados para atuar em ações de apoio e combate ao desmatamento. Mourão, que preside o Conselho Nacional da Amazônia Legal, se reuniu com alguns ministros para apresentar informações sobre a “Operação Samaúma”, como foi batizada a nova investida militar. “Nós vínhamos numa trajetória muito boa até o final do mês de abril. Após a saída das Forças Armadas, houve um aumento significativo do desmatamento, principalmente no mês de maio. Os índices foram bem elevados”, disse Mourão, acrescentando que a meta agora é reduzir entre 10% e 12% o índice de desmatamento verificado de julho do ano passado a agosto deste ano, em relação a julho de 2019 a agosto de 2020. O efetivo vai permanecer na floresta até o fim de agosto, mas o prazo poderá ser prorrogado, caso o governo julgue necessário. Na avaliação de Mourão, a atuação dos militares no combate ao desmatamento e incêndios tem segurado o avanço dos crimes na floresta.”

Fonte: Estadão, 06/07/2021

Terceiro Setor

BNDES lança programa de aceleração para negócios com impacto socioambiental

“O BNDES (Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social) lança a segunda edição de seu programa de aceleração, desta vez voltado a negócios com impacto socioambiental. Serão selecionadas 45 iniciativas brasileiras de diversos setores, priorizando soluções em educação, saúde, sustentabilidade, govtech e cidades sustentáveis. Os negócios potencializados no BNDES Garagem serão acompanhados pelo consórcio formado por Artemisia, Wayra e Liga Ventures, organizações que disponibilizarão suas metodologias de aceleração e gestão de impacto. As inscrições podem ser feitas até 5 de agosto pelo site garagem.bndes.gov.br. Gratuito, o programa engloba negócios tanto na fase inicial, em que o empreendedor precisa de apoio para os primeiros passos, quanto na fase de tração, para quem deseja crescer e ganhar escala. Em ambos os estágios, podem se candidatar pessoas de todo o país, com intenção genuína de gerar impacto positivo e que estejam abertos a repensar pontos fundamentais da solução dentro do programa. Os participantes receberão apoio individual de especialistas, acesso a mentores para aconselhamento e resolução de desafios, conteúdos sobre inovação, empreendedorismo e impacto, serviços gratuitos e subsidiados, além de conexão com potenciais investidores e parceiros.”

Fonte: Folha de São Paulo, 06/07/2021

Vaquinha arrecada doações para distribuir absorventes a mulheres encarceradas

“O Instituto Humanitas 360 e a organização Aqueles Dias arrecadam recursos para a compra de absorventes e itens de higiene básica para mulheres encarceradas. A campanha “Aqueles Dias no Cárcere” recebe doações durante o mês de julho na plataforma de financiamento coletivo Kickante. A ação pretende combater a pobreza menstrual dentro de unidades prisionais brasileiras, espaço habitado por quase 40 mil mulheres, em sua maioria pretas, pardas e pobres, segundo levantamento nacional de informações penitenciárias do Ministério da Justiça (Infopen). Se na sociedade brasileira uma em cada quatro adolescentes não tem acesso a absorventes, segundo o relatório Livre para Menstruar, no sistema penitenciário a situação se agrava. A Defensoria Pública de São Paulo afirmou, em fevereiro deste ano, que 61% das detentas no estado “entendem que o fornecimento de absorventes se mostra insuficiente nos estabelecimentos prisionais”.”

Fonte: Folha de São Paulo, 06/07/2021

Internacional

Empresas

Grandes investidores pedem aos bancos que façam mais pelo clima

“Mais de 100 entidades dedicadas a investimentos pediram nesta quarta-feira (6) a grandes bancos de todo o mundo, como o JPMorgan e o Deutsche Bank, que façam mais contra as mudanças climáticas, principalmente deixando de financiar projetos ligados ao carvão. Esses gestores de ativos sugeriram que poderiam apoiar resoluções que obriguem os bancos a agir de forma mais decisiva ou votar contra a reeleição de seus diretores, por exemplo. Um total de 115 grandes investidores, que somam 4,2 trilhões de dólares em ativos, como as gestoras Aviva Investors, Fidelity e M&G, enviaram uma carta a 63 bancos, incluindo o Standard Chartered, segundo um comunicado da ONG ShareAction. Os investidores solicitam que eles intensifiquem suas medidas para proteger o clima e a biodiversidade, devido ao papel fundamental que desempenham por meio de financiamentos e, em particular, antes da próxima conferência climática da ONU, COP26, que será realizada em novembro, na cidade escocesa de Glasgow.”

Fonte: Isto É, 06/07/2021

Política

Imposto sobre o carbono na fronteira da UE aumentará quase €10 bilhões anualmente

“Bruxelas espera arrecadar quase €10 bilhões por ano com um imposto de carbono sobre as importações como parte de seu esforço para combater o aquecimento global e usará o dinheiro para pagar centenas de bilhões em dívidas de recuperação conjunta da UE. Os detalhes do futuro Mecanismo de Ajuste da Fronteira de Carbono (CBAM) da UE apresentados em um texto legal, visto pelo Financial Times, revelam como o sistema funcionará. O chamado imposto de fronteira de carbono constitui a pedra angular da tentativa de Bruxelas de proteger a indústria europeia de concorrentes estrangeiros que não estão sujeitos às rígidas metas climáticas do bloco. Os documentos mostram que o mecanismo aumentará cerca de €9 bilhões por ano em receitas, uma vez que esteja totalmente instalado e funcionando até 2030. A Comissão Europeia pretende introduzir o imposto gradualmente a partir de 2023 para permitir às empresas um período de “transição” para ajustar e garantir “o menor ônus possível sobre os fluxos comerciais e os operadores comerciais”, observou o texto.”

Fonte: Financial Times, 06/07/2021

Em Nova York, uma ilha para estudar o impacto das mudanças climáticas

“Por séculos, a Governors Island, ao sul de Manhattan, foi uma base militar. Agora, a prefeitura de Nova York quer que a ilha vizinha à Estátua da Liberdade sirva a um outro tipo de combate: aquele contra os efeitos do aquecimento global. O prefeito Bill de Blasio acaba de anunciar uma competição para encontrar instituições acadêmicas ou de pesquisa interessadas em estabelecer um centro de soluções climáticas no local. Seria uma espécie de âncora para um rezoneamento, que pretende atrair projetos com pegada sustentável, fazendo da região um laboratório vivo para adaptação às mudanças climáticas. É uma tentativa de preparar Nova York e outras cidades para desastres naturais que tendem a se tornar mais frequentes por conta do aquecimento global. A ilha fica num ponto suscetível a enchentes e tempestades e o aumento do nível do mar pode tornar a região inabitável no futuro — assim como boa parte da Manhattan. “Mesmo que as emissões de carbono caiam a zero amanhã, nós todos teremos que lidar com os impactos da mudança climáticas, e as comunidades precisam estar preparadas”, disse Clare Newman, que comanda o Trust for Governors Island, responsável pela administração e desenvolvimento da ilha, à Bloomberg.”

Fonte: Capital Reset, 05/07/2021

Países nórdicos enfrentam ondas de calor; Lapônia registra o dia mais quente desde 1914

“Os países nórdicos registraram temperaturas quase recordes no fim de semana, incluindo máximas de 34°C em alguns lugares. O parceiro de mídia da EURACTIV, The Guardian, relata. Os números mais recentes vieram depois que o instituto meteorológico nacional da Finlândia registrou sua temperatura mais alta em junho desde que os registros começaram em 1844. Kevo, na Lapônia, registrou calor de 33,6 ° C no domingo, o dia mais quente desde 1914 quando as autoridades registraram 34,7 ° C, disse o STT agência de notícias. Várias partes da Suécia também registraram altas recordes em junho. As altas temperaturas seguem a onda de calor recorde e incêndios florestais que causaram devastação em partes da América do Norte. A intensa onda de calor matou 95 pessoas apenas no estado americano de Oregon, disse seu governador no domingo. Acredita-se que centenas morreram por causa do calor no noroeste dos EUA e no sudoeste do Canadá.”

Fonte: Euractiv, 06/07/2021

Regulação

Reguladores financeiros tentam alinhar regras sobre riscos climáticos

“Os reguladores globais publicaram um plano na quarta-feira para dar um “senso de direção” à proliferação de iniciativas para enfrentar os riscos financeiros relacionados ao clima antes que eles fragmentem os mercados. O Conselho de Estabilidade Financeira (FSB), que coordena as regras financeiras para o grupo de nações do G20, disse que seu “roteiro” busca coordenar abordagens para divulgações por empresas e preencher lacunas nos dados necessários para identificar “vulnerabilidades” de estabilidade financeira e desenvolver ferramentas para abordá-los. O roteiro tenta alinhar as regras ainda em estágio de planejamento entre agora e 2023 para evitar mais divergências entre as várias medidas para a mesma atividade. Uma colcha de retalhos de métodos de divulgação levou a uma iniciativa regulatória global para estabelecer um Conselho de Padrões de Sustentabilidade Internacional (ISSB) para fornecer aos investidores internacionais informações consistentes.”

Fonte: Reuters, 07/07/2021


Índices ESG e suas performances

(1) O Índice ISE (Índice de Sustentabilidade Empresarial da B3) tem como objetivo ser o indicador do desempenho médio das cotações dos ativos de empresas com reconhecido comprometimento com o desenvolvimento sustentável, práticas e alinhamento estratégico com a sustentabilidade empresarial.
(2) O Índice S&P/B3 Brasil ESG mede a performance de títulos que cumprem critérios de sustentabilidade e é ponderado pelas pontuações ESG da S&P DJI. Ele exclui ações com base na sua participação em certas atividades comerciais, no seu desempenho em comparação com o Pacto Global da ONU e também cias sem pontuação ESG da S&P DJI.
(3) O ICO2 tem como propósito ser um instrumento indutor das discussões sobre mudança do clima no Brasil. A adesão das companhias ao ICO2 demonstra o comprometimento com a transparência de suas emissões e antecipa a visão de como estão se preparando para uma economia de baixo carbono.
(4) O objetivo do IGCT é ser o indicador do desempenho médio das cotações dos ativos de emissão de empresas integrantes do IGC que atendam aos critérios adicionais descritos nesta metodologia.
(5) A série de índices FTSE4Good foi projetada para medir o desempenho de empresas que demonstram fortes práticas ambientais, sociais e de governança (ESG).
(6)
O Índice MSCI ACWI, que representa o desempenho de todo o conjunto de ações de grande e médio porte do mundo, em 23 mercados desenvolvidos e 26 emergentes.


Nossos últimos relatórios

  • Radar ESG | G2D (G2DI33): Abraçando os pilares S e E através do portfólio de investimentos de impacto (link)
  • Ambev (ABEV3): Feedback do evento ESG; Reforçamos nossa visão positiva (link)
  • Radar ESG | Setor de infraestrutura (CCRO3, ECOR3, RAIL3, HBSA3, STBP3): Preparando o asfalto (link)
  • Crédito de carbono: Capturando parte da solução; 5 nomes para exposição ao tema (link)
  • Radar ESG | Incorporadoras de Imóveis Residenciais Populares: Construindo os andares ESG (link)
  • Radar ESG | Arezzo & Co. (ARZZ3): Caminhando com seus próprios passos pela agenda ESG (link)
  • Trilogia ESG (Pt. I): Um mergulho no pilar E; Três nomes que são parte da solução (link)
  • Radar ESG | Blau (BLAU3) e Hypera (HYPE3): Em busca da fórmula ESG (link)
  • Bitcoin e ESG: Entenda os dois lados da moeda (link)
  • Radar ESG | Bemobi (BMOB3): Diversidade é o nome do jogo (link)
  • Radar ESG | Setor de Logística (SIMH3, JSLG3 e VAMO3): Preparando-se para a estrada ESG (link)
  • Radar ESG | Laboratórios: ESG ainda na triagem; Fleury se destacando em relação aos pares (link)
  • Cúpula de Líderes sobre o Clima: Tecnologia, economia e agenda verde centralizam as discussões no segundo dia do evento (link)
  • Cúpula de Líderes sobre o Clima: Cooperação global é uma das três principais mensagens do evento (link)
  • Radar ESG | Locadoras de automóveis: Rumo à agenda ESG; Localiza liderando a corrida (link)
  • Radar ESG | São Martinho (SMTO3): Quanto mais se semeia, maior é a colheita (link)
  • Radar ESG | Orizon (ORVR3): Quando ESG está escrito no DNA (link)
  • Sondagem XP/ESG com investidores institucionais (link)
  • O melhor dos dois mundos: Seleção de 10 BDRs para exposição internacional ao tema ESG (link)
  • Radar ESG | Enjoei (ENJU3): O usado é o novo “novo”? (link)
  • Radar ESG | CSN Mineração (CMIN3): Explorando os campos ESG (link)
  • Radar ESG | Jalles (JALL3): Plantando as sementes ESG (link)
  • Radar ESG | Incorporadoras de alta renda: ESG ainda em construção (link)
  • Radar ESG | Setor de saúde: O ESG ainda está na sala de espera? (link)
  • Radar ESG | Quão sustentáveis são as empresas de e-commerce? Uma análise ESG dessas gigantes (link)
  • Radar ESG | IMC (MEAL3): Por que a empresa ainda tem muito espaço para melhorar? (link)
  • Radar ESG | Aeris (AERI3): Uma das empresas melhor posicionada para surfar o vento ESG (link)
  • Radar ESG | 3R Petroleum: Construindo um caminho que incorpora metas ESG (link)
  • Radar ESG | Setor de supermercados: Vale a pena encher o carrinho? (link)
  • Radar ESG | JHSF (JHSF3): Espaço para melhorias (link)
  • Radar ESG | Quem é o melhor aluno da classe? Avaliando os líderes em ESG dentre as empresas de educação no Brasil (link)
  • Panorama do marco regulatório de investimentos ESG no Brasil (link)
  • CVM e B3 estudam intensificar critérios ESG para as companhias listadas (link)
  • Radar ESG | Setor de vestuário e joias: ESG ainda na confecção (link)
  • ESG: Tendências e preferências para 2021 (link)
  • Radar ESG | LOG Commercial Properties (LOGG3): Oportunidades em empreendimentos verdes (link)
  • Eleições americanas: Quais os efeitos para a agenda ESG nos EUA e no Brasil? (link)
  • Radar ESG | Farmácias: Raia Drogasil como a ação prescrita no setor para exposição a ESG (link)
  • Radar ESG | Shoppings: Entenda o que importa para eles quando o tema é ESG (link)
  • Radar ESG | Ambev (ABEV3): Um case que desce redondo (link)
  • Feedback do roadshow ESG: O que as gestoras no Brasil estão fazendo em relação ao tema? (link)
  • ESG de A a Z: Tudo o que você precisa saber sobre o tema (link)

Ainda não tem conta na XP? Clique aqui e abra a sua!

Avaliação

O quão foi útil este conteúdo pra você?


Newsletter
Newsletter

Gostaria de receber nossos conteúdos por e-mail?

Cadastre-se e receba grátis nossos relatórios e recomendações de investimentos

Telegram
Telegram XP

Acesse os conteúdos

Telegram XP

pelo Telegram da XP Investimentos

Leia também
BM&F Bovespa Autorregulação Anbima - Gestão de patrimônio Autorregulação Anbima - Gestão de recursos Autorregulação Anbima - Private Autorregulação Anbima - Distribuição de Produtos de Investimentos

A XP Investimentos CCTVM S/A, inscrita sob o CNPJ: 02.332.886/0001-04, é uma instituição financeira autorizada a funcionar pelo Banco Central do Brasil.

Toda comunicação através de rede mundial de computadores está sujeita a interrupções ou atrasos, podendo impedir ou prejudicar o envio de ordens ou a recepção de informações atualizadas. A XP Investimentos exime-se de responsabilidade por danos sofridos por seus clientes, por força de falha de serviços disponibilizados por terceiros. A XP Investimentos CCTVM S/A é instituição autorizada a funcionar pelo Banco Central do Brasil.

B3 Certifica B3 Agro Broker B3 Execution Broker B3 Retail Broker B3 Nonresident Investor Broker

BMF&BOVESPA

BSM

CVM

Este site usa cookies e dados pessoais de acordo com a nossa Política de Cookies (gerencie suas preferências de cookies) e a nossa Política de Privacidade.