Café com ESG: Conteúdos diários que transformam | 24/05

Comece o dia bem informado com as principais notícias ao redor do Brasil e do mundo quando o tema é ESG!


Compartilhar:

  • Compartilhar no Facebook
  • Compartilhar no Twitter
  • Compartilhar no Whatsapp
  • Compartilhar no LinkedIn
  • Compartilhar via E-mail

Bom dia! Neste relatório diário publicado todas as manhãs pelo time ESG do Research da XP, buscamos trazer as últimas notícias para que você comece o dia bem informado e fique por dentro do que o Brasil e o mundo fala sobre um tema que tem ficado cada vez mais relevante: ESG – do termo em inglês Environmental, Social and Governance ou, em português, ASG – Ambiental, Social e Governança.

Quais tópicos abordamos ao longo do conteúdo? (i) Notícias no Brasil e no mundo acerca do tema ESG; (ii) Performance histórica dos principais índices ESG em diferentes países; (iii) Comparativo da performance do Ibovespa vs. ISE (Índice de Sustentabilidade Empresarial, da B3); e (iv) Lista com os últimos relatórios publicados pelo Research ESG da XP.
Por que essas informações são importantes? 
Porque elas indicam os temas dentro da agenda ESG que estão sendo cada vez mais monitoradas por parte dos investidores e das empresas, e podem impactar os preços das ações de diferentes companhias.

Esperamos que aproveite a leitura!

Gostaria de receber esse conteúdo por e-mailClique aqui.
Gostou do conteúdo, tem alguma dúvida ou quer nos enviar uma sugestão? Basta deixar um comentário no final do post!


Brasil

Empresas

Taxa de carbono puxa o consumo global de madeira

“A demanda global por madeira está em alta puxada pela construção civil. A tendência é explicada por dois fatores – a pandemia e a futura taxa de carbono europeia que pode ser inicialmente aplicada em materiais concorrentes como cimento e aço. Trata-se da “carbon border tax” que a União Europeia vem discutindo desde 2019. Para proteger sua indústria, que deverá fazer esforços para cortar emissões de gases-estufa, o bloco europeu quer taxar produtos de países com maior emissão e preço inferior. “O setor trabalha mirando o mercado futuro e a possível taxa de carbono europeia já mexe com o mercado de madeira global”, diz Jeanicolau Simone de Lacerda, consultor da área florestal. Algumas previsões estimam que o preço de carbono por tonelada de CO2 pode alcançar €100 em cinco anos, o que explica, em parte, a busca maior por madeira.”

Fonte: Valor Econômico, 24/05/2021

Biocombustíveis podem tornar aviação mais ‘verde’

“O Brasil tem capacidade de produzir 9 bilhões de litros de biocombustíveis de aviação por ano, volume mais do que suficiente para suprir a demanda doméstica, e, assim, reduzir de forma expressiva as emissões de CO2 no segmento, segundo estudo da Roundtable on Sustainable Biomaterials (RSB). Produzido com a colaboração da Agroicone e de professores de Unicamp e Unifei, o trabalho será apresentado em evento internacional que começa hoje. “O potencial do Brasil de ser um grande produtor de biocombustível para aviação é enorme, mas isso depende da capacidade do país de aproveitar os resíduos de bagaço e da palha de cana, da indústria de madeira, do óleo de cozinha usado, do sebo bovino e de gases da indústria siderúrgica”, diz a RSB, que integra o projeto Fuelling the Sustainabos le Bioeconomy, financiado pela Boeing Global Engagement.”

Fonte: Valor Econômico, 24/05/2021

Exploração de óleo e gás ganha senso de urgência

“A interrupção imediata da perfuração de novos poços de petróleo, sugerida pela Agência Internacional de Energia (AIE) como forma de assegurar os cortes de emissões previstos no Acordo de Paris, reforça o senso de urgência na indústria de óleo e gás sobre a necessidade de busca de novas descobertas, antes que a demanda comece a recuar. Embora a moratória tenha sido recebida mais como um gesto simbólico de pressão sobre governos e petroleiras e menos como um risco real ao setor, a percepção no mercado é de que a transição energética se tornou um caminho sem volta e que a janela de oportunidade para exploração se fechará em algum momento.”

Fonte: Valor Econômico, 23/05/2021

CVC vai investir R$3 milhões neste ano em sustentabilidade

“A CVC, maior agência de viagens do país, lança o seu programa de sustentabilidade, o REprograma. A previsão é investir neste ano R$ 3 milhões, mas pode chegar a R$ 30 milhões ao ano até 2030, disse o presidente do grupo, Leonel Andrade, ao Valor. Uma das iniciativas é “adotar” dois blocos turísticos – uma cidade ou uma praia, por exemplo- para ajudar na sua regeneração e preservação. Segundo o executivo, os locais ainda não foram escolhidos, mas há um forte apelo por alguma praia no Nordeste. “Antes da pandemia, 70% das nossas vendas eram para o Nordeste”, afirmou. Outra possibilidade é uma floresta ou uma área no Pantanal.”

Fonte: Valor Econômico, 24/05/2021

Mais usados, menos impacto

“Com o aval da Second Hand Effect (SHE), estudo encomendado ao Instituto Ethos, Andries Oudshoorn, CEO da OLX Brasil, celebra os impactos positivos de seu negócio. Ao apostar no consumo de itens de segunda mão, a empresa evitou que 357 mil toneladas de plástico fossem geradas; 221 mil de toneladas de alumínio deixassem de ser descartadas no meio ambiente; e que 2,48 milhões de toneladas de aço fossem consumidas – a maior parte devido à compra e venda de veículos e barcos usados. Ainda segundo o estudo, sem que insumos virgens fossem fabricados, a OLX evitou a emissão de 6,28 milhões de toneladas de CO2.”

Fonte: Isto É, 21/05/2021

“Todo CEO deveria ser um ativista de causas maiores”

“A ascensão da agenda ESG tem levado a uma maior cobrança da sociedade e de investidores para CEOs se posicionarem e agirem em prol de causas maiores que os interesses de suas organizações. Mas ser ou não ser um CEO ativista nem deveria mais ser uma dúvida para os executivos. Cada liderança empresarial deve tomar frente aos problemas estruturais do país, avalia Maria Silvia Bastos, ex-presidente do BNDES, da CSN e da Icatu Seguros. “Vejo como fundamental a inserção dos líderes em todos os níveis de todas as questões nacionais”, disse a executiva durante Live do Valor. Em sua visão, o ativismo não é um custo para a carreira, mas um enorme benefício. “É o que retroalimenta o executivo.”

Fonte: Valor Econômico, 24/05/2021

Biodiversidade em queda já ameaça os seres humanos

“Em meio à pior crise sanitária global dos últimos cem anos, fica cada vez mais evidente que essa realidade não é o que parecia. Uma série de estudos vem apontando para a cada vez mais provável relação entre a atividade humana, a queda da biodiversidade no planeta e o surgimento de novos surtos e doenças. […] Assim, a queda da biodiversidade em escala global e o avanço da presença humana em áreas em equilíbrio estariam colocando não apenas fauna e flora em perigo, mas o próprio ser humano. Hoje, data escolhida pela Organização das Nações Unidas (ONU) para comemorar o Dia Internacional da Biodiversidade, o problema fica mais claro quando se olha para os dados mais recentes sobre a diminuição do número de espécies e o avanço do desmatamento.”

Fonte: Estadão, 22/05/2021

Al Gore fala sobre sustentabilidade no Cidadão Global

“O ambientalista e ex-vice-presidente americano Al Gore é o convidado da 4ª edição do Cidadão Global 2021, evento promovido pelo Valor e banco Santander, amanhã, às 11h […]. O tema deste ano é “Sustentabilidade: na visão de quem inspira e respira o progresso responsável do planeta”. Al Gore foi vice do democrata Bill Clinton e, com seus livros e carreira como ambientalista, chamou a atenção do mundo sobre as previsões sombrias para o futuro do planeta, caso empresas e governos não tomassem providências urgentes para conter o aumento das emissões de gases estufa. Inspirado em seu livro “Uma verdade inconveniente”, o documentário de mesmo nome, dirigido por Davis Guggenheim, levou o Oscar em sua categoria e canção original, ajudando a formar opinião em escala global sobre a urgência e a importância da sustentabilidade.”

Fonte: Valor Econômico, 24/05/2021

Opinião

Carro mais potente da história da Audi chega ao Brasil e é elétrico

“A sigla RS (“rennsport”, corrida automotiva em alemão) define o que há de mais rápido na linha Audi e, até 2020, esteve presente em modelos abastecidos com gasolina. O padrão mudou neste ano, com a chegada do RS e-Tron GT. O cupê de alto desempenho é movido a eletricidade, e não apenas isso. A combinação de seus dois motores gera o equivalente a 646 cv. É o carro mais potente já feito pela montadora, capaz de rodar cerca de 400 km com uma carga completa de suas baterias.”

Fonte: Folha de São Paulo, 21/05/2021

Terceiro Setor

Como lidar com os riscos que permeiam os projetos sociais

“No mundo da gestão de projetos é uma ideia bem estabelecida que, em geral, eles estão fadados ao fracasso. De acordo com a pesquisa Chaos Report, atualizada em 2015, quase 53% deles não alcançam os objetivos traçados, seja do ponto de vista de prazo, orçamento ou por entregar um produto ou serviço diferente do que foi prometido. Por este motivo são oferecidos diversos cursos e graduações que se baseiam em uma metodologia concisa e bem estabelecida, com mapeamento de parâmetros de boas práticas de gestão, na expectativa de se aumentarem as chances de um projeto ser bem-sucedido. Dito isto, é possível afirmar que o risco é uma característica inerente à gestão de projetos. E quando falamos de projetos sociais, não é diferente.”

Fonte: Folha de São Paulo, 22/05/2021

Produtora rural aponta fome, demissão e êxodo no campo e busca evitar desperdício

“A pandemia tem deixado no campo um rastro de fome, demissão e êxodo rural. A análise é de Simone Silotti, produtora do cinturão verde de São Paulo que criou projeto para evitar desperdício de alimentos durante a crise sanitária.” […] Em 2020, com o projeto #FaçaumBemINCRIVEL, ela conseguiu destinar 160 toneladas de alimentos a entidades sociais, conectando 80 produtores e duas cooperativas a ONGs, bancos de alimentos, orfanatos e cozinhas solidárias. Em 2021, já são 200 toneladas doadas.”

Fonte: Folha de São Paulo, 21/05/2021

Internacional

Empresas

A ExxonMobil enfrenta ‘ventos de mudança’ e a batalha do clima chega à sala de reuniões

“A ExxonMobil, um titã da América corporativa, enfrenta um momento crucial nesta semana, enquanto os acionistas inquietos dão sua opinião sobre o que os críticos chamam de uma resposta inadequada às mudanças sísmicas provocadas pela mudança climática. Na quarta-feira, a batalha por procuração mais assistida em anos terminará em uma votação para decidir quem tem assento no conselho da ExxonMobil. A empresa está tentando se defender de um desafio do novo fundo de hedge Engine No.1 e, após uma série de endossos recentes, os ativistas acreditam que a vitória está ao alcance. “Isso vai repercutir”, disse Anne Simpson, chefe do conselho de governança e sustentabilidade do Calpers, um fundo de pensão dos EUA que apoia os ativistas. “Ventos de mudança estão soprando em empresas que estão relutantes, temerosas ou inseguras sobre como agir [no clima].”

Fonte: Financial Times, 24/05/2021

Hyundai aumenta o jogo do hidrogênio com novos caminhões entrando na Europa

“A Hyundai Motor da Coréia do Sul planeja enviar uma nova série de caminhões com célula de combustível para a Europa ainda este ano, aumentando a pressão sobre os rivais em uma batalha para testar a viabilidade do transporte de mercadorias pesadas movidas a hidrogênio. Uma nova classe do caminhão Xcient Hyundai, equipado com células de combustível mais eficientes e com maior vida útil, deve chegar à Europa no quarto trimestre, disse Mark Freymueller, CEO da Hyundai Hydrogen Mobility (HHM).”

Fonte: Reuters, 24/05/2021

Terceiro Setor

ONGs saem do grupo de financiamento verde da UE sobre regras de silvicultura e bioenergia

“O WWF e várias outras ONGs decidiram suspender sua participação na Plataforma de Financiamento Sustentável da Comissão Europeia em protesto contra o que consideram critérios fracos e “não científicos” para bioenergia e silvicultura na taxonomia de finanças verdes da UE. O grupo de conservação global fez o anúncio na noite de quarta-feira (21 de abril), horas depois de a Comissão revelar um novo conjunto de regras detalhando os critérios que as empresas precisam cumprir para ganhar um selo de investimento verde na UE.”

Fonte: Euractiv, 22/05/2021

Política

Países membros resistem ao roteiro zero da IEA

“O Japão e a Austrália contestaram as conclusões do relatório da Agência Internacional de Energia sobre como atingir emissões líquidas zero até 2050, indicando que continuarão investindo em combustíveis fósseis […]. O recuo dos países membros – tradicionalmente grandes consumidores de combustíveis fósseis – e produtores globais de energia, destaca a controvérsia em torno das recomendações da IEA, que incluem interromper a exploração de combustíveis fósseis e gastos em novos projetos.”

Fonte: Financial Times, 23/05/2021

G7 fecha acordo para suspender financiamento internacional ao carvão

“As sete maiores economias desenvolvidas do mundo concordaram nesta sexta-feira em interromper até o final deste ano o financiamento internacional a projetos de carvão emissores de carbono, além de eliminar gradualmente o suporte a todos os combustíveis fósseis, visando atender às metas globais relacionadas a mudanças climáticas. A interrupção do financiamento a combustíveis fósseis é vista como um grande passo que o mundo pode dar para limitar o aumento das temperaturas globais a 1,5° Celsius acima do período pré-industrial – o que, segundo cientistas, evitaria os impactos mais devastadores da mudança climática.”

Fonte: Época Negócios, 21/05/2021

Líderes da UE vão debater quem vai pagar pela transição verde

“Os líderes da União Europeia se reúnem na terça-feira para debater como dividir os esforços e custos da mudança do bloco para um futuro de baixo carbono, em uma cúpula que definirá o tom para uma próxima reformulação das políticas de mudança climática da UE. A Comissão Executiva da UE deve publicar um enorme conjunto de propostas de política climática em julho, incluindo reformas do mercado de carbono e padrões mais rígidos de dióxido de carbono para carros. Todos precisarão da aprovação de seus 27 estados membros. Os líderes discutirão na terça-feira como cumprir a nova meta da UE acordada no mês passado de reduzir as emissões líquidas de gases de efeito estufa em pelo menos 55% até 2030, contra os níveis de 1990. A meta anterior era de 40%.”

Fonte: Reuters, 24/05/2021

UE deve incluir aviação para reformulação do imposto sobre combustíveis fósseis

“A UE está se aproximando de um acordo sobre um imposto sobre a aviação como parte de uma reformulação mais ampla das taxas de combustíveis fósseis para ajudar a cumprir metas ambiciosas de emissões. Os ministros das finanças da UE reunidos em Lisboa no sábado expressaram amplo apoio às futuras propostas de um imposto europeu sobre o querosene de aviação usado em aeronaves, disseram autoridades ao Financial Times. Bruxelas tem lutado nos anos anteriores para estender suas regras de tributação de combustível a áreas como aviação e marítima, mas a causa foi revigorada pelo compromisso do bloco de reduzir as emissões de carbono da UE em 55% na próxima década e zero líquido até 2050.”

Fonte: Financial Times, 22/05/2021


Índices ESG e suas performances

(1) O Índice ISE (Índice de Sustentabilidade Empresarial da B3) tem como objetivo ser o indicador do desempenho médio das cotações dos ativos de empresas com reconhecido comprometimento com o desenvolvimento sustentável, práticas e alinhamento estratégico com a sustentabilidade empresarial.
(2) O Índice S&P/B3 Brasil ESG mede a performance de títulos que cumprem critérios de sustentabilidade e é ponderado pelas pontuações ESG da S&P DJI. Ele exclui ações com base na sua participação em certas atividades comerciais, no seu desempenho em comparação com o Pacto Global da ONU e também cias sem pontuação ESG da S&P DJI.
(3) O ICO2 tem como propósito ser um instrumento indutor das discussões sobre mudança do clima no Brasil. A adesão das companhias ao ICO2 demonstra o comprometimento com a transparência de suas emissões e antecipa a visão de como estão se preparando para uma economia de baixo carbono.
(4) O objetivo do IGCT é ser o indicador do desempenho médio das cotações dos ativos de emissão de empresas integrantes do IGC que atendam aos critérios adicionais descritos nesta metodologia.
(5) A série de índices FTSE4Good foi projetada para medir o desempenho de empresas que demonstram fortes práticas ambientais, sociais e de governança (ESG).
(6)
O Índice MSCI ACWI, que representa o desempenho de todo o conjunto de ações de grande e médio porte do mundo, em 23 mercados desenvolvidos e 26 emergentes.


Nossos últimos relatórios

  • Bitcoin e ESG: Entenda os dois lados da moeda (link)
  • Radar ESG | Bemobi (BMOB3): Diversidade é o nome do jogo (link)
  • Radar ESG | Setor de Logística (SIMH3, JSLG3 e VAMO3): Preparando-se para a estrada ESG (link)
  • Radar ESG | Laboratórios: ESG ainda na triagem; Fleury se destacando em relação aos pares (link)
  • Cúpula de Líderes sobre o Clima: Tecnologia, economia e agenda verde centralizam as discussões no segundo dia do evento (link)
  • Cúpula de Líderes sobre o Clima: Cooperação global é uma das três principais mensagens do evento (link)
  • Radar ESG | Locadoras de automóveis: Rumo à agenda ESG; Localiza liderando a corrida (link)
  • Radar ESG | São Martinho (SMTO3): Quanto mais se semeia, maior é a colheita (link)
  • Radar ESG | Orizon (ORVR3): Quando ESG está escrito no DNA (link)
  • Sondagem XP/ESG com investidores institucionais (link)
  • O melhor dos dois mundos: Seleção de 10 BDRs para exposição internacional ao tema ESG (link)
  • Radar ESG | Enjoei (ENJU3): O usado é o novo “novo”? (link)
  • Radar ESG | CSN Mineração (CMIN3): Explorando os campos ESG (link)
  • Radar ESG | Jalles (JALL3): Plantando as sementes ESG (link)
  • Radar ESG | Incorporadoras de alta renda: ESG ainda em construção (link)
  • Radar ESG | Setor de saúde: O ESG ainda está na sala de espera? (link)
  • Radar ESG | Quão sustentáveis são as empresas de e-commerce? Uma análise ESG dessas gigantes (link)
  • Radar ESG | IMC (MEAL3): Por que a empresa ainda tem muito espaço para melhorar? (link)
  • Radar ESG | Aeris (AERI3): Uma das empresas melhor posicionada para surfar o vento ESG (link)
  • Radar ESG | 3R Petroleum: Construindo um caminho que incorpora metas ESG (link)
  • Radar ESG | Setor de supermercados: Vale a pena encher o carrinho? (link)
  • Radar ESG | JHSF (JHSF3): Espaço para melhorias (link)
  • Radar ESG | Quem é o melhor aluno da classe? Avaliando os líderes em ESG dentre as empresas de educação no Brasil (link)
  • Panorama do marco regulatório de investimentos ESG no Brasil (link)
  • CVM e B3 estudam intensificar critérios ESG para as companhias listadas (link)
  • Radar ESG | Setor de vestuário e joias: ESG ainda na confecção (link)
  • ESG: Tendências e preferências para 2021 (link)
  • Radar ESG | LOG Commercial Properties (LOGG3): Oportunidades em empreendimentos verdes (link)
  • Eleições americanas: Quais os efeitos para a agenda ESG nos EUA e no Brasil? (link)
  • Radar ESG | Farmácias: Raia Drogasil como a ação prescrita no setor para exposição a ESG (link)
  • Radar ESG | Shoppings: Entenda o que importa para eles quando o tema é ESG (link)
  • Radar ESG | Ambev (ABEV3): Um case que desce redondo (link)
  • Feedback do roadshow ESG: O que as gestoras no Brasil estão fazendo em relação ao tema? (link)
  • ESG de A a Z: Tudo o que você precisa saber sobre o tema (link)

Ainda não tem conta na XP? Clique aqui e abra a sua!

Avaliação

O quão foi útil este conteúdo pra você?


Newsletter
Newsletter

Gostaria de receber nossos conteúdos por e-mail?

Cadastre-se e receba grátis nossos relatórios e recomendações de investimentos

Telegram
Telegram XP

Acesse os conteúdos

Telegram XP

pelo Telegram da XP Investimentos

Leia também
BM&F Bovespa Autorregulação Anbima - Gestão de patrimônio Autorregulação Anbima - Gestão de recursos Autorregulação Anbima - Private Autorregulação Anbima - Distribuição de Produtos de Investimentos

A XP Investimentos CCTVM S/A, inscrita sob o CNPJ: 02.332.886/0001-04, é uma instituição financeira autorizada a funcionar pelo Banco Central do Brasil.

Toda comunicação através de rede mundial de computadores está sujeita a interrupções ou atrasos, podendo impedir ou prejudicar o envio de ordens ou a recepção de informações atualizadas. A XP Investimentos exime-se de responsabilidade por danos sofridos por seus clientes, por força de falha de serviços disponibilizados por terceiros. A XP Investimentos CCTVM S/A é instituição autorizada a funcionar pelo Banco Central do Brasil.

B3 Certifica B3 Agro Broker B3 Execution Broker B3 Retail Broker B3 Nonresident Investor Broker

BMF&BOVESPA

BSM

CVM

Este site usa cookies e dados pessoais de acordo com a nossa Política de Cookies (gerencie suas preferências de cookies) e a nossa Política de Privacidade.