Café com ESG: Conteúdos diários que transformam | 19/04

Comece o dia bem informado com as principais notícias ao redor do Brasil e do mundo quando o tema é ESG!


Compartilhar:

  • Compartilhar no Facebook
  • Compartilhar no Twitter
  • Compartilhar no Whatsapp
  • Compartilhar no LinkedIn
  • Compartilhar via E-mail

Bom dia! Neste relatório diário publicado todas as manhãs pelo time ESG do Research da XP, buscamos trazer as últimas notícias para que você comece o dia bem informado e fique por dentro do que o Brasil e o mundo fala sobre um tema que tem ficado cada vez mais relevante: ESG – do termo em inglês Environmental, Social and Governance ou, em português, ASG – Ambiental, Social e Governança.

Quais tópicos abordamos ao longo do conteúdo? (i) Notícias no Brasil e no mundo acerca do tema ESG; (ii) Performance histórica dos principais índices ESG em diferentes países; (iii) Comparativo da performance do Ibovespa vs. ISE (Índice de Sustentabilidade Empresarial, da B3); e (iv) Lista com os últimos relatórios publicados pelo Research ESG da XP.
Por que essas informações são importantes? 
Porque elas indicam os temas dentro da agenda ESG que estão sendo cada vez mais monitoradas por parte dos investidores e das empresas, e podem impactar os preços das ações de diferentes companhias.

Esperamos que aproveite a leitura!

Gostaria de receber esse conteúdo por e-mailClique aqui.
Gostou do conteúdo, tem alguma dúvida ou quer nos enviar uma sugestão? Basta deixar um comentário no final do post!


Brasil

Empresas

Empresas com responsabilidade social faturam mais

“Empresas humanizadas são aquelas que geram impacto positivo para a sociedade, compartilhando bons resultados com clientes, investidores, funcionários, parceiros e meio ambiente. O melhor da história é que também são mais rentáveis no longo prazo, segundo estudo que mapeou as principais empresas do país em um período de 20 anos, entre 2000 e 2019. “A rentabilidade das empresas mais éticas foi três vezes e meia superior à média das 500 maiores empresas do país”, revela Pedro Paro, fundador da startup de inteligência Humanizadas.”

Fonte: Época Negócios, 18/04/2021

Entre produtores, desmate zero ainda é tema controverso

“No Brasil, muitos agricultores e pecuaristas resistem às metas ambientais estabelecidas pelas indústrias. Os argumentos são diferentes entre si, mas a mensagem geral das lideranças é clara: os produtores querem exercer o direito de abrir áreas estabelecido pelo Código Florestal.”

Fonte: Valor Econômico, 19/04/2021

Executivos incluem o trabalho voluntário na agenda da pandemia

“Do conforto e privilégio do home office, executivos brasileiros abrem espaço na agenda para se envolver em projetos sociais durante a pandemia e trazem à tona a reflexão de que não é preciso esperar uma carreira bem-sucedida terminar para retribuir à sociedade. […] “Com a pandemia, o voluntariado deixou de ser uma agenda adicional e virou premente. O senso de urgência mudou – a necessidade de fazer algo, como pessoa e como executivo”, disse Ricardo Porto, vice-presidente senior comercial e supply chain e CEO no Peru da Nexa.”

Fonte: Valor Econômico, 19/04/2021

Manual do net zero: 5 passos para avaliar se as metas climáticas vão além do marketing

“Seguindo um movimento que já vinha ganhando força lá fora, cada vez mais empresas brasileiras prometem se tornar ‘carbono-neutras’ até 2050 — ou até bem antes disso. Ifood, JBS e Minerva são as últimas a figurar na lista, que já inclui pesos-pesados como Vale e Braskem. Estabelecer uma ambição para daqui a várias décadas pode ser fácil […] Mas sair apenas do marketing para um plano de ação capaz de contribuir efetivamente para a contenção do aquecimento global (e para tornar o negócio mais resiliente a ele) é uma história completamente diferente.”

Fonte: Capital Reset, 16/04/2021

Divergências entre consultorias de voto de acionistas aquecem eleição para conselho da Vale

“As consultorias internacionais de orientação de voto a acionistas Institutional Shareholder Services (ISS) e Glass Lewis manifestaram posições distintas sobre a eleição ao conselho de administração da Vale, marcada para 30 de abril. A divergência entre as agências vai obrigar cada acionista a fazer o seu dever de casa e adicionar emoção à já disputada eleição para o mandato 2021-2023.”

Fonte: Estadão, 18/04/2021

Conselheiro recém-eleito da Petrobras, Marcelo Gasparino renuncia

“A Petrobras comunicou ao mercado que o conselheiro Marcelo Gasparino renunciou ao cargo na companhia. O executivo havia sido eleito por meio de voto múltiplo na Assembleia Geral Extraordinária (AGE) realizada nesta semana. De acordo com o comunicado, a carta de renúncia de Gasparino indica a ação como ‘irregovável e irretratável’, e destaca que o executivo deixa o cargo ‘para o qual acaba de ser empossad’.”

Fonte: Valor Econômico, 16/04/2021

Papo responsável

“Pela primeira vez na história, a Via Varejo adotou os critérios ESG (ambiental, social e de governança) como estratégia institucional com bônus de executivos atrelados às metas da agenda. Sob comando do diretor de Sustentabilidade, Hélio Muniz, a companhia desenha os compromissos e objetivos para os próximos cinco anos.”

Fonte: Isto É, 16/04/2021

Regulação

O maior grileiro de terras indígenas da Amazônia, multado pelo Ibama em R$ 105 milhões

“No dia 9 de abril, o Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis (Ibama) divulgou uma nota lacônica para informar que havia identificado e multado o “chefe do esquema criminoso” de grilagem de terras indígenas na Amazônia. Em poucas linhas, o órgão informou que o infrator havia sido multado em nada menos que R$ 105,5 milhões, por ter desmatado uma área equivalente a mais de 21 mil campos de futebol em uma terra indígena no Pará. O Ibama só não disse, afinal, quem é o maior grileiro de terras do País.”

Fonte: Estadão, 16/04/2021

Política

O que é a Cúpula de Líderes, na qual Biden deve pressionar Bolsonaro contra desmatamento na Amazônia

“O evento é visto como uma oportunidade central para que Biden assuma o papel de protagonismo político global em questões climáticas, agenda que ele reiterou ser uma prioridade de sua gestão durante toda a campanha eleitoral de 2018, da qual saiu vitorioso. Pela primeira vez na história, Biden criou na administração federal dos EUA o posto de Enviado Especial Climático, que conferiu a John Kerry a missão de viabilizar a pauta verde dos democratas doméstica e internacionalmente.”

Fonte: Época Negócios, 18/04/2021

Em cúpula do clima, Brasil enfrenta seu maior teste na relação com EUA

“Desde a eleição de Joe Biden, o presidente Jair Bolsonaro soube que precisaria mudar sua política externa se quisesse manter abertos os canais com a Casa Branca. As notórias diferenças entre os dois líderes e a torcida de Bolsonaro por Donald Trump colocavam Brasília em choque com a nova era inaugurada em Washington. Biden manteve o pragmatismo no trato com o Brasil, mas o maior desafio na relação bilateral ocorrerá nesta semana, durante a cúpula do clima.”

Fonte: Época Negócios, 18/04/2021

Enviado de Biden cobra ‘ações imediatas’ de Bolsonaro sobre o clima

“John Kerry, enviado especial para clima do presidente Joe Biden publicou nesta sexta-feira (16) um tuíte definindo como “importante” o compromisso com a eliminação do desmatamento ilegal expresso pelo presidente Jair Bolsonaro em carta enviada esta semana ao presidente Joe Biden. Kerry seguiu, contudo, dizendo que o governo dos EUA espera “ações imediatas e o engajamento com as populações indígenas e a sociedade civil para que este anúncio possa gerar resultados tangíveis”.”

Fonte: Valor Econômico, 16/04/2021

Senadores democratas pedem a Biden para só repassar dinheiro ao Brasil se desmatamento diminuir

“Um grupo de senadores democratas enviou nesta sexta-feira uma carta ao presidente dos Estados Unidos, Joe Biden, para reclamar da falta de medidas adotadas pelo presidente do Brasil, Jair Bolsonaro, para preservar o meio ambiente. No documento, os senadores do partido de Biden pedem que o presidente americano condicione qualquer repasse de dinheiro para apoiar a preservação da Amazônia a um progresso significativo na redução do desmatamento.”

Fonte: Valor Econômico, 16/04/2021

Descarbonizar exige vontade econômica, não só política, diz Izabella Teixeira

“‘Quais são as vantagens competitivas do Brasil quando o mundo inteiro for neutro em carbono?’, questiona a ex-ministra do Meio Ambiente Izabella Teixeira, que negociou o Acordo de Paris pelo governo brasileiro em 2015. “Não se trata só de ter vontade política de descarbonizar a economia e conter o desmatamento, mas de ter vontade econômica”. […] O debate da preservação da floresta e a necessidade de se eliminar a ilegalidade ganhou mais força com a proximidade da Cúpula dos Líderes Climáticos promovida pelo governo Joe Biden esta semana.”

Fonte: Valor Econômico, 18/04/2021

Terceiro Setor

ONGs organizam novas campanhas contra a fome

“Antes mesmo da pandemia, a fome já tinha voltado a crescer no Brasil e chegou a 10,3 milhões de pessoas em 2018, segundo dados do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). A crise inédita vivida desde o ano passado quase dobrou esse número: eram 19 milhões de brasileiros no fim de 2020, segundo estudo recente da Rede Brasileira de Pesquisa em Soberania e Segurança Alimentar e Nutricional (Rede Penssan), total que já deve ser maior neste início de 2021. Nesse cenário, proliferaram campanhas de Organizações Não-Governamentais (ONGs) e instituições para ajudar brasileiros que precisam de alimentos.”

Fonte: Valor Econômico, 19/04/2021

Como esta ONG quer treinar jovens para profissões com os maiores salários

“A Social Finance está aconselhando o estado de Ohio sobre programas de pagamento por sucesso e está em negociação com vários outros estados americanos. O financiamento da organização garantido por investidores é chamado de título de impacto na carreira, enquanto as iniciativas apoiadas pelo estado são chamadas de fundos de antecipação, já que os pagamentos dos graduados ajudam a manter novos alunos.”

Fonte: Exame, 17/04/2021

Internacional

Empresas

Emissões ‘verdes’ devem bater recorde de US$ 1,178 trilhão neste ano

“As emissões de dívida que atendem a critérios de sustentabilidade ambiental e social deverão bater recorde e ficar próximas de US$ 1,178 trilhão globalmente neste ano, pelas novas projeções do banco sueco Skandinaviska Enskilda Banken (SEB). A instituição, que desenvolveu o conceito de “green bond” (título verde) junto com o Banco Mundial em 2007-2008, considera que, após um “tropeço de curto prazo” causado pela pandemia, o momento é melhor do que nunca para produtos financeiros com etiqueta de sustentabilidade.”

Fonte: Valor Econômico, 18/04/2021

Coalizão de grandes investidores pressiona bancos a desestabilizar emissores de carbono

“Goldman Sachs, HSBC, BNP Paribas e 24 outros bancos globais estão sendo pressionados por uma coalizão de grandes investidores para parar de financiar projetos intensivos em carbono e aumentar seus empréstimos verdes. […] A mudança é o mais recente sinal de que o foco dos investidores em relação ao clima está mudando de grandes emissores de carbono, como grupos de petróleo e gás, para aqueles que fornecem financiamento para projetos verdes.”

Fonte: Financial Times, 18/04/2021

Corrida por créditos de carbono estimula aumento em “esquemas” nas empresas de energia

“A corrida das empresas para comprar créditos para compensar as emissões de carbono levou a esquemas controversos sendo desenvolvidos por grandes empresas de energia, incluindo o Adani Group da Índia e a NextEra Energy, dos Estados Unidos. Fundamental para o princípio da compensação é que os projetos que geram créditos devem entregar benefícios de carbono adicionais em um cenário business-as-usual, e serem capazes de mostrar que não seriam viáveis sem a receita das compensações. Mas alguns dos créditos mais abundantes vêm de grandes esquemas de energia renovável desenvolvidos por grupos de energia bem financiados. […] Enquanto o mundo corre para descarbonizar as redes de energia, especialistas em política climática questionam a validade dessas compensações de energias renováveis – que respondem por cerca de um terço dos mais de 1 bilhão de créditos emitidos até agora.”

Fonte: Financial Times, 17/04/2021

Ferramenta de lapso de tempo do Google Earth destaca as mudanças climáticas

“O Google Earth adicionou na quinta-feira um recurso de lapso de tempo à plataforma popular, dando uma ideia de como as mudanças climáticas, a urbanização e o desmatamento alteraram o planeta nas últimas quatro décadas. […] A mudança climática está causando inundações, secas, tempestades e ondas de calor mais frequentes e severas, à medida que as temperaturas globais médias atingem novos recordes. A ferramenta de lapso de tempo do Google Earth mostra a mudança nas linhas costeiras, a expansão generalizada de paisagens urbanas e terras agrícolas, bem como a recessão simultânea de geleiras, florestas e rios.”

Fonte: Reuters, 16/04/2021

Preocupações climáticas deixam siderúrgicas à beira da crise

“Todos sabem disso na gigante siderúrgica ArcelorMittal. Durante meio século, Lakshmi Mittal se dedicou a construir e a administrar o que se tornou o maior império mundial das grandes siderúrgicas, empregando cerca de 170 mil pessoas. Agora, seu filho, Aditya Mittal, de 44 anos, que recentemente sucedeu o pai como executivo-chefe, diz que a indústria que fez o nome e a fortuna da família precisa mudar seus hábitos poluentes. ‘O maior desafio que o mundo enfrentará nos próximos 30 anos é o de descarbonizar.'”

Fonte: Exame, 18/04/2021

Política

União Europeia está dividida sobre a classificação do gás como investimento verde

“A Comissão Europeia está dividida sobre se deve adiar uma decisão sobre a classificação do gás gerado a partir de combustíveis fósseis como energia verde em seu sistema de classificação de referência para investidores. Bruxelas planejou publicar um rascunho atualizado em relação a uma taxonomia para finanças sustentáveis no final desta semana. O documento foi elaborado para orientar aqueles que desejam direcionar seu dinheiro para investimentos ecologicamente corretos e ajudar a erradicar o relatório incorreto do impacto ambiental das empresas, conhecido como greenwashing.”

Fonte: Financial Times, 18/04/2021

Mega-aposta das supermajors do petróleo no gás natural

“Empresas de energia não têm assento na mesa principal do clima convocada pelo presidente Joe Biden em 22 e 23 de abril, para a qual ele convidou 40 outros líderes mundiais para discutir como acelerar a mudança para a energia limpa. Do lado de fora, as empresas de carvão irão franzir a testa com os esforços para conter a demanda na Ásia e os perfuradores de petróleo estremecerão com o apoio aos carros elétricos. Observando de perto estarão as empresas que apostaram alto no gás natural. À medida que a transição de energia ganha impulso, nenhum futuro de combustível é mais enfumaçado do que o do hidrocarboneto menos sujo.”

Fonte: The Economist, 18/04/2021

China e EUA concordam sobre a necessidade de compromissos climáticos mais fortes

“China e Estados Unidos concordam que promessas mais fortes de combate às mudanças climáticas devem ser apresentadas antes de uma nova rodada de negociações internacionais no final do ano, os dois países disseram em um comunicado conjunto no domingo. A declaração foi feita após uma reunião entre o enviado chinês do clima, Xie Zhenhua, e seu homólogo americano, John Kerry, em Xangai, na quinta e sexta-feira, disse o ministério do meio ambiente da China.”

Fonte: Reuters, 18/04/2021


Índices ESG e suas performances

(1) O Índice ISE (Índice de Sustentabilidade Empresarial da B3) tem como objetivo ser o indicador do desempenho médio das cotações dos ativos de empresas com reconhecido comprometimento com o desenvolvimento sustentável, práticas e alinhamento estratégico com a sustentabilidade empresarial.
(2) O Índice S&P/B3 Brasil ESG mede a performance de títulos que cumprem critérios de sustentabilidade e é ponderado pelas pontuações ESG da S&P DJI. Ele exclui ações com base na sua participação em certas atividades comerciais, no seu desempenho em comparação com o Pacto Global da ONU e também cias sem pontuação ESG da S&P DJI.
(3) O ICO2 tem como propósito ser um instrumento indutor das discussões sobre mudança do clima no Brasil. A adesão das companhias ao ICO2 demonstra o comprometimento com a transparência de suas emissões e antecipa a visão de como estão se preparando para uma economia de baixo carbono.
(4) O objetivo do IGCT é ser o indicador do desempenho médio das cotações dos ativos de emissão de empresas integrantes do IGC que atendam aos critérios adicionais descritos nesta metodologia.
(5) A série de índices FTSE4Good foi projetada para medir o desempenho de empresas que demonstram fortes práticas ambientais, sociais e de governança (ESG).
(6)
O Índice MSCI ACWI, que representa o desempenho de todo o conjunto de ações de grande e médio porte do mundo, em 23 mercados desenvolvidos e 26 emergentes.


Nossos últimos relatórios

  • Sondagem XP/ESG com investidores institucionais (link)
  • O melhor dos dois mundos: Seleção de 10 BDRs para exposição internacional ao tema ESG (link)
  • Radar ESG | Enjoei (ENJU3): O usado é o novo “novo”? (link)
  • Radar ESG | CSN Mineração (CMIN3): Explorando os campos ESG (link)
  • Radar ESG | Jalles (JALL3): Plantando as sementes ESG (link)
  • Radar ESG | Incorporadoras de alta renda: ESG ainda em construção (link)
  • Radar ESG | Setor de saúde: O ESG ainda está na sala de espera? (link)
  • Radar ESG | Quão sustentáveis são as empresas de e-commerce? Uma análise ESG dessas gigantes (link)
  • Radar ESG | IMC (MEAL3): Por que a empresa ainda tem muito espaço para melhorar? (link)
  • Radar ESG | Aeris (AERI3): Uma das empresas melhor posicionada para surfar o vento ESG (link)
  • Radar ESG | 3R Petroleum: Construindo um caminho que incorpora metas ESG (link)
  • Radar ESG | Setor de supermercados: Vale a pena encher o carrinho? (link)
  • Radar ESG | JHSF (JHSF3): Espaço para melhorias (link)
  • Radar ESG | Quem é o melhor aluno da classe? Avaliando os líderes em ESG dentre as empresas de educação no Brasil (link)
  • Panorama do marco regulatório de investimentos ESG no Brasil (link)
  • CVM e B3 estudam intensificar critérios ESG para as companhias listadas (link)
  • Radar ESG | Setor de vestuário e joias: ESG ainda na confecção (link)
  • ESG: Tendências e preferências para 2021 (link)
  • Radar ESG | LOG Commercial Properties (LOGG3): Oportunidades em empreendimentos verdes (link)
  • Eleições americanas: Quais os efeitos para a agenda ESG nos EUA e no Brasil? (link)
  • Radar ESG | Farmácias: Raia Drogasil como a ação prescrita no setor para exposição a ESG (link)
  • Radar ESG | Shoppings: Entenda o que importa para eles quando o tema é ESG (link)
  • Radar ESG | Ambev (ABEV3): Um case que desce redondo (link)
  • Feedback do roadshow ESG: O que as gestoras no Brasil estão fazendo em relação ao tema? (link)
  • ESG de A a Z: Tudo o que você precisa saber sobre o tema (link)

Ainda não tem conta na XP? Clique aqui e abra a sua!

Avaliação

O quão foi útil este conteúdo pra você?


Newsletter

Gostaria de receber nossos conteúdos por e-mail?

Cadastre-se e receba grátis nossos relatórios e recomendações de investimentos

Telegram XP

Acesse os conteúdos

Telegram XP

pelo Telegram da XP Investimentos

Leia também
Corretora Home Broker Autorregulação Anbima - Ofertas Públicas Autorregulação Anbima - Private Autorregulação Anbima - Distribuição de Produtos de Investimentos

A XP Investimentos CCTVM S/A, inscrita sob o CNPJ: 02.332.886/0001-04, é uma instituição financeira autorizada a funcionar pelo Banco Central do Brasil.

Toda comunicação através de rede mundial de computadores está sujeita a interrupções ou atrasos, podendo impedir ou prejudicar o envio de ordens ou a recepção de informações atualizadas. A XP Investimentos exime-se de responsabilidade por danos sofridos por seus clientes, por força de falha de serviços disponibilizados por terceiros. A XP Investimentos CCTVM S/A é instituição autorizada a funcionar pelo Banco Central do Brasil.

Certificação B3

BMF&BOVESPA

BSM

CVM

Este site usa cookies e dados pessoais de acordo com a nossa Política de Cookies e a nossa Política de Privacidade.