O que é liquidez e por que é importante?

No mundo dos investimentos, alguns termos acabam tendo grande importância. Liquidez é um deles, já que ele pode ser mais relevante até mesmo do que a rentabilidade.  Isso porque a liquidez é a capacidade que a aplicação tem de ser convertida em dinheiro na conta corrente.


Compartilhar:


No mundo dos investimentos, alguns termos acabam tendo grande importância. Liquidez é um deles, já que ele pode ser mais relevante até mesmo do que a rentabilidade. 

Isso porque a liquidez é a capacidade que a aplicação tem de ser convertida em dinheiro na conta corrente. Por isso, quanto mais rápido o processo de resgate ocorrer, mais liquidez o investimento possui. 

É o poder de acessar o dinheiro facilmente que faz a diferença quando o assunto é liquidez. Afinal, de nada adianta você ter um investimento que promete um rendimento alto se você não consegue fazer o resgate dele. 

Geralmente, quanto mais alto o rendimento, menos líquido ele se torna. Por isso, é importante sempre diversificar a sua carteira de investimentos para ter também opções de liquidez para o curto, médio e longo prazo. 

Para explicar melhor o que é a liquidez e como ela se diferencia do conceito de rentabilidade, continue a leitura e saiba mais sobre: 

  • O que é liquidez e qual sua importância 
  • Diferença entre liquidez e rentabilidade 
  • Qual o risco relacionado à liquidez? 
  • Liquidez dos investimentos 
  • Exemplos de liquidez 
  • Onde aplicar o dinheiro? 

Boa leitura! 

O que é liquidez e qual sua importância 

No dicionário, o conceito é descrito como grau de negociabilidade de um título, uma ação ou um bem e sua possibilidade de conversão em dinheiro vivo a qualquer momento. 

Mas, para explicar de forma mais simples, a liquidez é a possibilidade e facilidade de se resgatar o valor investido e o lucro. 

Este conceito é de grande importância para todos os investidores, mas principalmente para quem não consegue deixar o dinheiro parado por muito tempo. 

Isso significa que quanto mais rápido for possível converter o ativo em dinheiro, mais líquido ele é.  

O que mede a liquidez de um investimento é o quão rápido é feita a conversão sem perda significativa de valor. 

Por isso, um investimento com pouca liquidez é mais difícil de ser convertido em dinheiro, seja pela falta de compradores, seja pelo tempo necessário de liquidação. 

Como exemplo de boa liquidez, podemos citar o Tesouro Selic, que é o título público que acompanha a taxa de juros e pode ser resgatado em D+1 (no dia útil seguinte ao pedido, o dinheiro estará na sua conta). 

Já um imóvel, por exemplo, é um ativo de baixa liquidez, porque é preciso um longo tempo para que você consiga vendê-lo e ter acesso ao dinheiro. 

Por isso, antes de investir em qualquer ativo, é preciso entender quais são as suas necessidades e também os prazos. Vamos falar mais à frente sobre isso. 

Diferença entre liquidez e rentabilidade 

É comum que as pessoas confundam os conceitos de liquidez e rentabilidade. Isso porque um não necessariamente está diretamente ligado ao outro. Um investimento de alta rentabilidade pode ter baixa liquidez.  

Enquanto a liquidez é a capacidade do ativo ser transformado em dinheiro, a rentabilidade nada mais é do que o percentual de remuneração que será recebido. 

Em muitos casos, investimentos que possuem uma rentabilidade maior acabam sendo menos líquidos. Por isso, geralmente é preciso investir pensando mais longo prazo para ter rentabilidades maiores. 

Pensando nisso, ao investir você precisa ter uma boa estratégia e entender o que você quer priorizar ao investir: liquidez ou rentabilidade. 

Caso você não saiba quando vai precisar do dinheiro e esteja investindo para construir sua reserva de emergência, o seu foco deve ser a liquidez.  

Esse dinheiro que pode ser necessário no curto prazo precisa ter facilidade de resgate.  

Caso você precise resgatar investimentos, mas só tem os com pouca liquidez, acabará tendo que precisar buscar dinheiro de outras formas, como empréstimos, por exemplo. E aí terá de pagar juros. 

Agora, se você já tem a sua reserva e quer investir pensando no longo prazo, procure por investimentos que possuam uma rentabilidade maior. 

Qual o risco relacionado? 

Ao colocar o dinheiro em um bem ou investimento, pode ser que em algum momento você precise resgatá-lo por conta de um imprevisto. O risco de não conseguir fazer o resgate de forma rápida o suficiente é o que é conhecido como risco de liquidez. 

Para minimizar esse tipo de risco ao investir, o planejamento dos investimentos é fundamental. Assim, você já sabe que terá à disposição ativos com diferentes tipos de prazos de resgate. 

Liquidez dos investimentos 

Um investimento líquido é aquele que possui as regras que permitem o saque a qualquer momento, sem grandes penalidades. 

Para avaliar se um investimento tem baixa ou alta liquidez, atente-se a alguns pontos: 

  • Carência: é um período pré-estipulado quando o saque não é permitido 
  • Vencimento: é o tempo que o ativo precisa ficar aplicado para ter o rendimento prometido no ato da compra 
  • Prazo de resgate: é o período entre o pedido de resgate e o recebimento do dinheiro 

Por isso, quanto maior forem os prazos, menor a liquidez do investimento. E isso não é necessariamente ruim, já que nestes casos os rendimentos costumam ser maiores. 

Este é um fator importante tanto para quem investe em renda fixa, quanto em renda variável. 

Renda variável 

No caso da renda variável, a liquidez acaba sendo mais baixa. 

Ao se observar as ações da bolsa de valores, você poderá encontrar um pouco de tudo. 

Por um lado, as ações de empresas grandes e conceituadas compõem o Ibovespa e são mais líquidas porque há mais procura por elas. Caso você queira vender uma delas, será mais fácil pedir o resgate, mas o potencial de retorno não é tão alto quanto nos casos a seguir. 

Já no caso das microcaps ou small caps, que são as empresas menores, a liquidez é baixa porque não há grande procura pelas ações. Isso significa que será mais difícil vendê-las, se necessário. 

Renda fixa 

No caso da renda fixa, a aplicação com maior liquidez é a poupança. Mas como já falamos neste texto, ela está longe de ter uma rentabilidade adequada, por isso você deve fugir dela. 

Para quem está construindo uma reserva de emergência, a melhor alternativa dentro da renda fixa é o Tesouro Selic. Caso queira resgatar o dinheiro antes do vencimento, não há descontos. É só pedir o resgate e o dinheiro estará na sua conta em 1 dia útil. 

No caso dos CDBs, existem alternativas também com liquidez diária que podem ser uma opção. Mas atenção: não são todos os CDBs que possuem essa característica, por isso é preciso pesquisar. 

Outra alternativa a avaliar são os fundos de renda fixa. Assim como os CDBs, não são todos os ativos que possuem liquidez diária. Por isso, atente-se à política do fundo para não ter surpresas. E avalie também as taxas abusivas, principalmente nos fundos DI, que podem corroer a sua rentabilidade. 

Fundos de investimento 

Se você quer investir em fundos e não sabe muito bem como pesquisar sobre liquidez, é preciso pesquisar sobre os prazos de cotização e liquidação dos fundos. 

O prazo de cotização é o tempo necessário para transformar as suas cotas em dinheiro. 

O prazo de liquidação, por outro lado, é o prazo para transformar as cotas em dinheiro e a data da disponibilização do dinheiro na sua conta corrente. 

Exemplos de liquidez 

Ainda está em dúvida sobre como interpretar os termos do mercado financeiro e avaliar a rapidez do resgate dos investimentos? 

Separamos abaixo alguns termos para você identificar ao investir: 

D+1 ou Liquidez diária: Dinheiro entrará na conta no próximo dia útil após o pedido de resgate. Exemplo: Tesouro Selic 

D+0 ou Liquidez Imediata: O dinheiro entrará na conta no momento do resgate. Exemplo: conta corrente do banco ou fundos de investimento com esse tipo de liquidez 

Liquidez no vencimento: Somente no vencimento é que o dinheiro será depositado. Exemplo: títulos de renda fixa sem liquidez imediata, como LCI e LCA 

D+30: O pagamento será feito somente após 30 dias da solicitação de resgate. Exemplo: fundos de investimento com esse tipo de liquidez 

Liquidez nula: Não há prazo para o dinheiro entrar na conta. Exemplo: valor da venda de um imóvel, que pode variar dependendo das burocracias 

Onde aplicar o dinheiro? 

Como você percebeu, a liquidez é um fator importante na hora de escolher uma aplicação. 

Antes de escolher o investimento certo para você, faça três perguntas importantes: 

  • Qual é o prazo de vencimento para ter o dinheiro de volta com os juros prometidos? 
  • Existe um prazo de carência para o primeiro saque? 
  • Em quanto tempo o dinheiro cairá na conta quando o saque for pedido? 

Tendo isso em vista, só faça aplicações em produtos com prazos que você sabe que pode esperar. 

Conclusão 

Depois de entender o que é liquidez e como ela é importante na escolha de seus investimentos, agora é hora de colocar em prática. Sempre que for investir, considere os seus planos para curto, médio e longo prazos. 

Faça um planejamento financeiro e organize suas contas para ter uma ideia do quanto poderá investir e quais são os seus objetivos. 

Lembre-se também de considerar o seu perfil de investidor ao escolher a aplicação. 

Veja, por exemplo, se vale a pena abrir mão da possibilidade de resgate rápido em nome de uma rentabilidade maior. 

Caso esteja construindo sua reserva, prefira os investimentos mais líquidos, como Tesouro Selic e CDBs com esse perfil. 

A ideia é que você faça o gerenciamento do seu capital por meio de diversos investimentos, reservando uma parte do dinheiro para títulos de liquidez alta. 

Por isso mesmo, não existe uma única resposta à pergunta ‘Onde aplicar o meu dinheiro?’. 

Tudo vai depender do seu objetivo, prazo e a rentabilidade desejada. Desta forma, considere sempre a liquidez dos investimentos antes de fazer as aplicações. 

Telegram XP

Acesse os conteúdos

Telegram XP

pelo Telegram da XP Investimentos

Avaliação

O quão foi útil este conteúdo pra você?


Receba nosso conteúdo por email

Seja informado em primeira mão, não perca nenhuma novidade e tome as melhores decisões de investimentos

Corretora Home Broker Autorregulação Anbima - Ofertas Públicas Autorregulação Anbima - Private Autorregulação Anbima - Distribuição de Produtos de Investimentos

A XP Investimentos CCTVM S/A, inscrita sob o CNPJ: 02.332.886/0001-04, é uma instituição financeira autorizada a funcionar pelo Banco Central do Brasil.

Toda comunicação através de rede mundial de computadores está sujeita a interrupções ou atrasos, podendo impedir ou prejudicar o envio de ordens ou a recepção de informações atualizadas. A XP Investimentos exime-se de responsabilidade por danos sofridos por seus clientes, por força de falha de serviços disponibilizados por terceiros. A XP Investimentos CCTVM S/A é instituição autorizada a funcionar pelo Banco Central do Brasil.

Certificação B3

BMF&BOVESPA

BSM

CVM

Este site usa cookies e dados pessoais de acordo com os nossos Termos de Uso e Política de Privacidade.