LCI: o que é e como investir em Letras de Crédito Imobiliário

Baixo risco, maior rendimento e economia, possui taxas de aluguel e segurança garantidas pelo Fundo Garantidor de Créditos (FGC). Esse é o caso da Letra de Crédito Imobiliário – mais conhecida no mercado pela sigla LCI . Nas plataformas de investimentos como a XP , você pode encontrar esta alternativa que inclui todos esses componentes, […]


Compartilhar:


Baixo risco, maior rendimento e economia, possui taxas de aluguel e segurança garantidas pelo Fundo Garantidor de Créditos (FGC). Esse é o caso da Letra de Crédito Imobiliário – mais conhecida no mercado pela sigla LCI .

Nas plataformas de investimentos como a XP , você pode encontrar esta alternativa que inclui todos esses componentes, com um atributo extra: a isenção de taxas e a tributação do Imposto de Renda.

A LCI é um instrumento de captação que pode ser emitido por instituições autorizadas pelo Banco Central, com objetivo de financiamento do setor imobiliário.

Os recursos que foram captados são usados ​​para atividades financeiras do setor imobiliário em troca de um imposto de renda anual, que é definido no momento em que a compra é feita.

Como um LCI possui um dado de vencimento permitido, você já investe com uma ideia de quanto seu dinheiro será renderizado.

Neste artigo, aprenda tudo sobre LCI:

O que é a LCI?

A Letra de Crédito Imobiliário (LCI) é um título de crédito de renda fixa que tem como lastro financiamentos imobiliários garantidos por hipoteca ou alienação fiduciária de imóvel.

Este ativo é utilizado como instrumento de captação das instituições financeiras (ex.: banco múltiplo, Caixa Econômica Federal, companhias hipotecárias), sendo estas responsáveis por honrá-los junto aos investidores.

As instituições financeiras possuem carteiras de créditos imobiliários, provenientes, dentre outras fontes, de empréstimos a Pessoas Físicas e Pessoas Jurídicas, que estejam ligadas ao setor imobiliário.

A quantidade emitida, assim como oprazo da LCI, não podem ultrapassar o tamanho do lastro e o vencimento dos direitos creditórios que estarão vinculados ao ativo.

Vale ressaltar que é vedado a utilização do lastro em operações de crédito lançadas contra prejuízo. Os créditos que lastreiam a emissão da LCI incluem:

  • Financiamentos habitacionais contratados no âmbito do Sistema Financeiro de Habitação (SFH), garantidos por hipoteca ou por alienação fiduciária de bens imóveis;
  • Empréstimos a pessoas naturais garantidos por hipoteca ou por alienação fiduciária de bens imóveis residenciais; e
  • Outros empréstimos e financiamentos garantidos por hipoteca ou por alienação fiduciária de bens imóveis.

O ativo deverá ser registrado em sistema de registro e de liquidação financeira de ativos autorizados pelo Banco Central do Brasil.

As principais vantagens do registro oficial são a possibilidade de controlar o volume de títulos emitidos e de facilitar a negociação eletrônica.

As corretoras que contam com o Selo Cetip|Certifica, possuem a garantia para o investidor do registro individualizado, por CPF ou CNPJ, em cada operação realizada.

Como funciona a LCI?

A LCI é um título de renda fixa que vem ganhando popularidade por ser usado por instituições financeiras para atividades do setor imobiliário.

Esses papéis são lastreados por financiamentos de imóveis garantidos por hipotecas ou imóveis sob alienação fiduciária.

Assim como as demais letras de crédito, esta aplicação possui garantia do Fundo Garantidor de Créditos (FGC). Isso significa que, em caso de quebra ou cota do emissor, ou o investidor ainda recebe o valor aplicado com segurança, com limite de até R $ 250 mil por CPF ou CNPJ por instituição, chegando ao teto de R$ 1 milhão em 4 anos . Entretanto, antes de optar por essa alternativa, é necessário levar em consideração alguns pontos.

A LCI é mais indicada para objetivos de médio e longo prazo. A modalidade tem um período de carência – normalmente a partir de 90 dias. Ou seja, não é indicado retirar o valor antes do período contratado.

Por isso, é necessário que o investidor tenha um bom planejamento financeiro para ter certeza de que não precisará desse dinheiro antes do prazo.

Caso seja necessário, você pode procurar os assessores da XP, que podem ajudar com todas as orientações necessárias.

Como escolher e investir em LCI

Para investir em LCI , você precisa ter uma conta em corretoras de valores para fazer as aplicações.

O mais importante, no entanto, é analisar o objetivo do seu investimento. Lembre-se que, por suas características, essa aplicação não é voltada para planos de curto prazo.

Riscos

Independente do perfil do investidor, algo que precisa ser considerado é o risco que ele oferece.

As Letras de Crédito Imobiliário já são usadas como uma aplicação de baixo risco, mas isso não significa que não é possível reduzir ou controlar ainda mais os fatores externos para as pessoas mais conservadoras.

Uma outra forma de obter o risco de investimento é optar por uma LCI aplicada por instituições financeiras com alto rating, que é uma escala de classificação com qualidade de crédito. Quanto menor for a nota, maior é o risco que o investidor terá.

Prazo de resgate de LCI

O prazo para o resgate pode variar de acordo com cada instituição financeira. O mais comum, porém, é o valor não disponível para retirada do primeiro dia útil contratado até 90 dias de carência.

Depois desse período, o investidor pode solicitar a retirada de dinheiro investido. Os ganhos acumulados ou reinvestir o valor em um título semelhante.

Como a antecipação da retirada não costuma ser vantajosa para o investidor, o ideal é optar por esse tipo de título somente se o seu objetivo de retirada realmente for de médio ou longo prazo.

Liquidez

Após o prazo mínimo de carência, o investimento passa a ter liquidez diária. Na prática, para não ter surpresas no valor das permissões, é recomendado que o investidor mantenha os ativos até os dados de vencimento contratados.

Quais são os tipos de LCI?

A LCI  é oferecida em duas categorias: no prefixado, a taxa é fixa. Isso significa que o investidor sabe o valor exato do rendimento até os dados de vencimento do contrato.

Já o LCI pós-fixado cobra um taxa de rendimento atrelada a um indexador, como o Certificado de Depósito Interbancário (CDI) ou o Índice de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA).

Custos e os tributos para investir em LCI

Imposto de Renda

Os rendimentos realizados por pessoa física são isentos de Imposto de Renda.

Para pessoa jurídica, os rendimentos seguem a tabela regressiva:

  • 22,5% até 180 dias corridos;
  • 20,0% entre 181 e 360 dias corridos
  • 17,5% entre 361 e 720 dias corridos;
  • 15,0% após 721 dias corridos.

Por exemplo, um investimento em LCI  com 100% do CDI tem uma rentabilidade líquida maior do que um investimento com CDB de 100% do CDI, já que o CDB sofre uma cobrança de imposto de renda.

Como os títulos utilizados no setor imobiliário nacional, o próprio governo isenta os impostos como uma maneira de promover e tornar a aplicação mais atrativa para os investidores.

Imposto sobre Operações Financeiras (IOF)

A alíquota aplicável a aplicações em Renda Fixa, sejam elas realizadas por Pessoa Física ou Pessoa Jurídica, com prazo inferior a 30 dias, é de 1% ao dia, limitado ao rendimento oriundo da operação, em função do prazo, conforme tabela a seguir:

Rentabilidade

Os rendimentos da LCI são definidos com base nas duas modalidades de investimento: a prefixada e a pós-fixada.

No caso da taxa prefixada, o título garante rendimentos fixos. Como no ato do investimento a taxa já está estabelecida, o investidor saberá exatamente qual será o valor total resgatado no dia do vencimento da LCI.

Quando a taxa é pós-fixada, a remuneração fica associada a um indexador, como o CDI ou o IPCA, por exemplo. Nesse caso, o emissor paga um determinado percentual sob o indexador definido no momento da contratação.

Em resumo, as formas mais usuais de remuneração das LCIs são:

  • % do CDI, preferível em tendência de aumento de juros;
  • CDI + spread, preferível em tendência de queda de juros;
  • Índices de preços (ex: IPCA), preferível a investidores de longo prazo, que buscam preservação de patrimônio;
  • Taxa prefixada; preferível após ciclo de alta de juros. Neste tipo de título, o investidor sabe a rentabilidade na hora da aplicação, sendo determinado o quanto receberá no vencimento.

Garantias

As LCIs contam com a garantia do Fundo Garantidor de Créditos (FGC), até o limite de R$250 mil por CPF ou CNPJ por conjunto de depósitos e investimentos em cada instituição ou conglomerado financeiro, limitado ao teto de R$ 1 milhão, a cada período de 4 anos, para garantias pagas para cada CPF ou CNPJ.

No caso de quebra da instituição financeira, o FGC cobre é de até R$ 250 mil por empresa pela CPF, com teto de R$ 1 milhão pelo período de 4 anos.

Conclusão

A LCI é uma categoria de investimento vinculada ao setor imobiliário e que pode ser muito vantajosa para o investidor que tem um perfil mais conservador e que não tem a intenção de recuperar o valor em poucos meses.

Se esses dois fatores estão de acordo com sua expectativa, o título pode ser mais atraente pela isenção de impostos. Isso significa que você não paga nada e ainda recebe mais dinheiro na conta.

Vale lembrar que a plataforma da XP permite que você faça diferentes simulações de cenários e com diferentes produtos para garantir uma melhor rentabilidade para seu investimento, inclusive uma escolha para LCI.

Quer mais dicas para investir seu dinheiro? Conheça o curso “Primeiros Passos no Mundos dos Investimentos” e descubra como fazer seu dinheiro render mais por meio de produtos de renda fixa, fundos de investimentos, fundos imobiliários e ações.

Telegram XP

Acesse os conteúdos

Telegram XP

pelo Telegram da XP Investimentos

Avaliação

O quão foi útil este conteúdo pra você?


Receba nosso conteúdo por email

Seja informado em primeira mão, não perca nenhuma novidade e tome as melhores decisões de investimentos

Corretora Home Broker Autorregulação Anbima - Ofertas Públicas Autorregulação Anbima - Private Autorregulação Anbima - Distribuição de Produtos de Investimentos

A XP Investimentos CCTVM S/A, inscrita sob o CNPJ: 02.332.886/0001-04, é uma instituição financeira autorizada a funcionar pelo Banco Central do Brasil.

Toda comunicação através de rede mundial de computadores está sujeita a interrupções ou atrasos, podendo impedir ou prejudicar o envio de ordens ou a recepção de informações atualizadas. A XP Investimentos exime-se de responsabilidade por danos sofridos por seus clientes, por força de falha de serviços disponibilizados por terceiros. A XP Investimentos CCTVM S/A é instituição autorizada a funcionar pelo Banco Central do Brasil.

Certificação B3

BMF&BOVESPA

BSM

CVM

Este site usa cookies e dados pessoais de acordo com os nossos Termos de Uso e Política de Privacidade.