Renda Variável: o que é e como investir

Na renda variável você não consegue saber quanto seu dinheiro aplicado irá render. Confira como ela funciona, como investir e se é indicada para você.


Compartilhar:

  • Compartilhar no Facebook
  • Compartilhar no Twitter
  • Compartilhar no Whatsapp
  • Compartilhar no LinkedIn
  • Compartilhar via E-mail

Renda Variável: o que é e como investir

Você já ouviu falar em renda variável? Se você investe seu dinheiro ou quer investir, provavelmente já. É um dos tipos de investimento que existem no mercado financeiro.

Na renda variável você não consegue saber quanto seu dinheiro aplicado irá render. Por isso, é preciso cautela e planejamento ao escolher este tipo de investimento.

Como todo investimento que escolher, é importante que esteja de acordo com os seus objetivos e perfil de investidor. Se você é um investidor conservador, a renda variável pode ser uma escolha ruim. Mas se for um investidor agressivo pode ser a escolha ideal.

O que é renda variável?

É um tipo de investimento. E, no mundo das finanças, investimento é quando você aplica o dinheiro esperando ganhos futuros. Por exemplo, você aplica X reais e, em Y anos, espera resgatar X+200 reais.

A renda variável é o tipo de investimento no qual você, no momento da aplicação, não consegue ter previsibilidade em relação a quanto o dinheiro vai render. Ou seja, você não consegue saber quanto será esse “X+tantos reais”.

Portanto, a rentabilidade em renda variável pode ser maior do que você esperava, superando suas expectativas. Mas também pode ser menor do que você esperava, podendo causar uma frustração. Nesse tipo de investimento, você nunca saberá antecipadamente o quanto o dinheiro irá render.

Na renda variável, os ativos são extremamente voláteis. Eles são sensíveis a influências do mercado, por questões políticas, questões da macro economia… ou seja, eles são influenciados por diferentes fatores que alteram diretamente a rentabilidade.

E como esses fatores estão mudando constantemente, a rentabilidade da renda variável também está.

O que é um Ativo de Renda Variável?

Investir em um ativo de renda variável é, justamente, investir em algum ativo que você não saberá o quanto irá render.

O mais comum é a ação. Nesse investimento, você compra um ativo, via Home Broker, emitido por empresas que precisam captar recursos. Com isso, você se torna sócio da empresa, já que irá possuir uma parte dela.

Portanto, ao investir em ações você apostará no sucesso de determinada empresa. Se ela tiver um bom desempenho, provavelmente será mais valorizada na Bolsa de Valores e o preço de suas ações irá subir. Mas se ela, por exemplo, se envolver em algum escândalo fiscal, você pode assistir o preço de suas ações despencar.

Então, se você quer investir em ações, é importante estudar sobre as empresas e o seu histórico até aqui. Escolha empresas nas quais você realmente acredita.

Mas não existem apenas ações quando se trata de renda variável. Confira alguns ativos:

Descubra como pessoas comuns estão dominando o mundo dos investimentos
Inscreva-se na maratona Investir Transforma!

Por que investir em renda variável?

Se a renda variável não te dá previsibilidade de quanto o seu dinheiro irá render, ou seja, já que apresenta alto risco, você deve ter pensado: mas então por que investir em renda variável?

No mundo dos investimentos, em geral, quanto maior o risco maior a possibilidade de ganhos – principalmente quando o tempo é levado em consideração.

Ou seja, se você se arriscar na renda variável pode ser que perca o dinheiro investido. Mas a possibilidade de ganhos, em geral, é bem maior quando comparada a investimentos de renda fixa, ou seja, as quais você sabe aproximadamente quanto o dinheiro irá render e em quanto tempo.

Portanto, é uma alternativa para ter a possibilidade de maior rentabilidade.

Para quem é a renda variável?

Mas vale lembrar que investir em renda variável não é aconselhado para todos.

Antes de escolher onde investir, é preciso conhecer o seu perfil de investidor, ou o suitability. Existem três perfis: o conservador, moderado e o agressivo. Eles são classificados de acordo com a tolerância ao risco. Quanto mais conservador, menos tolerante. E quanto mais agressivo, mais tolerante.

Investimentos de renda variável são recomendados para o investidor de moderado para agressivo, dependendo dos objetivos de investimento e, com mais certeza, para o investidor agressivo.

Isso pois esse tipo de investidor tem mais aptidão ao risco. Se ele investir R$ 100 em ações, e no mês seguinte perder os mesmos R$ 100, saberá lidar melhor do que um investidor mais conservador, que presa pela segurança.

Ou seja, o investidor agressivo, abre mão da segurança pela possibilidade maior de rentabilidade. Mas ela não é garantida: e em ocasiões de perda, ele vai saber se controlar e planejar o próximo passo.

Portanto, responda à pergunta: quão disposto você está a assumir riscos? Se a resposta for “estou muito disposto”, a renda variável é para você! Mas se você prefere uma rentabilidade mais estável, pode escolher boas alternativas na renda fixa.

O importante é investir de acordo com seus objetivos e aptidão ao risco.

Vantagens e desvantagens da renda variável

Uma das maiores vantagens desse tipo de investimento é a possibilidade de alta rentabilidade em um curto período.

Além disso, você pode ganhar com recebimento de proventos. Em diferentes ativos de renda variável, você ganha de duas maneiras: com a rentabilidade do ativo em si e com o pagamento de proventos, que podem ser em forma de:

  • Dividendos
  • Bonificação
  • Juros sobre o capital próprio
  • Outros.

Por exemplo, se você escolher ações de empresas que pagam bons dividendos – ou seja, que dividem uma parte do lucro com os acionistas, você poderá ter uma renda garantida. Mesmo se as ações não se valorizarem tanto, terá o pagamento dos dividendos.

Em relação as desvantagens, é importante destacar o alto risco por conta da volatilidade no curto prazo. Ou seja, você pode rapidamente perder o dinheiro que investiu. E, se não tiver paciência no tempo, pode sair perdendo dinheiro.

Por isso, é importante estudar os ativos antes de investir neles. Além disso, não aposte todo o dinheiro em apenas um tipo de ativo de renda variável. É importante ter em mente que diversificar a carteira deve fazer parte dos seus planos.

Principais ativos de renda variável

Já falamos de ações, que é o tipo mais conhecido. Mas existem outras possibilidades de renda variável. Conheça mais algumas delas:

Opção

Opções são contratos onde o investidor tem o direito de comprar ou vender um lote de ações por um preço fixado em um determinado momento.

Pode-se traçar o paralelo de um seguro de carro: quando contratado, você garante o direito de vender o carro por um preço fixado. Mesmo se ele passar por um acidente que o desvalorize.

Ou seja, no mercado de opções são negociados o direito de compra e venda das ações, com preços e prazo pré-fixados. Mas não a obrigação, apenas o direito de compra e venda.

Contrato Futuro

O contrato futuro é um investimento onde ocorre um acordo de compra e venda em uma data no futuro, por isso o nome. Ou seja, a cotação deriva de outro ativo.

É possível lucrar tanto com a valorização do ativo quanto na queda, a depender se você comprou ou vendeu o ativo.

E tanto o vendedor quanto o comprador se comprometem com a negociação. Seja de ativos financeiros ou de bens tangíveis (como gado e milho, por exemplo).

Cambio

O mercado de câmbio envolve as negociações referente à troca de moedas de diferentes nações. Por exemplo, se você acredita que o valor do dólar em relação ao real vai subir nos próximos meses, pode investir em comprar dólares hoje para vender por um preço maior no futuro.

Ou seja, você investe na diferença cambial entre duas moedas.

Como não é possível saber a cotação das moedas, principalmente em um cenário futuro, investir em câmbio é um investimento de renda variável. E, portanto, o risco é alto.

Derivativos

Derivativos é um tipo de investimento que deriva a maior parte de seu valor de um outro ativo, taxa de referência ou índice. Por exemplo, o valor pode derivar de ações, do ouro ou da taxa de juros.

Esse outro ativo subjacente pode ser tanto físico, como ouro, café, milho, soja; quanto financeiro, como ações, taxa de juros, inflação, etc. E ele pode ser negociado à vista ou no mercado futuro.

Geralmente, são negociados em um padrão: o contrato é previamente especificado em relação a quantidade, qualidade, prazo de liquidação e outros fatores sobre a negociação.

Vale a pena investir em renda variável?

Como para muitas perguntas se tratando de investimentos, a resposta é: depende.

A renda variável, como mostramos, pode ser uma boa opção para conseguir alta rentabilidade em um espaço de tempo não tão longo. O mercado é dinâmico, e os investimentos de renda variável podem ter oscilações imprevisíveis.

E essas oscilações podem ser tanto positivas para o investidor, quanto negativas. Por isso, é sempre bom ter em mente que renda variável implica riscos altos.

Mas, para além do curto prazo, a renda variável pode ser também uma boa alternativa para investimentos no médio e longo prazo. Se você tiver paciência, pode obter bons lucros com esses ativos.

Além disso, vale lembrar que nos últimos anos a queda de juros vem caindo no Brasil. Isso significa que os ativos de renda fixa estão se tornando menos atrativos. E aí, investir na renda variável pode valer bastante a pena.

Como investir em renda variável?

Se você quer investir em renda variável, precisa escolher ativos que façam sentido com o seu objetivo. O primeiro passo é definir seu objetivo com o investimento. E, de acordo com seu perfil de investidor, escolher os que mais fazem sentido para você.

Tenha sempre em mente que, principalmente em renda variável, é muito importante diversificar a carteira. Ou seja, não alocar todo o capital em um mesmo ativo. Como ele pode oscilar muito, você corre o risco de perder todo o dinheiro investido.

Diversificando a carteira, as chances de uma grande perda são menores. Além disso, você não fica dependente de apenas um ativo.

Após estudar, analisar e escolher os ativos, você provavelmente vai precisar abrir conta em uma corretora, como a XP Investimentos. É via sua conta que você conseguirá aplicar o dinheiro.

Por fim, lembre-se sempre de acompanhar seus investimentos e o movimento do mercado. Diversos fatores podem influenciar na rentabilidade dos ativos desse tipo. Portanto, fique sempre de olho nas notícias e no cenário econômico do Brasil e do mundo.

Se você quiser saber mais sobre o tema, confira nosso post sobre a diferença de renda fixa X renda variável.



Avaliação

O quão foi útil este conteúdo pra você?


Newsletter
Newsletter

Gostaria de receber nossos conteúdos por e-mail?

Cadastre-se e receba grátis nossos relatórios e recomendações de investimentos

Telegram
Telegram XP

Acesse os conteúdos

Telegram XP

pelo Telegram da XP Investimentos

BM&F Bovespa Autorregulação Anbima - Gestão de patrimônio Autorregulação Anbima - Gestão de recursos Autorregulação Anbima - Private Autorregulação Anbima - Distribuição de Produtos de Investimentos

A XP Investimentos CCTVM S/A, inscrita sob o CNPJ: 02.332.886/0001-04, é uma instituição financeira autorizada a funcionar pelo Banco Central do Brasil.

Toda comunicação através de rede mundial de computadores está sujeita a interrupções ou atrasos, podendo impedir ou prejudicar o envio de ordens ou a recepção de informações atualizadas. A XP Investimentos exime-se de responsabilidade por danos sofridos por seus clientes, por força de falha de serviços disponibilizados por terceiros. A XP Investimentos CCTVM S/A é instituição autorizada a funcionar pelo Banco Central do Brasil.

B3 Certifica B3 Agro Broker B3 Execution Broker B3 Retail Broker B3 Nonresident Investor Broker

BMF&BOVESPA

BSM

CVM

Este site usa cookies e dados pessoais de acordo com a nossa Política de Cookies (gerencie suas preferências de cookies) e a nossa Política de Privacidade.