XP Expert

Bolsas em queda hoje após dados fracos na China

Dados econômicos da China e commodities agrícolas são alguns dos temas de maior destaque nesta segunda-feira, 16/05/2022

Compartilhar:

  • Compartilhar no Facebook
  • Compartilhar no Twitter
  • Compartilhar no Whatsapp
  • Compartilhar no LinkedIn
  • Compartilhar via E-mail
Clique para ouvir

IBOVESPA +1,2% | 106.924 Pontos

CÂMBIO -1,4% | 5,06/USD

O que pode impactar o mercado hoje

Destaques da semana

Dados econômicos fracos da China estão levando a ações, e commodities metálicas e de energia para baixo esta manhã. A desaceleração substancial demonstra os danos das políticas de controle de pandemia da China. Por outro lado, as commodities agrícolas estão em alta expressiva hoje devido à dificuldades de produção de fertilizantes e grãos na Ucrânia, e à proibição de exportações de trigo na Índia.

No restante da semana, o destaque da agenda será a atividade econômica dos EUA em abril, com a divulgação das vendas no varejo e a produção industrial. Além disso, o mercado também fica atento aos discursos de dirigentes do Federal Reserve. No Brasil, a equipe do Banco Central continua em greve, então nenhum indicador econômico do Banco Central – como a pesquisa de projeções Focus e indicadores de balanço de pagamentos – será divulgado nesta semana.

Resumo da semana anterior

Em semana marcada por dados de inflação no Brasil e nos EUA, e muita volatilidade nos mercados globais, o Ibovespa encerrou em alta de +1,7% aos 107 mil pontos. Lá fora, os índices fecharam mais uma semana em território negativo, mesmo após uma forte recuperação na sexta-feira. O Dólar fechou a semana com queda de -0,36% em relação ao Real, em R$ 5,06/US$.

Clique aqui para acessar o resumo da semana anterior.

Mercados hoje

Os mercados globais amanhecem negativos (EUA -0,4% e Europa -0,2%) após dados fracos da China revelarem como os bloqueios para conter a Covid-19 pesaram na segunda maior economia do mundo, aumentando as preocupações dos investidores em relação ao crescimento econômico global. Nos EUA, a temporada de resultados segue com grandes varejistas nesta semana, como Walmart, Home Depot, Lowe’s, Target e Ross. Na Europa, o foco ficará por conta das tensões geopolíticas locais à medida que a Finlândia confirmou sua candidatura para entrada na Otan. Serguei Riabkov, ministro das Relações Exteriores da Rússia, afirmou que o nível de tensão entre a Rússia e o ocidente aumentará caso a nova adesão ocorra. Na China (-0,8%) o mercado encerra em baixa, reverberando os dados econômicos negativos.

Dados econômicos da China desapontam

Os dados de atividade na China ficaram muito abaixo das expectativas, revelando que a economia está pagando o preço pela política Zero-Covid. A produção industrial caiu 2,9% ano a ano, enquanto economistas consultados pela Bloomberg esperavam um leve aumento de 0,5%. As vendas no varejo caíram 11,1% (-6,6% esperado). A desaceleração foi especialmente aguda no setor imobiliário: as vendas caíram 39% em volume e 47% em valor. A desaceleração substancial demonstra os danos das políticas de controle de pandemia da China. Como medidas de estímulo, o PBoC cortou as taxas hipotecárias para auxiliar o mercado imobiliário, mas mantiveram a taxa de referência de 1 ano estável em 2,85%. Esses números fracos na China estão levando as ações, e as commodities metálicas e de energia para baixo esta manhã.

Commodities agrícolas pressionadas

As commodities agrícolas estão subindo hoje devido às notícias da Ucrânia e da Índia. A guerra persistente na Ucrânia está afetando a capacidade do país de exportar fertilizantes e manter a plenitude de sua produção de grãos. Na Índia, o governo proibiu as exportações de trigo para manter o mercado interno abastecido. Os preços do milho estão 2% acima hoje, enquanto os preços do trigo saltam 4%.

Temporada de resultados do 1º trimestre

Por fim, a temporada de balanços das empresas continua. 88% das empresas do Ibovespa já reportaram seus resultados e, até agora, vemos os resultados como sólidos, já sendo uma temporada melhor que a anterior. 62% das empresas reportaram Lucros Operacionais (EBITDA) acima do que esperávamos, 8% foram em linha, e os 31% restantes abaixo do que esperávamos. Quanto à receita, 40% das empresas superaram nossas expectativas, 17% foram em linha e 42% vieram abaixo. Clique aqui para acessar o relatório completo.

Veja todos os detalhes

Agenda de resultados

AgroGalaxy (AGXY3): Após o fechamento
Hidrovias do Brasil (HBSA3):
Após o fechamento
Equatorial (EQTL3): Após o fechamento
Magazine Luiza (MGLU3): Após o fechamento
Oncoclínica (ONCO3): Após o fechamento
Desktop (DESK3): Após o fechamento
Boa Safra (SOJA3): Após o fechamento
Orizon (ORVR3): Após o fechamento
Ambipar (AMBP3): Antes da abertura

Calendário do 1T22
Temporada de resultados do 1º trimestre 2022 – o que esperar?

Economia

Lockdowns atingem atividade econômica na China

  • Os dados de atividade na China ficaram muito abaixo das expectativas, revelando que a economia está pagando o preço pela política Zero-Covid. A produção industrial caiu 2,9% ano a ano, enquanto economistas consultados pela Bloomberg esperavam um leve aumento de 0,5%. As vendas no varejo caíram 11,1% (-6,6% esperado). A desaceleração foi especialmente aguda no setor imobiliário: as vendas caíram 39% em volume e 47% em valor. A desaceleração substancial demonstra os danos das políticas de controle de pandemia da China. No fim de semana, as autoridades chinesas anunciaram um corte de 20 pb no limite inferior das taxas de hipoteca para compradores de primeira casa para ajudar a sustentar o mercado imobiliário. O Banco Central manteve a linha de crédito de médio prazo de 1 ano constante em 2,85%, mas provavelmente reduzirá a taxa básica de empréstimo de referência na quinta-feira. Números fracos na China estão levando as ações e as commodities metálicas e de energia para baixo esta manhã;
  • O governo chinês indicou a intenção de aliviar as restrições de bloqueio anti-Covid em 20 de maio. O plano é reabrir as lojas físicas em fases, depois que Xangai não relatou novos casos de Covid fora da quarentena;
  • As commodities agrícolas estão subindo hoje devido às notícias da Ucrânia e da Índia. A guerra persistente na Ucrânia está afetando a capacidade do país de exportar fertilizantes e manter a plenitude de sua produção de grãos. Na Índia, o governo proibiu as exportações de trigo para manter o mercado interno abastecido. Os preços do milho estão 2% acima hoje, enquanto os preços do trigo saltam 4%;
  • No Brasil, sem notícias econômicas relevantes hoje. A equipe do Banco Central continua em greve, então nenhum indicador econômico do Banco Central – como a pesquisa de projeções Focus e indicadores de balanço de pagamentos – será divulgado nesta semana.

Empresas

Raízen (RAIZ4): resultados abaixo das nossas estimativas no 4T22 (ano-fiscal 1T22), mas mantemos otimismo

  • A Raízen apresentou resultados fracos no 4T22 (FY1T22). Marketing & Serviços está se recuperando gradualmente e EBITDA ajustado ficou em linha com nossas estimativas, enquanto Açúcar e Renováveis ​​foram afetados negativamente por pressões de custos e os resultados ficaram abaixo de nossas projeções, embora os números do 4T sejam mais voláteis por não haver produção;
  • No total, a empresa registrou receita líquida de R$ 53,4 bilhões (+58% A/A e +19% vs. XPe), com margem bruta de 5,0% (-230bps A/A e -190bps vs. XPe), impactada negativamente pelas pressões de custos. As despesas com SG&A também nos surpreenderam negativamente pelo efeito da inflação, e EBIT ajustado e EBITDA ajustado foram de R$ 748 milhões (-49% A/A e -60% vs. XPe) e R$ 1,7 bilhão (-15% A/A e -33% vs. XPe), respectivamente;
  • No entanto, continuamos confiantes nas perspectivas de longo prazo da empresa e é nossa opinião que a Raízen é a empresa mais preparada e impactada positivamente com a contínua mudança mundial de fontes de energia. Portanto, reiteramos nossa recomendação de Compra em RAIZ4 e nosso preço-alvo de R$ 9,6/ação;
  • Clique aqui para acessar o relatório completo.

Cemig (CMIG4): Resultados neutros no 1T22

  • Os resultados da Cemig no 1T22 ficaram em linha com nossas estimativas em função de:
    • (i) uma estratégia bem-sucedida de alocação de energia que resultou em maior margem na Cemig GT;
    • (ii) OPEX e EBITDA superiores aos parâmetros regulatórios na Cemig D; e
    • (iii) queda de -21,6% no volume médio diário de gás vendido pela Gasmig, impactado pelo menor despacho das térmicas.
  • Destaques Financeiros: a Cemig reportou um EBITDA Ajustado de R$ 1.916 milhões no 1T22, em linha com nossa estimativa de R$ 1.785 milhões (+7%). O Lucro Líquido foi de R$ 1.456 milhões, superando nossa estimativa de R$ 1.111 milhões;
  • Mantemos nossa recomendação Neutra, com preço-alvo de 12 meses de R$ 13/ação;
  • Acesse o relatório completo aqui.

Auren (AURE3): Resultados sólidos no 1T22, destaque para geração hídrica e eólica

  • Desempenho financeiro. O EBITDA ajustado atingiu R$ 340 milhões, em linha com nossas estimativas de R$ 337 milhões e abaixo do valor pro-forma do 1T21. A fonte hídrica gerou um impacto positivo de R$ 39 milhões no EBTIDA ajustado devido ao melhor GSF, que foi parcialmente compensado por maiores preços de energia, foram adquiridos 191 MWm de energia (versus 361MWm no 1T21) ao preço de R$ 315/MWh ( versus R$ 208/MWh no 1T21). A Trading teve uma contribuição negativa de R$ 30 milhões pelo mesmo motivo – vemos o braço de Trading da Auren como um instrumento de hedge; assim, esse movimento foi antecipado. Os custos de holding aumentaram R$ 32 milhões devido à reorganização – esperamos que isso não seja recorrente nos próximos trimestres;
  • Atualização sobre eventos recentes. O parques Eólicos Ventos do Piauí II e III iniciaram os testes operacionais dos primeiros aerogeradores, o que nos faz acreditar no cumprimento do cronograma original de construção. A Vivest deve começar a migrar os beneficiários que aderiram ao plano até 1º de julho de 2022 (~17,6% do passivo atuarial total, totalizando R$ 1,4 bilhão de RMI. A dívida líquida ficou em 1,5x, considerando a capitalização de R$ 1,5 bilhão do CPPIB. Além disso, Auren anunciou dividendos de R$ 100 milhões ou R$ 0,10 por ação;
  • Temos uma avaliação positiva dos resultados da Auren no 1T22 e mantemos nossa recomendação de Compra para Auren, com preço-alvo de R$21/ação;
  • Acesse o relatório completo aqui.

Cyrela (CYRE3) – Resultados do 1T22: Neutros, majoritariamente em linha com nossas estimativas

  • A Cyrela apresentou resultados neutros e praticamente em linha com nossas estimativas no 1T22. Do lado positivo, a receita líquida foi de R$ 1,23 bilhão (+22,7% A/A e -6,5% T/T), acima de nossas estimativas de R$ 1,1 bilhão. Além disso, a receita foi positivamente impactada pelo maior andamento da construção das unidades já vendidas, impulsionando o reconhecimento de receita no trimestre (POC);
  • No entanto, a Cyrela apresentou margem bruta abaixo do esperado em 31,1% (-1,7 p.p. vs. XPe e -2,3 p.p. T/T), prejudicada por (i) projeto Wave by Yoo, devido aos níveis de permuta mais elevados, levando a uma queda de -1,2 p.p. na margem bruta da Cyrela, o que vemos como um evento não recorrente; e (ii) pressão inflacionária dos custos de construção. Ainda assim, a margem backlog da empresa permaneceu estável em 36,5% (-0,5 p.p. vs. 4T21);
  • Assim, o lucro líquido foi de R$ 162 milhões (-15,9% A/A e -25,6% T/T), ligeiramente abaixo de nossas estimativas de R$ 172 milhões, prejudicado pela compressão da margem bruta. Como resultado, o ROE caiu para 14,7% (-0,9 p.p. T/T). Além disso, a Cyrela reportou uma queima de caixa de R$ 53 milhões vs. uma geração de caixa de R$ 100 milhões no 4T21, levando a um aumento da alavancagem (dívida líquida/patrimônio líquido) para 4,8% vs. 4,1% no 4T21, embora ainda vejamos estes níveis como saudáveis;
  • Dessa forma, não esperamos grandes reações do mercado para CYRE3;
  • Clique aqui para acessar o relatório.

Kora Saúde (KRSA3) – 1T22: Focando no crescimento

  • A Kora Saúde apresentou resultados positivos no 1T22, com lucro líquido ajustado de R$47M;
    • A receita líquida aumentou 121% A/A devido à sua agressiva estratégia de consolidação;
    • A margem EBITDA caiu 3,8 p.p. A/A dado que os ativos adquiridos ainda estão sendo integrados;
    • O resultado foi pressionado por despesas financeiras líquidas de R$47M devido à alta alavancagem.
  • Reiteramos a nossa visão positiva sobre o papel com base nas perspectivas de crescimento e rentabilidade da empresa;
  • Acesse o relatório aqui.

Allied (ALLD3): Resultados do 1T22; Receita líquida Crescendo e Margens Pressionadas

  • A Allied reportou resultados ligeiramente negativos no primeiro trimestre, com um EBITDA ajustado de R$ 76 milhões, queda de -10% A/A. A empresa apresentou receita líquida de R$ 1,3 bilhão (+9% A/A), favorecida por preços médios mais altos devido ao melhor mix de produtos, bem como vendas de B&M mais fortes à medida que o fluxo dos shoppings volta aos níveis normais;
  • Por outro lado, os níveis de rentabilidade caíram, com margens caindo 2,0pp A/A, refletindo um cenário mais competitivo e maiores despesas com comissões de parceiros de e-commerce;
  • Por fim, mantemos cautelosos, mas com uma visão construtiva da Allied e suas perspectivas de crescimento;
  • Clique aqui para acessar o relatório completo.

G2D (G2DI33): Resultados neutros no 1T22, refletindo pequenos ajustes

  • A G2D reportou resultados neutros no 1T22, uma vez que houve pequenos impactos nos eventos anunciados neste trimestre;
  • O Valor Patrimonial Líquido (NAV) total atingiu R$ 1.014,3 milhões no 1T22 e o NAV Justo R$ 1.003,5 milhões. A queda do NAV no trimestre deve-se basicamente à valorização do real frente ao dólar, além de outros pequenos ajustes;
  • Portanto, estamos ajustando nosso preço-alvo para refletir o NAV, alterando o preço-alvo para R$ 9,5/ação (de 11,0/ação);
  • Clique aqui para acessar o relatório.

Principais notícias dos setores

Nestas publicações diárias, trazemos as principais notícias nacionais e internacionais dos setores: Financeiro, Varejo (e-commerce, supermercados, lojas de roupa, farmácias, etc.), Agro, Alimentos e Bebidas e Energia (óleo & gás e elétricas).

  • Notícias Diárias do Setor Financeiro
    • BMP faz intermediação de R$ 10 bi em crédito (Valor);
    • Com fintechs, número de instituições cresce no país (Valor);
    • Clique aqui para acessar o relatório completo.
  • Entrega XP: Notícias diárias do setor de varejo
    • Empresas tentam fusões após IPOs e queda em suas ações. (Valor);
    • Moda dá sinais de retomada, mas há descompasso entre varejo e indústria. (Valor);
    • Clique aqui para acessar o relatório.
  • Agro, Alimentos & Bebidas: confira as principais notícias
    • CBios já fazem a diferença na vantagem do etanol sobre o açúcar (Valor);
    • Trigo sobe em risco de inflação de alimentos à medida que a Índia restringe exportações (Bloomberg);
    • Coluna: Fundos esperam soja considerável, venda de farelo de soja antes dos dados do USDA (Reuters);
    • Clique aqui para acessar o relatório completo.
  • Radar Energia XP: Notícias diárias do setor de energia
    • Bolsonaro diz que Sachsida tem carta branca para definir futuro do presidente da Petrobras. (Valor Econômico);
    • Carga de energia deve ter queda de 0,2% em maio, aponta ONS. (Valor Econômico);
    • Petróleo fecha em alta em dia de dólar fraco no exterior e ante preocupação com oferta. (Valor Econômico);
    • Clique aqui para acessar o relatório.

Mercados

Resumo dos resultados do 1º tri de 2022: 62% dos resultados acima das nossas expectativas

  • A divulgação dos resultados do 1° trimestre de 2022 (1T22) das empresas listadas na Bolsa começou no dia 20 de abril e 88% das empresas do Ibovespa já reportaram seus resultados;
  • Nesse último trimestre, o Brasil se destacou como a melhor bolsa dentre as principais do mundo. Apesar das preocupações quanto ao conflito entre Rússia e Ucrânia, riscos de uma política monetária mais apertada em meio a disparada de preços de commodities de energia e de alimentos, o mercado brasileiro tem ido na contramão de 2021, quando o Ibovespa terminou como uma das piores bolsas do mundo;
  • Em 2022, o Brasil tem se beneficiado de uma combinação de: 1) rotação global de ações de crescimento para ações de valor; 2) uma forte exposição do país a commodities e bancos; 3) valuation ainda muito atrativos apesar do rali recente; 4) fluxos de outros Mercados Emergentes para o Brasil; 5) por fim, o país, está chegando ao fim de seu ciclo de alta de juros, enquanto o Fed e outros bancos centrais de mercados desenvolvidos estão apenas começando subir os juros;
  • Até agora, vemos os resultados do primeiro trimestre como sólidos, já sendo uma temporada melhor que a anterior. 62% das empresas reportaram Lucros Operacionais (EBITDA) acima do que esperávamos, 8% foram em linha, e os 31% restantes abaixo do que esperávamos. Quanto à receita, 40% das empresas superaram nossas expectativas, 17% foram em linha e 42% vieram abaixo;
  • Quanto aos setores, até agora, empresas de Papel e Celulose, Educação e Small Caps reportaram EBITDA acima das nossas expectativas. De destaques negativos, tivemos BRF (BRFS3) no setor de Agro, Alimentos e Bebidas, com resultado muito abaixo do esperado;
  • Clique aqui para acessar o relatório completo.

Radar Global: Análises das principais empresas e tendências sob o nosso Radar | Samsung discute aumento do preço de chips em até 20%

  • Renault se prepara para dividir os negócios de veículos elétricos e combustíveis fósseis;
  • Holcim vende sua participação na Índia seguindo a estratégia de centralização regional;
  • Samsung pretende aumentar o preço de seus chips em até 20%;
  • Maiores quedas do S&P 500 são provenientes das ações de tecnologia;
  • Acesse aqui o relatório internacional.

Alocação & Fundos

Principais notícias

  • Fundos Imobiliários (FIIs): confira as principais notícias
    • Pessoa física domina investimentos em Fiagro e ETF de criptoativos (Valor);
    • Fundos para investir no agro atraem 50 mil pessoas em 6 meses (Folha);
    • Vendas dos shoppings crescem 28% no Dia das Mães e reforçam expectativa de retomada dos FIIs do segmento (InfoMoney);
    • Clique aqui para acessar o relatório completo.

ESG

Cbios já têm peso relevante na remuneração das usinas de etanol | Café com ESG, 16/05

  • O mercado fechou o pregão de sexta-feira em território positivo, com o Ibov e o ISE em alta de +1,2% e +2,0%, respectivamente. Na semana, o ISE avançou +2,4%, enquanto o Ibov fechou em alta de +1,7%;
  • No Brasil, os Créditos de Descarbonização (CBios), vendidos por produtores de biocombustíveis no Brasil, já têm um peso relevante na remuneração que o etanol está oferecendo às usinas, na comparação com os ganhos que elas podem ter com a venda de açúcar – os preços médios dos CBios voltaram a ultrapassar na semana passada a marca de R$ 100, após quase dois meses de ligeira pressão sobre as cotações;
  • No internacional, (i) o Grupo das Sete principais economias (G-7) vai fornecer apoio financeiro e técnico para ajudar os países em desenvolvimento a fazer a transição de sua principal geração de energia a carvão para energia renovável em um esforço para acelerar a descarbonização; e (ii) o ministério da indústria do Japão disse que os setores público e privado do país precisarão investir um total de 150 trilhões de ienes (1,2 trilhão de dólares) em descarbonização nos próximos 10 anos para ajudar a alcançar a meta ambiciosa do país de se tornar neutro em carbono até 2050. Clique aqui para acessar o relatório e começar o dia bem informado com as principais notícias ao redor do Brasil e do mundo quando o tema é ESG.
XPInc CTA

Se você ainda não tem conta na XP Investimentos, abra a sua!

XP Expert

Avaliação

O quão foi útil este conteúdo pra você?


Newsletter
Newsletter

Gostaria de receber nossos conteúdos por e-mail?

Cadastre-se e receba grátis nossos relatórios e recomendações de investimentos

Telegram
Telegram XP

Acesse os conteúdos

Telegram XP

pelo Telegram da XP Investimentos

Disclaimer:

Este relatório de análise foi elaborado pela XP Investimentos CCTVM S.A. (“XP Investimentos ou XP”) de acordo com todas as exigências na Resolução CVM 20/2021, tem como objetivo fornecer informações que possam auxiliar o investidor a tomar sua própria decisão de investimento, não constituindo qualquer tipo de oferta ou solicitação de compra e/ou venda de qualquer produto. As informações contidas neste relatório são consideradas válidas na data de sua divulgação e foram obtidas de fontes públicas. A XP Investimentos não se responsabiliza por qualquer decisão tomada pelo cliente com base no presente relatório. Este relatório foi elaborado considerando a classificação de risco dos produtos de modo a gerar resultados de alocação para cada perfil de investidor. O(s) signatário(s) deste relatório declara(m) que as recomendações refletem única e exclusivamente suas análises e opiniões pessoais, que foram produzidas de forma independente, inclusive em relação à XP Investimentos e que estão sujeitas a modificações sem aviso prévio em decorrência de alterações nas condições de mercado, e que sua(s) remuneração(es) é(são) indiretamente influenciada por receitas provenientes dos negócios e operações financeiras realizadas pela XP Investimentos.

O analista responsável pelo conteúdo deste relatório e pelo cumprimento da Instrução CVM nº 598/18 está indicado acima, sendo que, caso constem a indicação de mais um analista no relatório, o responsável será o primeiro analista credenciado a ser mencionado no relatório. Os analistas da XP Investimentos estão obrigados ao cumprimento de todas as regras previstas no Código de Conduta da APIMEC para o Analista de Valores Mobiliários e na Política de Conduta dos Analistas de Valores Mobiliários da XP Investimentos. O atendimento de nossos clientes é realizado por empregados da XP Investimentos ou por agentes autônomos de investimento que desempenham suas atividades por meio da XP, em conformidade com a ICVM nº 497/2011, os quais encontram-se registrados na Associação Nacional das Corretoras e Distribuidoras de Títulos e Valores Mobiliários – ANCORD. O agente autônomo de investimento não pode realizar consultoria, administração ou gestão de patrimônio de clientes, devendo atuar como intermediário e solicitar autorização prévia do cliente para a realização de qualquer operação no mercado de capitais. Os produtos apresentados neste relatório podem não ser adequados para todos os tipos de cliente. Antes de qualquer decisão, os clientes deverão realizar o processo de suitability e confirmar se os produtos apresentados são indicados para o seu perfil de investidor. Este material não sugere qualquer alteração de carteira, mas somente orientação sobre produtos adequados a determinado perfil de investidor. A rentabilidade de produtos financeiros pode apresentar variações e seu preço ou valor pode aumentar ou diminuir num curto espaço de tempo. Os desempenhos anteriores não são necessariamente indicativos de resultados futuros. A rentabilidade divulgada não é líquida de impostos. As informações presentes neste material são baseadas em simulações e os resultados reais poderão ser significativamente diferentes. Este relatório é destinado à circulação exclusiva para a rede de relacionamento da XP Investimentos, incluindo agentes autônomos da XP e clientes da XP, podendo também ser divulgado no site da XP. Fica proibida sua reprodução ou redistribuição para qualquer pessoa, no todo ou em parte, qualquer que seja o propósito, sem o prévio consentimento expresso da XP Investimentos. SAC. 0800 77 20202. A Ouvidoria da XP Investimentos tem a missão de servir de canal de contato sempre que os clientes que não se sentirem satisfeitos com as soluções dadas pela empresa aos seus problemas. O contato pode ser realizado por meio do telefone: 0800 722 3710. O custo da operação e a política de cobrança estão definidos nas tabelas de custos operacionais disponibilizadas no site da XP Investimentos: www.xpi.com.br. A XP Investimentos se exime de qualquer responsabilidade por quaisquer prejuízos, diretos ou indiretos, que venham a decorrer da utilização deste relatório ou seu conteúdo. A Avaliação Técnica e a Avaliação de Fundamentos seguem diferentes metodologias de análise. A Análise Técnica é executada seguindo conceitos como tendência, suporte, resistência, candles, volumes, médias móveis entre outros. Já a Análise Fundamentalista utiliza como informação os resultados divulgados pelas companhias emissoras e suas projeções. Desta forma, as opiniões dos Analistas Fundamentalistas, que buscam os melhores retornos dadas as condições de mercado, o cenário macroeconômico e os eventos específicos da empresa e do setor, podem divergir das opiniões dos Analistas Técnicos, que visam identificar os movimentos mais prováveis dos preços dos ativos, com utilização de “stops” para limitar as possíveis perdas. O investimento em ações é indicado para investidores de perfil moderado e agressivo, de acordo com a política de suitability praticada pela XP Investimentos Ação é uma fração do capital de uma empresa que é negociada no mercado. É um título de renda variável, ou seja, um investimento no qual a rentabilidade não é preestabelecida, varia conforme as cotações de mercado. O investimento em ações é um investimento de alto risco e os desempenhos anteriores não são necessariamente indicativos de resultados futuros e nenhuma declaração ou garantia, de forma expressa ou implícita, é feita neste material em relação a desempenhos. As condições de mercado, o cenário macroeconômico, os eventos específicos da empresa e do setor podem afetar o desempenho do investimento, podendo resultar até mesmo em significativas perdas patrimoniais. A duração recomendada para o investimento é de médio-longo prazo. Não há quaisquer garantias sobre o patrimônio do cliente neste tipo de produto. O investimento em opções é preferencialmente indicado para investidores de perfil agressivo, de acordo com a política de suitability praticada pela XP Investimentos. No mercado de opções, são negociados direitos de compra ou venda de um bem por preço fixado em data futura, devendo o adquirente do direito negociado pagar um prêmio ao vendedor tal como num acordo seguro. As operações com esses derivativos são consideradas de risco muito alto por apresentarem altas relações de risco e retorno e algumas posições apresentarem a possibilidade de perdas superiores ao capital investido. A duração recomendada para o investimento é de curto prazo e o patrimônio do cliente não está garantido neste tipo de produto. O investimento em termos é indicado para investidores de perfil agressivo, de acordo com a política de suitability praticada pela XP Investimentos. São contratos para compra ou a venda de uma determinada quantidade de ações, a um preço fixado, para liquidação em prazo determinado. O prazo do contrato a Termo é livremente escolhido pelos investidores, obedecendo o prazo mínimo de 16 dias e máximo de 999 dias corridos. O preço será o valor da ação adicionado de uma parcela correspondente aos juros – que são fixados livremente em mercado, em função do prazo do contrato. Toda transação a termo requer um depósito de garantia. Essas garantias são prestadas em duas formas: cobertura ou margem. O investimento em Mercados Futuros embute riscos de perdas patrimoniais significativos, e por isso é indicado para investidores de perfil agressivo, de acordo com a política de suitability praticada pela XP Investimentos. Commodity é um objeto ou determinante de preço de um contrato futuro ou outro instrumento derivativo, podendo consubstanciar um índice, uma taxa, um valor mobiliário ou produto físico. É um investimento de risco muito alto, que contempla a possibilidade de oscilação de preço devido à utilização de alavancagem financeira. A duração recomendada para o investimento é de curto prazo e o patrimônio do cliente não está garantido neste tipo de produto. As condições de mercado, mudanças climáticas e o cenário macroeconômico podem afetar o desempenho do investimento.

A XP Investimentos CCTVM S/A, inscrita sob o CNPJ: 02.332.886/0001-04, é uma instituição financeira autorizada a funcionar pelo Banco Central do Brasil.Toda comunicação através de rede mundial de computadores está sujeita a interrupções ou atrasos, podendo impedir ou prejudicar o envio de ordens ou a recepção de informações atualizadas. A XP Investimentos exime-se de responsabilidade por danos sofridos por seus clientes, por força de falha de serviços disponibilizados por terceiros. A XP Investimentos CCTVM S/A é instituição autorizada a funcionar pelo Banco Central do Brasil.


Este site usa cookies e dados pessoais de acordo com a nossa Política de Cookies (gerencie suas preferências de cookies) e a nossa Política de Privacidade.