XP Expert

Governo divulga estratégia para reduzir preço dos combustíveis

Em dia de agenda global esvaziada, o mercado deve avaliar hoje as medidas anunciadas pelos governo, ontem à noite, como estratégia para reduzir os preços dos combustíveis no País.

Compartilhar:

  • Compartilhar no Facebook
  • Compartilhar no Twitter
  • Compartilhar no Whatsapp
  • Compartilhar no LinkedIn
  • Compartilhar via E-mail
Clique para ouvir

IBOVESPA -0,8% | 110.185 Pontos

CÂMBIO +0,4% | 4,79/USD

O que pode impactar o mercado hoje

Destaque do dia

Em dia de agenda global esvaziada, o mercado deve avaliar hoje as medidas anunciadas pelos governo, ontem à noite, como estratégia para reduzir os preços dos combustíveis no País.

Brasil

Os ativos brasileiros iniciaram a semana com desvalorização. O Ibovespa caiu 0,82%, aos 110.185 pontos, após oscilar entre 110.015 e 111.102 pontos. O dólar à vista superou os R$ 4,80 na máxima, arrefecendo um pouco no fechamento e terminando o dia cotado a R$ 4,79, alta de 0,37%. As taxas futuras de juros tiveram um dia de alta frente as preocupações com o cenário fiscal, em meio às incertezas em torno das discussões no Congresso sobre as propostas do governo para baixar os preços de combustíveis. Além disso, as taxas das treasuries (títulos de dívida dos EUA) mais altas, novamente acima de 3%, e a elevação do dólar também pesaram. DI jan/23 fechou em 13,45%; DI jan/24 encerrou em 13,115%; DI jan/25 foi para 12,535%; DI jan/27 fechou em 12,405%; e DI jan/29 encerrou em 12,48%.

Mundo

Mercados globais amanhecem negativos (EUA -0,5% e Europa -0,5%) após elevação acima do esperado de 50 pontos-base na taxa de juros da Austrália aumentar a preocupação com uma possível aceleração do aperto da política monetária global. Nos EUA, o foco fica por conta dos dados da inflação ao consumidor, que serão divulgados na sexta-feira. Na Europa, investidores aguardam a decisão de política monetária e o pronunciamento da Christine Lagarde, presidente do BCE, nesta quinta-feira. Na China, o índice de Hang Seng (-0,6%) encerra em baixa à medida que os casos da Covid-19 aumentam em Xangai após começo da flexibilização gradual das restrições. Desde o início do mês, 98 novos casos já foram registrados e o governo local já está em alerta. 

Estratégia do governo para redução do preço dos combustíveis

O presidente brasileiro Jair Bolsonaro anunciou ontem à noite que o governo central vai compensar os estados que aceitarem zerar o ICMS sobre diesel e gás de cozinha. A medida, que vale até dezembro de 2022, viria em adição à proposta que estabelece um teto (permanente) sobre a alíquotas do ICMS sobre combustíveis, comunicações e transportes. Nossos cálculos apontam que, se o pacote completo for implementado o impacto sobre a inflação de curto prazo pode ser substancial (até 2pp no IPCA cheio), mas deve criar um buraco fiscal que pode atingir R$ 100 bilhões até o final do ano.

Mercado em Gráfico

Olhando para os retornos dos últimos 5 anos do CDI, das taxas pré-fixadas, do índice IMA-B (retorno dos títulos indexados à inflação) e do Ibovespa, vemos que os retornos dos títulos atrelados à inflação foram muito próximos ao retorno da Bolsa. Isso mesmo considerando um período de juros baixos no Brasil. Além disso, a volatilidade do IMA-B também foi bastante inferior à volatilidade da Bolsa. Além disso, apesar dos baixos retornos dos títulos pré-fixados nos últimos 2 anos, em um período mais longo, eles ainda tiveram um retorno superior ao CDI. Os gestores gostam de comparar o CDI à um maratonista incansável, que está sempre gerando resultados, todos os dias. Dito isso, os últimos anos marcaram um período de juros baixos no Brasil, onde a média do CDI foi de 5,8% ao ano. Olhando para 2022 e os próximos anos, vemos um cenário diferente, onde o CDI volta a ter retornos de dois dígitos ao ano, aumentando a atratividade da renda fixa relativo à outros investimentos. Para saber mais sobre oportunidades para investidores na renda fixa, acesse o Sunday Xpresso dessa semana.

Veja todos os detalhes

Economia

Governo brasileiro divulga sua estratégia para reduzir os preços dos combustíveis

  • O presidente brasileiro Jair Bolsonaro anunciou ontem à noite que o governo central vai compensar os estados que aceitarem zerar o ICMS sobre diesel e gás de cozinha. A medida, que vale até dezembro de 2022, viria em adição à proposta que estabelece um teto (permanente) sobre a alíquotas do ICMS sobre combustíveis, comunicações e transportes. O projeto de lei (o chamado PLP 18) foi aprovado na Câmara e tramita no Senado. Se o PLP-18 for aprovado, os estados terão que acomodar seu impacto fiscal, mas se concordarem em reduzir a alíquota para zero, o Governo Central compensará a redução adicional de arrecadação. O presidente Bolsonaro também anunciou que, caso o PLP-18 seja aprovado, o governo central concorda em zerar os impostos federais (PIS/Cofins e CIDE) sobre gasolina e etanol. Em nossa opinião, se o pacote completo for implementado o impacto sobre a inflação de curto prazo pode ser substancial (até 2pp no IPCA cheio), mas deve criar um buraco fiscal que pode atingir R$ 100 bilhões até o final do ano;
  • O Banco Central da Austrália elevou suas taxas de juros em 50 bps para 0,85%. O aumento ficou acima das expectativas do mercado (25 bps). O RBA é outro banco central de mercado desenvolvido que se junta ao esforço global para apertar a política monetária.

Empresas

Intelbras (INTB3): A “WEG” dos dispositivos eletrônicos; Iniciando cobertura com recomendação Compra

  • Iniciamos nossa cobertura da Intelbras (INTB3) com recomendação de Compra e um preço alvo de R$37,0/ação para o final de 2022;
  • Nossa tese de investimento baseia-se na (i) forte execução comercial apoiada por uma rede de distribuição difícil de replicar que atende todo o mercado endereçado no país; (ii) dominância em mercados de alto crescimento; (iii) criação de novas linhas de produtos, incluindo energia solar, acelerando o crescimento (iv) crescimento sólido e rentável com um ROIC elevado; e (v) marca local líder e bem reconhecida;
  • Além disso, não vemos esse raro alinhamento de crescimento e retornos precificados nos preços atuais das ações;
  • Clique aqui para acessar o relatório completo.

Principais notícias dos setores

Nestas publicações diárias, trazemos as principais notícias nacionais e internacionais dos setores: Financeiro, Varejo (e-commerce, supermercados, lojas de roupa, farmácias, etc.), Agro, Alimentos e Bebidas e Energia (óleo & gás e elétricas).

  • Notícias Diárias do Setor Financeiro
    • Itaú vai estimular migração para os cartões virtuais (Valor);
    • Goldman Sachs retorna ao mercado de dívida ESG com acordo de US$ 700 milhões (Valor);
    • Clique aqui para acessar o relatório completo.
  • Entrega XP: Notícias diárias do setor de varejo
    • Inflação: Economistas do mercado elevam para quase 9% estimativa para IPCA em 2022 (Estadão)
    • Brasil cria quase 197 mil empregos formais em abril (Estadão)
    • Gigantes de tecnologia tentam deter projeto de lei nos EUA (Valor)
    • Clique aqui para acessar o relatório.
  • Agro, Alimentos & Bebidas: confira as principais notícias
    • Fabricação de bebidas alcoólicas tem alta de 11,7% em abril ereduz saldo negativo no ano para 4,1% (Guia da Cerveja);
    • USDA: Plantio da soja alcança 78% e milho tem 73% das lavouras em boas/excelentes condições (Notícias Agrícolas);
    • Retorno dos Serviços de Jantar em Pequim Devem Impulsionar a Demanda de Alimentos (Bloomberg);
    • Clique aqui para acessar o relatório completo.
  • Radar Energia XP: Notícias diárias do setor de energia
    • Eletrobras confirma realização de oferta de ações após Furnas aprovar mudança referente a debêntures. (Valor Econômico);
    • Governo propõe compensar Estados que zerarem ICMS sobre diesel e gás de cozinha. (Valor Econômico);
    • Petróleo fecha em leve queda após registrar máxima de três meses na sexta-feira. (Valor Econômico);
    • Clique aqui para acessar o relatório.

Mercados

Radar Global: Análises das principais empresas e tendências sob o nosso Radar | Ações da Didi disparam após relatório apontar que reguladores estão encerrando investigações

  • Ações da Amazon sobem após desdobramento;
  • Citigroup acelera contratações no segmento de tecnologia;
  • Ações da Didi disparam após relatório apontar que reguladores estão encerrando investigações;
  • Número de vagas de trabalho nos Estados Unidos apresenta leve queda;
  • Acesse aqui o relatório internacional.

Alocação & Fundos

Principais notícias

  • Fundos Imobiliários (FIIs): confira as principais notícias
    • Fundo imobiliário prevê acréscimo de 17% em dividendos após compra de imóvel (MoneyTimes);
    • FIIs que pagam até 20% de dividendos; veja recomendações do Itaú BBA para junho (Suno);
    • 5 fundos imobiliários que mais pagaram dividendos em maio, BB (BBAS3) desiste de vender BB Americas: veja as notícias mais lidas da semana (Suno);
    • Clique aqui para acessar o relatório completo.

ESG

Radar ESG | Intelbras (INTB3): Agregando valor através de oportunidades em tecnologia limpa

  • Vemos a Intelbras se destacando em relação aos seus pares do setor de tecnologia, estando bem posicionada na agenda ESG, principalmente frente ao (i) esforço da companhia na adoção de estratégias de inovação em tecnologia limpa, especialmente através de sua linha de negócios de energia solar; (ii) programa de logística reversa da Intelbras, com o objetivo de garantir que seus produtos sejam devidamente descartados; e (iii) sólida gestão da sua cadeia de fornecedores, que conta com altos padrões de controle;
  • Mesmo tendo realizado seu IPO recentemente (fev/21), vemos a Intelbras com uma ampla divulgação de dados ESG, ao mesmo tempo em que trabalhando para avançar ainda mais, o que nos leva a enxergar a agenda ESG com um valor intrínseco para a companhia;
  • Clique aqui para acessar o conteúdo.

Número de companhias listadas na B3 assumindo compromissos climáticos aumenta cada vez mais | Café com ESG, 07/06

  • O mercado fechou o pregão de segunda-feira em território negativo, com o Ibov e o ISE em queda de -0,8% e -1,3%, respectivamente;
  • No Brasil, um levantamento da consultoria Luvi One em parceria com a fintech Arara.io mostrou que a quantidade de companhias listadas assumindo compromissos de impacto climático está aumentando – em 2021, 37% das empresas listadas na B3 tinham metas de redução de impacto ambiental, em 2022 esse percentual subiu para 45%;
  • No internacional, (i) ontem, o presidente Joe Biden renunciou às tarifas sobre painéis solares de quatro países do Sudeste Asiático por dois anos e invocou a Lei de Produção de Defesa para estimular a fabricação de painéis solares em casa; (ii) um relatório da Global Fashion Agenda, um grupo sem fins lucrativos da indústria da moda, mostrou que as empresas do setor estão produzindo duas vezes mais emissões do que o permitido para cumprir as metas climáticas da ONU, e devem reformar urgentemente suas práticas de reciclagem e resíduos, bem como sistemas de pagamento. Clique aqui para acessar o relatório e começar o dia bem informado com as principais notícias ao redor do Brasil e do mundo quando o tema é ESG.
XPInc CTA

Se você ainda não tem conta na XP Investimentos, abra a sua!

XP Expert

Avaliação

O quão foi útil este conteúdo pra você?


Newsletter
Newsletter

Gostaria de receber nossos conteúdos por e-mail?

Cadastre-se e receba grátis nossos relatórios e recomendações de investimentos

Telegram
Telegram XP

Acesse os conteúdos

Telegram XP

pelo Telegram da XP Investimentos

Disclaimer:

Este relatório de análise foi elaborado pela XP Investimentos CCTVM S.A. (“XP Investimentos ou XP”) de acordo com todas as exigências na Resolução CVM 20/2021, tem como objetivo fornecer informações que possam auxiliar o investidor a tomar sua própria decisão de investimento, não constituindo qualquer tipo de oferta ou solicitação de compra e/ou venda de qualquer produto. As informações contidas neste relatório são consideradas válidas na data de sua divulgação e foram obtidas de fontes públicas. A XP Investimentos não se responsabiliza por qualquer decisão tomada pelo cliente com base no presente relatório. Este relatório foi elaborado considerando a classificação de risco dos produtos de modo a gerar resultados de alocação para cada perfil de investidor. O(s) signatário(s) deste relatório declara(m) que as recomendações refletem única e exclusivamente suas análises e opiniões pessoais, que foram produzidas de forma independente, inclusive em relação à XP Investimentos e que estão sujeitas a modificações sem aviso prévio em decorrência de alterações nas condições de mercado, e que sua(s) remuneração(es) é(são) indiretamente influenciada por receitas provenientes dos negócios e operações financeiras realizadas pela XP Investimentos.

O analista responsável pelo conteúdo deste relatório e pelo cumprimento da Instrução CVM nº 598/18 está indicado acima, sendo que, caso constem a indicação de mais um analista no relatório, o responsável será o primeiro analista credenciado a ser mencionado no relatório. Os analistas da XP Investimentos estão obrigados ao cumprimento de todas as regras previstas no Código de Conduta da APIMEC para o Analista de Valores Mobiliários e na Política de Conduta dos Analistas de Valores Mobiliários da XP Investimentos. O atendimento de nossos clientes é realizado por empregados da XP Investimentos ou por agentes autônomos de investimento que desempenham suas atividades por meio da XP, em conformidade com a ICVM nº 497/2011, os quais encontram-se registrados na Associação Nacional das Corretoras e Distribuidoras de Títulos e Valores Mobiliários – ANCORD. O agente autônomo de investimento não pode realizar consultoria, administração ou gestão de patrimônio de clientes, devendo atuar como intermediário e solicitar autorização prévia do cliente para a realização de qualquer operação no mercado de capitais. Os produtos apresentados neste relatório podem não ser adequados para todos os tipos de cliente. Antes de qualquer decisão, os clientes deverão realizar o processo de suitability e confirmar se os produtos apresentados são indicados para o seu perfil de investidor. Este material não sugere qualquer alteração de carteira, mas somente orientação sobre produtos adequados a determinado perfil de investidor. A rentabilidade de produtos financeiros pode apresentar variações e seu preço ou valor pode aumentar ou diminuir num curto espaço de tempo. Os desempenhos anteriores não são necessariamente indicativos de resultados futuros. A rentabilidade divulgada não é líquida de impostos. As informações presentes neste material são baseadas em simulações e os resultados reais poderão ser significativamente diferentes. Este relatório é destinado à circulação exclusiva para a rede de relacionamento da XP Investimentos, incluindo agentes autônomos da XP e clientes da XP, podendo também ser divulgado no site da XP. Fica proibida sua reprodução ou redistribuição para qualquer pessoa, no todo ou em parte, qualquer que seja o propósito, sem o prévio consentimento expresso da XP Investimentos. SAC. 0800 77 20202. A Ouvidoria da XP Investimentos tem a missão de servir de canal de contato sempre que os clientes que não se sentirem satisfeitos com as soluções dadas pela empresa aos seus problemas. O contato pode ser realizado por meio do telefone: 0800 722 3710. O custo da operação e a política de cobrança estão definidos nas tabelas de custos operacionais disponibilizadas no site da XP Investimentos: www.xpi.com.br. A XP Investimentos se exime de qualquer responsabilidade por quaisquer prejuízos, diretos ou indiretos, que venham a decorrer da utilização deste relatório ou seu conteúdo. A Avaliação Técnica e a Avaliação de Fundamentos seguem diferentes metodologias de análise. A Análise Técnica é executada seguindo conceitos como tendência, suporte, resistência, candles, volumes, médias móveis entre outros. Já a Análise Fundamentalista utiliza como informação os resultados divulgados pelas companhias emissoras e suas projeções. Desta forma, as opiniões dos Analistas Fundamentalistas, que buscam os melhores retornos dadas as condições de mercado, o cenário macroeconômico e os eventos específicos da empresa e do setor, podem divergir das opiniões dos Analistas Técnicos, que visam identificar os movimentos mais prováveis dos preços dos ativos, com utilização de “stops” para limitar as possíveis perdas. O investimento em ações é indicado para investidores de perfil moderado e agressivo, de acordo com a política de suitability praticada pela XP Investimentos Ação é uma fração do capital de uma empresa que é negociada no mercado. É um título de renda variável, ou seja, um investimento no qual a rentabilidade não é preestabelecida, varia conforme as cotações de mercado. O investimento em ações é um investimento de alto risco e os desempenhos anteriores não são necessariamente indicativos de resultados futuros e nenhuma declaração ou garantia, de forma expressa ou implícita, é feita neste material em relação a desempenhos. As condições de mercado, o cenário macroeconômico, os eventos específicos da empresa e do setor podem afetar o desempenho do investimento, podendo resultar até mesmo em significativas perdas patrimoniais. A duração recomendada para o investimento é de médio-longo prazo. Não há quaisquer garantias sobre o patrimônio do cliente neste tipo de produto. O investimento em opções é preferencialmente indicado para investidores de perfil agressivo, de acordo com a política de suitability praticada pela XP Investimentos. No mercado de opções, são negociados direitos de compra ou venda de um bem por preço fixado em data futura, devendo o adquirente do direito negociado pagar um prêmio ao vendedor tal como num acordo seguro. As operações com esses derivativos são consideradas de risco muito alto por apresentarem altas relações de risco e retorno e algumas posições apresentarem a possibilidade de perdas superiores ao capital investido. A duração recomendada para o investimento é de curto prazo e o patrimônio do cliente não está garantido neste tipo de produto. O investimento em termos é indicado para investidores de perfil agressivo, de acordo com a política de suitability praticada pela XP Investimentos. São contratos para compra ou a venda de uma determinada quantidade de ações, a um preço fixado, para liquidação em prazo determinado. O prazo do contrato a Termo é livremente escolhido pelos investidores, obedecendo o prazo mínimo de 16 dias e máximo de 999 dias corridos. O preço será o valor da ação adicionado de uma parcela correspondente aos juros – que são fixados livremente em mercado, em função do prazo do contrato. Toda transação a termo requer um depósito de garantia. Essas garantias são prestadas em duas formas: cobertura ou margem. O investimento em Mercados Futuros embute riscos de perdas patrimoniais significativos, e por isso é indicado para investidores de perfil agressivo, de acordo com a política de suitability praticada pela XP Investimentos. Commodity é um objeto ou determinante de preço de um contrato futuro ou outro instrumento derivativo, podendo consubstanciar um índice, uma taxa, um valor mobiliário ou produto físico. É um investimento de risco muito alto, que contempla a possibilidade de oscilação de preço devido à utilização de alavancagem financeira. A duração recomendada para o investimento é de curto prazo e o patrimônio do cliente não está garantido neste tipo de produto. As condições de mercado, mudanças climáticas e o cenário macroeconômico podem afetar o desempenho do investimento.

A XP Investimentos CCTVM S/A, inscrita sob o CNPJ: 02.332.886/0001-04, é uma instituição financeira autorizada a funcionar pelo Banco Central do Brasil.Toda comunicação através de rede mundial de computadores está sujeita a interrupções ou atrasos, podendo impedir ou prejudicar o envio de ordens ou a recepção de informações atualizadas. A XP Investimentos exime-se de responsabilidade por danos sofridos por seus clientes, por força de falha de serviços disponibilizados por terceiros. A XP Investimentos CCTVM S/A é instituição autorizada a funcionar pelo Banco Central do Brasil.


Este site usa cookies e dados pessoais de acordo com a nossa Política de Cookies (gerencie suas preferências de cookies) e a nossa Política de Privacidade.