XP Expert

Bolsas hoje: IPCA-15 de fevereiro, resultados de Americanas, BRF e mais destaques

IPCA-15 e temporada de resultados são alguns dos temas de maior destaque nesta terça-feira, 27/02/2024

Compartilhar:

  • Compartilhar no Facebook
  • Compartilhar no Twitter
  • Compartilhar no Whatsapp
  • Compartilhar no LinkedIn
  • Compartilhar via E-mail
Clique para ouvir

Ouça também no Spreaker


IBOVESPA +0,15% | 129.609 Pontos

CÂMBIO -0,24% | 4,98/USD

O que pode impactar o mercado hoje

Ibovespa

O Ibovespa fechou em leve alta ontem, aos 129.609 pontos (+0,2%). O índice foi impulsionado por frigoríficos após resultado forte de uma controlada da JBS (JBSS3, +4,2%), considerado um sinal positivo para o setor. Marfrig (MRFG3, +3,9%) e BRF (BRFS3, +3,8%) também subiram no dia.

Já as mineradoras registraram queda, afetadas pela baixa no preço do minério de ferro (-3,2%) na China. Isso impactou a Vale Vale (VALE3, -2,4%), continuando desempenho negativo deste começo de ano até agora.

Renda Fixa

As taxas futuras de juros fecharam o pregão em alta ao longo de toda a estrutura a termo da curva. O movimento refletiu, de forma geral, o avanço nos rendimentos (yields) dos títulos públicos americanos (Treasuries) e a proximidade da divulgação do IPCA-15 no Brasil, a qual reforçou o sentimento de cautela dos agentes locais e imprimiu um viés menos inclinado à tomada de risco aos negócios. DI jan/25 fechou em 10,035% (3bps vs. pregão anterior); DI jan/26 em 9,92% (8bps); DI jan/27 em 10,12% (10bps); DI jan/29 em 10,545% (9bps).

Mercados globais

Nesta terça-feira, os mercados operam em leve alta nos Estados Unidos (S&P 500: 0,1%; Nasdaq 100: 0,2%) em semana repleta de dados econômicos. Hoje, são aguardados dados de bens duráveis, moradia, e confiança do consumidor.

Na Europa, os mercados operam mistos, e o índice pan-europeu permanece estável nesta manhã (Stoxx 600: 0,0%), com ações de mineração liderando a alta enquanto o setor de mídia se retrai. Na China, os índices retomam o impulso de alta (HSI: 0,9%, CSI 300: 1,2%), com avanço de ações de tecnologia na região.

Economia

Na segunda-feira, dados de inflação no Japão mostraram uma queda tanto no índice cheio quanto no núcleo. De particular relevância, o indicador subjacente do núcleo do CPI indica uma desaceleração em relação a dezembro, mas ainda permanece acima da meta do banco central japonês (BoJ). Espera-se que o BoJ mantenha a política monetária inalterada nas próximas reuniões. Nos Estados Unidos, dados de vendas de novas residências mostraram pequena recuperação, mas permaneceram abaixo das expectativas. O mercado antevê um ritmo moderado de crescimento nas vendas de residências, já que as taxas hipotecárias permanecem em níveis elevados.

Na agenda do dia, teremos evento com Michael Barr, vice-presidente de regulamentação do Federal Reserve (Fed, banco central dos EUA), e a divulgação dos dados de confiança do consumidor e encomendas de bens duráveis, todos nos Estados Unidos. No Brasil, o destaque é a divulgação do IPCA-15 de fevereiro, na qual esperamos uma alta de 0,84%, puxada por reajustes de educação, combustíveis e alimentos.

Veja todos os detalhes

Economia

IPCA-15 de fevereiro no Brasil é o principal evento de hoje

  • A inflação ao consumidor japonês caiu um pouco menos do que o esperado em janeiro, embora o núcleo da inflação tenha permanecido próximo do mínimo em dois anos. O índice básico de preços ao consumidor (IPC) subiu 2,2 em janeiro, em comparação com 2,6% no mês anterior, mas aumentou 0,1% em uma base mensal. O núcleo do IPC, que exclui itens voláteis de alimentos frescos, aumentou 2% em relação ao ano anterior em janeiro, segundo dados do Departamento de Estatísticas divulgados na terça-feira. A leitura ficou ligeiramente acima das expectativas de 1,9%, mas desacelerou em relação aos 2,3% registrados em dezembro. A leitura subjacente do IPC, que exclui alimentos frescos e energia, caiu de 3,7% em dezembro para 3,5% em relação ao ano anterior. A leitura é um fator-chave para o BOJ ao considerar a trajetória da política monetária, e foi a menor em 11 meses. A expectativa geral é de que o BOJ deixe sua política inalterada quando se reunir em meados de março. Mas, como o banco sinalizou que a inflação que atinge sua meta anual de 2% é uma condição fundamental para o aperto da política, o banco central pode oferecer alguns sinais sobre uma futura saída das taxas de juros ultrabaixas;
  • Nos EUA, as vendas de casas novas aumentaram 1,5%, atingindo uma taxa anual ajustada sazonalmente de 661.000 unidades no mês passado, informou o Census Bureau do Departamento de Comércio na segunda-feira. O ritmo de vendas de dezembro foi revisado para baixo, para 651.000 unidades, em relação às 664.000 unidades informadas anteriormente. Economistas consultados pela Reuters previram que as vendas de casas novas, que representam cerca de 14,2% das vendas de casas nos EUA, aumentariam para uma taxa de 680.000 unidades. As vendas de casas podem permanecer moderadas nos próximos meses, já que as taxas hipotecárias retomaram sua tendência de alta depois que os mercados financeiros adiaram as expectativas para o primeiro corte na taxa de juros do Federal Reserve para junho;
  • A agenda internacional desta terça-feira tem como destaque evento com Michael Barr, vice-presidente de regulamentação do Federal Reserve (Fed, o banco central dos EUA). Além disso, serão divulgados o índice de confiança do consumidor norte-americano, medido pelo Conference Board, e as encomendas de bens duráveis;
  • No Brasil, o IPCA-15 de fevereiro será divulgado hoje, e o mercado espera que o índice principal avance 0,82% M/M, de acordo com a mediana da Bloomberg. As previsões variam de 0,64% a 0,91% M/M – esperamos uma variação de 0,84% M/M. Com relação a outras medidas relevantes, uma fonte de incerteza são os preços de “passagens aéreas”, que se mostraram muito voláteis nos últimos meses, e o reajuste de importantes subitens de educação, como “mensalidades de cursos regulares”.

Commodities

Comentário Semanal Agro | Janeiro acumula movimentos fortes de preço

  • Grãos. Com milho em Chicago abaixo de 4usd/bu, menor patamar desde nov/20, a previsão de chuvas com falhas entre MS, SP e PR podem trazer suporte, mas é positiva para colheita de soja;
  • Carnes. Melhora do ritmo de embarques na última semana, mas queda de preços de exportação deve continuar em fevereiro, caindo na média 12% para carne de frango, 6% carne bovina e 9% carne suína;
  • Açúcar e Etanol. No açúcar as chuvas fracas em São Paulo também trazem um alerta à consolidação recente das estimativas de safra, que segue pressionando preços de açúcar. O etanol ainda é extremamente competitivo, com estoques altas apesar da entressafra;
  • Clique aqui para acessar o relatório completo.

Empresas

Analisando a concessão “TIC Eixo Norte”, próximo leilão de mobilidade urbana no Brasil

  • O próximo leilão de mobilidade urbana do Brasil, ‘TIC Eixo Norte’, está marcado para 29 de fevereiro;
  • O projeto consiste em três serviços principais: (1) a atual Linha 7 do trem de São Paulo; (2) serviço greenfield da TIM de Jundiaí para Campinas; e (3) trem expresso greenfield TIC de São Paulo para Campinas;
  • Vemos espaço para retornos positivos (9,2% da TIR real desalavancada do governo) e observamos duas características principais do projeto: (1) os anos iniciais pressionaram o FCF (principalmente pelo projeto greenfield); e (2) risco de receita altamente mitigado (96% das receitas são garantidas pelo governo);
  • A entrega das propostas de licitação e o leilão estão marcados para 29 de fevereiro e vemos a CCR entre os potenciais licitantes (juntamente com o Grupo Comporte, segundo a mídia local);
  • Clique aqui para acessar o relatório completo.

BRF (BRFS3) | Revisão dos Resultados do 4T23: essa galinha vai voar!

  • A BRF registrou um sólido 4T23 com sinais positivos em todas as linhas. Esperávamos que a demanda no mercado doméstico sustentasse a recuperação da margem, que foi entregue juntamente com melhores perspectivas de fluxo de caixa em estoques mais baixos e resultados financeiros de caixa sequencialmente melhores (quase R$ 200 milhões T/T);
  • No entanto, a operação internacional ganhou destaque com a recuperação de preços em todos os mercados- tendência oposta à da Secex -, impulsionando a margem EBITDA ajustado de 2,6% no 4T22 para 11,1% no 4T23, uma recuperação mais rápida do que o esperado que poderia desencadear revisões de lucros por parte do mercado, enquanto o Brasil reportou uma sólida margem EBITDA ajustada (+678bps A/A e +98bps vs XPe);
  • O BRF+ entregou R$ 2,2 bilhões em 2023 (R$ 166 milhões ainda a serem refletidos nos resultados) e, como a eficiência é um processo contínuo, estamos aguardando o BRF+ 2.0. Com uma alavancagem menor e um novo histórico do management, continuamos altamente convencidos com a história de turnaround da BRF e a reforçamos como nossa Top Pick;
  • Clique aqui para acessar o relatório.

AES Brasil (AESB3): Resultados do 4T23; Trimestre sólido; Novo plano de investimento de 5 anos

  • A AES Brasil reportou resultados operacionais em linha com às nossas expectativas, com forte evolução de seu portfólio e melhor geração hídrica em relação ao ano anterior;
  • Por outro lado, as restrições do NOS prejudicaram parcialmente a geração eólica e solar;
  • A notícia positiva do trimestre é a evolução do projeto Cajuína 2, que está muito próximo de ser concluído (94,5%);
  • Com isso, a empresa começa seu processo de desalavancagem;
  • Mantemos nossa recomendação Neutra na AES Brasil com preço alvo de R$ 14/ação;
  • Clique aqui para acessar o relatório completo.

Cogna (COGN3): Mais um ano, mais um ciclo positivo de captações

  • Hoje realizamos uma rodada de reuniões com o CFO da Cogna (COGN3), Frederico Villa, e investidores. Os destaques das reuniões foram:
    • A Kroton pode apresentar números sólidos de captação no primeiro semestre de 2024, com crescimento de volume tanto no presencial quanto no digital, combinado com uma estabilidade do ticket;
    • A empresa vê um grande espaço para melhorias na lucratividade e na conversão de caixa por meio de reduções de aluguéis; e
    • Atualmente, a prioridade para o excesso de caixa é reduzir a alavancagem, e o executivo descartou qualquer intenção da empresa em fazer aquisições adicionais no curto e médio prazos.
  • Consideramos as mensagens transmitidas como positivas e esperamos que a Cogna continue apresentando melhorias nos próximos trimestres;
  • Clique aqui para acessar o relatório completo.

Americanas (AMER3): Resultados mistos nos 9M23

  • Americanas (AMER3) reportou hoje seus resultados nos 9M23, junto com a reapresentação das informações trimestrais de 2022 para trazer uma base comparável. Resultados foram mistos, com receita caindo em cima de maiores desconfianças dos consumidores, mas com rentabilidade melhorando;
  • Além disso, a companhia também compartilhou um fato relevante anunciando a homologação do Plano de Recuperação Judicial, que ficou ligeiramente atrás da expectativa inicial da companhia de aprovar o plano no final de 2023 e a conclusão de todos os passos no 1T24, mas em linha com o PSA (plan support agreement);
  • Mantemos nossa cobertura sob revisão;
  • Clique aqui para acessar o relatório completo.

BrasilAgro (AGRO3) | Aprendendo como uma estratégia consistente de longo prazo cria valor.

  • Na semana passada, visitamos a Fazenda São José, uma das principais fazendas da AGRO, localizada no Maranhão. A quantificação da criação de valor pelo negócio imobiliário da Companhia geralmente ocorre somente quando as fazendas são vendidas;
  • Por isso, a visita foi importante para torná-la tangível e para aprender como uma estratégia consistente de longo prazo gera valor. Apesar da retórica mais otimista da AGRO – e saudaríamos uma surpresa positiva -, continuamos a acreditar que as perspectivas para as vendas de fazendas são difíceis, enquanto projetamos a redução das margens devido aos preços mais baixos;
  • No entanto, esse cenário representa uma oportunidade única para a BrasilAgro acelerar a compra de terras e replicar o valor criado na Fazenda São José, em nossa opinião, reforçando a estratégia de reciclagem do portfólio na próxima virada de ciclo;
  • Clique aqui para acessar o relatório.

Camil (CAML3) | Ponto de inflexão da alavancagem, crescimento e margens mais altas.

  • A Camil fez várias aquisições em um curto período, aumentando sua alavancagem em meio a um cenário de altas taxas de juros, além de aumentar a complexidade operacional. Essa combinação levou a Companhia a passar por um ano difícil em 2023; no entanto, projetamos que o pior já passou;
  • Atualizamos nossas estimativas e reduzimos ligeiramente nosso TP de R$ 12,3/sh para R$ 11,6/sh para fev/25, pois levamos em conta uma perspectiva pior para o açúcar no curto prazo e uma taxa de imposto mais alta;
  • Nossa posição positiva se baseia principalmente em: (i) estimamos que o 4T23 (fev/24) seja um ponto de inflexão em relação à alavancagem, o que deve abrir espaço para um melhor desempenho das ações; (ii) a CAML está levando bem o ramp-up de novas categorias, o que deve ser positivo para as margens; e (iii) resultados sólidos após o ramp-up de M&As recentemente realizados;
  • Clique aqui para acessar o relatório.

Principais notícias dos setores

Nestas publicações diárias, trazemos as principais notícias nacionais e internacionais dos setores: Financeiro, Varejo (e-commerce, supermercados, lojas de roupa, farmácias, etc.), Agro, Alimentos e Bebidas e Energia (óleo & gás e elétricas).

  • Notícias Diárias do Setor Financeiro
    • OPA da Cielo deve prosseguir, mas disputa de preço é entrave (Valor);
    • Drex está praticamente pronto, mas teste pelo público ainda deve demorar, diz BC (Valor);
    • Itaú lidera ranking de captação líquida de portabilidade em previdência privada em 2023 (Broadcast);
    • Clique aqui para acessar o relatório completo.
  • Radar Tech XP: Notícias diárias do setor de Telecom e Tecnologia
    • ISPs fazem proposta por base da Oi, mas negociação com V.tal será inevitável (TELETIME);
    • Anatel abre consulta sobre destinação de frequências (telesintese);
    • Teles falam em maior colaboração com ‘big techs’ (Valor);
    • Redes vão demandar US$ 1,5 trilhão em investimentos até 2030 (telesintese);
    • Clique Aqui para acessar o relatório.
  • Entrega XP: Notícias diárias do setor de varejo
    • El Niño dá trégua ao consumidor em preço de alimentos; serviços continuam pressionando (Estadão);
    • Com avanço da dengue, fabricante de repelente traz insumo de avião e até cria terceiro turno para elevar produção (O Globo);
    • Americanas avalia fechamento de mais 80 lojas e novos cortes de funcionários (Estadão);
    • Clique aqui para acessar o relatório.
  • Agro, Alimentos & Bebidas: confira as principais notícias
    • Alimentos
      • O histórico resultado da BRF. Agora, é reduzir a dívida bruta (TheAgriBiz);
      • Em ano de expansão, Aurora Coop teve prejuízo de R$ 137,9 milhões (Globo Rural).
    • Agro
      • Tereos elevará mix de açúcar a 70% e vê sua moagem estável em 2024/25 no Brasil (Nova Cana);
      • Preços de fertilizantes fecharam em queda média de 29% em janeiro, diz Faesp (Globo Rural).
    • Biocombustíveis
      • Projeto cria mandatos para bioquerosene, diesel verde e biometano (Globo Rural);
      • Margem de processamento das usinas de etanol de milho cresce 37% em MT (Globo Rural)
    • Clique aqui para acessar o relatório completo.
  • Saúde: XP Daily | Sua dose diária de notícias
    • Fitch corta nota de crédito nacional da Kora Saúde de ‘A+(bra)’ para ‘A(bra)’ (Valor Econômico);
    • Volume de processos por ‘erro médico’ cresce no Judiciário (Valor Econômico);
    • Hapvida fecha parceria com The City College of New York (Medicina S/A);
    • Clique aqui para acessar o relatório.
  • Combustível XP: As principais notícias que movem o setor de Óleo & Gás
    • Em breve.
  • XP Daily: As principais notícias do setor Imobiliário
    • Crédito imobiliário do SBPE inicia janeiro com R$ 9,6 bilhões financiados (Abecip);
    • Caixa quer liberação de compulsório para injetar mais R$ 20 bi em crédito imobiliário (Folha);
    • Lançamentos retraem em 2023, mas CBIC projeta crescimento para 2024 (CBIC);
    • Clique aqui para acessar o relatório.
  • Radar Energia XP: Notícias diárias do setor de energia
    • Governo de SP quer ampliar geração solar com subsídios e emendas (MegaWhat);
    • Lucro da AES Brasil soma R$ 112,6 milhões no 4º trimestre (Valor Econômico);
    • Calorão, carnaval e economia mais aquecida levam a salto no consumo de energia (Valor Econômico);
    • Clique aqui para acessar o relatório.

Estratégia

XP Short Scout: Monitor de short selling no Brasil – 23/02/2024

  • No relatório de hoje, atualizamos os dados de short selling dos ativos brasileiros com os dados de fechamento de 23 de fevereiro de 2024. Entre os principais destaques das últimas duas semanas, ressaltamos:
    • (i) O short interest (SI) mediano do Ibovespa encerrou a semana estável em torno de 5,6%, com posições vendidas em aberto atingindo R$ 101,1 bilhões (+3,4 bilhões desde nosso último relatório);
    • (ii) O destaque desta semana vai para Petz (PETZ3). Apesar da forte valorização das ações em fevereiro, principalmente relacionada com o anúncio de que o CEO aumentou a sua participação na empresa, as posições vendidas também têm seguido a tendência. O seu SI em relação ao seu free float atingiram máximas históricas de 27% (mais de 83,7 milhões de ações), o que se traduz em aproximadamente 6,3 dias para cobrir todos os shorts;
    • (iii) Outro destaque (negativo) é a Braskem (BRKM5), que viu os investidores aumentarem radicalmente suas posições vendidas nas últimas semanas. O SI da companhia atingiu mais de 26,4 milhões de ações, ou ~10% de seu free float (+2,4 p.p. do último relatório). Além disso, esse aumento se traduz em um aumento de dois dígitos em seu days to cover, para 10,1.
  • Clique aqui para acessar o relatório.

Renda fixa

De Olho na Renda Fixa: principais notícias de crédito privado, mercados e renda fixa

  • Acabou a festa das LCAs e LCIs? Veja onde investir após limitações nesses papéis (Valor);
  • Tesouro: Emissão da dívida pública em janeiro foi a maior para o mês na série histórica (Valor);
  • Ratings da Braskem rebaixados para ‘BB +’ devido às condições persistentemente fracas da indústria mantendo endividamento elevado; perspectiva estável. (S&P Global);
  • Provedora de internet Vero busca R$ 400 milhões com debêntures incentivadas (Valor);
  • Raízen prepara emissão de green bonds com prazo de até 30 anos (Globo Rural);
  • Clique aqui para acessar o relatório completo.

Alocação & Fundos

Panorama em Gráficos: Fev/2024

  • Neste relatório mensal, mostramos alguns dos principais dados em gráficos que estão sendo discutidos nas reuniões e comitês do time de Alocação do Research da XP no mês;
  • Discutimos alguns dos primeiros números oficiais de crescimento do PIB em 2023 nas maiores economias mundiais e a saída do Japão da 3ª posição desse ranking, ainda que seu mercado de renda variável tenha sido destaque em 2023 e siga em trajetória ascendente nos primeiros meses de 2024;
  • No contexto da desinflação global, comentamos os ajustes nas expectativas sobre a proximidade dos cortes na taxa básica de juros nos EUA, a estabilização das expectativas de curto prazo sobre a inflação brasileira, e a contínua e gradual queda dos spreads de crédito no mercado doméstico;
  • Acesse aqui o conteúdo completo.

Principais notícias

  • Fundos Imobiliários (FIIs): confira as principais notícias
    • Galpões logísticos: setor industrial aumenta ocupação, diz levantamento (FIIs);
    • FII high yield eleva dividendos e crava maior retorno de fevereiro; veja maiores pagadores (InfoMoney);
    • FII negocia a venda de oito lojas do Assaí e Pão de Açúcar por R$ 613 milhões (InfoMoney);
    • Clique aqui para acessar o relatório.

ESG

Raízen (RAIZ4) prepara emissão de dívida verde no mercado internacional | Café com ESG, 27/02

  • O mercado encerrou o pregão de segunda-feira em território positivo, com o IBOV e o ISE em leve alta de 0,14% e 0,20%, respectivamente.
  • Do lado das empresas, a Raízen iniciou o processo para emissão de um green bond, marcando sua estreia em dívida verde no mercado internacional, com os recursos sendo utilizados em parte para recomprar uma emissão em dólares com vencimento em 2027 – os títulos terão vencimento em 10 anos e podem ser estendidos também para 30 anos, segundo anúncio feito hoje a investidores;
  • Na política local, (i) o secretário nacional de transição energética de Minas e Energia (MME), Thiago Barral, afirmou que o Ministério está fazendo um levantamento com os Estados com a finalidade de firmar as políticas públicas voltadas para transição energética, contabilizando programas que não focam só em uma tecnologia, mas em um conjunto que busque integrar diferentes formatos – segundo Barral, 15 Estados já responderam que têm políticas nesse sentido, sejam constituídas ou em discussão; e (ii) o governo anunciou ontem um programa inovador para tentar alavancar a atração de capital estrangeiro privado para financiar a economia verde no Brasil, batizado de Eco Invest Brasil – segundo o secretário do Tesouro, Rogério Ceron, o objetivo do programa é remover obstáculos (como a baixa participação de capital privado nos investimentos e a volatilidade da moeda) para que o país aproveite a chance de ser um provedor de soluções para a transição para uma economia de baixo carbono;
  • Clique aqui para acessar o relatório e começar o dia bem informado com as principais notícias ao redor do Brasil e do mundo quando o tema é ESG.

XPInc CTA

Se você ainda não tem conta na XP Investimentos, abra a sua!

XP Expert

Avaliação

O quão foi útil este conteúdo pra você?


Newsletter
Newsletter

Gostaria de receber nossos conteúdos por e-mail?

Cadastre-se e receba grátis nossos relatórios e recomendações de investimentos

Disclaimer:

Este relatório de análise foi elaborado pela XP Investimentos CCTVM S.A. (“XP Investimentos ou XP”) de acordo com todas as exigências na Resolução CVM 20/2021, tem como objetivo fornecer informações que possam auxiliar o investidor a tomar sua própria decisão de investimento, não constituindo qualquer tipo de oferta ou solicitação de compra e/ou venda de qualquer produto. As informações contidas neste relatório são consideradas válidas na data de sua divulgação e foram obtidas de fontes públicas. A XP Investimentos não se responsabiliza por qualquer decisão tomada pelo cliente com base no presente relatório. Este relatório foi elaborado considerando a classificação de risco dos produtos de modo a gerar resultados de alocação para cada perfil de investidor. O(s) signatário(s) deste relatório declara(m) que as recomendações refletem única e exclusivamente suas análises e opiniões pessoais, que foram produzidas de forma independente, inclusive em relação à XP Investimentos e que estão sujeitas a modificações sem aviso prévio em decorrência de alterações nas condições de mercado, e que sua(s) remuneração(es) é(são) indiretamente influenciada por receitas provenientes dos negócios e operações financeiras realizadas pela XP Investimentos.

O analista responsável pelo conteúdo deste relatório e pelo cumprimento da Instrução CVM nº 598/18 está indicado acima, sendo que, caso constem a indicação de mais um analista no relatório, o responsável será o primeiro analista credenciado a ser mencionado no relatório. Os analistas da XP Investimentos estão obrigados ao cumprimento de todas as regras previstas no Código de Conduta da APIMEC para o Analista de Valores Mobiliários e na Política de Conduta dos Analistas de Valores Mobiliários da XP Investimentos. O atendimento de nossos clientes é realizado por empregados da XP Investimentos ou por agentes autônomos de investimento que desempenham suas atividades por meio da XP, em conformidade com a ICVM nº 497/2011, os quais encontram-se registrados na Associação Nacional das Corretoras e Distribuidoras de Títulos e Valores Mobiliários – ANCORD. O agente autônomo de investimento não pode realizar consultoria, administração ou gestão de patrimônio de clientes, devendo atuar como intermediário e solicitar autorização prévia do cliente para a realização de qualquer operação no mercado de capitais. Os produtos apresentados neste relatório podem não ser adequados para todos os tipos de cliente. Antes de qualquer decisão, os clientes deverão realizar o processo de suitability e confirmar se os produtos apresentados são indicados para o seu perfil de investidor. Este material não sugere qualquer alteração de carteira, mas somente orientação sobre produtos adequados a determinado perfil de investidor. A rentabilidade de produtos financeiros pode apresentar variações e seu preço ou valor pode aumentar ou diminuir num curto espaço de tempo. Os desempenhos anteriores não são necessariamente indicativos de resultados futuros. A rentabilidade divulgada não é líquida de impostos. As informações presentes neste material são baseadas em simulações e os resultados reais poderão ser significativamente diferentes. Este relatório é destinado à circulação exclusiva para a rede de relacionamento da XP Investimentos, incluindo agentes autônomos da XP e clientes da XP, podendo também ser divulgado no site da XP. Fica proibida sua reprodução ou redistribuição para qualquer pessoa, no todo ou em parte, qualquer que seja o propósito, sem o prévio consentimento expresso da XP Investimentos. SAC. 0800 77 20202. A Ouvidoria da XP Investimentos tem a missão de servir de canal de contato sempre que os clientes que não se sentirem satisfeitos com as soluções dadas pela empresa aos seus problemas. O contato pode ser realizado por meio do telefone: 0800 722 3710. O custo da operação e a política de cobrança estão definidos nas tabelas de custos operacionais disponibilizadas no site da XP Investimentos: www.xpi.com.br. A XP Investimentos se exime de qualquer responsabilidade por quaisquer prejuízos, diretos ou indiretos, que venham a decorrer da utilização deste relatório ou seu conteúdo. A Avaliação Técnica e a Avaliação de Fundamentos seguem diferentes metodologias de análise. A Análise Técnica é executada seguindo conceitos como tendência, suporte, resistência, candles, volumes, médias móveis entre outros. Já a Análise Fundamentalista utiliza como informação os resultados divulgados pelas companhias emissoras e suas projeções. Desta forma, as opiniões dos Analistas Fundamentalistas, que buscam os melhores retornos dadas as condições de mercado, o cenário macroeconômico e os eventos específicos da empresa e do setor, podem divergir das opiniões dos Analistas Técnicos, que visam identificar os movimentos mais prováveis dos preços dos ativos, com utilização de “stops” para limitar as possíveis perdas. O investimento em ações é indicado para investidores de perfil moderado e agressivo, de acordo com a política de suitability praticada pela XP Investimentos Ação é uma fração do capital de uma empresa que é negociada no mercado. É um título de renda variável, ou seja, um investimento no qual a rentabilidade não é preestabelecida, varia conforme as cotações de mercado. O investimento em ações é um investimento de alto risco e os desempenhos anteriores não são necessariamente indicativos de resultados futuros e nenhuma declaração ou garantia, de forma expressa ou implícita, é feita neste material em relação a desempenhos. As condições de mercado, o cenário macroeconômico, os eventos específicos da empresa e do setor podem afetar o desempenho do investimento, podendo resultar até mesmo em significativas perdas patrimoniais. A duração recomendada para o investimento é de médio-longo prazo. Não há quaisquer garantias sobre o patrimônio do cliente neste tipo de produto. O investimento em opções é preferencialmente indicado para investidores de perfil agressivo, de acordo com a política de suitability praticada pela XP Investimentos. No mercado de opções, são negociados direitos de compra ou venda de um bem por preço fixado em data futura, devendo o adquirente do direito negociado pagar um prêmio ao vendedor tal como num acordo seguro. As operações com esses derivativos são consideradas de risco muito alto por apresentarem altas relações de risco e retorno e algumas posições apresentarem a possibilidade de perdas superiores ao capital investido. A duração recomendada para o investimento é de curto prazo e o patrimônio do cliente não está garantido neste tipo de produto. O investimento em termos é indicado para investidores de perfil agressivo, de acordo com a política de suitability praticada pela XP Investimentos. São contratos para compra ou a venda de uma determinada quantidade de ações, a um preço fixado, para liquidação em prazo determinado. O prazo do contrato a Termo é livremente escolhido pelos investidores, obedecendo o prazo mínimo de 16 dias e máximo de 999 dias corridos. O preço será o valor da ação adicionado de uma parcela correspondente aos juros – que são fixados livremente em mercado, em função do prazo do contrato. Toda transação a termo requer um depósito de garantia. Essas garantias são prestadas em duas formas: cobertura ou margem. O investimento em Mercados Futuros embute riscos de perdas patrimoniais significativos, e por isso é indicado para investidores de perfil agressivo, de acordo com a política de suitability praticada pela XP Investimentos. Commodity é um objeto ou determinante de preço de um contrato futuro ou outro instrumento derivativo, podendo consubstanciar um índice, uma taxa, um valor mobiliário ou produto físico. É um investimento de risco muito alto, que contempla a possibilidade de oscilação de preço devido à utilização de alavancagem financeira. A duração recomendada para o investimento é de curto prazo e o patrimônio do cliente não está garantido neste tipo de produto. As condições de mercado, mudanças climáticas e o cenário macroeconômico podem afetar o desempenho do investimento.

A XP Investimentos CCTVM S/A, inscrita sob o CNPJ: 02.332.886/0001-04, é uma instituição financeira autorizada a funcionar pelo Banco Central do Brasil.Toda comunicação através de rede mundial de computadores está sujeita a interrupções ou atrasos, podendo impedir ou prejudicar o envio de ordens ou a recepção de informações atualizadas. A XP Investimentos exime-se de responsabilidade por danos sofridos por seus clientes, por força de falha de serviços disponibilizados por terceiros. A XP Investimentos CCTVM S/A é instituição autorizada a funcionar pelo Banco Central do Brasil.


Este site usa cookies e dados pessoais de acordo com a nossa Política de Cookies (gerencie suas preferências de cookies) e a nossa Política de Privacidade.