XP Expert

Bolsas em queda hoje; semana tem dados de inflação, emprego e indústria na agenda

Resultados de PMIs e inflação no Brasil são alguns dos temas de maior destaque nesta segunda-feira, 27/11/2023

Compartilhar:

  • Compartilhar no Facebook
  • Compartilhar no Twitter
  • Compartilhar no Whatsapp
  • Compartilhar no LinkedIn
  • Compartilhar via E-mail
Clique para ouvir

IBOVESPA -0,84% | 125.517 Pontos

CÂMBIO -0,22% | 4,90/USD

O que pode impactar o mercado hoje

Ibovespa

O Ibovespa estendeu seu rali de novembro mais uma vez, mas perdeu força durante a semana, apresentando leve ganho de 0,6% em reais e 0,5% em dólares, fechando aos 125.517 pontos. Clique aqui para acessar o resumo semanal da Bolsa.

Renda Fixa

Ao final da semana, a curva de juros encerrou perto da estabilidade, com os vértices de médio e longo prazos apresentando alta. O diferencial entre os contratos com vencimento em janeiro 2025 e 2033 saiu de 54,4 pontos-base na sexta-feira passada para 62,5 pontos nesta semana. A baixa liquidez no mercado global advinda das celebrações do dia de Ação de Graças nos Estados Unidos e o acompanhamento das questões fiscais no âmbito doméstico foram os destaques da semana. DI jan/24 fechou em 10,46% (2,9bps no comparativo semanal); DI jan/25 em 10,36% (9,9bps); DI jan/27 em 10,78% (11,7bps); DI jan/33 em 11,08% (10,9bps); DI jan/37 em 11,15% (10,6bps).

Mercados globais

Nos Estados Unidos, os futuros operam em queda (S&P 500: -0,2%; Nasdaq 100: -0,1%) após sexta-feira de negociações em horário reduzido. O preço dos futuros de petróleo teve queda, na expectativa da reunião da OPEP+ remarcada para quinta-feira.

Na Europa, os mercados operam em queda (Stoxx 600: -0,2%), e se encaminham para fechar novembro com a melhor performance mensal desde janeiro. Na China, os índices fecharam em baixa (CSI 300: -0,7%; HSI: -0,2%), impulsionados pela queda no setor de construção. Confira os Top 5 temas globais.

Economia

Muitos indicadores econômicos importantes serão divulgados esta semana. A medida de inflação favorita do Federal Reserve (banco central dos EUA), o deflator de despesas de consumo pessoal, será publicada na quinta-feira. A inflação na zona euro será divulgada na quinta-feira, juntamente com medidas para a Alemanha e Espanha. Esses indicadores serão chave para saber se os bancos centras dos EUA e Europa já chegaram ao fim dos ciclo de alta de juros.

Na China, as leituras do índice de gestores de compras de Novembro (pesquisa PMI), também na quinta-feira, fornecerão mais informações sobre a intensidade da recuperação econômica do país.

A inflação de preços ao consumidor IPCA-15 de novembro será divulgada na terça-feira. As leituras recentes da inflação têm sido benignas, abrindo caminho para que o Banco Central continue a reduzir as taxas de juro. Do lado da atividade, a taxa de desemprego de outubro sai na quinta-feira, enquanto a produção industrial sai na sexta-feira. Acreditamos que os números confirmarão que a economia perdeu força no segundo semestre deste ano.

Também no Brasil, a imprensa local informa que o presidente Lula indicará Flávio Dino para o Supremo Tribunal Federal (STF). Dino, político do Partido dos Trabalhadores (PT), é ministro da Justiça e ex-governador do estado do Maranhão. O STF deve decidir esta semana se o governo federal deve pagar o estoque de precatórios acumulados nos últimos anos fora dos limites do arcabouço fiscal. A questão chave será se os precatórios futuros também estarão fora dos limites do arcabouço fiscal, o que seria negativo para a previsibilidade das contas públicas.

Veja todos os detalhes

Economia

Semana movimentada de indicadores econômicos

  • Muitos indicadores econômicos importantes serão divulgados esta semana. A medida de inflação favorita do Federal Reserve (banco central dos EUA),  o deflator de despesas de consumo pessoal, será publicada na quinta-feira. Se vier bem comportado, este pode ser o indicador definitivo para determinar a visão de que o Fed não elevará mais os juros neste ciclo, e pode começar a pensar e reduzi-los no ano que vem. Inflação também é destaque na Europa. A inflação na zona euro será divulgada na quinta-feira, juntamente com medidas para a Alemanha e Espanha. O núcleo da inflação (medida que exclui itens mais voláteis) está previsto para 3,9% ano contra ano, o valor mais baixo desde meados do ano passado. Este valor poderá confirmar que o Banco Central Europeu (BCE) chegou ao fim do seu ciclo de alta de juros. A presidente do BCE, Christine Lagarde, fala ao parlamento da UE hoje. Na China, as leituras do índice de gestores de compras de Novembro (pesquisa PMI), também na quinta-feira, fornecerão mais informações sobre a intensidade da recuperação económica do país;
  • Os preços do petróleo estão em queda esta manhã, com as expectativas de reunião da OPEP+ esta semana (30 de novembro). Os futuros do petróleo cru dos EUA foram negociados em queda de 1%, a US$ 74,81 o barril, enquanto o contrato do Brent caiu 0,9%, para US$ 79,78 o barril. Os preços do petróleo permanecem consideravelmente abaixo do pico recente (95 dólares por barril em Setembro), contribuindo para manter sob controlo as pressões inflacionistas globais;
  • No Brasil, a imprensa local informa que o presidente Lula indicará Flávio Dino para o Supremo Tribunal Federal. Dino, político do Partido dos Trabalhadores (PT), é ministro da Justiça e ex-governador do estado do Maranhão;
  • O Supremo Tribunal Federal discutirá hoje a possibilidade de o governo pagar precatórios antigos fora dos limites do novo quadro fiscal. No governo Bolsonaro, o Congresso aprovou uma emenda constitucional limitando o valor anual de pagamento de precatórios, o que criou um estoque não pago que hoje soma 95 bilhões de reais. A decisão pode levar a um déficit primário substancial no curto prazo, mas reduz a incerteza para o futuro. A questão chave será se os precatórios futuros também estarão fora dos limites do arcabouço fiscal, o que seria negativo para a previsibilidade das contas públicas;
  • Importantes indicadores econômicos também serão publicados no Brasil esta semana. A inflação de preços ao consumidor IPCA-15 de novembro será divulgada na terça-feira. O mercado espera que o resultado anual diminua para 4,81%, de 5,05% em outubro. As leituras recentes da inflação têm sido benignas, abrindo caminho para que o Banco Central continue a reduzir as taxas de juro. Do lado da atividade, a taxa de desemprego de outubro sai na quinta-feira, enquanto a produção industrial sai na sexta-feira. Acreditamos que os números confirmarão que a economia perdeu força no segundo semestre deste ano.

Empresas

BTG Pactual (BPAC11): Vale quanto pesa!

  • Estamos atualizando nossas estimativas para o BTG Pactual (BPAC11), considerando os últimos resultados e previsões macro, e introduzindo nosso preço-alvo para o ano de 2024. Desde a nossa última atualização, a empresa apresentou resultados sólidos, recuperando o seu ROE tão rapidamente quanto diminuiu devido a uma provisão não recorrente ligada a um evento específico e altamente divulgado no negócio de Atacado;
  • Uma vez que o banco provou que o seu alegado “mix de negócios para todas as condições climáticas” poderia trazer de volta o nível saudável de rentabilidade, apesar do cenário macro ainda pressionado e da fase inicial do ciclo de flexibilização monetária doméstica, isto levou-nos a ser mais construtivos com os lucros futuros;
  • No entanto, as ações subiram e deixaram um potencial de valorização limitado para o caso. Assim, estamos introduzindo um preço-alvo de R$ 40,0/unit para o final de 2024 e mantendo nossa recomendação Neutra;
  • Clique aqui para acessar o relatório completo.

Frigoríficos: Perspectivas positivas reforçadas no setor avícola

  • Organizamos algumas reuniões entre investidores locais e players de aves na semana passada: São Salvador Alimentos (SSA) e GT Foods;
  • As principais conclusões foram (i) os recentes ajustes na oferta foram além da produção de pintos de corte e estão levando a um ambiente de Oferta e Demanda mais saudável, pelo menos até o final do 1T24; (ii) apesar dos menores custos, as vendas futuras do 1T24 estão sustentando melhores preços; e (iii) as exportações melhoraram, mas permanecem como um risco altista para 2024;
  • No geral, saímos das reuniões com sentimento otimista para o nossa Top Pick BRF (BRFS3) reiterado, enquanto esperamos uma recuperação nas margens da Seara. Junto com uma estratégia de grãos mais assertiva e um programa contínuo de eficiência operacional com resultados tangíveis, esperamos que a BRF (BRFS3) continue a superar seus pares do setor;
  • Clique aqui para acessar o relatório.

Engie Brasil (EGIE3): Feedback do Investor Day 2023; Prontos para aproveitar as oportunidades

  • A Engie realizou seu Investor Day e durante o evento, a empresa destacou o desenvolvimento de seus projetos mais importantes em energia renovável, transmissão e gasodutos. Também discutiu as tendências nos preços da energia e na regulamentação do setor. Desde o último Investor Day, o principal acontecimento foi a aquisição de 545MW em geração solar anunciada em outubro.
  • Além disso, a Companhia vem sendo vocal sobre a sua estratégia para explorar oportunidades que possam surgir no curto e médio prazo.;
  • Contudo, o cenário atual de excesso de oferta de energia poderá reduzir as oportunidades de fusões e aquisições de usinas existentes ou de desenvolvimentos em outros segmentos, como transmissão. Mantemos nossa recomendação Neutra para as ações da Engie;
  • Clique aqui para acessar o relatório completo.

Principais notícias dos setores

Nestas publicações diárias, trazemos as principais notícias nacionais e internacionais dos setores: Financeiro, Varejo (e-commerce, supermercados, lojas de roupa, farmácias, etc.), Agro, Alimentos e Bebidas e Energia (óleo & gás e elétricas).

  • Notícias Diárias do Setor Financeiro
    • Inadimplência na Caixa cai em outubro puxada por Desenrola (Valor);
    • Pagamento com Pix cresce 188% na Black Friday até as 14h, diz Rede (Valor);
    • Estrangeiros voltam à bolsa após três meses de saques (Valor);
    • Clique aqui para acessar o relatório completo.
  • Radar Tech XP: Notícias diárias do setor de Telecom e Tecnologia
    • Grupo TIM define ativos que integram unidade vendida à KKR (telesintese);
    • Anatel aprova a fusão entre Vero e America Net (telesintese);
    • Black Friday: Na contramão do Brasil, vendas on-line nos EUA crescem 7,5% e faturamento bate recorde (Valor);
    • China Mobile anuncia expansão no Brasil e planos para MVNO (telesintese);
    • Clique Aqui para acessar o relatório.
  • Entrega XP: Notícias diárias do setor de varejo
    • Black Friday fracassa em 2023 e é a segunda pior da história no Brasil (Valor);
    • Na Vivara, uma Black Friday para fechar o ano com chave de ouro (Exame)
    • Derrubada de veto à desoneração da folha pode gerar impacto de quase R$ 19 bi (Folha);
    • Clique aqui para acessar o relatório.
  • Agro, Alimentos & Bebidas: confira as principais notícias
    • Bebidas
      • As indústrias de cervejas e refrigerantes vibram com o calor insuportável de novembro (O Globo);
    • Alimentos
      • Hong Kong to cull 1,900 pigs after reporting second swine fever case in a month (Reuters);
      • O efeito Ozempic na sociedade e na bolsa: exageros em ambos (Pipeline Valor);
    • Agro
      • Paraná negocia instalação de fábrica da multinacional de sementes Petkus (Globo Rural);
      • Clima irregular já afeta as vendas de fertilizantes no país (Globo Rural);
    • Biocombustíveis
      • Permitir importação de biodiesel no Brasil é equivocado, diz indústria de soja (Globo Rural)
      • EUA se esforçam para produzir SAF a partir do etanol (NovaCana)
    • Clique aqui para acessar o relatório completo.
  • Saúde: XP Daily | Sua dose diária de notícias
    • Comissão vai ouvir ministra da Saúde sobre compra de imunoglobulina sem licitação (Câmara);
    • Comissão debate fornecimento de medicamentos específicos por planos de saúde (Câmara);
    • Seguros Unimed amplia parceria com Hospital Alemão Oswaldo Cruz (Setor Saúde);
    • Clique aqui para acessar o relatório.
  • Combustível XP: As principais notícias que movem o setor de Óleo & Gás
    • Eneva propõe fusão com Vibra para criar empresa combinada de R$ 50 bilhões. A proposta é válida por 15 dias  (Valor Econômico);
    • PetroReconcavo troca CEO após 16 anos; José Firmo assume (Brazil Journal);
    • Petrobras avalia recomprar Refinaria de Mataripe, diz Prates (epbr);
    • Clique aqui para acessar o relatório.

Renda fixa

De Olho na Renda Fixa: principais notícias de crédito privado, mercados e renda fixa

  • Crédito para empresas brasileiras volta a crescer (O Globo);
  • IPCA-15, indústria e Caged no Brasil, dados de inflação e atividade na Zona do Euro: o que acompanhar na semana (Infomoney);
  • Negociação entre bancos e Americanas se alonga e acordo será assinado até segunda (Valor);
  • Rating ‘brA+’ da Trisul reafirmado por expectativa de forte geração de caixa e recuperação das métricas de crédito; perspectiva alterada para estável (S&P Global);
  • Clique aqui para acessar o relatório completo.

Alocação & Fundos

Principais notícias

  • Fundos Imobiliários (FIIs): confira as principais notícias
    • Fundos imobiliários com um só imóvel dão lugar a carteiras diversificadas (Valor Investe);
    • FII distribui dividendos de R$ 3,70 por cota e é destaque entre maiores pagadores de novembro (InfoMoney);
    • FIIs movimentam a semana com desdobramentos de cotas e emissões milionárias; veja principais (FIIs);
    • Clique aqui para acessar o relatório.

ESG

Eneva propõe fusão com Vibra para criar gigante  da transição energética de R$ 50 bilhões | Café com ESG, 27/11

  • O mercado fechou a semana passada em território misto, com o IBOV registrando leve alta de +0,6% enquanto o ISE recuou -0,4%. Já o pregão de sexta-feira encerrou em queda, com o IBOV e o ISE caindo -0,83% e -1,25%, respectivamente;
  • Do lado das empresas, (i) a Eneva enviou uma carta para a Vibra propondo uma fusão entre as duas, em uma operação conhecida como “merger of equals” – com a fusão, a nova empresa buscará se fortalecer no setor de renováveis, com capacidade de contribuir para a substituição de combustíveis com menor pegada de CO2 para sua base de clientes, baseado em energia eólica, biogás e etanol; e (ii) segundo uma pesquisa realizada pela consultoria de governança Morrow Sodali, 8 em cada 10 bancos globais adotam indicadores relacionados às práticas ESG para definir a remuneração de suas lideranças – metas relacionadas à agenda climática e ampliação da diversidade, por exemplo, aparecem com maior impacto na remuneração da alta liderança;
  • Na política, segundo fontes do governo dos EUA, o presidente Joe Biden não planeja participar da cúpula climática COP28 nos Emirados Árabes Unidos, marcada para começar esta semana – embora tenha colocado as mudanças climáticas como prioridade na política doméstica e externa norte-americana, a provável ausência de Biden era esperada, sobretudo frente à guerra no Médio Oriente, além da  campanha de reeleição em 2024;
  • Clique aqui para acessar o relatório e começar o dia bem informado com as principais notícias ao redor do Brasil e do mundo quando o tema é ESG.

Planos da Petrobras e da Vibra para oportunidades de baixo carbono chamam atenção | Brunch com ESG

  • Pensando em melhor auxiliar os investidores, o Brunch com ESG é um relatório publicado todos os domingos pelo time ESG do Research da XP que busca destacar os principais tópicos da agenda na semana;
  • Na última semana, destacamos: (i) Petrobras (PETR4) mira investimentos de US$ 11,5 bilhões em projetos de baixo carbono em agenda de 5 anos; e (ii) Vibra Energia (VBBR3) em busca de oportunidades de transição para energia limpa;
  • Clique aqui para ler o conteúdo completo.

XPInc CTA

Se você ainda não tem conta na XP Investimentos, abra a sua!

XP Expert

Avaliação

O quão foi útil este conteúdo pra você?


Newsletter
Newsletter

Gostaria de receber nossos conteúdos por e-mail?

Cadastre-se e receba grátis nossos relatórios e recomendações de investimentos

Disclaimer:

Este relatório de análise foi elaborado pela XP Investimentos CCTVM S.A. (“XP Investimentos ou XP”) de acordo com todas as exigências na Resolução CVM 20/2021, tem como objetivo fornecer informações que possam auxiliar o investidor a tomar sua própria decisão de investimento, não constituindo qualquer tipo de oferta ou solicitação de compra e/ou venda de qualquer produto. As informações contidas neste relatório são consideradas válidas na data de sua divulgação e foram obtidas de fontes públicas. A XP Investimentos não se responsabiliza por qualquer decisão tomada pelo cliente com base no presente relatório. Este relatório foi elaborado considerando a classificação de risco dos produtos de modo a gerar resultados de alocação para cada perfil de investidor. O(s) signatário(s) deste relatório declara(m) que as recomendações refletem única e exclusivamente suas análises e opiniões pessoais, que foram produzidas de forma independente, inclusive em relação à XP Investimentos e que estão sujeitas a modificações sem aviso prévio em decorrência de alterações nas condições de mercado, e que sua(s) remuneração(es) é(são) indiretamente influenciada por receitas provenientes dos negócios e operações financeiras realizadas pela XP Investimentos.

O analista responsável pelo conteúdo deste relatório e pelo cumprimento da Instrução CVM nº 598/18 está indicado acima, sendo que, caso constem a indicação de mais um analista no relatório, o responsável será o primeiro analista credenciado a ser mencionado no relatório. Os analistas da XP Investimentos estão obrigados ao cumprimento de todas as regras previstas no Código de Conduta da APIMEC para o Analista de Valores Mobiliários e na Política de Conduta dos Analistas de Valores Mobiliários da XP Investimentos. O atendimento de nossos clientes é realizado por empregados da XP Investimentos ou por agentes autônomos de investimento que desempenham suas atividades por meio da XP, em conformidade com a ICVM nº 497/2011, os quais encontram-se registrados na Associação Nacional das Corretoras e Distribuidoras de Títulos e Valores Mobiliários – ANCORD. O agente autônomo de investimento não pode realizar consultoria, administração ou gestão de patrimônio de clientes, devendo atuar como intermediário e solicitar autorização prévia do cliente para a realização de qualquer operação no mercado de capitais. Os produtos apresentados neste relatório podem não ser adequados para todos os tipos de cliente. Antes de qualquer decisão, os clientes deverão realizar o processo de suitability e confirmar se os produtos apresentados são indicados para o seu perfil de investidor. Este material não sugere qualquer alteração de carteira, mas somente orientação sobre produtos adequados a determinado perfil de investidor. A rentabilidade de produtos financeiros pode apresentar variações e seu preço ou valor pode aumentar ou diminuir num curto espaço de tempo. Os desempenhos anteriores não são necessariamente indicativos de resultados futuros. A rentabilidade divulgada não é líquida de impostos. As informações presentes neste material são baseadas em simulações e os resultados reais poderão ser significativamente diferentes. Este relatório é destinado à circulação exclusiva para a rede de relacionamento da XP Investimentos, incluindo agentes autônomos da XP e clientes da XP, podendo também ser divulgado no site da XP. Fica proibida sua reprodução ou redistribuição para qualquer pessoa, no todo ou em parte, qualquer que seja o propósito, sem o prévio consentimento expresso da XP Investimentos. SAC. 0800 77 20202. A Ouvidoria da XP Investimentos tem a missão de servir de canal de contato sempre que os clientes que não se sentirem satisfeitos com as soluções dadas pela empresa aos seus problemas. O contato pode ser realizado por meio do telefone: 0800 722 3710. O custo da operação e a política de cobrança estão definidos nas tabelas de custos operacionais disponibilizadas no site da XP Investimentos: www.xpi.com.br. A XP Investimentos se exime de qualquer responsabilidade por quaisquer prejuízos, diretos ou indiretos, que venham a decorrer da utilização deste relatório ou seu conteúdo. A Avaliação Técnica e a Avaliação de Fundamentos seguem diferentes metodologias de análise. A Análise Técnica é executada seguindo conceitos como tendência, suporte, resistência, candles, volumes, médias móveis entre outros. Já a Análise Fundamentalista utiliza como informação os resultados divulgados pelas companhias emissoras e suas projeções. Desta forma, as opiniões dos Analistas Fundamentalistas, que buscam os melhores retornos dadas as condições de mercado, o cenário macroeconômico e os eventos específicos da empresa e do setor, podem divergir das opiniões dos Analistas Técnicos, que visam identificar os movimentos mais prováveis dos preços dos ativos, com utilização de “stops” para limitar as possíveis perdas. O investimento em ações é indicado para investidores de perfil moderado e agressivo, de acordo com a política de suitability praticada pela XP Investimentos Ação é uma fração do capital de uma empresa que é negociada no mercado. É um título de renda variável, ou seja, um investimento no qual a rentabilidade não é preestabelecida, varia conforme as cotações de mercado. O investimento em ações é um investimento de alto risco e os desempenhos anteriores não são necessariamente indicativos de resultados futuros e nenhuma declaração ou garantia, de forma expressa ou implícita, é feita neste material em relação a desempenhos. As condições de mercado, o cenário macroeconômico, os eventos específicos da empresa e do setor podem afetar o desempenho do investimento, podendo resultar até mesmo em significativas perdas patrimoniais. A duração recomendada para o investimento é de médio-longo prazo. Não há quaisquer garantias sobre o patrimônio do cliente neste tipo de produto. O investimento em opções é preferencialmente indicado para investidores de perfil agressivo, de acordo com a política de suitability praticada pela XP Investimentos. No mercado de opções, são negociados direitos de compra ou venda de um bem por preço fixado em data futura, devendo o adquirente do direito negociado pagar um prêmio ao vendedor tal como num acordo seguro. As operações com esses derivativos são consideradas de risco muito alto por apresentarem altas relações de risco e retorno e algumas posições apresentarem a possibilidade de perdas superiores ao capital investido. A duração recomendada para o investimento é de curto prazo e o patrimônio do cliente não está garantido neste tipo de produto. O investimento em termos é indicado para investidores de perfil agressivo, de acordo com a política de suitability praticada pela XP Investimentos. São contratos para compra ou a venda de uma determinada quantidade de ações, a um preço fixado, para liquidação em prazo determinado. O prazo do contrato a Termo é livremente escolhido pelos investidores, obedecendo o prazo mínimo de 16 dias e máximo de 999 dias corridos. O preço será o valor da ação adicionado de uma parcela correspondente aos juros – que são fixados livremente em mercado, em função do prazo do contrato. Toda transação a termo requer um depósito de garantia. Essas garantias são prestadas em duas formas: cobertura ou margem. O investimento em Mercados Futuros embute riscos de perdas patrimoniais significativos, e por isso é indicado para investidores de perfil agressivo, de acordo com a política de suitability praticada pela XP Investimentos. Commodity é um objeto ou determinante de preço de um contrato futuro ou outro instrumento derivativo, podendo consubstanciar um índice, uma taxa, um valor mobiliário ou produto físico. É um investimento de risco muito alto, que contempla a possibilidade de oscilação de preço devido à utilização de alavancagem financeira. A duração recomendada para o investimento é de curto prazo e o patrimônio do cliente não está garantido neste tipo de produto. As condições de mercado, mudanças climáticas e o cenário macroeconômico podem afetar o desempenho do investimento.

A XP Investimentos CCTVM S/A, inscrita sob o CNPJ: 02.332.886/0001-04, é uma instituição financeira autorizada a funcionar pelo Banco Central do Brasil.Toda comunicação através de rede mundial de computadores está sujeita a interrupções ou atrasos, podendo impedir ou prejudicar o envio de ordens ou a recepção de informações atualizadas. A XP Investimentos exime-se de responsabilidade por danos sofridos por seus clientes, por força de falha de serviços disponibilizados por terceiros. A XP Investimentos CCTVM S/A é instituição autorizada a funcionar pelo Banco Central do Brasil.


Este site usa cookies e dados pessoais de acordo com a nossa Política de Cookies (gerencie suas preferências de cookies) e a nossa Política de Privacidade.